sexta-feira, 29 de novembro de 2013

VOCÊ CONSEGUE DORMIR TRANQUILO SABENDO QUE ALMAS ESTÃO INDO PARA O INFERNO?


Rezai, rezai muito; e fazei sacrifícios pelos pecadores, que vão muitas almas para o Inferno, por não haver quem se sacrifique e peça por elas”. (Nossa Senhora em Fátima)

Salve Maria Imaculada! É justamente com essa frase de Nossa Senhora que quero começar esta reflexão. Nossa amada Rainha vem nos alertar que muitas – MUITAS, e não algumas – almas para o inferno. É óbvio que o motivo principal é o pecado. No entanto, muitas delas seriam salvas com a nossa oração, nosso sacrifício, o nosso pagar o preço pela salvação delas. Mas infelizmente vivemos em um tempo em que as pessoas não se sacrificam nem pela própria salvação, quanto mais para a do próximo.

Sempre me pego a meditar sobre esta realidade. Pecado, juízo, inferno... E fico revoltado comigo mesmo quando me pego em estado de “to nem aí; não é comigo”. Me vejo tranquilo demais. E aí faço a pergunta: será que deveríamos estar tão tranquilos sabendo que almas estão a se perder?

Lembro que uma vez estava a rezar. Por causa do barulho dentro de casa saí para continuar minhas orações na área. Até aí tudo bem. Durante a oração ouve-se alguns tiros na rua. Da minha parte tudo na mais tranquila normalidade. Já minha mãe sai correndo perguntando se foi tiro... Sabe o que eu fiz? Fiquei irritado com minha mãe porque ela estava atrapalhando minha oração (pois é, rezando e se irritando, incoerente). Depois que minha mãe saiu, na mesma hora, eu me questionei, ou mesmo Deus me questionou pela minha consciência, como poderia eu estar tranquilo ouvindo os tiros, gente morrendo, gente indo diante de Deus sem conhecê-Lo. Como poderia eu, que digo conhecer a Deus e a Imaculada, achar normal a troca de tiros e nem se quer rezar uma Ave-Maria pelas pessoas envolvidas, sem me sacrificar por elas. Cadê o espírito missionário? Cadê o se consumir pelo Evangelho? Cadê a ousadia, a parresia, onde foram parar agora? E no entanto, eu me irritei por que fui interrompido na minha “belíssima” oração...

Infelizmente muitos de nós temos vivido assim. Parados diante da realidade de uma sociedade sem Deus. Fala-se de amor, mas esse amor falado é tudo, menos Amor. O Amor de Deus é que pode mudar essa sociedade. E o caminho para salvar as almas da perdição eterna é o mesmo que Nossa Senhora nos ensinou: rezar e fazer sacrifícios pelos pecadores.

A gente vive no meio de pessoas que se ouvem a notícia que um bandido foi morto, logo comemoram dizendo que é menos um para dar trabalho. Mas poucos são os que se entristecem e pensam: mais um que se danará no inferno. “A escolha foi dele”, dirão alguns. Mas a culpa é nossa que não rezamos e nem nos sacrificamos por ele. Lembro-me do Testemunho da Glória Pollo, em que ela falando da sua experiência de quase morte, onde esteve “entre o céu e o inferno”, e teve seu julgamento, fala de um dos casos em que foi julgada por Deus. Ela, por providência divina ligou a televisão e passava uma notícia de uma camponesa que chorava em cima do corpo do marido morto, desesperada. E depois da notícia, ela simplesmente esqueceu, e se distraiu com futilidades. No seu juízo Jesus disse-lhe: “aquela dor que sentiste por ela, era eu que te estava a gritar que a auxiliasses. Eu fiz com que se atrasassem as notícias para que tu visses, mas tu não foste capaz de dobrar o joelho, numa oração por ela, nem um minuto! Deixaste-te deslumbrar pela dieta e não te lembraste mais dela!” E sabem o que aconteceu com aquela mulher? Teve que fugir porque queriam matá-la também. Foi para Bogotá, não obtendo ajuda digna, virou prostituta. E Nosso Senhor ainda mostrou para Ela que outra oportunidade teve de ajudá-la, quando a viu no seu ponto de prostituição, mas fez foi julgar a prostituta. Ou seja, ao ver a desgraça alheia, deveríamos rezar. Deus nos dá essa oportunidade. Mas nós rejeitamos. Não queremos rezar e nos sacrificar. E ainda por cima comemoramos quando um bandido morre, mas não rezamos para que o bandido se converta, nem que seja na hora da morte para como o Bom Ladrão obter a salvação. Xingamos as prostitutas, mas não rezamos para que elas saiam dessa vida. Pior ainda, não rezamos para que elas nem entrem nessa vida triste. E se a nossa boca fosse usada para rezar alguns Rosários pelos pecadores ao invés de falar besteira, muitas almas seriam salvas pela nossa oração.

As vezes eu vejo essa sociedade doentia. Vejo pessoas que caminham com Deus, mas que ainda tem alguma coisa presa as coisas da terra. Ouço alguns comentários bem terrenos, preso as coisas terrenas. Ao saber do sofrimento de uma pessoa, a ponto de ser jogada na rua, com vício do alcool, de fato em pecado. Vejo alguns comentarem “mas fulana não pode fazer isso, a casa é dele, tem que dividir e não fazer isso, etc.” E falam, falam. Mas rezar um Terço, quem faz? E o pior, deveríamos pouco nos importar com o Civil, eu quero saber é o espiritual. Comentam a vida de uma pessoa totalmente mazelada, e a preocupação é a casa, e não que se ele morrer em estado de pecado mortal irá para o inferno. Quanta hipocrisia! Claro que devemos buscar a justiça aqui na terra, correr atrás dos nossos direitos. Mas como diz nosso Senhor: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo.” (Mateus 6,33). É, mas parece que tristemente as coisas se inverteram, e procuram-se primeiro as coisas do mundo, e depois mais coisas do mundo, e depois mais coisas do mundo, e talvez um dia busquem a Deus...

Outra vez ouvi um comentário um tanto quanto incoerente para com o Evangelho. Uma pessoa tinha fama de ser homossexual, mudou-se da cidade, e na outra cidade arrumou uma namorada. E o povo tava tudo “glorificando de pé” porque o rapaz arrumou namorada. O detalhe é que não se importam se estão vivendo ou não a castidade. Só não sei se eles sabem mas... Sodomia (prática homossexual) é pecado e vai para o inferno, assim como sexo fora do casamento também vai. Mas o problema não era a salvação das almas, era só o nome que poderia levar. Enquanto se perde tempo em conversas, que tal rezar?

E como tem faltado hoje em dia pessoas que estejam dispostas a pagar o preço pela salvação das almas. Cada um com seu talento. Pregando, cantando, limpando um chão, intercedendo... Pra pregar o cara cobra, pra cantar cobra 10x mais, pra limpar o chão não tem ninguém, pra interceder (o que é isso?). É uma realidade triste. Enquanto isso as almas estão se perdendo. É preciso rezar. Uns são chamados ao Senhor a uma vida bem mais íntima no sentido de vida religiosa, viver só disso, ser uma vítima como Santa Faustina. Outros são chamados mesmo como leigos a se sacrificar pelas almas. Como se faz necessário nos dias de hoje famílias santas que se sacrificam para educar cristãmente seus filhos. É preciso casais missionários que deem testemunho de que Jesus Cristo é o Senhor e salvador, e Maria Santíssima é a Mãe da humanidade. Não podemos mais ficar no comodismo, vendo o mundo desabar, as heresias crescerem, e a gente na rede tomando água-de-coco.

Vale lembrar outra coisa dita por Nossa Senhora aos pastorinhos em Fátima após Ela lhes mostrar o Inferno: “Vistes o Inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção a Meu Imaculado Coração. Se fizerem o que Eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão paz.” - Para salvar as almas precisamos ser esses apóstolos dos últimos dias, anunciar o Reino da Santíssima Virgem, para que venha por meio dEla o Reino de Cristo. Devemos pregar a penitência, o jejum, a conversão, como bem ensinava a mesma Virgem em uma aparição no Brasil no século passado. É preciso pagar o preço. Mas é válido lembrar que antes de fazer penitência pelos pecadores, vamos nós mesmos nos converter. Avante soldados da Imaculada.

Nossa Senhora também disse em Fátima que “Por fim, o Meu Imaculado Coração triunfará”. Creiamos, rezando pedindo a intercessão de Nossa Senhora, Ela triunfará sobre todo pecado do gênero humano, e assim muitas almas serão salvas. Anunciemos a consagração a Nossa Senhora. Espalhemos pelo Brasil e pelo mundo. Espalhemos principalmente pelas famílias. As famílias estão sendo destruídas, mas uma família unida pelas contas do Rosário jamais se separará. Que a devoção da Santa Escravidão ensinada por São Luís Maria Grignion de Montfort se espalhe mais ainda, e entre em todas as famílias. Que as famílias sejam escravas de Jesus Cristo por meio de Maria Santíssima.

Para finalizar quero só relembrar que MUITAS almas estão se perdendo por falta de oração. Que tal passarmos a rezar pelos pecadores. Cada um na sua vocação, no seu estado de vida, mas unidos ao mesmo Coração de Mãe, para salvar as almas. Foi revelado para Santa Brígida que Nossa Senhora, por ter sido fiel até a cruz, recebeu os méritos de obter a salvação de quem Ela quiser. Então vamos fazer campanhas, cruzadas, de oração do Terço, do Rosário, Mil Ave-Marias, enfim, para a conversão dos pobres pecadores, santificação do clero, e o Triunfo do Imaculado Coração de Maria. Ninguém é sem função na Igreja, todos nós temos a função de orar sem cessar.

Que a Virgem Imaculada, modelo de fé e oração, nos dê a graça de termos almas penitentes e um coração que ame a Deus de tal modo que ame o próximo a ponto de se sacrificar pela salvação dele. Afinal, Deus não quer que ninguém vá para o inferno, no entanto, Ele também é justiça, e quando a pessoa rejeita a salvação, ela deve ir para este fim triste. No entanto, se nós amamos a Deus, a nossa oração aplacará a ira de Deus, e faremos Deus feliz porque um filho amado dEle não se condenará. Leiamos Santa Faustina e entenderemos este grande mistério.


Salve Maria Imaculada, refúgio dos pecadores.  

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Vila das Crianças: Uma escola CATÓLICA sofrendo perseguição do MPDFT

Salve Maria Imaculada!
A Congregação das Irmãs de Maria de Banneux faz um grande e importante trabalho de caridade. Esta Congregação mantem na cidade de Santa Maria-DF a Vila das Crianças (como ficou sendo conhecida), que é uma escola que acolhe meninas de todo o Brasil para estudarem e terem uma profissão. A principal função desta escola não é fazer novas Irmãs religiosas, mas sim dar um futuro digno para tais jovens, que feridas pela sua própria história de vida, e mesmo pela situação social, necessitam de ajuda. E sem essa oportunidade na Vila das crianças seria muito mais difícil de “vencer na vida”.

Apesar de ser importante mostrar as obras de caridade como testemunho (porque o próprio Senhor disse em Mateus 5,16: Assim,brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus.), o que me motiva a escrever este texto não é em primeiro lugar o trabalho das Irmãs, mas o trabalho dos inimigos de tais obras, que estão lutando para ACABAR com a Vida das Crianças.

Quem quiser pode ler a notícia no site da Veja: “A polêmica vila das meninas”. O Ministério Público do DF e Territórios está querendo fechar a Vila das Crianças. Por quê? Talvez porque não seja uma escola vendida para os valores corrompidos que demais escolas adotaram. Analisemos a situação: segundo o MPDFT a escola deve ser fechada porque tem características dos internatos, e as meninas ficam distantes da família. Que meigo, não é? O Ministério Público preocupado com a família. Será mesmo que estão se preocupando com a família? Vale lembrar que essas garotas são o futuro de suas famílias, que são pobres, muitas vezes mazeladas, sem estrutura, e sem oportunidade. Essas meninas estão lá aprendendo verdadeiros valores e fazendo cursos profissionalizantes até concluírem o Ensino Médio. Mas o MPDFT está vendo problema... No caso ele está vendo chifre em cabeça de cavalo. Ou talvez por ser instituição religiosa...
O fato é que o pessoal do MPDFT vai dizer que é mentira que eles querem que a Vila seja fechada. De fato, eles não querem que ela feche. O nosso Ministério Público quer somente fazer a caridade de OBRIGAR a Vila das crianças REDUZIR A CAPACIDADE DE 900 MENINAS PARA 20. Isso mesmo: hoje ela abriga mais de 900 meninas e o Ministério Público quer que reduza para 20. Ou seja, querem mandar mais de 880 meninas viverem só de sonhos, e expostas ao baixo nível moral e de qualidade de ensino em que são obrigadas a ter nas escolas de outros estados (isso quando tem escola por onde moram). É incrível ver a irracionalidade desta ação contra a Vila, que acolhe garotas carentes de todo o Brasil, ter que reduzir sua capacidade para apenas 20 garotas – que devem ser somente da região do DF.

A coisa fica mais irracional quando eles colocam o motivo para esta ação: “A legislação estabelece que a privação de convívio de uma criança ou de um adolescente com sua família só é aceita quando autorizada judicialmente”, afirmou a promotora de Justiça Luisa de Marillac. Agora um juiz é quem tem que decidir onde os nosso filhos devem estudar? Eu sou obrigado a deixar meu filho receber kity gay na escola, a receber camisinha, a ser ensinado a agir com promiscuidade, mas não posso envia-lo para um colégio católico que seja de tempo integral porque tem que ter o convívio familiar? E o que o Ministério Público fará nos casos de garotas que nem os pais tenham? Ou mesmo, analisemos fora deste contexto: O Ministério Público está defendendo o convívio familiar, mas o que fazer com os jovens que tem pais que trabalham o dia todo e quando chegam já está dormindo. E agora? Eles não tem convívio com a família. Filhos com os pais tristemente envolvido nas drogas? Filhos que tem os pais presos...? Gente, isso é tudo perseguição contra essa insituição RELIGIOSA.

Seja racional e você perceberá isso tudo. A promotora diz que a privação do convívio com a família só pode ser feita com autorização judicial. Eles ainda dizem que o motivo de tal ação é porque o colégio, na análise deles, se parece com os antigos internatos. Cuidadoso, não é? Mas vamos ver se não tem um dedo – um uma mão, ou quem sabe um corpo todo - de perseguição religiosa. Você está vendo alguma ação do Ministério Público querendo acabar com as “categorias de base” dos clubes de futebol? O quê? Você não entendeu? Eu explico. Para quem não sabe clubes de futebol como o São Paulo, Santos, Internacional e demais clubes de grande estrutura, fazem “peneiras” (testes para selecionar jovens talentosos do futebol), e depois, os selecionados, são enviados para o local das categorias de base. E o que tem isso a ver com a Vila das Crianças? – você deve estar se perguntando. Tem haver que o sistema é idêntico. Vou citar o São Paulo que por ser o time que torço acabo acompanhando mais notícias. Os jovens (desde o início da adolescência, 13, 14 anos...) vão morar em Cotia-SP onde tem um ótimo centro de treinamento, tem boa educação, e os pais ficam podres de dinheiro com os contratos feitos com as joias raras. Talvez aqui seja a diferença: na Vila das Crianças não está fazendo ninguém rico com as coisas desse mundo. E aí? Esses jovens que sonham em ser famosos, ricos, craques da seleção brasileira, também são em sua maioria privados do convívio com seus pais. Nos alojamentos são acolhidos garotos de todo o Brasil, assim como na Vila das Meninas, mas o problema é só na Escola Católica que dá cursos profissionalizantes. Fora que no mundo do futebol tem os famosos golpistas que levam os jovens para clubes sem estrutura, clubes fora do país, em lugares onde os garotos mal tem o alimento e vivem em situações horríveis (mas relaxa, nesse caso o MP não fará nada, a Vila das Crianças é que é o problema...).

E por aí a gente vê como está a situação. O próprio Governo tem feito isso por todo país, e a Vila das Crianças não é a primeira. Os esquerdistas que comandam o nosso país (os tais do PT que governam, sabe?) já estatizaram instituições de caridade religiosas, e depois que fizeram isso a obra acabou. Sim, esse povo do PT, PSOL, e qualquer demônio esquerdista está pouco se lixando pra caridade, o que eles querem é varrer o cristianismo do solo nacional. Mas lembro para eles: O Brasil é a Terra de Santa Cruz! Nossa Senhora Aparecida é a Imperatriz do Brasil!

E para concluir a reflexão, você pode simplesmente raciocinar e ver vários exemplos de escolas que são neste estilo, mas que não se faz nada. Até porque qual o problema? Um exemplo são escolas com padrão militar.

Até porque meus queridos leitores, bom mesmo são as escolas Padrão PT de qualidade: uso e venda de drogas dentro e fora da escola, gente transando no baneiro da mesma, lixo sendo ensinado na sala de aula, Karl Marx um profeta e Che Ghevara um herói (dois seres repugnantes que pisaram na face da terra), prostituição, aula de como fazer sexo, distribuindo camisinha, levando coisas obscenas e promiscuas para dar tais aulas de orientação sexual em sala de aula, funk, kity gay, homem com homem, mulher com mulher, farra, garotas aprendendo a abortar (tenho medo de chegar nas escolas algo como: faça você mesmo), e tudo quanto não presta... Talvez se a Vila das Crianças servisse ao diabo não iriam querer fechá-la. Mas como é uma instituição CATÓLICA e tem certos princípios preservados... É guerra. Mas a guerra é espiritual. Peço a todos que possam rezar por esta obra. Sempre que rezarem o terço ou Rosário lembrem-se desta obra de Deus, lembrem-se das irmãs e das alunas. O inferno luta mais contra esta obra até por causa do dom da maternidade que é salvo ao educar cristãmente as garotas. Que a Virgem Maria proteja e auxilie a todas.

E para concluir de fato, lembro o que uma ex aluna da Vila das Crianças me disse: “Foram os seis melhores anos da minha vida”. Se você quer que de fato essas jovens continuem tendo uma boa educação, formação cristã, e sendo moças de Deus, rezem e ajudem essa instituição. Repito: Essas garotas são o futuro de suas famílias. Muitas delas tem grandes problemas nessa área (como alcoolismo por exemplo), são pobres, e lá tem uma profissão. Fazer com que essas meninas de todo o país sejam privadas de ter essa oportunidade é o mesmo que jogar a vida delas no lixo, com a Dilma fechando a lata, e sendo recolhido pelo MPDFT. Espero que sejam todos sensatos. Que a Virgem Maria interceda por cada uma, pois tudo podemos naquele que nos fortalece pela Imaculada.

Quem como Deus? NINGUÉM COMO DEUS!

Ó Virgem Maria, tu que pisastes na cabeça da serpente, cobre com Teu manto protetor todas as meninas e as irmãs, e destrói a serpente infernau. Mãe Santíssima, também ninguém pode contra Ti que sois a Rainha do Céu e da Terra.


Salve Maria Imaculada! Viva Cristo Rei!


Para servir de informação: O MPDFT diz que deve ser reduzido a capacidade para 20 meninas ( e meninas do DF) porque assim fala a legislação sobre os abrigos. Só que a Vila das Crianças não é um abrigo, mas sim uma escola.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Blood Money - Aborto legalizado chega aos cinemas do Brasil

Documentário apresentado por sobrinha de Martin Luther King Jr revela os bastidores da indústria do aborto nos Estados Unidos














Você provavelmente não verá esse filme num comercial de TV. Muito menos num anúncio de jornal. É que ele fala sobre um assunto não muito "politicamente correto" para os dias de hoje. Ele fala sobre o aborto. Blood Money, uma produção norte-americana, dirigida por David Kyle e apresentada pela ativista do movimento de negros dos EUA, Alveda King - sobrinha de Martin Luther King Jr. -, denuncia a máquina de lucros em que se transformou a indústria abortista nos Estados Unidos, desde que a infame lei Roe vs. Wade foi aprovada. O documentário chega às salas de cinema de todo o Brasil no próximo dia 15 de novembro.
"Blood Money - Aborto legalizado" é mais uma vitória contra a cultura da morte. O mercado negro do aborto vem perdendo fôlego mundo afora, e agora muito mais, graças ao empenho do movimento pró-vida. Como registrado aqui, os Estados Unidos assistiram, no início deste ano, à maior Marcha pela vida da história daquele país. 650 mil pessoas, na sua maioria jovens, reuniram-se na frente da Corte Suprema americana, a apenas poucos dias da posse de Obama - paladino dos abortistas -, para dizer um rotundo "não" à ideologia do aborto. Na ocasião, o então papa reinante, Bento XVI, expressou seus sentimentos pelo Twitter, dizendo: "Uno-me à distância a todos os que se manifestam pela vida, e rezo para que os políticos protejam ao não-nascido e promovam a cultura da vida".
E por que perde a causa abortista? Porque mente! A cultura da morte é mentirosa desde o princípio. Mente quando nega ao nascituro o direito inalienável à vida, rebaixando-o ao nível de um sub-humano ou célula cancerígena. Mente quando manipula os números de casos de aborto, criando a impressão de que se trata de um "caso de saúde pública". E mente quando ensina à mulher que ela será livre mantando seu bebê. É óbvio que uma farsa dessa proporção, mais cedo ou mais tarde, tem de cair. O mote da campanha pró-aborto não é só um atentado contra a vida inocente, é um atentado contra toda a humanidade. Uma sociedade que começa matando seus filhos termina matando a si mesma.
Por mais que se façam malabarismos para distorcer o sentido desta palavra, o fato é que o aborto se trata, sim!, de um assassinato. Isso é inegável. Com efeito, o silêncio da mídia, ou então, a sua propaganda descarada a favor dessa ideologia traduzem claramente a cegueira e a desonestidade que imperam nas redações jornalísticas. Historicamente, as grandes ditaduras do último século contaram com o expresso apoio dos jornais, ora sacralizando seus líderes, ora fechando os olhos para seus crimes. O caso agora em debate, ou seja, o aborto, ajuda a ilustrar que o perigo das ideologias ainda não é um assunto superado.
O povo deve ir aos cinemas. Contra a mentira da indústria abortista, contra o silêncio da mídia, contra o avanço da cultura da morte: fazer de Blood Money um sucesso não é só um dever, é um ato heroico. Sim, pois, num momento em que se instala no ordenamento jurídico brasileiro um vírus de "Cavalo de Tróia" - a lei 12.845, que abre uma verdadeira auto-estrada para o aborto no Brasil -, é tarefa de todos lembrar àquelas pessoas de Brasília que elas não são deuses e que, portanto, estão lá para servir, não para ditar regras contrárias à dignidade do ser humano.
É uma questão de consciência, muito mais que de religião. Assistam a Blood Money!
Por Equipe Christo Nihil Praeponere | Informações: Deus lo vult e Blog da Vida

Veja o trailer:

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

OS DEFENSORES DO ABORTO “ABORTANDO” TUDO O QUE ENCONTRAM PELA FRENTE

Salve Maria!

Como todos já sabem – ou deveriam saber – no Brasil existe um forte movimento para tentar, a força e derrubando tudo o que estiver pela frente, legalizar o aborto no Brasil. Este movimento pró-morte é imoral, sem ética, sem escrúpulos, uma verdadeira barbárie (como o próprio ato do aborto). E agora se mostra a verdade das intenções destes ditos cujos que dizem apenas “querer o bem das mulheres”, ou como costumam dizer: “direitos reprodutivos”. É como dizem: o gato se esconde atrás da cortina mas o rabo ficou do lado de fora.

Sempre que falamos sobre o assunto e defendemos veementemente a vida, as pessoas começam a nos acusar de várias coisas, e dizem que não posso misturar religião com política (como se a questão aqui fosse religiosa). Mas o povo pró-aborto é tão mal caráter que agora eles mesmos declaram querer a todo custo a aprovação do aborto. Até porque o PT tem acordo com instituições estrangeiras prometendo legalizar o aborto por aqui. E para isso fizeram de forma parecida com o que ocorreu nos EUA. Por lá inventaram um caso de estupro que repercutiu pelo país, e aí legalizaram o aborto. Depois a mulher “vítima do estupro” se arrependeu e confessou que não havia sido estuprada, era tudo armado. Infelizmente a besteira já estava feita. Por aqui não foi estupro, mas estupraram a legislação. A arma do Governo foi aquele caso dos anencéfalos julgado pelo STF, lembram? Pois é, demorou mas estão começando a entregar.

Qualquer pessoa contrária ao aborto que dizia que esta questão era apenas uma desculpa, que na verdade iria abrir brechas para se legalizar em todos os casos, era chamado de tudo quanto era nome, ignorante, etc. Todos falamos que depois dos anencéfalos iria vir o aborto com qualquer deficiência, down, e até uma criança sadia e em qualquer mês de gestação. Os ignorantes disseram ser absurdo. Mas absurdo é achar que “legalizando de forma ilegal” o aborto das crianças anencéfalas, que são seres humanos como nós, só que com uma deficiência, mas que tem vida (não importa quanto tempo viverá, todos temos o direito de viver), iriam parar por aí. Quanta ingenuidade!

Ministro Luís Roberto Barroso: um juiz não pode ter paixões nem ser militante de causasO ministro do STF, Luís Roberto Barroso, concedeu entrevista a Carolina Brígido e Francisco Leali, do Globo (Clique aqui e leia alguns absurdos que o sr ministro disse, com comentários pertinentes do Reinaldo Azevedo). Mas por enquanto foquemos no caso aborto. Eis o que o citado ministro do STF (que foi advogado a favor do aborto naquele julgamento do STF que acabou tornando legal o aborto de anencéfalos no Brasil, e abrindo portas aos outros casos) declarou: “no caso de anencefalia, se você ouvir a minha sustentação final (como advogado) e os memoriais finais que apresentei em nome da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde, a tese que eu defendia era a da liberdade reprodutiva da mulher. Portanto, a mulher tem o direito fundamental a escolher se ela quer ou não ter um filho. E esta tese vale para a anencefalia, como vale para qualquer outra gestação. O meu ponto de vista é transparente desde sempre. Se eu acho que o Supremo pode ou deve fazer isso, eu não vou te responder.” - Olha só! Quem diria! Ele confessa que a defesa do aborto em caso de anencefalia cabe para outros casos, e este é seu desejo pessoal. Só não enxerga isso quem não quer. E também só não enxerga que ele e outros ministros indicados pelo Lula e Dilma, são escolhidos a dedo para colocar em prática seu plano diabólico, quem não quer, até porque vale lembrar que o caminho para legalizar de vez e sem ser com “cavalo de troia” no Congresso é mais difícil, então inventam situações no STF todo vermelho para dar uma de legislador, enquanto o STF é do judiciário.

Na declaração acima citada, o próprio ministro respondendo se o STF pode ou não legalizar o aborto de forma geral, responde dizendo que não vai responder. Sabe por quê? Porque legalmente o STF não tem poder para isso! O STF não pode legislar. Quem faz leis são os nobres deputados e senadores. O STF tem que agir fazendo com que tais leis se cumpram, ou no caso de haver omissão da parte da Constituição e demais leis. E este não era o caso do aborto de anencéfalos (porque a nem a Constituição nem o Código Penal são omissos, uma vez que neste último diz muito bem que o aborto é crime e em qual caso não existe uma pena; ou seja, não havendo omissão, para legalizar ou não, teria que passar pelo Congresso, e não pelo STF); assim como também não havia omissão na Constituição no caso das uniões homoafetivas, pois a Constituição é clara em dizer o que é união estável (e entre homem e mulher). Tudo isso teria que passar pelo Congresso Nacional, e não pelos amiguinhos a serviço do PT.

Barroso disse ainda: “Onde haja lei, o judiciário deve fazer cumprir a lei, salvo as hipóteses extremas de a lei ser incompatível com a constituição. Agora, quando o legislativo não tenha atuado, porque não pôde, não quis ou não conseguiu, aí eu acho que muitas vezes o judiciário tem que se expandir, porque surgem as situações da vida, como foi em uniões homoafetivas, como foi em anencefalia, e o judiciário tem que atuar. Em algumas, o judiciário estendeu um pouco mais a corda para atender certas demandas sociais que não foram atendidas pelo processo político majoritário.” - Ou seja, o judiciário aborta o legislativo e passa a atual fazendo leis, é isso? Porque, como afirmado no parágrafo acima, na nossa atual legislação não há omissão nos casos de união estável, nem de aborto, está tudo claro. Nem há omissão da parte do Congresso, afinal, deve-se lembrar de vários projetos de leis que estão em andamento tratando dos casos citados. Um exemplo é o casos da existência do projeto do Estatuto do Nascituro, que visa defender a vida humana desde a concepção, fazendo o Estado cumprir a Constituição, e assim todos terem o direito a vida. Ou seja, a única omissão é nossa que ficamos sem fazer nada vendo esses agentes esquerdistas infiltrados no STF fazendo um serviço que não é seu. E fazendo um mal serviço, diga-se de passagem.

Mas o engraçado é que estão querendo “abortar” o Estatuto do Nascituro, fazendo de tudo para não aprová-lo (será que eu posso dizer que os principais inimigos são os deputados do PT e aliados do mesmo?). Também estão “abortando” o filme “Blood Money – Aborto legalizado” que mostra o aborto nos EUA, a farsa, a industria abortista que gera muito dinheiro, e muito sangue inocente. As grandes mídias não estão divulgando este filme. Dizem não ser compatível com a política das mesmas.

É meus caros, estamos vivendo em um mundo que impera a cultura da morte, sem ética, sem um pingo de vergonha na cara. Não importa o que diz a lei, o povo quer passar por cima dela, e mesmo sendo uma minoria, gritam, esperneiam, impedem outros de falar, tudo em nome de uma falsa democracia e falsos direitos.

Um exemplo disso foi o fato de o ex deputado Luiz Bassuma, ao tentar falar a favor da vida em um evento abortista chamado “Estratégias para a descriminalização do aborto no Brasil”, ter sido impedido. Foram gritos, insultos, e o povo que diz querer democracia, direitos, não foram democráticos e nem deram direito de algum defender a LEI atual do país.

Mas o que me chama a atenção no video que você poderá ver abaixo sobre este caso não é o fato de terem calado o Bassuma. Isso é esperado e muito normal. Sinceramente me surpreendeu terem dado o microfone para ele. Ele mesmo que outrora foi expulso do PT por ter sido contra o aborto (fizeram um favor para este nobre cidadão que luta pela vida). O que me causa espanto é a declaração que uma uma jovem mulher, exaltada, furiosa, enraivada, irada (ou seja lá como você queira definir o seu estado) deu sobre o aborto. Isso me causa espanto e uma profunda preocupação. Eis o que disse a jovem: “Eu acho que isso é uma questão delicada que ainda não foi fechada pela medicina, e é pautada por diversos movimentos, pela Igreja, pela medicina, enfim, de onde começa a vida; pra mim, de fato, isso não importa.” Conseguem sentir o problema? A garota é desinformada ao extremo ao dizer que a medicina ainda não definiu isso. Acho que deveria estudar um pouco mais. E outra, a mesma diz no final que pra ela isso não importa. Ou seja, pra essa abortistazinha, a vida começando na fecundação ou não, não importa. Ela tá dizendo que matar o bebê com 9 minutos de vida ou 9 meses não importa. Isso me causa espanto. O ódio com que a mesma declara isso. O ódio e ao mesmo tempo a naturalidade com que se fala. Como assim não importa quando começa a vida?

De fato, para os defensores do aborto não importa mesmo. Lembro que em um dos meus videos falando sobre a questão do aborto uma médica pediatra falava com toda clareza que sua profissão lhe dá, que abortar é matar, que anticoncepcional e afins abortam, mas que mesmo assim ela quer que legalize. Ou seja, para médicos que são abortistas ou para idiotas esquerdistas de plantão, não há ignorância se estão ou não tirando uma vida, eles só querem tirar essa vida. Como se um ser humano fosse um tumor (ou como de forma infeliz comparou a Dilma, comparando um feto com um dente). Eles só querem matar. Matar é o lema deles. E pra isso eles matam o que tiver pela frente.

E para provar que o STF é usado pelo PT para fazer isso, no mesmo video em que essa garota dá essa delcaração de péssimo gosto, o sr Daniel Sarmento, Procurador Regional da República, afirma o seguinte: “Levar esse debate (sobre o aborto) para o Congresso Nacional é a pior estratégia. Qual é o campo de luta em que pode haver algum tipo de avanço em termos de direitos sexuais reprodutivos hoje? O campo de luta é o Supremo Tribunal Federal.” - Viram só? O STF faz parte da estratégia abortista. Não é por acaso. O STF tem atuado como legislador. E este Procurador da República, sem qualquer nível de ignorância, afirma que devem atuar no STF, porque sabe que no Congresso dificilmente passará algo. Engraçado, pensei que fosse no Congresso aonde se faziam as leis.

Vamos abrir o olho, porque o Brasil está indo por um rumo que vai ser difícil de reverter. Acorda Brasil!

Vamos mostrar a nossa voz, sem vandalismo, mas com toda a autoridade que temos, e dizer que somos a favor da vida desde a concepção e até a morte natural. Vamos pedir a aprovação do Estatuto do Nascituro. E vamos abortar o PT nas próximas eleições.

A audácia dos maus se alimenta da covardia e da omissão dos bons” - Papa Leão XIII

Defenda o nascituro contra o aborto mesmo que te persigam, te caluniem, montem armadilhas para ti, te levem às barras do tribunal ou te matem." Cardeal Bergoglio (Papa Francisco)


Salve Maria Imaculada!



BLOOD MONEY - ABORTO LEGALIZADO (ESTRÉIA DIA 15/11 NO BRASIL) DIVULGUEM!

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

OS SANTOS DOS ÚLTIMOS TEMPOS


Salve Maria Imaculada!

A Igreja precisa de santos! Essa frase dita por tantas pessoas, e até por Papas, ecoa de forma impressionante, mas algumas vezes parece não fecundar no coração das pessoas, e em especial dos jovens. Muitos ao ouvirem esta frase até se inflamam pela santidade, mas logo depois vem o questionamento: mas o que é santidade? E infelizmente, algumas pessoas não tão firmadas no Evangelho começa a dar um mal testemunho e a dizer que a santidade hoje é diferente de outros tempos, e que podemos fazer certas coisas que “hoje não é mais pecado” - como dizem alguns – mas será que é isso mesmo? Precisamos de santos! Jovens santos! Precisamos deixar de ser mundanos e nos espelhar naqueles que já alcançaram a santidade – homens e mulheres canonizados pela Igreja – e ver que é possível amar a Deus sobre todas as coisas.

Para mais entendermos sobre a necessidade de viver na radicalidade evangélica, quero expor um pensamento de São Luís Maria Grignion de Montfort na obra “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”:
[…] os mais santos, as almas mais ricas em graça e em virtudes serão as mais assíduas em rogar à Santíssima Virgem que lhes esteja sempre presente, como seu perfeito modelo a imitar, e que as socorra com seu auxílio poderoso.
Disse que isso aconteceria particularmente no fim do mundo e em breve, porque o Altíssimo e sua santa Mãe devem suscitar grandes santos, de uma santidade tal que sobrepujarão a maior parte dos santos, como os cedros do Líbano se avantajam às pequenas árvores em redor, segundo revelação feita a uma santa alma.” (T.V.D nº 46-47) (Destaque nosso)

Nós já estamos neste tempo, no fim dos tempos, no fim do fim, como alerta Nossa Senhora em La Salette. E é interessante ver que essa profecia de São Luís vem se cumprindo na Igreja mesmo em tempos de forte tempestade na Barca de São Pedro.

É sempre bom lembrarmos a santidade de santos verdadeiramente devotos de Nossa Senhora, que se consagrando como Escravos de Nossa Senhora por amor, alcançaram a santidade, e viram na sua vida se cumprir essa promessa de santidade. Olhem, por exemplo, São Padre Pio de Pieltrecina, a grande santidade desse sacerdote que sobrepujou a santidade de tantos padres da sua época (século passado) e também até tantos outros santos da Igreja, que foram santos de verdade, mas Jesus e Maria suscitaram São Padre Pio em uma época em que as pessoas estavam céticas, e com seus carismas, os estigmas da Paixão de Cristo que trazia em seu corpo, sua santidade, atraíram milhares de milhares de pessoas a se converterem, desde ateus, protestantes e até maçons. Podemos ver outro consagrado à Nossa Senhora por este método que atraiu e atrai muitos para Cristo: Beato João Paulo II, que na sua santidade e exortação à santidade foi santo e levou muitos ao Céu junto com ele. Assim também podemos citar Santa Faustina que tanto foi santa nos seus sofrimentos para levar a Misericórdia Divina para os pobres pecadores desesperados; Santa Teresinha do Menino Jesus que como escrava de Nossa Senhora tão bem soube viver a infância espiritual. Enfim, um São Maximiliano Maria Kolbe que deu sua vida por um pai de família nos campos de concentração nazista, e em meio à guerra sabia ser fiel à Imaculada, e dizia que todos os santos são obra da Imaculada.

Estes santos sobrepujaram outros santos de outra época em determinados pontos. Também nós somos chamados a essa santidade. Uma santidade que ultrapasse até mesmo a santidade desses santos citados, uma vez que, hoje, eles são passado, e nós, espelhando-nos neles, podemos ser mais santos que eles. Já dizia São Maximiliano Maria Kolbe em uma oração à Nossa Senhora: “Concede a outros de superar-me no zelo pela Tua exaltação, e amim de superá-los, assim que numa nobre emulação a Tua glória aumente sempre mais profundamente, sempre mais rapidamente, sempre mais intensamente, como deseja aquele que Te exaltou de uma maneira assim inefável acima de todos os seres.” - Então devemos mirar a vida dos santos e dizer: Sim, é possível ser santo como este santo, e mais, é possível eu ser mais santo que ele! É possível ser mais santo, ser mais devoto, ser mais fiel, ter mais zelo, ter mais amor. Claro que tudo com a graça e vontade de Deus.

Santos são para serem imitados, e não admirados somente. Se nos apegarmos a essa verdade, e meditando as palavras de São Luís citadas acima, poderemos alcançar a santidade com primazia. Deus nos quer santos: “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo.” (Lev. 19,2). Então, sim, você e eu podemos ser santos. Vamos ser santos?

Se São Luís afirma que os santos suscitados por Jesus e Maria nos nossos tempos – no fim dos tempos – seriam mais santos do que muitos santos de outros tempos, eu devo ver a vida destes santos e crer que também posso. Sendo assim, olhemos para a vida de São Francisco de Assis e contemplemos o amor de Deus naquele homem que renunciou as riquezas, as luxúrias e tudo quanto era da carne e pecado, e viveu inteiramente entregue ao Amado Jesus. Eu também posso! “Ah, mas eu não quero ser frei...” - pode dizer aqueles que achem que São Francisco é exemplo apenas para os religiosos -, mas posso ver a renúncia dele, e também renunciar a minha vida para tomar a vida de Cristo, independente do estado de vida. São Francisco é chamado pelos Franciscanos de “Seráfico pai”, mas no entanto São Francisco não era um anjo na terra, ele era de carne e osso, e a carne muitas vezes gritou, e ele teve que fazer violência para não pecar. São Francisco quando ficava excitado se jogava na geleira para não pecar contra a castidade. Então, se São Luís diz que seremos mais santos que muitos santos de outrora, eu também devo fazer cosias semelhantes a São Francisco, dentro das possibilidades, para evitar todo e qualquer pecado. Até porque o fato de viver neste século nos faz esta exigência de sermos tão santos ou mais santos que São Francisco, afinal, São Francisco se jogava na geleira porque era tentado em uma época que existia certo pudor; imaginem a nossa necessidade de mortificação para viver a pureza em um tempo em que homens e mulheres se vestem de forma indecente e promiscua. Temos que fazer muito mais violência conosco mesmo, no sentido de mortificação do corpo e do espírito, e para nos decidir por Deus em meio as tentações.

Ficados nessa profecia também posso meditar a vida de São Francisco Xavier, grande missionário, que pregou o Evangelho com autoridade, fazendo prodígios. Se eu devo ser santo, devo me espelhar nele, quando por exemplo, não deixarem que se pregue a verdade. São Francisco Xavier quando foi pregar em uma determinada cidade, as pessoas não queriam dar ouvidos ao Evangelho; o que fez São Francisco Xavier? Chorou dizendo “ninguém me ama. Ninguém me quer?” Não!? Ele com toda autoridade do Espírito Santo, se dirigiu até o cemitério e pediu para ver os últimos defuntos, e então, na autoridade do nome de Jesus, ordenou que ressuscitassem, e então aqueles que estavam mortos tornaram a viver, e o Evangelho foi pregado. Se a santidade dos santos de hoje, do fim dos tempos, deve ser até maior, devo crer que isso também é possível nos dias de hoje. Não te deixam pregar no Grupo de Oração? As portas estão fechadas para pregar a verdade da Igreja? Há sempre um cemitério próximo a você! E claro, existem os “cemitérios” que as pessoas deveriam ir, para no nome de Jesus, proclamar a vitória de Cristo sobre o pecado, mas as pessoas não vão. Se São Francisco Xavier teve que ir até um cemitério para ressuscitar mortos para que se cressem em Jesus, o meu cemitério talvez seja uma “cracolândia” da vida, tirar os jovens, homens e mulheres, do mundo das drogas – onde estão mortos; onde são zumbis – e fazê-los ressuscitar para a vida eterna em Cristo. Talvez meu cemitério seja entrar em um presídio – que é dominado por protestantes, espíritas, e outras religiões; e você vai falar o quê? Não tem católico para adentrar, afinal, ou só se quer pregar para multidão, na Canção Nova ou algo do tipo, ou acha que só postar algo relacionado à Tradição no Facebook está salvado uma multidão de almas – e pregar para eles que são desprezados, e são tidos como sem solução, perdidos, mortos, e dizer: Para vocês também existe salvação! Creia! Ressuscite! A Igreja não tem mais santos porque na realidade somos um bando de “santos do pau oco” que queremos prestígio, bom nome, vanglória, mas não pagar o preço da evangelização. É fácil dizer que São Maximiliano estava preso num centro de concentração nazista, e salvou a muitos presidiários, mas é difícil seguir seu exemplo e amor os pecadores como ele amou, e ajudar na sua salvação, é mais fácil dizer que tudo está perdido. Isso não é ser santo dos últimos tempos, mas sim hipócrita de todas as eras.

Nossa Senhora juntamente com Seu divino Filho tem suscitado pessoas santas. E uma prova que Ela tem levantado homens e mulheres que de fato superam a santidade de outrora, é olharmos a quantidade de homens e mulheres leigos que ofertam suas vidas para a evangelização. Conheço pessoas que praticamente não tem tempo para si. Pessoas que fazem faculdade por amor a Deus, porque neste determinado curso poderá ajudar no serviço do Reino de Deus, e assim salvar almas. Conheço pessoas consagradas em Comunidades de Aliança que tem que trabalhar, estudar, e ainda tem tempo para praticamente todo dia estar na Comunidade para rezar, se formar, servir. O final de semana então é todo consumido para Deus. Conheço casais consagrados que se ofertam para a Evangelização, são missionários, e isso não impede de ter filhos, e a família torna-se missionária, e mais que isso, torna-se testemunho num mundo tão descrente e que tem destruído a família. E isso é sim um cumprimento da profecia de São Luís, afinal, em outros tempos seria difícil, para não dizer impossível, pensar em casais leigos serem missionários, sem negligenciar suas responsabilidades em relação a família. Homens e mulheres leigos – muitos até casados, como dito – que pregam, fazem Cenáculo, rezam, intercede, aconselha, doa inteiramente a vida. Como conseguem? Isso se chama amor de Deus. E neste casos podemos chamar de milagre. Pois de fato, sozinhos não conseguimos nem cumprir nossas responsabilidades do estado de vida, no caso da família, ainda mais ser missionários. Isso é um milagre. Isso é a ação da Virgem Maria, pois é Ela que tem suscitado estes santos de nossos dias.

Sendo assim devemos nos espelhar em famílias santas. Um exemplo é a família da querida Santa Teresinha do Menino Jesus. Para quem não sabe, seus pais são beatos da Igreja Católica. São eles: o Beato Luís Martin e a Beata Zélia Guerín. Teresinha e suas irmãs foram freiras. Olha que graça. Espelhados neste casal de Beatos, que tiveram igualmente uma filha canonizada pela Igreja, também podemos ver que podemos ter filhos santos. Não quer dizer que família santa seja somente aquela que sai um padre ou freira, mas se seguirmos o exemplo dos Beatos Luis Martin e Zélia Guerin, veremos que educando de forma cristã os filhos, teremos mais famílias santas. E as nossas famílias hoje, que são bombardeadas pela grande mídia, tão ataca por satanás, será mais santa que famílias de outrora. Isto é, caso permaneça fiel a Deus, unida pelas contas do Rosário junto com Nossa Senhora.

Para os jovens é bom lembrar o exemplo de Santa Maria Goreth que era uma bela jovenzinha de 12 anos de idade. Em determinada época ela passou a ser assediada por seu primo. Ela sempre disse não para o rapaz, que sempre insistia em querer lhe tirar a pureza. Mas a jovem Maria Goreth também sempre insistia em dizer Não! Justificando que era pecado e que Deus não quer. A santidade e o amor, o puro amor a Deus dessa menina, lhe fez ganhar 14 punhaladas. Ela viveu o Evangelho que nos ensina: “aquele que quiser salvar a sua vida, irá perdê-la; mas aquele que tiver sacrificado a sua vida por minha causa, irá recobrá-la.”(Mt 16,25); E também a palavra que nos exorta a obedecermos antes a Deus do que aos homens (cf. Atos 5,29); ou mesmo: “Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus”.(Mt 5,8) – E aquela jovem amava tanto a Deus, que antes de morrer em decorrência das facadas, questionada se perdoava seu assassino, ela disse que SIM e queria vê-lo no Céu. Ao olhar a vida desta jovem, eu também devo fazer de tudo pra viver a castidade, nem que eu morra pelo amor de Jesus e Maria. E mais que isso. Eu devo perdoar tanto quanto ela. Sim, é possível ser santo, é possível ser santo como Santa Maria Goreth. É possível ser mais santo que ela.; não por presunção, mas por vocação.

Devo ser santo, ou mais santo, que Santa Gianna Beretta Molla, que ao receber a notícia dos médicos (ela também era médica) que teria que abortar sua filha senão morreria, não exitou em dizer que iria levar a gravidez até o final. Santa Gianna não quis matar um inocente. E se vivemos na sociedade em que já tem imperado há algum tempo a cultura da morte, eu devo ser tão santo quanto ela, aliás, devo ser mais santo que ela, e também dar a vida por milhões de crianças que correm o risco de estar sendo abortadas. E também como é triste ver, tantas crianças que morrem após o parto em muitos países, que são os chamados “aborto pós nascimento” (como alguns chamam) ou “infanticídio”. É preciso ser santo. É possível ser santo.

Mas como nada dá certo sem oração - aliás, para sermos santos necessitamos da intimidade com Cristo que se dá na oração, na Comunhão frequente, confissão, etc. -, podemos ver a vida de Santa Teresa de Ávila e ver que se ela é um grande modelo de oração, eu posso rezar como ela. Não, não estou dizendo que teremos grandes consolações, êxtases, e coisas do tipo (isso são mercês que Nosso Senhor dá a quem quiser sem termos que ficar procurando, afinal não é garantia de salvação); mas digo que podemos sim ser fiéis as orações em meio as contrariedades da vida. Ou vocês acham que a vida de Santa Teresa de Ávila foi só êxtase e aleluia? Ela viveu durante anos, se não me engano 20 anos, em aridez espiritual. Ela tinha fortes dores de cabeça, mas apesar da dor de cabeça ela rezava. Uma vez ela tinha que adorar o Santíssimo Sacramento, e não estava conseguindo, ela queria sair dali; mas para não estar em pecado por cometer uma falta das suas obrigações, e para não ficar longe do Amado Jesus, ela começou a contar os tijolos da Capela. Ela se esforçava para ser santa. Devemos nos esforçar também. Se nos esforçarmos, e buscarmos a ajuda em Deus, pois Cristo disse a Santa Faustina que a alma que recorre a Ele, Ele mesmo se encarrega de santificá-la. Ou seja, não queiramos ser santos por presunção, com nossas forças, mas pela graça de Deus que nos santifica pelo Espírito Santo, que age por Maria, com Maria e em Maria. E Santa Teresa já dizia: A oração não consiste em pensar muito, mas em amar muito. E um meio que Santa Teresa tinha para se tornar santa, é o mesmo que temos de sermos mais santos que ela. Dizia Santa Teresa de Ávila: “No Rosário tenho encontrado os atrativos mais suaves, mais eficazes e mais poderosos para me unir com Deus”.

Meus queridos irmãos e irmãs em Cristo, graças a Deus temos na Igreja Católica milhares de santos canonizados, por isso fica difícil citarmos tantos exemplos. É uma dificuldade boa, afinal só a Igreja Católica tem esses homens e mulheres extraordinários que marcaram a história. Mas sempre que você ver um santo católico, lembre-se: com a graça de Deus você também pode ser santo, no seu estado de vida, e ser tão santo, ou mais santo se for assim da vontade de Deus e se assim Deus te chamar a viver. Para ser santo todos somos chamados. Todos somos chamados a viver na radicalidade do Evangelho. O que estamos esperando para sermos radicais? Radicais conosco mesmo, nos consumir de amor por Deus, viver pra Deus e pra Imaculada.

E lembrem-se que os nossos maiores exemplos são Jesus e Maria. Se você estiver em estado de pecado mortal, achando que se converter e ser santo para você ficou tarde, saiba que VOCÊ TAMBÉM É CHAMADO A SER SANTO! Confesse os teus pecados para um sacerdote, e passe a Comungar dignamente, e seja santo. Afinal, se formos verdadeiros devotos de Nossa Senhora, Jesus poderá agir em nossas vidas, e Jesus e Maria podem fazer de uma prostituta uma mulher pura que torna-se exemplo de pureza (não foi assim que Jesus fez com Maria Madalena, prostituta, possuída de demônios, que após conhecer Jesus se converteu, e hoje é conhecida como Santa Maria Madalena?); pode fazer do bandido, ladrão, assassino, um homem de bem e que viva a santidade (Por acaso Cristo, na Cruz, não abriu as portas do Paraíso para Dimas que se arrependeu? Por acaso não tinham ladrões entre os apóstolos? O problema é ser ladrão pra sempre como Judas que pereceu, mas se formos talvez como Zaqueu que prometeu restituir tudo o que roubou...) Pode fazer do homem bruto um homem de paz (Não foi assim com Pedro?); pode fazer do ignorante um sábio nas coisas de Deus (São José de Cupertino? São João Maria Vianney?); pode fazer do jovem que todos dizem que não tem mais jeito um grande santo (Não era São Maximiliano o menino rebelde que a mãe indagou o que seria dele? E depois da Virgem Maria lhe aparecer ele mudou de comportamento e se tornou o santo que foi.) E assim temos uma infinidade de pessoas que eram pecadores públicos e se tornaram santos: Santo Agostinho, Santa Ângela de Foligno, etc. E nos exemplos destes santos e de Jesus e Maria poderemos ser santos: "Jesus e Maria são todo o meu amparo e guia, e os modelos que me proponho seguir e imitar." - (Santo Antônio Maria Claret)

Então meus queridos irmãos e irmãs, vamos ser santos juntos? Só os santos entrarão no Céu! O tempo de nos santificarmos é aqui na terra, no purgatório é apenas purificação. Então: ou santos ou mártir! Ou santos, ou morrendo pra ser santo! Unidos ao Imaculado Coração de Maria seremos santos. A Igreja precisa de santos. A Igreja precisa que eu e você sejamos santos.


Salve Maria Imaculada!