sexta-feira, 11 de março de 2016

Por que somos mais preguiçosos que os filhos das trevas?

Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!

Existe uma frase do Papa Leão XIII que me impactou profundamente, e por isso cito-a frequentemente nos textos e/ou discursos: “a audácia dos maus se alimenta da covardia e da omissão dos bons”. O tempo passa, e quanto mais adentramos nos novos capítulos da história, mais posso constatar a veracidade dessas palavras do Papa Leão XIII. O que o Papa falou há mais de um século continua sendo atual. De tal maneira que se me impactou constatar a realidade de suas palavras, hoje o meu questionamento é: por que os bons são covardes? Por que os filhos de Deus são omissos?

Nosso Senhor Jesus Cristo vai dizer no Santo Evangelho: “os filhos deste mundo são mais prudentes do que os filhos da luz no trato com seus semelhantes.” (Lucas 16,8) Por que, queridos irmãos, que os filhos das trevas, os servidores do demônio, que vivem e propagam o pecado, são mais prudentes/espertos que os filhos da luz, os filhos do Deus Altíssimo? Por que os filhos das trevas se empenham mais em praticar o mal e a propagá-lo, do que os filhos da luz em viver a virtude e pregar o sumo bem em toda a face da terra? Parece não ter sentido. Os maus, não poucas vezes, lutam por uma causa perdida em si mesma. Já os filhos de Deus têm a promessa da glória e, não poucas vezes, experimentam dessa glória já nessa vida – assim como os filhos das trevas já experimentam do inferno antecipadamente com remorsos, por exemplo; por que, então, os filhos de Deus – principalmente neste século – têm demonstrado tanta apatia beirando a tibieza na defesa da glória de Deus e combate contra o mal que se propaga por falsas doutrinas, ideologias satânicas, ataques contra a família, etc.?

Medito sobre as minhas obrigações enquanto católico, enquanto estudante que sou, e vejo as minhas fraquezas, as minhas misérias, toda a minha incapacidade para o o bem. Se não fosse a Misericórdia de Deus, o que seria de mim? Vejo-me num poço de preguiça. Eu sou filho de Deus, escravo de Maria Santíssima, preciso me empenhar mais, ser mais santo! Talvez este pensamento também esteja na sua cabeça. Mas mais do que uma falsa humildade, nos fazendo de coitadinhos, precisamos sim olhar nossa fraqueza e olhar que os maus não estão deitados eternamente em berço esplêndido, mas estão labutando para propagar o mal. Não poucas vezes quando me deparo com a falta de vontade de estudar as coisas da faculdade ou mesmo da Igreja, por pura preguiça, por querer ficar fazendo qualquer coisa, menos estudar e rezar – logo minha consciência acusa-me: os maus não poupam esforços para estudar e descobrir formas de propagar suas maldades na sociedade; eles não exitam em virar a noite em vigília lendo livros maus, fazendo pecados, propagando seus erros; os comunistas não descansaram até implantar suas ditaduras sanguinárias; eu tenho preguiça de estudar, mas os neomarxistas trabalharam duro para criar a escola de frankfurt e em consequência dominaram culturalmente nossa sociedade; eu tenho preguiça de ler, de escrever, mas os neoateus, comunistas, aqueles que propagam a libertinagem sexual, não tem preguiça de publicar livros, artigos, de fazer falsas estatísticas para propagar o aborto, e eu tenho preguiça de fazer verdadeiras pesquisas e mostrando que o melhor a fazer é escolher a vida? Logo percebo que se eu prefiro dormir ao invés de ficar acordado até mais tarde lendo um livro, escrevendo um texto; os filhos das trevas, por sua vez, não medem esforços para consumirem a sua vida em prol de suas ideologias. Isso serve para Marx, Hittler, Stalin, Che Guevara, Fidel Castro e, pasme, até para o Lula, que embora se gabe de não gostar da leitura, não desistiu de consumir sua vida em prol da luta de classes chegando a ser Presidente da República e não deixar tantas saudades (Lembrando que Lula, juntamente com Fidel,fundaram o Foro de São Paulo com o intuito de tornar a América Latina comunista.)

Pense em todos os ditadores sanguinários que já existiram. Não precisa ir muito longe, pode ser os do século XX dos países comunistas. Será que se homens e mulheres de bem tivessem tido o mesmo coração, ou seja, valentia em defender e propagar o bem, estes maus não seriam ofuscados pela irradiação da luz do bem? É claro que houveram homens e mulheres bons; aliás, houve grandes santos! Mas o problema é: será que Deus não desejou levantar muito mais santos para renovar a face da terra, porém, preferiram não se envolver, não ser tão radicais, ficar tranquilo... Vai que ficaria favorável... Aí cito novamente a frase de Leão XIII: a audácia dos maus se alimenta da covardia e da omissão dos bons.

Nós reclamamos que nossa cultura está sendo estuprada pelos marxistas há décadas. Muito bem. Concordo. Mas cadê a produção dos bons? Não adianta ficar simplesmente reclamando que a educação está ruim, se não levanto a bunda da poltrona e vou estudar, trabalhar, produzir alguma coisa na área da educação. Você tem preguicinha? Paulo Freire não teve preguiça de produzir sua “pedagogia do oprimido” e de certa forma contribuir bastante com a destruição da educação brasileira. As pessoas que agem pelo MEC não tem preguiça de produzir materiais didáticos que pervertem a moral de seus filhos (inclusive os filhos pequenos, do ensino fundamental. Isso mesmo, as criancinhas!), e nem de promover uma base curricular que estupra de vez o sistema educacional brasileiro.

Você é um médico pró-vida, mas tem preguiça, tem receio de bradar contra o aborto e/ou as pílulas anticoncepcionais que são potencialmente abortivas. Porém, os médicos que são filhos das trevas não temem consumir suas vidas em abortar crianças inocentes no ventre de suas mães; algumas vezes em troca de alguns reais, outras vezes por ideologias. Mas o fato é que até fazem objeto de suas pesquisas para fazer outros profissionais serem pró-morte, promovem seminários, usando de mentiras. Mas você, com a verdade, exita, pois tem medo, não quer se envolver. Mas enquanto você fica em silêncio, vidas são trituradas no ventre materno.

Ah, meus irmãos. Isso deveria nos envergonhar. Nós, filhos de Deus, que somos cheios do Espírito Santo pelo batismo, temos sido covardes. Precisamos mudar nossas atitudes!

Recomendo que leiam São Josemaria Escrivá, e então entenderás que nosso apostolado não é simplesmente ir para a Igreja rezar um Terço, fazer uma pregação. Não. É mais que isso. As fábricas, os escritórios, consultórios médicos, escolas, toda vida social é para nós um campo fecundo de apostolado. O Concílio Vaticano II abre as portas para os leigos; e muitas vezes é mal interpretado por isso. A Igreja espera dos leigos um testemunho de vida na vida secular, e que possa estar onde a Igreja por meio dos padres nem sempre poderá. A Igreja não está querendo, como muitos hereges acham, “clericalizar” o leigo e muito menos transformar o clero em “laico”. Mas o CVII vem pedir homens e mulheres sábios, que assumam sua vocação universal à santidade, e que possam ser neste mundo o que devem ser. Enquanto você e eu nos recusamos a ser o que devemos ser, ou seja, demoramos ou nos recusamos a assumir o chamado que Deus nos fez, os filhos das trevas não hesitam em colocar seus planos sujos em prática.

Muitos leigos tem receio de entrar em uma faculdade. Isso é incoerente, afinal, aí é nosso campo fecundo de apostolado. Não porque a RCC tenha GOU's (Grupo de Oração Universitário) espalhados por várias universidades mundo afora. É bom que você participe de um, mas não és obrigado a isso. Quando falo que a faculdade é nosso campo fecundo de apostolado, falo que é no campo da ciência, do estudo, que devemos manifestar a glória de Deus. Pelo teu testemunho em um ambiente universitário poderá levar mais gente para a Igreja do que com suas pregações feitas por vontade própria somente para fugir da obrigação de estudar.

Alguns mais escrupulosos querem se safar de ser aquilo que Deus quer que sejam, com um pensamento muito piedoso, mas que no fundo só revela nossa preguiça vocacional: “só tem professores ateus, marxistas, comunistas. Não quero perder a fé. Você não lembra? Fulano(a) foi para a faculdade e, de repente, parou de ir para o grupo de oração, para o apostolado, hoje é ateu militante...” - dizem estes escrupulosos, revelando sua preguiça. Afinal, constato com tristeza que os filhos de Deus, do Deus poderoso, grandioso, do Deus que abriu o mar vermelho, que mandou as pragas pro Egito, que ressuscitou Lázaro, que fez vários mortos ressuscitarem quando da morte de Jesus, que curou os cegos, curou igualmente os aleijados, esse Deus que fez prodígios no Céu e na Terra, esse Deus... Ah, esse Deus pregado como onipotente, de repente, pasmem, virou impotente diante de um professor ateu que diz ser comunista e usa ifone e almoça no Mc Donalds. Sim, Deus que quando mandou o dilúvio salvou Noé e sua família, não pode salvar um aluno das maluquices de um professor maluco. Mas o engraçado é que o fato de frequentar uma universidade só se tornou obstáculo para essa geração, afinal, quem inventou as universidades foi a Igreja Católica; o pai da genética é um sacerdote católico; enfim, a Igreja contribuiu tanto para o progresso da ciência, mas, de repente, a nova geração, porque tem um bando de malucos dando aula citando outros malucos, acham que estudar é um decreto de que virará ateu também. O problema está nos professores ateus ou na sua omissão em continuar com uma vida cristã? Se você perder a fé em uma universidade, muito provavelmente também a perderia se não ingressasse em uma. O que faz alguém perder a fé ao entrar no ambiente acadêmico é o desleixo na vida espiritual. Entre na faculdade, estude, se empenhe, mas nunca deixe de rezar pelo menos 1 Terço por dia, ler a Sagrada Escritura, ir pra Missa pelo menos todos os domingos e buscar ir o máximo de vezes possível durante a semana, assim como a a visita ao Santíssimo Sacramento, e ler sempre que possível alguma coisa relacionada a vida dos santos e/ou doutrina. Não muitas coisas. Em resumo: continue tendo uma vida de oração. O problema é que a besta quadrada agora só diz “tenho que ler tal livro da faculdade, depois eu rezo”; e sem a oração, como teremos fé? Deves dizer: vou rezar este terço, não poderei mais, Jesus e Maria, pelas minhas obrigações, mas rezo este Terço pedindo o dom da fé e as luzes necessárias para discernir o certo do errado. Pronto. Não precisa rezar o Rosário completo, basta rezar um Terço. Mas não, a besta quadrada prefere não rezar e acha que no mundo alguém se sustenta sem um contato direto com Deus através da oração. E quem não reza, acredita em qualquer lorota que dizem.

Portanto, a faculdade não deve nos afastar de Deus, mas, muito pelo contrário, assumindo o chamado que Deus nos faz, mais nos aproximaremos dEle, porque a santidade consiste em ser fiel ao nosso estado de vida.

É verdade que os ambientes acadêmicos estão emporcalhados com a doutrina marxista. Mas o que me entristece é que nós, filhos de Deus, por preguiça ou seja lá pelo quê, nos recusamos em ser luz lá onde há trevas. São Franciscos dizia “onde houver ódio, que eu leve o amor”. Nós temos que ter a atitude de Francisco de Assis: onde houver Marx, comunismo, ódio, trevas; que eu leve a verdade do Evangelho, a luz, a salvação que vem de Jesus Cristo. Nós nos omitimos em ser luz onde há trevas, mas os que servem ao príncipe deste mundo (satanás), não se omitem em levar as trevas onde deveria ser fonte de luz. Os católicos têm medinho de se contaminar na faculdade, mas os marxistas, por exemplo, não temeram adentrar nos ambientes católicos para os corromperem. Uma amiga disse-me que queria cursar Filosofia, porém, segundo ela, queria uma “Filosofia de Deus”, no sentido de não ser essas doutrinas ateístas/marxistas que vemos normalmente. Infelizmente tive que lhe dar a notícia que essa Filosofia que ela busca, imaculada, não encontrará nem nos institutos católicos. Enquanto católicos lutavam com afinco contra a ideologia de gênero na Câmara Legislativa do DF, uma escola católica ensina tal ideologia para seus alunos. Os marxistas não hesitam fazer uma faculdade e depois lecionar nas escolas católicas para corromper seus filhos. Eles não exitam em adentrar nas escolas, faculdades, e até na própria vida religiosa em si, para perverter a moral dos institutos da Igreja e fazê-los instrumentos seus. Podemos constatar isso com a corrente da TL – Teologia da Libertação, que disseminou o marxismo através da Igreja, mesmo com esta condenando abertamente tal ideologia. Leonardo Boff, “Frei” Betto e Cia, não exitam em publicar livros, em usar as editoras e escolas católicas para disseminar suas heresias já há tempos condenadas pela Igreja; mas tu e eu, ordinários, bunda moles que somos, exitamos em adentrar na porcaria de uma universidade para ser luz em meio as trevas.

Se o mundo ainda dá atenção para Boff, Betto, Marx e até para o Lula, é porque tu e eu não temos sido luz. Como crerão se não há quem pregue? Quem Deus vai enviar, se ao invés de eu ir estudar, eu fico enrolando na porcaria do facebook? Facebook é um instrumento de evangelização, porém, ficar o dia todo compartilhando, comentando e conversando, não salvará almas. O que salvará a tua alma e a dos outros é o teu empenho em ser aquilo que Deus quer que você seja. Ele quer que você seja santo, e te fez um chamado. Você precisa assumir.

Os que estão em doença avançada dirão que não precisa tanto, afinal, já temos Padre Paulo Ricardo, Padre José Eduardo e dois professores, Felipe Aquino e Felipe Nery, para defender a fé católica e salvar nossas famílias do mal. Esse é o típico pensamento do mediocre. Não vou pregar, Padre Paulo prega melhor que eu; não estudarei sobre gênero, Padre José Eduardo fala tão bem sobre. Enquanto os marxistas são milhares de milhares em todos os ambientes, vocês querem vencer o mal largando a bomba para quatro homens, que coloco aqui como exemplos?
Essa semana foi noticiado que um desertor do Estado Islâmico roubou dados dos terroristas e divulgou. A notícia diz que há dados de mais de 20mil homens que estão dispostos a cometer um atentado suicida em nome da religião islâmica. Entendem? 20 mil que estão dispostos a colocar bombas na sua cintura e fazer um ataque no Cristo Redentor. E nós, filhos da luz, que temos a missão de defender a religião verdadeira (Católica), de propagar o Evangelho, não conseguimos juntar nem 20 pessoas para rezar um terço contra o comunismo, se brincar. Graças a Deus há homens católicos – e não católicos – como os que citei acima, que estudam, trabalham, labutam, consomem suas vidas em prol do Evangelho. Mas que triste saber que 20 mil islâmicos fizeram sua inscrição para o terrorismo; mas é improvável que haja 20 mil estudantes católicos convictos inscritos nas universidades.

De fato, a maior parte é marxista. Mas para que daqui a 10 anos os professores não sejam marxistas, é necessário que um não marxista se forme. Se VOCÊ, besta-quadrada, não largar de ser anta, e não fizer o que Deus quer que você faça, continuaremos vendo o show de horrores que temos visto. Só há políticos ruins? Que tal que você seja o bom!? Enfim, ou assumimos nossas responsabilidades sociais, como filhos de Deus que somos, ou podem assinar o atestado de óbito de toda nação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário