domingo, 5 de janeiro de 2014

QUANDO O HOMEM TOMA O LUGAR DE DEUS NA IGREJA (liturgia)


Salve Maria Imaculada!

Deus está fora de moda! Sim, para muitas pessoas Deus está fora de moda. É algo ultrapassado. Perdoem-me as palavras que me referi para falar sobre Deus, como se fosse uma coisa qualquer. Mas é porque é assim mesmo que as pessoas estão fazendo. Deus, hoje, não tem ficado mais em primeiro lugar; quando está em segundo é “lucro” porque o homem pisou na Palavra de Deus, e Cristo tem ficado em último lugar.

Infelizmente até mesmo dentro da Igreja nós vemos que retiraram Deus do Seu lugar; tiraram nosso soberano Deus do lugar de adoração. E no lugar colocaram o homem. Sim, o homem virou seu próprio “deus”. Isso é uma realidade da sociedade em que vivemos. No entanto, eu não estou a me referir única e exclusivamente das pessoas que vivem nos pecados de luxúria, nas baladas, nas drogas e tantos e tantos pecados em que se cometem a todo momento ofendendo a santidade de Deus. A coisa é muito pior. Talvez tantos pecados estão sendo cometidos ao nosso redor pelo fato de até na Santa Igreja o homem tomou o lugar de Deus. Não que a Igreja ensine isso. Muito pelo contrário! Mas muitos, forçosamente, e de forma, até certo ponto, demoníaca, estão retirando Deus do centro da Igreja para colocar o ego, o eu, o tudo (sem Deus).

Nós podemos ver isso de forma clara – tão clara quanto triste – na liturgia. É notório que em muitos lugares a Liturgia da Santa Missa é completamente adulterada, retirando seu real significado, tirando o culto à Deus, colocando a exaltação do ser humano (e por que não adoração do próprio ser humano?). Lembrando que, apesar de muitos dizerem que é culpa do Concílio Vaticano II, os “estupros” litúrgicos não foram aprovados pelos documentos do CVII. Ou seja, é tudo fruto de um espírito de desobediência. Tanto é que se você perguntar para um modernista aonde que o CVII está aprovando uma missa sertaneja, pré balada, rock, e demais profanações, ele não apontará um documento oficial sequer. Por quê? Porque não existe. Entretanto documentos citando e proibindo os abusos tem aos montes. Mas o povo não quer seguir a disciplina da Igreja. Acham desnecessária. E assim assumem um espírito luciferino de dizer que não servirá (obedecerá) a Deus. E aqui obedecer a Deus pela Sua voz que é a voz da Igreja.

Quando uma pessoa deturpa a liturgia para unicamente agradar o homem, é um sinal de que o homem tomou o lugar de Deus. Você sabe o que é a Santa Missa? A primeira finalidade da Santa Missa é o culto a Deus! A Santa Missa não é meramente uma reunião de pessoas, fraternas, amiguinhas, que resolvem ouvir a Palavra de Deus para se confortarem. Não! A Santa Missa é um culto a Deus. Vale ressaltar que é o único culto agradável a Deus em sua totalidade. A Missa é o Santo Sacrifício de Cristo na Cruz. Na Santa Missa se oferece ao Pai o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, imolado na Cruz, em reparação aos nossos pecados, onde se chega a Misericórdia de Deus até nós. É na Santa Missa, pelas chagas de Cristo, pelo Seu lado aberto, que podemos adorar a Deus verdadeiramente e adorar o próprio Cristo.

Mas quando vemos que o sentido do Sacrifício da Missa é retirado, retira-se seu sentido por total, colocando o homem como centro. E o resultado? O resultado é uma tragédia gigantesca. Por que missa sertaneja? Porque querem agradar o homem, que quer festejar uma festa cowntry, misturando o profano com o sagrado. Por que missa pré balada? Porque Deus não é o mais importante, o importante é se divertir, dançar, e tudo mais, na missa, misturando mais uma vez o profano com o sagrado. Aliás, muitas vezes – queira Deus que eu esteja enganado – mistura-se o próprio ato de pecado com a Missa. Quando falo isso é pelo fato de como as coisas são conduzidas: música, dança, olhares, desejos... E Cristo agonizando o altar da cruz, diante de todos; e a maioria sem dar a mínima para o real sentido da Missa.

Mas vemos o homem tomar o lugar de Deus mesmo em missas tidas por normais. O que dizer das Missas celebradas onde a TL domina? Fora quando Cebs e afins não fazem uma profanação total. Mas nas que não “estupram” a liturgia como um todo, a gente vê nos cânticos que Deus não é mais o principal. O pobre toma lugar. O ser humano. Vale lembrar que não estou sendo contra a caridade. Mas estou e estarei contra ao assistencialismo barato. Sou contra e serei tirar a glória de Deus e colocar para qualquer ser humano.

E nós vemos isso claramente na liturgia. Por exemplo: Nas Missas solenes (inclusive nas dominicais, dependendo do tempo litúrgico) canta-se o Glória. O Glória é um hino de louvor e adoração à Santíssima Trindade. Em muitas paróquias, dominadas pela TL, a letra deste hino foi deturpado, e neste momento, na Missa, canta-se a Deus, mas tendo as ações sociais como o foco. Vejamos uma letra comum deles, tendo sublinhado o erro enquanto tirar Deus do Seu lugar e colocar o homem:

Glória a Deus nas alturas
é o canto das criaturas
Rios e matas se alegrem,
Teus povos por Ti esperam.
Paz para o povo sofrido,
é o grito dos oprimidos.
A terra mal repartida clama por justiça.

Glória, Glória te damos Senhor.
Glória, Glória, venha Teu Reino de Amor.

Glória, a Jesus nosso guia, Filho da Virgem Maria
Veio por meio dos pobres
pra carregar nossas dores
Filho do Altíssimo Deus,
por nós na cruz padeceu
Venceu a morte e a dor, para nos dar força e vigor

Glória ao Espírito Santo, que nos consola no pranto
Que orienta a Igreja, pra que do pobre ela seja
Que deu coragem a Pedro
e aos outros seus companheiros
que hoje junta esse povo a buscar um mundo novo.

Vejam que as palavras de louvor a Deus são trocadas por palavras que especificam ações de cunho social. É a “Igreja do pobre”, Jesus veio pelos pobres, povo oprimido, sofrido, justiça social. Enfim, num cântico que deveria-se estar exaltando a Deus. Não estou dizendo que a letra é herética. Mas é antilitúrgica. Está tirando Deus do centro, da adoração, e colocando problemas sociais. Fora que existe um detalhe que quase ninguém fala. Isso tudo é plano da Maçonaria. A Maçonaria também recomendava isso: nos cânticos – principalmente na Comunhão – não se cantasse músicas que falem de Jesus, mas de amor pelo próximo. Ou seja, neste caso, seguem a risca, tiram as palavras de louvor a Deus do Glória e colocam temas sociais. Então não se louva. Quando comunga o Corpoe o Sangue de Cristo, ao invés de adorar, louvar a Deus, fazer uma ação de graças, começa-se a cantar músicas com temas sociais, músicas protestantes, enfim...

No Glória, por exemplo, veja como é a letra original (existem algumas adaptações, mas muitos adaptam deixando sempre o caráter de adoração a Deus, e não o de exaltação do homem, como na letra acima)
Glória a Deus nas alturas
e paz na terra aos homens por Ele amados.

Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso
nós Vos louvamos,
nós Vos bendizemos,
nós Vos adoramos,
nós Vos glorificamos,
nós Vos damos graças,
por Vossa imensa glória.

Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito,
Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai:
Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós;
Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica;
Vós que estais a direita do Pai, tende piedade de nós.

Só Vós sois o santo;
Só Vós o Senhor;
Só Vós, o Altíssimo, Jesus Cristo;
com o Espírito Santo na glória de Deus Pai.

Amém.

Notaram a diferença? Esta é a letra original que deveria-se cantar em toda Santa Missa em que se é necessário cantar o Glória. Vejam que Deus é o centro, pois cantamos Glória a Deus, e não ao homem.

É triste ver que muitos se revoltarão contra este post, mas se revoltam com cantar, na hora da Comunhão, músicas que falam “nossa religião é libertadora”...

Quando nós fazemos nossa pastoral, vivemos em grupos, movimentos, ou seja lá o que Deus vos chamou a viver, mas pensando no homem por ele mesmo, tudo desmoronará. Nós vemos a destruição da liturgia porque colocam o homem no lugar de Deus. E onde se coloca Deus no seu devido lugar (afinal a Missa é pra Deus, e não para o homem) tem crescido o número de adeptos. Muitos dizem que fazem as “bagaceiras” toda pra atrair o jovem, porque tem que ser animado, porque o jovem não gosta da Missa “Miiiissa” mesmo. E cada vez mais as paróquias se afundam em sua espiritualidades, vivem de picuinhas, e a Paróquia virou uma ONG. Entretanto, onde se conserva um verdadeiro zelo pela liturgia, pelo sagrado, pela doutrina da Igreja, os jovens, os pobres, e todo o povo são atraídos. Vejam a quantidade de jovens que estão procurando a Missa verdadeira, independentemente do rito, Pio V ou Paulo VI, onde se está sendo celebrado o Sacrifício da Missa com zelo, o jovem tem corrido. Por quê acontece este fenômeno que vira a cabeça dos liberais? Porque o ser humano tem sede de Deus, e em muitas de nossas paróquias a gente tem encontrado o homem. E o homem agora corre para os lugares que preservaram e estão expandindo a verdadeira liturgia, a verdadeira vivência do Evangelho. O verdadeiro amor.

Normalmente se constroem as coisas nas Paróquias pensando nas pessoas. Enquanto deveria-se pensar em Deus. Ouvi um comentarista durante certa cerimônia, inocentemente, falar “tudo isso foi feito com muito amor pra vocês” - Gente, por isso as coisas dão errado. As coisas da Paróquia, o Grupo de Oração, o Movimento, a Pastoral, tudo tem que ser pensando em Deus, em agradar a Deus. Pensemos mais em agradar a Cristo, porque na situação em que vemos em muitos lugares, já virou idolatria, rebeldia, e até mesmo pecado contra o Espírito Santo (não aceitar a verdade revelada).

E para encerrar, quero lembrar do Papa Francisco, que disse em uma homilia que se não confessarmos Jesus Cristo Crucificado, tornamo-nos em uma ONG piedosa.

O povo cristão, por sua parte, tem direito a que o Bispo diocesano vigie para que não se introduzam abusos na disciplina eclesiástica, especialmente no ministério da palavra, na celebração dos sacramentos e sacramentais, no culto a Deus e aos santos.” (REDEMPTIONIS SACRAMENTUM nº 24)
Estamos no nosso direito de querer uma liturgia onde Deus é o centro. Onde Deus é adorado. E o homem? O homem adora o seu Criador. O homem adora o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Salve Maria Imaculada!

São Padre Pio, exemplo de quem amava a Missa e colocava Cristo no centro. rogai por nós.









Nenhum comentário:

Postar um comentário