sexta-feira, 1 de julho de 2016

Rebeca e Isaac: exemplo de como encontrar a pessoa certa para casar

Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!
Normalmente quando queremos algo, ou nos tornar algo, nos espelhamos em algumas pessoas. Para aqueles que desejam casar e constituir uma família verdadeiramente cristã não é diferente. Nós temos vários exemplos de pessoas que viveram o matrimônio santamente, e também o período de namoro. Nós temos os santos da Igreja, como São Luís Martin e Santa Zélia Martin, pais de Santa Teresinha; mas também Santa Gianna Bereta Molla, mais recentemente, dentre tantos outros na história da Igreja. Na Sagrada Escritura também está repleto de testemunhos de como viver bem a pureza do amor humano. Muito se comenta sobre Sara e Tobias, mas hoje quero convidar você refletir em Rebeca e Isaac.
            A história de Rebeca e Isaac, assim como a de Sara e Tobias, é um grande exemplo para aqueles que estão esperando em Deus pelo encontro da pessoa certa, daquela que é escolhida por Deus e que quererá viver o matrimônio como Sacramento que é, e não algo meramente carnal.
            Sara, mãe de Isaac, acabara de morrer; Abraão, velho e viúvo, chama o seu servo mais antigo para lhe incumbir a missão de encontrar uma esposa para seu filho Isaac. Mas Abraão não quer qualquer mulher para ser a esposa de seu filho. As palavras são claras:
“Quero que jures pelo Senhor, Deus do céu e da terra, que não escolherás para mulher de meu filho nenhuma das filhas dos cananeus, no meio dos quais habito; mas irás à minha terra, à minha parentela, e lá escolherás uma mulher para o meu filho Isaac.” (Gênesis 24,3-4).
Isso pode parecer sem importância para aqueles que não são espirituais, ou seja, que não tem a eternidade na mente, Deus no coração e o mundo debaixo dos pés. Abraão estava vivendo em uma região de pagãos, de idólatras que adoravam falsos deuses e, consequentemente, não adoravam ao Deus verdadeiro, Javé. Por isso a preocupação de Abraão para que Isaac casa-se com uma mulher temente a Deus, e não com uma pagã.
            Hoje a nossa cultura é outra, portanto, não será seu pai e sua mãe que irá procurar seu/sua esposo(a). Nós temos a liberdade de escolha – embora seja utilíssimo ouvir os conselhos dos pais e a partir daí ter discernimento dos espíritos. Mas deste fato podemos concluir algo de suma importância para quem quer viver a vocação matrimonial em Deus: não case com alguém do mundão, mas procure alguém que creia em Deus. Li certa vez uma frase que é verdadeira: Deus não une pessoas; Ele une propósitos. Sim, é verdade. Se você é católico, quer viver a castidade, como que você quer namorar com uma pessoa pagã, que vive completamente o oposto da fé que você professa? Se você vive em um lugar paganizado, seja a escola, faculdade, ou mesmo trabalho, você não é obrigado a namorar com alguém pagão. Não! De forma alguma! Espera em Deus. E o conselho de Abraão é este: não casar com as pessoas da região pagã, mas buscar na sua parentela, ou seja, nas pessoas que tenham a mesma fé.
            Não caia na falsa piedade de dizer: “eu vou ser luz para ele(a). Vou evangelizar”. Se no princípio do namoro não houver propósitos de ambos em viver o que a Igreja ensina em relação a castidade, por exemplo, sabe o que acontece? Namora com a menina porque é linda, linda, linda, só é meio feminista e não gosta muito desse negócio de castidade.... Namora dois meses e vocês estarão fornicando. Isso acontece mais com as moças: namora com o rapaz, quer viver a castidade, mas este não sendo católico praticante, vai levando no banho Maria aqui, dando uma esquentada ali, em pouco tempo estará forçando a barra e ainda se brincar dizendo “se me ama, prove dormindo comigo”. Estou mentindo que é assim? É claro que há casos em que de fato uma pessoa torna-se luz para a outra. Mas você tem que ser pulso firme, ou seja, ter a coragem de perder o namoro, mas não perder a graça de Deus. Se você gostar de uma pessoa que não é católico, ou não pratica o catolicismo de fato, e essa pessoa também gostar de você, faça jogo duro: você é legal, mas sou Católico Apostólico Romano; se quiser namorar comigo vamos viver a castidade no namoro, vamos a Missa todo domingo, sempre que possível vamos rezar juntos, e de preferência se inscreva na catequese para receber os sacramentos. Vocês podem achar exagero, mas está cheio de exemplos de pessoas que eram atoas, mas por causa de um namoro começaram a fazer catequese e se engajar na Igreja. Muitos até relatam que terminaram o namoro, mas a fé no Cristo continua. Não caia na outra cilada do inimigo: “com o tempo ele(a) vai mudar”. Sabe o que vai acontecer? Você vai querer casar e ter filhos, a outra pessoa, que não tem a mesma fé que você, vai querer “curtir”, deixar filhos para depois, usar métodos artificiais de contracepção, indo contra todos os ensinamentos da Igreja. Por isso, tenha discernimento antes de começar o namoro, durante o namoro, e quando o padre perguntar se você aceita a outra pessoa como legítima esposa, pense antes de dizer sim. Dessa vez não é Abraão, ou seja, seu pai ou um encarregado que escolherá, mas você que é livre para dizer sim ou não. Você é que responderá no dia do teu juízo.
            Seguindo na história de Isaac e Rebeca, podemos ler no versículo 7 Abraão dizendo: “este Senhor, mandará o seu anjo diante de ti, e tu escolherás lá uma mulher para o meu filho.”  Assim como na história de Sara e Tobias que foram unidos pela ação de um anjo do Senhor, Abraão fala que seu servo será guiado por um anjo. O Padre Paulo Ricardo aconselha que aqueles que estão solteiros e querem se casar, que peçam o auxílio do Anjo da Guarda para que o guie até a outra pessoa. Rogue a Deus que mande Seus anjos a guiar-nos para a vontade de Deus.
O servo o obedece e vai à pátria de Abraão para achar uma esposa para Isaac. Mas ele sabe que não deve ser qualquer mulher. Deve ser a mulher! A escolhida por Deus para ele. O servo chega a cidade e ora à Deus:
“Senhor, Deus de Abraão, meu senhor, fazei-me encontrar hoje o que desejo, e manifestar vossa bondade para com meu senhor Abraão. Eis-me aqui, de pé, junto desta fonte onde as filhas dos habitantes da cidade virão buscar água. Portanto, a donzela a quem eu disser: ‘Inclina o teu cântaro, por favor, para que eu beba’ -, e me responder: ‘Bebe, e darei de beber também aos teus camelos’ -, essa seja a que destina ao vosso servo Isaac. Assim saberei que manifestais vossa bondade para com meu senhor.” (Gênesis 24,12-14)
            Para você que está procurando a pessoa certa, esta passagem te dá o passo a passo para encontrá-la. Essa passagem não deve ser interpretada simplesmente como um mero pedido de sinal para Deus. Nós podemos, é verdade, pedir um sinal a Deus; mas muitas vezes Deus nos dá outros sinais. Eu digo-vos que o maior dos sinais é se ambos amam a Deus sobre todas as coisas e querem um levar o outro para o Céu. Mas analisemos esta oração, pois ela nos fala muito bem nesta busca, e nos ajudará a discernir os “sinais de Deus”.
            O servo de Abraão, em sua oração, diz que está de pé junto de uma fonte, pois ali é o lugar onde as donzelas daquele povo iam buscar água. Você quer namorar com alguém de Deus? Você quer namorar com uma moça ou um rapaz cheio do Espírito Santo? Então você deve estar aonde esta pessoa está! Onde essa pessoa vai para buscar água (no caso a Água Viva do Espírito Santo)? Se você quiser encontrar alguém para ser passatempo, alguém para te dar prazer, vá até um baile funk, à um show de sertanojo, aos bares, aos prostíbulos. Mas lembre-se que quem semeia na carne, na carne colherá e padecerá. Mas se você quer uma mulher que vive no Espírito Santo; se você quer um homem que vive no Espírito Santo; você deve procurar aonde estas pessoas vão para matar a sua sede de Deus: na Igreja. Mas, claro, nem todo mundo que está na Igreja é Igreja. Há muita gente que está por estar, e é tão pagão quanto quem está fora. Mas se você é de Deus, terás o discernimento dos espíritos. E o conselho daqui é: se você quer uma mulher ou um homem de Deus, seja VOCÊ uma pessoa de Deus em primeiro lugar. Porque se você for uma pessoa de Deus, logo você estará nos mesmos lugares que essa pessoa. Não vá para as coisas da Igreja com a intenção de arrumar namoro. Não! Vá com a intenção de adorar o teu Deus; e aí, no tempo certo, Deus unirá os corações adoradores. Conheço um casal que tem uma história bonita: se conheceram na Capela do Santíssimo Sacramento em um encontro da Igreja. Seja de Deus. Tem gente que é tão depressiva que chega ao ponto de parar de ir pra Igreja porque está solteira(o). É porque o desejo de casar é maior do que o de ser de Deus. Vai aprender a amar a Deus primeiro, porque com essa carência, essa frescurite aguda, você é capaz de abandonar a Deus por causa da pessoa e/ou não saberá amar a outra pessoa e também a perderá. Afinal, se eu não amo a Deus, amarei o próximo? Por isso, vá adorar o Santíssimo, vá rezar o terço, vá para os retiros, esteja em Comunhão com Deus.
            Após encontrar a pessoa, quando você estiver para discernir namoro, e, principalmente, quando tudo estiver se encaminhando para um casamento, você deve se perguntar: essa pessoa está matando a minha sede? Este foi o sinal que o servo pediu: a donzela que me der de beber, essa se casará com Isaac. Essa pessoa que você encontrou, te traz paz? Se traz paz, é de Deus. Claro que a Paz não é o mesmo que ausência de conflitos. Mas aquilo que vem de Deus não traz depressão, ódio, ciúmes exagerados, tormentos, trevas, etc. Traz a paz. Muitas vezes a outra pessoa traz o fogo da paixão: seja por atração física, seja por situação financeira; mas a pessoa que Deus escolhe para nós é aquela que nos dá água viva, que mata a nossa sede. Aí você fala: mas é Cristo que nos dá a Água Viva, é Ele que mata a nossa sede. Então, o matrimônio é Sacramento, ou seja, Deus está presente. Quando a outra pessoa mata a minha sede, a ânsia de que está faltando algo, é porque ela é o próprio Cristo na minha vida, ou melhor, o instrumento de Cristo para mim. Então reflita: esta pessoa tem me dado água para matar minha sede ou tem me dado lama? Esta pessoa me aproxima de Deus ou do pecado? Quando estou com essa pessoa, em mim desperta as paixões, o pecado, a confusão, ou me traz paz por saber que estou na vontade de Deus? Podem aparecer na sua vida muitas donzelas da Igreja, rapaz; também muitos varões, moça; mas só um lhe trará a paz. Só um lhe trará essa sensação de alguém que te dá água para beber. Assim como Adão que ao ver Eva exclamou: “Eis agora aqui o osso de meus ossos e a carne de minha carne” (Gênesis 2,23). Este é o sentimento de alguém que encontrou aquele que o completa. A Paz. Reze, se aproxime de Deus, peça conselho de Nossa Senhora, e se questione se o que essa pessoa te traz é Paz ou paixão mundana. Não ache que após casar tudo ficará bem. Aprenda a discernir agora, pois se você escolher pelo fogo da carne, passará o resto da vida com alguém que não será capaz de te dar água para matar tua sede e te deixará sofrendo no fogo do mundo.
O sinal que o servo pediu é algo de uma sabedoria tremenda. Não somente pelo que já citei acima, mas também pelo sinal em si. Não fui um sinal maluco, mas algo cheio de sentido. Pedir que a escolhida responda que o dará de beber, assim como também os camelos, tem um profundo significado. Isso mostra que o servo está procurando uma mulher virtuosa. Vai dizer o livro dos Provérbios: “Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor.” (Prov. 31,10). Rebeca era uma mulher virtuosa. Ela se preocupava com as outras pessoas. Ela se preocupou com o servo e lhe deu de beber, assim como também aos seus animais. O servo pedindo este sinal, mostra-nos que não devemos buscar pessoas que são “antas”, mas que são virtuosas. A outra pessoa tem que matar a sua sede a daqueles que saírem de ti, dos filhos. A outra pessoa é virtuosa – aqui no sentido de que trabalha para sustentar a casa, ou mesmo cuida da casa, alimenta os filhos, etc? Outro dia ouvi uma jovem dizer “isso que minha mãe faz, deixar de comer algo para eu comer, eu não faria”. Aí penso: Meu Deus, casar com uma criatura dessa será deixar os filhos “passando fome” com uma gulosa? Ou mesmo, a pessoa é metida a feminista – nem dará problema em alimentar filhos porque não os quer ter. Ou o rapaz, é boa pinta, mas só pensa em vídeo game. Outro dia vi uma reportagem que um homem matou sua mulher porque esta havia reclamado que ele havia comprado outro jogo de vídeo game, enquanto tinha que comprar as coisas para o filho. Como um homem pode ser de Deus se ele mata outra pessoa por causa de vídeo game? Aliás, como ele foi capaz de não ajudar na alimentação do filho, subentende-se, para comprar jogo? Se você quer casar, passe a amizade e o namoro vendo se a outra pessoa é virtuosa, ou se é somente um(a) porco(a) egoísta que quer fazer as próprias vontades, não se importando com nada e nem ninguém.
            Rebeca alimentou o servo e os camelos. A mulher virtuosa, aqui, é aquela que se preocupa com o outro. Ela se preocupa com os camelos, meios de transporte. Enfim, com toda a vida da outra pessoa. O homem e a mulher devem ser virtuosos, se complementarem, um ajudar o outro a cumprir suas metas – ou melhor, o sonho de Deus para cada um, para ambos. Os camelos eram os meios de transporte do servo, e qual o meio, não de transporte, mas de vida do marido? Quantas mulheres não ajudam seus maridos na sua profissão, ao trabalhar. Muitas – principalmente as apegadas as riquezas – tem destruído a si mesmas e o outro. Quantos homens, também, não dão suporte às suas mulheres em casa. Se a mulher não trabalha, agem com ignorância e orgulho porque, dizem eles, são eles que colocam comida na mesa e as esposas nada; se trabalham, não dão o menor auxílio, mesmo com a dupla jornada. Enfim, vivemos em um tempo confuso. E cito esses problemas típicos de casamento neste texto sobre encontrar um namoro, porque estes sinais podem ser vistos antes do casamento. Você perceberá pelas conversas, pelos apegos, pelo jeito de tratar os outros. Como o rapaz trata a mãe, ou como a moça trata o pai? Sua namorada odeia a irmãzinha de 5 anos, maltrata, deixa-a com fome, e você acha que magicamente, após o casamento, ela se transformará numa lady santa, boa mãe, protetora das crianças, e terá alegremente 5 filhos e os educará perfeitamente sem maltratá-los? É claro que a graça de Deus pode tudo, mas o que estou falando é: aprenda a discernir, para depois não colocar a culpa em Deus de uma escolha que foi sua.
            Rebeca parte com o servo rumo ao pretendente, Isaac. A Sagrada Escritura vai nos falar algo interessantíssimo para quem quer namorar ou está namorando:
“Uma tarde em que saíra para meditar no campo, levantando os olhos, viu alguns camelos que se aproximavam. Rebeca tabém, tendo levantado os olhos, viu Isaac, e desceu do camelo. Ela disse ao servo de Abraão: ‘Quem é aquele homem que vem ao nosso encontro no campo?’. ‘É o meu senhor’ – respondeu ele. E ela tomou depressa o véu e cobriu-se.” (Gênesis 24,63-65)
        
É interessante o fato de que Rebeca, após avistar Isaac, toma depressa o véu e se cobre. Peço a vocês uma coisa – principalmente as mulheres que muitas vezes são mais vítimas de aproveitadores: após encontrar uma pessoa para namorar, mesmo que você tenha certeza que é a escolhida por Deus para casar com você, em nome de Jesus, de Maria, dos anjos, da Igreja Católica, em nome de tudo que é Sagrado: cubra-se com um véu. Cobrir-se com um véu aqui tem o significado de guardar a pureza. Em Hebreus 12,4 vai dizer “ainda não tendes resistido até o sangue na luta contra o pecado”. São Domingos Sávio dizia “Antes morrer do que pecar”. Antes de namorar tenha este firme propósito de santidade, de pureza; mas, após namorar, não desanime no propósito, antes, pelo contrário, tomai mais precaução. Após iniciar o namoro, cubra-se com um véu. Guarde a pureza. Não se ponha em ocasião de pecar. Não achem que porque já estão namorando a um, dois, três ou tantos anos que agora podem se dar o direito de ter certas liberdades, certos carinhos, certas ocasiões sozinhos, afinal, pensa você, já são tantos anos na castidade, mas por não ter coberto com um véu, ou seja, por não ter guardado o corpo das ocasiões, muitos que viveram meses ou anos na castidade, de repente, caíram e ofenderam a Deus com a impureza. Queiram morrer, como Santa Maria Goretti morreu, assassinada pelo primo que queria abusá-la, mas não ofendam a Deus. Claro, se caírem, tenham a coragem de confessar os pecados e se pôr novamente com vigor no caminho da santidade, na busca de fazer a vontade de Deus. Mas, não se coloquem em ocasião. Rapazes e moças, cubram-se com o véu, ou seja, vistam-se com modéstia. Não use roupas que tentará o outro; não fale coisas que tentará o outro. Não toque ou abrace o outro de maneira que vá causar desejos desordenados no outro. Lembrem-se que a meta de vocês não deve ser o corpo da outra pessoa, mas o Céu. Lembre-se que você está diante de um Templo vivo do Espírito Santo. Respeite-o. E para que o outro respeite você, ornamente este templo como ele é digno. O que é para ser coberto, que permaneça coberto. Amém?

            Finalizo dizendo que o discernimento de namoro mais fácil foi o de Isaac. Para Rebeca talvez tenha sido difícil. O que escrevi até aqui é principalmente para os que estão agoniados com a espera. Porque se pudermos viver como Isaac, sofreremos menos. Lemos acima que Isaac tinha saído para meditar no campo. Isso quer dizer que ele tinha ido rezar, contemplar as maravilhas de Deus. Ou seja, ele não estava com pensamento compulsivo de casar por casar. Ele estava no campo, num lugar calmo, não para encontrar uma mulher, pois as mulheres não estariam no campo; mas, para no silêncio que o campo lhe traria, encontrar a Deus. Está aí o segredo. Esperar em Deus é a cada dia ter um encontro, não com um homem, mas com o Rei dos Reis, em oração. Tenha uma vida de oração, una tua alma e teu corpo a Jesus; pois é Ele mesmo que diz “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele” (João 6,56); e também afirma que quem não comer Sua Carne e beber Seu sangue “Não tereis a vida em vós mesmos” (João 6,53). Ou seja, faça como Isaac, vá para o campo, no nosso caso, vá para a Igreja assistir à Missa, comungar o Senhor, adorar o Santíssimo Sacramento.... Vá rezar o Terço; vá ter uma vida de oração. Aí você terá a vida em você mesmo, porque em você estará habitando Jesus Cristo, o Príncipe da Paz. E, se sua vocação for o matrimônio, de repente, no meio da contemplação, como aconteceu com Isaac, você levantará a cabeça e verá aquela donzela, bela, com perfume das rosas da virtude, selada com o selo de Deus mostrando que é da sua vontade; e ali começarão a trilhar um caminho de santidade juntos. E, como disse, quando é de Deus traz paz. Mesmo o casamento tendo sido “arranjado”, porém, como tudo foi feito na oração, Deus abençoou. Outros intermediaram, porém, quando Isaac e Rebeca se encontraram pela primeira vez, ambos se apaixonaram. Fica a dica: não precisa forçar a barra. Apenas estejam em oração e atentos a voz de Deus. Mesmo que as linhas sejam tortas, Deus escreverá certamente uma linda história de amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário