quinta-feira, 19 de março de 2015

Novelas: a hipnose do demônio




Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!

Há quem se surpreenda com o gayzismo e demais imoralidades das novenas da Rede Globo. Eu, porém, me surpreendo com a quantidade de ditos cristãos que ainda assistem a tais programas. Afinal, se a palavra de Deus diz que “se vivemos pelo Espírito, andemos também de acordo com o Espírito” (Gálatas 5,25); como iremos andar de acordo com o Espírito, se o que entra na nossa casa são as exaltações das obras da carne. O que as novelas têm incentivado: as obras do Espírito ou as da carne? Você que assiste novelas pode, com mais embasamento do que eu, afirmar se as seguintes coisas que S. Paulo fala é ou não o que as novelas pregam: “Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus!” (Gálatas 5,19-21).

Alguma pessoa apegada a tais “divertimentos” perigosos (afinal, se Santo Antão já fala que basta um olhar impuro para se abrir as portas do inferno, como pode alguém assistir as novelas e demais programas que mostram homens e mulheres semi-nus, cenas “picantes”, provocações sexuais, etc., e não pecar ao menos em pensamento? É muita presunção!), pode dizer que é apenas um “passa-tempo”, algo para distrair, afinal, não saem para lugar algum – dizem alguns – e ficam só em casa. Que mal há em ver novelas? Não é porque assistem novelas – insistem os mais entregues as podridões novelísticas – que vão praticar as mesmas coisas. Ave Maria! - gritam alguns pseudo cristãos – não troco minha fé por nada e não vou ser pecador público como o povo da novela. Novela? - questiona outro - Não me influencia em nada! Vejo por ver. -Hum, é mesmo? Diz São Paulo: “Apesar de conhecerem o justo decreto de Deus que considera dignos de morte aqueles que fazem tais coisas, não somente as praticam, como também aplaudem os que as cometem(Romanos 1,32). E também em Efésios 4,27 diz: “Não deis lugar ao demônio”
Não bastasse cristãos dando audiência a esses programas absurdos, a esmagadora maioria não consegue perceber que as novelas fazem parte de uma “engenharia social”. Estamos em uma guerra cultural, e as novelas são usadas como arma para hipnotizar o povo brasileiro. Enquanto você acha que os autores e as emissoras fazem novela para te divertir, eles estão colocando o objeto de sua hipnose para te ludibriar e te fazer uma lavagem cerebral. Você diz que novela não influencia em nada; mas será mesmo que injetam milhões e milhões para fazer tais novelas, e não causam efeito algum? Se você acha que novela não influencia em nada, é a prova viva de que você já está hipnotizado pelo satã da revolução cultural.

Tentarei mostrar alguns exemplos práticos, numa tentativa quase desesperada de te tirar da hipnose e te fazer acordar para a realidade.

Muitos cristãos que ainda tem uma moralidade de pé, ao verem que a Globo está fazendo novela com dois homens ou duas mulheres se beijando (a última duas véia trocando saliva); ao ver que em uma das novelas está sendo proposto como normal dois irmãos de sangue (filhos do mesmo pai) namorarem como se fosse a coisa mais normal do mundo; ao ver que já algumas delas diz ser normal, e até colocam situações engraçadas, em – não sei que nome dar – um homem morar junto com duas mulheres ou sei lá se vice-versa; ao ver o adultério ser exaltado, a vida ser banalizada com a exaltação do aborto; até mesmo a achincalhação do cristianismo, de maneira especial com o catolicismo, colocando personagens com a moral bastante questionáveis; enfim, toda essa prostituição que são as novelas, muitos bradam dizendo: “poxa, eu assisto mas acho que essas coisas não deveriam passar na televisão. Estão pegando pesado demais. Olha, por exemplo, eu não tenho preconceito com homossexuais, mas acho que também não precisa disso ou daquilo na TV. Assim como essa prostituição, estão pegando pesado demais.” Enfim, mas o que me surpreende é que continua assistindo. Parece que a hipnose se tornou permanente, de tal forma que mesmo quando constata a imoralidade, parece viver numa esperança infantil – pra não dizer imbecil – de que na próxima novela teremos um conto de fadas com famílias cristãs, puras, castas, abertas a vida e que todos se amam.

A novela só mostra o que não presta? Pois bem, é pra isso que ela é usada no Brasil. Chego a dizer que elas aqui foram criadas pra isso. Não começou hoje. Se hoje chegou a tal ponto, é porque o que mostram na telinha é o que servem aos seus interesses de hoje. No passado, mostravam o que serviam aos seus interesses naquela época. E conseguiram. E tem conseguindo.

O intuito das novelas é, segundo o que se fala, quebrar “tabus”. Quer mostrar um tema e colocar a sociedade para discutir sobre aquele “tabu”. Você acha que não te influencia, mas a verdade é que está sendo hipnotizado e obrigado – sem perceber – a aceitar aquela ideia que a mídia lhe impõe. Tudo em nome de um “tabu”.

Vejamos. Virou normal a Globo e outras emissoras mostrarem novelas e/ou programas com homossexuais se agarrando? Dizem que é para quebrar o “tabu” sobre homossexuais e lutar contra a homofobia. Certo? Isso é o que eles dizem. Se pesquisar, a maioria da população é contra o “casamento” gay. Uma pesquisa no site da própria Câmara dos Deputados mostra que mais da metade das pessoas que responderam a pesquisa apoiam o Projeto do Estatuto da Família que diz que a base familiar é entre homem e mulher. O que acontece é: se a maioria da população é contra o “casamento” gay, mudemos a opinião do povo sem que ele perceba. Então começam a mostrar uma série de personagens gays, gente boa, perseguidos, que só querem “amar”. Mostram como algo normal. E então vem um programa do Faustão com os atores, um ou outro gay “da vida real” e começa aquela melação. Logo você fala, poxa, é verdade, nós somos preconceituosos. Já te fizeram a lavagem cerebral. Veja, isso é tema para um artigo próprio, mas o problema não é um homossexual sofrer preconceito. Há 50 anos atrás quem queria ser gay podia ser gay, o problema é que não se tinha – pelo menos aqui no Brasil – a ideia de querer colocar no público aquilo que faz parte da sua vida privada. Há uma imposição de valores. Aí enquanto você vê novelas mostrando a “normalidade” da união gay, até mesmo equiparando uma dupla de homens com um casal hétero com filhos, lá no Congresso Nacional há projetos de lei que em nome de uma “criminalização da homofobia”, colocam-nos uma mordaça gay. Não se pode mais dizer que um ato homossexual é pecado, afinal, estão com preconceito e vou preso por isso (só que ato homossexual é pecado, assim como masturbação, adultério, etc.). Enquanto você vê as novelas, tem uns malucos que querem cotas pra homossexuais, prioridade em programas do governo. A maior parte da população é contra, mas como a mídia já hipnotizou, teme-se falar um “a” para não ser taxado de homofóbico.

Enquanto você vê a novela da Rede Esgoto, o Congresso (de maneira especial os parlamentares ligados ao PT, PSOL, PCdoB) estão doidos para aprovar a ideologia de gênero. Você vê dois machos se beijando na TV ou duas véia, ai vem a opinião pública da privada(referência onde nós fazemos o nº2) dizer que tem que aprovar a ideologia de gênero para ser implantada nas escolas públicas, para combater a homofobia. Mas você sabe o que é ideologia de gênero? Indico que leiam “A agenda de gênero – redefinindo a igualdade” de Dale O'Leary para entender melhor. Mas de maneira simplificada, é uma ideologia que ensina que a criança quando nasce, não tem sexo definido. Isso mesmo, esqueça a biologia. Essa ideologia prega que tudo (em relação ao sexo) é uma construção social. Enquanto eles te dizem que é para lutar contra o preconceito aos homossexuais, a Ideologia de Gênero não trata especificamente deste tema. Prega que a criança não nasce nem homem, nem mulher. Ela vai escolher o que vai ser. Mas não para por aí, não se limita a dizer que um homem escolhe ser mulher (gay), ou uma mulher dizer que é homem (lésbica). Não. A Ideologia de gênero diz que a pessoa é o que diabo ela quiser. E aí abre-se o leque para diversos tipos de bestialidades. Começa-se nas escolas, à exemplo do que estão querendo implantar no DF, a colocar banheiros unissex ou criar um 3º banheiro nas escolas para travestis. Mas o que a ideologia ensina é que em conduta sexual tudo é permitido, pois esse negócio de “homem” e “mulher” é uma construção sexual. Na prática podemos dizer o seguinte: uma pessoa (seja homem ou mulher) pode se identificar como: hétero, homossexual, bissexual, se casar com um animal (cachorro, cavalo, cabra...), se identificar como pedófilo. E tudo bem. Pra esse povo maluco está tudo bem.

Você concorda com isso? Acredito que não. Mas enquanto você vê as novelas da globo, você começa a ficar sensibilizado com a causa, fazendo ou com que você a defenda, ou que você se emudesse e lave as mãos.

Você com certeza é contra a ideologia de gênero, porém está sendo doutrinado pela Globo (e outras também) a aceitá-la. Afinal, você está sendo ensinado a aceitar a união gay, a achar que dois irmãos podem se casar, a achar que é normal a poligamia (um homem casar com mais de uma mulher ou uma mulher com vários homens), a achar normal a própria pedofilia. Você não sabe, porém no projeto de reforma do código penal brasileiro estava a possibilidade de reduzir de 14 para 12 anos a idade para consentir numa relação sexual. Você que é pai ou mãe, você acha que sua filha, com 12 ou 13 anos de idade, tem condição de consentir em uma relação sexual? Sua filha não sabe discernir se meche no Whatssap ou se brinca com a Barbie e vai saber discernir e consentir numa relação com um marmanjo de 40 que chega pra abusar de sua filha (ou filho, porque como as coisas andam...). Você não poderá denunciar, porque sua filha pode fazer sexo, mas não pode trabalhar. É ou não um absurdo?

Não é uma profecia, apenas uma análise lógica das coisas. Daqui há alguns anos (ou meses) teremos novelas para quebrar o “tabu” de homens que desejam se casar com suas filhas, ou rapazes que se apaixonam pelas mães. Ou um pobre garoto de 18 (porque na primeira não vão colocar o velhorte de 60 abusando) que se apaixona pela princesinha de 12. Tudo pra quebrar tabu. Afinal, pobres coitados no norte e nordeste rual, que casam com meninas de 12 anos. Que mal fazem? E sofrem preconceito, são tratados por alguns como criminosos. Você hoje acha absurdo, mas segundo a ideologia de gênero, tudo é uma construção social. Esse negócio de pudor, de ter consciência sexual, de ter casamento hétero pra procriar... Na verdade isso é uma opressão burguesa implantada por setores retrógrados como a Igreja Católica que só quer oprimir a mulher e os homossexuais. Ai – brada os mais histéricos – seu preconceito mata. Ai – brado eu – sua ignorância me dá ânsia de vômito.

A própria feminista radical Firestone havia dito: “Devemos incluir a opressão das crianças em qualquer programa feminista revolucionário... Nossa etapa final deve ser a eliminação das próprias condições da feminilidade e da infância. O tabu do incesto hoje é necessário somente para preservar a família; então, se nós nos desfizermos da família, iremos de fato desfazer-nos das repressões que moldam a sexualidade em formas específicas […] Os tabus sexuais com as relações homossexuais ou entre adultos e menores irão desaparecer, assim como as amizades não sexuais... todas as relações próximas irão incluir o físico. […] Se a repressão sexual precoce é o mecanismo base pelo qual são produzidas as estruturas de caráter que sustentam a escravidão política, ideológica e econômica, o fim do tabu do incesto, através da abolição da família, poderá ter efeitos profundos. A sexualidade poderá ser libertada da sua camisa de força para erotizar toda a nossa cultura, modificando a sua própria definição” (Citado no livro “A agenda de gênero – redefinindo a igualdade”) (Grifo meu).

Ou seja, enquanto você acha que as novelas e demais programas com mesmo estilo – até alguns pseudo jornalísticos – para te divertir, vemos que na verdade apenas estão rezando a cartilha neomarxista, feminista, que querem destruir a família. E você tem caído de trouxa. Tudo o que esta feminista há anos atrás falou, é que o que vemos há anos na mídia. Dizem que tem que quebrar o tabu do incesto, por exemplo, e vemos agora o incesto sendo colocado em discussão. Tudo envolve sexualidade. Tudo!

Vai querer continuar sendo hipnotizado?

Você pode falar que hoje as novelas são ruins. Mas sempre foi assim. Quando o divórcio não existia no Brasil, a Rede Esgoto lançou uma novela para quebrar o dito tabu sobre o tema. Meses depois aprovaram o divórcio. E você ainda diz que não influencia? A maioria da população era contra, mas a influencia marxista das novelas... Hipnotizou! Abaixo você pode ver um video de um ator confessando que em uma famosa novela da Globo, o intuito era discutir o “tabu” do celibato dos padres (engraçado é que querem que os padres se casem, sendo que vivemos num tempo que ninguém quer casar ou se divorcia e casa-se tantas vezes). Esses dias indo no cabeleireiro cortar o cabelo estavam ligadinhos no (não) vale a pena ver de novo. A novela era “O rei do gado”. A frase que ouvi era “esse negócio de até que a morte nos separe não existe. Tem que ser até que a vida nos separe”. Uma bela de uma apologia ao divórcio, incentivando as famílias a na hora da dificuldade a se separarem. Como se a vida fosse um eterno parque de diversões. Parei de ter tranquilidade jogo fora.

Uma instituição internacional fez uma pesquisa no Brasil e constatou que onde se chegava o sinal da Rede Esgoto de Televisão aumentou o número de divórcio. Aí eu te pergunto: essa porcaria te influencia ou não?

Há 50 ou 60 anos atrás quando as famílias se reuniam todos os dias para rezar o Terço o mundo era diferente. Hoje, quando se reúne, é para ver o antro de podridão das novelas. E o que tem acontecido? Traições, bebedeiras, casos a mais de homossexualidade, abortos, adultérios, vinganças, satanismo, etc. Você quer isso pra você? Aposto que não. Então para de ver essas coisas. Dê meia volta. Se trocou o altar e a oração do Terço pela TV, troque este ídolo e vá pra diante da imagem de Nossa Senhora rezar para restaurar a sua família.

Anuncia-se que uma das novelas chama-se babilônia. Babilônia, porém, é a casa dos brasileiros. Espero que um dia a casa das famílias brasileiras deixem de ser babilônia para voltarem a ser Igreja doméstica, como ensina a Santa Igreja Católica.

Nessa hipnose das novelas, você até discorda do que elas pregam, mas você faz o que elas mandam. Por isso as novelas são a hipnose do demônio. Você faz o que o comando manda. Ou se você não faz o que ela manda, você se cala na hora de se opor a tudo isso. Por que? Porque você foi hipnotizado pelo demônio global e demais legiões satânicas da revolução cultural.

Hoje é o dia da salvação entrar na sua casa. Hoje é o dia de você ser liberto dessa hipnose. Desligue a TV; ligue o Céu na sua casa. Não sei você, mas eu e minha casa serviremos ao Senhor (cf. Josué 24,15). E se alguém da minha ou da sua casa não quiser servir ao Senhor inteiramente, sejamos nós, você e eu, os fiéis.

Com palavras vãs quanto enganadoras, atraem pelas paixões carnais e pela devassidão aqueles que mal acabam de escapar dos homens que vivem no erro. Prometem-lhes a liberdade, quando eles mesmo são escravos da corrupção, pois o homem é feito escravo daquele que o venceu.” (2Pedro 2,18-19)

Eis o resumo belo do que é as novelas. Seus autores, telespectadores, defensores, prometem uma pseudo liberdade, mas estes mesmos são escravos das paixões mundanas.

E nós? Nós nos decidimos por viver a vontade de Deus.

Sede submissos a Deus. Resisti ao demônio, e ele fugirá para longe de vós. Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós. Lavai as mãos, pecadores, e purificai os vossos corações, ó homens de dupla atitude. Reconhecei vossa miséria, afligi-vos e chorai. Converta-se o vosso riso em pranto e a vossa alegria em tristeza. Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará.” (Tiago 4,7-10)

Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!

Viva Cristo Rei!





Claudio Cavalcante fala o intuito do seu personagem em Roque Santeiro


Assista o curso completo do Pe Paulo Ricardo sobre Revolução cultural, e entenda melhor toda a guerra que vivemos culturalmente:

2 comentários:

  1. Ótimo texto. Sempre penso o que será de nós com tantos cristãos vendo novela, parece pouco mas é como se no meio da batalha os soldados não lutassem para "se divertir", isso tira o foco da batalha, cessam a vigília...deixa a todos nós em perigo, já que somos um só corpo.

    ResponderExcluir