quinta-feira, 13 de junho de 2013

Más celebrações do Batismo e do Matrimônio tem dado brechas pro demônio


“Não deis lugar ao demônio”(Efésios 4,27)
Salve Maria Imaculada!
Tenho observado um fenômeno que não é tão novo, mas que tem se tornado bem comum nesses dias de arrefecimento da fé. Nesta cultura do relativismo até os sacramentos estão sendo porta de entrada de satanás na vida das pessoas. Não falo do sacramento em si. Falo especificamente da forma com que as pessoas recebem tais sacramentos. Começa com o pleno desconhecimento sobre os sacramentos, falta de fé, falta de vergonha na cara, falta de conversão... O fato é que, sabemos com o exemplo da Eucaristia, que quem come a Carne do Senhor Jesus e bebe Seu preciosíssimo Sangue indignamente, é culpado do Corpo e do Sangue do Senhor e come e bebe sua própria condenação (cf. 1Corintios 11,17-34). Da mesma forma, com outros sacramentos, como o Batismo e o Matrimônio, as pessoas estão se auto condenando. Seja por despreparo, impiedade, e mesmo profanação.

Comecemos pelo exemplo do Batismo. O Batismo consiste em nos arrancar das garras de satanás e nos tornar filhos de Deus. Somos filhos no Filho, ou seja, filhos de Deus Pai pelos méritos de Jesus Cristo que nos redimiu com Sua Cruz. Quando somos Batizados acontece este grandioso milagre. Todos os pecados são apagados, seja mortal ou venial (mas vale lembrar que só se pode ser Batizado uma única vez, uma vez batizado, pra sempre Filho de Deus). O Batismo é motivo de júbilo. Ainda mais quando os pais batizam seus filhos o quanto antes, desde cedo já entregues nas mãos do Senhor. Mas o que tem sido feito com este belíssimo Sacramento nos dias de hoje? Nós vemos a realização do Batismo ser tornada numa verdadeira profanação. Primeiro que os pais muitas vezes não são instruídos, são despreparados, ignorantes, muitas vezes nem sequer frequentam a Igreja. Aí vão batizar os seus filhos. Prometem o que não pretendem cumprir, ou seja, prometem que vão educar os filhos na verdadeira fé. Talvez na mesma semana a criança já seja levada em uma “benzedeira” para os demônios já terem acesso a criança. Mas vamos adiante... Os padrinhos são como os pais: sem fé, não frequentam a Igreja, são assíduos em grandes pecados. Muitas vezes os padrinhos são escolhidos pela condição financeira para dar presentes para a criança – e para os pais, porquê não? - ou mesmo pela amizade. Mas nunca pela fé da pessoa. Devemos lembrar que os padrinhos são os substitutos dos pais, aliás, os padrinhos são as pessoas que devem auxiliar os pais na educação religiosa do filho. Vai dizer o Código de Direito Canônico sobre os padrinhos: “Ao batizando, enquanto possível, seja dado um padrinho, a quem cabe acompanhar o batizando adulto na iniciação cristã e, junto com os pais, apresentar ao batismo o batizando criança. Cabe também a ele ajudar que o batizado leve uma vida de acordo com o batismo e cumpra com fidelidade as obrigações inerentes.” (Cân. 872). E vemos isso acontecer? Não. Os padrinhos são escolhidos porque são parentes próximos, amigos de “copo”, companheira de fofoca. E quem mais sofrerá será o jovem batizado, que não terá uma luz, mas verdadeiramente um lobo vestido de padrinho.

Quando a criança é batizada deveríamos de fato nos alegrar, fazer uma festa, comemorar. Eis mais um filho de Deus! Aleluia! No entanto, as pessoas confundem o comemorar com se prostituir. Será que para comemorar um batizado não basta um belo almoço com a família, alegrando-se por este sacramento, pela misericórdia de Deus? Não. Para muita gente batismo é sinônimo de muita cerveja, cachaça da pesada, muita música promíscua – incluindo funk, axé, sertanejo de universitário e de corno, etc. - e as “novinhas” e “véinhas” se esfregando nos “machos”. Essa é a família “cristã” que acaba de ser inserido um filho de Deus pelo batismo. Sei que não é exagero, isso existe. Conheço uma pessoa que vai viajar para presenciar o batismo de sua filha, e o que ele falava antes é que estava doido pra batizar a filha pra fazer uma festa, com muita cachaça com seus “amigos” e toda bagaceira que vocês devem saber. Ora, estão dando lugar ao demônio! Depois o filho vira uma pessoa com distúrbio sexual, vira homossexual, bissexual, prostituta(o), bandido, bate nos pais, e tudo mais, vai dizer que Deus é ruim, mas no dia em que entrega o filho para Deus, convida o demônio para a celebração. Quando fazem do Batismo uma festa mundana, é dar lugar ao demônio, e profanar o Sacramento.

Sobre o que é necessário para ser padrinho de batismo, o Código de Direito Canônico faz um outro alerta no Cân. 874 no parágrafo 3º: “seja católico, confirmado, já tenha recebido o santíssimo sacramento da Eucaristia e leve uma vida de acordo com a fé e o encargo que vai assumir”. Sinceramente? Nem os pais tem vivido uma vida de acordo com a fé e o encargo de pais. Quanto mais muitos padrinhos. “Ah, mas todos pecam”. Sim, e eu peco muito. Só que devemos resistir até o sangue na luta contra o pecado (cf. Hebreus 12,4). E muitos são pecadores convictos, e que não irão educar os nossos filhos na verdadeira fé, mas na prostituição. Uma vez vi uma homem chateado porque ficou sabendo que talvez o padre não o liberaria para ser padrinho de uma criança. Ora, este homem é amancebado há anos, ou seja, vive com uma mulher sem receber o Sacramento do Matrimônio. Não vive uma vida de acordo com a fé, pois a ele está em pecado mortal, deve se casar e confessar. Como ele vai ter moral de dar conselho para um jovem, afilhado seu, dizendo para não se prostituir, para não “juntar”, sendo que ele está no mesmo pecado. “Ah mas eu estou assim pelas circunstâncias, dou o testemunho que não é bom viver assim não...”; Ah, é mesmo? Então me explica se é tão ruim assim, porque você não se casa logo e sai da vida de pecado? Palavras são lindas, mas seu testemunho é que arrastará as pessoas. Tem gente que é “junto” a anos e anos, e não percebe que nunca estão ruim para se separar e nem nunca estão bem para se casar; não conseguem enxergar a ação do demônio que quer que eles fiquem assim, em estado de pecado mortal grave sem poder se confessar e nem comungar: ou seja, inferno direto. Muitos não casam por puro comodismo, orgulho... Mas a falta de testemunho de muitos padrinhos vai além. Além de ser uns “beberrões” tem gente “junta” - como dito – gente de segunda união, gente pagão, gente que nunca pisou na Igreja, homossexuais assumidos (no caso no estilo “eu peco mesmo e a Igreja não tem nada a ver com isso”). Fora os padrinhos e madrinhas que são pervertidos e fazem uso e ensinam a usar camisinhas e anticoncepcionais. Ou seja, além dos pais viverem pouco ou nada da fé católica, colocam praticamente o próprio demônio para ser seus padrinhos, aí quando os filhos vierem a ser a “encarnação” de lúcifer, ficam reclamando com Deus que deu filhos ruins, que permite a maldade, etc e tal. Mas nunca olha que no dia da promessa do batismo, renunciou a satanás por ela e pela criança – pais e padrinhos – e prometeu educar na fé. Mas no mesmo dia fez do sacramento uma via de prostituição.

Da mesma forma acontece com o matrimônio. Fora a escolha dos padrinhos que ocorre quase o mesmo, o matrimônio parece que perdeu o sentido. Muitos vão fazer curso de noivos e quem está dando aula é um demônio. Conheço um rapaz que foi fazer curso de noivos e a vaca que dava o curso estava ensinando o uso de camisinha e anticoncepcionais. A Igreja condena. Fora o fechamento ao dom da vida, os anticoncepcionais são abortivos! Mas aí o que acontece? Muitos não estão nem aí mesmo, e acabam prostituindo desde o início da relação.

Mas falando do dia da celebração do Sacramento do Matrimônio é que vejo o quanto as pessoas tem dado lugar ao demônio! Meu amado Jesus, Misericórdia! O casal vai casar, a nova está as vezes com o vestido que era pra usar na lua-de-mel. Mas tem o detalhe, casam, e da mesma forma que acontece com os pais e padrinhos no batismo, mentem para Deus. Pois prometem acolher os filhos que Deus lhes enviar. Na lua-de-mel usam camisinha e muitas pílulas para evitar que a mulher engravide. Afinal, a lua-de-mel é curta, e filhos não podem atrapalhar na carreira profissional, não é mesmo? Vão ser ótimos profissionais nos quintos dos infernos! Mas segue o casamento, na festa vemos novamente que ninguém celebra a união de um homem e de uma mulher, que agora são uma só carne, que Deus os uniu, e que só a morte o poderá separar. Não olham a beleza do Sacramento, o sacrifício, do amor de Deus e para Deus que está contido no Sacramento do Matrimônio. Não, agora após a festa serão horas de sexo. É isso a visão mundana e distorcida do casamento: preparação pro sexo. As preliminares, digamos assim, ocorre na festa de casamento, com músicas e danças imorais, que fazem todos – que já estão relativamente chapados de bêbados – caírem na onda do pega pega. E tem muita gente que se diz católico que tem feito da festa do seu casamento uma verdadeira boate. Aliás, corrijo-me, boate não, mas uma festa de carnaval, onde todo mundo pega todo mundo, e viva os noivos. Dão lugar ao demônio no próprio dia do casamento. Aí quando separa com uma semana, um mês, o marido se mostra um demônio, a mulher uma piranha, aí o que acontece? Deus é o culpado da história, porque ele permitiu, agora eu quero o divórcio, e aí de quem falar alguma coisa de “casamento” de segunda união, porque o primeiro ou a primeira que passar pela frente boto dentro de casa e viva a liberdade porque Deus é amor. Está certo isso? É claro que não, mas falar de santidade no casamento pra quem fez do casamento não uma brecha, mas um rombo pro demônio entrar... Ainda mais quando o matrimônio, para algumas pessoas, não passa de um rito, algo social, banal, afinal, já tem vida sexual a anos. É belo ver muitos casais que dá o primeiro beijo no dia do casamento. Hoje em dia, muitos que se casam vão ter o primeiro... é, o primeiro o que? Já beijaram, amassaram, transaram, traíram... Espero que tenham o primeiro encontro pessoal com Cristo, e assim possam se converter de verdade e viver a santidade no matrimônio.

Infelizmente tem acontecido isso. Sejam santos de verdade. Paremos de prostituir nossa vida. Estamos profanando os sacramentos com isso. Quem se casa e quem está batizando os filhos deveria no convite dizer que na Igreja e na festa não será permitido entrar com roupa curta. Avisar que não terá bebida, que não terá música do mundo. “Ah mas aí não vai ninguém”. Engano seu. O mais importante irá sim: A Santíssima Trindade estará presente, com toda certeza. E a Trindade se alegrará muito mais com uma Igreja vazia ao celebrar o Sacramento, mas celebrando-o na verdade e com piedade, e festejando a alegria de ter um filho de Deus e uma família, do que está com Igreja e casa cheia com gente na mentira e possuídas pelo pecado, profanando o sacramento. Já vai nos dizer o livro do Apocalipse: “Conheço as tuas obras: não és nem frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente! Mas, como és morno, nem frio nem quente, vou vomitar-te.”(Apocalipse 3,15-16) E como tem gente passando do frio para a mornidão, e do quente para a mornidão. Será vomitados direto pro inferno. A criança que fria é colocada em estado de mornidão. Pais, sejam quentes no fogo do Espírito Santo! Eduquem seus filhos no Senhor! Nossa, no casamento a mesma coisa! Quanta gente tem casado por respeito humano, por capricho. Sei de caso de gente que está com casamento marcado e está com o amante, e ainda manda convite de casamento pro amante, e ainda pede pro amante se mudar pra perto pra ficar mais fácil de “pular a cerca”. Sei disso porque o “amante” em questão é uma pessoa próxima que conheço. E fala na brincadeira, no deboche; mas infelizmente no inferno não haverá tempo para deboches e brincadeiras, mas somente para choros e rangir de dentes (cf. Lucas 13,27). Convertam-se! Pois o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido (cf. Lucas 19,10); mas pra isso é preciso você querer. “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo” (Levítico 19,2).

Lembrando também, no caso de padrinhos, para não deixar em branco, que não é lícito, de acordo com o CDC, dar padrinhos de outra religião (incluindo protestantes) afinal não vivem a fé católica. Se tiver algum documento que diga o contrário, tudo bem, mas pelo CDC não é lícito.

Mas num modo geral, vendo essa grande prostituição – mesmo que não seja só em festas de batismo e casamento, mas mesmo em festas de aniversário, até mesmo de 15 anos de meninas da “Igreja” - quero citar aqui uma passagem bíblica em que São Paulo nos exorta a sair do comodismo e a nos decidir pelo Céu, renunciando a sujeira do pecado que nós tanto queremos continuar infectados. CONVERTAMO-NOS! Segue São Paulo: “Portanto, eis o que digo e conjuro no Senhor: não persistais em viver como os pagãos, que andam à mercê de suas ideias frívolas. Têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de seu coração mantêm-nos afastados da vida de Deus. Indolentes, entregaram-se à dissolução, à prática apaixonada de toda espécie de impureza. Vós, porém, não foi para isto que vos tornastes discípulos de Cristo, se é que o ouvestes e dele aprendestes, como convém à verdade em Jesus. Renunciai à vida passada, despojai-vos do homem velho, corrompido pelas concupiscências enganadoras. Renovai sem cessar o sentimento da vossa alma, e revesti-vos do homem novo, criado à imagem e de Deus, em verdadeira justiça e santidade.” (Efésios 4,17-24)

Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os afeminados, nem os devassos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus. Ao menos alguns de vós têm sido isso. Mas o fotes lavados, mas fotes santificados, mas fotes justificados, em nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito de nosso Deus.” (1Corintios 6,9-11)

Leia também:Gálatas 5,13-26 onde São Paulo reforça mais sobre este assunto.


Salve Maria Imaculada! 

Um comentário:

  1. Tenho uma pergunta:
    E quando acontece de o batismo ser feito por um diácono mal preparado, que pula algumas orações, aparenta ser modernista, simpatiza com o movimento carismático, etc?
    O que é possível fazer neste caso? O padre até estava presente, sentado ao fundo no banco. O diácono não seguiu perfeitamente nem a sequência que estava no livreto de orientação para pais e padrinhos.
    O batismo foi válido?
    Agradeço se puderem dar-me uma luz.
    Um abraço e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir