sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

O NOVO PENTECOSTES VEM DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA


Todos eles perseveravam unanimemente na oração, juntamente com as mulheres, entre elas Maria, mãe de Jesus, e os irmãos dele.[...] Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo, que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” (Atos dos Apóstolos 1,14/2,1-4)

Salve Maria Imaculada!

Muito se tem escrito e pregado sobre esta passagem que acabamos de ler. Mas gostaria de forma particular em chamar a atenção para o trecho sublinhado. Muitos não vivem este Novo Cenáculo – ou estão vivendo um falso cenáculo – porque não se atentaram para estre trecho. Diz a Sagrada Escritura que os Apóstolos perseveravam unanimemente na oração com Nossa Senhora. Não foi isso? Permaneciam em oração com todos que estavam lá, obviamente, porém, a Cheia de Graça estava a orar com eles. E onde a Cheia de Graça, onde a Imaculada, onde a Esposa do Espírito Santo está, aí também está o Santo Espírito. Aí está o segredo: se queremos viver um novo Pentecostes, ser mergulhado, viver uma nova Efusão do Espírito Santo, devemos ser devotíssimos da Virgem Maria. E quanto mais amarmos Maria Santíssima, quanto mais deixarmos agir por meio dEla, mais cheios do Espírito Santo nós seremos.

Isso é mostrado na própria Sagrada Escritura. De todos os que estavam no Cenáculo esperando o envio do Paráclito, somente a Virgem Maria já o conhecia. Claro, todos tiveram experiências, viveram com Cristo, viram o poder de Deus se manifestar. Mas uma experiência pessoal, eles não tiveram. Mas a Virgem Maria sim. O anjo Gabriel disse para Nossa Senhora: “O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra.” (Lc 1,35). E de fato, o Espírito Santo desceu sobre Ela, envolveu, a tomou por completo, e nossa Mãe querida se tornou cheia do Espírito Santo. Para gerar o Filho de Deus Ela se tornou a Esposa muito amada do Espírito Santo.

Onde Maria Santíssima está, aí também se encontra o Espírito Santo. Para entendermos o porque a oração de Nossa Senhora atraiu de forma extraordinária o Espírito Santo naquele Cenáculo, nós podemos ler o que ocorreu com Santa Isabel quando a Virgem Maria lhe visitou: “Naqueles dias, Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. E exclamou em alta voz: 'Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio. Bem aventurada és tu que creste, pois se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas!'” (Lc 1,39-45) -Observem a parte em destaque! Ora, apenas Nossa Senhora saudou Isabel, João Batista no seio de Isabel estremece de alegria, e a própria Isabel fica cheia do Espírito Santo. É isso o que acontece com quem se aproxima de Nossa Senhora: fica cheio do Espírito Santo e estremece de alegria. Exulta! E adora ao Deus uno e Trino! Por isso que no Cenáculo o Espírito Santo veio e tomou de conta de tudo. Deus Pai e Jesus enviaram o Santo Espírito que, não apenas com a presença de Sua Esposa com os Apóstolos, mas ouvindo clamor de Maria Santíssima, desceu e trasbordou. Todos foram queimados na sala do Cenáculo. Foram queimados pelo fogo do divino amor. Por isso é válido dizer que quem não faz como Isabel que bendisse Maria Santíssima, não está cheio do Espírito Santo. Pois quanto mais uma pessoa saúda Maria e lhe bendiz, mais Ela é cheia do Espírito Santo; e quanto mais ela é cheia do Espírito Santo, mais saúda Maria Santíssima e lhe bendiz.

Isso é uma verdade que foi esquecida por muitos. Sem Nossa Senhora não tem novo Cenáculo. Só tem gente clamando. Mas o nosso clamor só será atendido de forma plena unidos ao Coração materno de Nossa Senhora. Nós vemos muitos grupos de oração, na maioria da Renovação Carismática Católica, clamando um novo Pentecostes, mas jogam fora o “imã” que atraiu o Espírito Santo. Quantos e quantos grupos de oração jogam a Virgem Maria para o canto, como se fosse dispensável! É uma tristeza enorme constatar essa realidade. Um momentinho brevíssimo (quase que sistema de cotas ou algo “só pra não dizer que não falei de Maria”), nem rezam o terço (nem no grupo e nem no dia a dia de forma pessoal), e o que temos visto? Cada vez mais grupos menos católicos e mais protestantes. Grupos vazios... Não que o grupo de oração tenha que estar sempre lotado. Muitas vezes o Espírito Santo opera maravilhas retumbantes quando tem poucas pessoas no grupo; mas vemos muitos grupos vazios não só de pessoas, mas de unção. Vazios de essência, de amor, de verdade. E por mais que eu procure respostas para o esfriamento espiritual que vive a Igreja em muitos lugares, e o esfriamento (e por que não apostasia) da RCC, a única resposta que me vem é: largaram a devoção a Nossa Senhora.

A Beata Elena Guerra, padroeira da Renovação Carismática Católica aqui do Brasil, escreveu algumas cartas ao Papa Leão XIII pedindo a consagração do Século XX ao Espírito Santo. Ela recebeu essa inspiração. E ela mandou ao Papa uma novena de Pentecostes. Mas eu queria chamar atenção para a primeira Carta que ela escreveu ao Papa Leão XIII nessa intenção. Na carta datada do dia 17 de Abril de 1895, a Beata escreve algo que talvez para muitos não passe de uma análise histórica; porém, já seria um gancho para uma profecia que estaria por vir. Diz Elena Guerra: “Santo Padre, o mundo é mal, o espírito de satanás triunfa na pervertida sociedade e uma multidão de almas se distanciam do Coração de Deus. Nestas tristes condições, os cristãos não pensam em dirigir unânimes súplicas Àquele que pode “renovar a face da terra”. - Em primeiro lugar parece com o Cenário atual em que nós vivemos, não? O demônio solto, a sociedade cada vez mais pervertida, e até mesmo dentro da Igreja a gente vê o demônio zombando de Deus. Será que não tem faltado a gente rezar pedindo ao Espírito Santo que renove a face da Terra? De fato, falta oração. Só que nessa mesma carta, a Beata Elena Guerra no alto fervor ao pedir a consagração do século XX ao Espírito Santo, fala mais uma coisa que é a chave de vivermos no esfriamento espiritual: “E a nossa amadíssima Mãe Maria que esteve com os Apóstolos naqueles nove dias benditos, e com eles orou, não estaria também conosco neste Novo Cenáculo? E não nos concederia antecipadas e copiosas misericórdias?” Olha só! Não! Infelizmente, não. Não, Beata Elena Guerra, muitos dos que dizem clamar um novo Pentecostes, um Novo Cenáculo, esqueceram a nossa amadíssima Mãe Maria, e por isso não nos são mais concedidas antecipadas e copiosas misericórdias. Por isso está tudo seco. Repito: tiraram o “imã” que atraia o Espírito Santo. E aqui, a própria padroeira da RCC do Brasil diz que este Novo Cenáculo é com Nossa Senhora. Se você achar a devoção a Nossa Senhora algo dispensável, ou algo comum, algo que não influencia em nada para você se tornar “cheio do Espírito Santo”, você é um hipócrita e se você não se consagrar inteiramente à Nossa Senhora, em pouco tempo se tornará um herege protestante. Porque é isso o que tem ocorrido. Quer os dons e carismas do Espírito Santo? Queira também a Virgem Maria que é a tesoureira e distribuidora destes dons e carismas, e assim, por ação dEla, serás livre da ilusão do demônio.

O fato é que o século XX foi consagrado ao Espírito Santo. Algumas pessoas gostam de ligar este acontecimento ao Concílio Vaticano II. Afinal, o Beato João XXIII na abertura do Concílio pedia um novo Pentecostes. Tem a ver? Talvez. Outras pessoas costumam ligar esta consagração ao fato do surgimento dos movimentos carismáticos (lembrando que os dons e carismas existiram, porém não em fenômenos de massa como passou a surgir na segunda metade do século XX). Tem a ver uma coisa com a outra. Talvez. O que eu tenho de certeza no meu coração é que essa consagração do século XX ao Espírito Santo tem a ver com um outro fenômeno que parou o mundo todo, mas poucos fazem essa ligação. A Beata Elena Guerra escreve ao Papa em 1895 dizendo ao Papa que o mundo é mal, o espírito de satanás triunfa na pervertida sociedade e uma multidão de almas se distanciam do Coração de Deus. Ora, São Maximiliano Maria Kolbe dizia que “Maria, porém, é tão indizível e perfeitamente unida com o Espírito Santo, que ele não age de outra maneira, a não ser por meio dela, sua esposa”. Ou seja, o que é consagrado ao Espírito Santo, automaticamente também o é a Nossa Senhora; e o que é consagrado à Nossa Senhora, também o é, perfeitamente, ao Espírito Santo. Onde está o Esposo (Espírito Santo) está a Esposa (Maria Santíssima). E no século consagrado ao Espírito Santo, quem trouxe a resposta foi Nossa Senhora.

espírito de satanás triunfa na sociedade; Nossa Senhora aprece em Fátima em 1917 e diz: POR FIM O MEU IMACULADO CORAÇÃO TRIUNFARÁ! Ou seja: “satanás sua ameba insignificante, você tem triunfado, aparentemente ganhado, pois o mundo se tornou mal, e tudo são ofensas a Deus. Mas fique sabendo seu dragão maldito, que POR FIM quem triunfará será o Imaculado Coração de Nossa Senhora! Por fim a Mulher vence o Dragão (Apocalipse 12).” Eis a resposta, mostrando mais uma vez que o Novo Pentecostes vem do Imaculado Coração de Maria. E se nós temos que clamar o Espírito Santo para que renove a face da terra, temos que fazer isso em união com o Imaculado Coração de Maria; pois de outra maneira, a face da terra não será renovada, pois essa renovação consiste no triunfo do Imaculado Coração de Maria. Por isso é comum nós vermos grupos vazios, ou mesmo cheios, onde não tem unção, ou outros com sentimentalismo exagerado; e o comum entre eles: falta de devoção à Nossa Senhora. O povo está em pecado dentro da própria Igreja porque tiraram Nossa Senhora do lugar dela, e, perdoem-me o termo, pisaram na Virgem Maria. Enquanto nós só receberemos a efusão do Espírito Santo por meio de Nossa Senhora, a gente continua vivendo de migalha, de fagulhinhas, enquanto a gente tem o fogo que não se apaga. E esse fogo vem do Coração de Nossa Senhora.
Se a Beata Elena Guerra, em sua primeira carta ao Papa pedindo a consagração, dizia que o

Quer mais provas? Pois bem. Um dia Nosso Senhor Jesus Cristo pediu para Santa Faustina rezar uma Novena por sua pátria, a Polônia. A novena consistia em ela fazer, por nove dias, uma adoração ao Santíssimo Sacramento EM UNIÃO COM O CORAÇÃO DE NOSSA SENHORA. Ela pediu autorização aos superiores e fez. O que aconteceu? Em um dos dias da novena, enquanto ela adorava o Santíssimo Sacramento, ela viu Nossa Senhora no céu, e do coração de Nossa Senhora saiam raios de fogo. Alguns destes raios de fogo subiam ao Céu e outros cobriam a terra. Ora, meus caros irmãos e irmãs, o que será que isso significa? Não sejamos cegos! Se nós clamamos o fogo do Espírito Santo, você tem que clamar por meio de Nossa Senhora, porque o fogo do Espírito Santo vem do Imaculado Coração de Maria. Nesta visão nós podemos ver que nossas orações sobem ao Céu por meio do Imaculado Coração de Maria; e as graças e bençãos do Céu descem até nós por meio do mesmo Imaculado Coração. O fogo do Espírito Santo que virá sobre a terra e “renovará a face da terra” vem deste Imaculado Coração. Querer Espírito Santo sem querer Nossa Senhora é hipocrisia (pra não dizer burrice). Deixe de ser besta, se consagre a Nossa Senhora e passe a rezar o Rosário, e verás as maravilhas de Deus na sua vida.

Tudo isso confirma o que São Luís Maria Grignion de Montfort já havia dito ao escrever o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria. Disse são Luís: Maria produziu, com o Espírito Santo, a maior maravilha que existiu e existirá – um Deus-homem; e ela produzirá, por conseguinte, as coisas mais admiráveis que hão de existir nos últimos tempos. A formação e educação dos grandes santos, que aparecerão no fim do mundo, lhe está reservada, pois só esta Virgem singular e milagrosa pode produzir, em união com o Espírito Santo, as obras, singulares e extraordinárias. Quando o Espírito Santo, seu esposo, a encontra numa alma, ele se apodera dessa alma, penetra-a com toda a plenitude, comunicando-se-lhe abundantemente e na medida em que lhe concede sua esposa; e uma das razões por que, hoje em dia, o Espírito Santo não opera, nas almas, maravilhas retumbantes, é não encontrar ele uma união bastante forte entre as almas e sua esposa fiel e inseparável.” (T.V.D nº 35 e 36) – Isso é óbvio! Se hoje existe um esfriamento espiritual, se hoje nós vemos o Espírito Santo fazendo pouco (pelo menos em relação ao que Ele gostaria de operar), é porque não tem encontrado em nossa alma a Virgem Maria. Isso é claro na própria Renovação Carismática Católica. Ela foi e é sustentada por Nossa Senhora. No dia que abandonarem de vez a Virgem Maria, cai tudo. Falo isso porque sempre é falado que os próprios que estavam no surgimento da RCC, quando vem ao Brasil, falam que se não voltarem a devoção a Nossa Senhora, a RCC acabará. Muitos citam abusos da RCC. De fato, no Brasil ela tem sido muio zoada. Mas, no geral, é mais no Brasil que acontece essa papagaiada. Motivo? Falta de devoção a Virgem Maria. Se nós queremos ver o Espírito Santo operar maravilhas retumbantes, milagres, ver uma nova unção e ver o Espírito renovar a face da terra; devemos clamar Àquele que pode renovar a face da terra, mas em união com Nossa Senhora; devemos clamar a Virgem Santíssima que disse que Seu Coração triunfaria; devemos clamar o fogo vindo do Coração Imaculado de Nossa Senhora. Se falam de Pentecostes, de Cenáculo, mas não falam de Nossa Senhora, tome cuidado. Aqui devemos entender que o Cenáculo deve ser mais do que com Nossa Senhora; o Cenáculo aqui é a própria Virgem Maria, é o Seu Imaculado Coração.

E São Luís ainda dizia: “Deus Espírito Santo comunicou a Maria, sua fiel esposa, seus dons inefáveis, escolhendo-a para dispensadora de tudo que Ele possui. Deste modo ela distribui seus dons e suas graças a quem quer, quanto quer, como quer e quando quer, e dom nenhum é concedido aos homens, que não passe por suas mãos virginais.” (T.V.D 25) – Pois é, e tem gente que insiste em clamar o Espírito Santo sem Nossa Senhora. Fazer isso é tomar posse de um orgulho luciferino. Claro que não devemos buscar a Deus e a Virgem Maria unicamente pelos dons e carismas. Mas se Deus os concede, concede por meio de Nossa Senhora. E se a pessoa fica clamando dons, carismas, graças, sem Nossa Senhora, muitas vezes, cai num perigo gritante de estar em erro. E nessa brincadeirinha, não poucos caíram em heresias e se perderam. Simplesmente porque não tiveram a humildade de pedir por meio de Nossa Senhora. O mesmo orgulho luciferino presente nos protestantes que dizem “posso pedir direto a Deus”. E muitas vezes, clamam, clamam, clamam, se cansam, o diabo entra no meio da história, e se perde. Mas se clamassem com o Rosário, se clamassem com um “Vinde Espírito Santo, vinde por meio do Imaculado Coração de Maria, vossa amadíssima Esposa” o Espírito Santo incendiaria o nosso ser. Mas infelizmente muitos tem deixado de clamar com Maria, por Maria e em Maria. E por isso o teu fogo é fogo de palha. Os consagrados a Virgem Maria que lhe são fiéis não tem fogo de palha, pois o fogo que lhes queima é alimentado pela chama viva do Coração de Nossa Senhora. É um fogo que nunca se apaga. Pode cessar os carismas, consolações espirituais, ações extraordinárias, pode vim cruzes, tormentos, tentações, pertubações, perseguições, mas quando se é consagrado a Nossa Senhora, mas um consagrado fiel mesmo, tem sempre o fogo sendo alimentado pela Virgem Santíssima.

Quando até temos uma experiência com o Espírito Santo, mas, humanamente, se quer deixar Nossa Senhora de lado, acaba-se por se tornar algo sentimental. Ela é quem forma os santos e fará com que a pessoa persevere. Já ouvi falar de coordenador de grupo de oração que falou que você pode rezar um Rosário, mas nada se compara a uma oração ao Espírito Santo. Pobre coitado! Com o que já vimos aqui neste texto, vemos que ele está redondamente enganado. Se lermos outro livro de São Luís chamado “O Segredo do Rosário” veremos as maravilhas retumbantes que o Rosário opera. Aliás, o próprio Papa Leão XIII indicava o Rosário para a união dos cristãos. No livro “O Segredo do Rosário”, São Luís cita que um padre encontrou uma ordem religiosa destruída: povo sem viver a regra, entregues ao pecado, enfim, uma perdição toda. O padre ao pregar lá, ao invés de pregar contra a imoralidade encontrada lá, o que fez? Pregou sobre o Rosário! E o que aconteceu? Pasmem! As religiosas abraçaram a devoção ao Rosário, e em pouco tempo elas emendaram suas vidas e elas mesmas pediram para que reformassem a ordem e mudassem a regra para que fosse mais rígida. Ora, o que fez com que mudassem de vida? O Rosário! Por acaso essa não é a ação do Espírito Santo? Como são cegos. Pregam o sentimentalismo, e não a ação do Espírito Santo. Sabem por que nos grupos as pessoas até sentem consolações mas não se convertem? Porque nem se prega e nem se reza o Rosário. Nem mesmo os pregadores e os coordenadores. Aliás, muitos nem mesmo o Santo Terço tem rezado. Mas se brincar pra uma heresia protestante são abertos. Vai entender esse povo.

Para você entender como o Espírito Santo age por meio de Nossa Senhora, e que a devoção a Nossa Senhora é necessária para a nossa salvação, veja só o que São Luís nos cita no “O Segredo do Rosário” citando São Domingos de Gusmão:

Evite cuidadosamente fazer o que certa piedosa mas voluntariosa senhora de Roma fez. Era uma pessoa tão piedosa e fervorosa que com sua vida santa confundiu os religiosos austeros da Igreja de DEUS.
Ao pedir a São Domingos que lhe aconselhasse sobre sua vida espiritual ela pediu-lhe que a ouvisse em confissão. Por penitência, ele lhe mandou que rezasse um Rosário completo e aconselhou-a que o rezasse diariamente. Ela disse que não tinha tempo para rezá-lo, desculpando-se e dizendo que tinha que fazer as Estações de Roma todo dia, que vestia roupas de sacas, camisas de cilício, que tomava disciplina sobre si várias vezes por semana, que tinha tantas outras penitências e que jejuava bastante. São Domingos aconselho-a novamente e várias outras vezes a seguir seu conselho e rezar o Rosário, mas ela continuava a recusar. Ela saiu do confessionário, horrorizada pela tática de seu novo diretor espiritual, que arduamente lhe persuadia a seguir a devoção que não era de seu agrado.
Mais tarde, quando ela estava orando, caiu em êxtase, e viu sua alma se apresentando diante do Trono do Julgamento de NOSSO SENHOR. São Miguel pôs todas as suas penitências e outras orações em dos pratos da balança e todos os seus pecados e imperfeições no outro. O prato das boas obras ficou grandemente suspenso sem conseguir equilibrar ao outro dos pecados e imperfeições.
Cheia de espanto ela clamou por misericórdia, implorando o auxílio da Santíssima Virgem, sua graciosa advogada, que pegou o único Rosário que ela tinha rezado por aquela penitência e o pôs no prato das boas obras. Só este único Rosário era tão pesado que pesava mais que todos seus pecados e também suas boas obras. Nossa Senhora, então, repreendeu-a por não ter seguido o conselho de seu servo Domingos e por não ter rezado o Rosário diariamente.
Logo que voltou a si, correu e se pôs aos pés de São Domingos e lhe disse o que acontecera, implorou seu perdão por não ter acreditado e prometeu rezar o Rosário fielmente todos os dias. Por este meio ela se elevou à perfeição cristã e finalmente à glória da vida eterna.
Vocês que são pessoas de oração, aprendam disto quão grandioso é o poder, o valor e a importância desta devoção do Santíssimo Rosário quando o mesmo é rezado e unido à meditação sobre os Mistérios.”

É, muitos ainda dizem que é melhor fazer uma oração ao Espírito Santo. Pobres coitados. Pobres hipócritas. Além de se contentar com folgo de palha e não com a verdadeira fogueira, ainda colocam em risco a própria salvação.

Acho que por hora basta para entendermos que o Espírito Santo só haje por Maria Santíssima. Leia o Tratado da Santíssima Virgem Maria, escrito por São Luís Maria Grignion de Montfort, e se consagre como escravo por Amor de Nossa Senhora. Sejamos todos escravos de Maria. Sejamos escravos de Jesus por Maria. Para vocês terem uma ideia de como o Espírito Santo age na vida dos escravos de Nossa Senhora, olhem a vida de São João Bosco, do próprio São Luís, do Beato João Paulo II, Santa Teresinha, Santa Faustina. Enfim, olhem a vida da Beata Elena Guerra. Isso mesmo! A Beata Elena Guerra era escrava de Nossa Senhora desde os cinco anos de idade e usava uma fita azul com a medalha de Nossa Senhora como sinal. E para vocês terem uma ideia de sua entrega total à Virgem Maria, a Beata Elena Guerra dizia: “O Espírito Santo comunica-se com maior abundância às almas em que se encontram Maria, pois, assim como Maria Santíssima esteve presente no Cenáculo, também agora para se receber o Espírito Santo é necessário a plenitude de Maria. Se quisermos, também nós, recebermos o Espírito Santo, procuremos ter Maria como mestra, companheira de oração e medianeira de graça.”. Amém?

Por agora é isso. Salve Maria Imaculada, Esposa do Espírito Santo!

)

Nenhum comentário:

Postar um comentário