sábado, 26 de abril de 2014

S. João Paulo II, S. João XXIII, S. Luís Maria Grignion de Montfort, um sinal de Misericórdia

Salve Maria Imaculada!

Muitos estão comentando sobre a canonização dos Papas João Paulo II e João XXIII, porém poucos tem percebido que essa canonização, justamente no dia da Misericórdia, é para nós um grande sinal. Particularmente sobre João Paulo II, muitos arriscavam chutar uma data. Alguns, por sua grande devoção à Nossa Senhora, arriscavam dizer que ele seria canonizado no dia 8 de dezembro, dia da Imaculada Conceição da Virgem Maria. Seria um grande sinal. Porém, o sinal veio de Deus, e não dos homens.

Todos sabem que nosso querido Papa São João Paulo II era grande devoto de Nossa Senhora. Ele foi consagrado à Virgem Maria pelo método de São Luís, ou seja, ele era escravo de Nossa Senhora por amor. Que belo! E sejamos sinceros, foi ele que espalhou pelo mundo esta devoção, principalmente por seu lema de pontificado “Totus Tuus” fazendo referência à Nossa Senhora dizendo “Todo Teu” pra Virgem Maria. Ele mesmo confirmou sua consagração total à grande Mãe de Deus, Maria Santíssima. Ele foi um Papa inteiramente entregue aos cuidados de Nossa Senhora. E Deus, em Sua infinita Misericórdia, dá-nos um sinal grandioso de que devemos nos consagrar totalmente à Nossa Senhora pela Santa Escravidão de Amor. Se João Paulo II tivesse sido canonizado no dia da Imaculada seria algo forte, mas para mostrar a urgência da consagração por este método específico, a providência nos leva a ver a canonização de João Paulo II no dia 27 de abril de 2014, um dia antes do dia em que a Igreja recorda a memória de São Luís Maria Grignion de Montfort (28 de abril). Num dia canoniza um santo escravo de Nossa Senhora, no outro celebra-se a memória do grande apóstolo escravo da Imaculada que escreveu o Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem, que inspirou grande santos, como João Paulo II, Pio X, Santa Teresinha, enfim, e continua levando à santidade vários homens e mulheres que ofertam suas vidas, em qualquer estado de vida que se encontram, a Deus por meio de Maria Santíssima.

Lembro-me que Jesus disse para Santa Faustina: “o mundo não encontrará paz, enquanto não se voltar para a Minha Misericórdia”. E em um período de tantas guerras, tantos rumores de guerra, não seria um sinal ver João Paulo II ser elevado as honras dos altares, no dia da Misericórdia. Não seria um grito de Misericórdia que Deus faz ecoar ao mundo? Jesus também disse para Santa Faustina que faria surgiu da Polônia a centelha que prepararia o mundo para Sua segunda vinda. São João Paulo II é polonês. São grandes sinais que não podemos negligenciar. Ainda mais que sendo ele tão devoto de Nossa Senhora, a Virgem Maria também disse que “por fim, o Meu Imaculado Coração triunfará”. É profetizado a vitória. São Luís Maria Grignion de Montfort diz no Tratado que é pelo Reino da Santíssima Virgem Maria que virá o Reino de Cristo; foi pela Santíssima Virgem que Cristo veio ao mundo da primeira vez, e é por meio dela que ele virá pela segunda vez. São Luís nos ensina isso no Tratado. É por meio da Virgem Maria que acontecerá o triunfo de Jesus, ou seja, o triunfo da Misericórdia. E João Paulo II viveu essa espiritualidade, foi dado a ele enquanto reinou na cátedra de São Pedro, ser o Papa da Imaculada, ser o Papa da Misericórdia.
A canonização de João XXIII no mesmo dia, torna-se também um sinal. Para ser sincero não conheço muito da vida dele. Entretanto, ele foi o Papa que convocou e abriu o Concílio Vaticano II. Todos comentam suas palavras na oração de abertura do Concílio, pedindo ao Espírito Santo um Novo Pentecostes. Ele ser canonizado junto com João Paulo II, antecipando o dia de São Luís Maria Grignion de Montfort, é um sinal deste Pentecostes. Vivemos a era em que vários grupos, movimentos, Comunidades, clamam um novo Pentecostes na Igreja. Mas não encontrarão esse segundo Pentecostes enquanto não tiverem humildade de querer o Espírito Santo com Sua Esposa. Como assim? Só terá segundo Pentecostes quando deixarmos a Mulherrevestida de sol nos trazer o Espírito Santo. Em outras palavras,não existe Pentecostes sem Nossa Senhora. E essa canonização é umgrande sinal. Por quê? Porque nos ensina São Luís no T.V.D: Maria produziu, com o Espírito Santo, a maior maravilha que existiu e existirá – um Deus-homem; e ela produzirá, por conseguinte, as coisas mais admiráveis que hão de existir nos últimos tempos. A formação e educação dos grandes santos, que aparecerão no fim do mundo, lhe está reservada, pois só esta Virgem singular e milagrosa pode produzir, em união com o Espírito Santo, as obras, singulares e extraordinárias. Quando o Espírito Santo, seu esposo, a encontra numa alma, ele se apodera dessa alma, penetra-a com toda a plenitude, comunicando-se-lhe abundantemente e na medida em que lhe concede sua esposa; e uma das razões por que, hoje em dia, o Espírito Santo não opera, nas almas, maravilhas retumbantes, é não encontrar ele uma união bastante forte entre as almas e sua esposa fiel e inseparável.” (T.V.D nº 35 e 36)

Resumidamente: São João Paulo II, São João XXIII sendo canonizados no dia da Misericórdia antecipando o dia de São Luís Maria G. de Montfort significa: ser todo da Imaculada sendo consagrado pelo método do Tratado, nos entregando como escravos por amor, pois é um caminho de e para a felicidade e de e para a santidade. É um sinal de Misericórdia, pois é a Virgem Mãe a portadora da Misericórdia, Ela é a Co-Redentora, e Ela nos levará a alcançar a Misericórdia, como fez com estes dois Papas, e de maneira mais sensível à João Paulo II. Significa que nós ainda precisamos, junto com São João XXIII clamar um Novo Pentecostes para a Igreja, não um pentecostes sentimental baseado em sentimentos, arrepios, mas um Pentecostes na explosão, na potência do Espírito Santo que renova todas as coisas, e assim como no primeiro, há dois mil anos, só se dará por meio do Imaculado Coração de Maria. Queres ser cheio do Espírito Santo? Consagra-te à Nossa Senhora pelo método de São Luís. Seja todo de Nossa Senhora, e serás todo do Espírito Santo. Nossa Senhora levou esses dois papas a honra dos altares, Ela também pode levar eu e você a uma vida de santidade que é a vontade de Deus: “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo.”(Lev. 19,2)



Sou a mãe do puro amor, do temor (a Deus),
da ciência e da santa esperança,
em mim se acha toda a graça do caminho e da verdade,
em mim toda a esperança da vida e da virtude.
Vinde a mim todos os que me desejais com ardor,
e enchei-vos de meus frutos;
pois meu espírito é mais doce do que o mel,
e minha posse mais suave que o favo de mel.
A memória de meu nome durará por toda a série dos séculos.
Aquele que me ouve não será humilhado,
e os que agem por mim não pecarão.
Aqueles que me tornam conhecida terão a vida eterna.”

(Eclesiástico 24,24-28/30-31)

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Novena à Divina Misericórdia - (Meditações)


Novena à Divina Misericórdia, segundo o que o próprio Jesus ensinou à Santa Faustina. Podemos encontrar nos números 1209 à 1230 do Diário de Santa Faustina.
Disse Jesus para Santa Faustina: "Em cada dia da novena, conduzirás ao Meu coração um grupo diferente de almas, e as mergulharás no oceano da minha Misericórdia. Eu conduzirei todas as almas à casa do meu Pai... Por minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da minha Misericórdia. Cada dia pedirás a meu Pai, pela minha amarga Paixão, graças para essas almas."
Reze em cada dia, além da oração que Santa Faustina fez, o Terço da Misericórdia.






Primeiro dia
Hoje traze-me a humanidade inteira, especialmente todos os pecadores e mergulha-os no oceano da minha Misericórdia. Com isso Me consolarás na amarga tristeza em que Me afunda a perda das almas.
Misericordiosíssimo Jesus, de quem é próprio ter compaixão de nós e nos perdoar, não olheis os nossos pecados, mas a confiança que depositamos em Vossa infinita bondade. Acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e nunca nos deixeis sair dele. Nós vo-lo pedimos pelo amor que Vos une ao Pai e ao Espírito Santo.

Eterno Pai, olhai com misericórdia para toda humanidade, encerrada no Coração compassivo de Jesus, mas especialmente para os pobres pecadores. Pela Sua dolorosa Paixão, mostrai-nos a Vossa Misericórdia, para que glorifiquemos a onipotência da Vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.




Segundo dia
Hoje traze-Me as almas dos sacerdotes e religiosos e mergulha-as na minha insondável Misericórdia. Elas Me deram força para suportar a amarga Paixão. Por elas, como por canais, corre para a humanidade a minha Misericórdia.
Misericordiosíssimo Jesus, de quem provém tudo que é bom, aumentai em nós a graça, para que pratiquemos dignas obras de misericórdia, a fim de que aqueles que olham para nós, glorifiquem o Pai da Misericórdia que está no Céu.

Eterno Pai, dirigi o olhar da vossa Misericórdia para a porção eleita da vossa vinha: para as almas dos sacerdotes e religiosos. Concedei-lhes o poder da vossa bênção e, pelos sentimentos do Coração de vosso Filho, no qual estão encerradas, dai-lhes a força da vossa luz, para que possam guiar os outros nos caminhos da salvação e juntamente com eles cantar a glória da vossa insondável Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.




Terceiro dia
Hoje traze-Me todas as almas piedosas e fiéis e mergulha-as no oceano da minha Misericórdia. Estas almas consolaram-Me na Via-sacra; foram aquela gota de consolações em meio ao mar de amarguras.
Misericordiosíssimo Jesus, que concedeis prodigamente a todas as graças do tesouro da vossa Misericórdia, acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e não nos deixeis sair dele pelos séculos; suplicamo-Vos pelo amor inconcebível de que está inflamado o vosso Coração para com o Pai Celestial.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas fiéis, como a herança do vosso Filho. Pela sua dolorosa Paixão concedei-lhes a vossa bênção e cercai-as da vossa incessante proteção, para que não percam o amor e o tesouro da santa fé, mas com toda a multidão dos Anjos e dos Santos glorifiquem a vossa imensa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.




Quarto dia
Hoje traze-Me os pagãos e aqueles que ainda não Me conhecem e nos quais pensei na minha amarga Paixão. O seu futuro zelo consolou o meu Coração. Mergulha-os no mar da minha Misericórdia.
Misericordiosíssimo Jesus, que sois a luz de todo o mundo, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas dos pagãos que ainda não Vos conhecem. Que os raios da vossa graça os iluminem para que também eles, juntamente conosco, glorifiquem as maravilhas da vossa Misericórdia e não os deixeis sair da mansão do vosso compassivo Coração.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas dos pagãos e daqueles que ainda não Vos conhecem e que estão encerrados no Coração compassivo de Jesus. Atraí-as à luz do Evangelho. Essas almas não sabem que grande felicidade é amar-Vos. Fazei com que também elas glorifiquem a riqueza da vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.




Quinto dia
Hoje traze-Me as almas dos Cristãos separados da Unidade da Igreja e mergulha-as no mar da minha Misericórdia. Na minha amarga Paixão dilaceravam o meu Corpo e o meu Coração, isto é, a minha Igreja. Quando voltam à unidade da Igreja, cicatrizam-se as minhas Chagas e dessa maneira eles aliviam a minha Paixão.
Misericordiosíssimo Jesus que sois a própria Bondade, Vós não negais a luz àqueles que Vos pedem, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas dos nossos irmãos separados, e atraí-os pela vossa luz à unidade da Igreja e não os deixeis sair da mansão do vosso compassivo Coração, mas fazei com que também eles glorifiquem a riqueza da vossa Misericórdia.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas dos nossos irmãos separados que esbanjaram os vossos bens e abusaram das vossas graças, permanecendo teimosamente nos seus erros. Não olheis para os seus erros, mas para o amor do vosso Filho e para a sua amarga Paixão, que suportou por eles, pois também eles estão encerrados no Coração compassivo de Jesus. Fazei com que também eles glorifiquem a vossa Misericórdia por toda a eternidade. Amém.




Sexto dia
Hoje traze-Me as almas mansas, assim como as almas das criancinhas, e mergulha-as na minha Misericórdia. Estas almas são as mais semelhantes ao meu Coração. Elas reconfortaram-Me na minha amarga Paixão da minha agonia. Eu as vi quais anjos terrestres que futuramente iriam velar junto aos meus altares. Sobre elas derramo torrentes de graças. Só a alma humilde é capaz de aceitar a minha graça; às almas humildes favoreço com a minha confiança.
Misericordiosíssimo Jesus, que dissestes: "Aprendei de Mim que sou manso e humilde de coração", aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas mansas e humildes e as almas das criancinhas. Estas almas encantam o Céu todo e são a especial predileção do Pai Celestial, são como um ramalhete diante do trono de Deus, com cujo perfume o próprio Deus se deleita. Estas almas têm a mansão permanente no Coração compassivo de Jesus e cantam sem cessar um hino de amor e misericórdia pelos séculos.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas mansas e humildes e para as almas das criancinhas, que estão encerradas na mansão compassiva do Coração de Jesus. Estas almas são as mais semelhantes a vosso Filho; o perfume destas almas eleva-se da Terra e alcança o vosso trono. Pai de Misericórdia e de toda bondade, suplico-Vos pelo amor e predileção que tendes para com estas almas, abençoai o mundo todo, para que todas as almas cantem juntamente a glória à vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.




Sétimo dia
Hoje traze-Me as almas que veneram e glorificam de maneira especial a minha Misericórdia e mergulha-as na minha Misericórdia. Estas almas foram as que mais sofreram por causa da minha Paixão e penetraram mais profundamente no meu espírito. Elas são a imagem viva do meu Coração compassivo. Estas almas brilharão com especial fulgor na vida futura. Nenhuma delas irá ao fogo do Inferno; defenderei cada uma delas de maneira especial na hora da morte.
Misericordiosíssimo Jesus, cujo Coração é o próprio amor, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas que honram a glorificam de maneira especial a grandeza da vossa Misericórdia. Estas almas tornadas poderosas pela força do próprio Deus, avançam entre penas e adversidades, confiando na vossa Misericórdia. Estas almas estão unidas com Jesus e carregam sobre os seus ombros a humanidade toda. Elas não serão julgadas severamente, mas a vossa Misericórdia as envolverá no momento da morte.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas que glorificam e honram o vosso maior atributo, isto é, a vossa inescrutável Misericórdia; elas estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Estas almas são o Evangelho vivo e as suas mãos estão cheias de obras de misericórdia; suas almas repletas de alegria cantam um hino de misericórdia ao Altíssimo. Suplico-Vos, ó Deus, mostrai-lhes a vossa Misericórdia segundo a esperança e confiança que em Vós colocaram. Que se cumpra nelas a promessa de Jesus, que disse: "As almas que veneram a minha insondável Misericórdia, Eu mesmo as defenderei durante a vida, especialmente na hora da morte, como minha glória." Amém.




Oitavo dia
Hoje traze-Me as almas que se encontram na prisão do Purgatório e mergulha-as no abismo da minha Misericórdia; que as torrentes do meu Sangue refresquem o seu ardor. Todas estas almas são muito amadas por Mim, pagam as dívidas à minha Justiça. Está em teu alcance trazer-lhes alívio. Tira do tesouro da minha Igreja todas as indulgências e oferece-as por elas. Oh, se conhecesses o seu tormento, incessantemente oferecerias por elas a esmolas do espírito e pagarias as suas dívidas à minha Justiça.
Misericordiosíssimo Jesus, que dissestes que quereis misericórdia, eis que estou trazendo à mansão do vosso compassivo Coração as almas do Purgatório, almas que Vos são muito queridas e que no entanto devem dar reparação à vossa Justiça; que as torrentes de Sangue e Água que brotaram do vosso Coração apaguem as chamas do fogo do Purgatório, para que também ali seja glorificado o poder da vossa Misericórdia.
Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas que sofrem no Purgatório e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Suplico-Vos que, pela dolorosa Paixão de Jesus, vosso Filho, e por toda a amargura de que estava inundada a sua Alma santíssima, mostreis vossa Misericórdia às almas que se encontram sob o olhar da vossa Justiça; não olheis para elas de outra forma senão através das Chagas de Jesus, vosso Filho muito amado, porque nós cremos que a vossa bondade e Misericórdia são incomensuráveis. Amém.




Nono dia
Hoje traze-Me as almas tíbias e mergulha-as no abismo da minha Misericórdia. Estas almas ferem mais dolorosamente o meu Coração. Foi da alma tíbia que a minha Alma sentiu repugnância no Horto. Elas levaram-Me a dizer: Pai afasta de Mim este cálice, se assim for a vossa vontade. Para elas, a última tábua de salvação é recorrer a minha Misericórdia.
Ó compassivo Jesus, que sois a própria Compaixão, trago à mansão do vosso compassivo Coração as almas tíbias; que se aqueçam no fogo do vosso amor puro estas almas geladas, que, semelhantes a cadáveres, Vos enchem de tanta repugnância. Ó Jesus, muito compassivo, usai a onipotência da vossa Misericórdia e atraí-as até ao fogo do vosso amor e concedei-lhes o amor santo, porque Vós tudo podeis.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas tíbias e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Pai de Misericórdia, suplico-Vos pela amargura da Paixão do vosso Filho e por sua agonia de três horas na Cruz, permiti que também elas glorifiquem o abismo da vossa Misericórdia... Amém.

sábado, 12 de abril de 2014

COMO RESTAURAR A IGREJA?



Salve Maria Imaculada!

Sabemos que a Igreja precisa ser restaurada. Não podemos negar o quão ferida está o Corpo da Igreja. Feridas estas causadas por nós, filhos e membros da Igreja, que com nossos pecados e escândalos acabamos maculando aos olhos do mundo a imagem da Igreja. A Santa Igreja Católica Apostólica Romana é santa, portanto Imaculada. A Igreja não tem pecados. Mas triste de nós, filhos e filhas da Igreja, nós sim cometemos pecados e escandalizamos o mundo com o nosso contratestemunho.

O meu o seu pecado causam escândalo e ferem a Igreja. Entretanto, sabemos que a Igreja vive em uma “ruína moderna” quando nós sabemos que os escândalos são inimagináveis. Sabemos que apesar da Igreja orientar a Igreja para o certo, muitos escolhem, livre e até conscientemente o errado. Com isso, pouco adianta a Igreja Católica condenar a Maçonaria, muitos de seus filhos ingressam nesta e em outras seitas satânicas que um católico não pode NUNCA ingressar. Quantos são os ditos católicos que são marxistas declarados, comunistas, socialista, não obstante a condenação e excomunhão explícita que a Igreja faz. Mas muito, muito pior, é saber que a própria Maçonaria tem dos seus infiltrados dentro da Igreja Católica para destruí-la por dentro. A Maçonaria eclesiástica trabalha fortemente para destruir a Santa Igreja e fazer com que satanás reine no mundo. Sabemos que antes do Concílio Vaticano II foi introduzido dentro da Igreja uma grande quantidade de Comunistas; e estes, após o Concílio, já estavam nos mais altos cargos da Igreja: teólogos, padres, reitores de seminário, Bispos e quem sabe Cardeais. Tudo isso porquê? Ora, satanás já tentou destruir a Igreja por fora durante mais de 1900 anos, portanto, nos últimos tempos ele pretende destruir a Igreja por dentro. E ele tem conseguido. Se não tivesse a fé Católica e não cresse nas palavras de Jesus que disse que as portas do inferno nunca prevalecerão contra a Igreja (cf. Mateus 16,18), eu até acreditaria que a Maçonaria atingiria o seu objetivo de destruir a Igreja. Mas não, a Igreja não será destruída, porque Jesus morreu pela Igreja e disse que o inferno não prevalecerá contra a Igreja Católica! Eu creio! A Santíssima Virgem há de esmagar a cabeça de satanás debaixo de Seu santíssimo calcanhar!

Entretanto sabemos que os danos são enormes, e, infelizmente, muitas são as almas que se perdem. Olhando o descaso em que a Igreja se encontra em muitos lugares, não tem como não lembrar de um certo Francisco... São Francisco de Assis! Todos sabem que o Crucificado disse para São Francisco “Vai e restaura a Minha Igreja”. Ora, Francisco achando que era a Capela de São Damião, trabalhou arduamente reconstruindo àquela capelinha que se encontrava em ruínas. Mas depois ele pode compreender que Deus lhe chamava a ser fundador de uma ordem, e após a benção do Papa, temos essa ordem maravilhosa dos Frades Franciscanos que de fato restaurou a Igreja em um tempo que até os próprios Bispos não acreditavam ser possível viver o Evangelho. Francisco e seus irmãos religiosos mostraram que SIM, É POSSÍVEL VIVER O EVANGELHO. São Francisco viveu o Evangelho. Precisamos viver o Evangelho. E aqui já podemos ver o “segredo” para restaurar a Igreja: viver o Evangelho e restaurá-la por dentro, assim como Francisco.

O Papa Paulo VI disse aquela célebre frase “a fumaça de satanás entrou na Igreja”. Ora, se a fumaça de satanás entrou dentro da Igreja nos últimos anos, há 2 mil anos entrou o Espírito Santo no dia de Pentecostes. E Deus sempre vence o mal. Então devemos começar a rezar, porque não tem fumaça de satanás, não tem inferno que vença o poder do Espírito Santo. O Santo Espírito de Deus está no comando da Igreja, dando assistência, inspirando, conduzindo a Igreja e seus fiéis filhos há dois mil anos. O Espírito Santo não abandonou a Igreja, é a Igreja que tem abandonado a unção verdadeira do Espírito para se agarrar a novidades e a coisas passageiras.

Porque falei isso? Se satanás está trabalhando no interior da Igreja – como Nossa Senhora disse em Lá Salette: “Roma se tornará pagã e se tornará a sede do Anticristo” -, nós também precisamos trabalhar no interior dela, e não fora como muitos movimentos acabam insistindo. Não será criando cisma – até mesmo tendo razão e muitos pontos – que se restaurará a Igreja.

E como se dá isso na prática? Ora, os maçons e pessoas mau intencionadas pegaram, por exemplo, os textos do Concílio Vaticano II e algumas ambiguidades e distorceram tudo, interpretando de forma pessoal e herética, causando grande mal à Igreja. Ora, não preciso criar um “cisma”, preciso criar vergonha na cara e coragem de anunciar o certo. Na função que Deus te colocar, seja fiel à Igreja, pegue os documentos do CVII e interprete-os como a Igreja o interpreta, sem romper com a Tradição de dois mil anos. O CVII foi pastoral, e tudo que for ambíguo, se lermos unidos ao magistério de dois mil anos, veremos que só enriquece. Agora se nós, assim como os maçons, interpretamos da forma modernista e começamos a atacar a Igreja, só quem ganha é o demônio que quer mesmo é criar discórdia e maus exemplos. Sendo assim muita gente cai em pecado mortal e se afasta completamente de Deus.

Como disse acima, muitos comunistas foram infiltrados dentro da Igreja há algumas décadas atrás. No Brasil sabemos muito bem como agiram com a chamada “Teologia da Libertação”. Muitos hereges da Libertação tomaram os seminários, e até hoje são professores e formam os futuros padres. Pobres padres, muitos têm reta intenção, mas são corrompidos por certos seminários que só ensinam o que não presta. É melhor sair pregando algo absurdo aos padres, ou corrompe-los durante o período de seminaristas? Muito mais fácil corromper os seminaristas, não é verdade? Agora imaginem um padre mal formado, estudando absurdos e até tomando algo como ensinado pela Igreja, sendo que a Igreja condena várias coisas (como a própria TL)... Este padre corromperá toda uma comunidade de fiés que ele for designado para cuidar. Mas se os maus agiram assim, também os bons tem que agir assim. Precisamos rezar e ter bons sacerdotes nos seminários, para que ao serem colocados como professores de Seminário, reitores, enfim, sejam santos e ensinem aquilo que é doutrina da Igreja, e não doutrina marxista. Não podemos ser covardes e lavar as mãos dizendo que “já era”. Precisamos lutar até o fim para restaurar a Igreja por dentro. Até falo isso para caso algum seminarista esteja lendo isso, e você só estuda coisas que sabe que são erradas, mas que não tem outro seminário, seja forte! Recomende-se sempre à Virgem Maria, reze o terço diário, e seja forte, e após ser ordenado comece a ensinar o correto. Quem sabe pela tua perseverança você não venha a se tornar um professor e formar corretamente futuros seminaristas. Claro, sabemos que é bom evitar estudar em tais lugares. Mas falo de casos que seja impossível recorrer a outro seminário ou de pessoas que sabem que não serão contaminadas.

Se sabemos que certas Comunidades e Congregações esfriaram, deixaram o mundanismo tomar de conta, só pregam coisas light, festas e mais festas, o que fazer? Ora, não condeno que saia... Mas persistamos, mesmo que sozinhos, pregando a verdade, denunciando, quer queiram ou não. Vejo muita gente saindo de vários movimentos pelo modernismo que eles apresentam ultimamente; entretanto, será que Deus chamou a sair do movimento? Eu tenho medo de que existam muitas novas Santas Teresas de Jesus e São Joões da Cruz que Deus chama, assim como eles restauraram o Carmelo, a restaurar os movimentos de hoje. E o que fazemos pulamos para fora do barco e começamos a atacar, falar mal, dizer que não presta. Mas só falar que não presta, não resolve. Satanás minou por dentro, e é também por dentro, com amor, porém com ardor zeloso, que iremos restaurar. Se só tem herege no movimento, no Grupo de Oração, coisas depravadas, seja você a testemunha, e se tiver a oportunidade de pregar, pregue a verdade. Sinta das dores. Serás afastado, serás caluniado, mas os santos que restauraram um mundo que era mal, sofreram a mesma coisa.

Insisto, devemos restaurar por dentro. Não adianta saber o que é certo se não ensinamos. O problema é que muitos sabem o certo, a verdade, e diante de uma realidade relativista, ao invés de ser profeta, torna-se omisso. Claro que existem dificuldades, mas mostre-me um santo que não as teve. É mais cômodo dizer que tudo não presta. É mais cômodo. Afinal, pagar o preço para restaurar é mais complicado. Não adianta dizer “eu era de tal movimento, de tal grupo, e são tudo sem formação, não presta!”. E por quê você não deu formação? Hum, não deixaram? Mas você rezava a Deus pedindo essa graça? Ah, sim, entendo, você falou e te chamaram de louco(a)... Os santos também. Mas eles não saíram atacando as Congregações, mas sim o maldito pecado em que elas se encontravam. Falo isso especificamente de movimentos e Comunidades reconhecidas pela Igreja. É preciso viver em silêncio interior, rezando e reparando, e quando Deus manda, anunciar. Sair, quando não é vontade de Deus, nem sempre é bom. E se Santa Teresa de Ávia tivesse saído do Carmelo quando as irmãs – e ela mesma – viviam como pagãs dentro do Convento? E se São Francisco ao invés de fundar a ordem, fundasse uma seita, já que via o péssimo testemunho dos filhos da Igreja? Oxalá entendêssemos a grande graça que Deus nos deu: viver num tempo tempestuoso, é verdade, mas com a luz que Ele nos deu, com as armas para restaurá-la. Quantos santos não queriam viver neste tempo, e nós temos essa graça, de viver no tempo da grande tribulação. Eis que vivemos no tempo da apostasia, e se queremos ser santos, nadar contra a correnteza, devemos permanecer dentro do rio, e não sair para a margem. É muita apostasia? Continue a nadar contra a correnteza. Quantos seriam os santos que hoje não estariam derramando seu próprio sangue pela verdade, dentro da Igreja, unidos ao Papa? E nós, sabemos a verdade, mas não restauramos por dentro.

Para finalizar, quero usar um outro exemplo. Se nos seminários começaram a ensinar que a Missa é só uma ceia, uma partilha, e não um sacrifício (vale lembrar que o CVII NUNCA ENSINOU ISSO. O Concílio, e os documentos pós conciliares, ensinam o que a Igreja ensina a dois mil anos: a Missa é o Santo Sacrifício de Cristo na Cruz!); precisamos de pregadores, missionários, padres que preguem que sim, sim, a Missa é o Santo Sacrifício de Cristo na Cruz! Quer os hereges queiram, ou não... A Missa é o Sacrifício do Corpo e do Sangue do Senhor Jesus Cristo entregue por nós na cruz. Com essa teologia moderna – e herética – sendo ensinada nos seminários e pelos padres nas paróquias, acabamos vendo os abusos: missa afro, sertanejo, rock, pré-balada; missas com cachaça e pipoca no lugar da hóstia feita de trigo e do vinho... Vemos tantas profanações. Mas ao invés de sairmos com pensamentos rad-trad e sedevacantistas, devemos restaurar a Igreja por dentro. Como? O senhor, sacerdote do Deus altíssimo, reconhecendo esses problemas, celebre o Santo Sacrifício da Missa de forma digna. Assim como a Igreja ensina e está no Missal. E não é preciso mudar de rito. Sabemos que a Missa de São Pio V (Tridentina) é belíssima, porém, não é preciso celebrar só no rito Tridentino, basta que se celebre com piedade e amor, crendo que está diante de nós o sacrifício do Senhor. Satanás para profanar a Missa não era preciso mudar o rito, mas o coração do padre. O problema de tantos problemas litúrgicos não fica somente na conta do rito de Paulo VI, o problema é a corrupção do coração do Padre. Para muitos não passa de uma ceia, confraternização com a “comunidade”. Tanto é que antes do CVII já existiam abusos litúrgicos, em proporções menores, é verdade; mas se dá também porque antes do CVII não eram tantos os hereges que estavam nos altos postos da Igreja. Antes do CVII era ensinado uma coisa, depois, os hereges usando do Concílio, apesar deste não dizer essas heresias, ensinavam um monte de porcaria aos seminários. Mas para encerrar a questão da Missa, é isso: conheço sacerdotes que celebram o Santo Sacrifício da Missa no rito de Paulo VI, de forma digna, belíssima, conforme está no Missal, com grande amor. Você vê pelos olhos do sacerdote, que aquele coração crê que tem em suas mãos o Corpo do Senhor. Por isso, aqueles sacerdotes que querem restaurar a Igreja, restaurem por dentro, “reformando” a liturgia celebrando a Missa conforme está no Missal. Não saiam da Igreja, pois se o senhor sair, estarão abandonados e obrigados a participar das profanações.

Enfim, já que o tema é restaurar, cito aqui algo relatado por São Luís Maria Grignion de Montfort no livro “O Segredo do Rosário”. Se a Igreja será restaurada, será pelo poder do Rosário. O Rosário rezado pelos filhos e filhas da Igreja, fiéis a Ela, permanecendo dentro dela em santa obediência, salvará a Igreja e impedirá sua ruína. Porque as portas do inferno não prevalecerão, e a Santíssima Virgem Maria vencerá e humilhará satanás e sua maldita soberba.

Nos diz São Luís: “Um nobre, que tinha muitas filhas, colocou uma num mosteiro totalmente negligente, onde as freiras eram vaidosas e pensavam em nada mais que os prazeres mundanos. O confessor das freiras, por outro lado, era um padre zeloso que tinha um grande amor pelo Santo Rosário. A fim de guiar estra freira a uma vida melhor, ordenou que ela rezasse o Rosário todo dia em honra a Santíssima Virgem e, ao mesmo tempo, meditasse na vida, paixão e glória de JESUS.
Ela alegremente incumbiu-se de rezar o Rosário e, pouco a pouco passou a detestar os hábitos caprichosos de suas irmãs de religião. Desenvolveu um amor pelo silêncio, e pela oração apesar do fato das outras a terem rejeitado e ridicularizado, chamando-a de uma fanática.
Naqueles dias, um santo pregador chegou de visita ao mosteiro e, enquanto meditava, teve uma estranha visão de uma freira em sua cela, embevecida em oração, ajoelhada em frente a uma Senhora de indescritível beleza e rodeada de Anjos. Estes tinham flechas acesas, que com as quais repeliam uma multidão de demônios que queriam entrar. Estes espíritos malignos então correram para as celas das outras freiras, em forma de animais imundos.
Através desta visão, o sacerdote se tornou ciente do lamentável estado em que se encontrava o mosteiro e ficou extremamente chateado que quase morreu de pesar. Ele imediatamente reuniu as religiosas mais novas e pediu que perseverassem.
Refletindo logo sobre a excelência do Rosário, decidiu tentar reformar as irmãs através dele. Adquiriu vários Rosários de rara beleza e os deu a cada freira, implorando que rezassem o Rosário todo dia, e fez mais, pediu que prometessem isto, que se elas o fizessem de maneira fiel, ele não iria tentar forçá-las a mudar seu estilo de vida. Por mais estranho que pareça, porém, maravilhosamente, as freiras concordaram com este acordo e ficaram felizes ao receberem os rosários e prometeram rezá-los.
Pouco a pouco, elas começaram a deixar suas ocupações vazias e mundanas, deixando que o silêncio e o recolhimento viessem para suas vidas. Em menos de um ano, elas todas pediram que o mosteiro fosse reformado.
Assim o Santo Rosário fez mais mudanças em seus corações que o sacerdote teria feito através da exortação e autoridade.”


Salve Maria Imaculada! Viva Cristo Rei!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Por que existem tantos casos de manifestação demoníacas? Como se libertar do mal?




Salve Maria Imaculada!

Creio que muitos devem se perguntar o porque acontecem tantas manifestações demoníacas em certos movimentos. Os mais céticos acham que é tudo invenção. Os mais racionais – porém não tão céticos – acreditam que a maioria é histeria. Mas então, é ou não real? Sim, é real. Mas por que tem acontecido com tanta frequência? A resposta é: o povo acha o que procura; colhe-se o que planta.

Muitos acusam alguns movimentos – em especial os Carismáticos – de forçarem manifestações, de fazerem “exorcismo” ou mesmo que invocam os demônios. Entretanto, a realidade é que o motivo principal de haverem tantas manifestações em alguns ambientes católicos, não é a invocação do mal, como pensam alguns, mas, pelo contrário, a invocação de Deus, ou seja, o contato com a oração dirigida ao Deus verdadeiro e as coisas santas. Muitos podem então questionar: “mas então porque não existia tanta manifestação demoníaca séculos atrás?”. É bem verdade que séculos atrás tinham, mas se dava menos notícia como vemos hoje. Mas a resposta é bem simples: Antes vivia-se em uma sociedade católica. Infelizmente nós vivemos em um mundo pós cristão; ou seja, vivemos em uma sociedade pagã. Com isso, quanto mais se leva a luz para quem está nas trevas, mais o mal se manifestará.

Isso é algo que não podemos negar. Devemos acordar! Nós não estamos vivendo em um vilarejo católico, com um padre piedoso, com todas as famílias frequentando os sacramentos assiduamente, rezando o Rosário todos os dias em família, lendo livros piedosos e santos (doutrina, espiritualidade, vida dos santos, etc.)... Aí que lindo. Eu queria viver num lugar assim! Mas eu e você (creio eu) não vivemos em um lugar assim. Infelizmente. Qual a nossa realidade enquanto sociedade que se diz católica? A realidade é essa: Vai na Missa no domingo (não comunga, se comunga o faz sem confessar – certas vezes -), mas em outros dias da semana frequenta o centro espírita, terreiro de macumba, candomblé, etc. O povo diz ser católico, mas não lê nem segue os ensinamentos bíblicos do Evangelho, porém, não sai de casa sem antes ler no Jornal qual a cor da roupa que os astros estão lhe indicando. A realidade que nós vivemos, não é mais a que muitos pais consagravam seus filhos à Nossa Senhora no batizado. Hoje nós temos artistas globais como Regina Cazé que batiza o filho, e, triste e escandalosamente, dá a “benção” de outras religiões (inclusive budismo e candomblé) para a criança. Isso mesmo: deu-se o batismo católico e ainda uma “benção” de outras quatro religiões. Aí uma pessoa que cresce nesse meio, acaba por se contaminar, vai a uma Igreja onde se está rezando, como que a pessoa não vai manifestar? Em contato com o sagrado, tudo aquilo que está em poder de satanás se abala, e o poder de Deus age na pessoa. Essa, infelizmente, é a realidade em que vivemos. Dizem ser católicos, mas vão pra tudo quanto é buraco que oferecem coisas fáceis ou agradáveis. Assistem filmes de terror com sinais satânicos, usam símbolos de Nova Era, ouvem rock satânico, fazem consagrações ao demônio (mesmo sem saber, como é o caso de algumas músicas – em inglês, muitas vezes -, desenhos animados, filmes, programas de televisão, sites, etc.) Aí com o povo vivendo num paganismo desse, não tem como culpar a RCC ou qualquer outro movimento pela manifestação diabólica de uma pessoa. Temos que agradecer pelo Kerígma que está sendo anunciado, e também, como deveria ser, pela denúncia das falsas doutrinas.

Para aqueles que ainda ainda acham que só acontecem isso no meio dos carismáticos, quero citar algo que ocorreu em um TERÇO. Fui convidado para rezar um Terço na casa de um rapaz. Rezamos o Santo Terço conforme São Luís Maria Grignion de Montfort nos ensina. E durante o Terço o rapaz começou a passar mal. Só com o Terço. Rezamos por ele depois, pelo fato de ele estar passando mal. Agora vão proibir de se rezar o Terço? Claro que não, o Terço é a principal oração de libertação que nós temos. Mas falo isso para dizer que se você, seja carismático ou anticarismático, porém católico, enfim de qualquer espiritualidade, for rezar onde reina o paganismo, com a oração da Igreja, o demônio se manifestará. O povo não conhece a Deus. Devemos sair e evangelizar. E o fato de evangelizarmos verdadeiramente unidos ao Coração da Igreja, pregando a verdade, denunciando os erros, o demônio se manifestará. Uma outra vez ocorreu uma manifestação após rezarmos o Terço da Misericórdia. Como seu deu? Rezamos o Terço e começamos a cantar a música Cenáculo de Amor. Uma senhorinha começou a manifestar. Após rezarmos por ela e ela ficar bem, perguntei para a filha dela, se ela (a senhorinha) já tinha participado dessas práticas pagãs. Então fiquei sabendo que aquela senhorinha tinha passado 30 anos em centro de macumba e foi consagrada aos exús. Aí eu te pergunto: é problema dos carismáticos? Do Terço da Misericórdia? Terço Mariano? Não! O problema é as falsas doutrinas. Eu creio que nunca antes tivemos uma sociedade brasileira tão sincretista. E por aí vamos. Mas, sempre quando o mal aparece, temos a principal arma: Terço ou Rosário.

Enfim, sabe porque acontecem tantas manifestações? Porque o povo que vai pra Missa no domingo (e as vezes), talvez seus vizinhos, amigos, conhecidos, talvez façam isso que Deus abomina:
Quando tiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus, te dá, não te porás a imitar as práticas abomináveis da gente daquela terra. Não se ache no meio de ti quem faça passar elo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos augouros, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo ou à invocação dos mortos, porque o Senhor, teu Deus, expulsa diante de ti essas nações. Serás inteiramente do Senhor, teu Deus. As nações que vais despojar ouvem os agoureiros e os adivinhos; a ti, porém, o Senhor, teu Deus, não o permite.” (Deuteronômio 18,9-15)

Pergunte a muitos “católicos” o que acham disso. Perguntem se já frequentaram. Para quem acompanha o blog há algum tempo sabe que eu mesmo já participei outrora de espiritismo. E quantos e quantos que avançam até chegar a situações mais graves. No caso a infestação, manifestam, ou chegam drasticamente à possessão. Talvez muitos que estão frequentando os movimentos carismáticos (grupos de oração e eventos) estão com um pé em cada barca, e assim acabam vivendo com vida dupla, morna. Por não basta mandar renunciar as coisas do mundo durante uma oração, e mandar declarar Jesus Cristo como Senhor; é preciso denunciar as heresias e falsas doutrinas para que as pessoas saibam o que renunciar. Pois tem muita gente que de fato, sem conhecimento, e talvez até com sinceridade, diz nos grupos de oração que renunciam a tudo pra ser de Deus, mas continuam buscando “graças” nas mesas brancas de espiritismo, fazem despacho, encruzilhada, etc. Aí a pessoa manifesta e não se liberta totalmente. Por quê? Por que Deus age na vida dela, porém ela continua ignorante e volta ao mesmo lugar onde ela bebeu a água suja. Corte o mal pela raíz, em nome de Jesus! Hoje! Seja santo! Seja inteiramente do Senhor, teu Deus, que te comprou a preço de Sangue no madeiro da Cruz. Jesus é o Senhor, e só Ele pode te dar a verdadeira felicidade. Nos outros lugares podem te dar algo agradável momentaneamente, mas o que virá será a morte eterna no inferno (e antes disso, mais sofrimento na terra); porém, só Jesus Cristo, que está presente em todos os Sacrários da Igreja Católica, é que pode te dar a Água da Vida, o Espírito Santo, e a felicidade verdadeira em meio as cruzes, e a plena felicidade em união com Ele no Céu eternamente.

E para encerrar, quero citar o que o Catecismo da Igreja Católica diz a respeito dessas falsas doutrinas faladas aqui. E vejam que, infelizmente, muitos não seguem a Igreja, por isso com qualquer oração, mesmo leve, calma, acabam não aguentando e vemos o que vemos em alguns eventos. Segue o Catecismo:
Todas as formas de adivinhação hão de ser rejeitadas: recurso a Satanás ou aos demônios, evocação dos mortos ou outras práticas que erroneamente se supõe “descobrir” o futuro. A consulta aos horóscopos, a astrologia, a quiromancia, a interpretação de presságios e da sorte, os fenômenos de visão, o recurso a médiuns escondem uma vontade de poder sobre o tempo, sobre a história e, finalmente, sobre os homens, ao mesmo tempo que um desejo de ganhar para si os poderes ocultos. Essas práticas contradizem a honra e o respeito que, unidos ao amoroso temor, devemos exclusivamente a Deus.
Todas as práticas de magia ou de feitiçaria com as quais a pessoa pretende domesticar os poderes ocultos, para colocá-los a seu serviço e obter um poder sobrenatural sobre o próximo – mesmo que seja para proporcionar a este a saúde -, são gravemente contrárias à virtude da religião. Essas práticas são ainda mais condenáveis quando acompanhadas de uma intenção de prejudicar a outrem, ou quando recorrem ou não à intervenção dos demônios. O uso de amuletos também é repreensível. O espiritismo implica frequentemente práticas de adivinhação ou de magia. Por isso a Igreja adverte os fiéis a evitá-lo. O recurso aos assim chamados remédios tradicionais não legitima nem a invocação dos poderes maléficos nem a exploração da credulidade alheia.” (CIC 2116-2117) (Destaque nosso)

Símbolo do movimento "Milícia da Imaculada"
Infelizmente muitos já tiveram contato com isso. O que nos resta é rezar pedindo a graça da libertação. Muitos acham que não podemos pedir a libertação. Nós não podemos querer obrigar Deus a me dar uma cura ou uma libertação. Mas posso pedir a Deus a graça da libertação, deixando claro que me submeto à sua vontade. No Catecismo Maior de São Pio X encontramos o seguinte: “Sim, é lícito pedir a libertação de algum mal em particular, mas sempre entregando-nos à vontade de Deus, que pode, no entanto, ordenar aquela tribulação para proveito da nossa alma.” (nº319) – Portanto, irmãos, nos coloquemos sempre sob a vontade de nosso Misericordioso Deus, e peçamos a Ele a graça da realização da Sua vontade.


No mais cito aqui as palavras do Padre Duarte Sousa Lara, indicando o que os fiés que têm problemas espirituais, mas não tem exorcista em sua diocese (ou não tem próximo a sua cidade) devem fazer: "E quando não existe um padre exorcista onde você vive? O que fazer? Resposta: Santa Missa, sacramento da confissão, santo terço diário... É assim que vamos reagindo diante da ação do mal na nossa vida.

Se você está no pecado, meu irmão, o demônio consegue facilmente interferir na sua vida. Saia do pecado já! Se você estiver na graça de Deus, estará mais do que protegido contra o mal. Creia nisso!"


--------------------------------------------------

Além da pregação que está no início deste post, assista também as seguintes pregações:















(Nesta pregação, na segunda metade tem o Monsenhor Jonas Abib pregando sobre "Sim, sim; não, não" onde aborda o assunto)