domingo, 22 de novembro de 2015

SENTIMENTO X FÉ


Quem não sofre, sofrerá com a aridez espiritual. Essa é uma forma que Deus se utiliza para purificar a nossa alma. No período de deserto, onde não sentimos Deus (como normalmente se fala) é o tempo de procurarmos. Ou, no ensinamento de S. Teresa, o tempo em que nós passamos a procurar a água no poço. Uma hora chegará a água.
Mas é preciso ter consciência que o sentimento, o gozo, enfim, isso passará. Deus faz-nos apegarmos ao essencial da fé. Não aos sentimentos. Muitas pessoas ficam perdidas na sua vida espiritual por conta dos sentimentos. Não importa tua vocação, tua espiritualidade, o rito da Missa que você assiste, os livros que lê, nada disso importa! Todos nós, cristãos, passaremos pelo deserto da alma.
Um dia você chegará no grupo de oração e não sentirá mais o que você sentia? Arrepios? Repouso? Não, vontade de ir embora! Vai fazer adoração, oração pessoal... Um peso só. Faz tudo arrastado. Não tem gosto mais. Um dia você ouvirá o Canto Gregoriano e não sentirá mais aquele gozo, aquela paz imediata que sentia outrora; chegará na Missa Tridentina e sentirá inquietações... Vixe, até mesmo o entrar na Igreja causará incômodo, e não mais o gozo, alegria suave que sentia antes. Todas as obrigações do exercício da fé se tornarão um peso. Mas por quê? Simples, Deus está purificando. Não podemos servir aos nossos sentimentos, mas ao Deus que, por vezes sim, inspira tais sentimentos de gozo e alegria. Os maiores míticos da Igreja passaram por desertos terríveis. Se só formos pra Igreja quando sentirmos algo, quando repouso, quando sinto paz ao ouvir um canto gregoriano, quando escuto tal ou tal cantor, enfim... Estaremos amando e servindo não a Deus, mas aos nossos sentimentos. Amar a Deus, e não somente o que recebo de Deus apenas.
Ou nós compreendemos que TODOS passaremos pela purificação da alma, por meio da aridez, ou teremos um monte de gente pulando pra fora da Igreja. Carismáticos, anticarismáticos, enfim, vemos gente de espiritualidades diferentes que, de repente, perdem a fé. "Ah, deixou de sentir Deus". E tudo que já sentiu? Precisa de mais para crer e prosseguir até a glória? Claro, Santa Catarina de Sena ensina que se na oração Deus visita (no caso uma graça, um gozo, algo mais elevado), a pessoa não deve resistir. Mas só porque não senti o que queria vamos abandonar a fé? As vezes passamos 6 meses sem sentir consolações; a pobre S. Teresa passou 20 anos. E a Virgem dolorosa no Calvário? E a dor da Virgem durante anos da ascensão de Cristo à Sua Assunção? Quanta saudade do Seu Jesus! Ah, quanto somos birrentos e mimados! Que a Virgem nos comunique Sua fé e nos ensine a sermos santos. Fica conosco Virgem Maria, para sermos vitoriosos na cruz da nossa purificação.
‪#‎VivaCristoRei‬

Nenhum comentário:

Postar um comentário