domingo, 20 de outubro de 2013

A Igreja Católica proíbe os católicos de lerem a Bíblia? Mais uma mentira protestante...


Salve Maria Imaculada!

Sabemos que muitos protestantes acusam os católicos de não lerem a Bíblia. Mas será que isso é verdade? Para começo de conversa devemos recordar que se não fosse a Igreja Católica a Bíblia não existiria. Afinal, se não fossem os monges católicos para compilarem e preservarem toda a Bíblia, como a teríamos hoje em dia? A Bíblia não caiu do Céu com zíper e tudo! Ela foi compilada. E a Santa Igreja Católica, por meio de seus Bispos reunidos em Concílios, decidiram quais eram os livros inspirados e quais eram apócrifos. E vale lembrar que desde o princípio a Bíblia continha seus 73 livros, e o protestantismo, 1500 anos depois de Cristo, mutilou 7 livros.

Mas com o crescimento do protestantismo, e principalmente da impiedade por parte dos católicos, fizeram surgir algumas inverdades a cerca da relação do católico com a Bíblia. Chegamos a ouvir absurdos, de pessoa ignorantes, que a Igreja Católica proíbe a leitura da Bíblia; afinal, dizem alguns destes, se lerem a Bíblia descobrirão a verdade e assim sairão do Catolicismo (o problema é: sair da Igreja Católica e ir pra qual seita? Tem tantas...). Esta declaração é tão absurda, que só uma pessoa com um grau muito elevado de ignorância diria isso. Basta ir em uma Santa Missa aos domingos que ouvirá a leitura de quatro passagens bíblicas (1ª leitura, normalmente do Antigo Testamento; Salmo, [raras são as vezes que canta-se algo fora dos Salmos, como por exemplo o Magnificat que está em Lucas 1,46-55]; 2ª leitura, livros do Novo Testamento sem ser os Evangelhos; e a proclamação do Evangelho). O próprio Catecismo da Igreja Católica exorta aos fiéis a fazerem a leitura das Sagradas Escrituras: “É tão grande o poder e a eficácia encerrados na Palavra de Deus, que ela constitui sustentáculo e vigor para a Igreja, e, para seus filhos, firmeza da fé, alimento da alma, pura e perene fonte da vida espiritual. É preciso que o acesso à Sagrada Escritura seja amplamente aberto aos fiéis.” (CIC 131). - “A Igreja 'exorta com veemência e de modo peculiar todos os fiéis cristãos... a que, pela frequente leitura das divinas Escrituras, aprendam 'a eminente ciência de Jesus Cristo'(Fl 3,8). 'Com efeito, ignorar as Escrituras é ignorar Cristo'”. (133) – Então está refutado a falácia protestante de que a Igreja proíbe a leitura da Bíblia. Ainda mais citando esta frase belíssima de São Jerônimo que diz que ignorar as Escrituras (Bíblia) é ignorar Cristo. E ainda diz que é preciso ampliar o acesso da Bíblia aos fiéis. Se há alguma proibição aqui é da parte protestante, que proíbem os pobres fiéis, e até pastores ignorantes, de lerem os 7 livros amputados por Lutero e Calvino.

Normalmente essas mentiras surgem e são tidas como verdade porque era o que as pessoas viviam. Por exemplo: a Igreja exorta a leitura da Bíblia, no entanto o cidadão vive em pecado, nunca pegou numa Bíblia, se tinha a Bíblia em casa ficava aberta no Salmo 90 só pegando poeira, e depois por algum interesse ou pelo acaso vira protestante... Logo depois sai afirmando que enquanto católico nunca leu a Bíblia, porque os católicos não leem a Bíblia. De fato, boa parte dos católicos não leem a Bíblia, mas não é porque algum padre ou a autoridade da Igreja o proíba, mas é porque são os mornos que estão poucos se lixando para a salvação. Não lê a Bíblia porque não quer. Fora que até quem reza o Rosário está rezando a oração da Ave Maria, que é bíblia, meditando os mistérios da vida de Jesus descritos na Bíblia. Então é safadeza de quem diz que a Igreja proíbe a leitura da Bíblia.

Só que existe um problema na Bíblia. Muitos começam a ler a Bíblia, ver a verdade e descobrir o amor de Deus através das Escrituras. Mas como ouvi uma vez: “texto sem contexto é pretexto pra heresia”. Bom, para nós católicos é muito claro, a Bíblia não é a única fonte de fé. Nós nos baseamos na Tradição, Escritura e Magistério. Uma complementa as outras, uma não pode existir sem a outras, uma não tem sentido sem as outras. Só quem pode interpretar a Bíblia é a Igreja. O próprio Papa Francisco declarou isso. Pois tanto no meio protestante, como em alguns ambientes católicos, passaram a pegar a Bíblia e usá-la como bem quiser, tendo auto-interpretação. E nos ensina São Pedro nas Sagradas Escrituras: “Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal.” (2Pedro 1,20). Portanto, devemos ler a Bíblia, estudar a Bíblia, orar com a Bíblia, mas não podemos sair interpretando os textos ao nosso bel prazer para satisfazer a nossa vontade. Uma prova disso é que tem gente que interpreta de forma tão equívoca, que tem seita protestante que dizia que depois da Renúncia de Bento XVI o Beato João Paulo II iria ressuscitar e se tornar o Anticristo. Outro exemplo é a pessoa ler algumas partes isoladas da Bíblia e dizer que ter imagem é idolatria, sendo que em várias partes Deus manda fazer imagens (Na Arca da Aliança tinha dois querubins de ouro [Êxodo 20,4]; ou mesmo 1Reis 6,23; a serpente de bronze que Deus mandou fazer: Números 21,8-9; etc) . Ou seja, são incapazes de distinguir imagem de ídolo. Por isso é preciso estar unido ao Magistério da Igreja e à Tradição, porque aparentes contradições, a Igreja Católica – e só a Igreja Católica – poderá nos ensinar o que de fato Deus quer naquela passagem.

Por isso a mensagem que tenho a dar é essa: leiam a Bíblia com todo fervor. Mas também leiam o Catecismo e estudem a vida dos santos. Só nessa união poderemos chegar a uma vida de santidade. “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo” (Lev. 19,2). “Os santos são a verdadeira interpretação das Sagradas Escrituras” - não lembro o autor dessa frase, talvez tenha sido Bento XVI, mas é algo importante lembrarmos disso sempre. O mundo nos dá tantos afazeres, que nos esquecemos da Santa Palavra de Deus, e sem essa luz, nos esquecemos de ser santos, que é o desejo do coração de Cristo. “Vossa palavra é um facho que ilumina meus passos, uma luz em meu caminho.” (Salmo 118,105). Sim, devemos estar sempre sendo iluminados pela luz da Palavra de Deus. Assim como Santo Antônio, que amava tanto a Palavra de Deus, que citava sempre as Sagradas Escrituras em suas pregações; e alguns diziam que se sumissem todos os escritos da Bíblia, Santo Antônio seria capaz de reescrevê-los. Amemos a Palavra de Deus. Entremos neste diálogo de amor com a Trindade.


Salve Maria Imaculada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário