terça-feira, 30 de julho de 2013

VADIAS NA JMJ E AS DECLARAÇÕES DO PAPA SOBRE O HOMOSSEXUALISMO


Salve Maria Imaculada!

A JMJRio2013 entrou para a história não só da Igreja, mas também da cidade do Rio de Janeiro. Mais de três milhões de jovens reunidos para estar na presença do Sumo Pontífice o Papa Francisco. Uma grande benção para nós brasileiros termos sediado este encontro. Mas o que, creio eu, chamou a atenção de muitos foram as declarações do Papa Francisco, já na sua volta para Roma, a cerca da homossexualidade. Muitos veículos de imprensa podem distorcer suas declarações. Mas desde já quero informar que o que o Papa Francisco disse é o que a doutrina da Igreja ensina e o que nós tentamos dizer a tempos. Declaração do Papa em entrevista sobre homossexualidade: Se uma pessoa é gay e procura Deus e tem boa vontade, quem sou eu, por caridade, para julgá-lo? O Catecismo da Igreja Católica explica isso muito bem. Diz que eles não devem ser discriminados por causa disso, mas integrados na sociedade.” - Agora me digam onde o Papa aprova a PRÁTICA homossexual. Pois é, meus caros leitores, o Papa Francisco apenas disse o que temos tentado falar há muito tempo. Não condenamos homossexuais, condenamos a prática homossexual.

Em uma matéria do G1 tem a declaração de uma pessoa chamada Aurelio Mancuso que diz o seguinte: “As palavras pronunciadas pelo Papa são muito importantes do ponto de vista do estilo, porque, depois de tantos anos de insultos lançados pela Igreja Católica, se reconhece que não devem discriminar ou marginalizar essas pessoas.” - Eu só queria entender de pessoas como essa, de onde que eles tiraram que a Igreja lançava insultos, e mandava discriminar e/ou marginalizar homossexuais? Ou é ignorância ou má-fé. As declarações do Papa Francisco não contradizem em nada as declarações do Papa Emérito Bento XVI, que não contradiziam as de João Paulo II, e que – todas – estão de acordo com o CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. Ou seja, o Papa Francisco confirma o Catecismo. Você sabe o que o Catecismo da Igreja Católica fala sobre homossexualidade? Pois então leia:

CASTIDADE E HOMOSSEXUALIDADE
2357. A homossexualidade designa as relações entre homens ou mulheres, que experimentam uma atração sexual exclusiva ou predominante para pessoas do mesmo sexo. Tem-se revestido de formas muito variadas, através dos séculos e das culturas. A sua génese psíquica continua em grande parte por explicar. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves a Tradição sempre declarou que «os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados». São contrários à lei natural, fecham o ato sexual ao dom da vida, não procedem duma verdadeira complementaridade afetiva sexual, não podem, em caso algum, ser aprovados.
2358. Um número considerável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente radicadas. Esta propensão, objetivamente desordenada, constitui, para a maior parte deles, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á, em relação a eles, qualquer sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar na sua vida a vontade de Deus e, se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar devido à sua condição.
2359. As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes do autodomínio, educadoras da liberdade interior, e, às vezes, pelo apoio duma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem aproximar-se, gradual e resolutamente, da perfeição cristã.
(Grifos nosso)

Então, conte-me aonde que no Catecismo os insultos, incentivos à marginalização e discriminação... Gente que vive de mídia esquerdista acha que católicos andam por aí com uma 12 caçando gay para explodir os miolos. Por favor, sejam sinceros, tentem entender que o que é condenado é o ATO que é pecado, e não o Gay. A Igreja não condena somente o homossexualismo. Da mesma forma é também condenado a masturbação, pornografia, zoofilia, pedofilia, sexo antes do casamento (é, héteros também não podem fazer libertinagem)... Agora querer obrigar a Igreja a aprovar um PECADO somente pela satisfação de quem não quer seguir o que diz o catecismo, ou seja, lutar contra o pecado, é no mínimo uma canalhice. Até porque, você homossexual que é até sincero e se sente discriminado, um casal de héteros tem a função de se casar e gerar filhos, e quem se casa sem querer gerar filhos, está pecando contra Deus. A libertinagem está em ambos os lados. A questão é, ambos devemos lutar contra a concupiscência da carne, e como diz São Paulo “resistir até o sangue, na luta contra o pecado” (Cf. Hebreus 12,4), e fazer a vontade de Deus, que quer que sejamos puros. “Importa obedecer antes a Deus do que aos homens”(Atos 5,29) – Os homens dizem que você tem que ser depravado, pecador, viver na ilusão e na libertinagem. Deus te pede a pureza, a castidade, um amor verdadeiro...

Nas suas declarações o Papa Francisco voltou a lembrar algo que ele condenou que é o Lobby Gay. Em outras palavras: Militância Gay. É o que temos falado a tempos. Quando escrevemos textos ou fazemos videos, pregações, enfim, quando disponibilizamos materiais combatendo a ditadura gay, não é uma luta direta àquele homossexual que sofre demasiadamente por causa de suas tendências, que até muitas vezes tem lutado para não praticar este ato terrível de ofensa a Deus. Nós combatemos a MILITÂNCIA GAY, que é organizada e financiada. Nós combatemos essa ideologia de gênero. Esse lobby, esse papinho que quer transformar todo mundo em gay. Este lobby que está muitas vezes até mesmo dentro das próprias paróquias. Quantos e quantos jovens – em determinados grupos – ao acabarem mostrando o distúrbio na sua sexualidade, acabam ouvindo de coordenadores, membros, e até de padres hereges – como aquele que recentemente foi excomungado – dizerem que tudo bem, que o importante é ser feliz. Eu só sei que não existe felicidade fora de Deus. No ato homossexual pode até ter algum prazer momentâneo, mas felicidade, a felicidade que fica, que mesmo na dor somos felizes, ah, essa eu só encontro em Deus. As pessoas confundem “estar feliz”, ou seja, um momento, com “ser feliz” ou seja, permanente. E esse lobby, essa farsa em nossas paróquias, tem levado a muitos para o poço do pecado. Quantos e quantos jovens não estão infelizes, se afundando em vários problemas psicológicos, até mesmo com bandas satânicas levadas pelo emocionalismo que a fizeram se ver como coitados... Pessoas profundamente frustradas. Sim, o incentivo é terrível. Nós temos que oferecer ajuda, e não condenação. Mas ajudar é ajudar a viver o que a Igreja pede, e não mandar fazer o que quiser porque Deus perdoa. O bom ladrão era tão bandido quanto o outro, mas um reconheceu ser pecador, o outro blasfemou.

E claro, o que mais combatemos é o lobby (militância) no seu campo político. Para deixar as claras, nós não lutamos contra o homossexual como afirmamos acima, mas sim contra essa estrutura política que está se formando. Para ficar claro, o que não aceitamos são movimentos como a “Marcha das Vadias” que mostram toda sua “tolerância” sendo a própria intolerância encarnada. Essas vadias – como se denominam – aprontaram na JMJ fazendo uma grande manifestação. Quebraram imagem de Nossa Senhora, crucifixos, e ao que parece até usaram crucifixo como instrumento sexual. Que Deus tenha de piedade dessas senhoras mal amadas que mais do que ninguém precisam ser mergulhadas na Misericórdia de Deus! Enfim, fizeram toda essa algazarra peladas, ou melhor “vestidas” como vadias. Como respeitar quem não respeita? Como tolerar quem não tolera? Eu não to dizendo que devemos afrontá-las e agredi-las. Mas eu digo que temos que meter um processo, e usar da mesma esfera política para que se cumpram as leis que afirmam que o que essas mulheres – que boa parte são lésbicas – fizeram é crime. Para nós, católicos, o que essas mulheres fizeram foi um pecado terrível de sacrilégio, mas civilmente falando elas cometeram um crime. E devem pagar por isso. A Igreja não condena nenhuma mulher, nenhum homossexual, nenhum travesti... Mas sim essas atitudes preconceituosas.

Isso porque não citamos a parada gay que sempre fazem provocações ao católicos. Eles já usaram imagens de santos católicos em posições homossexuais, sempre tem algum vestido de padre, bispo ou papa para fazer piada. Enfim, sempre atacam a Igreja Católica. E até onde eu sei o que, tanto a parada gay, quanto a Marcha das Vadias, fizeram não deixou de ser crime (fora a nudez e sexo explícito no meio da rua). Você viu algum ser preso? Não. Sabe por que? Porque no nosso atual governo isso se chama liberdade de expressão, elas são livres para se manifestar. Agora experimenta você, sozinho (não precisa ser em grupo) apenas passar em frente a uma marcha das vadias, parada gay, segurando um terço na mão para ver o que acontece com você. Você vai ser tachado de homofóbico, vai apanhar, vai ser humilhado, será incitado, e depois de derramar boa parte do seu sangue, você ainda será preso. Logo após sua cara aparecerá nos noticiários de televisão, seu nome no rádio, e várias matérias na internet sobre você, trazendo é claro adjetivos como: extremista religioso, radical, católico (ou mesmo “evangélico”) que parece do islã, etc. E olha que você somente passou em frente do evento. Talvez acidentalmente porque se dirigia a um local que devia passar por perto. Mas, digamos que já que os gays fazem “beijaço” gay na chegada do Papa como protesto, as vadias fazem esse sacrilégio todo; aí você reúne um grupo de católicos para esperar deputados militantes gays no aeroporto, de joelhos, rezando o terço, na pureza e santidade, ou mesmo fizesse isso 2 km de distância de um evento deles, rezando – só rezando – nossa sequência de Ave Marias, o que aconteceria? O mesmo, só que talvez no título da matéria traria o título “Gangue de católicos homofóbicos ataca homossexuais”, e além do crime de “homofobia” que querem aprovar ae, o pequeno grupo também responderia por “formação de quadrilha”. Eis o Brasil do século XXI.

E o que falei dos MILITANTES (é sempre bom repetir para não dizer que estou falando dos homossexuais, estou falando dos militantes) não é exagero algum. Se eles fazem isso em um lugar onde eles não foram convidados (pelo menos não convidados para fazer a bagunça que eles fizeram) imagine se católicos rezassem onde é dominado por eles... Quem aqui não se lembra dos MILITANTES GAYS que agrediram os membros do IPCO que faziam uma marcha pela família tradicional e contra o aborto? Era um pequeno grupo de católicos, que somente falavam a favor da família, de repente foram acuados, e somente rezavam... E quanto mais se rezava, mais eles se enfureciam... Não houve ataque dos católicos, xingamentos, agressões, etc. Mas não teve muita tolerância da parte gay da coisa. Veja aqui e recorde. E veja aqui o video.

Para concluir, unidos ao Papa, acolhamos os homossexuais, eles precisam de nossa ajuda. Ajuda para sair do pecado, assim como qualquer outro pecador. E peço que conheçam um apostolado chamado Courage que ajuda homossexuais. Vendo a existência de apostolados como este, não entendo como as pessoas ainda caluniam a Igreja dizendo que ela quer praticamente exterminar os homossexuais da face da terra. - Mas também, não aceitemos a “ditadura gay” e resistamos a este grupo político. Amor ao pecador, nojo do pecado (seja ele qual for, venial ou mortal).



Salve Maria Imaculada!

 

segunda-feira, 22 de julho de 2013

A MALÍCIA DA MÍDIA SECULAR EM RELAÇÃO A FIGURA PAPAL

Salve Maria Imaculada!

Creio que todos já percebemos que existe uma onda de elogios, que até para alguns céticos chega a ser fanatismo, com relação ao Papa Francisco. Vários veículos de comunicação secular tem exaltado a humildade e pobreza do Papa Francisco, fazem grandes elogios a pessoa do Papa e dizem que a Igreja está mudando, que Francisco veio para mudar. De fato, a cada novo Papa existe uma nova mudança. A Igreja nunca para. No entanto, a mídia tem sido maliciosa. Os grandes veículos de comunicação estão passando a agir de uma forma diferente do que vinha agindo, afinal não deu muito certo. Antes agiam soltando cacetada no Papa – no caso nosso amado Bento XVI -, a cada declaração uma nova pancadaria de palavras contra o Sumo Pontífice. As mentiras inventadas, ou notícias passadas de forma tendenciosa, falando mal de Bento XVI, até pode ter enfraquecido a fé daqueles que já “bambeavam”, mas, falando de Brasil, não fez desaparecer a fé. E apesar dos traidores da Igreja que estão dentro dela – lembre-se que os maiores inimigos da Igreja não estão fora, mas dentro dela – a Igreja continuou forte e militante. E a cada cacetada no Papa, mais a juventude e o povo católico amava a Igreja e Bento XVI.

Mas eis que nosso querido Papa Bento XVI renunciou... Começaram a intensificar as cacetadas no Papa Emérito Bento XVI. Eis que chega o Conclave, a mídia começa a cavar nomes, a dizer que a Igreja abriria as portas pra modernidade (modernidade pra esse povo é: relacionamento homossexual, aborto, anticoncepcionais, camisinha, etc.). E então, durante o Conclave, eis que é apresentado ao mundo o novo Sumo Pontífice, o novo sucessor de Pedro, aquele que ocuparia a Cátedra de Pedro. Eis que o Espírito Santo nos concedeu o Papa Francisco.

E eis que então a mídia a serviço da nova era começa a exaltar excessivamente a escolha do novo Papa. Começam a falar da humildade de Francisco como se Bento XVI fosse o orgulho em pessoa. Começam a falar da pobreza de Francisco como se Bento XVI fosse um porco capitalista cheio de dólares. Começam a falar do amor de Francisco pelos pobres em um tom como se Bento XVI não amasse ninguém. E eis que para Francisco: elogios, exaltações, carinho. E para Bento XVI: desprezo, ódio, calúnias. Mas, não é por Francisco, é uma tática. Sejamos inteligentes! A verdade da Igreja é imutável, eu creio muito nas promessas de Jesus que as portas do inferno NUNCA PREVALECERIAM (cf. Mt 16,18-19). O sucessor de São Pedro existe para confirmar a nossa fé. Cristo nos fala pelo Papa. Falou por Pedro, falou por Bento XVI, e nos fala por Francisco. Em gestos e palavras. Vocês não acham no mínimo estranho esses veículos de comunicação que prestam um desserviço à sociedade como um todo, que atacam a família, a vida, a santidade, a espiritualidade católica, tudo que é sagrado, agora passam a elogiar a Igreja e o Papa? Isso é muito estranho...

Bom meus irmãos, infelizmente até muitos católicos sinceros de coração tem caído nessa armadilha de satanás para nos tirar a fé autêntica na Igreja e a confiança no Santo Padre. Muitos, que amavam Bento XVI, começa a sentir uma repugnância por Francisco, porque começam a ver e ouvir a melosidade açucarada de reportagens que falam de Francisco. Mas, estes são tão fracos na fé quanto a casa construída sobre a areia. Passaram tanto tempo só ouvindo ataques ao Papa, que quando passam a elogiá-lo começam a ficar irritados com o Papa. Quanta incoerência. Os elogios ao Papa são pura verdade. A intenção deles que é má. Peguemos a verdade do Papa, e usemo-as a nosso favor, confirmando a fé Católica. Falo isso porque tem gente quase “sedevacantista” que não quer ser filho de Francisco...

Bom, quero chegar talvez ao ponto mais importante deste post. Mostrar como essa mídia é suja e nojenta. Elogiam o Papa para passar uma falsa imagem. No entanto, não noticiam tudo o que o Papa fala ou faz. Obviamente, não noticiam o que não lhe convém. Ou se noticiam, é de forma distorcida. Analisemos algumas palavras e atitudes do Papa Francisco... Você por acaso viu a grande mídia noticiando com ênfase o que ele fala sobre Bento XVI? Quando o Papa Francisco se encontrou com o Papa Emérito Bento XVI, e lhe deu uma Nossa Senhora, Francisco disse que era por causa dos grandes gestos de humildade que ele – Bento XVI – deu durante seu pontificado. Outras vezes ele disse “não sabes o tamanho da humildade desse homem”. Bom, o humilde Francisco também acha Bento XVI humilde. E agora produção? Eles noticiam que Francisco está mudando a Igreja porque não usa cruz de ouro, não mora no antigo quarto pontifício, e por aí vai... Mas eles não noticiaram com tanta força a explicação do próprio Papa Francisco do porque preferiu dormir em outro quarto (veja no video no fim do post). A cruz é até por algo lógico, ele é religioso (faz parte de uma congregação) com voto de pobreza... E, segundo o próprio Francisco, a questão do quarto, é por causa da sua personalidade, pois o outro – que segundo ele mesmo não era luxuoso – ele ficaria mais solitário, mas ele gosta de estar com as pessoas. No entanto, a mídia dá uma rasteira em Bento XVI colocando-o como luxuoso. No entanto, seu quarto não era esse luxo. Existem fotos, comparem com o quarto de muitos artistas e âncoras da Rede Esgoto (Globo) de Televisão e verão que o quarto de Bento XVI era simples. 

No início de seu pontificado, Francisco deu uma declaração forte, mas que logo foi esquecida. Ele disse que precisamos confessar Jesus crucificado, que a Igreja não é uma Ong Piedosa. Isso é uma porrada nas fuças dos TL's e filhos do PT. Onde querem transformar a Igreja numa ONG piedosa, onde faz filantropia, e se esquece a espiritualidade. O Papa falou contra vários tipos de superstições. O Papa Francisco disse: “Encontrar Jesus fora da Igreja não é possível”. Ora, essas coisas não foram tão noticiadas. Ainda mais essa de não ser possível encontrar Jesus fora da Igreja. Afinal, no Brasil cresce as seitas protestantes. Mas a verdade da Igreja eles negam. E, essa mídia também não noticiou tanto uma declaração do Sumo Pontífice, que é basicamente o que Bento XVI pedia, que era encorajando os católicos a entrar na política. Diz Francisco que os cristãos não podem fazer como Pilatos e lavar as mãos. Em um Brasil que se tem uma falsa ideia do que seja "Estado Laico" esses sem vergonhas não deram a notícia como deveria ser dada.E assim vai a vida. Temos um Papa humilde, que ama os pobres, carismático com os fiéis... Mas tivemos outros assim. O próprio Bento XVI, olhem as outras JMJ que foi com Bento XVI. Vejam a alegria e o brilho nos olhos dos jovens ao ver o amado Bento! O que falar de João Paulo II então? Você fala: A Igreja é contra o aborto! E a pessoa te responde: nossa, esse Papa é humilde. Você fala: prática homossexual é pecado! E a pessoa fala: Como Francisco ama os pobres! Até falando de homossexualismo, a grande mídia não citou as notícias que o Papa Francisco criticou o lobby gay. Isso não convém. Então tudo é caridade, humildade, pobreza, Assis... E escarnecessem de seus antecessores por terem condenado o aborto, homossexualismo, eutanásia, camisinha, anticoncepcionais, etc. Mas por acaso Francisco aprovou? Entendem o problema? A mídia aproveita o momento pra fazer o povo esquecer das verdades faladas através dos antecessores de Francisco, como se Francisco tivesse contrariado o que disseram. O triste é ver que tem gente estúpida o suficiente que cai no jogo da mídia.

Entendam uma coisa: essa mídia podre que serve a nova era, se elogia a Igreja e ao Papa, ou se perseguem-a abertamente, isso tem interesse por detrás. Não achem que a própria Dilma no discurso de acolhida – que mais pareceu propaganda eleitoral – está abrindo as portas do Brasil para a Igreja. Todos sabem das leis que estão para serem aprovadas, outras que já foram e esperam sua sansão, que é de seu gosto, mas que contraria a verdade da Igreja. Não achem que seu elogio a sua santidade o Papa é sincero. O beijo de Judas não foi sincero. Assim, o elogio excessivo da mídia para Francisco é verdadeiro, porém traiçoeiro. Cristo merecia um beijo no rosto, em amor, mas foi um beijo traiçoeiro; da mesma forma Francisco merece todo elogio por ser, no dizer de Santa Catarina de Senna sobre a pessoa do Papa, o doce Cristo na Terra, mas tem sido um elogio traiçoeiro. Então, se você se incomoda com essa situação, não caia nessa armadilha de satanás, e não passa a desconfiar e a negar a sua autoridade de Bispo de Roma. Passe a rezar por ele, e a tomar mais nojo desses veículos que servem ao Anticristo.

VIVA O PAPA FRANCISCO! VIVA O PAPA EMÉRITO BENTO XVI!


SALVE MARIA IMACULADA! VIVA CRISTO REI!




sábado, 20 de julho de 2013

DIFERENÇA ENTRE “UNÇÃO” E “PRESUNÇÃO” NO APOSTOLADO E A FALTA DE CONFIANÇA NA MISERICÓRDIA DIVINA


Salve Maria Imaculada!

A Igreja necessita de missionários. Existe uma grande massa de pessoas que não conhecem a Deus. Precisamos ouvir a voz de Deus, e ir ao encontro daquele que necessita conhecer o amor de Deus. Cristo é misericordioso, mas no entanto, nós não usamos de misericórdia. Como assim? Cristo quer usar de misericórdia, mas nós temos calado a Sua voz. Nós muitas vezes olhamos para o povo pecador, mas queremos que este povo seja condenado ao inferno. E triste que esquecemos que nós outrora éramos grandes pecadores, e graças a Deus alguém foi fiel ao Seu chamado, e nos fez conhecer o Seu amor, a Sua infinita Misericórdia. E pior ainda: nós que não somos o que deveríamos ser, ou seja, santos. Pecamos, mesmo que em coisas mínimas, mas com conhecimento. Isso entristece o Coração Misericordioso de Jesus: “Minha filha, escreve que as faltas involuntárias das almas não detêm o Meu amor para com elas, nem impedem a Minha união com elas; porém as faltas, ainda que mínimas, mas voluntárias, estas sustam as Minhas graças e não posso cumular tais almas com Minhas graças” (Jesus à Santa Faustina – diário nº 1641). Ou seja, muitas vezes queremos ser os santos, mas mesmo que em coisas mínimas, temos ofendido ao Senhor.

Isso é uma presunção enorme. Pois os maiores santos sempre viram e declararam suas misérias. O próprio São Padre Pio dizia que o demônio lhe queria a todo custo. Imagine nós, que, provavelmente, não temos a mesma vida de santidade que ele... Mas somos PRESUNÇOSOS de agir como se assim fôssemos. Nunca devemos achar que já somos santos, pois isso seria até um orgulho, e poderíamos cair. Mas devemos derramar o sangue lutando para ser santos. Não viver assim é uma PRESUNÇÃO. É jogar fora o sangue do Cordeiro de Deus. Sabemos sim das nossas misérias, mas sei muito mais da infinita Misericórdia de Cristo.
É bom falar disso, porque agora eu vejo que por desconhecermos nossas misérias, ou não reconhecermos a Misericórdia que Deus teve conosco, é que nós não temos misericórdia dos nossos irmãos que estão atolados no pecado. Como não amar aquele que Cristo ama? Ele é pecador? Nós também o somos. E pior ainda, nós conhecemos a Cristo, nós experimentamos, nós tivemos um encontro pessoal com Ele... Nós não reconhecemos a Misericórdia de Deus, e muitas vezes me parece que nós achamos que os méritos da nossa salvação vem de nós mesmos, mas a iniciativa é toda de Deus. Deus foi quem nos alcançou. A Virgem Maria foi quem intercedeu por nós, e nos levou para o amor de Cristo. O que nós somos diante grandeza de Deus? E ainda não queremos fazer este Deus ser conhecido e amado? Quanta ingratidão da tua parte para com o Senhor! Por falta de reconhecermos que Ele é bom, que Ele é Misericordioso, é que tem tão poucos missionários. Falar o que se nós não experimentamos? A missão é pequena porque o amor dos escolhidos está pouco.

E aí sim, entro mais a fundo no sentido do título deste texto que é diferenciar a “unção” da “presunção”. Nós, que conhecemos a Deus estamos muito presunçosos, em uma vida cômoda demais. Vou dar um exemplo. Um miserável pecador conhece a Deus, e Deus lhe confia uma missão. Digamos que de pregador. Ele, ainda “aleluiado” começa a querer pregar só na “unção”, e é só oração em línguas, aleluia pra cá, glória a Deus pra lá... Mas essa “unção” torna-se presunção se: primeiro: ele não tiver uma vida de oração pessoal, pois Cristo nos fala nos grandes eventos, mas onde ele vai moldando, podando, é na vida de oração diária com oração pessoal, estudo bíblico, rosário/terço, adoração ao Santíssimo Sacramento e Santa Missa até diariamente se possível for etc. Segundo: se ele não passar a estudar. Como assim? Isso mesmo, estudar. Estudar o Catecismo, documentos da Igreja, vida dos santos, etc. No início, Deus até converte com nossa pregação, de fata temos unção, mas se nós não buscar a via purgativa com as penitências e mortificações, oração, adoração, e estudo... Essa sua “unçãozinha” vira “presunção” e não converterá ninguém. Aliás, você ainda não se converteu.

Isso é só um exemplo. Mas se nós queremos mesmo, através da Imaculada, salvar almas para Cristo, não podemos ser presunçosos. Devemos ter unção. E unção não é sentimentalismo barato, unção é santidade. Unção é sangrar pelo Evangelho. Unção é dar tudo pra Jesus e Maria Santíssima. Unção é ser chamado de doido, de radical e de chingos pelos homens; mas ser chamado de filho amado por Deus. Sim, filho amado, apesar de nossos pecados e misérias. Apesar de Ele nos falar no fundo do coração, nos pedindo para gritar ao mundo a Sua Misericórdia. E muitas vezes temos condenado ao inferno nosso irmão, simplesmente por nem falar do amor de Deus pra Ele, e nem mesmo rezar por este miserável. Eis a vida missionária que temos visto. Presunçosos que querem fazer as coisas da própria vontade, outros que estudam mas que amam a Letra mas não amam o Amor. Sim, pois muitos entram na via purgativa, nos estudos, na vida de santidade, mas é presunçoso ao não evangelizar. Sim, nós somos presunçosos de achar que evangelizar é apenas vomitar letra, querendo condenar todos ao inferno, simplesmente postando coisas na internet, criando contendas... E olha que nem falo do tão caro e necessário carisma de denúncia, de denunciar os erros... Falo de gente que por pura presunção cria contendas, fazendo mal à alma alheia, sem se preocupar se vai salvar ou não alguém. De que adianta o conhecimento sem o amor? Santa Faustina amava, tinha conhecimento e amava, e sofria horrores para salvar pecadores da condenação ao inferno. Santa Teresa de Ávila ao experimentar as dores do inferno, dizia querer dar mil vidas para salvar uma só alma. E nós? Com todo nosso conhecimento, será que não conhecemos a Misericórdia de Jesus? Sim, porque aquele que conhece a Misericórdia de Deus quer anunciá-la aos povos. Se não pode por palavras, anuncia com orações e sacrifícios. O que tenho visto é que muitas vezes, se rezamos, no fundo da alma, temos um “se for pro inferno é bem feito”. E não falo aqui em relação a pregações que se deve falar duro no sentido de denunciar o pecado, e anunciar a verdade do Catecismo da Igreja Católica que diz que BASTA MORRER COM UM PECADO MORTAL E A PESSOA SERÁ CONDENADA AO INFERNO. Temos que anunciar isso, e sermos João Batista, denunciar o erro. Mas já parou para perceber que parece que pregamos, postamos, escrevemos, parecendo que tudo está perdido? No entanto, Nosso Senhor Jesus Cristo fala para Santa Faustina: O Meu Coração sofre porque até as almas eleitas não compreendem como é grande a Minha misericórdia. A convivência delas está imbuída de uma certa desconfiança. Oh! Como isso fere Meu Coração! Lembrai-vos da Minha Paixão e, se não credes nas Minhas palavras, crede ao menos nas Minhas Chagas. (Diário nº379). Lembremos que Jesus disse para Santa Faustina que quem se voltasse para a Sua Misericórdia, mesmo que fosse o pecador mais empedernido, com os maiores pecados, Ele perdoaria. Estimulemos as almas para que se confessem, para que tenham contrição interior e se arrependam... Pois disse Jesus também à Santa Faustina: Sou o Amor e a própria Misericórdia e não existe miséria que possa medir-se com a Minha Misericórdia, nem a miséria a esgotará, visto que à medida que se dá – aumenta. A alma que confiar na Minha Misericórdia é a mais feliz, porque eu mesmo cuido dela. (Diário nº 1273) | Sou mais generoso para com os pecadores, do que para com os justos. Foi por eles que desci à Terra... por eles derramei o Meu Sangue. Que não tenham medo de se aproximar de Mim. São eles que mais necessitam da Minha misericórdia.(Diário nº1275). Jesus também mostrou o inferno para Santa Faustina, e por isso mesmo é que devemos anunciar a Misericórdia... Deus não quer condenar ninguém, mas se continuarem ofendendo a Deus... Mas todo pecador, desde que se arrependa e se volte para a Misericórdia alcança perdão. Procuremos os sacerdotes católicos e CONFESSEMOS os nossos pecados.

E se nós de fato queremos largar a presunção na missão, e de fato assumirmos a unção do nosso Crisma, devemos ouvir do próprio Jesus o seguinte: Eu te indico três maneiras de praticar a misericórdia com o próximo: a primeira é a ação, a segunda a palavra e a terceira a oração. - Temos agido? Temos dado uma palavra, inclusive unindo a ação, levado a Palavra de Deus? Temos, principalmente, rezado e clamando a salvação? Não, temos querido a condenação. Sim, pois as vezes eu fico imaginando algumas pessoas que exalam um vazio interior, mas dizem ter bastante conhecimento... E fico refletindo, uma pessoa que ela praticamente grita, caso essa pessoa se converta... Como ela reagirá? Eu tenho medo dessa pessoa entrar em depressão, porque se ela ver sua “vítima” se convertendo vai ser uma grande frustração... E agora, quem ela chamará de diversos nomes? Meu Deus! Tem gente que se ver os maiores pecadores confessando seus pecados devem se prostrar no chão e gritar “Deeeeus, porquê? Olha que tipo de pecador é essa pessoa? Isso é um sentimentalista, é fogo de palha, é mais um carismático sentimental sem vergonha. Está profanando... Voltemos a tradição...” O engraçado é que os “gritos” não era pra alertar? A pessoa se converte, mas não, tem gente que acha inadmissível a conversão. Não sabem dar tempo ao tempo. Não sabem se quer usar de misericórdia, como usaram de misericórdia para com ele um dia. E é aí que se encaixa na nossa vida o que dizia Santa Faustina: O SIMPLES CUMPRIMENTO DA LEI NÃO PRODUZ O CRESCIMENTO DO AMOR. - Não, não to dizendo que não devemos cumprir a Lei, seja no mínimo honesto. Mas será que você e eu não temos endurecido, e querendo apenas viver de preceito sem amar tal preceito? Temos cumprido a Lei, mas não temos Amado nem ao próximo, pois quando este se converte ou inicia sua conversão nós nos iramos, e nem temos amado a Deus. “Se alguém disser: 'Amo a Deus', mas odeia seu irmão, é mentiroso. Porque aquele que não ama seu irmão, a quem vê, é incapaz de amar a Deus, a quem não vê.”(1João 4,20)

Queridos irmãos, peçamos a nossa Mãe e Senhora Maria Santíssima que nos livre do fermento dos fariseus e da maldita e diabólica presunção. Ela que pode interceder e conseguir junto de Seu Filho Jesus a salvação de qualquer pecador. Recorramos a Virgem Maria, para que ela nos salve, e que salve também a todos (todos mesmo! Protestantes, ateus, macumbeiros, maometanos, etc.). Ofereçamos à Imaculada todas as nossas ações, sacrifícios, orações, TUDO, para que Ela apresente Jesus e Lhe seja agradável. Confiando a nossa vida à Imaculada, deixaremos de ser presunçosos e passaremos a ser ungidos. Sairemos do comodismo, e passaremos a ser missionários. Se não de palavras, de oferta, assim como foi Santa Teresinha do Menino Jesus que é padroeira das missões, mas viveu no convento. A oração vai aonde as pernas não chegam.


Eu não quero uma Igreja tranquila. Quero uma Igreja missionária.” (Papa Francisco)
SALVE MARIA IMACULADA, MÃE DA DIVINA MISERICÓRDIA!

terça-feira, 16 de julho de 2013

"Ficar" é pecado? E os beijos na boca (de língua) no namoro?

Nas reuniões de grupos jovens e nas catequeses para jovens sempre surge um assunto um tanto quanto polêmico. A pergunta que normalmente fazem é: Ficar é pecado? Vale ressaltar que quando eu falo “polêmico” aqui é mais entre quem deveria ensinar do que da parte de quem ensina, porque a verdade é uma só, e me parece que é muito evidente o ser ou não pecado aqui. Mas vamos tentar fazer uma análise sobre a questão, para não dizerem que é puro “radicalismo” e exageros. Até porque a questão vai além do “ficar”, vai no próprio namoro sério de muita gente, que acha que namora santamente, mas muitas vezes vive ao menos em grande perigo por pura negligência.

Começando pelo “ficar”. O que seria o ficar? Nas palavras dos jovens que “ficam”, trata-se de um período onde duas pessoas querem se conhecer melhor antes de tomar a séria decisão de iniciar um namoro sério. Porque afinal – dizem eles – é preciso conhecer bem uma pessoa antes de estreitar os laços pro namoro. No entanto, o que primeiro deveríamos nos questionar é: por acaso o conhecimento da pessoa não se dá no namoro? Sim, porque o namoro é o período onde os jovens namorados passam a se conhecer para ver se tem compatibilidade para se casarem um dia. Depois, no noivado, é algo a mais do que conhecer, é já ter a firme decisão de casarem e só aguardam a data que já deve estar marcada (sim, porque noivos que não tem data de casamento marcada ou que nem se mechem para marcar não são noivos, são namorados “enrolões”). Mas na prática o que seria o “ficar”, uma vez que vimos que a teoria é derrubada por si só? Na prática o “ficar” é duas pessoas que não querem compromisso algum e então trocam carícias exageradas, como por exemplo o beijo de língua que é próprio de casais casados mesmo (veremos adiante sobre), e se agarram, tocam, pega daqui, esfrega dali, e tudo por causa do prazer pelo prazer. E quem “fica” não fica com uma pessoa apenas. Afinal, não tem compromisso. Se o ciclano tá “ficando” com a fulana, ele aproveita e também “fica” com a beutrana, a prima da prórpia fulaninha, etc. A fulana por sua vez faz o mesmo. E tudo por causa do prazer. Isso é de Deus? Não! Isso chama-se PROSTITUIÇÃO!

Alguns reclamam esse direito achando que devem “ficar” pra conhecer o outro. Mas mesmo que ambos estejam “ficando” apenas um com o outro, se ambos se gostam, porque então não namoram logo? Porque querem apenas o prazer que um beijo de línguas – isso quando infelizmente não avança para a fornicação de uma vez – pode proporcionar. E só “ficando” desfaz o peso da consciência caso venha a trair, afinal já não tinha compromisso. Repito: Isso aí já torna-se prostituição. E das piores, porque é de graça. Não que a paga não seja pecado, mas infelizmente nossa juventude têm se prostituído gratuitamente por meros prazeres mundanos.

O Catecismo da Igreja Católica fala algo muito interessante sobre essas “experiências”. Claro que o CIC não se fala do “ficar”, do “pegar” ou seja lá qual termo você usa para denominar essa prática de prostituição, mas refere-se sobre quem pratica sexo antes do casamento ou se “junta” para “experimentar” se vai dar certo. Mas prestem atenção que cabe muito bem no nosso tema “ficar”: Muitos reclamam hoje uma espécia de “direito à experiência” quando há intenção de se casar. Qualquer que seja a firmeza do propósito dos que se envolvem em relações sexuais prematuras, “estas não permitem garantir em sua sinceridade e fidelidade a relação interpessoal de um homem e uma mulher e, principalmente, protegê-los contra as fantasias e os caprichos”. A união carnal não é moralmente legítima, a não ser quando se instaura uma comunidade de vida definitiva entre o homem e a mulher. O amor humano não tolera a “experiência”. Ele exige uma doação total e definitiva das pessoas entre si. (CIC. 2391) – Como podem ver, essas experiências não são moralmente aceitas pela Igreja. E este trecho do Catecismo é muito útil para fazermos esta analogia. Se acabamos de ouvir a Igreja nos dizer que o sexo antes do casamento não pode ser aceito, pois é imoral, mesmo que o propósito de se casar seja fiel, assim também podemos dizer que o “ficar” também é imoral, mesmo que o propósito dos “ficantes” - que termo horrível – sejam sinceros. Até porque quem fica só nos beijos de língua está propício a cair na prática sexual completa. E digo mais, muitos jovens são condenados ao inferno “ficando”. Muitos jovens mesmo. São João Bosco via muitos jovens que iam ou iriam para o inferno caso não se convertessem, até mesmo jovens do seu oratório, e como dizia a Beata Jacinta: os pecados que lançam a maioria das almas no inferno, são os pecados de impureza. - Então, se os Dom Bosco via jovens do seu oratório que estavam prestes a serem condenados ao inferno caso não se convertessem, isso significa que você que vai à Missa mas continua ficando, se agarrando, pegando... Você está em pecado mortal. Então se arrependa, confesse seus pecados, e se emende.

Mas para muitos jovens de Igreja até concordam que o “ficar” é pecado. Mas e o beijo na boca? Ou melhor: e o beijo de língua? Muitos dizem que não tem problema algum pelo fato de ter compromisso. Mas acabamos de ler um trecho do catecismo dizendo que é imoral a prática sexual fora do casamento mesmo que o casal tenha firme propósito de se casar. “Ah, mas beijo na boca não é sexo”, no entanto, esquece-se de dizer que o beijo de língua é uma preparação para o ato sexual. E se este não for pecado, coloca-se em grave ocasião, e colocar-se em ocasião por pura negligência é pecado.

Vamos analisar o beijo na boca. O beijo na boca entre namorados é tão pecado quanto em quem só “fica”. Não consigo entender namoro santo, castidade, com casais de namorados que ficam “engolindo” um ao outro. Castidade não é só ausência do sexo – até porque muitos namoros de hoje em dia os casais de namorados fazem tanta coisa que nem precisa consumar o ato em si -, castidade é uma verdadeira mortificação. É ter um coração indiviso, e buscar agradar a Deus e não aos homens. E os namoros com beijo na boca tem agradado apenas aos beijoqueiros, uma vez que é algo desordenado, de pessoas que buscam apenas o prazer pelo prazer. Você pode até dizer que é uma manifestação de afeto entre o casal, que é algo próprio que o casal tem que ter. E eu te digo que um casal que tem o beijo de língua como o centro do afeto no namoro nunca vai saber a alegria do frio na barrica ao pegar na mão da namorada(o), nem o valor de um abraço casto – repito, abraço casto e não acochamento somado a mão boba que aperta tudo -, nunca saberá o valor de um olhar de alguém que quer respeito um ao outro e levar o outro ao céu, e não um olhar sedutor e depois dizer “cala a boca e beija logo”. Não! Não! Não! Nunca saberão viver a pureza quem pratica esses atos de impureza. Quem beija na boca no namoro também anda de mão dada, mas já foi tão maculado que é só um protocolo, só querem mesmo se dirigir para onde dará para beijar/engolir/trocar de língua. Quem beija na boca no namoro também dá abraços castos em certos pontos, mas a pureza, aquela pureza de um abraço de Nossa Senhora e São José, ah meus irmãos, será que existe? Não que eu seja tão santo a este ponto, mas como querer ser santo com as práticas pagãs de outrora?

Meus queridos, o beijo de língua no namoro torna-se um pecado porque ele gera prazer. E não é um prazer como o de comer chocolate. É um prazer sexual. Eu sou homem, e posso te dizer, que um homem normal, logo que encosta os lábios, já fica excitado. O sangue ferve. E o homem vai querer avançar, por mais que não avance, peca em seu coração. Mas porque? Porque o beijo na boca é uma preparação para o ato sexual. O beijo de língua avisa ao homem que se iniciará um ato sexual. Por isso que é quase que instantâneo a excitação do homem. É como se fosse uma sirene de polícia avisando sua chegada. Para a mulher talvez demore um pouco essa excitação, e talvez por isso seja mais difícil para vocês mulheres entender isso. Mas eu que sou homem digo que isso é terrível para o homem controlar. A não ser que eu que seja problemático, e nada nos outros homens suba quando estão se agarrando com suas namoradas. Talvez eu que seja o problemático.

Mas não para por aí. Depois do beijo, se tiverem sido negligentes o suficiente, tal beijo foi em lugar fechado, sozinhos, e o calor do beijo faz ambos caírem no pecado da fornicação. Todo ato sexual normal começa-se com um beijo na boca. Então o simples fato de beijar é no mínimo um pecado de negligência, pois nós não podemos cofiar em nós mesmos e achar que iremos controlar e parar o fogo a hora que quisermos. Isso chama-se presunção. É o mesma coisa que eu entrar em um posto de gasolina com uma tocha em chamas, pode ser que o posto de gasolina não exploda, mas o risco de acontecer uma tragédia é enorme. Fora a questão de mesmo que se o casal consiga sair dessa embrólio, existe o pensamento do homem contaminado, ele que ficou excitado querendo mais, e acaba por muitas vezes caindo no pecado da masturbação que é pecado mortal grave.

Eu tenho que contar um caso que aconteceu comigo, por mais que seja constrangedor, mas é necessário para vocês verem que as ocasiões somadas a esses beijos ardentes levam as almas para a impureza, e a impureza por sua vez ao inferno. Certa vez eu me coloquei em ocasião de pecado, por mais que achasse que não tivesse problema. Estava no meu quarto, sozinho em casa, uma colega minha (uma ocasião), a gente ouvia música sertaneja (duas ocasiões) e então aconteceu que a gente se beijou, e esse beijo foi mais que um beijo, e quase se consuma em um ato sexual. A coisa foi tão feia que até meu crucifixo foi arrancado do meu pescoço. Se quiser pode pegar como um sinal que este pecado nos tira da graça de Deus, nos separa de Cristo. Nos arrependamos para alcançarmos Misericórdia. Confessemos nossos pecados! - Mas o fato é que aquele “quase ato sexual” começou com a ocasião e com o beijo. Não foi apertando a mão, mas sim beijando na boca. Então meus queridos, passemos a viver a pureza de verdade, e paremos de ficar mascarando a nossa impureza. Eu não posso me colocar nessas ocasiões, não é sempre que vai ter uma avó ou seja lá quem for para me livrar de consumar o pecado de uma vez.

Basta você ser sincero, se o beijo não gerasse prazer eu duvido que vocês beijariam no namoro. Digo mais, se o beijo na boca não gerasse prazer – por certo pecaminoso – ninguém “ficaria”. Quer um exemplo? Vocês sabem que nessas festas onde satanás impera (essas festas em geral como por exemplo, bailes funks, sertanejos, boates, etc) os jovens – e até os mais velhos – ficam com várias pessoas em uma mesma noite. Várias pessoas mesmo, cinco, dez, quinze, vinte, até onde conseguir. E depois ficam se gabando jogando na cara dos amigos “eu peguei 10”, outro por sua vez diz “eu peguei 20” e assim por diante. Ora, sinceramente, eu nunca vi ninguém relatar uma festa dessa e se gabar dizendo “eu apertei a mão de dez meninas” e outro diz “isso não é nada, eu apertei a mão de quinze meninas e ainda dei um abraço gentil em 10 moças”. Sabe por que? Por que aperto de mão, abraço casto, isso não gera prazer sexual. E é triste ver muitos jovens achando que são os mais castos do mundo, só porque não transaram antes do casamento, mas fazem a mesma coisa que fazem quem tem se prostituído de festa em festa. Ora, muitos que estão “ficando” com todo mundo nas festas não estão chegando ao ato sexual consumado. Então qual a diferença do namoro do mundão para o de muitos católicos pervertidos? Ouvi uma pregação de um pregador muito bom, mas que ele acabou por falar uma besteira, mas que acabou servindo para confimar que no meu namoro não pode estar presente o beijo na boca porque se não será a minha ida para o inferno. E sinceramente, eu quero viver a pureza no meu estado de vida porque eu quero ser conduzido pela Virgem Maria para o Céu. Mas enfim, dizia esse pregador, se achando por ter casado virgem, e dizia das lutas – que de fato existe e não são poucas – e dizia que ficava só com a namorada, pois a sogra saía para os deixar a vontade – o sogra sem discernimento! - e eles no beijo, no calor, quase caíam na fornicação, ele corria pra jogar gelo na cueca. Ele pegava em tudo quanto era lugar, e acabou uma vez pegando na coxa da sogra... Enfim, eu fiquei pé atrás com ele, mas se olharmos para outro lado foi bom ouvir isso, afinal dá para vermos que se eles não estivessem se agarrando não teriam ficado em chamas, sendo necessário tantas corridas. Não dá para ser presunçoso ao ponto de achar que eu agarro, eu pego nas partes do corpo do outro, mas não vou transar porque sei me controlar, isso não existe, só o se colocar em pecado com conhecimento de causa, já é um pecado enorme.

Tomem muito cuidado jovens. Muito cuidado. Se vocês não conseguem ficar sem beijar na boca, como conseguiram se segurar para não trair um ao outro no casamento? Lutem! “Ainda não tendes resistido até o sangue na luta contra o pecado” (Hebreus 12,4) Se ainda tem alguma resistência quanto ao “é pecado ou não”, faça por sacrifício, em reparação por tantos que estão na fornicação.

Em vez de ficar se agarrando, consagrem o namoro à Nossa Senhora, e rezem o terço juntos. É melhor rezar do que beijar. “Ah, você deve ser bv” - quem vos escreve já ficou na saída de Missa e na porta de Igreja. Quem vos escreve é um pecador. Então cria vergonha na cara e pare de ficar procurando desculpa para continuar no pecado. “Se eu não viesse e não lhes tivesse falado, não teriam pecado; agora não há desculpa para o seu pecado” (João 15,22)

Fico imaginando um namoro onde o beijo impera, e ambos namoram longamente. Lembro do livro de Santo Afonso Maria de Ligório “Práticas do Amor a Jesus Cristo”, onde se não me engano ele fala que o ideal para o namoro cristão é um ou dois anos. De fato, reconheço que alguns demoram porque deve ter um discernimento. Mas outros acabam sendo sem-vergonhice, afina, se tratando dos prazeres carnais, já tem uma vida de casado, casar pra quê? Os problemas de marido e mulher deixa pra depois. Filhos? Depois... Céu? E ainda quer ir pro Céu. Sim, você vai pro Céu, mas confesse os seus pecados e não tornes a pecar. São Paulo nos fala que tudo me é permitido, mas nem tudo me convém. Te é permitido beijar na boca, mas sinceramente não convém.

Quero encerrar aqui com uma passagem do mesmo São Paulo: “Aos solteiros e às viúvas, digo que lhes é bom se permanecerem assim, como eu. Mas, se não podem guardam a continência, casam-se. É melhor casar do que abrasar-se.” (1Corintios 7,8-9)


A devoção ao Santíssimo Sacramento e a devoção à Santa Mãe não são apenas o melhor caminho, mas na verdade são o único caminho para manter a pureza. Na idade de 20 anos, nada além da comunhão pode manter um coração puro. A castidade não é possível sem a Eucaristia”.
São Filipe Néri



segunda-feira, 1 de julho de 2013

HOMOSSEXUALIDADE NÃO É DOENÇA? E POR ACASO SER HÉTERO E CRISTÃO É? (CIRURGIAS DE MUDANÇA DE SEXO FEITAS PELO SUS)




Salve Maria Imaculada!

Com o Projeto de Decreto Legislativo (PDC 234/2011), intitulado maldosamente pelas mídias como “Cura Gay”, muitos militantes gays tem erguido cartazes e brados dizendo “homossexualismo não é doença”. De fato, se olharmos bem a homossexualidade não é doença, mas é algo comportamental. Aqui neste outro post falo sobre a tal “Cura Gay” (apesar do nome ser desonesto com a real intenção da PDC) mostrando que essa lei quer dar a liberdade para homossexuais que queiram mudar seu comportamento fora da normalidade e da natureza. Mas os mesmos que bradam dizendo que a homossexualidade não é doença, parecem tratar a natureza sexual do ser humano como uma doença (homem e mulher, héteros). Como negar essa realidade ao nos depararmos com a onda de cirurgias de mudança de sexo? Se ser gay não é doença, como dizem, por acaso ser hétero é? Tratam um o pênis como se fosse um tumor. Aparentemente é mais fácil para eles arrancar a natureza pela raiz – veja que aqui estou a falar biologicamente, nem estou citando Bíblia -, do que simplesmente fazer acompanhamento psicológico (os que quiserem) e mudarem seu comportamento. (Leia o texto do link citado aqui e entenda alguns dos motivos que levam o indivíduo a um comportamento homossexual.)

Essas cirurgias de “mudança de sexo” são um absurdo por si mesmas. É uma monstruosidade mutilar o próprio corpo para não se esforçar em ser aquilo que biologicamente ele é. E também tem o fato da construção – muitas vezes métodos experimentais – de construção de órgãos do sexo oposto (no caso construção de pênis para mulheres que querem ser “homens”). Mas a coisa fica mais absurda ainda quando tais cirurgias são financiadas pelo SUS. Sim meus queridos leitores, este absurdo é feito pelo Sistema Único de Saúde. O seu dinheiro, o dinheiro suado que você ganha e manda para o Governo, é usado para fazer este tipo de cirurgia. Um psicólogo não pode tratar um homossexual para ajudá-lo a mudar seu comportamento, porque “homossexualidade” não é doença; mas estes mesmos esquerdistas tratam a natureza biológica do ser humano como doença. Essa cirurgia não deveria nem existir, pois é uma atrocidade. Mas infelizmente existe. Mas não deveria ser feita pelo SUS. É um absurdo isso. Muitas vezes é difícil conseguir cirurgia para retirar um tumor maligno; mas é fácil ver os médicos e hospitais que deveriam estar tratando as mazelas da sociedade, arrancando a genitália, para garantir os caprichos de um povo doente espiritualmente e que vive em crise de identidade. Que não tem amor próprio.

Queria entender o porquê este tipo de cirurgia é financiada pelo Governo. Afinal, lembremos das palavras deles: homossexualidade não é doença. Se eles dizem que já nasceram assim, porque precisam de cirurgia? Fico imaginando como se tornará daqui pra frente... O dinheiro que seria para o tratamento de doenças de verdade, é usado para este absurdo. Vemos os vários hospitais lotados, sem equipamento, sem médicos – porque estes muitas vezes não aceitam o trabalho na rede pública pela falta de equipamento -, sem enfermeiros, sem atendimento humano... Mas relaxa, a virose, a bronquite, pneumonia, câncer, etc., não poderá ser tratado no momento, mas se o João quiser virar Joana, terá todo atendimento necessário, todo custo pago pelo governo. O que? Você tem parentes em estado de doença terminal? Bom, o SUS não pode te ajudar, mas se seu parente tiver querendo mudar de sexo “o Dilmão te ajuda 'mermão'”.

O povo é tão maluco de um jeito, que ao ler sobre o assunto no “Portal da Saúde” do Governo, eu me deparo com algumas frases toscas e ABSURDAS. Citarei uma. Diz o Portal: Qualquer cidadão que procure o sistema de saúde público, apresentando a queixa de incompatibilidade entre o sexo anatômico e o sentimento de pertencimento ao sexo oposto ao do nascimento, tem o direito ao atendimento humanizado, acolhedor e livre de qualquer discriminação.” Deu pra ver o tamanho da imbecilização do Sistema de Saúde do país? Pra “mudar de sexo” o cara precisa apresentar QUEIXAS de INCOMPATIBILIDADE entre o sexo que ele nasceu e ao que ele acha que é. Traduzindo: O cara nasce homem, mas ele se acha mulher, e tem atração sexual por homens; com isso o cidadão pode dizer “A loka, eu quero ser muié, paga ae Dilmão”. Aí o Governo caridosamente vai atender o "coitadinho" porque ele não pode conviver assim. Afinal, ele que nasceu errado, o SENTIMENTO e o comportamento tem mais razão do que o óbvio: ele é homem. Por que dei esse exemplo simples e “grosseiro”? Por que se o mesmo cidadão, com os mesmos problemas, quiser assumir sua natureza, e pedir ajuda psicológica para mudar seu COMPORTAMENTO e seu sentimento, ele não pode, porque é discriminação. Pode isso? Dois pesos e duas medidas. Você só tem liberdade nesse país se você se unir aos planos esquerdistas. E nesse caso é uma atrocidade contra o homossexual. Analisa comigo: o próprio Portal da Saúde cita incompatibilidade entre SENTIMENTO e o sexo que ela tem. É achismo. Ele acha que é gay, ele acha que quer ser mulher. Amanhã pode mudar. E com a cirurgia... Trágico! Para ficar mais claro pense no seguinte: para o cidadão fazer a cirurgia de mudança de sexo ele fará por algum tempo acompanhamento psicológico – pra ser mais gay do que você é você pode procurar psicólogo, pra ter comportamento heterossexual não (absurdo, sim ou claro?) - se submeterá a uma cirurgia que como toda cirurgia tem seus riscos, pode ter problemas; após a cirurgia ele passará por mais acompanhamentos psicológicos (sim, pra ser mais gay quanto mais psicólogos melhor, pra deixar de ser gay quanto mais cadeia pra “homofóbico” melhor). Já se ele quisesse fazer acompanhamento psicológico para mudar seu comportamento homossexual, seria mais simples, fácil, e sem atrocidades. Fora que em suma não teria gastos monstruosos do Governo. Mudar uma mentalidade corrompida gasta menos que mudar um sexo.

Você pode até mudar seu sexo esteticamente falando. Mas não mudará o que de fato você é. Sempre virá a lembrança de que aquele que hoje se diz mulher, era homem, e o que se diz homem, era mulher. Sempre vai ter esse peso. Essa história de que o comportamento sexual é meramente uma conduta social, que é a cultura que impõe é balela. Leia aqui um caso que acabou em tragédia: um garoto foi criado como menina após em sua tenra idade em um acidente terem amputado seu pênis. Ele sempre achou que fosse menina, enquanto biologicamente era homem. Veja que ele foi criado como menina, tinha sido construído órgão feminino, e nunca lhe contaram que ele nasceu homem. Sua natureza masculina apareceu mais tarde. Os pais contaram a verdade, ele ficou irritado, ainda conseguiu reconstruir um pênis, se casou, mas o trauma gerado por essa farsa de ele ser homem e ser criado como mulher foi tão grande que acabou cometendo suicídio. Isso a mídia e os militantes gays não falam! Agora imagine uma pessoa que sempre soube do seu real sexo. O trauma é grande. E aí será usado mais e mais psicólogos. Será que a mudança de sexo é a solução? Até porque se a gente prestar atenção, a maioria de travestis que desejam tais cirurgias vivem na prostituição vendendo seus corpos. Acho que o Governo está com valores invertidos. Para ele (governo) é melhor jogar lenha na fogueira e gastar com tratamentos para evitar a perca do comportamento homossexual, tratar doenças sexualmente transmissíveis, etc., do que simplesmente derrubar uma resolução do Conselho de Psicologia que proíbe gays de procurarem ajuda psicológica.

Acho que os verdadeiros doentes são estes que apoiam os absurdos deste Governo socialista. O triste é ver que tem muito homossexual que apoia esse povo que só quer colocar mais ainda os gays em situação de degradação e de promiscuidade. A Igreja sempre acolheu os homossexuais chamando-os a viverem a castidade. Vem projetos de lei como o citado aqui que querem dar liberdade para os homossexuais a curarem seus traumas. Mas o bom mesmo são os pseudo defensores da causa gay que querem os gays cada vez mais promíscuos e pecadores (vide parada gay). Você que é homossexual e quer buscar uma ajuda, um aconselhamento, eu indico este apostolado que chega ao Brasil: Courage! Conheça-o antes de julgar. Não vai ser preconceituoso, não é?

Que a Virgem Maria interceda pelo Brasil, e que assim seja derrubada esta onda de imoralidade reinante. Que o Imaculado Coração de Maria Santíssima triunfe no Brasil. E que todos nós vivamos a santidade. Consagra-te à Virgem Maria, e verás que com o amor da nossa Mãe Imaculada tudo pode ser mudado, se você crer. “Tudo é possível ao que crê” (Marcos 9,23)


Salve Maria Imaculada!