terça-feira, 28 de junho de 2016

Gays, perdoai-nos!

Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!
Após ouvir a declaração do Papa Francisco, tão difundida nos meios de comunicação, sobre pedir desculpas aos gays, resolvi escrever este texto. Sim, desejo pedir-vos perdão. Mas como Deus é verdade, peço-vos perdão na verdade, na sinceridade.
            Perdoe-nos por muitas vezes sermos tão estúpidos. Muitas vezes por causa de um zelo, de um desejo que todos sejam santos, esquecemos de nos santificar para cobrar um comportamento vosso da forma que queríamos. Não, isso não quer dizer que não haja pecado em determinadas práticas. Meu pedido de desculpas não é uma relativização da doutrina. Peço perdão, porém, por causa dos vários cristãos que acabam se afastando de vocês por causa de sua opção sexual. Eu sei que talvez alguns cristãos que eram vossos amigos, após saberem da opção sexual de vocês, acabaram tornando-se quase que vossos inimigos.
            Se alguém que diz ser cristão vos insultou, humilhou e talvez até vos agrediu por serem gays, peço perdão. Não é este o desejo de Cristo. Ele sempre acolheu o pecador como ele é; muito embora, porém, rejeite todo pecado – seja ele praticado por gays ou héteros. Sabe quando você foi à Igreja e um grupinho ficou cochichando, sorrindo, e zombando de você? Pois é, peço desculpas por estes casos. Talvez você, travesti, um dia foi tocada pelo Espírito Santo, ou mesmo ouviu a voz do Anjo da Guarda a dizer “Vai até a Igreja que teu Pai te espera”; porém, ao chegar lá, aquelas senhoras que rezavam “Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo inferno. Levai as almas todos para o Céu e socorrei principalmente as que mais precisarem da Vossa Misericórdia” no fim de cada dezena do terço, logo “cochicharam” para todos ouvir: “olha aquilo! Que falta de vergonha! É um desrespeito para com a casa de Deus.” Bom, eu não acho que um filho que retorna a casa do Pai esteja desrespeitando-O. Acredito, inclusive, que Deus ficou feliz com sua ida à Igreja; mesmo que você tenha saído com o coração ferido por causa de algumas palavras.
            Lembro-me que uma vez fui até mal compreendido por um ex homossexual que trabalhou (e trabalha) na evangelização de homossexuais. Ele estava a iniciar um Grupo de Oração para Gays, travestis, etc. A intenção dele era muito boa. Bom, eu fui contra. Mas não por achar que vocês, homossexuais, não devessem estar na Igreja. Mas é que para mim, não sei se vocês concordam, seria uma espécie de preconceito ter um grupo de oração só para gays. Não, eu não acho que deva ter um grupo de oração só para homossexuais, eu sonho com Grupos de Oração que possam acolher héteros, gays, ricos, pobres, negros, brancos, todos em um só desejo de receber o Batismo do Fogo do Espírito Santo.
            Por isso, peço perdão também, amados irmãos em Cristo, por todos os agentes de pastorais, ou seja, coordenadores de grupos de oração, de grupos, pastorais, etc., que ao invés de vos acolherem para dar a Cristo, nosso Senhor e Salvador, verdadeira felicidade que não passa, vos excluíram. Eu sei, todos nós deveríamos saber que a Igreja é um hospital que tem a única cura para todos os males físicos, espirituais, emocionais: Jesus Cristo na eucaristia. Mas, ao ver-vos pecadores, impediram vossa permanência no hospital. Mas não são os doentes que precisam de médico? Nós também não somos estes doentes que outrora fomos acolhidos neste hospital? Também nós, apesar de pousarmos de piedosos cristãos, também não temos que nos prostrar diante do padre para confessar os nossos pecados porque pecamos? Com que direito afastamos vocês da Misericórdia de Jesus? Perdoe-nos por isso.
            Peço perdão por todos os cristãos que confundem “homossexualidade” com o “gayzismo”, que são coisas completamente diferentes. Eu sei que talvez vocês tenham sofrido por causa da insanidade de movimentos políticos que dizem defender vossas causas, mas, na verdade, usam da homossexualidade e do Estado Laico para atacar o cristianismo. Eu sei que a maioria de vocês homossexuais não compactuam com suas ideias. Mas, meus irmãos, se alguns de nós são estúpidos, vocês tem que reconhecer também, que alguns movimentos são igualmente estúpidos. Pense no caso do ultraje das imagens dos nossos santos e do crucifixo, ou das paródias religiosas na Parada Gay, enfim. Alguns cristãos acabam ficando muito nervosos. Peço perdão se algum, por causa dos loucos, acabaram generalizando.
            Peço perdão se alguma vez deixamos transparecer que homossexuais estão condenados ao inferno e ponto final. O ato homossexual é um pecado. Muitas vezes fala-se muito no pecado homossexual, e esquecemos que também é pecado mortal a pornografia, masturbação, adultério, sexo – mesmo hétero – antes do casamento, etc.
            O Papa Francisco mais uma vez usou o Catecismo ao se referir aos gays. O Catecismo está claro. Leia o Catecismo e verás que a Igreja não está condenando a pessoa do homossexual. De forma alguma. Apenas diz que é um pecado, que não é vontade de Deus, afinal, o matrimônio tal qual foi sonhado e feito por Deus é entre um homem e sua mulher que se unem e geram filhos. Falando nos filhos, quero pedir perdão – e esta dói bastante em pedir – pela hipocrisia dos cristãos. A melhor pregação é a vida. Muitas vezes pregamos para vocês e falamos que é pecado o ato homossexual, que Deus criou homem e mulher, que homem com homem ou mulher com mulher não gera filhos, e, no entanto, pastores protestantes em sua maioria usam camisinhas para não gerar filhos. Eu sei, é hipocrisia. Por isso a Igreja Católica condena a camisinha, pílulas anticoncepcionais e todos os métodos artificiais de contracepção. Afinal, nós somos pró vida. Queremos famílias, e famílias numerosas. Não obstante, muitos católicos também usam métodos contraceptivos porque não querem gerar. Por isso, os católicos que fazem isso são mais hipócritas, pois ao contrário dos protestantes, nós temos um magistério a nos guiar, porém, muitos não o seguem. Se vocês, homossexuais, são acusados de libertinagem, muitos cristãos também o são, pois profanam o sacramento do matrimônio.
            E falei isso por um único motivo: Saiba que a Igreja não é um salão nobre onde é exposto os grandes carros importados, esportivos, mais potentes, implacáveis; mas, pelo contrário, é uma borracharia onde as latas velhas – como eu – chegam aos trancos e barrancos para que Jesus as conserte. Eu preciso ser consertado por Jesus. Eu tenho certeza que você também. Não se importe com os olhares, cochichos, fofocas, vá para a Igreja pois ela é a casa do teu Pai! Que família que não tem aquele irmão chato que implica? Bom, na família de nosso Pai terá alguns. Na parábola do filho pródigo, o irmão mais velho reclamou do pai quando este recebeu seu irmão após gastar sua herança com as prostitutas. Mas Deus não está nem aí! Ele não se importa por onde você andou, ele só quer saber se você está decidido a ficar na sua verdadeira casa: na casa de Deus! Na Igreja!
            Se a hipocrisia de muitos cristãos te fazem não querer tentar novamente, afinal, você diz, “na Igreja há muitos hipócritas”. Me uno, porém, ao Venerável Fulton Sheen e digo-vos: há espaço para mais um hipócrita. Sim, há espaço para mim, para você, ambos pecadores que necessitam da Misericórdia do Pai. Não estou, no entanto, passando a mão na sua cabeça e dizendo que podemos continuar nos ferindo com o pecado. Não é isso. Mas mesmo no pecado, não se afaste de Deus, não deixe de pedir perdão, não deixe de suplicar a Misericórdia de Deus. Não importe o tempo que demore, mas se você permanecer perto de Jesus, ele consertará este carro que está caindo aos pedaços. Sim, está. Eu sei que está.
            Amados irmãos, quero antes de mais nada, pedir perdão pelas vezes que eu e meus irmãos cristãos, de diferentes profissões de fé, não transparecemos a face Misericordiosa de Jesus. Quero, porém, vos dar uma dica para se aproximar mais de Cristo, apesar das pessoas – pode ser? Vou dar a dica que fez com que eu mesmo me aproximasse da Misericórdia de Jesus. Teve uma época que eu estava uma lata velha, podre de pecado, longe de Deus – apesar de estar na Igreja -, com um vazio, desejando me preencher de Deus. Um dia fui à Igreja e busquei o Sacramento da Penitência, mais conhecido como Confissão. Ali, diante de Padre, quando contei toda a minha vida, o sacerdote (padre) levantou as mãos e fez a oração de absolvição dos meus pecados. Quando ele falava, eu sentia minha pele arder, um fogo do amor de Deus me consumia. Depois senti este mesmo fogo ainda diante do Sacrário. E esta é a segunda dica. Não sei se algum católico teve tempo de dizer sobre isso, mas Jesus está presente na Eucaristia (na Hóstia que o Sacerdote consagra na Santa Missa). Quando estiver angustiado, sem ninguém pra conversar, sem ninguém te atender, vá até a Igreja Católica mais perto de você e se dirija ao sacrário, pois ali as hóstias são guardadas e Jesus fica presente para ser adorado. Converse com Jesus ali. Desabafe com ele. Vá a Missa, adore-o no Santo Sacrifício da Missa. Se tiver se preparado (feito catequese), e tendo confessado, poderás comungar e ver que só o amor de Jesus preenche o nosso coração. Eu experimentei isso. Só quando confesso e comungo é que sou plenamente feliz. Experimente isso. Mas mesmo que você ainda esteja num estado de pecado, visite Jesus. Ele recebe a todos. E se alguém falar pra você sair, diga-lhe: Jesus é o meu Senhor e eu quero passar um tempo com Ele! A outra dica que faço é: leia um livrinho chamado “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria”. Não sei se deu tempo para algum católico dizer, mas na Bíblia Jesus fala em João 19,25-26 à Nossa Senhora “Mulher, eis aí teu filho”, e depois para S. João “Eis aí tua mãe”. Ou seja, Jesus entregou a Virgem Maria, Sua Mãe, a nós. Isso mesmo, a Mãe de Deus é também nossa mãe. Ele sabe que nós somos fracos, que não conseguimos fazer Sua vontade, por isso nos entregou Maria para ser nossa Mãe e advogada. Quando li este livro e me consagrei à Ela, pude ver o Seu poderoso auxílio me ajudando a entender a vontade de Deus, a vencer os meus pecados, a reconhecer a Misericórdia de Jesus apesar das minhas misérias, a me levantar quando caí. E sim, caí muito. Quantas quedas! Mas sabe o mais legal? Em todas as quedas a Virgem Maria estava ao meu lado a me levantar e a me entregar ao Sagrado e Misericordioso coração de Jesus. Leia este livro e se entregue à Ela. Mas mesmo sem ler o livro, busque rezar o Terço, ou na oração do teu coração, se consagre a Ela, peça Seu auxílio, rogue sua intercessão, afinal, Jesus nos deu Maria Santíssima para ser nossa Mãe, refúgio, advogada, nossa rainha. E sabe do mais legal? Ela é Rainha e Mãe de Misericórdia. Ela quer te acolher. Só está esperando um suspiro teu para te ajudar. Peço perdão se não te contaram isso. Mas, perdoe-nos e se consagre à Virgem Maria.
            Enfim, peço perdão por não divulgarmos boas iniciativas. Existe um apostolado chamado Courage. Ele cuida de casos de pessoas que são homossexuais e precisam de uma orientação segundo a fé católica. Não, não é uma imposição de regras. É a abordagem semelhante ao do Papa Francisco. Que tal você conhecê-los e descobrir a outra face da Igreja Católica que a mídia não mostra – e muitas vezes nem nós nos esforçamos a mostrar? Clique aqui e se surpreenda com o que realmente a Igreja ensina sobre homossexualidade, sexualidade, etc.
            Finalizo lembrando-vos: Jesus Cristo ama-vos de maneira incondicional e pessoal! Ele morreu na Cruz por todos nós. E se tivesse somente você na face da terra, Ele teria morrido por você novamente se preciso fosse. Santa Catarina de Sena diz que não há ninguém tão pecador que não alcance Misericórdia. Que tal nós – tu e eu – nos encontrarmos com essa misericórdia hoje? Afinal, a mesma santa diz que “enquanto é tempo da Misericórdia recorrei a Cristo Crucificado”. Bom, vamos? Eu oro à Deus através da Virgem Maria por você, e você faz o mesmo por mim. Combinado?
            Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!


            








Nenhum comentário:

Postar um comentário