quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Planejamento familiar no plano de Deus

Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!

É muito "planejamento familiar" para pouca família planejada por Deus! Este é o desabafo que faço diante de algumas coisas que leio/escuto por aí. Quando vejo casais justificando a cultura do filho único e/ou não ter filhos, pelo fato de que filho gasta muito, por que dá trabalho - fico profundamente triste (de verdade) porque vejo um casal jogando fora um dom de Deus. São pessoas que estão negando – ou falsificando – a sua vocação. Mas tudo – ou quase tudo – é justificado pelo pseudo “planejamento familiar”.

      Como é triste conversar com casais cristãos e ver que os filhos se tornaram uma conta maior no consultório médico, uma mensalidade a mais na escola, e um monte de baixezas que, para os pais, resume-se em gastar muito. Ter filhos, para estas pessoas, é o mesmo que ter uma fatura do cartão de crédito na caixa do correio. Antigamente ao saber que a mulher estava grávida, logo vinha a mente que a bolsa ia estourar e haveria um parto; hoje, porém, ao saber da notícia, logo pensa que o orçamento vai estourar, que não estão preparados financeiramente, etc.
     
      Isso quando não reclamam que os filhos fazem bagunças. A criançada correndo, quebrando as coisas.... É uma loucura. Mas, cá para nós: crianças correndo na casa é um problema? Ou melhor, é o problema? Bom, bagunçam? Sim, mas será que é porquê crianças são bagunceiras ou porque nós, homens e mulheres do século XXI, somos egoístas e não queremos filhos porque não queremos gastar tempo com eles? Afinal, ter filhos significa educar, estar junto; e isto me impede de fazer o que quero, assistir o que quero, comprar o que eu quero. Portanto, já que ter filhos, para muitas pessoas, é sinônimo de gastar, logo os pais contemporâneos têm a brilhante ideia: compra um videogame, um computador, deixa esses moleques se distraindo aí enquanto faço minhas atividades medíocres e mesquinhas.
       
      Este dinheiro que tanto se quer ganhar para dar condições melhor para a família, não é a verdadeira benção de Deus. Oxalá as pessoas compreendam o verdadeiro sentido da família. Oxalá as pessoas compreendam a importância de gerar filhos. A Palavra de Deus nos ensina: “Os filhos são um dom de Deus: é uma recompensa o fruto das entranhas. Tais como as flechas nas mãos do guerreiro, assim são os filhos gerados na juventude.” (Salmo 126,3-4).
     
      Ter filhos é, na verdade, ser abençoado por Deus. Ser rico pode até ser uma maldição, pois muitos se apegaram ao dinheiro. Mas aqueles que tem filhos e os educam para o Céu, estes não perderão sua recompensa eterna. Se Deus dá muitos filhos a um casal, é sinal de muita benção.

      É triste ver que muitos católicos tem deturpado o método natural, manipulado o “planejamento familiar” para fins egoístas. É óbvio que se deve planejar, se estruturar. Mas o planejamento não pode ser feito sem colocar as coisas sob a vontade de Deus. O Padre Lodi cita no livro Descobrindo a Castidade que teve noivos que o procurara para saber sobre o método natural. A dúvida? Sobre casar no dia em que estava infértil para não correr risco de engravidar. Ora, qual o sentido de marcar a data do casamento para um dia em que a mulher está infértil? Alguns grupos paroquiais que são responsáveis por dar cursos para noivos ensinam tudo errado: uns ensinam o método natural como eficiente para não ter filhos (ou seja, é como se a ideia fosse ter o mesmo efeito da camisinha ou anticoncepcionais, só que sem incorrer em pecado); outros, por sua vez, ensinam descaradamente a usar métodos artificiais de contracepção. Em suma, certos grupos inculcam nos fiéis que devem aproveitar os primeiros anos de casados para curtir, para se amar, afinal, segundo eles, depois, com os filhos, não terão tempo para curtir.
     
      Aí eu me pergunto: o casamento é para curtir? Posts no facebook são para curtir. Agora no casamento. Bom, já estive presente em cerimônias de casamento e nunca ouvi o padre ou diácono perguntar se se comprometiam, diante de Deus, a curtirem-se mutuamente. Se alguém quiser curtir, não se case. Para curtir, neste sentido mundano, tem os bordeis. A consequência é o inferno. Mas, enfim, o casamento... ah, querido, o casamento é outra coisa.   

      É justamente quando vemos alguém querer evitar desesperadamente (mesmo que com o método natural) engravidar na lua de mel, é que compreendemos como o sentido de “planejamento familiar” é totalmente distorcido. Por que não engravidar na lua de mel? Uns dirão que são jovens demais, outros que é preciso curtir (pelo amor, neh povo?), e outros dizem ainda que tem problemas financeiros. Ora, se você é adepto do planejamento familiar, porque não planejou tudo isso no noivado? Curtir? Se for um curtir for sair mais, etc., não deu para passear bastante no tempo do namoro? São jovens demais? Ora, então não case! Espere mais um tempo para amadurecer. Tem problemas financeiros? Então porque não esperou se estabilizar para poder casar? Se você não se planeja para o casamento durante o noivado, não me venha com este papo de planejamento familiar, pois se teve uma coisa que você NÃO FEZ foi planejar.

      O planejamento familiar é necessário, mas não como algumas pessoas tem pregado. O método natural, segundo o próprio Padre Lodi fala, é recomendado por um período de dois anos. E como se faz isso? Simples: planejando! Digamos que um casal tem o segundo filho após três anos de casado. Logo verificam que se vier outro filho, passarão por um aperto, pois precisa estruturar o quarto para as crianças, por exemplo. O que se faz? Usam o método natural, e durante este tempo, o casal busca soluções para o problema financeiro, busca meios de arrumar o quarto, etc. O casal não se acomoda, buscando não ter filhos para comprar uma TV última geração, ou trocar o carro por vaidade, etc.
     
      Além de que espaçar os filhos desordenadamente é um reflexo da falta de verdadeiro planejamento. Não poucos pais têm vários filhos únicos. Exemplificando: um casal tem três filhos: A de 1 ano, B de 5 e C de 10. São três filhos únicos: C está  em uma idade que não se interessa pela brincadeira de B, que não se interessa pela de A... Filhos isolados em estágios de desenvolvimento diferente. A própria educação com muitos filhos é mais fácil, caso seja feito da maneira correta.

     
      Sei lá. Até alguns casais católicos me fazem achar que sou louco... As vezes há quem fique triste ao saber da gravidez. Outro dia um casal protestante ao conversar comigo, falava que levou a filha no médico e este disse que estava na hora de ter o segundo filho. Eles me falaram que o pediatra (particular) estava era querendo ganhar dinheiro, já que a outra filha estava crescendo. Bom, sei lá, são vários casos que vão me trazendo uma amargura, uma tristeza, porque o dom da vocação matrimonial está sendo desprezada por tantos.

      Outro dia causou espanto para algumas pessoas uma foto que compartilhei: um casal com doze filhos. Uns zombam, outros perguntaram se eu queria ter este tanto de filhos. Outros dizem “coitada da mulher”. E eu fico: sou eu o louco? Coitado do futuro da humanidade.

      Infelizmente esta geração trata um cachorro como membro da família, mas faz o diabo para não vir as bênçãos de Deus, os filhos, que são a materialização da aliança entre o homem, a mulher e Deus.
       Para os que se preocupam com as condições financeiras, digo-vos, porém, para confiarem na Divina Providência. Trabalhe, busque ganahar o pão de cada dia, e Deus abençoará. Deus providenciará o necessário. Talvez você não faça aquela viagem que tanto queria, mas o necessário para a criação dos filhos que Ele mesmo te der, sim, Deus providenciará. Não foi Deus quem deu os filhos? Ele cuidará! Ele dará meios. 

"Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, vosso Pai celeste sabe que necessitais de tudo isso. Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo. Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado." (Mateus 6,31-34)

***

“A mulher será salva pela maternidade” (1Tm 2,15)

“Deus criou o homem à sua imagem; criou0o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. DEUS OS ABENÇOOU: ‘FRUTIFICAI – disse ele – E MULTIPLICAI-VOS, ENCHEI A TERRA E SUBMETEI-A.’” (Gên 1,27-28)

Casal brasileiro que tem 13 filhos, e diz não desistir até ter uma menina. Escolhi esta foto para ilustrar uma família numerosa, pois a mesma não se trata de uma família rica, como pode ser constatado, derrubando o argumento de que só os ricos devem ter muitos filhos pelas condições. Enquanto, na verdade, são os que tem mais condições que mais buscam evitar ter filhos. Talvez para que estes não atrapalhem na maneira como curtir a fortuna. Não sei do que adiantará tanta "curtição" no dia do juízo diante de Deus. Feliz das famílias que são abertas para terem quantos filhos Deus enviar - inclusive nenhum, biologicamente, mas que é resignado com a vontade de Deus.


Nenhum comentário:

Postar um comentário