sábado, 26 de abril de 2014

S. João Paulo II, S. João XXIII, S. Luís Maria Grignion de Montfort, um sinal de Misericórdia

Salve Maria Imaculada!

Muitos estão comentando sobre a canonização dos Papas João Paulo II e João XXIII, porém poucos tem percebido que essa canonização, justamente no dia da Misericórdia, é para nós um grande sinal. Particularmente sobre João Paulo II, muitos arriscavam chutar uma data. Alguns, por sua grande devoção à Nossa Senhora, arriscavam dizer que ele seria canonizado no dia 8 de dezembro, dia da Imaculada Conceição da Virgem Maria. Seria um grande sinal. Porém, o sinal veio de Deus, e não dos homens.

Todos sabem que nosso querido Papa São João Paulo II era grande devoto de Nossa Senhora. Ele foi consagrado à Virgem Maria pelo método de São Luís, ou seja, ele era escravo de Nossa Senhora por amor. Que belo! E sejamos sinceros, foi ele que espalhou pelo mundo esta devoção, principalmente por seu lema de pontificado “Totus Tuus” fazendo referência à Nossa Senhora dizendo “Todo Teu” pra Virgem Maria. Ele mesmo confirmou sua consagração total à grande Mãe de Deus, Maria Santíssima. Ele foi um Papa inteiramente entregue aos cuidados de Nossa Senhora. E Deus, em Sua infinita Misericórdia, dá-nos um sinal grandioso de que devemos nos consagrar totalmente à Nossa Senhora pela Santa Escravidão de Amor. Se João Paulo II tivesse sido canonizado no dia da Imaculada seria algo forte, mas para mostrar a urgência da consagração por este método específico, a providência nos leva a ver a canonização de João Paulo II no dia 27 de abril de 2014, um dia antes do dia em que a Igreja recorda a memória de São Luís Maria Grignion de Montfort (28 de abril). Num dia canoniza um santo escravo de Nossa Senhora, no outro celebra-se a memória do grande apóstolo escravo da Imaculada que escreveu o Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem, que inspirou grande santos, como João Paulo II, Pio X, Santa Teresinha, enfim, e continua levando à santidade vários homens e mulheres que ofertam suas vidas, em qualquer estado de vida que se encontram, a Deus por meio de Maria Santíssima.

Lembro-me que Jesus disse para Santa Faustina: “o mundo não encontrará paz, enquanto não se voltar para a Minha Misericórdia”. E em um período de tantas guerras, tantos rumores de guerra, não seria um sinal ver João Paulo II ser elevado as honras dos altares, no dia da Misericórdia. Não seria um grito de Misericórdia que Deus faz ecoar ao mundo? Jesus também disse para Santa Faustina que faria surgiu da Polônia a centelha que prepararia o mundo para Sua segunda vinda. São João Paulo II é polonês. São grandes sinais que não podemos negligenciar. Ainda mais que sendo ele tão devoto de Nossa Senhora, a Virgem Maria também disse que “por fim, o Meu Imaculado Coração triunfará”. É profetizado a vitória. São Luís Maria Grignion de Montfort diz no Tratado que é pelo Reino da Santíssima Virgem Maria que virá o Reino de Cristo; foi pela Santíssima Virgem que Cristo veio ao mundo da primeira vez, e é por meio dela que ele virá pela segunda vez. São Luís nos ensina isso no Tratado. É por meio da Virgem Maria que acontecerá o triunfo de Jesus, ou seja, o triunfo da Misericórdia. E João Paulo II viveu essa espiritualidade, foi dado a ele enquanto reinou na cátedra de São Pedro, ser o Papa da Imaculada, ser o Papa da Misericórdia.
A canonização de João XXIII no mesmo dia, torna-se também um sinal. Para ser sincero não conheço muito da vida dele. Entretanto, ele foi o Papa que convocou e abriu o Concílio Vaticano II. Todos comentam suas palavras na oração de abertura do Concílio, pedindo ao Espírito Santo um Novo Pentecostes. Ele ser canonizado junto com João Paulo II, antecipando o dia de São Luís Maria Grignion de Montfort, é um sinal deste Pentecostes. Vivemos a era em que vários grupos, movimentos, Comunidades, clamam um novo Pentecostes na Igreja. Mas não encontrarão esse segundo Pentecostes enquanto não tiverem humildade de querer o Espírito Santo com Sua Esposa. Como assim? Só terá segundo Pentecostes quando deixarmos a Mulherrevestida de sol nos trazer o Espírito Santo. Em outras palavras,não existe Pentecostes sem Nossa Senhora. E essa canonização é umgrande sinal. Por quê? Porque nos ensina São Luís no T.V.D: Maria produziu, com o Espírito Santo, a maior maravilha que existiu e existirá – um Deus-homem; e ela produzirá, por conseguinte, as coisas mais admiráveis que hão de existir nos últimos tempos. A formação e educação dos grandes santos, que aparecerão no fim do mundo, lhe está reservada, pois só esta Virgem singular e milagrosa pode produzir, em união com o Espírito Santo, as obras, singulares e extraordinárias. Quando o Espírito Santo, seu esposo, a encontra numa alma, ele se apodera dessa alma, penetra-a com toda a plenitude, comunicando-se-lhe abundantemente e na medida em que lhe concede sua esposa; e uma das razões por que, hoje em dia, o Espírito Santo não opera, nas almas, maravilhas retumbantes, é não encontrar ele uma união bastante forte entre as almas e sua esposa fiel e inseparável.” (T.V.D nº 35 e 36)

Resumidamente: São João Paulo II, São João XXIII sendo canonizados no dia da Misericórdia antecipando o dia de São Luís Maria G. de Montfort significa: ser todo da Imaculada sendo consagrado pelo método do Tratado, nos entregando como escravos por amor, pois é um caminho de e para a felicidade e de e para a santidade. É um sinal de Misericórdia, pois é a Virgem Mãe a portadora da Misericórdia, Ela é a Co-Redentora, e Ela nos levará a alcançar a Misericórdia, como fez com estes dois Papas, e de maneira mais sensível à João Paulo II. Significa que nós ainda precisamos, junto com São João XXIII clamar um Novo Pentecostes para a Igreja, não um pentecostes sentimental baseado em sentimentos, arrepios, mas um Pentecostes na explosão, na potência do Espírito Santo que renova todas as coisas, e assim como no primeiro, há dois mil anos, só se dará por meio do Imaculado Coração de Maria. Queres ser cheio do Espírito Santo? Consagra-te à Nossa Senhora pelo método de São Luís. Seja todo de Nossa Senhora, e serás todo do Espírito Santo. Nossa Senhora levou esses dois papas a honra dos altares, Ela também pode levar eu e você a uma vida de santidade que é a vontade de Deus: “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo.”(Lev. 19,2)



Sou a mãe do puro amor, do temor (a Deus),
da ciência e da santa esperança,
em mim se acha toda a graça do caminho e da verdade,
em mim toda a esperança da vida e da virtude.
Vinde a mim todos os que me desejais com ardor,
e enchei-vos de meus frutos;
pois meu espírito é mais doce do que o mel,
e minha posse mais suave que o favo de mel.
A memória de meu nome durará por toda a série dos séculos.
Aquele que me ouve não será humilhado,
e os que agem por mim não pecarão.
Aqueles que me tornam conhecida terão a vida eterna.”

(Eclesiástico 24,24-28/30-31)

Nenhum comentário:

Postar um comentário