segunda-feira, 20 de março de 2017

São José: vida simples com Jesus e Maria

"Despertando, José fez como o anjo do Senhor havia mandado e recebeu em sua casa sua esposa" (Mt 1,24)
Não acham belo e magnífico isso? A OBEDIÊNCIA de São José à voz de Deus, à sua vocação, resultou em receber na sua casa Jesus e Maria. A entrada da Imaculada e do Verbo encarnado na sua casa não se deu numa transfiguração gloriosa, mas de maneira simples. A Mãe de Deus e o Menino Deus entraram na sua casa, na sua vida - na pobreza da sua vida de simples carpinteiro, simples José.
Jesus em Maria entraram na vida de São José. Sim, na vida. Nós precisamos compreender isso. José recebeu a mais sublime missão depois da de gerar o próprio Deus, que foi de cuidar do sustento humano e proteger o Menino Deus e Sua Imaculada Mãe.
Repito, quem obedece à voz de Deus recebe na sua vida a presença de Cristo e da Virgem. José trabalhou para prover o sustento da Sagrada Família. José fugiu para o Egito com Maria e Jesus para proteger a Sagrada Família. José viveu para e por Jesus e Maria. Mas o detalhe é que foi na simplicidade da sua vida. Jesus e Maria entraram na sua vida simples de carpinteiro, de homem justo, santo. O Deus que fez todas as coisas e sem Ele nada foi feito, se coloca na dependência do trabalho humano de um simples carpinteiro. O Deus que criou todas as coisas, aprende de São José uma profissão; por isso Cristo é chamado não somente de Deus e Senhor, mas "o filho do carpinteiro".
Muitas vezes pensamos que servir Jesus Cristo e Maria Santíssima se resume a feitos grandiosos, mas o humilde e obediente São José nos mostra que a santidade, que a perfeição do servir a Deus, está no fazer bem todas as coisas que Deus nos manda, está em colocar Jesus e Maria nas coisas simples do nosso dia a dia. O Patrono da Igreja poderia ser um guerreiro que derramou o sangue numa cruzada; um grande místico que tivesse colóquios espirituais com Deus; um Papa com título magno; São Tomás com sua teologia magnífica; ou mesmo o próprio Arcanjo São Miguel; mas, não, o Patrono da Igreja é um simples carpinteiro que fez perfeitamente todas as coisas. São José colocou em prática os talentos que recebeu do Pai, e dispôs tudo a serviço de Jesus e Maria.
Se nós não aprendermos o valor do trabalho, do estudo, de simplesmente estar e amar a família, cuidar dos filhos, etc., nós NUNCA entenderemos o que é santidade. As vezes sonhamos e desejamos coisas sublimes, mas expulsamos Jesus e Maria das coisas simples, uma vez que não queremos realizá-las. Queremos pregar para multidões, mas não queremos gerar filhos e educá-los na fé; queremos ser mestres de oração, mas não queremos amar e rezar em família. Queremos, sim, ter família; mas, não queremos o ônus que isso nos traz: o sacrifício. São José trabalhou, ganhou o pão para ele, Jesus e Maria, com o trabalho da carpintaria. Por mais simples que seja o trabalho, só de tirar o sustento para a família, já é servir a Deus, pois Jesus está na família junto com Sua Mãe.
Se não entendermos isso, precisamos imitar José no início do versículo citado acima: "Despertando..." Sim, precisamos despertar desse sono da morte. Seja o que Deus sonhou, não o que o egoísmo quer de nós. Como nos ensinaria São Josemaria Escrivá, aprendamos, pois, a colocar Jesus em todas as coisas, e assim veremos as coisas ordinárias com valor extraordinário. Que São José nos ensine.
Glorioso São José, rogai por nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário