quinta-feira, 21 de abril de 2016

Católico, vamos falar de Política?



Algumas pessoas estão compartilhando uma gif mostrando a foto de alguns políticos dizendo que a solução não é a Dilma, nem Temer, nem Cunha, nem Aécio, nem Marina; a solução, segundo a gif, está na "reforma política". Minha reflexão é: na reforma política quem governaria? Pediremos para os japoneses criarem um robô presidencial que colocará ordem nessa bagaça?




Não sejamos ingênuos! É preciso uma reforma política, porém, quem estará no comando são PESSOAS. Não adianta mudar as regras do jogo se as cartas do baralho serão as mesmas. Se os bons não entrarem na política, se não apoiarmos os bons, não vai ter reforma política, não vai ter mudança positiva para o POVO. De Collor à Dilma; de Dilma ao "primeiro próxima"; vamos todos nos ferrar.



Mais urgente que a reforma política, se faz necessário uma consciência e uma efetiva participação Política. Política não é coisa do diabo. A Política faz parte da vida em sociedade; a família é a base da sociedade. Portanto, se nossa família não é do diabo, a Política diz respeito sim aos filhos de Deus. Não podemos deixá-la nas mãos dos canalhas, porque senão os canalhas estarão se entrometendo na nossa vida familiar por meio de leis iníquas. 

Reforma política é utopia se o máximo que faço pela política é compartilhar no face. Avante! Trabalhar! Estudar! Rezar! Agir!

A iniciativa dos cristãos leigos é particularmente necessária quando se trata de descobrir, de inventar meios para impregnar as realidades sociais, políticas e econômicas com as exigências da doutrina e da vida cristãs. Esta iniciativa é um elemento normal da vida da Igreja." (Catecismo da Igreja Católica 899)

"A audácia dos maus se alimenta da covardia e da omissão dos bons" (Papa Leão XIII) 

"Para o cristão, é uma obrigação envolver-se na política. Nós, cristãos, não podemos «jogar a fazer o Pilatos», lavar as mãos. Não podemos! Devemos envolver-nos na política, pois a política é uma das formas mais altas da caridade, porque busca o bem comum. E os leigos cristãos devem trabalhar na política. Dir-me-ás: «Não é fácil!» Também não é fácil tornar-se padre. Não há coisas fáceis na vida. Não é fácil; a política está muito suja; e ponho-me a pergunta: Mas está suja, porquê? Não será porque os cristãos se envolveram na política sem espírito evangélico? Deixo-te esta pergunta: É fácil dizer que «a culpa é de fulano», mas eu que faço? É um dever! Trabalhar para o bem comum é um dever do cristão! E, muitas vezes, a opção de trabalho é a política. Há outras estradas: professor, por exemplo, é outra estrada. Mas a actividade política em prol do bem comum é uma das estradas. Isto é claro." (Papa Francisco)

(PARA SABER MAIS, ASSISTA AO VÍDEO NO INÍCIO DESTE POST)


Nenhum comentário:

Postar um comentário