terça-feira, 24 de maio de 2016

Estude mais que o necessário!

Há alguns pontos do chamado “jeitinho brasileiro” que parece que, quer queira, quer não queira, se impregnaram na alma de nosso povo. Um destes pontos é a nossa preguiça de ler. Os estudantes estudam (será?) em estado “banho Maria”, ou melhor, vão levando a vida. Para entender de uma vez: estudamos apenas o necessário para conseguir o desejado diploma.
         Este é um grave problema de nossa cultura. Desde o ensino básico os alunos desenvolvem uma convicção: “vou estudar para passar”. Ele não quer dar o máximo de si para adquirir os conhecimentos daquela série, matéria; o desejo de sua alma é só ler o que tem que ser lido, fazer os exercícios rotineiros, entregar/apresentar os trabalhos que o professor manda... Passei de ano!
         Boa parte dos estudantes universitários ainda tem este pensamento. Não se lê nada além daquilo que se presume que vá cair na prova e/ou algum livro/apostila que o professor indicou. Ora, isso gera uma classe de universitários nivelados por baixo. Se lê apenas o mínimo necessário para ser bonzinho e não reprovar, nada além. Não se aprofunda na investigação científica. Temos preguiça.
         Outro dia fui à biblioteca da universidade da qual curso Pedagogia, e vi um livro que me chamou atenção. Aquele livro, porém, mais do que um bom título e aparentemente um bom conteúdo, tinha algo desestimulante: era grande! Mais de 600 páginas. Peguei o livro. Começo a ter o pensamento inspirado pelo espírito de “jeitinho brasileiro”: Para quê lerei este livro? Professor pediu? Não. É um livro grosso, não vou dar conta de ler rápido. Para quê levar? Não sou obrigado a ler... – Peguei o livro! Ora, sou desses! Agora é preciso coragem para ler!
         Se você é um estudante que apenas quer receber seu diploma, para depois aparecer em uma matéria de telejornal mostrando as pessoas que tem curso superior, mas estão desempregadas, provavelmente deve estar pensando: por que você pegou um livro enorme para ler se nem obrigado você é? Mas, amigo(a) leitor(a), devemos saber que um verdadeiro estudante não lê para ganhar nota, mas para ganhar sabedoria. É claro que há coisas que só lemos porque é preciso para ganhar nota. Mas é necessário ir além. É necessário buscar a ciência, saber a verdade, ir além do mínimo necessário para ter diploma; devemos ir ao máximo que podemos para não sermos medíocres.
         Muito se fala em transformação na educação, que se precisa de investimento, etc. Mas precisamos impelir os jovens a desejarem ardentemente o conhecimento da verdade. Precisamos fazer uma cirurgia na alma dos jovens para retirar a preguiça.
         Para compreender o perigo de ler apenas o necessário para ganhar nota, lembremos da realidade da “educação” no Brasil. As nossas universidades estão repletas de professores marxistas. Se você apenas ler o que o professor manda, poderá trazer duas graves consequências:
·        De tanto ouvir uma mentira, acabará acreditando nela como verdade;
·        Mesmo que você não adira a mentira, mas estudando apenas aquela “meia verdade” ou uma mentira total, só lendo para ganhar nota, sem o mínimo esforço para estudar outras fontes, outros autores, ter em mãos o contraditório; você será um guerreiro por ter lido um monte de merda e não estar fedendo, mas estará mergulhado na mediocridade por não ter aprofundado em um assunto interessante. Você estudou um curso em que os professores passam muito marxismo, mas não se interessou de estudar – de maneira autodidata e séria – a disciplina pura. Isso é mediocridade.

Quero usar meu curso como exemplo. Estudo Pedagogia, e uma das disciplinas é História da Educação. Ora, não posso ficar apenas com aquela visão meia resumida, levando sempre as coisas para uma luta de classe (mimimi elitista mimimi...). Ora, apesar de terem abordado a patrística e a escolástica, sabemos que a contribuição da Igreja Católica foi muito maior (do que a abordada na faculdade). Se apenas leio o que a faculdade manda, até acredito nos mitos que dizem sobre a Igreja. Mas, por outro lado, se vou buscar fontes históricas, fontes primárias, se vamos aprofundar no assunto.... Pois é, nunca saberemos a verdade se apenas lermos o mínimo necessário para ser um graduado.
Imagine um médico que percebe que sua faculdade foi omissa em ensinar algum aspecto de alguma área da medicina. Se ele for medíocre e apenas quiser seu diploma para depois ganhar rios de dinheiro, ele vai é achar bom. Graças a Deus, diria o mercenário, um livro a menos para ler; terei tempo de curtir o fim de semana. Porém, aquele que tem sede de conhecimento, que desejar ser um médico comprometido com a saúde do ser humano, mesmo sem o professor pedir, ele irá estudar sozinho sobre aquela disciplina, sobre aquele ponto que ele viu que a faculdade foi falha no ensino.
Embora a universidade tenha que dar meios para o bom aprendizado do estudante, sabemos que o que se espera do universitário é um certo autodidatismo. Afinal, ao assistir uma aula, apenas bebo um pouco do conhecimento daquele professor; mas o conhecimento será eu que terei que construir. É por esta mentalidade de ler para ter diploma, que as universidades brasileiras produzem pouco na área científica. Você pode até citar algumas descobertas, ótimos trabalhos, mas, seja sincero, diante da quantidade de universitários que temos, são poucos avanços neste sentido. É nas universidades que devem estar grandes pesquisadores. Mas que investigação científica você pode esperar de uma raça de estudante medíocre que compra trabalho, que não lê, ou que quando não tem nada passado pelo professor dar graças porque poderá ir para a balada. Vocês querem com isso produzir grandes cientistas? Conta outra! Que obra podemos esperar dos nossos estudantes? O funk, talvez.
Estude além do necessário, ou continuaremos nivelados por baixo. Renuncie a preguiça! Adira a verdade.
Vi um vídeo esses dias do Dr Enéas Carneiro. Algo me impressionou na fala deste saudoso brasileiro. Ele disse que entrou para a faculdade de medicina porque dava um conhecimento maior; mas que viu que não teria uma formação na área de exatas. Prestou vestibular, então, para matemática e física. Passou, obviamente. Se forma em matemática e física (ao mesmo tempo em que estudava medicina) e vê que precisava de conhecimento de humanística. Mas, segundo ele, cansado, não quis fazer outra faculdade; passou a estudar sozinho grandes filósofos. Citei o grande Enéas Carneiro por ser um grande exemplo de uma pessoa que não quis ficar na média, mas que tinha uma profunda sede de conhecimento e foi as fontes para saciá-la. Se ele conseguiu cursar medicina – MEDICINA! – e outra faculdade simultaneamente, e fazer um profundo estudo das ciências humanas... Por que eu não conseguiria ler aquele livro grande que o professor não mandou ler? Eu consigo! Você consegue! Nós não somos tão antas assim! Nós crescemos acreditando que éramos antas. Mas, não. Nós temos jeito. É só parar de buscar o diploma, para buscar a sabedoria em primeiro lugar.
         O Dr Eneas morreu, mas vivo ficou seu exemplo, sua sabedoria em seus escritos e vídeos. Se nós não levarmos o estudo a sério, a única coisa que produziremos para as próximas gerações será o trá, trá, trá... Hã, Hã, Hã, tá tranquilo, tá favorável...


         

terça-feira, 10 de maio de 2016

Renuncia o mundo! Segue a tua vocação! | Um Mês com Maria #7



Francisco era um jovem que, embora tendo uma educação cristã, entregou-se as vaidades mundanas, as alegrias das festas, etc. Mas embora vivendo entregue as coisas do mundo, ele conservava em seu coração a fé. Uma prova disso é que por baixo das suas roupas luxuosas ele usava o cilício, ou seja, fazia penitências, rezava, mas não conseguia romper com o mundo para seguir a Deus.

Certo dia, muito angustiado porque não conseguia encontrar a verdadeira felicidade - que só Cristo pode nos dar -, ele se pois a assistir uma procissão com uma imagem de Nossa Senhora. Eis que ao fitar os olhos na imagem, Nossa Senhora lhe falou: "Francisco, o que fazes no mundo? Tu não foste feito para ele. Segue a tua vocação!" Depois de ouvir a voz da Mãe de Deus, Francisco se decidiu a seguir a vida religiosa; entrou na Congregação dos Passionistas, assumindo o nome de Gabriel das Dores de Nossa Senhora.

Muitas pessoas estão da mesma forma que S. Gabriel: conheceram a Jesus, tem até uma experiência com Deus, conhecem a Palavra, mas por causa da carne viciada no pecado não conseguem romper com o mundo. Se te encontras nesta situação, caríssimo irmão, caríssima irmã, faça o mesmo que S. Gabriel, fite os olhos na Virgem Maria e clame Sua Misericórdia. Ela com certeza há de conseguir a graça da contrição e nos dará a graça de romper com o mundo, de fazer a vontade de Deus.
O que Nossa Senhora falou para São Gabriel das Dores serve para nós, homens e mulheres do século XXI. O CVII ensina-nos que a vocação universal do homem é a santidade. Ora, Nossa Senhora disse para São Gabriel: Segue a tua vocação! - Precisamos seguir a nossa vocação. O mundo, esta mentalidade mundana, relativista, não foi feita para nós. Nós somos filhos de Deus, fomos feito para o Céu. Sigamos a vontade de Deus. Quem for casado, viva a vocação matrimonial como deve ser vivida, em santidade, aberta ao dom da vida; quem for sacerdote ou religioso, que viva a entrega de amor a Jesus como deve ser feita. Enfim, cada um no seu chamado, cada um em seu estado de vida, mas todos buscando a santidade sem a qual não veremos a Deus, como diria o Apóstolo S. Paulo. O mundo não foi feito para nós, sigamos nossa vocação.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

O que será de mim, Mãe? | Um Mês com Maria #6


Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!

São Maximiliano Maria Kolbe quando criança era um tanto quanto bagunceiro. Certo dia após suas traquinagens, sua mãe perguntou-lhe: "meu filho, o que será de você?" Essas palavras mexeram profundamente com o pequeno Raimundo (nome de Batismo de Maximiliano). Ele dirigiu-se, então, para uma imagem de Nossa Senhora e perguntou-lhe: o que será de mim? Eis que Nossa Senhora apareceu trazendo-lhe duas coroas: uma branca, representando a pureza, e a outra vermelha, representando o martírio. Perguntou se ele aceitava, e ele respondeu que sim.

Depois desta aparição de Nossa Senhora, o pequeno Raimundo mudou o comportamento. Cumpriu a profecia, ou melhor, assumiu de fato as coroas ofertadas por Nossa Senhora: viveu a pureza cumprindo votos de castidade como religioso na Ordem dos Frades Menores Conventuais, e foi mártir num campo de concentração nazista. Glorificou a Deus pelo martírio.

Além da figura de S. Maximiliano neste episódio de graça extraordinária mariana, chama-me a atenção a figura da mãe de Maximiliano. Ela perguntou o que seria de seu filho, e este correu para os pés da Virgem Maria. Este é um sinal claro que sua mãe era devota. Aliás, seus pais eram devotíssimos, católicos fervorosos. Portanto, ele podendo perguntar o que seria dele pra quem quer que fosse, ele foi pra Nossa Senhora, porque com certeza via seu pai e sua mãe recorrendo a mesma imagem tantas e tantas vezes.

Queres que teus filhos vivam a fé? Viva você primeiro! Quer que seus filhos sejam santos? Busque viver a santidade em primeiro lugar. Infelizmente muitos pais acham que dar a fé para os filhos é obrigá-los a ir para a turma de catequese. Não. Faça da sua casa uma verdadeira Igreja doméstica! Tenha uma família que reza unida. Família que reza unida NUNCA se separa. Família unida pelas contas do Rosário NUNCA se separa.

Talvez estejamos numa fase da vida que não encontremos sentido nas coisas. Mas, alegrai-vos - digo com o Apóstolo! Repito: alegrai-vos no Senhor! Recorrei à Virgem e pergunte: Mãezinha do Céu, Mãe de Misericórdia, o que será de mim? Ela nos levará para o Céu. Ela também nos apresenta uma coroa em especial: a coroa da vida eterna. Recorramos a Ela, e Ela - que é Mãe de Misericórdia - encherá nossa vida de sentido, da plenitude da Paz, e nos conduzirá para a glória do Céu.

Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!
Viva Cristo Rei!


quinta-feira, 5 de maio de 2016

O santo Cinto de Nossa Senhora | Um Mês com Maria #5



Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!

Você sabia que a Igreja Católica possui a relíquia do Cinto de Nossa Senhora? É, isso mesmo: a Igreja tem o santo Cinto da Santíssima Virgem Maria!

Diz uma antiga Tradição da Igreja que Nossa Senhora, ao saber que seria assunta ao Céu, avisou os apóstolos que prontamente se reuniram para prestar as últimas homenagens. Menos quem? Menos São Tomé. O santo então, duvidando da assunção da Virgem, pediu para ver o local aonde havia sido colocado à Santíssima Virgem antes de ser assunta. Ao abrirem o local, cheiro de rosas, e então São Tomé foi agraciado com a visão de Nossa Senhora no Céu, na glória, que para dar uma prova contra sua falta de fé, tirou o Cinto que usava e lançou para ele como prova de que estava no Céu de Corpo e Alma.

São Tomé levou o Cinto de Nossa Senhora em suas missões. Hoje o cinto está na Catedral de Prato, na Itália.

Você provavelmente está se perguntando: como saber se essa história é verdadeira e se é mesmo este o Cinto de Nossa Senhora? Pois bem, a providência divina fez com que em um dia em que se costumava expor todas as relíquias da Igreja para abençoar os doentes, possessos, etc., se colocou também a caixa com o Cinto de Nossa Senhora. Pegaram uma pessoa possessa e colocaram diante da Sagrada Relíquia, que ao tocar na mesma começou a gritar dizendo que se tratava do Santo Cinto da Santíssima Virgem Maria e libertou a pessoa possessa. O milagre comprovou a veracidade.

Santo Agostinho erigiu uma confraria do Santo Cinto - ou da Correia - de Nossa Senhora. Uma santa também clamando um auxílio dos Céus em meio as tentações, teve a visão de Nossa Senhora entregando-lhe Seu Cinto, que fez com que a santa vencesse as tentações de impureza.

Portanto, se você está sofrendo tentações de impureza, peça à Nossa Senhora que espiritualmente te cinja com Seu Santo Cinto e repila para longe de você os demônios impuros. Tá difícil viver a castidade? É, não está fácil pra ninguém. Então, caríssimos, roguemos sem cessar à Nossa Senhora da Correia que nos prenda a Ela, ao Seu Coração, dando-nos a graça da Pureza.

Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!




Qualidade dos novos professores no Brasil é cada vez pior, revela estudo

Estudantes de Pedagogia com esse perfil tiveram desempenho menor no Enem e não se saem bem na prova de conhecimentos gerais do Enade


As próximas gerações tendem a ter uma educação precária, o que pode a reproduzir a pobreza, por causa da menor qualidade dos novos professores. A constatação é do boletim “Perfil dos futuros professores”, divulgado pelo IDados no fim de abril. De acordo com o documento, as faculdades de Pedagogia no país atraem anualmente mais estudantes de escolas fracas e com desempenho ruim no ensino médio – o contrário do que ocorre nos países desenvolvidos, em que os futuros docentes são recrutados entre os melhores alunos.
“O cenário é complexo e são vários os motivos pelos quais isso acontece”, explica Paulo Rocha e Oliveira, presidente do IDados, entidade ligada ao Instituto Alfa e Beto. “O fato é que os cursos de Pedagogia não atraem os melhores alunos, são fáceis de entrar, as notas de corte são baixas e passam a ser a porta mais fácil de acesso dos menos qualificados ao ensino superior”, comenta.
De 2005 a 2014, a quantidade de matrículas nos cursos de Pedagogia de alunos de baixa renda familiar (de até três salários mínimos) duplicou, chegando a 83%. Do total em 2014, 59% tinham mães com escolaridade de até a 4ª. série e 78% estudavam à noite. Essa parcela da população, mostra o levantamento, tem notas abaixo da média geral no Enem, que já é um índice baixo.
Já em relação à prova de conhecimentos gerais do Enade, mais associada ao nível cognitivo dos alunos do que ao conteúdo específico, comparados a alunos de outros cursos, como o de Engenharia, os estudantes de Pedagogia têm resultados inferiores. As notas da prova variam de 0 a 100 e os novos professores, desde 2005, não conseguem atingir a marca de 50 pontos.
O estudo aponta também que em nenhuma região do país existe uma política para atrair melhores estudantes para o magistério.

Professores ideais x preocupação social

Em países como Finlândia, Coreia do Sul e Polônia, só pode ser educador aquele que foi um excelente aluno, com notas muito acima da média no ensino médio, principalmente em português, matemática e ciências, disciplinas avaliadas nos testes internacionais, especialmente no Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) – nas quais o Brasil tem ficado sempre nos últimos lugares.
Estudos, como os realizados pelo pesquisador Eric A. Hanushek, da Universidade de Stanford, cruzam a qualidade dos professores com a melhora no ensino e o crescimento econômico desses países. Professores mais qualificados conseguem melhorar a qualidade profissional e cultural das próximas gerações e, com isso, o nível socioeconômico da população em geral.
No Brasil o quadro é mais complexo já que as políticas sociais necessárias de inclusão – como o Fies e o ProUni – podem ser contraditórias se, ao mesmo tempo que abrem mais vagas nos cursos, não investem também na atração de melhores alunos ou em iniciativas capazes de consertar falhas na educação básica dos ingressantes.
“A primeira coisa que é preciso refletir ao ver os resultados de uma pesquisa como essa é ver que tipo de pessoa queremos atrair para o magistério, sem distorções e sem deixar para trás avanços sociais”, explica Paulo Oliveira.
Para a professora Araci Asinelli da Luz, doutora em Educação e professora na UFPR, o foco principal não deve ser tanto a origem dos alunos, mas os investimentos feitos pelo poder público para melhorar tanto a universidade quanto as condições de trabalho dos professores, para atrair os mais aptos. “Não existem pesquisas do motivo pelo qual os estudantes escolhem Pedagogia, mas sabemos que muitos deixam de optar por ela porque o professor não tem reconhecimento nem boas condições de trabalho”, afirma.

Desvalorização

Dados da OCDE de 2015 mostram que, entre 30 países, o Brasil é um dos que pagam os piores salários para os professores, ficando à frente apenas da Hungria e da Indonésia. Os professores brasileiros são também os que têm mais alunos em sala de aula e com menores recursos para infraestrutura.
“Os alunos que teriam vocação para o magistério muitas vezes são desestimulados pela própria família pelas condições precárias da profissão, baixos salários e descaso do poder público”, lamenta Dora Megid, diretora da Faculdade de Educação da PUC-Campinas. “Acredito no potencial dos alunos de baixa renda, que conquistam resultados brilhantes em faculdades bastante exigentes, mas se não houver algum incremento nas condições de trabalho, esses mesmos estudantes acabam deixando de lecionar”, alerta.

PERFIL

A quantidade de alunos de Pedagogia no Brasil proveniente de famílias de baixa renda aumentou nos últimos anos. Eles vêm normalmente de escolas fracas e têm baixo desempenho nas avaliações em comparação com outros cursos.
Fonte: MEC/Inep, IDados – Instituto Alfa e Beto Infografia: Gazeta do Povo.

_____________________
Comentário:
O grande problema dá má formação dos professores é algo que a matéria "disse sem dizer". Ora, sabemos que ter vindo de família de baixa renda não reflete em você ter bom ou péssimo resultado nas avaliações. O problema dessa má formação chama-se ESCOLA PÚBLICA. Sim, o ensino público na Educação Básica é um lixo.
O próprio fato de universidades federais usarem cotas por classe demonstra que a escola pública não prepara o aluno para lutar de igual pra igual com o outro que vem do ensino privado. Porém, os pseudo especialistas da educação não farão nada para mudar o cenário. Enquanto nós ocupamos os últimos lugares no PISA e em outras avaliações, o Governo e movimentos de esquerda estão preocupados em transformar a escola em palanque político-partidário. A infraestrutura das escolas é péssima em muitos lugares, mas sindicatos de professores estão nas Câmaras lutando para se aprovar a ideologia de gênero. 
O estudante pode vim do ensino público ou do privado, mas após chegar à Universidade ainda encontrará várias coisas que o fará ser um profissional medíocre. Também nas universidades está presente - e com força - a doutrinação marxista, a formação em prol do relativismo, implantação de uma mentalidade que aceite a ideologia de gênero, etc.; enquanto o que convém a disciplina é deixado de lado. Eu curso Pedagogia, e para terem uma ideia, na disciplina Política e Organização da Educação Básica, boa parte das aulas e do material didático dado pela Faculdade trazia discussão entre Liberalismo x Marxismo. LDB e outras leis que se danem! Ora, se o estudante - não só de Pedagogia, mas de qualquer curso superior - não tiver um profundo desejo de conhecer a verdade, de investigar, mesmo com o professor destruindo a disciplina ele vai e busca conhecimentos científicos daquela matéria para saber, enfim, se de certa maneira não se torna um autodidata, estará fadado à uma imbecilização continuada que existe da educação básica à universidade. 
Olhe por exemplo o que o MEC quer fazer com a Base Curricular Comum e veja que esse pessoal pouco está se importando com o conhecimento científico, com os saberes, eles querem é imbecilizar a nação. Quem estuda Pedagogia sabe muito bem que a Educação é conceituada como uma socialização, ou seja, português, matemática, biologia, etc., não é a função principal, a escola tem que, segundo eles, socializar a criança. Por isso NÓS que saímos do ensino público não conseguimos passar numa prova de conhecimentos - porque não era importante para aprendermos; mas somos sociáveis com grupelhos de esquerda. 

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Maria, Rainha do Brasil | Um Mês com Maria #4

Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!

Pouca gente sabe, mas a Santíssima Virgem Maria é Rainha do Brasil. Sim, claro, uma vez que Deus A elevou à dignidade de Rainha do Céu e da Terra, é óbvio que isso inclui o Brasil. Porém, a ligação da Santíssima Virgem com o Brasil, que a fazem ser Rainha do país de maneira especial, é bem mais profunda.

Quando o Brasil era um Império, uma tal de Princesa Isabel - aquela mulher que fez a caridade de libertar os escravos - sucederia D. Pedro II. Só que deram um golpe no Império; o Brasil tornou-se uma República. Vendo-se impedida de ser Imperatriz do Brasil, conta-se que a Princesa Isabel mandou fundir suas joias e fazer com elas uma coroa, e mandou colocar na imagem de Nossa Senhora Aparecida; porque, segundo ela, se não poderia ser Imperatriz do Brasil, era Nossa Senhora Aparecida que seria nossa Rainha.

Portanto, a Virgem Maria é nossa Rainha por direito. O Brasil é Terra de Santa Cruz. Temos Jesus como Rei, e Nossa Senhora Aparecida como Rainha. Sim, o Brasil é a verdadeira terra da Rainha, afinal, a nossa Rainha é bem mais nobre: é a Mãe do Rei dos Reis! É a Senhora do mundo!

Mas para que o Brasil viva sob o reinado desta Augusta Rainha do Céu e da Terra, é preciso que nós vivamos como Seus fiéis súditos. Como temos vivido: servindo à Rainha Maria com uma vida de virtude, com nossas orações, rosários, etc.; ou ao príncipe deste mundo pecando e ofendendo a Deus?

Escolha a quem você quer servir. Escolhamos, pois, a Deus e a Santíssima Virgem! Escolhamos o Céu! Eu prefiro o Paraíso com Deus e a Santíssima Virgem Maria!


terça-feira, 3 de maio de 2016

As 7 Dores de Maria e Suas Promessas | Um Mês com Maria #3



Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!

Santa Brígida diz-nos, nas suas revelações aprovadas pela Igreja Católica, que Nossa Senhora lhe prometeu conceder sete graças a quem rezar cada dia, sete Ave-Marias em honra de suas principais Sete dores e Lágrimas, meditando sobre as mesmas.

Eis as promessas:

1ª - Porei a paz em suas famílias.
2ª - Serão iluminados sobre os Divinos Mistérios.
3ª - Consolá-los-ei em suas penas e acompanhá-los-ei nos seus trabalhos.
4ª - Conceder-lhes-ei tudo o que me pedirem, contanto que não se oponha à vontade de meu adorável Divino Filho e à santificação de suas almas.
5ª - Defendê-los-ei nos combates espirituais contra o inimigo infernal e protegê-los-ei em todos os instantes da vida.
6ª - Assistir-lhes-ei visivelmente no momento da morte e verão o rosto de Sua Mãe Santíssima.
7ª - Obtive de Meu Filho que, os que propagarem esta devoção (às minhas Lágrimas e Dores) sejam transladados desta vida terrena à felicidade eterna, diretamente, pois ser-lhe-ão apagados todos os seus pecados e o Meu filho e Eu seremos a sua eterna consolação e alegria.


Santo Afonso Ligório nos diz que Nosso Senhor Jesus Cristo prometeu, aos devotos de Nossa Senhora das Dores as seguintes graças:

Eis as Graças:

1ª – Que aquele devoto que invocar a divina Mãe pelos merecimentos de suas dores merecerá fazer antes de sua morte, verdadeira penitência de todos os seus pecados.
2ª - Nosso Senhor Jesus Cristo imprimirá nos seus corações a memória de Sua Paixão dando-lhes depois um competente prêmio no Céu.
3ª - Jesus Cristo guardá-los-á em todas as tribulações em que se acharem, especialmente na hora da morte.
4ª - Por fim os deixará nas mãos de sua Mãe para que deles disponha a seu agrado, e lhes obtenha todos e quaisquer favores.

(As dores de Maria são: 1- A espada de dor a transpassar Seu Coração conforme a profecia de Simeão no Templo; 2- a fuga da Sagrada Família para o Egito; 3- A perca do menino Jesus no Templo; 4 - O encontro com Jesus carregando a Cruz; 5 - a dor de ver Jesus ser crucificado e morto no Calvário; 6 - Ela recebe Jesus morto e transpassado pela lança em Seus braços; 7 - Acompanha o Corpo de Jesus até o sepulcro)

Adquira o E-book "A Corredenção de Nossa Senhora - a Virgem dolorosa no Calvário": http://hotmart.net.br/show.html?a=L4245261R


segunda-feira, 2 de maio de 2016

Auxílio dos Cristãos | Um Mês com Maria #2



Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!

A devoção à Nossa Senhora Auxiliadora tem sua origem na pessoa de São João Bosco. Este grade santo da Igreja, como sabemos, tinha sonhos proféticos. Deus revelou-lhe grandes coisas através de seus sonhos. Em alguns deles, Nossa Senhora ela descrita como Auxiliadora dos Cristãos.

Em determinado sonho, muito conhecido, S. João Bosco viu uma barca (Igreja) guiada pelo Papa em um mar agitado. E quando o barco estava para afundar, o Papa prendia a barca em duas colunas que apareciam ao lado. S. João Bosco percebeu que em uma das colunas estava o Santíssimo Sacramento, e embaixo escrito Salus Credentium (Salvação dos que creem); e na outra coluna estava Nossa Senhora, com a seguinte inscrição: Auxilium Christianorum (Auxílio dos Cristãos). Prendendo a Igreja no Santíssimo Sacramento e na devoção à Virgem Maria, a Igreja não afundou - e não afundará NUNCA!

Se vemos, por exemplo, uma crise na Igreja - como costumam falar -, é porque tem faltado amor à Santa Missa e devoção à Nossa Senhora.

A Igreja vai dizer que a família é a Igreja Doméstica. Ora, a família passa por grandes tribulações, por grandes ataques. Querem implantar a cultura do provisório, de um usar o outro: adultério, divórcio, brigas; aborto; perversão das crianças, etc. O demônio faz um ataque. Que família vive inspirada na Sagrada Família de Nazaré? Mas, se a família vai mal, podemos constatar, com tristeza, que tem faltado tanto a Missa, como a devoção à Virgem. Se há 50 anos atrás as famílias, ricas ou pobres, se reuniam por volta das 18:00h para rezar o seu Santo Terço, hoje, quando se reúnem, é para ver novelas que ensinam e propagam a imoralidade. Temos rejeitado o Auxílio desta Auxiliadora dos Cristãos. Talvez você esteja passando por uma provação, por uma situação difícil na família (com os pais, esposo(a), filhos, etc), portanto, caríssimos, suplicai o auxílio da Mãe de Deus que te sustentará. Se o adultério, o alcoolismo, ou qualquer outro mal quer afundar a barca da tua família, consagre tua família à Nossa Senhora, suplique Seu auxílio, Comungue e adore Jesus Sacramentado por Ela.

Não importa o momento de dificuldade que você tem passado, eu sei que você não afundará se estiver confiando sua vida à Nossa Senhora e à Jesus. Amém?

Salve Maria Imaculada, nossa Corredentora e Mãe!
Viva Cristo Rei!


domingo, 1 de maio de 2016

Não estou eu aqui, tua Mãe? | Um Mês com Maria #1



Quando S. Juan Diego estava preocupado com seu tio doente, desviando do caminha que Nossa Senhora lhe havia pedido, Ela aparece para S. Juan, e lhe traz uma mensagem cheia de esperança:

"Escuta, e põe em teu coração, filho meu, o menor: o que te assusta e aflige não é nada. Não se perturbe teu rosto, teu coração; não temas esta enfermidade, nem qualquer outra enfermidade e angústia. Não estou eu aqui, tua Mãe? Não estás sob minha sombra e minha proteção? Não sou eu a fonte de tua alegria? Não estás porventura em meu regaço? Tens necessidade de alguma outra coisa? Que nenhuma outra coisa te aflija, nem te perturbe. Não te assuste a enfermidade de teu tio, porque dela não morrerá por agora. Tem por certo que já sarou."

Meus irmãos e irmãs, não sei como você se encontra ao ler este texto ou ao assistir o video acima; mas eu sei que a Virgem Maria, nossa Mãe, está contigo. Não importa se você passa por um momento de dor, de doença, de cruz, de desemprego; não importa se você sofre pela perca de uma pessoa querida que partiu; não importa se o fim de um relacionamento, enfim, eu não sei o que te faz sofrer. Mas eu sei que Nossa Senhora, assim como disse para S. Juan Diego, também te diz neste momento: Não estou eu aqui, tua Mãe?

Do que mais precisamos? Na dor, Ela nos alivia. Na Cruz, Ela nos dá força para perseverar. Nas trevas, Ela vem nos iluminar. Na solidão, Ela vem estar presente nos fazendo compania. Nunca diga que estás só, afinal, Deus está contigo. E este Deus maravilhoso, no madeiro da Cruz, disse-nos: eis aí a tua Mãe. Nossa Mãe não nos abandona.

Entregue tuas dores à Maria. Consagre-se a Ela. E verás, então, que nunca nos faltará o auxílio desta terna e misericordiosa Mãe. Mãe de Deus, e nossa Mãe!