sábado, 1 de agosto de 2015

FEMINISMO, LIBERTAÇÃO SEXUAL, PORNOGRAFIA, PROMISCUIDADE - A banalização da sexualidade


Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!
Por que os jovens não querem casar? A resposta pode ser óbvia, mas difícil de aceitar. O feminismo ceifou no coração de muitos jovens o verdadeiro significado da sexualidade humana. Pior ainda: ceifou o entendimento do que é família.

Porém, para chegarmos a tal situação de promiscuidade sexual que vemos nos atuais dias com certa rejeição e/ou indiferença para com o matrimônio tal qual ensina a Igreja, houve um processo que foi evoluindo, até se desencadear no que testemunhamos.

FEMINISMO: Pregou radicalmente a igualdade entre homens e mulheres. Os direitos adquiridos, no entanto, viriam de qualquer forma sem a necessidade do movimento feminista radical. Pois as feministas queriam além da igualdade de direitos (voto, salário igual, proteção por ser de sexo frágil, etc.), a igualdade dos sexos. Em alguns casos até uma certa “superioridade feminina”. E tudo tomou força na sexualidade.

O Feminismo pregava que a mulher era escrava do homem. Era uma empregada não remunerada que só servia pra trabalhar pro marido e ser um objeto sexual. Começaram a pregar que as mulheres tinham os mesmos direitos dos homens machistas, ou seja, não queriam transformar os canalhas em homens virtuosos, mas queriam elas serem mais canalhas que estes.

LIBERTAÇÃO SEXUAL: Daí surge os movimentos de libertação sexual da mulher. Começa-se a pregar que a mulher é livre como o homem, e poderia ter relação sexual com quem quisesse. Se não quisesse ter filhos, não teria. Ou seja, era o surgimento da pílula. Elas tinha a concepção de que o filho as escravizavam na família. E, para deixar de ser escravas sexuais, deviam usar a pílula anticoncepcional (que são potencialmente abortivas. Clique aqui e saiba mais) e serem livres. Resultado:

As mulheres desdenharam da castidade até o casamento. Os homens passaram a ter relação sexual sem a necessidade de assumir responsabilidade alguma. E quando ocorria gravidez, ficava a dúvida: filho de quem? Teve relação com tantos. Enfim: pregaram a libertação da mulher, mas o que a pílula fez foi transformar as mulheres em verdadeiras escravas sexuais. Escravas de cafajestes que só queriam usá-las. (Disso ainda somado as mulheres serem obrigadas a trabalhar para sustentar os filhos não assumidos. Isso não teria acontecido se o propósito de castidade tivesse sido mantido).
E o mais cômico (ou trágico) é que as feministas bradam pelo direito da mulher entrar na universidade, ter carreira; mas com o sexo livre, quantas tiveram que parar de estudar pra cuidar dos filhos! Quantas, aliás, não puderam ter carreira, mas, abandonadas pelos cafajestes, tiveram que começar a trabalhar em qualquer serviço para poder alimentar seus filhos. Claro, parabéns a estas mulheres que se sacrificaram para criar seus filhos! Bendito seja Deus pela força dessas mulheres que não desistiram da vida e foram até o fim pelo filho querido delas. Mas, sabemos que muitos desses sofrimentos não teriam acontecido se tivesse rejeitado a propaganda do “sexo livre”.

Alguns feministas começam a pedir a liberação do aborto. Porém, este ato desgraçado além de matar uma criança indefesa, faz com que a mulher seja mais escrava sexual dos cafajestes. Afinal: usa, abusa, esquece... -Oi, lembra de mim? Então, to grávida... -Oi, mata! Portanto, além do ato de matar um ser humano indefeso, ainda faz com que os canalhas não tenham que assumir suas responsabilidades. Destrói a vocação natural da mulher de ser mãe, transformando-a somente num objeto sexual.

Um conhecido movimento que aderiu a essa mentalidade e contribuiu para que se espalhasse foi o chamado Movimento hippie, por exemplo, que pregava “paz e amor” (maconha e sexo). E assim toda uma geração foi ensinada a colocar sua felicidade na sexualização. Muitas moças ainda tinham certo pudor, e diante da maciça propaganda para se entregar para os homens, acabavam usando de drogas e depois tendo relações. De fato, este período foi a verdadeira época das trevas. Tudo escurecido de impurezas.

Vendo a mulher se transformar em verdadeira escrava de canalhas, surgiram alguns movimentos de mulheres que lutaram pela família. Afinal, sendo mulheres sensatas, não podiam enxergar nenhum progresso em ver as mulheres sendo abusadas e largadas. No entanto, esses grupos que lutavam pelos direitos FEMININOS e não FEMINISTAS, foram duramente criticados por estas.

PORNOGRAFIA: Com o surgimento de meios fáceis de propagação da pornografia a coisa fica pior. Surgem as fitas. Filmes pornográficos são feitos em grande escala e esta indústria diabólica lucra milhões. Como conseguiram isso? Usando as mulheres como prostitutas. Explorando essas mulheres que - ou por busca de fama ou por necessidade financeira – baixava ao nível de se prostituir de forma tão clara. Mulheres e homens... A libertação sexual não fez apenas as mulheres poderem ser mal caráteres como os homens, fez ser exploradas por estes; e fez com que ambos (homens e mulheres) tornassem-se animais irracionais que “pensam com os órgãos genitais”.

“o corpo é meu, mostro e faço o que quiser” - dizem mulheres e homens deste meio. Só que daí surge algo que afeta diretamente a construção de famílias:

Homens viciaram-se tanto em pornografia que, em casos graves, acabaram perdendo libido pelas mulheres. Muitos jovens – até mesmo que frequentam a Igreja – são viciados nessa “nova droga”, e não veem muitas vezes o mal que estão fazendo para si.

Há casos de homens que dizem não sentir desejo pelas suas esposas por causa da pornografia e da masturbação.

Mas para os jovens ainda é complicado: o rapaz está tão entupido de pornografia que acaba vivendo de “amor platônico sexual”. Ele gosta de uma menina, mas nem se empenha em namorar, viver uma vida casta, e casar-se. Ele se contém em ter pensamentos eróticos com ela.

Mesmo em alguns sites não católicos podemos ver pessoas constatando que – entre os mundanos – as mulheres estão chegando pra dar a “cantada” no homem, porque este não sai mais pra tentar algo (óbvio que não estou dizendo ser certo ir pras festas e dar cantadas impuras). Isso porque os homens que, pelo pecado original são pegos no sentidos (olhar...), estão tranquilos com sua sexualidade na tela do computador. E qual o resultado disso? As mulheres para se sentirem desejadas (mal do pecado original) começam a agir como as mulheres da indústria pornográfica. Inclusive se sujeitando a ser apenas um objeto sexual descartável: transa hoje, nem te conheço amanhã.

Antes do Feminismo/Libertação sexual as mulheres sonhavam com um amor pra vida toda; hoje esperam encontrar alguém que pelo menos ligue no dia seguinte. Infelizmente é uma triste realidade que podemos constatar.

Porquê, por exemplo, gradualmente as mulheres se vestem mais sensualmente, fala coisas libidinosas, são provocadoras? Porque se rebaixam para se nivelar as prostitutas que são desejadas pelos homens mundanos.

O que os homens mundanos que não desejam o Céu querem? Aí automaticamente ela vai lembrar das cantoras/dançarinas de funk – que talvez até ela também gosta -, das dançarinas de programas de TV, etc., e começa a imitá-las. Só se esquecem que os homens mundanos querem essas mulheres pra usar; mas pra casar querem uma mulher virtuosa. Quantos casos de relacionamentos que terminam - por vezes de maneira trágica - porque o rapaz tinha ciúme por causa da roupa curta que a namorada usava!? Claro, ele sabe o que os homens mundanos pensam e comentam. Mas a moça cresceu sendo incentivada a imitar as meretrizes. E até conquistou este rapaz usando essas roupas. Só que no relacionamento sério o rapaz não quer que sua namorada ou esposa esteja viajando nos pensamentos impuros dos seus amigos e demais homens. Porém, a mulher cresceu assim. Não que deva continuar assim; claro que não. Porém deve-se procurar, o quanto antes – agora! Sim, agora! - imitar as mulheres virtuosas, e nãs as meretrizes desejadas, porém, não respeitadas e nada honradas.

A mulher está atraindo para o corpo, não para a alma. O homem está desejando o prazer, e não o sacramento. Se você vive dessa maneira citada acima, saiba que o Senhor renova todas as coisas (Cf. Apocalipse 21,5). Se entregue ao Senhor Jesus e verás que Ele fará uma grande Obra de Misericórdia na sua vida. Ele que fez de Maria Madalena uma santa, pode fazer de qualquer pecador(a) – o(a) mais impuro(a) da história da humanidade – um grandioso santo(a)! Basta querer se entregar ao Senhor Jesus. Peça a intercessão de Nossa Senhora da Misericórdia, a nossa Co-Redentora e Mãe!

CONCLUSÃO: Para se ter um relacionamento sério, sólido, em Deus, na santidade, pra viver um matrimônio santo na vontade de Deus, é preciso renunciar toda mentalidade mundana. É preciso fazer violência de coração para tirar do coração e das atitudes todo ensinamento feminista radical, desejo de sexo livre, dizer não aos meios contraceptivos artificiais, e renunciar todo conteúdo pornográfico (filmes, músicas, etc). E, claro, viver a modéstia.

Por isso muitas moças não percebem que seus namoros dão errado porque atraíram os homens que queriam só o prazer que ela tinha pra oferecer. E muitos rapazes não veem que seus namoros deram errado porque ele só estava querendo aquilo que o coração dele estava cheio (pornografia). Portanto, amados irmãos e irmãs, vivei a santidade. E renunciem todos os lugares, sites, companhia, etc., que leva ao pecado. Se você deseja conhecer uma pessoa de Deus para namorar, casar e constituir uma bela família católica, não é frenquentando as festas mundanas que você encontrará tal pessoa. Tampouco nos bate-papos impuros na internet. Qual o segredo? Se entregue ao Senhor Jesus Cristo de corpo e alma. Ele é a verdadeira felicidade. Só Ele pode saciar a alma. E quando fores de Jesus, Ele, autor da vocação, sendo sua vocação o matrimônio, colocará uma pessoa que viverá em santidade contigo no namoro e no casamento. Afinal, como sempre tenho repetido em várias postagens, a pessoa certa não é a que quer te levar pra cama, mas a que quer te levar pro altar. Portanto, vá a Igreja rezar, seja de Deus! Porque indo pras festas sertanejas, bailes funks, frevos, etc., você só encontrou treva! Seja tão cheio de Deus que uma pessoa para te conquistar, encontre e ame a Deus primeiro. Você acha que num baile, por exemplo, encontrará alguém que queira amar a Deus sobre todas as coisas? “Seja de Deus, e Deus fará a obra na sua vida! Animai-vos e sede fortes de coração todos vós, que esperais no Senhor.” (Salmo 20,25)

VOZ DA IGREJA: Diante de tantos movimentos de libertação sexual, a Igreja, ao contrário do que muitos possam achar, não se calou. Por isso cito aqui duas falas do Papa B. Paulo VI onde aborda um pouco sobre o que foi dito. Poderia citar falas de Papas mais recentes, mas cito do Beato Paulo VI para mostrar que desde quando começou essa loucura depravada a Igreja sempre se posicionou contra. Por isso a Igreja é sempre atacada: não compactuará jamais com erro. As portas do inferno nunca prevalecerão! (cf. Mateus 16,18).

Se o indivíduo não procurar imunizar-se, com deliberado propósito, o ambiente oferece, em toda a parte, excitações à fragilidade da «carne», especialmente se for jovem e inexperiente. Todos sabem o que se entende por « carne », na linguagem moral. É tudo aquilo que se refere à indisciplina da sensualidade, ou seja, àquele perigoso jogo interior da sensibilidade física, que se opõe ou tem cumplicidade com a sensibilidade espiritual, que se refere ao prazer animal, à voluptuosidade, ao corpo passional, que atrai a si a alma e a submete aos próprios instintos, a subjuga e obceca de tal modo que, como diz São Paulo, « o homem animal não acolhe as coisas que são do espírito de Deus » (1 Cor 2,14).
Não julgamos necessário dar explicações a este respeito. Hoje fala-se muito disto, talvez até demais. Raramente se encontra um escritor, nos nossos dias, que não pague o triste tributo, pelo menos com algumas páginas, à loucura sensual ou à ebriedade dionisíaca de que está impregnado o mundo da cultura literária ou da dissolução voluptuosa, mas, ao mesmo tempo, cheia de angústia. Os estudos de psicanálise sobre os instintos humanos e, especialmente, sobre a neuropatologia e sobre a sexualidade deram uma linguagem científica à comum experiência empírica das paixões eróticas. Algumas pessoas viram neles novas e verdadeiras descobertas do homem.” (Paulo VI , audiência geral 31/03/71)


Hoje constatamos que músicas, novelas, filmes, livros, e na própria escola, ensina-se estes princípios da impureza.


Queremos nesta altura chamar a atenção dos educadores e de todos aqueles que desempenham tarefas de responsabilidade em ordem ao bem comum da convivência humana, para a necessidade de criar um clima favorável à educação para a castidade, isto é, ao triunfo da liberdade sã sobre a licenciosidade, mediante o respeito da ordem moral.
Tudo aquilo que nos modernos meios de comunicação social leva à excitação dos sentidos, ao desregramento dos costumes, bem como todas as formas de pornografia ou de espetáculos licenciosos, devem suscitar a reação franca e unanime de todas as pessoas solícitas pelo progresso da civilização e pela defesa dos bens do espírito humano. Em vão se procurará justificar estas depravações, com pretensas exigências artísticas ou científicas, ou tirar partido, para argumentar, da liberdade deixada neste campo por parte das autoridades públicas.” (Paulo VI – HUMANAE VITAE)


Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!

Viva Cristo Rei!

Um comentário: