sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Jesus era Comunista?




Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!

Sempre acontece de aparecer alguns estudantes aspirantes a novos intérpretes reais de Karl Marx afirmando que Jesus era Comunista. Na realidade, quase tudo aquilo que tem como princípio uma espécie de revolução, ao ver que são contrários ao espírito evangélico, começam então a atacar a imagem de Cristo, acusando-o daquela prática. Muitos metaleiros saem gritando por aí que “Jesus foi o primeiro metaleiro”... De onde essas pessoas tiraram essa estupidez eu não sei, mas usam isso para inibir a forte oposição que a religião tem contra o Rock; afinal o Rock tem como forte característica ser um veículo antirregião. Da mesma forma o Comunismo, ao passo que vai se tornando cada vez mais uma doutrina anticlerical sem a menor sombra de chances de unidade com o Evangelho, passam então a atacar a figura de Cristo e da Igreja. Apesar de que tenha muito comunista infiltrado dentro da Igreja, não obstante as claras condenações que o magistério da Igreja fez ao Socialismo/Comunismo. E o que fazer então – devem pensar os comunistas – para vencer essa barreira? Então é daí que surgem as falácias de que o Evangelho é socialista.

No mais responder a essa pergunta (se Jesus era Comunista) é a té desnecessária; até porque basta olhar o Evangelho em sua totalidade e verão que a doutrina de Cristo é totalmente diversa da doutrina comunista. E também não é uma grande corrente, grandes autores comunistas (se é que se pode usar “grande” pra comunistas verdadeiros) que afirmam isso sobre Jesus; os que falam essas asneiras são jovens revoltados com alto nível de desonestidade intelectual, que encontraram na Igreja Católica e na figura de Cristo um alvo eficaz para dizer para o mundo todo ouvir: somos ignorantes! Na realidade, mesmo que digam ter frequentado templos cristãos, na realidade não têm o menor conhecimento religioso; e após conhecer os figurões professores de história, sociologia e filosofia cuja fonte são o MEC (nenhuma outra fonte, só o MEC ou algum outro cego para guiá-los), fizeram a grande descoberta da sua “vocação” revolucionária fundamentada em mentiras infantis que sabe-se lá o porque ensinam e, pior ainda, se acredita tão facilmente.

Somado a tudo isso, sabemos que infelizmente parece que vivemos uma geração que tem preguiça do conhecimento. E, infelizmente, muitos católicos sem maldade alguma, poré com alguma deficiência no conhecimento da doutrina da Igreja sobre o Socialismo/Comunismo (e mesmo nas coisas referidas no Evangelho) acabam por acreditar nessa lorota esquerdista que nossas escolas e universidades estão cheias. Então lá se vai por ignorância mais um jovem lutar por um paraíso na terra, sendo que a única coisa que o Comunismo consegue trazer é o inferno...

Os Comunistas são muito espertos (os cabeças). Distorcem tudo para ganhar terreno. É assim que muitos católicos caem em suas conversinhas. A Igreja Católica prega a caridade, mas aí chega o Comunista infiltrado e transforma a caridade que envolve tanta coisa, e a reduz para um assistencialismo ou filantropia, fazendo com que a Igreja se torne aquilo que o Papa Francisco condenou: uma ONG piedosa. E muitos dentro da Igreja acabam aderindo a Teologia da Libertação – que já foi condenada pela Igreja - que mistura o Evangelho com a doutrina marxista, justamente pelo fato de que acham que tudo etá no Evangelho. Ajudar os pobres é um ato de caridade, mas transformar os pobres em marcha de manobra, usá-los para a luta de classes retirando a paz, para fazer um regime socialista, é um pecado tremendo. Uma grande exemplo do que a Igreja prega sobre a caridade do que fazem os falsos profetas aqui no Brasil, é você comparar a B. Teresa de Calcutá com os hereges da libertação. B. Teresa de Calcutá amava os pobres, vivia com eles, ajudava-os a viver e a morrer com dignidade. Mas ela nã era da Teologia da Libertação. Se ela fosse da Teologia da Libertação ela não teria fundado as Irmãs da Caridade, mas sim fundado um sindicado, ou melhor, um partido político na Índia... E na luta de classes estaria lá, a profetiza do povo de Deus. Não é isso que acontece? Não foi isso o que aconteceu com a candidata a Presidência da República Marina Silva, que afirmou que na sua juventude ia ser freira no RJ, mas que conhecendo o irmão de Leonardo Boff descobriu o “evangelho vivo” (Teologia da Libertação = Comunismo) e então desistiu da vida religiosa, e deu no que deu... Mas, será mesmo que Marina Silva tem razão em afirmar que uma doutrina que mistura Evangelho com Marxismo é o “evangelho” vivo? Agora sim, adentremos a fundo no título deste post.

Vou começar logo com uma passagem que aniquila de vez essa historinha de Jesus ser Comunista. Vai nos narrar as Sagradas Escrituras: “Pilatos entrou no pretório, chamou Jesus e perguntou-lhe: 'És tu o rei dos judeus?'. Jesus respondeu: 'Dizes isso por ti mesmo, ou foram outros que to disseram de mim?' Disse Pilatos: 'Acaso sou eu judeu? A tua nação e os sumos sacerdotes entregaram-te a mim. Que fizeste?'. Respondeu Jesus: 'O meu Reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus súditos certamente teriam pelejado para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu Reino não é deste mundo'” (João 18,33-36). Podemos ver claramente na parte destacada que Jesus afirma que o Seu Reino não é deste mundo. O Comunismo prega um “paraíso” na terra, um governo do povo, onde todos são iguais (e são iguais mesmo, todos vivendo na miséria como em Cuba, por exemplo). A propaganda é bela; e se pra dar crédito a propaganda couber usar a figura de Jesus, ótimo. Só que o que Jesus disse é totalmente contrário a isso. O Reino d'Ele não é nesse mundo. Ele é o Verbo que se fez carne, Ele é Deus (cf. João 1,1), que morreu na Cruz para nos salvar e ressuscitou ao terceiro dia. Jesus subiu aos Céus, porém, irá voltar em glória. Não sabemos nem o dia e nem a hora, mas Ele voltará para julgar as nações e então teremos NOVOS CÉUS E NOVA TERRA. Ora, enquanto Cristo não voltar, não existe paraíso na terra. Se há quem pregue isso é um mentiroso, um famoso picareta falso profeta (como foi Marx e seus seguidores).

Mas continuemos. Jesus disse que se o Reino dEle fosse desse mundo, Seus súditos teriam-O defendido. Mas Ele se entrega totalmente consciente de que o Reino que Ele vem instaurar (que concretizará na sua Parusia) é espiritual, e não político. Cristo é Rei porque é o Senhor de todas as coisas, e não porque é um chefe de Estado. Ele é o próprio Criador das coisas. Jesus sendo Deus vai querer uma glória humana que logo acaba? Deixem de ser desonestos intelectuais ou trouxas mesmo.

A Sagrada Escritura também narra que quiseram colocar Jesus à prova, e então lhe perguntaram se era lícito pagar o imposto a César. O que Jesus responde mesmo? Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Mateus 22,21). Se Jesus fosse comunista, como afirmam os jovens falaciosos, Jesus teria dito “eu sou o Filho de Deus, não posso falar porque o Estado é laico” (se bem que o Império Romano não era bem “laico”, eles cultuavam vários deuses pagãos – mas você entendeu o que quis dizer). E essa resposta de Jesus – que devemos dar a César (ao Estado) o que é de César, e a Deus o que é de Deus – é muito sensata. Sabemos que o Comunismo prega justamente o contrário: dê ao Estado até a última gota de sangue, e a Deus... bom Deus – segundo eles – não existe e o Estado é laico. Então começa-se a perseguição aberta ao cristianismo. Eles usam da religião para chegar ao poder (como o PT usou a Igreja Católica no Brasil – no caso a Teologia da Libertação) e depois pisam em cima da mesma. Já Marx dizia que “a religião é o ópio do povo”. E dizia isso porque na cultura judaico-cristã as pessoas não queriam um paraíso na terra, mas sim a Pátria eterna que é o Céu. Após serem induzidos a lutar contra os patrões, viu-se que as pessoas em suma não caiam muito nessa historinha, porque viviam em sofrimentos, porém, na espiritualidade cristã o sofrimento é algo que nos une a Cristo. Aliás, se queremos a glória do Céu devemos aceitar a cruz nesta vida. E por isso Marx revoltado diz isso sobre a religião, e vê que deve destruir a religião – em especial a Católica – para conseguir colocar seus planos em prática. O plano não daria em nada, mas parece que o diabo levantou alguns admiradores de Marx, e estamos vendo no que está dando.

Em um Estado Comunista ser cristão é crime. Por mais que neguem. Foi assim (e é) em todos os lugares que os malucos seguidores de Marx chegaram ao poder. Eles distorcem o entendimento de “Estado Laico” e transformam aquela sociedade em um país anticlerical. Foi assim na Espanha, por exemplo, durante a revolução espanhola (guerra civil) em que o Governo Comunista “botou pra moer” com os cristãos católicos. A ordem era matar todos os que se apresentassem de batina. Nos documentos que registram os assassinatos encontramos absurdos de pessoas mortas por usar medalhas religiosas ou, pasmem, uma mãe que foi morta por cometer o “crime” de ser mãe de dois Jesuítas. Por isso, meus queridos irmãos, devemos dar ao Estado o que compete a ele, mas não devemos deixar de dar a Deus o que é d'Ele. Que nós possamos dar a vida como deram as milhares de testemunhas na Espanha durante a revolução comunista, mas não neguemos a Deus e a nossa religião Católica. E para verem que Jesus não era Comunista, Seus seguidores viviam aquilo que o Apóstolo Pedro, primeiro Papa da Igreja Católica, vai dizer inspirado pelo Espírito Santo “Importa obedecer antes a Deus do que aos homens” (Atos 5,29).

Esses jovens e velhos comunas acabam distorcendo várias passagens bíblicas para “endeuzar” a pobreza, usando esta como marcha de manobra para a revolução social.

Não sei se todos perceberam, mas Jesus Cristo era pobre. Jesus mesmo disse “as raposas têm suas tocas e as aves do céu, seus ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça” (Mateus 8,20). Viram? Jesus não tinha onde repousar a cabeça, mas nem por isso ele fundou um MST. Claro, sabemos que a luta justa para conseguir terra para trabalhar e/ou moradia é uma coisa; mas quem disse que o MST faz isso? Esse movimento Comunista invade a propriedade privada, faz vários inocentes de refém e até chegam a matar as pessoas. Um mal sendo pago com outro? Oi? Por isso acertadamente dizia Paulo VI "Exortamo-vos a não pôr a vossa confiança na violência, nem na revolução; tal atitude é contrária ao espírito cristão e pode também retardar, ao invés de favorecer a elevação social pela qual legitimamente aspirais" (Discurso aos Agricultores da Colômbia em 23 de agosto de 1968); e também "A Igreja não pode aceitar a violência, sobretudo a força das armas - de que se perde o domínio, uma vez desencadeada - e a morte de pessoas sem discriminação, como caminho para a libertação" (Evangelii Nuntiandi, 37).

Os seguidores de Jesus também são chamados a se despojar de todo apego a riqueza. A Igreja nunca disse que ser rico é pecado, mas ser apegado a ela sim, é pecado. E isso nós na passagem de Jesus e o jovem rico. Aquele jovem disse que seguia todos os mandamentos, e pergunta ao Senhor o que devia fazer para ser perfeito. Jesus então manda-o vender todos os seus bens e segui-Lo. O que aconteceu mesmo? O jovem ficou muito triste porque tinha muitos bens (cf. Mateus 19,16-29). Jesus em momento algum disse “dê seus bens para o Estado para repartir em igualdade”. Não! Jesus mandou que ele desse os bens aos pobres, e, com essa atitude, se tornasse pobre também (o contrário da esquerda caviar que prega igualdade, mas deixa todos na penúria, enquanto são donos de mansão e contas bem gordas).

Também é ensinamento de Jesus que devemos buscar “o Reino dos Céus e a sua justiça e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo” (Lucas 12,31). Ou seja, para vencer na vida não dependemos de fazer revoluções, a revolta da classe trabalhadora contra os patrões, montar a ditadura do proletariado, etc. O que Jesus ensina é bem diferente. O que Jesus ensina é: buscai o Reino de Deus e sua justiça, e todo o resto, o necessário pra essa vida, vos será acrescentada. É por isso que Marx e demais comunas veem na Igreja um empecilho para colocar seus planos em prática. Afinal, sempre que alguém fomentasse alguma revolta pró-comunista, as pessoas estariam a dizer “estou buscando o Reino de Deus. O Céu, sim, o Céu, lá é onde seremos verdadeiramente felizes; aqui buscamos viver a virtude”.

Apesar da pobreza ser um mal social, devemos combatê-la à luz da Doutrina Social da Igreja. Sabendo que em tudo tem um desígnio de Deus. De um mal Deus pode tirar um bem. Já vi ricos que são pobres da graça de Deus, orgulhosos, etc. E já vi pobres, moradores de rua até, humildes, que tem zelo e uma fé maior que a minha e a tua que le este artigo. Mas também já vi ricos de dinheiro que são pobres no apego, ou seja, são desapegados dos bens, que vivem a virtude, e buscam fazer a vontade de Deus; e também já vi pobres orgulhosos, mais apegados as coisas da terra do que as minhocas. Por isso Deus Pai revela à Sana Catarina de Senna que quando Cristo disse que é mais difícil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, do que um rico entrar no Reino de Deus (cf. Mateus 19,23), tratava-se também de pessoas que são pobres de bens materiais, mas que, se pudessem, conquistariam o mundo inteiro. E existem várias pessoas que são pobres, mas no coração querem fama, dinheiro, poder, etc. Isso é uma desordem.

E lembremos também que a própria pregação Socialista/Comunista que prega um paraíso terrestre é incompatível com a Palavra de Deus. Já desde o antigo testamento vemos o Senhor falar bem diferente; e Jesus confirma tudo com sua vida. Eis que a Palavra de Deus diz Nunca faltarão pobres na terra, e por isso dou-te esta ordem: abre tua mão ao teu irmão necessitado ou pobre que vive em tua terra” (Deuteronômio 15,11).

Acho que não resta dúvida – se é que existia – em relação a Jesus ser ou não comunista. Se nas Sagradas Escrituras existia alguém comunista (ou da TL), este alguém era Judas Iscariotes. Leia e entenda:”[...]Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de trair, disse: 'Por que não se vendeu este bálsamo por trezentos denários e não se deu aos pobres?'. Dizia isso não porque ele se interessasse pelos pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, furtava o que nela lançavam. Jesus disse: 'Deixai-a; ela guardou este perfume para o dia da minha sepultura. Pois sempre tereis convosco os pobres, mas quanto a mim nem sempre me tereis'.”(João 12,4-8). Ficou claro? Pobres sempre existirão. Repito: há desígnio de Deus. E, claro, é um mal da humanidade que por ela mesma se destrói. E os Comunistas, assim como Judas, não estão interessados nos pobres, mas no lucro que estes podem lhe dar. Judas fez um discurso pró pobreza visando roubar a bolsa; os comunistas fazem o mesmo discurso visando poder. E temos visto isso acontecer. A maioria dos partidos que disputam hoje a Presidência da República são de esquerda, e muitos de esquerda radical. Mas os pobres, a igualdade, sempre estão nos seus discursos. Mas onde o Comunismo chegou, houve igualdade? Se muitos acusam o Capitalismo de fazerem os ricos cada vez mais ricos, e os pobres cada vez mais pobres (acusam, ao invés de combater os excessos do consumismo, não vendo que se “acabarem” com o capitalismo o país afundará, pois sem livre comércio, livre iniciativa, concorrência das empresas, cadê os empregos e riquesas pro país?); o Comunismo conseguiu de fato igualar: os pobres cada vez mais pobres, e os ricos.. Não tem rico. Aliás, tem os pobres esmagados sob o regime totalitário, e o Estado rico tendo prazer em ver a bagaça toda. Um exemplo é Cuba. Este país da ditadura de Castro, de fato é igual. E é tão igual que o povo se arrisca no perigoso mar até chegar nos EUA, porque a igualdade comunista é uma miséria sem fim. Se está desigual, nem sempre buscar a igualde é a melhor solução.

E o que você me sugere, Anderson?” - deve estar você a me perguntar. Eu nada. Mas Jesus já tem sugerido a milênios:

Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. Porque aquele que quiser salvar a sua vida, irá perdê-la; mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por minha causa, irá recobrá-la. Que servirá o homem ganhar o mundo inteiro, se vem a prejudicar a sua vida? Ou que dará um homem em troca de sua vida?...” (Mateus 16,24-26)

Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e as traças corroem, onde os ladrões furtam e roubam. Ajuntai para vós tesouros no céu, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furtam nem roubam. Porque onde está o teu tesouro, lá também está o teu coração.” (Mateus 6,19-21)

Buscai antes o Reino dos Céus e a sua justiça e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo” (Lucas 12,31)

Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe! Viva Cristo Rei do Universo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário