quarta-feira, 19 de junho de 2013

POR QUÊ TANTO REBULIÇO COM A “CURA GAY”?



Salve Maria Imaculada!

Em meio a projetos de lei bizarros e sem nada que acrescente positivamente para o nosso país, tais como a “legalização da prostituição”, existem projetos que são polêmicos, mas não bizarros, mas que ao mesmo tempo existe uma casta de gente ignorante que não quer ver a sua real função. É o caso da conhecida “Cura Gay”. Muita gente da imprensa está tão vendida para o lobby gay, que viram grandes críticos deste projeto de lei. Fazem os gays aparecerem como coitadinhos, e fazem de quem apoia o projeto, ou melhor, quem é contra a “ditadura gay”, virar um demônio perante a sociedade “pacífica” e “acolhedora”.

Só que vemos uma imprensa que é taxativa ao falar do homossexualismo. Para a imprensa esquerdista o homossexual nasceu assim, tem que ser feliz como bem quiser, ninguém tem nada a ver com isso, e quem discorda da cultura homossexual é um preconceituoso homofóbico. Só que essa mesma imprensa esquece de dizer que não existe NENHUMA prova científica que o homossexual nasce assim. Essa imprensa esquece inclusive de dizer que EXISTE VÁRIAS PESQUISAS QUE PROVAM A MUDANÇA DO COMPORTAMENTO DO HOMOSSEXUAL. Ou seja, que um homossexual pode sim mudar seu comportamento e passar a se ver e a viver como hétero, POR LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE. Agora mostrar provas que é impossível mudar este comportamento e/ou que o gay já nasce assim, eles não mostram... Porque não existe! Todos sabem que até os anos 90 a homossexualidade era tratada como doença, e era feito tratamentos psicológicos. Por que parou? Bom, parou de a tratar como doença, porque os Conselhos de Psicologias mundo a fora, vendidos pra nova ordem mundial, acabaram dizendo que não existia estudos (apesar de haver tratamento) que comprovasse. Mas hoje vemos que não é bem assim,

Mas voltando a lei da “cura gay”, nós vemos a incapacidade dos próprios gayzistas de viverem em diferença. Não sabem viver em sociedade. Este projeto de lei prevê a derrubada de impedimentos de psicólogos no Brasil tratem homossexuais que desejem deixar a homossexualidade. Simples assim. Os gayzistas clamam por um país livre, sem preconceitos, mas eles mesmo são preconceituosos com quem tem tendência homossexual e quer viver na castidade ou constituir família e ser feliz como hétero. O projeto de lei não está mandando cientistas fabricarem vacinas e sair vacinando homossexuais para “quetarem o faxo” não. Quer fazer sua prática deplorável, nojenta de sexo anal ou lesbianidade, o problema é seu. A “cura gay” está pouco se lixando pra você. O que a lei quer é permitir que psicólogos capacitados possam tratar homens e mulheres que são profundamente infelizes e traumáticos com seu comportamento sexual desviado. É simples. Parece que o povo é tão idiota útil, mas tão ingênuo, que acha que aprovando a lei vão sair pegando homossexual feito carrocinha pegando cachorro na rua – falando nisso, nunca mais vi carrocinha por aqui – e prender os gays, e forçar os afeminados a serem homens de verdade, e as mulheres macho a virar princesinhas... É ser muito ingênuo, para não dizer outra coisa.

Os psicólogos precisam sim dessa liberdade para trabalhar pelo simples fato de que sofrem retaliações por parte de militantes homossexuais que discordam de gente que joga no time diferente deles. Existem psicólogos espalhados pelo país que estão sendo processados por tais militantes. Mas pergunto: se o cara vai porque quer ao psicólogo, conta sua vida, a psicóloga o ajuda, o cara se aceita como hétero, passa a ser feliz, casa, constitui família, ONDE ESTÁ O CRIME NISSO? Ele não é livre? A liberdade atinge também esses que querem ser héteros. Chega de psicólogo sendo processado. Chega de estudantes de psicologia que são forçados a compactuarem com a mentalidade gayzista simplesmente para não serem reprovados na faculdade. Chega! Somos, ou não somos um país livre?

Aqueles que quiserem “tratar” a homossexualidade, seja com psicólogos, seja com tratamentos religiosos com discernimento (eu falo aqui oração, discernimento, direção espiritual, e não palhaçadas que se mostram muitas vezes), tem que ter esse direito garantido pelo Estado. O que Jean Wyllys e ninguém da esquerda deste país juntamente com suas imprensas manipuladas irão te dizer é que a maioria dos homossexuais são fabricados por traumas. Muitos gays são fabricados pela família, em especial pelos pais. A criança desde o ventre vai ouvindo os pais dizendo “vai ser menina, vai ser menina...” ai nasce, se decepciona, passa a vida falando que queria uma menina, aí o cara afemina. Ah, isso não existe? Compare um outro caso: o casal tem um filho e está chegando outro. Nasce o segundo filho. O filho mais velho, já com certa consciência, vendo os pais paparicando seu irmão caçula, começa a ficar com inveja, e o que ele faz? Começa a se comportar como um bebê. Quer tomar leite na mamadeira, engatinha, chora, quer ir pro berço, quer comer papinha, quer ser carregado no colo, etc. É comum ver este tipo de situação. Quando os pais começam a tratar a criança HOMEM como mulher, é fato que a criança fica confusa e tende a imitar uma menina. Eu sei de casos que o menino é tão tratado como menina pelos pais, que a criança pede boneca e a mãe vai e compra. Fora aqui os traumas de gente rejeitada, gente que foi abusada sexualmente pelos pais, tios, parentes próximos, conhecidos. Até mesmo na adolescência tem gente que vivia sua heterossexualidade de forma normal e sadia, de repente sofre um abuso, se deprime, se fecha, e começa a ter tendências à homossexualidade. Como sei disso? Procure psicólogos que tratam gente traumatizada, ferida, deprimida, e saberás do que eu falo. Ou melhor, procure um homossexual, analise-o enquanto fala, é fácil notar tristeza, revolta, vitimismo, “ai coitadinho de mim”... Muitas vezes a “cura gay” não vai nem pegar a homossexualidade, mas vai pegar os traumas. Mas, cadê a liberdade?

Nossa Constituição Federal vai dizer o seguinte: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à segurança e à propriedade[...] (Art. 5º)
Mas parece que perante a lei somos homofóbicos de um lado, e coitadinhos oprimidos de outro. Acho que todo mundo tem liberdade, menos que é do contra. A liberdade sexual, no caso a mudança de comportamento sexual, só pode ocorrer se for de hétero para homossexual. Isso não é liberdade. É ditadura, isso sim é o Estado obrigando o povo a concordar com algo que não quer. Apesar de o inciso X do mesmo artigo dizer que é inviolável a intimidade.

O inciso II do mesmo artigo da Constituição também vai dizer que ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei. Mas parece que estão obrigando os gays que querem deixar de ser gays a praticar o pecado. Tenho medo de a homossexualidade virar algo obrigatório nesse país da “liberdade”.

Eu escrevo textos e faço videos contra o gayzismo (também conhecida como “ditadura gay”) porque por enquanto não revogaram o inciso IV do Art. 5º da nossa Constituição: é livre a manifestação de pensamento, sendo vedado o anonimato.

SALVE MARIA IMACULADA! VIVA CRISTO REI!


Um comentário:

  1. Foi um prazer conhecer e seguir seu blog
    falar do amor de Deus é algo contagiante no Mundo de tantas tribulações que vivemos hoje.
    Um lindo louvor toca nossos corações.
    Agradeço por esse blog que é todo amor e carinho a Deus nosso Salvador.
    Um feliz final de semana abraços,Evanir.

    ResponderExcluir