sexta-feira, 20 de setembro de 2013

O Rock Satânico


O Rock Satânico

“Canto para inca doce satã.
Quero ir para o inferno”.
(Canção do conjunto Led Zeppelin)
“Prazer em conhecê-la. Chame-me apenas Lúcifer”.
(Da canção Rock Simpatia pelo demônio)

O Rock’ n’ Roll não é somente um tipo de música popular; mais do que isso, é uma cultura, com um modo próprio de vestir-se, de falar, de comportar-se; trata-se de uma atitude diante da vida, empanada de anarquismo, de uma postura religiosa que se caracteriza pela revolta contra Deus e a religião. Em última análise, constitui uma espécie de contra-religião, uma religião satanista.

Rock, um dos meios mais poderosos para a difusão do satanismo

Muitos especialistas têm visto na cultura Rock um dos meios mais poderosos para a difusão do satanismo. (Cf. Bernhard WENISCH, Satanismo, p. 29; W. S. DIAS, Por detrás do Rock in Rio: presença do satanismo? pp. 4-6.; C. A. MEDEIROS, Rock and Roll e satanismo, pp. 1-7.)

Influência de Crowley, “o personagem mais imundo e perverso da Grã-Bretanha”

Para melhor compreendermos essa afirmação, devemos recordar, ainda que rapidamente, um dos inspi- radores confessos desse movimento Rock, sobretudo do Rock pesado (Hard Rock), onde as características sata- nistas são mais marcantes. Trata-se do satanista inglês Sir Aleister Crowley (1875-1947) considerado pela justiça inglesa como “o personagem mais imundo e perverso da Grã-Bretanha”, que morreu amaldiçoando seu médi- co por ter-lhe negado mais uma dose de morfina. Sobre sua tumba, após o enterro, foram realizadas cerimônias satanistas, com o cântico da Ode a Satã, de Carducci, o que provocou o protesto da Câmara dos Vereadores de Brighton.

Ele foi fundador ou participante de várias ordens ocultistas inicíaticas, entre as quais a Astrum Argentium (AA) que, em 1920, se transferiu para Cefalú, na Sicília. Em conseqüência de uma morte suspeita na comunida- de (falou-se de morte ritual), a policia interveio e a AA foi expulsa do país.

“Em definitivo, comenta um autor a respeito de Crowley, o mago suscitou muitas devoções, mas — coro- lário ou contrapartida — numerosos discípulos, sobretudo mulheres, se suicidaram tornaram-se dementes ou fica- ram reduzidos a meras ruinas” (Serge HUTIN, On l’appelait ‘la Grande Bête’, p. 121, nota 1.)

A doutrina de Crowley, de maneira mais insinuada do que explicita, foi popularizada pelos Beatles e difundi- da por meio dos movimentos hippie e Rock a partir dos anos 1960. Tal doutrina se resumia na seguinte frase: “Faça o que quiser, esta é toda a lei” (Cf. B. Wenisch, op. cit., p. 27.)

O próprio Crowley considerava esse programa anárquico como algo satânico. Numa referência ao Capí- tulo 13 do Apocalipse, ele se autodenominava “a grande besta — 666”. (Este número do Apocalipse provavelmen- te contém uma alusão a Nero como instrumento do demô- nio e costuma ser utilizado para designar o anti-Cristo.). Crowley se considerava uma encarnação de Satanás, e sua religião poderia ser qualificada como um panteísmo satânico.

O culto proposto por Crowley é todo permeado de orgia sexual, que para ele é a “meta final, divina e ab- soluta, forma mais elevada da vida satânico-divina”. (B. WENI5CH, Satanismo, p. 27.)

Rolling Stones: “Simpatia pelo demônio”

Bernhard Wenisch escreve em seu livro Satanismo: “Uma fonte que esclarece em parte a difusão das idéias satanistas entre a juventude é o Rock pesado (Hard-Rock). A onda já começou no final dos anos 60, quando foi lança- da, por exemplo, a música dos Rolling Stones — Simpatia pelo demônio (Sympathy for the Devil). Desde 1970, o conjunto musical Black Sabbath — Sabá Negro apresen- tou continuamente temas satânicos. Em 1980 foi sucesso mundial a música Sinos do inferno (Hell’s Bells) de AC/DC. Outro sucesso, em 1982 foi O número da besta (The Num- ber of the Beast), do Iron Maiden. Atualmente quase todos os grupos de Hard-Rock/Heavy Metal-Band apresentam o tema satânico. Que o pensamento de Crowley esteja apadrinhando essas canções não é apenas demonstrável históricamente, mas é possível percebê-lo claramente no conteúdo das letras”. ( B.WENI5CH, Satanismo, p. 29.)

Essa ligação é atestada, por exemplo, por um ex-roqueiro americano, Charles Gugel, que, tendo abandonado o movimento Rock, declarou o seguinte: “Jimmy Page, autor das músicas e líder do grupo Led Zeppelin, admitiu abertamente, por diversas vezes, sua fascina- ção por magia negra e feitiçaria. Ele possui uma livraria ocultista em Londres, chamada The Equinox e vive num castelo infestado pelo demônio, que pertenceu a Aleister Crowley”. (W.S. DIAS, Por detrás do Rock in Rio: presença do satanismo?, p. 5.)

Canções satânicas

Quanto à influência satanista nas letras das can- ções Rock, basta tomar algumas delas para fazer a cons- tatação: as mais explícitas, como as que citaremos a se- guir, chegam a evocar diretamente o demônio e a execrar Nosso Senhor Jesus Cristo e sua Igreja, como o fariam canções compostas pelo próprio demônio. Outra caracte- rística que chama a atenção, e que está bem de acordo com a psicologia de Satanás, é o desespero que domina essas canções, a nota de uma condenação irremissível ao inferno.

Sinos do inferno

Vejamos, em primeiro lugar a canção Hell’s Bells - Sinos do Inferno, do conjunto australiano AC/DC (siglas que, segundo alguns, quer dizer Anti-Cristo/Companheiros do Demônio):

Você é ainda muito moço.
mas vai morrer.
Eu te levarei ao inferno.
Satanás vai te pegar!
Sinos do inferno,
sinos do inferno.
(W. S. DIAS, Por detrás do Rock in Rio: presença do satanismo?, p. 4.)

Auto-estrada do interno

Outra canção desse conjunto apresenta a mesma nota de desespero satânico. Ela se intitula significativa- mente Auto-estrada do inferno:

Eu estou indo para baixo.
É hora de festa.
Meus amigos estarão lá também.
Estou na auto-estrada para o inferno
Não há sinais de ‘pare’, nem velocidade limitada.
Ninguém vai me frear...
Ei Satanás, estou pagando minha dívida
tocando num conjunto Rock...
Estou no meu caminho para a terra prometida.
Estou na auto-estrada para o inferno.(Ibidem,p. 4.)

Canto para meu doce satã Quero ir para o interno.

A nota de desespero blasfemo e luciferismo é ainda mais acentuada na letra abaixo do conjunto Led Zeppelin:
Deus me abandonou,
Não há escapatória.
Canto para meu doce satã.
Todo poder é de meu satã,
que nos dará o 666 [o Anti-Cristo].
Quero ir para o inferno. (W.S. DIAS. op cit., p. 6.)

Meu nome é Lúcifer

O conjunto Black Sabbath — cujo nome já é uma profissão de fé satanista, lembrando os sabás das feiticeiras — canta como se fosse o próprio demônio:
Agora você está comigo em meus pensamentos.
Nosso amor a cada momento se torna mais forte.
Olhe dentro de meus olhos.
Você verá quem eu sou. Meu nome é Lúcifer.
Pegue minha mão por favor.
(C.A. MEDEIROS Rock and Roll e satanismo, p. 4.)

Simpatia pelo demônio

Os Rolling Stones, um dos mais famosos conjuntos Rock, não hesitam em cantar a música com o título inteiramente explícito de Simpatia pelo demônio, na qual também é o próprio Satanás quem fala, numa soberba demencial:

Peço licença para me apresentar...
Eu estava por perto quando Jesus Cristo
teve seu momento de dúvida e de dor.
Assegurei-me amaldiçoadamente de que
Pilatos lavaria as mãos e decidiria seu destino.
Prazer em conhecê-lo.
Espero que advinhe meu nome...
Chame-me apenas Lúcifer.(C. A. MEDEIROS, Rock and Roll e satanismo, p. 6.)

O Deus do Trovão

Talvez a canção mais explicitamente satanista seja God of Thunder — Deus do Trovão, do conjunto Kiss, que a apresentou a uma platéia de milhares de jovens no Estádio do Morumbi, eu São Paulo, em junho de 1983. Se- gundo algumas interpretações, o nome do conjunto, Kiss (palavra que significa beijo, em inglês), seria de fato uma sigla formada pelas iniciais de Knights In Satan Service — Cavaleiros a serviço de Satanás. Eis a sua tradução:

Eu fui criado por demônios.
E cheguei a reinar como o Senhor porque eu sou
o Deus do Trovão e do Rock´n ‘Roll...
Eu fui criado por um demônio.
Fui treinado para reinar como um deles.
Eu sou o Senhor da terra desolada. (Ibidem, p. 2.)

Eu não gosto de Cristo... Eu não gosto da Igreja

Já o conjunto brasileiro Titãs faz uma profissão de fé anarquista-religiosa, explode numa revolta satânica contra Deus:

Eu não gosto de padre.
Eu não gosto de madre.
Eu não gosto de frei.
Eu não gosto de bispo,
Eu não gosto de Cristo...
Eu não gosto do terço,
Eu não gosto do berço
de Jesus de Belém.
Eu não gosto do Papa,
eu não creio na graça
do milagre de Deus.
Eu não gosto da Igreja,
Eu não entro na Igreja.
Não tenho religião. (C.A MEDEIROS, Rock and Roll e satanismo, p. 7.)

Nós destruiremos o altar-mor...

Outro conjunto brasileiro, Sepultura, na música in- titulada Crucifixão, faz também profissão anarquista-reli- giosa e nega diretamente a divindade de Nosso Senhor:

Nós negamos os deuses e suas leis.
Desafiamos seu supremo poder,
crucificado pelo poder das trevas...
Ele deixou as igrejas para nos atormentar.
Nós destruiremos o altar-mor...
Mostraremos ao mundo nosso ódio.
Os padres terão seu tormento final.
Romperemos as igrejas, nós temos um ideal...
O gênero humano ruma para o suicídio
Eles têm fé no falso Deus
se chamam Cristo.
que prega o bem e a beleza. (Ibidem,p.7.)

Diante desse satanismo explícito do movimento Rock’ n’ Roll, que reune dezenas e às vezes centenas de milhares de jovens em shows-monstro — autênticas or- gias anti-cristãs — que proporções tomam os sabás de séculos passados, contra os quais lutou tanto a Igreja?

Por que o silêncio em relação a esses sabás modernos?

(Retirado do Livro: Anjos e Demônios, a luta contra o poder das trevas - Gustavo Antônio Solímeo e Luiz Sérgio Solímeo)




Fonte: http://senzaladaimaculada.blogspot.com.br/2013/09/o-rock-satanico.html

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

O VERDADEIRO E O FALSO MACHISMO NA QUESTÃO DO ABORTO


Salve Maria Imaculada!

Para aqueles que são contrários ao aborto e, mais que isso, manifestam publicamente sua posição a favor da vida humana desde a concepção, já deve ter ouvido alguma mulher metida a feminista falar – para nós homens – que não podemos opinar sobre o aborto porque nós não podemos engravidar. Isso é um absurdo sem tamanho. É de uma ignorância terrível uma pessoa – homem ou mulher – usar deste tipo de argumento – que na realidade é uma falácia de quem não tem argumento, porque o aborto em si é algo sem argumento plausível – para querer legalizar o aborto e dizer que ser contra o aborto é ter uma atitude machista. Mas não para por aí. As próprias mulheres que se posicionam contra o aborto são acusadas de burras, afinal, elas dizem que essas mulheres são vítimas do machismo, e se ela for mulher de verdade ela tem que ser a favor do aborto; ou seja, pra ela ser mulher ela precisa negar que ela é mulher – pois a maternidade é próprio do ser mulher – se não ela é um “macho”. Confuso? Quem disse que feminismo e lógica cabem na mesma frase?

Dizer que a proibição do aborto é uma prática machista e que oprime a liberdade da mulher é uma mentira tão podre, que basta você analisar os próprios casos de aborto já ocorrido que veremos que a coisa é bem diferente, o fazer aborto é que é uma prática machista e que oprime a mulher. Na maioria dos casos de aborto a mulher não quer cometer este homicídio, mas faz obrigada pelo seu companheiro (seu marido, namorado ou quem quer que seja). Muitos dos casos de aborto ocorrem na seguinte situação: o casal de namorados pecam contra a castidade, a moça acaba engravidando, mas o rapaz diz que não irá assumir. A garota passa por uma crise, porque afinal o namorado não vai assumir e terá que enfrentar seus pais. O namorado diz que não quer, de forma alguma, esse filho, então ele mesmo pega o dinheiro e paga o aborto pra sua namorada. - Aí vem a pergunta: Aonde fica a liberdade da mulher nessa história? Essa jovem foi OBRIGADA a abortar? O crápulo – e aqui sim machista – do namorado a obrigou a cometer este suicídio, pois a namorada vendo-se desamparada ia fazer o que? E neste exemplo eu ainda coloquei algo estruturado. Sabemos que muitas moças que abortam não tem seus pais, moram ou com um ou com outro, ou até já mora sozinha. E vendo-se só, por medo do namorado, acaba se submetendo a este crime.

Acontece também com pessoas já casadas procurarem o aborto. Mas porque a mulher recorre a isso? Porque o marido diz “chega de filhos!”, “filho dá trabalho”, “filho gasta demais”; e a mulher, vendo-se sozinha, é OBRIGADA pelo marido a abortar. Isso é que é machismo. Obrigar a mulher a abortar porque seu companheiro quer fazer o aborto porque não quer assumir seu próprio filho. Não quer assumir o sangue de seu sangue, carne da sua carne...

E o que digo não é nenhum absurdo. Nós que acabamos nos envolvendo nessa luta a favor da vida, acabamos conversando com pessoas mais engajadas e que lideram grupos a favor da vida. E sempre eles falam a mesma coisa: a pessoa procurou o aborto e a gente apareceu pra ajudar, e a garota queria abortar por medo do companheiro. Ou a garota queria abortar por ser pobre e não ter condições de criar a criança; aí os pró vida arrumam coisas simples como alimentos, enxoval, e essas mulheres desistem de abortar. É por algo muito simples. Minha gente, quanto custa um enxoval? E este é realmente o valor da vida de uma pessoa? Existe muitas crianças que estão sendo abortadas por causa de convicções religiosas no seguinte aspecto: engravidou antes do casamento, isso vai ser um escândalo por ser uma ofensa a minha religião; aí vai e leva a mulher pra abortar, mas sendo que o aborto é uma ofensa muito maior àquela religião! São coisas muito sutis, mas que estão levando as mulheres a cometerem assassinado. E eu fiquei sabendo de um caso nesse esquema. Mas que graças a Deus, deu tudo certo. Muitas vezes a pessoa quer abortar, por causa do machismo do seu companheiro ou pessoas próximas; mas quando você começa a conversar com a pessoa, ela desiste, simplesmente porque matar não é a vontade dela, mas é a vontade do machismo dos movimentos feministas (entendeu?).

Os movimentos feministas no geral promovem o machismo. Quando vemos mulheres dizendo que querem ser livres, que chega de fazer a vontade do homem, que a mulher não poder abortar é algo machista; na realidade ela não está fazendo nada além do que querer fazer a vontade machista dos homens que são crápulas e bandidos: abortar. Muitos desses homens mundanos, querem apenas o prazer, o sexo, a vida pecaminosa. Muitos apenas usam a mulher. E eles usando a mulher, caso resulte em um filho, ele terá plena consciência que ele queria apenas o prazer, e não a criança; então para ele é muito melhor um aborto do que um filho. É até mais econômico, para ele, pagar uma clínica de aborto clandestina, afinal é mais barato do que pagar Pensão Alimentícia e ainda saber que a mulher vai descobrir que ele tinha uma amente. Enfim, as feministas que dizem que o mundo deve ser menos machistas, na realidade lutam para que o machismo impere, e se auto declaram escravas do pecado e que são retardadas. Então legalizar o aborto é tornar a sociedade machista e sanguinária. Só que em todo caso, a consciência - tanto da mulher como a do homem - permanecerá na memória que abortou. O dinheiro paga a clínica de aborto, mas nada limpa a consciência. Só o sangue de Jesus, sendo lavado no arrependimento. Então nos arrependamos enquanto é tempo, é tempo de viver, é tempo de deixar essa criança que está em teu ventre ser gerada normalmente e deixar ela ser um dom de Deus na face da terra. E vale lembrar que no dia do juízo responderemos diante de Deus. Aproveitemos o tempo de agora para nos arrependermos. E se já tiver cometido este pecado, confesse, e seja uma defensora da vida humana.


Por isso eu peço, em nome de Jesus e Maria Santíssima, que se você ou qualquer mulher esteja grávida, seja lá qual tiver sido a situação, dê uma chance a vida, pois a vida te deu uma chance. Não importa se foi um erro seu ou de outra pessoa, saiba que a criança que está em teu ventre não cometeu erro algum. Deixe essa criança nascer. Acredite que essa criança é a resposta de Deus para você e será a sua alegria em meio a agonia de hoje. Essa criança que muitos dizem ser um problema, será a tua solução. Quem sabe se não será essa criança que cuidará de você na sua velhice! E se mesmo assim você não quiser esta criança, entregue ela para adoção. Dê a chance dela viver. O seu útero é um dom de Deus para gerar vida. Bendito seja Deus pelo dom da maternidade. Você é mãe! Você é filha de Deus, sendo canal usado por Deus para dar mais filhos ao mundo. Creia! Tenha fé! Deus é contigo! Dê uma chance a vida!




sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Que todos os PREGADORES leiam isso:


São Paulo
Salve Maria Imaculada!

Um dos ministérios mais importantes na Igreja é o de pregação, pois a partir de uma pregação, em suma kerigmática, se chega ao conhecimento de Jesus e conhece o até então desconhecido amor de Deus. Já vai afirmar o próprio São Paulo: “A fé provém da pregação e a pregação se exerce em razão da palavra de Cristo” (Romanos 10,17). Com isso, analisando a crise atual, a confusão doutrinária, a falta de fé em muitos lugares, pergunto-me: o que andam pregando por aí? Será que as duas pregações que fazemos está tendo coerência (duas pregações: a pregação da boca e a da vida, poi já diz Santo Agostinho: Eloquente aquele cuja vida é uma pregação)? Ou será que estamos pregando dois evangelhos? “Estou admirado de que tão depressa passeis daquele que vos chamou à graça de Cristo para um evangelho diferente. De fato, não há dois (evangelhos): há apenas pessoas que semeiam a confusão entre vós e querem perturbar o Evangelho de Cristo. Mas, ainda que alguém – nós ou um anjo baixado do Céu – vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema.” (Gálatas 1,6-8) – Na realidade o problema seja aquela coisa satânica chamada RESPEITO HUMANO.

Meus caros pregadores, você sabia que você é o responsável pelas almas daqueles para qual você ministra a Palavra de Deus (ou deveria estar ministrando a Palavra de Deus e não as lorotas que vemos hoje em dia)? Pouca gente fala, mas é válido lembrar que o Profeto nas Sagradas Escrituras é um pregador. Infelizmente a gente tomou uma ideia de que profeta é aquele que fala “Deus está curando fulana” e vai e fulana é curada. Esta pessoa pode até ser um profeta, mas aí é a manifestação de um carisma de cura ou de libertação. Eu posso muito bem ter um carisma de cura, e em nome de Jesus Cristo ministrar a cura de muita gente, e na realidade ser um lobo, um falso profeta, um mal caráter que leva as pessoas à perdição. Profeta é aquele que não tem respeito humano, que fala a verdade. E o falar a verdade vai implicar em muitas vezes falar o que o povo não vai gostar. Nas sagradas escrituras sempre foi assim, os profetas foram perseguidos, caluniados, mortos... Tanto no Antigo como no Novo Testamento. Uma dica de formação: leia algo, mesmo que simples, sobre como foi a morte dos Apóstolos. Só que um verdadeiro profeta tem que proclamar benção e também maldição. Como assim proclamar maldição? Não, não é rogar praga. Mas é dizer a verdade. É dizer por exemplo a verdade da Igreja: QUEM MORRER EM PECADO MORTAL VAI PARA O INFERNO! Mas quem diz isso? Hoje em dia a pessoa pode tá na miséria de pecado que for e o pseudo profeta made in china diz: “Deus tem uma benção pra você...” ou então vem com o papinho de que não se preocupe com o pecado, porque afinal a conversão é aos poucos... Jesus está voltando e a gente ensinando ao povo a se converter devagar. Aí o que vai acontecer é que quem negligencia a verdade e quem se “converte” aos poucos vai ligeirinho pro inferno ETERNAMENTE.

Deus sempre alertou sobre isso aos profetas. Vejamos o que Deus diz à Ezequiel: “Filho do homem, dirige-te a teus compatriotas e dize-lhes: quando eu erguer a espada contra uma terra, e seus habitantes escolherem um dentre eles para ser sentinela, suposto que esse homem, vendo chegar a espada, faça soar a trombeta para dar alarme à população, todo aquele que escutar o seu som sem lhe dar atenção, e então venha a espada fazer com que ele pereça, esse homem é responsável por aquilo que lhe suceder: ouviu o soar da trombeta e todavia não tomou precaução – é ele responsável pelo que lhe advier. Mas aquele que levou em consideração o alarme, esse terá salva a sua vida. Suposto, ao contrário, que a sentinela veja vir a espada e não faça soar a trombeta, de sorte que o alarme não seja dado às gentes e que a espada venha a tirar a vida de alguém, este, é certo, perecerá devo à sua iniquidade,mas eu pedirei conta do seu sangue à sentinela. Filho do homem, eu te constituí sentinela na casa de Israel. Logo que escutares um oráculo meu, tu lhe transmitirás esse oráculo de minha parte. Se eu disser ao pecador que ele deve morrer, e tu não o avisares para pô-lo de guarda contra seu proceder nefasto, ele perecerá por causa de seu pecado, mas a ti pedirei conta do seu sangue. Todavia, se depois de receber a tua advertência para mudar de proceder, nada fizer, ele perecerá devido ao seu pecado, enquanto tu salvarás a tua vida” (Ezequiel 33,2-9) – E com essa palavra a gente pode ver que, infelizmente, muito pseudo profeta tende a perecer por causa do respeito humano. Nós, pregadores, e todos os que formam de uma maneira geral (catequistas, coordenadores, etc.), fomos constituídos sentinelas na Igreja Católica. E, como sentinelas, Deus vem nos falar que se vermos algum perigo devemos dizer para o povo, para que se converta. E se não fizermos isso, NÓS, COVARDES, é que responderemos pelo seu sangue, ou seja, pela perca dessa alma. Exemplificando podemos ver a corriqueira situação dos grupos jovens, em que os pregadores sabem que tem um bando de jovem que não vive castidade, até usa anticoncepcionais e consequentemente abortando, aí vai esse pregador pregar e fala de tudo açucarado, menos de castidade. Até diz que tudo bem, que não tem problema. Tem pregadores – e infelizmente até sacerdotes – que vão nesses grupos jovens e dizem que não tem problema o jovem se masturbar, que pode ficar, que sexo antes do casamento tudo bem se tiver “amor”... Aí eu pergunto: quem vai sofrer mais no inferno, os jovens impuros ou o pregador do diabo? Cadê a verdade? Não se está mais pregando a verdade em muitos lugares da Igreja Católica. Quando foi a última vez que você ouviu uma pregação sobre o inferno? Aliás, quem que prega sobre o inferno hoje em dia? A pregação sobre o inferno é uma grande obra de caridade, pois nos alerta para a realidade que Deus não quer que passamos, mas que nós nos jogamos caso não nos convertamos. O inferno é terrível! Mas infelizmente tem pregador que diz que está tudo tranquilo, porque Deus é misericórdia, e se o inferno existir ele está vazio... Pregador maldito! Converta-se! E pare de perder as almas! Ora, o que falar das revelações a São João Bosco, Santo Antônio Maria Claret, Santa Faustina, as aparições de Nossa Senhora em Fátima que mostrou o inferno para os três pastorinhos? Mas não, o pregador é um mel...

E tudo isso resulta nas falsas conversões, oriundas do sentimentalismo barato, onde as pessoas entram ou permanecem na Igreja, enquanto templo, enquanto grupo ou movimento, somente por sentimento ou porque faz da Igreja um point de amigos para conversar, ficar, namorar, se prostituir... Mas eles acham que são os mais santos do mundo. Mas como saberão a verdade se não tiver quem pregue? (cf. Romanos 10,14). A gente tem medo de falar a verdade por medo de afastar as pessoas da Igreja; só que com esse respeito humano estamos afastando as pessoas do Céu e dando um chute nelas empurrando-as mais depressa para o inferno. É isso que o Senhor está falando à Ezequiel. Se Deus por meio da Igreja Católica vem nos dizer que essa desgraça de camisinha é pecado, como entender que tem pregadores que dizem que tudo bem...? Um colega me disse que em sua paróquia, no curso de noivos, os (de)formadores ensinavam métodos de evitar a gravidez. E se engana quem acha que era o método bíllings. Essas trevas do capeta ensinava a mulher a usar o anticoncepcional e dava “testemunho” da (des)graça de usar a camisinha a mais de vinte anos, porque afinal ter filho poderia atrapalhar. Gente, estamos falando de pessoas de dentro da Igreja Católica, falando coisas totalmente diferentes do que a Igreja ensina. São um bando de falso profeta descarado a serviço de satanás! Cuidado com os falsos profetas, cuidado para não serem seduzidos por seus discursos bonitos mas que não dá verdadeira edificação.

Já fiquei sabendo de pregador que usa da sua pregação pra ficar com as meninas que assistem suas pregações. Assim como bandas... Ora, que evangelho prostituído e adulterado é este que muitos pregadores têm pregado e vivido? Vou repetir: Quem está pregando sobre castidade? Sobre a desgraça que é o inferno? Sobre a alegria do Céu pra quem se converter? Sobre Nossa Senhora (mas uma pregação com unção e não aquelas que só sabem dizer “Maria, foi uma serva...” e nada mais sobre suas outras virtudes e glórias)? Quem está fazendo pregação detonando com o pecado? Quem está fazendo pregação denunciando a maçonaria? Quem está metendo o pau na carniça do Partido dos Trabalhadores (PT)? Quem? Quem? Quem? “Ah mas Deus é amor e misericórdia, a gente tem que falar com caridade...” Será? “Não tenhais cumplicidade com as obras infrutíferas das trevas, pelo contrário, condenai-as abertamente” (Efésios 5,11). O problema é que muitas vezes o pregador até concorda com a Igreja, vive a castidade, tem uma vida devota; mas o respeito humano é tão grande, que ele tem medo de falar a verdade e o povo passar a odiar ele, que o povo não volte pra Igreja – isso é comum com os padres – que cancelem eventos, que não me chamem mais para pregar... Mas aí eu uno-me a São Paulo: É, por ventura, o favor dos homens que eu procuro, ou o de Deus? Por acaso tenho interesse em agradar aos homens? Se quisesse ainda agradar aos homens, não seria servo de Cristo” (Gálatas 1,10).

E é muitos triste ver que as profecias feitas ao profeta Jeremias sobre os profetas – e entenda aqui pregadores – tem se cumprido. Vejamos alguns pontos: “São profanos o próprio profeta e o o sacerdote. Até no meu templo encontro sua perversidade – oráculo do Senhor.” (Jeremias 23,11); “Mas entre os profetas de Jerusalém vejo coisas hediondas: adultério e hipocrisia. Encorajam os maus, para que nenhum se converta da maldade. A meus olhos são todos iguais a Sodoma e seus congêneres semelhantes a Gomorra. Por isso, eis o oráculo do Senhor dos exércitos, contra os profetas: vou nutri-los com absinto, e dar-lhes de beber águas contaminadas. Porquanto, é pela atitude dos profetas de Jerusalém que a impiedade invadiu a terra” (v 14-15). Será que um pregador não tem um aperto no coração ao ler o que o Senhor nos fala, que é pela atitude dos profetas (pregadores) que a impiedade invadiu a terra? Sim, a impiedade reina na terra por causa das omissão dos pregadores católicos, que tinham e tem a missão de anunciar a verdade, doa a quem doer. Mas aí por respeito humano, por amor ao dinheiro, aos prazeres, deixam de falar a verdade a seu bel prazer. E sem um anuncio da verdade, da sacralidade católica, da moral católica; unido ao crescimento das seitas – protestantes ou declaradas satânicas – a impiedade cresce. Analise o Brasil do século passado, com maioria católica, com o Brasil pós TL e com o crescimento protestante: a impiedade reina neste país. A promiscuidade aumentou, e junto a ela veio o aborto, as tragédias, e vem coisa pior por aí, o comunismo está para se firmar. Mas com tanta obra do inferno para denunciar a gente prefere ficar no discurso medíocre de que tudo bem, o que vale é o coração. Só que se esquece que o coração deles estão cheio de luxúria, ódio, maledicência, rancor, prostituição, pornografia, assassinato, coisas satânicas, etc., ou seja, vai para o inferno se não se converter. Tem uma pequena lista de coisas que se fizermos, com consciência, iremos para os quintos dos infernos: “Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como jáos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus!”(Gálatas 5,19-21). E citando alguns mesmos pecados ele reafirma: “Acaso não sabeis que os injos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus” (1Corintios 6,9-10). Está aí uma pequena lista do que não devemos fazer para ir para o Céu... ENTÃO PORQUE OS PREGADORES NÃO TEM ALERTADO CONTRA ESSAS COISAS? É incrível! O que tem gente pregador que diz que não tem problema ir pra balada... Enquanto São João Maria Vianney dizia que quem entra num baile, deixa na porta o anjo da guarda e um demônio passa a acompanhá-lo, de modo que o tanto de pessoas no baile são o tanto de demônios. Ora, vão seguir um santo da Igreja Católica um um falso profeta miserável que quer te levar pro inferno junto com a covardia dele? O que tem de gente que diz tudo bem ser homossexual e cometer o pecado contra a natureza, que tudo bem... Tudo bem não (ter atração por pessoa do mesmo sexo, em si, não é pecado, a Igreja não condena os homossexuais, mas chama-os, assim como os héteros, a viver a castidade. Ou seja, o pecado é o ato homossexual).O que tem de gente que diz que tudo bem beber – sabemos que o fato de beber não é pecado em si, mas a embriaguez é, e na maioria dos casos de bebidas na família não é um beber para degustar, e sim alcoolismo, então temos SIM QUE LUTAR CONTRA BEBIDA NA IGREJA E QUEM É DA IGREJA -. O pior é quando o cara fala a verdade, mesmo que sem muita unção, de qualquer jeito, e você sabe que aquela pessoa não vive nada daquilo. Tem gente que serve em movimentos e vive com amante há muito tempo, que autoridade tem um cara desse pra falar alguma coisa de castidade ou de família? Não, não é um falso julgamento, é uma constatação, não estou falando de alguém que foi adúltero, mas de alguém que é adultero. O Papa São Gregório VII dizia que existe uma regra para o pregador: viver aquilo que prega. Só que nos dias de hoje existe um outro lado pervertido da moeda: além dos pregadores que falam a verdade, exemplo castidade, mas não vive; tem uma outra desgraça mais pervertida ainda, que são os que vivem em pecado, e pregam sobre seus pecados dizendo que não tem problema. De fato eles vivem o que pregam. Só que em um sentido distorcido do que fala São Gregório VII. Exemplo: O pregador fica com um monte de menina, vai pra balada, e ao estar pregando ele, descaradamente, diz que não é pecado ficar porque é pra conhecer a pessoa antes de tomar um relacionamento sério (conhecer todas as 10 que ele sabe o nome e as 20 anônimas), e que se pode ir pra balada porque é um ambiente que a gente tem que ser cristão, pra dar testemunho... TESTEMUNHO DE QUE? DE COMO CHEGAR NO INFERNO SENDO O MAIS HIPÓCRITA POSSÍVEL? Lembro-me de uma frase do Padre Rodrigo Maria dizendo que se pode ir pra balada, sendo cristão lá, é o mesmo de dizer que posso ir pro inferno, é só ser cristão lá.

Os pregadores não se preocupam mais com a salvação das almas. Contudo se preocupam com a salvação do seu bom nome e da sua glória. E eu tenho pena desses pregadores que colocam o povo a se perder. Claro, eu tenho consciência que alguns eventos a pregação deve ser mais kerigmática, mas o Kerigma deve estar a defesa da fé. Kerigma é primeiro anúncio, e deve estar acompanhada da verdade. O Papa Emérito Bento XVI já dizia “A caridade sem a verdade é sentimentalismo”. Mas infelizmente, os (falsos) profetas de hoje em dia, na visão de muitos, é o que fala de prosperidade, de cura, que faz chorar (oxalá se fosse chorar pelos pecados ou porque entra em uma vida de intimidade maior com o Senhor), mas chora por chorar... Enquanto Nossa Senhora em La Salette, Fátima, e em tantas aparições vem dizer que está chegando a hora da volta de Cristo, que é chegado a hora do triunfo do Seu Imaculado Coração, que devemos nos converter AGORA (é agora e não converter aos poucos), que eis que chega o tempo dos tempos, o fim dos tempos. E estão pregando sobre as mensagens de Nossa Senhora? Não! Estão dizendo “Se creres verás Deus te abençoando com um caso 0, com uma casa luxuosa, com um concurso federal espetacular...” Estamos vivendo o tempo em que se quer as graças de Deus, mas não o Deus das graças. Quero afirmar que em nossas pregações também devemos falar das bençãos. Em meio as duras mensagens de Fátima, Nossa Senhora fez muitos prodígios, curas, mas não faltou a verdade. A medalha milagrosa de Nossa Senhora das Graças ganhou esse nome por causa de tantos milagres. Mas nunca Ela pediu pra falar e pedir milagres deixando de se falar a verdade. Não devemos ser omissos em relação a cura da alma para obter a cura do corpo. Um exemplo disso é o São Padre Pio, que Deus fez muitos prodígios por meio de Padre Pio, mas, ele sempre foi profeta, sempre falando a verdade. Quando entrava moças com vestes indecentes ele gritava “as carnes desnudadas vão queimar no inferno”, ele conseguia a conversão de maçons (hoje tem muito pregador que é maçom, e automaticamente excomungado), uma vez entrou um jovem em adultério na sacristia, Padre Pio com o dom de prescrutar o coração, viu o pecado dele e gritou “PORCO!” aquele homem foi embora com raiva – como temem muitos dos pregadores hoje em dia, medo do povo ir embora -, mas deu frutos, o homem teve uma grande contrição de seus pecados, confessou-se, e se converteu. As pessoas não se convertem, não confessam e não resistem até o sangue na luta contra o pecado porque a gente não prega a verdade. Sim, falemos da benção, mas alertemos sobre o grande e eterno castigo. Conheço lugares em que ocorriam e ocorrem muitas curas; antes, sempre denunciando as obras infrutíferas das trevas, a maçonaria, o PT, comunismo, já hoje, é mais brando. Ora, agradando homens? Que Evangelho é este que estamos pregando?

Devemos voltar ao profetismo, pois se não voltarmos ao profetismo, os responsáveis pela omissão pagarão pela perca de tantas almas. Parece que tem gente que tem medo de pregar o que a Igreja ensina. A gente quer agradar aos homens. No entanto, uso mais uma vez as palavras de São Paulo: “O teu ensinamento, porém, seja conforme à sã doutrina” (Tito 2,1). Ora, que sã doutrina é esta que fala São Paulo senão a doutrina santa da Igreja Católica Apostólica Romana? Mas, infelizmente, muitos pregadores tem distorcido ou pregado logo completamente o contrário do que diz a Igreja. Sendo assim, como não aplicar também para nosso tempo as palavras do mesmo santo Apóstolo: “Com efeito, há muitos insubmissos, charlatães e sedutores, principalmente entre os da circuncisão. É necessário tapar-lhes a boca, porque transtornam famílias inteiras, ensinando o que não convém, e isso por vil espírito de lucro.” (Tito 1,10-11). Ou ainda a tão citada profecia que São Paulo fez: “O Espírito diz expressamente que, nos tempos vindouros, alguns hão de apostatar da fé, dando ouvidos a espíritos embusteiros e a doutrinas diabólicas” (1Timóteo 4,1). É o que temos visto, pregadores se afastando da verdade, dando ouvindo a espíritos demoníacos, e ensinando o que não convém.

Lembro aqui de uma frase de Santo Atanásio: “Se o mundo for contra a verdade, Atanásio será contra o mundo”. Então, queridos irmãos pregadores, nós devemos ser contra o mundo. O Papa Francisco vem falando nisso, de nadar contra a correnteza. Então sejamos profetas de verdade. Pois se o povo não se converte é porque não há quem pregue a verdade. Uma vez um jovem defendendo as desgraças de “cristotecas” e afins (essas trevas do capeta de rock, cristoteca, “barsinho de Jesus” e demais trevas dos infernos que o demônio tem infiltrado dentro da Igreja e levado a muitos jovens irem para o inferno), disse que tinha que fazer essas festas para atrair porque se fizesse uma adoração, eles não conhecem o sacramento, e não faria efeito. Ora, mas como é que vão conhecer Jesus Sacramentado se não há quem os apresente? Se só fazem festas e não adoração, ou uma adoração sem frutos. Ora, como é que vão conhecer Jesus Sacramentado, se não há quem pregue sobre o Santíssimo Sacramento? Como eles vão se consagrar à Virgem Maria, se não se prega? Como vão abandonar o pecado, se não dissermos para os ignorantes o que é e o que não é pecado? A gente prefere dar aquilo que é ocasião de pecado, que é o caso dessas festas demoníacas.

Acho que o que tem faltado mesmo é uma verdadeira unção do Espírito. E essa unção se dará através da consagração total à Santíssima Virgem. Quem não conhece, procure ler o Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem Maria (aliás, tem faltado estudo aos pregadores, que pregam na presunção, sem se preparar). Leia o Tratado, e veja que estamos no fim dos tempos. São Luís, no Tratado, profetiza o surgimento dos Apóstolos dos últimos dias que bradariam contra o pecado. Então, escravos e escravas da Santíssima Virgem Maria, vamos bradar contra o pecado e sermos ministros do triunfo do Imaculado Coração de Maria. Afinal, o triunfo não vai vim com nosso comodismo, mas com nossa ação, e o nosso profetismo.

Como se consagrarão à Virgem Maria se não há quem pregue? Então, pare de ser um pregador covarde, e receba a unção de Deus, o profetismo, a audácia, a coragem pra pregar com desassombro e intrepidez, autoridade, receba o Espírito Santo de Deus por meio do Coração Imaculado da Santíssima Virgem Maria. Renuncie sua covardia agora, em nome de Jesus, e seja profeta das nações.

Encerro com um trecho belíssimo de São Paulo:
Porém, como invocarão aquele em quem não têm fé? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão falar, se não houver quem pregue? (Romanos 10,14)


Salve Maria Imaculada, Rainha dos corações!

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A Obediência

Salve Maria Imaculada, Rainha dos Corações!

Muitos se perguntam sobre o que é mais difícil de se viver no cristianismo. Sabemos que devemos andar pela porta estreita, e aqueles que não creem em Cristo acabam achando que carregamos pesados fardos e somos infelizes. Mas a verdade é que o peso de Jesus é leve e seu jugo é suave (cf. Mateus 11,30). Todo cruz, toda renúncia, pode até doer, mas com Cristo tudo tem um sentido. Não, não é fácil. Mas por Cristo e com Cristo podemos tudo. Mas então o que seria mais difícil no cristianismo? Alguns podem dizer que é a castidade (ainda mais nesses dias da corrupção moral); outros diriam ainda que é o amor ao próximo e a caridade. Enfim... Mas, se analisarmos bem, o mais difícil de se viver é a OBEDIÊNCIA. Sim, a obediência. Se eu não tiver a obediência como uma das minhas virtudes, eu não viverei as outras. Se a Igreja ensina que sexo fora do casamento é pecado, eu devo ser humilde de reconhecer na fé que a Igreja é coluna e sustentáculo da VERDADE (cf. 1Timóteo 3,15) e que é o próprio Jesus que nos fala (cf. Lucas 10,16). E nessa fé devo obedecer. O fato da obediência ser um peso não é porque somos “obrigados” ou nos venha algo por imposição, mas pelo fato de que o pecado de Adão e Eva foi de desobediência, e isso ficou impregnado na nossa humanidade corrompida. Quando a Igreja nos fala NÃO ao uso de camisinha, nós já sabemos que é errado, assim como Eva sabia que não podia comer do fruto proibido, mas muitas vezes se é desobediente para contrariar a Deus. Santo Afonso Maria de Ligório vai nos dizer no livro “Práticas do Amor a Jesus Cristo” que existe gente tão agarrada à própria vontade que ao lhe ser ordenada alguma coisa, mesmo sendo de seu gosto, pelo fato de a ter de realizar por obediência, perdem a vontade de a executar.

E se nós queremos ser pessoas de Deus, nós devemos ser obedientes. O mundo vai querer nos escravizar no relativismo e nos fazer obedecer as mentiras da sociedade atual que muitos tomam por verdade, mas nós devemos dizer a cada dia: “Importa obedecer antes a Deus do que aos homens” (Atos 5,29). E quem não obedece a Deus – e deixo bem claro que obedecer a Deus implica diretamente em obedecer à Igreja pois, como já dito, Cristo nos fala por Ela, e os santos já dizem que a fé Romana é inacessível ao erro. - vive em uma completa confusão. Muitas vezes queremos luzes, será que tal caminho é bom, será que estamos vivendo a vontade de Deus. E a obediência a Deus na Igreja é a resposta. Seja no campo espiritual ou em qualquer esfera da nossa vida (afetivo, familiar, profissional, etc.), quando existe desobediência à Deus tudo vira uma completa confusão e tende a virar ruína. Um sinal clássico é o profeta Jonas que ao ouvir de Deus o chamado para ir até Nínive pronunciar seus oráculos, acaba tomando um rumo contrário. Vai nos relatar assim as sagradas escrituras: “A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, filho de Amati nesses termos: 'Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e profere contra ela os teus oráculos, porque sua iniquidade chegou até a minha presença'. Jonas pôs-se a caminho, mas na direção de Társis, para fugir do Senhor. Desceu a Jope, onde encontrou um navio que partia para Társis; pagou a passagem e embarcou nele para ir com os demais passageiros para Társis, longe da face do Senhor” (Jonas 1,1-3). Assim acontece com quem desobedece pegando um rumo diferente da direcionada pelo próprio Senhor: fica LONGE DA FACE DO SENHOR. É assim quando temos um bom confessor e ele nos fala “x” mas porque nos é mais agradável queremos “y”. Ou mesmo no campo doutrinário, quando a Igreja nos fala “x” através da doutrina de dois mil anos, do Papa, enfim, mas nós queremos “y” porque nos convém, sim, convém aos nossos caprichos, mimos, acomodações... E no entanto, corremos o rico de ter a vida em caos como a do profeta. O navio que ele estava ficou agitado em alto-mar, até que descobriram que ele era o culpado, jogaram ele no mar, foi engolido por um peixe gigante, e só saiu de lá quando se arrependeu e orou ao Senhor, e obedeceu a Palavra do Senhor. Tua vida só vai sair da desordem quando você obedecer a Deus todo poderoso. E se sua vida está boa, cuidado para não cair no capricho da desobediência, pois quem cai na desobediência derruba toda a sua vida.

A obediência é necessária a todos os católicos. E aqueles que querem ser almas perfeitas – não na perfeição humana de agradar aos homens, mas agradar ao Sumo Bem que é Jesus – deve trabalhar muito a obediência que está ligada a humildade. Um verdadeiro obediente é humilde; e quem é humilde, inevitavelmente, obedece. Não, não é uma pessoa “bitolada”, “pau mandado”, mas é uma pessoa apaixonada por Jesus, e que só a Ele quer agradar. E nesse desejo de agradar ao Senhor, uma alma que quer ser perfeita, deve rezar insistentemente pedindo a Ele a graça de ter um bom diretor espiritual. Rezar pedindo um, mas também ao ter rezar pedindo a graça que Ele tenha luz para te guiar na vontade de Deus. É de extrema importância termos um diretor espiritual para obedecermos. Até porque vivemos em tempos difíceis, satanás tem dominado em muitos lugares, e nós somos seduzidos pelo inimigo a todo momento, e por isso precisamos ter um auxílio da parte de Deus que é o diretor espiritual. Mas não pode ser qualquer um, tem que ser um que deseja ser santo e levar outros a santidade (não falo aqui para você ficar criticando ou condenando padres, mas para que você analise bem em quem você vai colocar sua vida sob obediência. Afinal, sabemos que no Brasil, por causa da TL, tem muitos maus sacerdotes que até mesmo no próprio confessionário dão camisinhas para corromper os jovens, e dizem que várias coisas não é pecado, contradizendo o que nos ensina o magistério da Igreja. Por isso, ao se confessar com algum sacerdote do tipo – sendo impossível se confessar com outro – recomendo que obedeça em primeiro lugar a Igreja, ou seja, se ele te mandar fazer algo que a Igreja diz ser pecado e obviamente ilícito, não o faça. No demais, com cuidado, pode obedecer. Exemplificando, se você confessar com um sacerdote que te dê de penitência cometer um aborto, você NÃO OBEDEÇA, pois você tem que obedecer a Deus e a Igreja que dizem que isso é um pecado que brada ao Céu por vingança. Sei que o exemplo foi pesado, mas é pra ficar claro naquilo que quero falar. Ou pelo menos tentei...)

Quem quer ser perfeito deve entender que mais vale uma atitude por obediência do que por vontade própria. Os santos sabiam e viveram muito bem isso. Nos ensina belamente São Felipe Neri: “Os que desejam avançar no caminho de Deus, sujeitem-se a um sábio confessor e obedeçam-lhe como a Deus. Quem assim faz, fica seguro de não prestar contas a Deus das ações que faz... Devemos confiar no confessor, pois o Senhor não deixaria errar. Não há coisa mais segura para escapar dos laços do demônio, do que fazer a vontade alheia nas coisas boas. Não há coisa mais perigosa do que querer se dirigir pelo próprio parecer.” E como isso é uma verdade! Tem pessoas que ao rezar sentem que Deus a pede para fazer algo, um dia de grandes mortificações, por exemplo, e ao falar com o diretor, este lhe proíbe. E então a pessoa fica irritadíssima, dizendo que Deus foi quem pediu, e então desobedece seu diretor espiritual, e faz fortes mortificações. E essa alma ganhou poucos ou nenhum mérito com sua mortificação. Deus nos quer a obediência. Se ela tivesse ofertado a sua vontade de fazer mortificações não as fazendo, por obediência, teria ganhado muitos mais méritos. Uma prova disso é o que nos ensina Santa Brígida: “Alguém deixando por obediência uma mortificação, lucra duplamente: alcança o mérito da mortificação que desejava fazer e o mérito da obediência pela qual a deixou.” O problema é que parece que cada dia mais o povo anda com um espírito luciferino e dizem: não servirei! Não obedecerei! Mas os santos não foram assim. A Beata Teresa de Calcutá, por exemplo, recebeu a inspiração de sair da sua antiga congregação e fundar as Missionárias da Caridade. Mas vocês acham que ela partilhou com algumas irmãs, um padre e disse “#partiu #ruas #indianas”? Ela passou anos sob a OBEDIÊNCIA de ter que sofrer as demoras de Deus. O mesmo Deus que a inspirou a fundar as Missionárias da Caridade e a impelia em oração a começar a obra, era o mesmo que a refreava através do confessor e do Bispo que não dava autorização até ver a vontade de Deus. Ela foi provada até o final. Apesar da angústia – e da tão falada “noite escura” que a Beata Teresa sofria – ela sempre dizia que era a vontade de Deus, afinal, nós católicos a entendemos porque a vontade de deus se manifesta na obediência. Depois de um longo período na espera, ela recebe autorização de com algumas irmãs sair para as ruas da Índia, indo de fato nas sarjetas, fazer a vontade de Deus, cuidando dos mais necessitados, daqueles que ninguém queria cuidar, muito menos amar.

É assim que deve agir uma alma que quer fazer a vontade de Deus a todo custo: na obediência. Agora imagina certas pessoas que no primeiro não, começam a dar birra, se fazem de vítimas, de perseguidos por causa do Evangelho... Muitas vezes o Senhor nos pede algo para testar a nossa obediência aos nossos superiores. Um belo exemplo é Santa Faustina, e citarei um fato muito interessante que a Santa cita no nº 28 do seu diário: “Em certo momento Jesus me disse: Vai falar com a Madre Superiora e pede-lhe que te permita usar o cilício por sete dias e uma vez, durante a noite, te levantarás e virás a capela. Respondi que o faria, mas tinha uma certa dificuldade de dirigir-me à Superiora. À tarde, Jesus perguntou-me: Até quando vais adiar? Resolvi contar isso à Madre Superiora logo que a encontrasse.[...] A isso respondeu-me a Madre: “Não permito que a Irmã use o cilício. Absolutamente nada. Se Nosso Senhor der à Irmã as forças de um colosso, então permitirei essas mortificações.”[...] Então vi Nosso Senhor, que estava parado à porta da cozinha, e disse a Ele: “Mandastes que eu fosse pedir licença para essas mortificações, e a Madre Superiora não as quer permitir.” Então Jesus me disse: Estive aqui durante essa conversa com a Superiora, sei de tudo e não estou exigindo as tuas mortificações, mas a obediência. Através disso, tu estás Me dando uma grande glória e granjeando méritos para ti mesma”. - Como vimos neste fato, Jesus disse para Santa Faustina pedir para usar o cilício, e ela foi obediente, e mais obediente ao cumprir o que disse a Superiora. É isso que está faltando em muitas almas que desejam a santidade, mas a modo próprio. E a modo próprio é muito mais difícil de se alcançar a santidade. Até porque já nos diz as Sagradas Escrituras: “Mais vale a obediência que os sacrifícios dos insensatos” (Eclesiastes 4,17). E como muitas vezes temos sido insensatos não querendo obedecer!

Jesus diz ainda à Santa Faustina: Vim para cumprir a vontade de Meu Pai. Fui obediente aos pais, obedeci aos carrascos, sou obediente aos sacerdotes. (nº 535 do Diário de Santa Faustina). E isso é quase que um escândalo. Principalmente a obediência aos pais. São Luís Maria Grignion de Montfort diz que Jesus deu mais Glória a Deus Pai nos 30 anos obedecendo a Maria do que nos 3 fazendo milagres e prodígios. Mas aqui quero chamar a atenção para os jovens desejosos e sedentos de Deus. Sabemos que muitas vezes a nossa própria casa vai se opor ao plano de Deus em nossa vida. Mas temos que obedecê-los – a não ser que queiram nos colocar em pecado – pois foi Deus que nos deu eles como pais e/ou responsáveis e, portanto, autoridades. E tenho visto muitos casos de desobediência sobre pretexto de amor a Deus. Gente que quer ir embora de casa para fazer algo para Deus. Isso é bonito, mas analise a situação e veja se é necessário. Será mesmo que você que é menor de idade, até trabalha, é lícito largar o emprego do nada contrariando os seus responsáveis para trabalhar na obra de Deus? Sabe por que? Porque tem gente que cria ódio da Igreja porque está deixando os filhos bitolados. E o pior é que muitos destes não ouvem os conselhos dos sacerdotes que o orientam. Eu conheço uma jovem que sua mãe, para lhe proibir de ir para o grupo de oração, lhe trancava no quarto. Eu não digo que ela devesse arrombar a porta e ir, mas se ela a proibisse de ir pra Missa de domingo deveria fazer umas orações a São Miguel pra por a porta abaixo, porque sabemos que devemos ir todo domingo para a Missa. Agora tem gente que fica com raiva dos pais ou seja lá quem for seus responsáveis, por não deixarem fazer os seus mimos de largar tudo e pregar o Evangelho. Você quer ser padre? Ótimo, termine seus estudos primeiro! Freira? Idem! Mas não, fica um povo alienado, querendo se entregar pra Deus, sem se esforçar no hoje da sua vocação. Você jovenzinho vocacionado ao sacerdócio, para você ser padre você precisa ter o ensino médio completo para no seminário fazer duas faculdades. E se você não obedecer seus pais, como você obedecerá seus superiores? Você sendo um birrento desde cedo, querendo fugir de casa pra ir pro seminário ou convento, na primeira contrariedade que passar na vida religiosa, vai querer ir embora e ir pra outro convento, e sempre sendo como satanás: não obedecerei! Portanto, a não ser que teus pais ou responsáveis queiram te obrigar a pecar, você tem que obedecer. “Ah, mas eu quero ser religioso(a) e eles não querem deixar”. Ótimo, obedeça até os 18 anos, depois fuja de casa e viva sua vocação. “E isso não é pecado?” Não! Pecado é a sua desobediência atual sendo um birrento(a). Quando você tiver 18 anos você será dono do seu nariz e fará o que quiser – desde que não esteja morando debaixo do teto de seus pais – e aí você vai virar missionário, pregar, ser padre, freira, o que Deus te pedir. A própria Santa Faustina fugiu de casa para viver sua vocação (só que ela era maior de idade, e enquanto menor, por mais que desejasse o contrário, sempre foi obediente)Mas, por favor, tenha um diretor espiritual para que você não faça besteira.

Esse negócio entre os jovens é tão terrível que tem gente querendo emancipação para poder ser “livre” pra não ter obedecer os responsáveis em casa e ir morar só. Só que na vida religiosa, até na vida matrimonial quando tiver que fazer sacrifícios pela família, não existirá emancipação. Custa sacrificar a vontade própria? Dói, de fato, mas quando dói é amor.

Santa Teresinha do Menino Jesus queria ser tudo, ela desejava a missão. No entanto, ela sabia de sua vocação, e obedecendo o chamado de Deus a viver sua vocação monástica, obteve muitos mais méritos para Deus, e com toda certeza, suas orações contribuíram muito mais para auxiliar os pregadores, do que se ela mesma estivesse pregando.

Eu sei que muitas vezes dói não ser compreendido em casa. Mas que tal pegar o exemplo da Irmão Lúcia (uma das videntes de Nossa Senhora em Fátima-Portugal) que relava que enquanto criança, no decorrer do tempo das aparições, sua mãe achando ser mentira de sua filha toda essa história de aparição de Nossa Senhora, lhe batia de cabo de vassoura e tudo. Ela sofria muito. No entanto, ela, apesar de criança, não ficou dizendo “#partiu #ninguém #me #ama #CHATIADU”. Ela prosseguiu em casa, sofrendo no interior e na carne, pois a própria Santíssima Virgem lhe disse que sofriam bastante pelos pecadores. Quando tiver contrariedades do tipo, ofertemos a Deus através do Imaculado Coração de Maria, todo sofrimento, pelos pobres pecadores, que com certeza será muito mais útil para a conversão dos pecadores e para a nossa santificação. Enquanto que o murmúrio juntamente com a desobediência todo sofrimento terá pouco ou nenhum mérito.

Nunca se perdeu um verdadeiro obediente (São Francisco de Sales)

E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.” (Filipenses 2,8)


Salve Maria Imaculada, modelo de obediência!