segunda-feira, 23 de junho de 2014

Cantor de 'heavy metal cristão', Tim Lambesis admite ser ateu

Vocalista do As I Lay Dying disse que fingiu ser religioso para vender discos.
Ele foi condenado a 9 anos de prisão por planejar assassinato da mulher.



Tim Lambesis, vocalista do As I Lay Dying, compareceu ao tribunal de San Diego, na Califórnia, em maio de 2013 (Foto: REUTERS/Lenny Ignelzi/Pool/Files)
Tim Lambesis no tribunal de San Diego, na
Califórnia, em maio de 2013
(Foto: REUTERS/Lenny Ignelzi/Pool/Files)
Tim Lambesis, vocalista da banda cristã de heavy metal As I Lay Dying, revelou que é ateu e que fingiu ser religioso para vender discos, segundo informações do site da "NME".
Em entrevista ao "Alternative Press", Lambesis ainda disse que ele não é o primeiro integrante do grupo a deixar de ser cristão. Segundo o cantor, dois de seus colegas abandonaram a religião antes dele.
"A primeira vez em que traí a minha mulher, minha interpretação de moralidade era agora conveniente para mim. Eu me sentiria menos culpado se eu decidisse: 'Bem, o casamento não é uma coisa real, porque o cristianismo não é real. Deus não é real", declarou o vocalista.
Em fevereiro deste ano, Lambesis foi condenado a nove anos de prisão. Ele confessou que tentou contratar um pistoleiro – na verdade, um policial disfarçado – para matar sua ex-mulher.
Histórico
Em maio de 2013, Lambesis foi detido em Oceanside, ao norte de San Diego, sob a acusação de tramar a morte de sua ex-mulher, Meggan Lambesis, que havia pedido divórcio um ano antes, após um casamento de oito anos. Na ocasião, Lambesis se declarou inocente.
O cantor admitiu que chegou a entregar US$ 1 mil ao agente disfarçado, junto com uma foto da mulher, o endereço dela e os códigos do sistema doméstico de segurança. Ele também forneceu uma lista de datas em que estaria com os três filhos adotados do casal, o que facilitaria o crime e serviria como álibi.
De acordo com os promotores, Lambesis pediu ajuda a um colega de ginástica para achar um pistoleiro, mas esse colega em vez disso organizou um encontro do artista com o policial disfarçado.
***
Comentário:
Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!
Muitas pessoas chamam-nos de puritanos quando falamos contra o Rock. Mas aí está uma prova do satanismo do Rock. Ainda há quem diga que se pode cristianizar o Rock. Este indivíduo fingia ser cristão para vender discos. Ora, temo que muitos finjam ser cristãos mesmo para ganhar dinheiro. Não só montando bandas de rock, mas de outros segmentos musicais; pregadores; "missionários", enfim. O que dizer, por exemplo, de Edir Macedo, fundador da seita "Universal" que faz declaração contra as religiões? Engraçado é ele ser o fundador de uma. Ora, é um típico caso de quem usa o nome de Jesus para fazer riqueza na terra. Jesus manda vendermos tudo e não buscarmos tesouros na terra, mas sim buscar tesouros no Céu. Essa rapaziada faz o contrário.
Mas falando do Rock especificamente, esta é uma bela amostra do que é o Rock. O Rock, como ensina o Papa Bento XVI, é um veículo anti-religião que em grandes plateias pode adquirir o caráter de culto ou adoração. Ora, o Rock verdadeiro é adoração a satanás. O Rock surgiu do satanismo. O Rock serve a satan. Então um católico de verdade deveria ter aversão a todo rock satânico. O Rock leva a descrença de Deus, levando o homem a adorar a satan ou a fazer o culto de si mesmo. Como o indivíduo da matéria citada, ele tem suas leis, Deus não existe - segundo ele - então não existe regras pro casamento. Ele segue suas leis. Este é o princípio anti-religioso do Rock. E Rock é isso, e não a caricatura que muitos fazem. Aí eu te pergunto, caro leitor: dá pra cristianizar um satanismo desse? Tem gente que acha que sim, embora sempre insistamos que o problema não está na letra, mas sim no rítmo. Aí está uma banda que talvez tenha letras bonitas, mas o rítmo o que fez? Se os integrantes da banda perderam a fé em Jesus, e quantos e quantos fãs durante anos também não perderam esta fé? Nós sabemos que aqui no Brasil existem casos de pessoas que colocaram a mão no arado e voltaram para trás, voltando a vida de pecado, após ir a shows "cristãos" de Rock, eletrônico, axé, etc., porque não viam diferença da vida passada. Embora se faça belas poesias, o ritmo rock fez e faz suas vítimas: integrantes de bandas e fãs (fiéis?) perderem a fé e virarem ateus e/ou satanistas (sim, existem 'ateus' que dizem que são satanistas -vai entender...)
Bom, muitos me chamarão de puritano. Mas o mundo já tenta tanto contra a fé, melhor evitar este ritmo que não só pelos exemplos citados mostra ser um veneno, mas que os próprios padres exorcistas tanto combatem e alertam. Não só os exorcistas, mas o próprio Papa Emérito Bento XVI já nos alertou. 
Abaixo assista duas pregações onde é abordado o tema do Rock.
Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!



Nenhum comentário:

Postar um comentário