quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A Obediência

Salve Maria Imaculada, Rainha dos Corações!

Muitos se perguntam sobre o que é mais difícil de se viver no cristianismo. Sabemos que devemos andar pela porta estreita, e aqueles que não creem em Cristo acabam achando que carregamos pesados fardos e somos infelizes. Mas a verdade é que o peso de Jesus é leve e seu jugo é suave (cf. Mateus 11,30). Todo cruz, toda renúncia, pode até doer, mas com Cristo tudo tem um sentido. Não, não é fácil. Mas por Cristo e com Cristo podemos tudo. Mas então o que seria mais difícil no cristianismo? Alguns podem dizer que é a castidade (ainda mais nesses dias da corrupção moral); outros diriam ainda que é o amor ao próximo e a caridade. Enfim... Mas, se analisarmos bem, o mais difícil de se viver é a OBEDIÊNCIA. Sim, a obediência. Se eu não tiver a obediência como uma das minhas virtudes, eu não viverei as outras. Se a Igreja ensina que sexo fora do casamento é pecado, eu devo ser humilde de reconhecer na fé que a Igreja é coluna e sustentáculo da VERDADE (cf. 1Timóteo 3,15) e que é o próprio Jesus que nos fala (cf. Lucas 10,16). E nessa fé devo obedecer. O fato da obediência ser um peso não é porque somos “obrigados” ou nos venha algo por imposição, mas pelo fato de que o pecado de Adão e Eva foi de desobediência, e isso ficou impregnado na nossa humanidade corrompida. Quando a Igreja nos fala NÃO ao uso de camisinha, nós já sabemos que é errado, assim como Eva sabia que não podia comer do fruto proibido, mas muitas vezes se é desobediente para contrariar a Deus. Santo Afonso Maria de Ligório vai nos dizer no livro “Práticas do Amor a Jesus Cristo” que existe gente tão agarrada à própria vontade que ao lhe ser ordenada alguma coisa, mesmo sendo de seu gosto, pelo fato de a ter de realizar por obediência, perdem a vontade de a executar.

E se nós queremos ser pessoas de Deus, nós devemos ser obedientes. O mundo vai querer nos escravizar no relativismo e nos fazer obedecer as mentiras da sociedade atual que muitos tomam por verdade, mas nós devemos dizer a cada dia: “Importa obedecer antes a Deus do que aos homens” (Atos 5,29). E quem não obedece a Deus – e deixo bem claro que obedecer a Deus implica diretamente em obedecer à Igreja pois, como já dito, Cristo nos fala por Ela, e os santos já dizem que a fé Romana é inacessível ao erro. - vive em uma completa confusão. Muitas vezes queremos luzes, será que tal caminho é bom, será que estamos vivendo a vontade de Deus. E a obediência a Deus na Igreja é a resposta. Seja no campo espiritual ou em qualquer esfera da nossa vida (afetivo, familiar, profissional, etc.), quando existe desobediência à Deus tudo vira uma completa confusão e tende a virar ruína. Um sinal clássico é o profeta Jonas que ao ouvir de Deus o chamado para ir até Nínive pronunciar seus oráculos, acaba tomando um rumo contrário. Vai nos relatar assim as sagradas escrituras: “A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, filho de Amati nesses termos: 'Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e profere contra ela os teus oráculos, porque sua iniquidade chegou até a minha presença'. Jonas pôs-se a caminho, mas na direção de Társis, para fugir do Senhor. Desceu a Jope, onde encontrou um navio que partia para Társis; pagou a passagem e embarcou nele para ir com os demais passageiros para Társis, longe da face do Senhor” (Jonas 1,1-3). Assim acontece com quem desobedece pegando um rumo diferente da direcionada pelo próprio Senhor: fica LONGE DA FACE DO SENHOR. É assim quando temos um bom confessor e ele nos fala “x” mas porque nos é mais agradável queremos “y”. Ou mesmo no campo doutrinário, quando a Igreja nos fala “x” através da doutrina de dois mil anos, do Papa, enfim, mas nós queremos “y” porque nos convém, sim, convém aos nossos caprichos, mimos, acomodações... E no entanto, corremos o rico de ter a vida em caos como a do profeta. O navio que ele estava ficou agitado em alto-mar, até que descobriram que ele era o culpado, jogaram ele no mar, foi engolido por um peixe gigante, e só saiu de lá quando se arrependeu e orou ao Senhor, e obedeceu a Palavra do Senhor. Tua vida só vai sair da desordem quando você obedecer a Deus todo poderoso. E se sua vida está boa, cuidado para não cair no capricho da desobediência, pois quem cai na desobediência derruba toda a sua vida.

A obediência é necessária a todos os católicos. E aqueles que querem ser almas perfeitas – não na perfeição humana de agradar aos homens, mas agradar ao Sumo Bem que é Jesus – deve trabalhar muito a obediência que está ligada a humildade. Um verdadeiro obediente é humilde; e quem é humilde, inevitavelmente, obedece. Não, não é uma pessoa “bitolada”, “pau mandado”, mas é uma pessoa apaixonada por Jesus, e que só a Ele quer agradar. E nesse desejo de agradar ao Senhor, uma alma que quer ser perfeita, deve rezar insistentemente pedindo a Ele a graça de ter um bom diretor espiritual. Rezar pedindo um, mas também ao ter rezar pedindo a graça que Ele tenha luz para te guiar na vontade de Deus. É de extrema importância termos um diretor espiritual para obedecermos. Até porque vivemos em tempos difíceis, satanás tem dominado em muitos lugares, e nós somos seduzidos pelo inimigo a todo momento, e por isso precisamos ter um auxílio da parte de Deus que é o diretor espiritual. Mas não pode ser qualquer um, tem que ser um que deseja ser santo e levar outros a santidade (não falo aqui para você ficar criticando ou condenando padres, mas para que você analise bem em quem você vai colocar sua vida sob obediência. Afinal, sabemos que no Brasil, por causa da TL, tem muitos maus sacerdotes que até mesmo no próprio confessionário dão camisinhas para corromper os jovens, e dizem que várias coisas não é pecado, contradizendo o que nos ensina o magistério da Igreja. Por isso, ao se confessar com algum sacerdote do tipo – sendo impossível se confessar com outro – recomendo que obedeça em primeiro lugar a Igreja, ou seja, se ele te mandar fazer algo que a Igreja diz ser pecado e obviamente ilícito, não o faça. No demais, com cuidado, pode obedecer. Exemplificando, se você confessar com um sacerdote que te dê de penitência cometer um aborto, você NÃO OBEDEÇA, pois você tem que obedecer a Deus e a Igreja que dizem que isso é um pecado que brada ao Céu por vingança. Sei que o exemplo foi pesado, mas é pra ficar claro naquilo que quero falar. Ou pelo menos tentei...)

Quem quer ser perfeito deve entender que mais vale uma atitude por obediência do que por vontade própria. Os santos sabiam e viveram muito bem isso. Nos ensina belamente São Felipe Neri: “Os que desejam avançar no caminho de Deus, sujeitem-se a um sábio confessor e obedeçam-lhe como a Deus. Quem assim faz, fica seguro de não prestar contas a Deus das ações que faz... Devemos confiar no confessor, pois o Senhor não deixaria errar. Não há coisa mais segura para escapar dos laços do demônio, do que fazer a vontade alheia nas coisas boas. Não há coisa mais perigosa do que querer se dirigir pelo próprio parecer.” E como isso é uma verdade! Tem pessoas que ao rezar sentem que Deus a pede para fazer algo, um dia de grandes mortificações, por exemplo, e ao falar com o diretor, este lhe proíbe. E então a pessoa fica irritadíssima, dizendo que Deus foi quem pediu, e então desobedece seu diretor espiritual, e faz fortes mortificações. E essa alma ganhou poucos ou nenhum mérito com sua mortificação. Deus nos quer a obediência. Se ela tivesse ofertado a sua vontade de fazer mortificações não as fazendo, por obediência, teria ganhado muitos mais méritos. Uma prova disso é o que nos ensina Santa Brígida: “Alguém deixando por obediência uma mortificação, lucra duplamente: alcança o mérito da mortificação que desejava fazer e o mérito da obediência pela qual a deixou.” O problema é que parece que cada dia mais o povo anda com um espírito luciferino e dizem: não servirei! Não obedecerei! Mas os santos não foram assim. A Beata Teresa de Calcutá, por exemplo, recebeu a inspiração de sair da sua antiga congregação e fundar as Missionárias da Caridade. Mas vocês acham que ela partilhou com algumas irmãs, um padre e disse “#partiu #ruas #indianas”? Ela passou anos sob a OBEDIÊNCIA de ter que sofrer as demoras de Deus. O mesmo Deus que a inspirou a fundar as Missionárias da Caridade e a impelia em oração a começar a obra, era o mesmo que a refreava através do confessor e do Bispo que não dava autorização até ver a vontade de Deus. Ela foi provada até o final. Apesar da angústia – e da tão falada “noite escura” que a Beata Teresa sofria – ela sempre dizia que era a vontade de Deus, afinal, nós católicos a entendemos porque a vontade de deus se manifesta na obediência. Depois de um longo período na espera, ela recebe autorização de com algumas irmãs sair para as ruas da Índia, indo de fato nas sarjetas, fazer a vontade de Deus, cuidando dos mais necessitados, daqueles que ninguém queria cuidar, muito menos amar.

É assim que deve agir uma alma que quer fazer a vontade de Deus a todo custo: na obediência. Agora imagina certas pessoas que no primeiro não, começam a dar birra, se fazem de vítimas, de perseguidos por causa do Evangelho... Muitas vezes o Senhor nos pede algo para testar a nossa obediência aos nossos superiores. Um belo exemplo é Santa Faustina, e citarei um fato muito interessante que a Santa cita no nº 28 do seu diário: “Em certo momento Jesus me disse: Vai falar com a Madre Superiora e pede-lhe que te permita usar o cilício por sete dias e uma vez, durante a noite, te levantarás e virás a capela. Respondi que o faria, mas tinha uma certa dificuldade de dirigir-me à Superiora. À tarde, Jesus perguntou-me: Até quando vais adiar? Resolvi contar isso à Madre Superiora logo que a encontrasse.[...] A isso respondeu-me a Madre: “Não permito que a Irmã use o cilício. Absolutamente nada. Se Nosso Senhor der à Irmã as forças de um colosso, então permitirei essas mortificações.”[...] Então vi Nosso Senhor, que estava parado à porta da cozinha, e disse a Ele: “Mandastes que eu fosse pedir licença para essas mortificações, e a Madre Superiora não as quer permitir.” Então Jesus me disse: Estive aqui durante essa conversa com a Superiora, sei de tudo e não estou exigindo as tuas mortificações, mas a obediência. Através disso, tu estás Me dando uma grande glória e granjeando méritos para ti mesma”. - Como vimos neste fato, Jesus disse para Santa Faustina pedir para usar o cilício, e ela foi obediente, e mais obediente ao cumprir o que disse a Superiora. É isso que está faltando em muitas almas que desejam a santidade, mas a modo próprio. E a modo próprio é muito mais difícil de se alcançar a santidade. Até porque já nos diz as Sagradas Escrituras: “Mais vale a obediência que os sacrifícios dos insensatos” (Eclesiastes 4,17). E como muitas vezes temos sido insensatos não querendo obedecer!

Jesus diz ainda à Santa Faustina: Vim para cumprir a vontade de Meu Pai. Fui obediente aos pais, obedeci aos carrascos, sou obediente aos sacerdotes. (nº 535 do Diário de Santa Faustina). E isso é quase que um escândalo. Principalmente a obediência aos pais. São Luís Maria Grignion de Montfort diz que Jesus deu mais Glória a Deus Pai nos 30 anos obedecendo a Maria do que nos 3 fazendo milagres e prodígios. Mas aqui quero chamar a atenção para os jovens desejosos e sedentos de Deus. Sabemos que muitas vezes a nossa própria casa vai se opor ao plano de Deus em nossa vida. Mas temos que obedecê-los – a não ser que queiram nos colocar em pecado – pois foi Deus que nos deu eles como pais e/ou responsáveis e, portanto, autoridades. E tenho visto muitos casos de desobediência sobre pretexto de amor a Deus. Gente que quer ir embora de casa para fazer algo para Deus. Isso é bonito, mas analise a situação e veja se é necessário. Será mesmo que você que é menor de idade, até trabalha, é lícito largar o emprego do nada contrariando os seus responsáveis para trabalhar na obra de Deus? Sabe por que? Porque tem gente que cria ódio da Igreja porque está deixando os filhos bitolados. E o pior é que muitos destes não ouvem os conselhos dos sacerdotes que o orientam. Eu conheço uma jovem que sua mãe, para lhe proibir de ir para o grupo de oração, lhe trancava no quarto. Eu não digo que ela devesse arrombar a porta e ir, mas se ela a proibisse de ir pra Missa de domingo deveria fazer umas orações a São Miguel pra por a porta abaixo, porque sabemos que devemos ir todo domingo para a Missa. Agora tem gente que fica com raiva dos pais ou seja lá quem for seus responsáveis, por não deixarem fazer os seus mimos de largar tudo e pregar o Evangelho. Você quer ser padre? Ótimo, termine seus estudos primeiro! Freira? Idem! Mas não, fica um povo alienado, querendo se entregar pra Deus, sem se esforçar no hoje da sua vocação. Você jovenzinho vocacionado ao sacerdócio, para você ser padre você precisa ter o ensino médio completo para no seminário fazer duas faculdades. E se você não obedecer seus pais, como você obedecerá seus superiores? Você sendo um birrento desde cedo, querendo fugir de casa pra ir pro seminário ou convento, na primeira contrariedade que passar na vida religiosa, vai querer ir embora e ir pra outro convento, e sempre sendo como satanás: não obedecerei! Portanto, a não ser que teus pais ou responsáveis queiram te obrigar a pecar, você tem que obedecer. “Ah, mas eu quero ser religioso(a) e eles não querem deixar”. Ótimo, obedeça até os 18 anos, depois fuja de casa e viva sua vocação. “E isso não é pecado?” Não! Pecado é a sua desobediência atual sendo um birrento(a). Quando você tiver 18 anos você será dono do seu nariz e fará o que quiser – desde que não esteja morando debaixo do teto de seus pais – e aí você vai virar missionário, pregar, ser padre, freira, o que Deus te pedir. A própria Santa Faustina fugiu de casa para viver sua vocação (só que ela era maior de idade, e enquanto menor, por mais que desejasse o contrário, sempre foi obediente)Mas, por favor, tenha um diretor espiritual para que você não faça besteira.

Esse negócio entre os jovens é tão terrível que tem gente querendo emancipação para poder ser “livre” pra não ter obedecer os responsáveis em casa e ir morar só. Só que na vida religiosa, até na vida matrimonial quando tiver que fazer sacrifícios pela família, não existirá emancipação. Custa sacrificar a vontade própria? Dói, de fato, mas quando dói é amor.

Santa Teresinha do Menino Jesus queria ser tudo, ela desejava a missão. No entanto, ela sabia de sua vocação, e obedecendo o chamado de Deus a viver sua vocação monástica, obteve muitos mais méritos para Deus, e com toda certeza, suas orações contribuíram muito mais para auxiliar os pregadores, do que se ela mesma estivesse pregando.

Eu sei que muitas vezes dói não ser compreendido em casa. Mas que tal pegar o exemplo da Irmão Lúcia (uma das videntes de Nossa Senhora em Fátima-Portugal) que relava que enquanto criança, no decorrer do tempo das aparições, sua mãe achando ser mentira de sua filha toda essa história de aparição de Nossa Senhora, lhe batia de cabo de vassoura e tudo. Ela sofria muito. No entanto, ela, apesar de criança, não ficou dizendo “#partiu #ninguém #me #ama #CHATIADU”. Ela prosseguiu em casa, sofrendo no interior e na carne, pois a própria Santíssima Virgem lhe disse que sofriam bastante pelos pecadores. Quando tiver contrariedades do tipo, ofertemos a Deus através do Imaculado Coração de Maria, todo sofrimento, pelos pobres pecadores, que com certeza será muito mais útil para a conversão dos pecadores e para a nossa santificação. Enquanto que o murmúrio juntamente com a desobediência todo sofrimento terá pouco ou nenhum mérito.

Nunca se perdeu um verdadeiro obediente (São Francisco de Sales)

E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.” (Filipenses 2,8)


Salve Maria Imaculada, modelo de obediência!

Um comentário:

  1. Olá Anderson,
    O profeta não vive de elogios mas tenho que dizer obrigado pelo texto. Este é um assunto extremamente importante de ser tratado, principalmente para a juventude. Temos que entender que o obedecer não é algo somente terreno mas espiritual e vc nos ajudou através da postagem. Faça outras.

    ResponderExcluir