sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Música "litúrgica" e a doutrinação comunista nas Missas


Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!

Todos nós sabemos da importância de uma boa música litúrgica para adentrarmos no mistério que se é celebrado na Santa Missa. A música litúrgica tem que nos colocar em um verdadeiro espírito de oração; se ela não tem feito isso nas nossas celebrações, ou o ministério está cantando de forma ruim, ou a música não é litúrgica.

Por muito tempo o Canto Gregoriano foi usado de forma ordinária nas Santas Missas. Hoje, apesar da abertura para cantos no vernáculo (língua local), o Canto Gregoriano continua a ser a melhor música a ser cantada nas celebrações, por sua riqueza e espiritualidade, nos coloca de fato num espírito de oração. A Igreja porém, olhando as diversas realizades globais, abre um espaço para outros tipos de músicas. Mas não qualquer música. Ela tem de ser litúrgica. Isso é o que tem faltado em muitas paróquias e comunidades. Apesar de se abrir espaço para músicas sem ser o Canto Gregoriano, a música mais adequada é a que mais se assemelha a este. Em outras palavras: músicas que por seus instrumentos não farão barulhos desordenados que distrairão e tirarão as pessoas do espírito de oração; músicas que contenham letras ricas, que levem a oração, adoração, que introduza a pessoa no mistério celebrado, e não letras que não tem nada a ver com o Evangelho, liturgia, oração...

Vejo o fato de se poder ter cantos além do gregoriano nas Missas uma grande graça. Afinal, num tempo em que o povo se perde por falta de conhecimento (Oséias 4,6), as pessoas poderão conhecer um pouco mais da vida dos santos por cantos das quais as letras são tiradas dos poemas destes. Olha a riqueza de por exemplo numa música de Comunhão ou pós-Comunhão cantar “Tarde te amei”, um poema de Santo Agostinho (principalmente se o Evangelho no dia falar de algo do tipo). Enfim, temos várias músicas católicas da qual as letras são tiradas de textos e/ou poemas dos santos.

Mas infelizmente em várias lugares não é isso que acontece. Muitas pessoas tem usado a abertura da Igreja para tais músicas, para instrumentalizar as pessoas para outros fins. Se já não bastasse colocar músicas barulhentas e fazer com que as pessoas não dialoguem mais com Jesus que acabaram de comungar, fazem com que a pessoa, por meio da música, acabe ouvindo uma “nova pregação”, ouvindo uma nova mensagem que difere do Evangelho e dos ensinamentos da Igreja. Talvez tenha alguns padres e leigos responsáveis pela liturgia em suas paróquias, que escolham músicas do tipo na inocência. Porém quem infiltrou e/ou deixou que se infiltrasse e se espalhasse tais músicas não era ignorante.
Para ser mais claro, falo aqui exatamente de músicas - nada litúrgicas – normalmente cantada por pessoas e/ou paróquias ligadas à “Teologia da Libertação”. Essa “Teologia” que na realizade é uma “Ideologia”, ensina valores contrários ao Evangelho. Seu ensinamento é de viez marxista, e na realidade prega a libertação do homem, mas não do pecado, mas da pobreza. Quer com isso então, usando da Igreja, infiltrada nela, instigar o povo a uma verdadeira revolução social. Sim, uma revolução socialista, colocando o povo numa luta de classes. Vale lembrar que a Igreja condena este pensamento marxista. Essas pessoas estão em desobediência, uma vez que a Igreja condena o Socialismo/Comunismo (inclusive aplicando excomunhão automática para quem se declamar verdadeiro socialista/comunista), assim como também condena a chamada “Teologia da Libertação” (TL para os íntimos, ou heresia da libertação mesmo!).

Muitas pessoas acham que a TL morreu. Doutrinariamente pode até ter morrido. Mas ainda vemos em muitos lugares os seus erros. Muitos ficam surpresos quando sabem que em paróquia x ou y tem Cebs (Comunidades Eclesiais de Base). E normalmente pessoas ligadas a estas comunidades cantam músicas totalmente anti-litúrgicas com viez socialista. Mas não só pessoas e paróquias com alguma ligação com a TL, mesmos Paróquias e pessoas totalmente comprometidas com a Igreja, acabam se deixando distrair e cantando tais músicas. Entendo que alguns sacerdotes que hoje exercem seus ministérios presbiterais estudaram a 10, 20 ou 30 anos atrás em Seminários que se você respirasse fundo, ao espirrar saia Karl Marx. Como disse uma vez Dom Henrique Soares no programa do Prof. Felipe Aquilo, em seu tempo de seminário todo ano tinha lançamento de livro do Leonardo Boff (um dos principais nomes da TL no Brasil e que foi combatido e punido pelo Papa Bento XVI, então Cardeal Ratzinguer). Com isso muitos sacerdotes que são bons sacerdotes, amam e obedecem a Igreja, acabam sendo coniventes com tais músicas porque não veem maldade alguma, afinal eles estudaram no seminário assim. E assim, o povo vai perdendo a fé na presença real de Jesus na Eucaristia porque ao invés de se cantar músicas de adoração, canta-se músicas de sindicatos, movimento de sem terra, e afins. Tudo instigando o povo à luta de classes.

Ainda existem vários lugares que se canta este tipo de músicas. Apesar de infestarem toda a Missa, normalmente vemos a ideologia “socialista/comunista” dessas letras no momento do Ofertório e da Comunhão. Postarei algumas letras abaixo para que você mesmo, caro leitor, possa tirar suas conclusões.

No Ofertório, por exemplo, que é um momento que ofertamos também o nosso material, mas principalmente nossa labuta do dia a dia, nossas penitencias, orações, ofertamos nossa vida. Onde entregamos nossas angústias, onde clamamos a misericórdia de Deus ofertando a nós mesmos, nossos dons, enfim... Neste momento em várias paróquias canta-se esta música:

(As mesmas mãos – Zé Vicente)
As mesmas mãos que plantaram a semente
aqui estão.
O mesmo pão que a mulher preparou
aqui está.
O vinho novo que a uva sangrou jorrará
no nosso altar.

A liberdade haverá, a igualdade haverá;
e nessa festa, onde a gente é irmão,
o Deus da vida se faz comunhão

Na flor do altar o sonho da paz mundial. A luz
acesa é a fé que palpita hoje em nós. Do livro
aberto o amor se derrama total no nosso altar.

Bendito sejam os frutos da terra de Deus.
Bendito sejam o trabalho e a nossa união.
Bendito seja Jesus, que conosco estará além do altar.
Veja que além de ferir a liturgia, vemos no ponto destacado um ensinamento socialista. “Liberdade, Fraternidade, Igualdade” são ensinamentos da Revolução Francesa. Ora, essa liberdade e essa igualdade que se fala neste canto, não tem nada a ver com a liberdade de ser filho de Deus pela Cruz de Cristo e nem com a igualdade no reino dos Céus; é sim os ensinamentos socialistas que prega um paraíso terrestre. Ora, Cristo e a Igreja nunca pregaram um paraíso na Terra. Nós cremos num novo Céu e uma nova terra. Não podemos evitar todos os males. E aqui na hora do ofertório se induz o povo a buscar essa “igualdade” e essa “liberdade” que na realidade é a luta de classes que vimos essas pessoas que se dizem católicas apoiarem, dentre outros criminosos, o PT e o MST.


(Trabalhar o pão – Pe Zezinho)
Trabalhar o pão,
Celebrar o pão,
Oferecer e consagrar e comungar o pão

Fruto do suor e do trabalho,
Sacrifício que Jesus pediu,
Pão da liberdade e da justiça,
Pão da vida, pão do céu:
Te ofertamos porque tudo é teu.

Fruto da esperança e da partilha,
Santa missa que nos faz irmãos,
Pão da liberdade e da justiça,
Pão da vida, pão do céu:
Pão bendito de libertação!

Jesus Sacramentado, como Deus, cura e liberta muitas pessoas. Tenho visto isso. Mas como já explicado, pra essa gente a libertação não é a libertação do mal e do pecado. Ser pobre é que é o mal. Aí lembro que Jesus disse ao jovem rico para vender os bens e dar aos pobres, e ele mesmo se tornar pobre. Aí lembro de São Francisco de Assis que era rico, filho de comerciantes, e renunciou a tudo (as festas, ao luxo, ao pecado) para se casar com a “Dama Pobreza” e viver totalmente abandonado nas mãos de Deus. Claro que uma coisa é lutar contras as injustiças; fazendo o que for possível, naquilo que me cabe, para servir ao pobre. Mas não posso usar o pobre para a implantação de uma ideogia que é condenada pela Igreja. Beata Teresa de Calcutá amava os pobres, ajudou a muitos; mas ela não era comunista. Entendam isso. E nem cantava músicas incitando essa “revolta”.

Para usar a Igreja, e em especial a Santa Missa (afinal é a Missa onde os católicos praticantes se reúnem em grande assembléia) para espalhar essa ideologia esquerdista, nem o Glória escapa. O Glória que é o canto da Igreja pra glorificar a Santíssima Trindade é totalmente deturpado. Em várias comunidades não se sabe se está cantando para Deus ou para algum político de esquerda ou para Marx. Primeiro vou postar a letra original do Canto do Glória (como deveria ser cantado).

Canto do Glória Original (deveria ser cantado assim).
Glória a Deus nas Alturas
e Paz na Terra aos homens por Ele amados.
Senhor Deus, Rei dos Céus, Deus Pai, Todo-poderoso,
nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos,
nós Vos adoramos,nós Vos glorificamos
nós vos damos graças por Vossa imensa glória.
Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito,
Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai,
Vós que tirais o pecado do mundo,
tende piedade de nós.
Vós que tirais o pecado do mundo,
acolhei a nossa súplica
Vós que estais à direita do Pai,
tende piedade de nós.
Só Vós sois o Santo. Só Vós o Senhor.
Só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo,
com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém!

Antes de postar o “glória” com teor político, eis o que a Instrução Geral do Missal Romano fala sobre o Glória: “O Glória é um hino antiqüíssimo e venerável, pelo qual a Igreja, congregada no Espírito Santo, glorifica e suplica a Deus e ao Cordeiro. O texto desse hino não pode ser substituído por outro. Entoado pelo sacerdote ou, se for o caso, pelo cantor ou grupo de cantores, é cantado por toda a assembléia, ou pelo povo que o alterna com o grupo de cantores ou pelo próprio grupo de cantores. Se não for cantado, deve ser recitado por todos juntos ou por dois coros dialogando entre si.

É cantado ou recitado aos domingos, exceto no tempo do Advento e da Quaresma, nas solenidades e festas e, ainda em celebrações especiais mais solenes”.
Este hino não tem vinculação alguma com o ato penitencial. Eles constituem dois cantos rituais distintos. Por isso, não é correto fazer o seguinte comentário para o Glória: “Agora que já fomos perdoados, vamos nos alegrar e expressar a nossa gratidão a Deus pelo perdão recebido cantando o glória”.

Depois de ver como é o Glória, veja como é cantado em alguns lugares:

(Glória a Deus nas alturas – Pe Zezinho)
Glória a Deus nas alturas
é o canto das criaturas.
Rios e matas se alegrem,
teus povos por Ti esperam.
Paz para o povo sofrido,
é o grito dos oprimidos.
A terra mal repartida clama por Tua justiça.

Glória, glória, glória te damos Senhor.
Glória, glória, venha teu reino de amor!

Glória a Jesus, nosso guia,/ Filho da virgem
Maria./ Veio por meio dos pobres,/ pra
carregar nossas dores./ Filho do altíssimo
Deus,/ por nós na cruz padeceu./ Venceu a
morte e a dor, para nos dar força e vigor.

Glória ao Espírito Santo/ que nos consola
no pranto./ Que orienta a igreja/ pra que
do pobre ela seja./ Que deu coragem a Pedro
/ e aos outros seus companheiros,/ que hoje
junta esse povo a buscar um mundo novo.

Precisa explicação? Em plena Santa Missa vemos este ensinamento Socialista. Apesar de achar que não precisa explicar, direi alguma coisa. Hoje a esquerda tem usado muito a questão da natureza. O que for motivo para a “revolucion” eles vão pegar. E já há algumas décadas vemos isso sendo citado nesta música “rios e matas se alegram”. Depois é colocado de maneira mais clara a luta de classes. Fala pro povo que é mais pobre: vocês são oprimidos, o grito de vocês clama justiça. Só que normalmente não se coloca o povo pra crescer com as próprias pernas, ou seja, trabalhando. A TL em suma, como já dito, apoiou e se brincar apóia ainda o PT (os mais antigos contam que as primeiras reuniões do Partido dos Trabalhadores era feita dentro das sacristias das Igrejas) e o Movimento dos Sem Terra. Um monte de gente que não produz nada querendo acabar com a propriedade privada. E antes que digam coisas do tipo, eu conheço quem já foi pra acampamento do MST e não tem fazenda, mas tem várias casas e/ou lotes na área urbana. Essa música é mais um exemplo de doutrinação usando da Igreja. É bom alertarmos para que não se confunda, normalmente não se preocupa com o pobre, a não ser que o pobre esteja com outros pobres com foices na mão dispostas a invadir uma propriedade privada e matar uns “burgueses” e policiais. Ou a não ser que sejam vários pobres dispostos a trabalharem para a revolução. E por isso vemos muitas pessoas de bom coração, mas que no entanto acabaram por se contaminar com essa ideologia, e acabam militando no campo da esquerda sem nem saber o que estão fazendo. E pior é quem sabe o que está fazendo e continua porque pensa nos seus próprios interesses.

Chega-se então na Comunhão. Momento em que comemos verdadeiramente a carne de Jesus e bebemos o Seu preciosíssimo Sangue. Vamos fazer uma ação de graças? Adorar de todo coração e de toda alma Jesus Cristo que está dentro de nós sacramentalmente pela Comunhão? Não. Para muitos é hora de mais “revolucion”:

Fazemos comunhão Construindo a unidade. É nossa vocação Servir a comunidade, Com Cristo nosso irmão No sertão ou na cidade.

(Fazemos Comunhão)
Falta gente pra colheita, Há ovelhas sem pastor.
Onde estão os operários do roçado do Senhor?
Quem visita os doentes? Quem constrói o mundo novo?
Quem proclama a salvação? Quem reúne o nosso povo?
Onde eu moro tem ministros, Vocações especiais:
Bispos, freiras, padres, leigos: Todos servem como iguais.


Quem anima o sindicato? Quem vê a necessidade?
Quem trabalha com os pobres? Quem constrói comunidade?
Sou roceiro, estudante, Catequista e artesão,
Operário, agricultor, Temos nossa vocação.
Somos pobres, pouca gente, Uma Igreja em mutirão;
Mas, unidos num só povo, Toda vida é vocação.

Oi? O erro se dá porque primeiro se esquece de adorar Jesus e começa a falar isso ai. E na parte que fala “Onde moro tem ministros, vocações especiais: Bispos, freiras, padres, leigos: todos servem como iguais” é para destruir a hierarquia da Igreja. O pessoal da TL quer assim criar a mentalidade que eu que sou leigo tenho o mesmo valor de um padre. Um padre é muito maior. E os padres devem obedecer aos Bispos, caso estes estejam unidos ao Papa. Aqui eles querem rotular os padres de “burgueses” ou qualquer outra coisa como “atrasado”, “medieval”, para enfraquecer a fidelidade à Tradição da Igreja. Assim quer dizer que na Igreja o Papa e eu somos no mesmo nível. Para entender melhor, é tipo aquela babozeira do excomungado “Padre” Beto que queria uma “igreja horizontal”. Mas a Igreja é uma hierarquia. Jesus Cristo é a cabeça da Igreja. E representando Cristo está o Papa; abaixo do Papa os Bispos; abaixo destes os clérigos. Fora que a música – repito: sem nada de verdadeira adoração a Nosso Senhor - ainda exalta os sindicatos. Colocam como se os sindicatos fossem algo essencial. Podem até ser úteis, mas na realidade são usados como marcha de manobra para o socialismo. Eles não incitam o direito à greve. Como bem dizia o Dr Eneás Carneiro: querem viver disso. Vivem de greve. E a gente lembra deles, e não de Jesus...

E assim vai-se toda a Missa impregnada de doutrina comunista. Acredite, em vários lugares canta-se músicas do tipo. Paro por aqui, mas com certeza você sabe que canta-se músicas piores que esta, em quase toda a Missa. Sem contar as homilias destruindo toda mística do Evangelho, fazendo uma interpretação herética e colocando o povo no erro. Em muitos lugares não se prega contra o pecado. Para muitos inferno não existe. E pecado? Pecado só os sociais. Para muitos a Missa não é o Santo Sacrifício da Missa, mas sim apenas uma partilha do pão, dos bens, na realidade uma reunião da “comunidade”, no caso, do “movimento social”. Mas aí eu pergunto: acreditar nestes ou nos documentos da Igreja? Até porque tem muitas pessoas ligadas a este tipo de gente que promove aborto, relação homossexual, camisinha, sexo antes do casamento, e por aí vai...

Mas para você entender o porquê essas músicas anti-litúrgicas estão nas nossas liturgias e como elas funcionam para a implantação do socialismo, assista as 6 aulas do Padre Paulo Ricardo sobre Marxismo Cultural e Revolução Cultural:


Bom, se você canta e/ou toca na Missa, ajude pelo menos não propagando esta doutrina marxista na Missa. Existem várias outras músicas sem ser o Canto Gregoriano que são perfeitos para o Santo Sacrifício da Missa. Músicas que farão de fato Jesus Cristo ser o centro da Missa, nos levando a um espírito de oração, nos levando a adorar Jesus Cristo verdadeiro Deus e verdadeiro homem, que comungamos em cada Santa Missa. Aqui posto algumas músicas que nos introduzem muito bem no mistério do Santo Sacrifício da Missa:

Procissão inicial: 


ATO PENITENCIAL:





Glória



OFERTÓRIO







COMUNHÃO

















Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe! Viva Cristo Rei!

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Como guardar o domingo e os demais dias de preceito?


Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!
É de conhecimento de todos que devemos guardar o domingo. É mandamento do Senhor que guardemos o dia dEle. Para o povo do antigo testamento o dia do Senhor era o sábado. Deus nos deu os 6 dias para trabalharmos, e no sétimo, devíamos descansar, assim como Ele descansou no sétimo dia da crianção. Nós católicos guardamos não o sábado, mas o domingo, pelo simples fato de que não estamos mais na antiga aliança, mas na nova e eterna aliança. Assim vai nos ensinar o Catecismo da Igreja Católica: O sábado, que representava o término da primeira criação, é substituído pelo domingo, que lembra a crianção nova, inaugurada com a Ressurreição de Cristo (CIC 2190).
Porém, o grande problema é: como guardar o domingo corretamente? Ainda se guarda? Não, não é coisa de outros tempos. Este é um mandamento que devemos seguir nos dias de hoje. Não guardar o sábado, de forma consciente e deliberada, é ofender a santidade do Senhor e profanar o santo dia do Senhor. Nós é que a cada dia nos distanciamos mais de Deus, e até o seu santo dia profanamos. Não estou a dizer que devemos ser “fanáticos” como membros de outras denominações que se brincar mal caminha no dia de sábado; mas há sim regras para guardar o domingo. Regras no sentido de orientações para melhor adorarmos a Deus no dia consagrado a Ele.

Um dos grandes problemas para se guardar o dia do Senhor é a ganância que a cada dia que passa aumenta mais no coração do homem. Parece que o ser humano nos dias de hoje respira dinheiro. Conheço várias pessoas que “se matam” de trabalhar a semana toda, e no dia que Deus lhe deu para descansar e adorá-Lo, o que a pessoa faz? Trabalha mais pra ganhar mais dinheiro. Afinal – julga ela – as coisas estão cada vez mais difíceis. Mas como não estariam? Você quer ter tranquilidade trocando Deus pelo seu dinheiro? Em quem está sua confiança? Quantas e quantas pessoas trabalham no domingo sem necessidade alguma; querem comprar um carro que tanto sonham... Compra o carro, se endivida, carro quebra... Mas onde está Deus na sua vida? Não tem tempo pra Deus. Trabalha, trabalha, trabalha, mas até o dinheiro a mais muitas vezes não lhe traz gozo, porque acaba se fadigando de tanto trabalhar e até adquire uma doença. Ganhou uma diária a mais, mas tem que comprar remédios 2 ou 3 vezes mais valiosos que a diária. Ora, já diz a palavra de Deus: “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem. Se o Senhor não guardar a cidade, debalde vigiam os sentinelas.”(Salmo 126,1). Muitos dizem que creem em Deus mas não podem esperar as coisas caírem do Céu. De fato, temos que trabalhar, porém, até o trabalho que temos já é providência de Deus. Ele não vai deixar sua família perecer por você guardar o sábado. Gente, isso é sério. Existem pessoas que não vão a Missa ou acham irrelevante ir ou não porque vai fazer hora extra no domingo. Sei que tem gente que é praticamente obrigado a trabalhar no domingo. Mas há pessoas que podem muito bem não trabalhar no domingo e trabalham por pura ganância. Conheço diarista que uma vez disse que não ia participar da Missa da vigília pascal porque ia ter um aniversário do(a) filho(a) de uma das patroas e levaria a sua filha. Ela mesmo disse saber da importância da Missa da Vigília Pascal, mas que não ia... Sempre diz: “minha patroa é muito boa pra mim, me dá as coisas”... Mas aí eu pergunto: é mais boa do que Deus? Quem é melhor do que Deus? Se pensamos assim é porque não entendemos a sequência do Salmo já citado: Inútil levantar-vos antes da aurora, e atrasar até alta noite vosso descanso, para comer o pão de um duro trabalho, pois Deus o dá aos seus amados até durante o sono.”(Salmo 126,2) Do que adianta trabalhar, trabalhar, trabalhar nos domingos e demais dias de preceito se nem descanso tem? Para os fiéis ao Senhor, Ele providencia aos Seus amados até durante o sono. Faça um propósito com Deus: trabalhe todos os dias, mas guarde pra Deus o que Ele pede. Guarde o domingo. E verás que sua vida se ajeitará. Tenha confiança. Faça a experiência.

Nós temos profanado tanto o dia do Senhor, e de maneira especial trabalhando sem necessidade no domingo, que a própria Santíssima Virgem Maria veio nos fazer um apelo para guardarmos o domingo. Eis o que Nossa Senhora falou no contexto das aparições em La Salette (França): Vinde, meus filhos, não tenhais medo, aqui estou para vos contar uma grande novidade! Se meu povo não quer submeter-se, sou forçada a deixar cair o braço de meu Filho. É tão forte e tão pesado que não o posso mais suster. Há quanto tempo sofro por vós! Dei-vos seis dias para trabalhar, reservei-me o sétimo, e não me querem conceder! É isso que torna tão pesado o braço de meu Filho. E também os carroceiros não sabem jurar sem usar o nome de meu Filho. São essas as duas coisas que tornam tão pesado o braço de meu Filho. Se a colheita se estraga, e só por vossa causa. Eu vo-lo mostrei no ano passado com as batatinhas: e vós nem fizestes caso! Ao contrário, quando encontráveis batatinhas estragadas, juráveis usando o nome de meu Filho. Elas continuarão assim, e neste ano, para o Natal, não haverá mais.[...] Se se converterem, as pedras e rochedos se transformarão em montões de trigo, e as batatinhas serão semeadas nos roçados.” (destaque nosso) Então, é necessário falar algo sobre isso? Acho que a Santíssima Virgem Maria já falou de maneira muito clara.

Aqui vale ressaltar que falo dos casos que as pessoas podem muito bem não trabalhar no domingo. É diferente de pessoas que se veem obrigadas a trabalhar em certas empresas que exploram a pessoa, obrigando-o a trabalhar sábado, domingo e feriados. A Igreja entende isso, e dá a graça da pessoa poder assistir o Santo Sacrifício da Missa no dia anterior (sábado a noite) e cumprir o preceito dominical. Mas isso é pra quem de fato não pode ir no domingo; seja por questão de bebês, trabalho, enfim, um motivo justo. O problema é que até estes atos de Misericórdia o ser humano consegue profanar. Não poder ir no domingo e ir no sábado é uma coisa; outra coisa, e bem diferente, é a pessoa ir no sábado porque quer tirar o domingo livre pra ir pro clube mostrar o corpo (cuidado com o pecado, jovem!), fazer churrasco regado a muita bebida alcoólica e muita indecência. Não achem que exagero... Conheci uma professora de cursinho que dizia abertamente, que quando o Flamengo jogava no domingo ela já ia pra Missa no sábado que era pro dia ficar livre pro jogo. Ora, o domingo é o dia do Senhor ou o dia do futebol? Quem morreu na Cruz por nós foi Jesus ou algum jogador de futebol? Você pode até ir pra Missa no sábado, mas se não for pra Missa no domingo porque vai assistir um time de futebol, você está cometendo um pecado de idolatria porque está trocando Deus por uma criatura. Não usemos essa graça que a Igreja nos concede para alimentar nossa preguiça e demais pecados.

Também quero citar o caso de quem trabalha no domingo, porém pode ir à Missa tranquilamente. Basta querer. Mas não vai porque prefere ficar dormindo. Não posso julgar intenção de ninguém. Mas precisamos fazer um esforço maior, renunciar uma ou uma hora e meia de sono pra cultuarmos a Deus. Tem muita gente que pega escala de trabalho que é impossível ir na Missa no domingo. Porém, tem pessoas que pegam escalas que dá sim para mesclar. Tem gente que entra no serviço só no período da tarde no domingo, porém, não tem coragem de acordar as 7h para ir à Missa das 8h; ou acordar as 9 pra ir à uma Missa as 10h. Prefere dormir até a hora do dilema: tomar café ou almoçar? Será que de fato o trabalho atrapalha de reservar um momento do dia do Senhor para o verdadeiro culto a Deus que é a Missa? Ou somos nós que deliberadamente profanamos? Tem também pessoas que entram no serviço de manhã, mas saem em horário comercial, umas 18:00 sai do serviço. Existem quem as três da tarde já sai. Aí pergunto: não dá pra ir à uma Missa as 19:00? Mas não dá tempo, tenho que pegar onibus, até chegar na minha cidade... - diz alguém, porém, próximo ao seu trabalho não existe nenhuma Paróquia ou Capela com Missa? Muitos dirão que tem, mas que aí chegaria mais tarde em casa... Sei, sei, entendo...

No mais creio que agora fique a dúvida: como guardar o domingo corretamente? Bom, no Catecismo Maior de São Pio X, por meio de perguntas e respostas, ele nos ilumina. Eis o que nos ensina:
Que pecado se comete trabalhando em dia santo?
Trabalhando em dia santo, comete-se pecado mortal; não obstante, não há culpa grave se o trabalho dura pouco tempo.
Não há nenhum trabalho servil que seja permitido nos dias santos?
Nos dias santos são permitidos aqueles trabalhos que são necessários à vida, ou ao serviço de Deus, e os que se fazem por uma causa grave, pedindo licença, se possível, ao próprio pároco.

Por que nos dias santos são proibidos os trabalhos servis?
São proibidos nos dias santos os trabalhos servis a fim de que possamos melhor dedicar-nos ao culto divino e à salvação da nossa alma, e para repousar das nossas fadigas. Por isso não é proibido entregar-se a divertimentos honestos

Que mais devemos evitar de modo especial nos dias santos?
Nos dias santos devemos evitar principalmente o pecado e tudo o que possa induzir-nos a ele, como são os bailes e outras diversões e reuniões perigosas.
(Catecismo Maior de São Pio X)

Portanto, com isso podemos ver que no domingo não devemos apenas ir à Missa e depois nos trancarmos. Neste momento fico a imaginar como é o dia de guarda nessas religiões radicais no sentido do sábado. Ficam o dia todo no sofá? Deitados? E se passar mal? Gente! Enfim, “cada um com o seu cada qual”; mas veja que devemos sim guardar o Domingo. Você tem guardado? Por estes ensinamentos de São Pio X, podemos ver que podemos ter divertimentos HONESTOS. Entenda bem: HONESTOS. Você pode se diverti. Se você cumpre seu preceito dominical você pode até praticar um esporte (sem ser pelado(a) por favor, tenha pudor e modéstia!), jogar algo, assisti um filme. Por isso é até belo como o domingo é um dia da família, um dia em que a família se reúne e faz aquele almoço com a casa cheia. É um dia para isso. Mas sempre com Deus. Mas que esse almoço não seja impedimento para a Missa. Entendem? Domingo não é dia pra balada (se é que tem algum diapara tal, clique aqui e leia mais sobre baladas e afins).

Enfim, meus amados irmãos e irmãs, sejamos fiéis a Deus. Ele nos dá tudo, será que não podemos dar pra Ele o nosso domingo? Nem custa muito, uma hora de Missa. Ah meu irmão, como já diz São Josemaria Escrivá – se não me engano – não é a Missa que é demorada, é o teu amor que é pouco. Se soubesses o que é a Missa, não teria emprego e dinheiro no mundo que te fizesse estar com fidelidade todo domingo diante do altar para ver o que há de mais extraordinário na face da Terra: O Santo Sacrifício da Missa. Um Deus que se aniquila sobre o altar, por mim e por você. Como diz São Francisco de Assis: O homem deveria tremer, o mundo deveria vibrar, o Céu inteiro deveria comover-se profundamente quando o Filho de Deus aparece sobre o altar nas mãos do sacerdote.” Com isso, não percamos mais a Missa por banalidades. Para os que podem, é útil ir à Missa até todos os dias. Afinal, como não dar a nossa vida para Àquele que deu a vida por nós?


Não tenha medo de perder dinheiro pra cumprir o preceito do Senhor. Animo-te com um versículo duro, porém verdade: Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Porque aquele que quiser salvar a sua vida, irá perdê-la; mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por minha causa, irá recobrá-la. Que servirá a um homem ganhar o mundo inteiro, se vem a prejudicar a sua vida?... Ou que dará o homem em troca da sua vida?” (Mateus 16,24-26/Marcos 8-37)



Ps: claro que existem os casos de pessoas que não tem celebrações da Santa Missa próximos. Já conheci senhoras que moram em regiões que tem Missa tipo uma vez por ano (quando tem). Obviamente pela impossibilidade de essas pessoas irem à Missa, estão isentas de pecado. Para melhor entender, assista ao video abaixo: 


sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Quaresma de São Miguel

Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!
Existe uma devoção muito importante na Igreja que precisamos cada vez mais propagá-la. Claro, não só ensinar, mas rezar. Trata-se da Quaresma de São Miguel Arcanjo. Esta Quaresma surgiu com o grande São Francisco de Assis. Foi ele quem primeiro fez esta quaresma, iniciando na festa da Assunção de Nossa Senhora, e terminando no dia do glorioso São Miguel Arcanjo. De fato esta devoção se espalhou.

Assim como na Quaresma “comum”, aqui trata-se de um período que somos chamados a viver mais voltados a oração e a penitência. Por isso recomenda-se vivamente que se faça alguma penitência (um jejum, uma abstinência, por exemplo), assim como na Quaresma que antecipa a Semana Santa, lembrando dos 40 dias de Jesus no deserto. E particularmente indico que se faça essa Quaresma na intenção da conversão de alguém; uma vez que neste mundo em que cada vez está mais paganizado, o grande São Miguel como o anjo que brada “Quem como Deus!” vem em nosso auxílio expulsando os poderes infernais e nos libertando. Se conhece alguém que precisa de uma libertação, aí está uma poderosíssima arma. Enfim, reze se queres apenas agradecer, mas peça a graça de uma boa morte. O Arjo São Miguel é o encarregado de cuidar do Purgatório. Peçamos a ele a graça da salvação eterna, que possamos nos purificar para entrar na glória de Deus, e, tendo que passar pelo Purgatório, que ele nos auxilie para logo saírmos sendo libertados de lá, para ir para a glória da Santíssima Trindade.

Segue as orações da Quaresma de São Miguel. E após, no fim do post, tem alguns videos que lhe podem ser úteis sobre a Quaresma de São Miguel e a devoção a este Arcanjo e aos santos anjos.



Início da Quaresma: 15 de Agosto (Dia da Assunção de Nossa Senhora, que no Brasil é transferido para o domingo seguinte) a 29 de setembro (Festa de São Miguel). Providenciar um altar para São Miguel com uma imagem ou uma estampa.

Todos os dias:
*Acender uma vela (é bom que seja uma vela benta)
*Oferecer uma penitência
*Fazer o sinal da cruz
*Rezar a oração inicial
*Rezar a ladainha de São Miguel


ORAÇÃO INICIAL PARA TODOS OS DIAS

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e vós, príncipe da milícia celeste, pela virtude divina, precipitai no inferno a satanás e aos outros espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas. Amém.

Sacratíssimo Coração de Jesus tende piedade de nós! (3x)

LADAINHA DE SÃO MIGUEL

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Pai Celeste, que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho, Redentor do Mundo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Trindade Santa, que sois um único Deus, tende piedade de nós.

Santa Maria, Rainha dos Anjos, rogai por nós.
São Miguel, rogai por nós.
São Miguel, cheio da graça de Deus, rogai por nós.
São Miguel, perfeito adorador do Verbo Divino, rogai por nós.
São Miguel, coroado de honra e de glória, rogai por nós.
São Miguel, poderosíssimo Príncipe dos exércitos do Senhor, rogai por nós.
São Miguel, porta-estandarte da Santíssima Trindade, rogai por nós.
São Miguel, guardião do Paraíso, rogai por nós.
São Miguel, guia e consolador do povo israelita, rogai por nós.
São Miguel, esplendor e fortaleza da Igreja militante, rogai por nós.
São Miguel, honra e alegria da Igreja triunfante, rogai por nós.
São Miguel, Luz dos Anjos, rogai por nós.
São Miguel, baluarte dos Cristãos, rogai por nós.
São Miguel, força daqueles que combatem pelo estandarte da Cruz, rogai por nós.
São Miguel, luz e confiança das almas no último momento da vida, rogai por nós.
São Miguel, socorro muito certo, rogai por nós.
São Miguel, nosso auxílio em todas as adversidades, rogai por nós.
São Miguel, arauto da sentença eterna, rogai por nós.
São Miguel, consolador das almas que estão no Purgatório, rogai por nós.
São Miguel, a quem o Senhor incumbiu de receber as almas que estão no Purgatório, rogai por nós.
São Miguel, nosso Príncipe, rogai por nós.
São Miguel, nosso Advogado, rogai por nós.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, atendei-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

Rogai por nós, ó glorioso São Miguel, Príncipe da Igreja de Cristo,
para que sejamos dignos de Suas promessas.


Oração: Senhor Jesus, santificai-nos, por uma bênção sempre nova, e concedei-nos, pela intercessão de São Miguel, esta sabedoria que nos ensina a ajuntar riquezas do Céu e a trocar os bens do tempo pelos da eternidade. Vós que viveis e reinais em todos os séculos dos séculos. Amém!

Consagração à São Miguel Arcanjo

Ó Príncipe nobilíssimo dos Anjos, valoroso guerreiro do Altíssimo, zeloso defensor da glória do Senhor, terror dos espíritos rebeldes, amor e delícia de todos os anjos justos, meu diletíssimo Arcanjo São Miguel, desejando eu fazer parte do número dos vossos devotos e servos, a vós hoje me consagro, me dou e me ofereço e ponho-me a mim próprio, a minha família e tudo o que me pertence, debaixo da vossa proteção. É pequena a oferta do meu serviço, sendo como sou um miserável pecador, mas vós engradecereis o afeto do meu coração; recordai-vos que de hoje em diante estou debaixo do vosso sustento e deveis assistir-me em toda a minha vida e obter-me o perdão dos meus muitos e graves pecados, a graça de amar a Deus de todo coração, ao meu querido Salvador Jesus Cristo e a minha Mãe Maria Santíssima, obtende-me aqueles auxílios que me são necessários para obter a coroa da eterna glória. Defendei-me dos inimigos da alma, especialmente na hora da morte. Vende, ó príncipe gloriosíssimo, assistir-me na última luta e com a vossa alma poderosa lançai para longe, precipitando nos abismos do inferno, aquele anjo quebrador de promessas e soberbo que um dia prostrastes no combate no céu.
São Miguel Arcanjo defendei-nos no combate para que não pereçamos no supremo juízo. Amém!




terça-feira, 12 de agosto de 2014

Hamas,”Movimento de Resistência Islâmica”, invade igreja e usa cristãos como escudos humanos, denuncia Arcebispo Alexios.


Postado em 


md-israel-convoca-reservistas
Não é novidade que os terroristas do Hamas usam mesquitas para esconder seus foguetes e as utilizam para lançar ataques contra Israel.
Agora, o líder da pequena comunidade cristã de Gaza denuncia que os guerrilheiros invadiram sua igreja para dispararam foguetes contra Israel. Esperando o contra-ataque, na prática estão querendo usar os cristãos palestinos como escudos humanos.
Arcebispo Alexios, um dos principais líderes dos cristãos de Gaza, conta que sua igreja tem cerca de 1500 membros. Mas com o aumento do número de refugiados, ele atualmente abriga quase duas mil pessoas no templo. São palestinos, na maioria muçulmanos que abandonaram suas casas nos últimos 30 dias, desde que o conflito começou.
Ele conta que membros do Hamas forçaram a entrada e utilizaram o terraço no telhado do templo para disparar foguetes contra Israel. Em seguida, foram embora, antes que a resposta viesse. Felizmente, o revide não chegou e o templo continua em pé. Aponta para um prédio em ruínas, vizinho da igreja, mostrando que era uma grande mesquita, agora reduzida a escombros.
Hamas e outros grupos terroristas palestinos costumam utilizar áreas residenciais e locais “sensíveis”, como mesquitas, hospitais e escolas para lançar seus foguetes. De acordo com as Forças de Defesa de Israel, todo ataque é rastreado e mísseis israelenses guiador por GPS são lançados contra o local de onde partiram os foguetes palestinos.
Aleixo lamenta que exista uma guerra em andamento, mas conta que desde que o Hamas assumiu o controle político da Faixa de Gaza, em 2007, a sharia foi implementada. Ele conta que os cristãos têm sido mais perseguidos desde então.
Questionado pela CBN por que abriu sua igreja para muçulmanos, ele é enfático: “Cristo nos ensinou que devemos amar uns aos outros, isso inclui nossos vizinhos e nossos inimigos… Nós somos discípulos de Jesus e temos de amar a todos incondicionalmente”. Afirma que há muito ódio nas ruas e a resposta cristã deve ser a pregação da paz e do amor. Conta ainda que o fato de o templo servir de abrigo para não cristãos causou grande impacto na cidade de Gaza.
Assista (em inglês):

A dor de Jesus e da Virgem Maria por causa dos maus religiosos e sacerdotes

Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!

Meus irmãos e irmãs, nós sabemos que nem tudo aquilo que reluz é ouro; assim, nem todo aquele que veste um hábito religioso (quando se veste...) de fato vive a verdadeira religião. Sabemos que existe uma grande Crise no Clero e a na vida religiosa de um modo geral. Infelizmente muitos professam os votos evangélicos (pobreza, castidade e obediência) e não vivem estes votos. Mas não vivem porquê? Por que não querem? Bom, apesar de saber que existem religiosos, incluindo padres e até mesmo Bispos, que entraram na vida eclesiástica por motivos diversos, mas não como motivo principal propagar o Evangelho, ou seja, anunciar a pessoa de Jesus Cristo. Existem pessoas que talvez nem acreditem em Deus, mas estão fingindo ser pessoas de religião, tornam-se freiras, freis, padres, Bispos, talvez até cardeais, mas não são nem bons Cristãos verdadeiramente.

Há aqueles que não conseguem viver estes votos pelo fato de que foram introduzidos em uma vida religiosa que afasta da religião. Soa contraditório, estranho, sem sentido, mas é o que acontece. É da sabedoria popular que uma maçã podre no meio das boas estraga estas. Ora, maus religiosos como exemplo, acabam estragando os jovens com bons propósitos; e estes ou saem de vez da vida religiosa (quando não apostatam de vez), ou acabam por se tornar estes religiosos que, as vezes, não são nem bons nem ruins, são tíbios, são maus religiosos. Pessoas apegadas as coisas da terra, as coisas passageiras. Por isso é comum vermos religiosos e até pertencentes ao Clero que se analisarmos bem não tem maldade nenhum, mas propagam coisas contrárias a fé e/ou omitem a verdade. São pessoas “acolhedoras”. Sabem que determinada conduta é pecado, condenada pela Igreja, mas tem medo de falar que ato x ou y seja pecado para a pessoa não se ofender porque teme que a pessoa vá embora e não volte nunca mais. Veja, existem sacerdotes que não tem a intenção de mandar ninguém pro inferno; não obstante foi contaminado de tal maneira que esqueceu que o pecado ofende a Deus, e que deve-se falar a verdade para que a pessoa se converta, confesse, comungue e viva de fato uma amizade com Cristo. Nisso podemos ver com alguns padres que foram doutrinados pelos hereges da “Teologia da Libertação”, que não são hereges como estes, mas acabaram imitando no quesito respeito humano. Há padres que atendem de boa vontade, celebram a Missa sem abuso, mas foram mordidos pela serpente do respeito humano. Ou religiosos que querem ser fiéis a Cristo, vivem a castidade, mas mais faz festa no convento do que oração. E ainda usa da alegria de ser de Cristo para alimentar as festas, as algazarras, as dissipações que ocorrem.

Para falar melhor sobre esta situação, quero citar aqui um trecho do Diário de Santa Faustina, onde ela narra o que Jesus disse sobre os religiosos tíbios:

“No final da Via-sacra que eu estava rezando, Nosso Senhor começou a queixar-se das almas religiosas e sacerdotais, da falta de amor nas almas eleitas: - Permitirei que sejam destruídos conventos e igrejas. Respondi: 'Jesus, mas tantas almas Vos glorificam nos conventos.” O Senhor respondeu: Essa glória fere o Meu Coração, porque o amor foi expulso dos conventos. Almas sem amor e dedicação, almas cheias de egoísmo e amor-próprio, almas orgulhosas e presunçosas, almas cheias de perversidade e hipocrisia, almas tíbias, que têm calor apenas para elas mesmas se manterem vivas. O Meu Coração não pode suportar isso. Todas as graças, que diariamente derramo sobre elas, escorrem por elas como por uma rocha. Não posso suportá-las, escorrem por elas como por uma rocha. Não posso suportá-las, por que não são boas nem más. Instituí os conventos para santificar por elas o mundo, e deles deve brotar uma forte chama de amor e sacrifício. E se não se converterem e não se inflamarem do amor primitivo, Eu os entregarei ao extermínio deste mundo.

Como poderão sentar-se na prometida sede do julgamento do mundo, se as suas culpas são mais graves que as do mundo, se não há penitência nem reparação?... Ó coração que Me recebeste de manhã e que já ao meio-dia respiras ódio contra Mim, sob as mais diversas formas. Ó coração escolhido especialmente por Mim, será que o fostes para me fazeres sofrer mais? - Os grandes pecadores do mundo ferem o Meu Coração como que superficialmente, mas os pecados da alma eleita transpassam o Meu Coração...

Quando quis interceder por elas, nada consegui encontrar para a sua justificação e, não podendo pensar no que quer que fosse para a sua defesa, a dor apertou-me o coração e eu chorava amargamente. Então, o Senhor olhou-me bondosamente e consolou-me com estas palavras: -Não chores, existe ainda um grande número de almas que Me amam muito, mas o Meu Coração deseja ser amado por todos, e, porque o Meu amor é grande, por isso os ameaço e castigo.” (Diário de Santa Faustina 1702 – 1703)

N.Senhora  chorando quando aparece
em La Salette para as duas crianças
Conseguem compreender a dor de Cristo ao falar isso? Veja, não estou citando nomes. Não é esta a minha intenção. Mas veja que já nos dias de Santa Faustina o Senhor já sofria com o relativismo nas casas religiosas. Relativismo este que Nossa Senhora já havia preanunciado em La Salette quando disse: Nos conventos, as flores da Igreja estarão putrefatas, e o demônio se converterá no rei dos corações. Que os que estão à frente das comunidades religiosas vigiem as pessoas que irão receber, porque o demônio usará de toda a sua malícia para introduzir nas ordens religiosas pessoas dadas ao pecado, pois as desordens e o amor aos prazeres da carne estarão espalhados por toda a Terra.[...] Tremei, ó Terra, e vós que fazeis profissão de servir a Jesus Cristo e que, dentro de vós, adorai-vos a vós mesmos. Tremei, porque Deus vos vai entregar ao Seu inimigo, porque os lugares santos estão na corrupção; muitos conventos já não são casas de Deus, mas pastos de Asmodeu e dos seus.” - Infelizmente nós sabemos que isso tem ocorrido em muitos lugares. Quantas vezes ouvimos falar que aqueles que deveriam ser exemplos de desapego das coisas terrenas são os exemplos de apego. E repito: não estou aqui falando mal de A ou de B, estou apenas propagando as palavras de Jesus e da Virgem Maria, e falando num contexto geral. Um padre pecador, bem pecador, beijo a mão dele porque é a mão de Cristo e ele me traz Jesus eucarístico; eu, posso achar que sou muito santo, mas se alguém beijar minha mão, tá beijando a mão do homem, se eu pegar a hóstia e o cálice pra consagrar vai continuar sendo pão e vinho. Mas escrevo tudo isso para: se você que está lendo é religioso ou sacerdote, volte ao primeiro amor, ao amor radical, a dar a vida por Jesus. Seja fiel a Jesus. Consuma sua vida pra Jesus. Veja, Jesus disse aí para Santa Faustina que insituiu os conventos para que através de vocês o mundo seja santificado; hoje nós vemos que através de leigos com as novas comunidades é que se tem suscitado algumas vocações e dado forças para que alguns irmãos religiosos e padres sejam fiéis. Mas vocês tem essa missão. Uma vez eu ouvi dizer que Jesus falou à uma santa – não lembro quem – que se se todos os religiosos do mundo todo fossem fiéis aos seus votos na sua vocação, ninguém iria ao inferno. E óh que tristeza vemos! Meu pai que és sacerdote e/ou religiosa, veja que Cristo fala pra Santa Faustina que que quer ser amado por todos, que o amor dEle é grande. Ele dá a graça de todos serem santos. Não se engane: Jesus não deu a santidade para São João Maria Vianney, mas já para o padre fulano que foi excomungado Deus não deu a graça.. Não! Deus deu a graça e o chamamento a todos. Deus não deu a graça da santidade apenas para São Francisco de Assis, mas deu também para todos os religiosos. Será que não são os religiosos de hoje (e os leigos também) que têm se oposto as inspirações do Senhor e procurado apego nas coisas terrenas?

Quero encerrar apenas lembrando este ponto que Jesus afirmou à Santa Faustina: Não posso suportá-las, por que não são boas nem más. Instituí os conventos para santificar por elas o mundo, e deles deve brotar uma forte chama de amor e sacrifício. E se não se converterem e não se inflamarem do amor primitivo, Eu os entregarei ao extermínio deste mundo. - Eis a solução para a escassez de vocação em muitas dioceses e conventos. Jesus diz que o mal da vida religiosa é a tibieza. Ora, seja quente! Viva a radicalidade. E como viver isso? Jesus diz: voltem ao primeiro amor. As palavras exatas são: se não se converterem e não se inflamarem do amor primitivo... Ora, ora... Voltar ao primeiro amor é não se acomodar achando que porque professou algo, ou porque recebeu os sacramentos pode viver de qualquer jeito. Não se entregue à tibieza. Mas é justamente se converter. A cada dia buscar a perfeição. E bem diz Santa Teresa de Ávila: “Todo o mal vinha de eu não cortar pela raiz as ocasiões e nos confessores que pouco me ajudavam; dizendo-me o perigo em que andava e a obrigação que tinha em não ter aqueles tratos, creio, sem dúvida, que tudo se remediaria; porque de nenhum modo sofreria andar em pecado mortal um só dia, se eu o entendesse.”

E quero que pensemos principalmente no desejo de Nosso Senhor Jesus Cristo de as almas religiosas voltarem ao amor primitivo. O que significa. Para os religiosos, lembre-se do seu fundador. Franciscanos, passem a imitar São Francisco de Assis. Francisco de Assis não era um TL que queria libertar o homem da pobreza; São Francisco era um homem de família rica que renunciou o dinheiro e tornou-se pobre. Ele viveu a radicalidade do Evangelho. Francisco de Assis foi um homem da cruz. Por isso o hábito é em forma de Cruz. Francisco de Assis que era um homem penitente. Maltratava o corpo pra limpar a alma e salvar as almas por Cristo. Ele era um homem que jogava-se nas geleiras para não pecar, e não que se fiava nas ocasiões e até indo a bailes (camufladamente para não saberem que é religioso) para se divertir. Enfim, ele era o que Jesus diz pra Santa Faustina: amor e sacrifício.

Você redentorista precisa olhar pra Santo Afonso Maria de Ligório. Olhem pra este outro homem consumido pela cruz. Um santo que pregou a verdade. Mas que antes de abrir a boca pra pregar, ele vivia o Evangelho. E aqui vale pra todos os religiosos. Muitas casas religiosas foram fundadas por santos. Olhem para o amor deles, o zelo deles. E paremos de dizer que aquela radicalidade, penitência, zelo, palavras era para o tempo deles. Deve ser por isso que nem vocação se tem mais, apela-se de tudo quanto é jeito pra atrair o jovem, mas o jovem é atraído pela radicalidade do Evangelho infudida pelo Espírito Santo. No tempo de São Francisco, São Domingos de Gusmão, as pessoas eram arrebatadas pelo seus testemunhos autênticos. Multidões seguiram estes homens para viver nessas ordens mendicantes. E hoje? Será que não é porque o jovem nem é atraído por nem saber da existência, ou quando vai à um convento encontra tudo, menos o amor enraizado dos pais fundadores? Será que não é por isso? Veja, Jesus disse que deixaria conventos inteiros serem destruídos. E sabemos da quantidade de paróquias profanadas sendo usadas para coisas seculares, conventos largados, casas religiosas sendo fechados por falta de vocação. Este ser destruído é também não atrair jovens pra lá. Hoje vejo algumas casas religiosas crescendo muito. Atraindo uma juventude em massa para professar os votos evangélicos. Qual o segredo? O segredo é a Virgem Maria e a radicalidade do Evangelho. Sim, porque só se vive a Palavra de Deus enraizada na vida, se nos entregarmos Àquela que teve em Seu ventre puríssimo o Verbo encarnado. Por isso, a solução para a restauração do clero e da vida religiosa é “simples”: passem a rezar pelo menos o terço diário, adorem o Santíssimo Sacramento, e vivam a radicalidade evangélica; afinal, os religiosos pelos votos que fazem de fato saem do mundo... A solução é deixar de querer viver o mundanismo dentro do convento comunidade ou qualquer lugar que esteja. Sejam radicais como os santos, e verão a glória de Deus acontecer.

Padres, sejam padres como São Padre Pio, São João Maria Vianney... Aí está o segredo. Tudo baseado neste amor dito por Jesus à Santa Faustina. Que neste mês vocacional o Senhor tenha Misericórdia de nós e suscite muitas vocações religiosas e sacerdotais... vocações santas que estejam dispostas a viver a radicalidade do Evangelho até o martírio se preciso for. Nós, religiosos ou leigos, temos que almejar a santidade, não por presunção, mas por vocação. Eis a vontade de Deus para nós: “Sede santo, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo.”(Lev. 19,2)

Rezemos pelas vocações. Rezemos de verdade. Leia este texto também: Comunhão e Terço da Misericórdia: Cruzada de intercessão pelos padres.


Salve Maria Imaculada, Rainha dos Corações e das vocações! Viva Cristo Rei!