sábado, 19 de outubro de 2013

Maçonaria na Igreja de São Miguel-RN

Salve Maria Imaculada!

Que a maçonaria está infiltrada dentro da Igreja Católica, isso não é novidade para ninguém. O “masterplan” (plano da maçonaria para tentar destruir a Igreja Católica por dentro) já está em vigor, e muito foi colocado em prática. Mas o que surpreende mesmo é ver a tamanha “cara de pau” em que as coisas ocorrem hoje em dia. A maçonaria eclesiástica está tão nas caras, que o povo acha normal. É verdade que muitos dos fiéis são ignorantes e bem simples, de fato não tem culpa alguma. É aí que vemos o sentido de sermos enviados como cordeiro em meio aos lobos.

Um exemplo disso é a PALHAÇADA ocorrida na Igreja matriz de São Miguel-RN durante a Novena de São Miguel Arcanjo, neste ano de 2013. Sabemos que em muitos lugares do nordeste, dominado pela Teologia da Libertação, poderia haver alguns abusos. Mas não pensei que chegasse a tanto. Eis que no dia 26 de setembro, no 7º dia de novena, quem animava a noite anunciava os grupos e movimentos que trariam a imagem de São Miguel Arcanjo em procissão. Eis que anunciam “Ecc, Pastoral da Criança e Loja Maçônica”. Loja Maçônica? Como assim? Isso mesmo, a Maçonaria foi anunciada como Pastoral e movimento da Igreja Católica. Isso é um absurdo! Não, os presentes não ouviram errado. Alguns mais entendidos poderiam achar que fosse apenas o patrocínio, que já seria um erro gravíssimo. Mas além do dinheiro do demônio, colocaram os maçons na procissão, anunciando e confirmando mais uma vez, a Loja Maçônica da cidade de São Miguel como movimento e pastoral.

É complicado constatar que isso está ocorrendo na Igreja do Brasil. Me dói de forma particular por conhecer o movimento da Igreja chamado Milícia da Imaculada, fundado por São Maximiliano Maria Kolbe, fundado justamente para contrapor ao avanço da maçonaria. Para quem não sabe, São Maximiliano ainda quando seminarista, viu em Roma uma procissão da Maçonaria com uma imagem de satanás pisando na cabeça de São Miguel Arcanjo. Ou seja, fazendo procissão dizendo que destruiria a Igreja. Vendo isso, São Maximiliano Maria Kolbe, juntamente com outros frades, fundam a Milícia da Imaculada (movimento que tem reconhecimento pontifício). E quanta ironia! No ano de 2013, na tão longe cidade de São Miguel, os membros da seita da maçonaria que outrora estavam com a imagem de satanás pisando São Miguel, puxaram a procissão do Arcanjo São Miguel para a novena. Uma tremenda de uma profanação!

Além de tudo isso, mais triste foi ver que os membros estavam pouco se importando com o momento. E ali, Jesus exposto no Santíssimo Sacramento, e os maçons, que não podem nem mesmo comungar, profanando. Sim, não tenho medo de dizer PROFANANDO, porque a Igreja condena os maçons com justa pena, e se eles puxaram a procissão, então obviamente também comungam, e se comungam, fazem isso em sacrilégio.

E para provar, segue abaixo as fotos tiradas e divulgada pelos membros da Paróquia de São Miguel Arcanjo:




É válido lembrar que a maçonaria é condenada pela Igreja. Vejamos fontes citadas por Dom Boaventura no livro “Maçonaria no Brasil”:

"... Proibimos, portanto, seriamente, em nome da Santa Obediência, a todos e cada um dos fiéis de Cristo, de qualquer estado, posição, condição, classe, dignidade e preeminência que sejam, leigos ou clérigos, seculares ou regulares, de ousar ou presumir entrar, por qualquer pre- texto, debaixo de qualquer cor, nas sociedades de ma- çons, ou propagá-las, sustentá-las, recebê-las em suas casas, ou dar-lhes abrigo e ocultá-las alhures, ser nelas inscrito ou agregado, assistir às suas reuniões, ou proporcionar-lhes meios para se reunirem, fornecer-lhes o que quer que seja, dar-lhes conselho, socorro ou favor às claras ou em segredo, direta ou indiretamente, por si ou por intermédio de outro, de qualquer maneira que a coisa se faça, como também exortar a outros, provocá-los, animá- los a se instruírem nessa sorte de sociedade, a se fazerem membros seus, a auxiliarem-nas, ou protegerem-nas de qualquer modo. E ordenamos-lhes absolutamente que se abstenham por completo dessas sociedades, assembléias, reuniões, corrilhos ou conventículos, e isto debaixo de pena de excomunhão, na qual se incorre pelo mesmo fato e sem outra declaração, e da qual ninguém pode ser ab- solvido senão por Nós, ou pelo Pontífice Romano reinante [ou seu delegado], exceto em artigo de morte". Esta circunstanciada condenação já vem do ano 1738, da Constituição Apostólica que começa com as palavras In eminenti, do Papa Clemente XII. Ela foi confirmada posteriormente por quase todos os Papas, como se po- derá ver na documentação que deixaremos para o Apêndice. A disciplina vigente é determinada claramente pelo Direito Canônico que, em vários cânones, precisa a atual posição da Igreja perante a Maçonaria e perante os maçons. Vejamos as determinações hoje em vigor:
a) Os cânones que se referem à Maçonaria.
Can.684 – Os fiéis... fujam das associações secretas, condenadas, suspeitas ou das que procuram subtrair-se à vigilância legítima da autoridade eclesiástica
Cân. 693. — Não podem ser admitidos validamente (às associações religiosas)... os inscritos em sociedades conde- nadas.
Cân. 1065. — § 1. Os fiéis sejam desaconselhados de contrair matrimônio com os que... são inscritos em sociedades condenadas peta Igreja.
Cân 1065. — § 2. O pároco não assista aos preditos casamentos sem prévia consulta do Bispo, que, tendo examinado todas as circunstâncias, pode permitir-lhe a assistência, se houver grave causa e se, segundo o seu prudente parecer, o Bispo julgar que sejam garantidas a educação de toda a prole e a remoção do perigo de perversão do outro cônjuge.
Cân. 12-10. — § 1. São priva- dos de sepultura eclesiástica, se não derem alguns sinais de arrependimento antes de morrer. . . os que aderiram à seita maçônica ou a outras sociedades des- te gênero.
Cân. 1241. — Ao que for pri- vado de sepultura eclesiástica deve também negar-se não so- mente qualquer Missa exequial, mesmo de aniversário, senão também outros ofícios fúnebres públicos. Cân. 2339. — Os que ousa- rem mandar ou obrigar a ser dada sepultura eclesiástica... contra o disposto no
cân. 1240, § 1, incorrem sem mais em ex- comunhão, a ninguém reservada; porém os que espontanea- mente dão aos mesmos sepultura, incorrem no interdito "ab ingressu ecclesiae", reservado ao Bispo.
Cân. 2335. — Os que dão seu nome à seita maçônica... in- correm sem mais na excomunhão "simpliciter" reservada à Santa Sé.

São esses os cânones do Direito Canônico ou Eclesiástico que falam diretamente dos maçons. Temos, pois as seguintes determinações muito claras:
1) Todo aquele que se iniciar na Maçonaria, incorre, só por este fato e sem outra qualquer declaração (ipso facto) na pena ou censura da excomunhão (cân. 2335). 2) Por ter incorrido na excomunhão, todo e qual- quer maçom:
a) deve ser afastado dos sacramentos (confirmação, confissão, comunhão, extrema-unção), ainda que os peça de boa fé (cân. 2138, § 1);
b) perdeu o direito de assistir aos ofícios divinos, como sejam: a Santa Missa, a recitação pública do Ofício Divino, procissões litúrgicas, cerimônias da bênção dos ramos, etc. (cf. cân. 2259, § 1; 2256, n. 1); c) é excluído dos atos legítimos eclesiásticos (cân. 2263), pelo que não pode ser padrinho de Batismo (cân. 765, n. 2), nem de Crisma (cân. 795, n. 1); d)_ não tem parte nas indulgências, sufrágios e orações públicas da igreja (cân. 2262, § 1). 3) O maçon não pode ser admitido validamente às associações ou irmandades religiosas (cân. 693). 4) Os fiéis devem ser vivamente desaconselhados de contrair matrimônio com maçons (cân. 1065, § 1). 5) Só após prévia consulta do Bispo e garantida a educação católica dos filhos, pode o pároco assistir ao casamento com um maçom (cân. 1065, § 2). 6) O maçom falecido, sem sinal de arrependimento, deve ser privado da sepultura eclesiástica (cân. 1240). 7) Deve-se negar aos mesmos qualquer missa exequial, mesmo de aniversário, como também quaisquer ofícios fúnebres públicos (cân. 2241).

***
E a disciplina atual da Igreja o Padre Paulo Ricardo explica muito bem e com autoridade:

Diante de tudo isso, peço a todos os irmãos católicos de boa vontade, que nos ajude a denunciar esta profanação. De fato vemos o cumprimento do que dizia o Papa Paulo VI “a fumaça de satanás entrou na Igreja”. E se a fumaça de satanás entrou, nos armemos com o rosário e vamos “soprar” pra fora da Igreja essa seita junto com todas as heresias. Pois a Virgem Maria destruiu todas as heresias. E como disse o Papa São Pio X “os erros modernos serão destruídos pelo Rosário”.

Junto com a oração, peço que denunciem este ocorrido para o Bispo da diocese de Mossoró, Dom Mariano. Juntamente peço que denunciem as demais autoridades da Igreja que possam fazer algo. E lembre-se: como a maçonaria está infiltrada em tudo quanto é buraco, denuncie, mas reze. Segue os contatos para denuncia, envie as fotos, peça providências da parte do Bispo e das demais autoridades.

Que a Maçonaria seja destruída, e que triunfe o Imaculado Coração de Maria!

Contatos para denunciar: Nunciatura Apostólica
Endereço:SES - Av. das Nações, 801, lote 1

Cidade:Brasília
Estado:Distrito Federal
Cep:70401-900
Telefone:(0xx61) 3223-0794 e outro 3223-0916
Fax:(0xx61) 3224-9365
Email:nunapost@solar.com.br
(Ou envie email para Dom Mariano,da Diocese de Mossoró-RN, pedindo explicações: email: diocesedemossoro@uol.com.br
Tel: (84) 3314 7255
Fax (84) 3317 4785)






(Até o momento a Diocese não respondeu nada)

ATUALIZAÇÃO:
Uma pessoa da Paróquia, que também não concorda com o envolvimento da Paróquia com a Maçonaria, fez uma pequena correção do que dito acima, que apesar da gravidade ser a MESMA, evita maiores confusões: "Quando a Loja Maçônica foi chamada, ela não foi destacada como uma pastoral, e sim como um dos organismos sociais que estavam a homenagear São Miguel junto com as pastorais da Paróquia. Ao observar o convite-programação da Festa, podemos observar que existem em média três pastorais e três órgãos sociais por noite. Portanto, que fique claro, jamais chamaremos a maçonaria como sendo uma pastoral."

Facebook da Paróquia onde foram postadas as fotos: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.376717589126449.1073741865.199199636878246&type=3

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Lamentavelmente, A maçonaria continua infiltrada na Paróquia de São Miguel Arcanjo. Na festa do padroeiro no ano de 2015, novamente, a loja maçônica foi um dos órgãos sociais participantes na primeira noite de novena, realizada no dia 20/09/ 2015. São Maximiliano Maria Kolbe intercedei por nós.

    ResponderExcluir