terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Origem do mal da sexualidade desregrada (Masturbação, pornografia, músicas, etc.)


 Vivemos em uma sociedade que tudo é erotizado. Então juntando a erotização com a globalização, encontramos a: PERDIÇÃO DO MUNDO! Devemos nos atentar principalmente com as criancinhas, pois elas estão expostas aos mais terríveis pecados desde muito cedo. Já vi fotos na internet, em que as pessoas levam na brincadeira um pai ficar mostrando revista “playboy” para pequeninos. Isso mais a frente pode ser levado para o inconsciente daquele pequenino, que mais tarde ao ser adulto, poderá ter problemas na área da sexualidade.

Mas talvez você concorde comigo que realmente é um absurdo as crianças terem acessos a revista e filmes pornográficos. Mas existem coisas maliciosas que denigrem a sexualidade desde muito cedo, e que, no entanto, não é repudiado, mas sim incentivando. É o caso do Carnaval. Falando exclusivamente de desfiles de escolas de samba, em que trazem várias mulheres vulgares, que andam seminuas (nuas bem dizer), assim como também homens, e que fazendo da avenida, da TV, e da casa das famílias brasileiras (e até do mundo) grande oportunidade de entrar disfarçadamente no inconsciente de cada um, trazendo distúrbios. Muitos dizem que desfile de escola de samba é sadio, e que não traz mal algum. Tudo conversinha pra alma se perder. Digo por experiência própria, eu com muito pouca idade (5 ou 6 anos), ficava acordado até tarde da noite (ou madrugada) para assistir os desfiles. E ao contrário do que muitos dizem, não era pra ver um evento cultural, mas sim para ver as mulheres vulgares que andavam com os seios e o resto de fora. Isso pode ter levado a grandes batalhas para viver a castidade, e problemas na área da minha afetividade, que é tratado com muita oração.

Quando eu era criança, graças a Deus ainda não existia algo que é bom, mas pode se tornar arma do diabo: a internet. Era algo de difícil acesso na época, mas hoje quase todas as casas têm internet, se não tem em casa conhece alguém que tenha e/ou tem como pagar uma Lan House. E inevitavelmente, instigados pelo maligno, acabam conhecendo sites que não ensinam a rezar, mas a ver conteúdos proibidos até para adultos, que acabam por ferir a sua sexualidade desde muito cedo. Alguém que se masturba logo cedo, poderá ter grandes problemas na sua sexualidade dependendo do grau em que o pecado se instalou em si. Já ouvi casos de que homens não conseguiam sentir prazer com suas esposas, e preferiam se masturbar. O pecado ai não é mais casual, mas já está em estagio de vício. Uma pessoa viciada, e nesse vicio pecaminoso especificamente, é uma pessoa infeliz, que precisa de ajuda e de cura e libertação. Largar esse vício é extremamente difícil quando essa pessoa já se entregou completamente as concupiscências da carne. As pessoas se afundam cada vez mais neste tipo de pecado porque existe uma barreira invisível que as impedem de falar sobre isso. Não é dizer pra todo mundo que se masturba, mas sim exortar as pessoas de que isso é um pecado. Conheço pessoas que diziam que a masturbação não é pecado, e sim conhecimento do corpo – inclusive existem padres com este pensamento – mas isso é um pecado, pois na masturbação irá nascer uma vida? É forma de amor com outrem?

Eis o que o Catecismo da Igreja fala sobre a masturbação: "§2352 Por masturbação se deve entender a excitação voluntária dos órgãos genitais, a fim de conseguir um prazer venéreo. "Na linha de uma tradição constante, tanto o magistério da Igreja como o senso moral dos fiéis afirmaram sem hesitação que a masturbação é um ato intrínseca e gravemente desordenado." Qualquer que seja o motivo, o uso deliberado da faculdade sexual fora das relações conjugais normais contradiz sua finalidade. Aí o prazer sexual é buscado fora da "relação sexual exigida pela ordem moral, que realiza, no contexto de um amor verdadeiro, o sentido integral da doação mútua e da procriação humana". 

Para formar um justo juízo sobre a responsabilidade moral dos sujeitos e orientar a ação pastoral, dever-se-á levar em conta a imaturidade afetiva, a força dos hábitos contraídos, o estado de angústia ou outros fatores psíquicos ou sociais que minoram ou deixam mesmo extremamente atenuada a culpabilidade moral." 

A masturbação cometida tanto por homem quanto por mulher é pecado. Não se deve omitir essa verdade. Quando se diz que se deve levar em conta a imaturidade afetiva, não podemos nos esquivar de dizer que: muitos dos que cometem tais pecados tem maturidade o suficiente de saber que isto é um erro. Muitos a cometem por bel-prazer, e muitas vezes nem os confessa. E as outras coisas citadas como a força dos hábitos contraídos, o estado de angústia ou outros fatores psíquicos ou sociais que minoram ou deixam mesmo extremamente atenuada à culpabilidade moral; é extremamente importante ressaltar que uma pessoa que freqüenta a Igreja, e até trabalha em pastorais não pode dizer que não sabe ou que não tem culpa moral, pois tem pleno conhecimento. Veja: uma criança que desde muito cedo se perde em tais atos, a Igreja a trata com cuidado, pois lhe trará traumas (força dos hábitos contraídos ou a angústia). Fiz questão de falar isso, pois deixo claro a vocês que não podem dizer coisas do tipo “ah não existiu pecado na minha masturbação porque eu estava muito angustiado com os problemas; terminei com minha namorada(o), etc.”
Eu tenho uma enorme preocupação com as crianças. Que criança hoje não está curtindo um funk e rebolando? Hoje é motivo de orgulho para muita gente ver o filho ou a filha dizendo que é prostituto(a), porque esse é o bonde. E falar e fazer coisas que não posso falar aqui pelo baixo nível. A música adoece a nossa sexualidade. O funk é o principal vírus causador dessa doença. Na minha época o funk era menos erotizado – ou pelo menos crianças não tinham acesso tão fácil como hoje, e nem os pais e/ou responsáveis não eram tão compassíveis - era algo mais sadio, tinha coreografias menos agressivas a integridade moral das pessoas. Hoje o que se vê, ou melhor, o que se ouve no funk é nada mais nada menos do que o sexo (ou a baixaria) cantado, e que também é praticado em muitas casas de shows (bailes funks), e nas casas das famílias brasileiras. Mulheres que se vestem de forma totalmente baixa e vulgar, homens que não se respeitam e menos ainda as mulheres. Mulheres essas que também não se respeitam e tem prazer em ser chamadas de “cachorra”. Isso é o que o estilo musical chamado funk ensina as crianças, que se tornaram adolescentes e adultos impulsionados a viverem de sexo. Já vi vídeos de crianças dançando danças erotizadas, e que os pais filmavam e sentiam orgulho disso. Mas não só o funk, muitos outros ritmos acabam por ter uma proposta erotizada; é comum também ter casos no forró, axé, rock, rap, sertanejo, etc. Quem nunca viu um clipe de algum Rapper americano que não tivessem acontecendo festas semelhantes a bailes funk? Depois quando adultos e férteis têm um monte de filhos, sem condições, sem casamento vem dizer que a culpa é da Igreja que proíbe a camisinha,  e quando pega um monte de doenças a culpa é da Igreja.
 A televisão dá muita atenção para isso, programas que a intenção é ensinar isso. E mesmo quando acham que não se tem nada de demais, como programas com mulheres seminuas. Se para um adulto já causa alienação, imagine para uma criança que cresce vendo isso. É desde cedo corrompido. Lembro-me que Madre Teresa de Calcutá se preocupava muito com os pequeninos do Senhor que se perdiam no pecado. E nós, no entanto, não fazemos nada pra mudar isso, fazemos é aplaudir. Muitos acham que a criança não tem pecado por ser pequena, mas o pequeno pecador de hoje é o viciado amanhã. Lembro-me que meu primeiro beijo foi muito cedo, antes dos 6 anos de idade. Por quê? Talvez porque via muita novela com casais se beijando. E existe gente, como já vi casos, de que não ficaram apenas no beijar antes da pré-adolescência. Isso é o que a mídia televisiva nos ensina: perder a pureza, perder a alma.

Os pais também têm boa culpa em alguns casos. Existem pais que incentivam que os filhos comecem a namorar desde cedo (ou pelo menos dar beijos). Em sua maioria os filhos homens, são ensinados desde cedo por seus pais, a serem exímios caçadores de mulher. E ai essa criança vai viver a vida caçando e matando mulheres, matando pelo coração. E fazem isso porque são ensinados pelos pais a serem os “machões”, porque tem que “pegar” todas, e etc. Quanta perdição! Quantos casos em que já vimos que o próprio pai levou filhos a pontos de prostituição para perderem a virgindade. Misericórdia Senhor! Fazendo uma comparação: “Não prostituas tua filha, para que a terra não se entregue à prostituição e não se encha de crimes”. (Levítico 19,19). O nosso falar perto de crianças também pode contaminar um pequenino do Senhor. Quantas vezes não falamos coisas depravadas, que contaminam adultos, e instiga crianças a fazerem a mesma coisa. É preciso ser irrepreensível em tudo, vacilar sem se importar em corrigir-se, pode ser trágico.

As pessoas devem parar com a hipocrisia de que se deve conversar sobre sexo com os filhos. Isso não basta. Pois muitas vezes quando se fala sobre, se fala incentivando, e não se ensina a ser castos. Principalmente falando do lado do homem, é difícil para um pai dizer pro filho que ele deve esperar até o casamento. Que caia por terra isso no Nome poderoso de Jesus Cristo! Digo isso porque as pessoas se alienam nessa idéia, e ensinam para ser colocado em prática de forma errada. Minha mãe sem instrução, certa vez, chegou em casa e me deu algumas camisinhas, porque davam aonde ela trabalhava (órgão do GDF); e muitos aconselhavam que me desse as camisinhas pois, segundo eles, eu estava “na idade”. Ninguém ensina aos pais que cheguem para conversar com os filhos, ensinando os mandamentos de Deus e dizendo que devem se guardar para o casamento, e que se sentir vontade de transar, reze um terço. Mas trocam o terço por camisinha, Deus por sexo, e Céu por inferno.

As escolas têm certas atitudes estúpidas. Nunca tive aula de educação sexual na minha vida. Tive talvez uma vez (que se pode tirar alguma coisa de proveito), porque normalmente não se da aula de educação sexual, mas sim aula de como se fazer sexo. Estão incentivando os adolescentes a praticarem sexo. Lembro-me de quando tinha 10 anos, foram profissionais da saúde na escola em que eu estudava dar palestras sobre sexo. Foi bom aprender sobre algumas doenças, mas no mais, incentivavam a prática em alguns casos. E outra vez já no ensino médio, foram profissionais da saúde que pareciam profissionais de sexy shop; levaram para a palestra um pênis de borracha e uma caixinha que tinha uma abertura parecida com uma vagina. E chamaram dois voluntários, que aprendiam a colocar a camisinha masculina e feminina. Já até imaginam como foi àquela sala cheia de adolescentes que desde cedo já tinham a sexualidade ferida pelo mundo. E nas escolas hoje em dia, existe um projeto que está em teste em duas escolas públicas no Brasil, de se colocar uma máquina de camisinha a disposição dos alunos. Agora, máquina de terços, bíblia, livro dos
santos, catecismo, ninguém coloca a disposição pros alunos não é mesmo?

Se desde cedo ensinarmos as coisas de Deus para as crianças, ensinarmos a rezar, elas se tornarão pessoas que viverão a santidade. Mas se começarmos desde cedo as ensinando a cometer tudo quanto é tipo de pecado, elas se tornarão pecadores em série que viverão para o pecado, ou seja, viverão para a morte.

(Retiro de: Sede Santos! - Anderson Carlos Bezerra - Faça download gratuito aqui)

Um comentário:

  1. GALERA, JESUS DERRAMOU O SANGUE DELE PARA SALVAR TODA A HUMANIDADE ATÉ A SUA VOLTA, E VOCÊ, POR QUE NÃO PODE DOAR UM POUCO SÓ PRA SALVAR UMA VIDA? DÊ A OUTRA PESSOA O DIRETO DE VIVER! ASSINE A PETIÇÃO!
    https://secure.avaaz.org/po/petition/Henrique_Eduardo_Alves_Presidente_da_Camara_de_Deputados_do_Parana_Lei_que_obrigue_a_doacao_de_sangue_e_medula_ossea/?copy

    ResponderExcluir