quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Carnaval e os Santos Católicos: o que eles pensavam sobre este evento diabólico?

Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!

Há quem diga que o Carnaval nasceu de uma maneira sadia. Algumas fontes dizem que era a festa da carne; onde se comia carne numa “despedida” ao se iniciar o tempo de Quaresma que é um tempo de Oração, Jejum e Sacrifício. Porém, o Carnaval pode até ter nascido bom, mas hoje é a grande festa da carne humana, dos pecados carnais, de toda espécie de vícios e desgraças. O Carnaval é a festa da carne, é a festa do pecado, é a festa de satanás, é a festa do inferno. Sim, pois se no início a intenção não era fazer uma festa pagã, mas sim algo com um quê de cristianismo, devemos lembrar que satanás “veio para roubar, matar e destruir” (cf. João 10,10). E o Carnaval é justamente isso: a festa onde o diabo rouba as almas de Deus, matando-as com o veneno do pecado mortal para as destruir eternamente no inferno.

Há quem pense que estou exagerando nas minhas palavras; porém devemos lembrar que o Carnaval é sim o tempo em que mais Nosso Senhor é ofendido. E, como diria Santa Faustina, mesmo conhecendo a Misericórdia de Deus é de se admirar que Deus ainda deixe a humanidade existir. Há cristãos (até mesmo, infelizmente, do clero) quem não veem mal algum nas pessoas pularem carnaval – mesmo que num pulo destes caia no inferno eternamente. Mas devemos lembrar que nem todo aquele que diz que Jesus é o Senhor entrará no reino do Céu, mas sim aquele que faz a vontade de Deus (cf. Mateus 7,21ss). E o que se faz no Carnaval é vontade de Deus? Se fulano ou ciclano fala que pode e até mesmo incentiva que se festeje no carnaval, lembre-se que mesmo dentro da Igreja há inúmeros lobos que querem destruir as ovelhas.

Se A ou B fala que se pode pular no Carnaval, quero que nos questionemos: o que os santos da Igreja Católica falaram sobre o Carnaval? Aliás, não só os santos bradavam contra o Carnaval, mas até mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo se queixou a seus místicos sobre as terríveis ofensas que sofre nestes dias de trevas; em que as pessoas adoram a carne, a criatura ao invés do Criador. Em outras palavras, fazem de si mesmos e ao demônio de seus senhores.

Antes de citar a opinião dos santos, comecemos pelo que está na própria Sagrada Escritura: Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus!” (Gálatas 5,19-21) Eis o carnaval purinho descrito por São Paulo. Aliás, isso é praticado durante todo ano; mas como estamos numa era pagã, o Carnaval é a época do “intensivão” onde se praticam todo tipo de ofensa a Deus de maneira mais ainda aberta e em maior número. “Não persistais em viver como os pagãos, que andam à mercê de suas ideias frívolas.” (Efésios 4,17)

Infelizmente muitas pessoas têm insistido em viver como os pagãos. A própria Sagrada Escritura condena as obras da carne em que adorarão nos carnavais, mas muitos hipócritas continuam buscando a felicidade no passageiro, e não no Eterno, que é Deus, o único que pode dar a verdadeira felicidade que não passa na Quarta-feira de cinzas. Sendo assim, deste São Paulo até os dias de hoje o católico verdadeiro deve travar uma batalha contra todo tipo de vício e pecado, e não ser como os mornos hipócritas que dizem “isso não é mais pecado; isso era antigamente, agora são novos tempos”; pois, diga-me com sinceridade: se Cristo viesse hoje pregaria um Evangelho diferente? Com certeza não. São Paulo já disse: “Jesus Cristo é sempre o mesmo: ontem, hoje e por toda a eternidade” (Hebreus 13,8).

Portanto, segue algumas condenações feitas pelos santos da Igreja Católica e/ou revelações do próprio Senhor aos seus eleitos:

Não é sem razão mística que a Igreja propõe hoje à nossa meditação, Jesus Cristo predizendo a sua dolorosa Paixão. Deseja a nossa boa Mãe que nós, seus filhos, nos unamos a ela na compaixão de seu divino Esposo, e o consolemos com os nossos obséquios; porquanto, os pecadores, nestes dias mais do que em outros tempos, lhe renovam os ultrajes descritos no Evangelho. Nestes tristes dias os cristãos, e quiçá entre eles alguns dos mais favorecidos, trairão, como Judas, o seu divino Mestre e o entregarão nas mãos do demônio. Eles o trairão já não às ocultas, senão nas praças e vias públicas, fazendo ostentação de sua traição! Eles o trairão, não por trinta dinheiros, mas por coisas mais vis ainda: pela satisfação de uma paixão, por um torpe prazer e por um divertimento momentâneo. Uma das baixezas mais infames que Jesus Cristo sofreu em sua Paixão, foi que os soldados lhe vendaram os olhos e, como se ele nada visse, o cobriram de escarros, e lhe deram bofetadas, dizendo: Profetiza agora, Cristo, quem te bateu? Ah, meu Senhor! Quantas vezes esses mesmos ignominiosos tormentos não Vos são de novo infligidos nestes dias de extravagância diabólica? Pessoas que se cobrem o rosto com uma máscara, como se Deus assim não pudesse reconhecê-las, não têm vergonha de vomitar em qualquer parte palavras obscenas, cantigas licenciosas, até blasfêmias execráveis contra o Santo Nome de Deus. Sim, pois se, segundo a palavra do Apóstolo, cada pecado é uma renovação da crucifixão do Filho de Deus. Nestes dias Jesus será crucificado centenas e milhares de vezes” (Santo Afonso Maria de Ligório - Meditações).

O carnaval é um tempo infelicíssimo, no qual os cristãos cometem pecados sobre pecados, e correm à rédea solta para a perdição”.
(São Vicente Ferrer)

Certa vez, em tempo de Carnaval... Jesus se me apresentou após a santa comunhão na figura de um ECCE HOMO (“eis aqui o homem”, Jo 19,5), carregando sua Cruz, todo coberto de chagas e contusões. E brotando, de todo o seu corpo, seu Sangue adorável. Com uma voz dolorosamente triste, dizia: ‘Não haverá ninguém que tenha piedade de Mim e queira compadecer-se e tomar parte em minha dor vendo o lastimoso estado em que Me põem os pecadores, sobretudo neste tempo de Carnaval?” (Santa Margarida Maria, Autobiografia, capítulo 9)

9/02/1937. Terça-feira gorda. [Nestes] dois últimos dias de carnaval tive a experiência da enorme torrente de castigos e pecados. O Senhor me deu a conhecer, num instante, os pecados do mundo inteiro cometidos neste dia. Desfaleci de terror e, apesar de conhecer toda a profundeza da misericórdia de Deus, me admirei que Deus permita que a humanidade exista. E o Senhor me deu a conhecer quem sustenta a existência da humanidade: são as almas escolhidas. Quando se completar o número dos escolhidos, o Mundo cessará” (Santa Faustina – Diário nº 926)

Jesus disse à Santa Gertrudes de Helfta, 1302 “Se desejas aliviar minha dor, deves suportar uma dor e colocar-te à minha esquerda”... "meu coração como figura visível do meu amor pelos homens. Agora dou Minha face como figura visível da minha dor pelos pecados da humanidade... quero a comunhão reparadora na terça-feira do carnaval”.

É saliente lembrarmos que Santa Catarina de Sena se referia ao Carnaval dizendo entre soluços: “Óh! Que tempo diabólico!” Já Servo de Deus, João de Foligno, chamava o Carnaval de “Colheita do inferno”. Então fica evidente que um Católico jamais pode passar um carnaval em um lugar assim.

Como um católico deve passar o tempo de carnaval? Os próprios Santos explicam. Aliás, o próprio Jesus falou ao coração da Irmã Lúcia, vidente de Nossa Senhora em Fátima, que se tornou religiosa Carmelita. Nos escritos da religiosa encontramos instruções que devemos seguir. Lembro aqui que alguns dos santos citados aqui viveram há muito tempo, e já naquela época o carnaval era uma grandiosa fonte de danação das almas no inferno. As revelações de Jesus à Irmã Lúcia, citadas adiante, são de antes da primeira metade do século passado. Na própria Aparição de Nossa Senhora em 1917, onde a Virgem fala à Beata Jacinta que os pecados que mais levam almas para o inferno são de impureza; se Ela disse aos três, após mostrar o inferno a eles, que MUITAS almas vão para o inferno por não haver quem reze e se sacrifique por elas... Repito: MUITAS almas vão para o inferno... SE Jesus mostrou pra sua serva, Beata Ana Maria Taigi, que as almas caíam no inferno como flocos de neve ao nevar, imaginem como é nos dias atuais! Se o Carnaval do início do século passado e há séculos atrás já levava tamanha condenação, imagine no carnaval dos dias de hoje em que cada vez mais se aumenta a prostituição. Imagine a quantidade de almas que são condenadas nos carnavais do Rio de Janeiro, Salvador, e demais festas mundanas. Quantas crianças e jovens perdendo a pureza ao assistir desfiles prostituídos de escolas de samba com toda nudez explícita. Imaginem quantas e quantas pessoas condenadas por conta da impureza! Imagine! Não só no tempo do carnaval, pois aqui no Brasil é festa da exaltação dos pecados da carne o ano inteiro. Ó meus irmãos, que terrível! Que triste! Que desgraça para esta nação! Durante todo ano milhares de pessoas são condenadas ao inferno por conta da impureza! Orai e vigiai não só no tempo de carnaval, mas durante todo o ano. Durante toda a sua vida seja de Jesus e não do pecado.

Mas enfim, o que Jesus revelou à Sua Serva, Irmã Lúcia? Ela conta-nos nos seus escritos: “...Nosso Senhor está descontente e amargurado com os pecados do Mundo e com os de Portugal, queixando-se da falta de correspondência, vida pecaminosa do povo, em especial da tibieza, indiferença e vida demasiado cômoda que levam a maioria dos sacerdotes, religiosos e religiosas. É limitadíssimo o número das almas com quem se encontra na oração e no sacrifício. Em reparação por si e pelas outras nações, Nosso Senhor deseja que em Portugal sejam abolidas as festas profanas nos dias de Carnaval, e substituídas por orações e sacrifícios, com preces públicas pelas ruas.” Nosso Senhor Jesus Cristo ainda falou essas palavras na alma da Irmã Lúcia: “Se o Governo português, em união com o Episcopado, ordenasse, para os próximos dias de carnaval, dias de oração e penitência, com preces públicas pelas ruas, suprimindo as festas pagãs, atrairiam, sobre si e sobre a Europa, graças de paz.”

É assim que um Cristão deve viver o Carnaval: rezando e reparando! Mas prestemos atenção no seguinte detalhe: infelizmente o que nós vemos é completamente o contrário do que Jesus pediu à Sua Serva. O povo continua pecando (hoje muito mais do na época em que ela escreveu); os cristãos são tíbios, ou seja, mornos, indiferentes, relativistas, etc.; e, infelizmente, muitos sacerdotes e religiosos e religiosas são cômodos. Muitos padres não denunciam mais os pecados da carne. Há quem diga que carnaval é evento cultural. Esses dias circulou uma notícia de padres (não sei se Católicos Romanos) que foram pra escola de samba. Ó, um sacerdote que deve salvar as almas, pulando e se alegrando com o que arrasta milhões de almas para o quinto dos infernos! Que comodismo! Que terrível!

Jesus também pede para que o Governo Português – e aqui subtende-se os governantes de todo mundo onde se ofende a Deus –, juntamente com o Episcopado, ou seja, os Bispos, proclamasse dias de oração e penitência, com preces públicas pelas ruas, suprimindo, ou seja, abolindo as festas pagãs. E o que vemos? O que temos visto é o Governo Brasileiro investindo MILHÕES nos desfiles, nas micarês e demais eventos diabólicos. O Governo financia, seja pela verba para acontecer o evento, seja pela distribuição de meios para que se peque. O Governo gasta milhões com distribuição de camisinha, banalizando o sexo transformando-o em algo para se divertir, tirando todo o seu sentido. A libertinagem é financiada pelo Governo. Como a camisinha não impede doenças nenhuma, a paga pelo pecado vem depois com várias doenças sexualmente transmissíveis que se disseminam durante este tempo. Culpam a Igreja por proibir o uso da camisinha, porém, é o governo com seus métodos mundanos que tem transformado o sexo em algo banal propagando doenças e destruição de almas. Usem castidade e as doenças cessarão! O Governo também financia o aborto. Sim, o próprio Governo dá as pílulas do dia seguinte que são abortivas. Após uma relação sexual com um cara que nunca viu na vida a moça toma a pílula e, muitas delas, nem sabem que estão matando seus filhos pois a pílula age após a fecundação do óvulo pelo espermatozoide. Assim como a própria pílula anticoncepcional tem efeito abortivo. Clique aqui e saiba mais. Enfim, o Governo com os organizadores das festas propagam o mal: sexo, luxúria, drogas, aborto, doenças, suicídios, mortes no trânsito, assassinatos, e tudo que lúcifer gosta... E o Episcopado? Que que tem mesmo? Aé, Jesus pede pros Bispos ordenar dias de oração e penitência... É verdade. Bom, o que falar... É... Isso! Isso expressa tudo: SILÊNCIO! Os nossos pastores, em sua maioria, se calam (pelo menos de maneira a ecoar as suas vozes). Ah inclusive quem incentive e ache baboseira tudo que escrevo e as citações dos santos. Eu não falo aqui dos Bispos com críticas como muitos rad-trad fazem, mas humildemente, meus queridos pais na fé, vós, pela missão que Deus vos confiou, não podem se calar. Não podem simplesmente ser dos que não incentivam ir ao carnaval... Ora, muitos ateus também fazem o mesmo. Que recompensa merecemos? É preciso, como diz São Paulo, não ter cumplicidade com as obras infrutíferas das trevas, mas, pelo contrário, condená-las abertamente (cf. Efésios 5,11). É preciso, como diz Jesus, incentivar a oração e a penitência durante este tempo. Claro, durante todo ano precisamos rezar e fazer penitência. Sei que talvez Bispo algum leia isso, talvez um ou outro padre. Mas, queridos pais na fé, Padres e Bispos, alertem os fiéis sobre os lobos. Não sejamos nós lobos. Pois se poupamos o lobo, deixando que este venha e devore as ovelhas a nós confiados, somos demônios piores que estes. Sou leigo, e como leigo também devo reza, reparar, denunciar o pecado... Mas a força da minha voz é muito menor do que o poder do Espírito Santo quando um Bispo ou um padre abre a boca pra falar a vontade de Deus.

Falo tudo isso porque ao ler essas palavras dos escritos de Irmã Lúcia, meu coração se entristece, pois vemos, como diria a Beata Elena Guerra, o espírito de satanás triunfar na pervertida sociedade. E como diria o Papa Leão XIII “a audácia dos maus se alimenta da covardia e da omissão dos bons”. E também a a própria Irmã Lúcia falando de sua experiência íntima com o Senhor, falava: “Desgosta-se, às vezes, não só pelos grandes pecados, mas também pela nossa frouxidão e negligência em atender aos Seus pedidos. […] São muitos os crimes, mas, sobretudo, é muito maior agora a negligência das almas de quem Ele esperava ardor no seu serviço”. (Irmã Lúcia)

À Santa Maria Cecília, +1929, Jesus disse: “O mundo ofende-me (no carnaval). Os religiosos esquecem-me... sua piedade é superficial... seu amor, sem profundeza. Sou tão sensível a um amor desinteressado!” “Procuro amor . Sou tratado como um ser ausente ... Deixa-me dar-te todo o meu amor. Tenho necessidade de dar-me todo inteiro ”

Não sejamos negligentes, tíbios, frouxos. Mas pelo poder do Espírito Santo profetizemos ao mundo a vontade de Deus! Sede santos, humanidade pervertida, converta-se e seja santos! Essa é a vontade de Deus! “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo!” (Lev. 19,2)

Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, então, os membros de Cristo e os farei membros de uma prostituta? De modo algum! Ou não sabeis que o que se ajunta a uma prostituta se torna um só corpo com ela? Está escrito: Os dois serão uma só carne (Gn 2,24). Pelo contrário, quem se une ao Senhor torna-se com ele um só espírito. Fugi da fornicação. Qualquer outro pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o impuro peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis? Porque fostes comprados por um grande preço. Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo.” (1Corintios 6,15-20)

E a Palavra para este tempo de Carnaval, caros irmãos em Cristo, é exatamente esta: “SE VIVEMOS PELO ESPÍRITO, ANDEMOS TAMBÉM DE ACORDO COM O ESPÍRITO.” ( GÁLATAS 5,25)

E que nesses dias passemos diante do Santíssimo Sacramento. Que possamos rezar o nosso Rosário e, unido ao Imaculado Coração de Maria, possamos desagravar a Nosso Senhor. Por isso, façamos procissões, vamos aos eventos católicos (Rebanhão, por exemplo) com imagens, camisa de Nossa Senhora, estejamos com nosso Terço na mão rezando, para que almas se salvem. Que o bom Deus nos preserve em Sua graça, e que a Misericórdia de Cristo alcance a todos.


Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe! Viva Cristo Rei!



Um comentário:

  1. Oi, querido, a paz do Senhor Jesus!
    Como o seu blog é um dos meus favoritos, te marquei no meu Blogroll!
    Abraços ♥

    http://centelhasdeamor.blogspot.com.br/p/blogroll.html

    ResponderExcluir