quinta-feira, 27 de junho de 2013

A nossa sagrada família

Seus pais iam todos os anos a Jerusalém para a festa da Páscoa. Tendo ele atingido doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume da festa. Acabados os dias da festa, quando voltava, ficou o menino Jesus em Jerusalém, sem que os seus pais o percebessem. Pensando que ele estivesse com os seus companheiros de comitiva, andaram caminhando de um dia e o buscaram entre os parentes e conhecidos. Mas não o encontrando, voltaram a Jerusalém, à procura dele. Três dias depois o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. Todos os que o ouviam estavam maravilhados da sabedoria de suas respostas. Quando eles o viram, ficaram admirados. E sua mãe disse-lhe: 'Meu filho, que nos fizeste?! Eis que teu pai e eu andávamos à tua procura, cheios de aflição'. Eles, porém, não compreenderam o que ele lhes dissera. Em seguida, desceu com eles a Nazaré e lhes era submisso. Sua mãe guardava todas essas coisas no seu coração. E Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens”. (São Lucas 2,41-52)

Este é dos textos mais espetaculares da Sagrada Escritura. Um belo texto para abordar o tema família, e comparar a Sagrada Família com a nossa família (ou o que restou dela). Ao ler este texto eu vejo como era família de Jesus.

A família talvez seja o que satanás mais tem atacado. Sem família não há Igreja. Por isso a família é chamada “igreja doméstica”. Se um casal (casal mesmo, ou seja, CASADOS) não tiver filhos, então cadê os padres, religiosos(as), fundadores, pregadores, gente que serve nas mínimas coisas...? Parece que nós perdemos a noção da principal função do matrimônio: dar filhos para Deus. Mas e aqueles que não conseguem ter filhos? Os que NÃO CONSEGUEM, tem uma graça chamada de reparação, ou seja, se realmente casaram por amor a Deus que lhe deu essa vocação, unem a dor de não ter filhos à Cruz de Cristo e fazem disso uma penitência. Mas hoje a família tem sido tão deteriorada que chega a dar dó. Mas se chamam a família de “igreja doméstica”, eu mantenho as esperanças, porque as portas do inferno não prevalecem contra a Igreja Católica (cf. Mateus 16,18-19), e há de restar ao menos uma família no mundo para imitar a Sagrada Família.

Neste texto bíblico que lemos no início deste post, nós vemos algo maravilhoso: Nossa Senhora, São José e Jesus foram para Jerusalém para participar da festa da Páscoa. Vale ressaltar outra coisa: São Lucas no versículo 41 diz que Nossa Senhora e São José iam TODOS OS ANOS para a festa da páscoa. Mas, ao voltar para casa, acontece que Jesus “se perde”, e quando O procuram, Ele está no Templo discutindo com os doutores. Peço que você faça uma reflexão com este fato ocorrido com a Sagrada Família. Maria Santíssima e José iam todos os anos para a festa da Páscoa. E você, tem frequentado o templo sempre? Nós vemos que hoje em dia as pessoas estão cada vez mais se afastando da casa de Deus. Você tem ido para à Santa Missa todos os domingos como é o preceito? Claro, sabemos que quem falta a Missa ao domingo (aqueles que podem ir; aqui fica fora do pecado mortal quem mora onde tem padres e não tem como se deslocar a outro local), mas você tem ido, e ido com amor? Você tem levado teus filhos junto? Óh, como se faz necessário voltar ao costume de ir para o Santo Sacrifício da Missa em família!

Nós vimos que Nossa Senhora e São José procuravam por Jesus e não o achavam. Mas Jesus é Deus, mas na sua parte humana (pois Ele se encarnou e assim adquiriu duas naturezas, ou seja, é a encarnação de Deus) foi muito bem educado. E você, perdeu seu filho ou sua filha? Onde ele está? Talvez você tenha se desligado, e quando foi procurar, talvez você tenha encontrado teu filho e tua filha nas drogas, na prostituição, nos bailes da vida, nas esquinas, sendo um lixo. Afundado na miséria, na maldição, no lamaçal do pecado. Talvez tua descendência seja uma vergonha para você. No entanto, será que a culpa foi dos seus filhos “rebeldes” que quando você foi tentar tirá-los da vida depravada bateram no seu rosto e mandaram você parar de atazanar porque eles querem “curtir a vida”? Na Sagrada Família de Nazaré não existia o pecado, mas você pode muito bem comparar com a sua. Você se pergunta: onde eu errei? E comece a ler o texto bíblico acima escrito que talvez você encontre seu possível erro. Deus estava presente na vida da Sagrada Família. Não só falando da encarnação de Jesus, mas na vida cotidiana de oração. Eles visitavam o templo, conheciam a Palavra de Deus. E você? Batizou teu filho logo que nasceu ou ficou – quem sabe fica - enrolando? Quando ele falava palavrão ou fazia besteira você corrigia ou ficava rindo achando lindo? A sua casa era um Cenáculo com Nossa Senhora, rezando o terço, ou era nada mais nada menos do que um prostíbulo com muitos dias de forró, churrasco, cerveja, e bagaceira? Aliás, sua casa pode até ter sido tranquila em relação a festas. Mas e em relação a espiritualidade? Você levava seus filhos para a Missa com você? Talvez ficou com vergonha com a bagunça que ele fazia. Mas é assim mesmo, as vezes filho se comporta na Igreja da mesma forma que é educado em casa, no caso aqui quero falar que a criança quase não vai pra Igreja que quando vai faz “baderna”. Ela não é acostumada ao ambiente. Mas quero dar coragem, com bagunça ou sem bagunça, eduque seu filho, mas leve-o pra Igreja. O Padre Gabriele Amorth, exorcista oficial de Roma, fala que mesmo que o filho seja “danado” deve ser levado para a Igreja pois aí satanás tem menos chance pra influenciar ele mais tarde. E hoje as crianças são demoradas a ser batizadas, vão pra catequese quando quer e de qualquer jeito, e depois não vivem nada. Ou vocês acham que é só por culpa da fraca catequese brasileira que os jovens deixam de ir pra Igreja após crismarem? Além disso vem a falta de testemunho dos pais, eles até ouvem falar algo correto da família, mas não veem nada disso na casa que vivem, porque os pais brigam direto, não reza um terço, não vão à Missa... Filho de morno, morninho é (a não ser que a graça de Deus intervenha).

Precisamos voltar a este santo costume de rezar o terço em família. Confesso que não tenho esse costume na minha casa. Mas quero aos poucos começar. Família que reza unida permanece unida. Eu vejo como é belo o testemunho de pessoas que rezavam o terço em família. Minha mãe conta do meu avô que quando dava a hora de rezar o terço reuniam a todos e rezavam. Até ouvir a Missa pelo Rádio era sagrado e era respeitado. Hoje vejo que quem não seguiu a Deus nessa família foi porque não quis, porque teve exemplo. Ouvi um padre falando que seu pai chegava em casa 23:00h e ele, juntamente com sua mãe e seus irmãos, esperavam para em família rezar o terço. O pai chegava cansado, mas rezavam! Hoje ele é padre. Por isso nós vemos que o testemunho tem arrastado as pessoas. Muitos até tiveram maus exemplos familiares, e dizem que vai ser diferente. Dizem essas pessoas: vou casar e vai ser pra sempre, sem divórcio, boa educação, meus filhos vão obedecer, etc. Só que se esquecem de fazer o que os antigos faziam: rezar! Se você quer ter uma família santa sem rezar em família, procura outra coisa, vire celibatário, pois vai dar errado. Os filhos obedecem os pais quando veem que os pais obedecem à Deus. Se você for temente a Deus, teu filho vai te respeitar como autoridade de pai e mãe e vai amar a Deus sobre todas as coisas, olhando isso em vocês. Agora, perdoe-me, se ele vê um casal que vive “entre tapas e beijos, é ódio é desejo” isso aí é loucura, e vai dar problema. Problemas terão, algumas brigas, desentendimentos, mas se a oração for eterna as portas do inferno nunca prevaleceram contra a família.

Quando Nossa Senhora e José encontram Jesus no templo, Jesus diz: Por que me procuráveis? Não sabíeis que devo ocupar-me da coisas de meu Pai?”. Isso não é desaforo, isso é elogio. Primeiro porque Jesus não pecou, e se ele tivesse sido desaforado Ele teria pecado contra o mandamento que nos diz para honrar pai e mãe. É como se Jesus dissesse: Eu estou na Igreja, Mãe, Tu amou a Deus mais que tudo na vida, a Senhora amou, obedeceu, rezou... Pai querido, meu pai adotivo, que tanto cuida de mim, vejo que me cuida obedecendo a Deus, sendo fiel na tua missão. Não vês que devo estar na casa de meu Pai porque também assim vocês me ensinaram? Minha família é cheia de Deus, e assim vejo que devo estar mais próxima do Pai.... - E o teu filho, tem falado o mesmo que poderia ter dito Jesus? Como seria bom ver os filhos dizendo: Pai, mãe, porquê me procuráveis nas bocas de fumo, nas baladas, nos prostíbulos, não vistes que vós me direcionastes para a verdadeira felicidade que é Jesus? - Mas, infelizmente, em toda família onde não se reza, membro por membro tem caído. Pra onde estamos direcionando nossos filhos?

É bom lembrar que talvez você direcione seus filhos para o Céu. Sabemos que no mundo de hoje as crianças são seduzidas pelo mundo desde cedo. Um rapaz me disse que seu filho (de mais ou menos 9 anos) foi abordado por outras crianças lhe oferecendo droga. Este recusou. Mas muitas vezes a criança na inocência acaba aceitando. Os pais não podem acompanhar seus filhos na escola, ficar 24h colado. Em casa pode ser um santo, mas na escola existem maus exemplos que podem sufocar nossos bons meninos. Falo isso porque pode ser que alguém tenha um filho ou uma filha que está vivendo em pecado, “perdido”, e diz que fez de tudo pro seu filho e sua filha ser um homem e uma mulher de Deus. De fato, fez isso. Mas lembre-se que o mundo sufoca. Seja fiél. Deus é todo poderoso e pode resgatar. Você que não pode estar 24h com seu filho, entregue-o para quem pode: pede a Nossa Senhora que é nossa Mãe para que cuide de nossa família.

Acordemos para a educação de nossos filhos. Não troquemos a educação dos filhos por dinheiro. Quantos filhos entram no mundo das drogas por não ter amor em casa, porque o pai e a mãe até ama, mas com 6 meses a criança já foi largada do “peito de mãe”, jogada numa creche ou na casa da avó ou mesmo de alguma conhecida, logo vem o “Jardim” e desde os 3 anos é enfiado nessas escolas. Filhos sendo educados pelo Estado, porque o pai e principalmente a mãe quer trabalhar em período integral, deixando os filhos jogados em escolas, enquanto o que é necessário é a mãe. E quando estão juntos, um cai morto no sofá, a mãe vai fazer alguma coisa na cozinha, arrumar o que tem que ser arrumado na casa. Mas relaxa, o computador e os iphones da vida vão suprir todo amor e carinho que devia vim principalmente da mãe. Relaxa, o que faltar nesses eletrônicos, os falsos amigos e substâncias químicas darão jeito. Se não prestarmos atenção nos primeiros passos, nas primeiras palavras, talvez tenhamos a (des) graça de ver o primeiro coma alcoólico.

Sabemos também que muitas vezes a família como um todo está flagelada. E muitas vezes são os filhos que após um encontro pessoal com Cristo passam a resgatar suas famílias. Não desistamos. Se teu pai ou tua mãe vive em pecado, seja fiel. A salvação da tua casa passa pela tua vida. O teu exemplo conquistará teus pais, teus irmãos, teus tios, teus primos, toda a tua família para o Coração de Jesus.

O segredo é ser como Jesus: obediente. Obediente à Igreja e a Deus. Sejamos submissos à Virgem Maria, consagra a tua vida à Nossa Senhora. Digamos com convicção e com autoridade: Jesus, Maria e José, minha família Vossa é! Hoje pode estar longe de Deus, mas hoje mesmo essa família é Vossa Jesus, Maria e José, toma conta dessa família! Talvez você não compreenda. Mas no fim tudo fará sentido. Não desista da sua família. Se você desistir, toda a sua família cairá junto contigo. Creia! Crê no Senhor Jesus e serás salvo,tu e a tua casa. (Atos 16:31)

REZE O TERÇO EM FAMÍLIA TODOS OS DIAS!

SALVE MARIA IMACULADA!

quarta-feira, 19 de junho de 2013

POR QUÊ TANTO REBULIÇO COM A “CURA GAY”?



Salve Maria Imaculada!

Em meio a projetos de lei bizarros e sem nada que acrescente positivamente para o nosso país, tais como a “legalização da prostituição”, existem projetos que são polêmicos, mas não bizarros, mas que ao mesmo tempo existe uma casta de gente ignorante que não quer ver a sua real função. É o caso da conhecida “Cura Gay”. Muita gente da imprensa está tão vendida para o lobby gay, que viram grandes críticos deste projeto de lei. Fazem os gays aparecerem como coitadinhos, e fazem de quem apoia o projeto, ou melhor, quem é contra a “ditadura gay”, virar um demônio perante a sociedade “pacífica” e “acolhedora”.

Só que vemos uma imprensa que é taxativa ao falar do homossexualismo. Para a imprensa esquerdista o homossexual nasceu assim, tem que ser feliz como bem quiser, ninguém tem nada a ver com isso, e quem discorda da cultura homossexual é um preconceituoso homofóbico. Só que essa mesma imprensa esquece de dizer que não existe NENHUMA prova científica que o homossexual nasce assim. Essa imprensa esquece inclusive de dizer que EXISTE VÁRIAS PESQUISAS QUE PROVAM A MUDANÇA DO COMPORTAMENTO DO HOMOSSEXUAL. Ou seja, que um homossexual pode sim mudar seu comportamento e passar a se ver e a viver como hétero, POR LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE. Agora mostrar provas que é impossível mudar este comportamento e/ou que o gay já nasce assim, eles não mostram... Porque não existe! Todos sabem que até os anos 90 a homossexualidade era tratada como doença, e era feito tratamentos psicológicos. Por que parou? Bom, parou de a tratar como doença, porque os Conselhos de Psicologias mundo a fora, vendidos pra nova ordem mundial, acabaram dizendo que não existia estudos (apesar de haver tratamento) que comprovasse. Mas hoje vemos que não é bem assim,

Mas voltando a lei da “cura gay”, nós vemos a incapacidade dos próprios gayzistas de viverem em diferença. Não sabem viver em sociedade. Este projeto de lei prevê a derrubada de impedimentos de psicólogos no Brasil tratem homossexuais que desejem deixar a homossexualidade. Simples assim. Os gayzistas clamam por um país livre, sem preconceitos, mas eles mesmo são preconceituosos com quem tem tendência homossexual e quer viver na castidade ou constituir família e ser feliz como hétero. O projeto de lei não está mandando cientistas fabricarem vacinas e sair vacinando homossexuais para “quetarem o faxo” não. Quer fazer sua prática deplorável, nojenta de sexo anal ou lesbianidade, o problema é seu. A “cura gay” está pouco se lixando pra você. O que a lei quer é permitir que psicólogos capacitados possam tratar homens e mulheres que são profundamente infelizes e traumáticos com seu comportamento sexual desviado. É simples. Parece que o povo é tão idiota útil, mas tão ingênuo, que acha que aprovando a lei vão sair pegando homossexual feito carrocinha pegando cachorro na rua – falando nisso, nunca mais vi carrocinha por aqui – e prender os gays, e forçar os afeminados a serem homens de verdade, e as mulheres macho a virar princesinhas... É ser muito ingênuo, para não dizer outra coisa.

Os psicólogos precisam sim dessa liberdade para trabalhar pelo simples fato de que sofrem retaliações por parte de militantes homossexuais que discordam de gente que joga no time diferente deles. Existem psicólogos espalhados pelo país que estão sendo processados por tais militantes. Mas pergunto: se o cara vai porque quer ao psicólogo, conta sua vida, a psicóloga o ajuda, o cara se aceita como hétero, passa a ser feliz, casa, constitui família, ONDE ESTÁ O CRIME NISSO? Ele não é livre? A liberdade atinge também esses que querem ser héteros. Chega de psicólogo sendo processado. Chega de estudantes de psicologia que são forçados a compactuarem com a mentalidade gayzista simplesmente para não serem reprovados na faculdade. Chega! Somos, ou não somos um país livre?

Aqueles que quiserem “tratar” a homossexualidade, seja com psicólogos, seja com tratamentos religiosos com discernimento (eu falo aqui oração, discernimento, direção espiritual, e não palhaçadas que se mostram muitas vezes), tem que ter esse direito garantido pelo Estado. O que Jean Wyllys e ninguém da esquerda deste país juntamente com suas imprensas manipuladas irão te dizer é que a maioria dos homossexuais são fabricados por traumas. Muitos gays são fabricados pela família, em especial pelos pais. A criança desde o ventre vai ouvindo os pais dizendo “vai ser menina, vai ser menina...” ai nasce, se decepciona, passa a vida falando que queria uma menina, aí o cara afemina. Ah, isso não existe? Compare um outro caso: o casal tem um filho e está chegando outro. Nasce o segundo filho. O filho mais velho, já com certa consciência, vendo os pais paparicando seu irmão caçula, começa a ficar com inveja, e o que ele faz? Começa a se comportar como um bebê. Quer tomar leite na mamadeira, engatinha, chora, quer ir pro berço, quer comer papinha, quer ser carregado no colo, etc. É comum ver este tipo de situação. Quando os pais começam a tratar a criança HOMEM como mulher, é fato que a criança fica confusa e tende a imitar uma menina. Eu sei de casos que o menino é tão tratado como menina pelos pais, que a criança pede boneca e a mãe vai e compra. Fora aqui os traumas de gente rejeitada, gente que foi abusada sexualmente pelos pais, tios, parentes próximos, conhecidos. Até mesmo na adolescência tem gente que vivia sua heterossexualidade de forma normal e sadia, de repente sofre um abuso, se deprime, se fecha, e começa a ter tendências à homossexualidade. Como sei disso? Procure psicólogos que tratam gente traumatizada, ferida, deprimida, e saberás do que eu falo. Ou melhor, procure um homossexual, analise-o enquanto fala, é fácil notar tristeza, revolta, vitimismo, “ai coitadinho de mim”... Muitas vezes a “cura gay” não vai nem pegar a homossexualidade, mas vai pegar os traumas. Mas, cadê a liberdade?

Nossa Constituição Federal vai dizer o seguinte: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à segurança e à propriedade[...] (Art. 5º)
Mas parece que perante a lei somos homofóbicos de um lado, e coitadinhos oprimidos de outro. Acho que todo mundo tem liberdade, menos que é do contra. A liberdade sexual, no caso a mudança de comportamento sexual, só pode ocorrer se for de hétero para homossexual. Isso não é liberdade. É ditadura, isso sim é o Estado obrigando o povo a concordar com algo que não quer. Apesar de o inciso X do mesmo artigo dizer que é inviolável a intimidade.

O inciso II do mesmo artigo da Constituição também vai dizer que ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei. Mas parece que estão obrigando os gays que querem deixar de ser gays a praticar o pecado. Tenho medo de a homossexualidade virar algo obrigatório nesse país da “liberdade”.

Eu escrevo textos e faço videos contra o gayzismo (também conhecida como “ditadura gay”) porque por enquanto não revogaram o inciso IV do Art. 5º da nossa Constituição: é livre a manifestação de pensamento, sendo vedado o anonimato.

SALVE MARIA IMACULADA! VIVA CRISTO REI!


quinta-feira, 13 de junho de 2013

Más celebrações do Batismo e do Matrimônio tem dado brechas pro demônio


“Não deis lugar ao demônio”(Efésios 4,27)
Salve Maria Imaculada!
Tenho observado um fenômeno que não é tão novo, mas que tem se tornado bem comum nesses dias de arrefecimento da fé. Nesta cultura do relativismo até os sacramentos estão sendo porta de entrada de satanás na vida das pessoas. Não falo do sacramento em si. Falo especificamente da forma com que as pessoas recebem tais sacramentos. Começa com o pleno desconhecimento sobre os sacramentos, falta de fé, falta de vergonha na cara, falta de conversão... O fato é que, sabemos com o exemplo da Eucaristia, que quem come a Carne do Senhor Jesus e bebe Seu preciosíssimo Sangue indignamente, é culpado do Corpo e do Sangue do Senhor e come e bebe sua própria condenação (cf. 1Corintios 11,17-34). Da mesma forma, com outros sacramentos, como o Batismo e o Matrimônio, as pessoas estão se auto condenando. Seja por despreparo, impiedade, e mesmo profanação.

Comecemos pelo exemplo do Batismo. O Batismo consiste em nos arrancar das garras de satanás e nos tornar filhos de Deus. Somos filhos no Filho, ou seja, filhos de Deus Pai pelos méritos de Jesus Cristo que nos redimiu com Sua Cruz. Quando somos Batizados acontece este grandioso milagre. Todos os pecados são apagados, seja mortal ou venial (mas vale lembrar que só se pode ser Batizado uma única vez, uma vez batizado, pra sempre Filho de Deus). O Batismo é motivo de júbilo. Ainda mais quando os pais batizam seus filhos o quanto antes, desde cedo já entregues nas mãos do Senhor. Mas o que tem sido feito com este belíssimo Sacramento nos dias de hoje? Nós vemos a realização do Batismo ser tornada numa verdadeira profanação. Primeiro que os pais muitas vezes não são instruídos, são despreparados, ignorantes, muitas vezes nem sequer frequentam a Igreja. Aí vão batizar os seus filhos. Prometem o que não pretendem cumprir, ou seja, prometem que vão educar os filhos na verdadeira fé. Talvez na mesma semana a criança já seja levada em uma “benzedeira” para os demônios já terem acesso a criança. Mas vamos adiante... Os padrinhos são como os pais: sem fé, não frequentam a Igreja, são assíduos em grandes pecados. Muitas vezes os padrinhos são escolhidos pela condição financeira para dar presentes para a criança – e para os pais, porquê não? - ou mesmo pela amizade. Mas nunca pela fé da pessoa. Devemos lembrar que os padrinhos são os substitutos dos pais, aliás, os padrinhos são as pessoas que devem auxiliar os pais na educação religiosa do filho. Vai dizer o Código de Direito Canônico sobre os padrinhos: “Ao batizando, enquanto possível, seja dado um padrinho, a quem cabe acompanhar o batizando adulto na iniciação cristã e, junto com os pais, apresentar ao batismo o batizando criança. Cabe também a ele ajudar que o batizado leve uma vida de acordo com o batismo e cumpra com fidelidade as obrigações inerentes.” (Cân. 872). E vemos isso acontecer? Não. Os padrinhos são escolhidos porque são parentes próximos, amigos de “copo”, companheira de fofoca. E quem mais sofrerá será o jovem batizado, que não terá uma luz, mas verdadeiramente um lobo vestido de padrinho.

Quando a criança é batizada deveríamos de fato nos alegrar, fazer uma festa, comemorar. Eis mais um filho de Deus! Aleluia! No entanto, as pessoas confundem o comemorar com se prostituir. Será que para comemorar um batizado não basta um belo almoço com a família, alegrando-se por este sacramento, pela misericórdia de Deus? Não. Para muita gente batismo é sinônimo de muita cerveja, cachaça da pesada, muita música promíscua – incluindo funk, axé, sertanejo de universitário e de corno, etc. - e as “novinhas” e “véinhas” se esfregando nos “machos”. Essa é a família “cristã” que acaba de ser inserido um filho de Deus pelo batismo. Sei que não é exagero, isso existe. Conheço uma pessoa que vai viajar para presenciar o batismo de sua filha, e o que ele falava antes é que estava doido pra batizar a filha pra fazer uma festa, com muita cachaça com seus “amigos” e toda bagaceira que vocês devem saber. Ora, estão dando lugar ao demônio! Depois o filho vira uma pessoa com distúrbio sexual, vira homossexual, bissexual, prostituta(o), bandido, bate nos pais, e tudo mais, vai dizer que Deus é ruim, mas no dia em que entrega o filho para Deus, convida o demônio para a celebração. Quando fazem do Batismo uma festa mundana, é dar lugar ao demônio, e profanar o Sacramento.

Sobre o que é necessário para ser padrinho de batismo, o Código de Direito Canônico faz um outro alerta no Cân. 874 no parágrafo 3º: “seja católico, confirmado, já tenha recebido o santíssimo sacramento da Eucaristia e leve uma vida de acordo com a fé e o encargo que vai assumir”. Sinceramente? Nem os pais tem vivido uma vida de acordo com a fé e o encargo de pais. Quanto mais muitos padrinhos. “Ah, mas todos pecam”. Sim, e eu peco muito. Só que devemos resistir até o sangue na luta contra o pecado (cf. Hebreus 12,4). E muitos são pecadores convictos, e que não irão educar os nossos filhos na verdadeira fé, mas na prostituição. Uma vez vi uma homem chateado porque ficou sabendo que talvez o padre não o liberaria para ser padrinho de uma criança. Ora, este homem é amancebado há anos, ou seja, vive com uma mulher sem receber o Sacramento do Matrimônio. Não vive uma vida de acordo com a fé, pois a ele está em pecado mortal, deve se casar e confessar. Como ele vai ter moral de dar conselho para um jovem, afilhado seu, dizendo para não se prostituir, para não “juntar”, sendo que ele está no mesmo pecado. “Ah mas eu estou assim pelas circunstâncias, dou o testemunho que não é bom viver assim não...”; Ah, é mesmo? Então me explica se é tão ruim assim, porque você não se casa logo e sai da vida de pecado? Palavras são lindas, mas seu testemunho é que arrastará as pessoas. Tem gente que é “junto” a anos e anos, e não percebe que nunca estão ruim para se separar e nem nunca estão bem para se casar; não conseguem enxergar a ação do demônio que quer que eles fiquem assim, em estado de pecado mortal grave sem poder se confessar e nem comungar: ou seja, inferno direto. Muitos não casam por puro comodismo, orgulho... Mas a falta de testemunho de muitos padrinhos vai além. Além de ser uns “beberrões” tem gente “junta” - como dito – gente de segunda união, gente pagão, gente que nunca pisou na Igreja, homossexuais assumidos (no caso no estilo “eu peco mesmo e a Igreja não tem nada a ver com isso”). Fora os padrinhos e madrinhas que são pervertidos e fazem uso e ensinam a usar camisinhas e anticoncepcionais. Ou seja, além dos pais viverem pouco ou nada da fé católica, colocam praticamente o próprio demônio para ser seus padrinhos, aí quando os filhos vierem a ser a “encarnação” de lúcifer, ficam reclamando com Deus que deu filhos ruins, que permite a maldade, etc e tal. Mas nunca olha que no dia da promessa do batismo, renunciou a satanás por ela e pela criança – pais e padrinhos – e prometeu educar na fé. Mas no mesmo dia fez do sacramento uma via de prostituição.

Da mesma forma acontece com o matrimônio. Fora a escolha dos padrinhos que ocorre quase o mesmo, o matrimônio parece que perdeu o sentido. Muitos vão fazer curso de noivos e quem está dando aula é um demônio. Conheço um rapaz que foi fazer curso de noivos e a vaca que dava o curso estava ensinando o uso de camisinha e anticoncepcionais. A Igreja condena. Fora o fechamento ao dom da vida, os anticoncepcionais são abortivos! Mas aí o que acontece? Muitos não estão nem aí mesmo, e acabam prostituindo desde o início da relação.

Mas falando do dia da celebração do Sacramento do Matrimônio é que vejo o quanto as pessoas tem dado lugar ao demônio! Meu amado Jesus, Misericórdia! O casal vai casar, a nova está as vezes com o vestido que era pra usar na lua-de-mel. Mas tem o detalhe, casam, e da mesma forma que acontece com os pais e padrinhos no batismo, mentem para Deus. Pois prometem acolher os filhos que Deus lhes enviar. Na lua-de-mel usam camisinha e muitas pílulas para evitar que a mulher engravide. Afinal, a lua-de-mel é curta, e filhos não podem atrapalhar na carreira profissional, não é mesmo? Vão ser ótimos profissionais nos quintos dos infernos! Mas segue o casamento, na festa vemos novamente que ninguém celebra a união de um homem e de uma mulher, que agora são uma só carne, que Deus os uniu, e que só a morte o poderá separar. Não olham a beleza do Sacramento, o sacrifício, do amor de Deus e para Deus que está contido no Sacramento do Matrimônio. Não, agora após a festa serão horas de sexo. É isso a visão mundana e distorcida do casamento: preparação pro sexo. As preliminares, digamos assim, ocorre na festa de casamento, com músicas e danças imorais, que fazem todos – que já estão relativamente chapados de bêbados – caírem na onda do pega pega. E tem muita gente que se diz católico que tem feito da festa do seu casamento uma verdadeira boate. Aliás, corrijo-me, boate não, mas uma festa de carnaval, onde todo mundo pega todo mundo, e viva os noivos. Dão lugar ao demônio no próprio dia do casamento. Aí quando separa com uma semana, um mês, o marido se mostra um demônio, a mulher uma piranha, aí o que acontece? Deus é o culpado da história, porque ele permitiu, agora eu quero o divórcio, e aí de quem falar alguma coisa de “casamento” de segunda união, porque o primeiro ou a primeira que passar pela frente boto dentro de casa e viva a liberdade porque Deus é amor. Está certo isso? É claro que não, mas falar de santidade no casamento pra quem fez do casamento não uma brecha, mas um rombo pro demônio entrar... Ainda mais quando o matrimônio, para algumas pessoas, não passa de um rito, algo social, banal, afinal, já tem vida sexual a anos. É belo ver muitos casais que dá o primeiro beijo no dia do casamento. Hoje em dia, muitos que se casam vão ter o primeiro... é, o primeiro o que? Já beijaram, amassaram, transaram, traíram... Espero que tenham o primeiro encontro pessoal com Cristo, e assim possam se converter de verdade e viver a santidade no matrimônio.

Infelizmente tem acontecido isso. Sejam santos de verdade. Paremos de prostituir nossa vida. Estamos profanando os sacramentos com isso. Quem se casa e quem está batizando os filhos deveria no convite dizer que na Igreja e na festa não será permitido entrar com roupa curta. Avisar que não terá bebida, que não terá música do mundo. “Ah mas aí não vai ninguém”. Engano seu. O mais importante irá sim: A Santíssima Trindade estará presente, com toda certeza. E a Trindade se alegrará muito mais com uma Igreja vazia ao celebrar o Sacramento, mas celebrando-o na verdade e com piedade, e festejando a alegria de ter um filho de Deus e uma família, do que está com Igreja e casa cheia com gente na mentira e possuídas pelo pecado, profanando o sacramento. Já vai nos dizer o livro do Apocalipse: “Conheço as tuas obras: não és nem frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente! Mas, como és morno, nem frio nem quente, vou vomitar-te.”(Apocalipse 3,15-16) E como tem gente passando do frio para a mornidão, e do quente para a mornidão. Será vomitados direto pro inferno. A criança que fria é colocada em estado de mornidão. Pais, sejam quentes no fogo do Espírito Santo! Eduquem seus filhos no Senhor! Nossa, no casamento a mesma coisa! Quanta gente tem casado por respeito humano, por capricho. Sei de caso de gente que está com casamento marcado e está com o amante, e ainda manda convite de casamento pro amante, e ainda pede pro amante se mudar pra perto pra ficar mais fácil de “pular a cerca”. Sei disso porque o “amante” em questão é uma pessoa próxima que conheço. E fala na brincadeira, no deboche; mas infelizmente no inferno não haverá tempo para deboches e brincadeiras, mas somente para choros e rangir de dentes (cf. Lucas 13,27). Convertam-se! Pois o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido (cf. Lucas 19,10); mas pra isso é preciso você querer. “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo” (Levítico 19,2).

Lembrando também, no caso de padrinhos, para não deixar em branco, que não é lícito, de acordo com o CDC, dar padrinhos de outra religião (incluindo protestantes) afinal não vivem a fé católica. Se tiver algum documento que diga o contrário, tudo bem, mas pelo CDC não é lícito.

Mas num modo geral, vendo essa grande prostituição – mesmo que não seja só em festas de batismo e casamento, mas mesmo em festas de aniversário, até mesmo de 15 anos de meninas da “Igreja” - quero citar aqui uma passagem bíblica em que São Paulo nos exorta a sair do comodismo e a nos decidir pelo Céu, renunciando a sujeira do pecado que nós tanto queremos continuar infectados. CONVERTAMO-NOS! Segue São Paulo: “Portanto, eis o que digo e conjuro no Senhor: não persistais em viver como os pagãos, que andam à mercê de suas ideias frívolas. Têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de seu coração mantêm-nos afastados da vida de Deus. Indolentes, entregaram-se à dissolução, à prática apaixonada de toda espécie de impureza. Vós, porém, não foi para isto que vos tornastes discípulos de Cristo, se é que o ouvestes e dele aprendestes, como convém à verdade em Jesus. Renunciai à vida passada, despojai-vos do homem velho, corrompido pelas concupiscências enganadoras. Renovai sem cessar o sentimento da vossa alma, e revesti-vos do homem novo, criado à imagem e de Deus, em verdadeira justiça e santidade.” (Efésios 4,17-24)

Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os afeminados, nem os devassos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus. Ao menos alguns de vós têm sido isso. Mas o fotes lavados, mas fotes santificados, mas fotes justificados, em nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito de nosso Deus.” (1Corintios 6,9-11)

Leia também:Gálatas 5,13-26 onde São Paulo reforça mais sobre este assunto.


Salve Maria Imaculada! 

sexta-feira, 7 de junho de 2013

A SANTA MISSA É SACRIFÍCIO!


Salve Maria Imaculada!
É inegável que nos últimos anos o significado da Missa tem sido deturpado no conceito e no ensinamento de muitas pessoas. A Missa sempre foi, é, e sempre será o Sacrifício de Cristo na Cruz! Hoje querem transformar a Santa Missa em uma festa, show, altar dos ídolos ofertando coisas aos demônios e não a Deus (no caso aqui a chamada “missa” Afro), e todo tipo de coisa. Dizem que a Missa é partilha, reunião, uma ceia apenas, mas nunca dizem o que a Igreja sempre disse: A MISSA É SACRIFÍCIO! E as pessoas tem perdido o conceito de sacrifício por dois motivos: a impiedade dos sacerdotes ao celebrar e a falta de ensino. Não se pode cobrar conhecimento de quem não teve ninguém que lhe ensinasse, ou que teve mas ensinaram mentiras.
Por isso, quero dizer que a Missa é sim Sacrifício, sem citar tantos documentos da Igreja, mas fazendo algumas comparações. No Brasil, a TL colocou tanto na cabeça das pessoas a falsa ideia de inculturação, que para ensinar pro povo irei usar de comparações, para ver se caem na real que a Missa é o Sacrifício de Cristo, e não o show dos horrores.
Sabemos que na Santa Missa está presente não somente o sacrificar-se de Jesus, obviamente, está contido também o louvor. Na Missa nós louvamos, honramos, adoramos ao Nosso Senhor Jesus Cristo. Mas o fato de louvar a Deus na Santa Missa não quer dizer que devo cometer excessos, pois devemos lembrar que estamos diante do Calvário. Nós cantamos o glória, glorificando a Deus, nosso Senhor, que nos resgatou e nos redimiu NA CRUZ! Bendizemos a Deus pela CRUZ! Adoramos a Jesus pois nos resgatou NA CRUZ! Sem a cruz o que seria de nós? Nós fomos comprados pela Cruz. E é diante da cruz que estamos pelo menos todo domingo, mas parece que tiramos a cruz da nossa liturgia (a cruz continua, mas temos encoberto com nossa impiedade e falta de amor). Como reclamar que estão tirando a imagem do crucificado dos órgãos públicos, se nós temos tirado o próprio Sacrifício da Cruz, o real sacrifício, de nossas igrejas? Antigamente, quando criança, eu tinha um desejo de ter vivido no “tempo de Jesus” para ver o sacrifício do Senhor. Não para ser um zombador, mas para ver a manifestação do amor (obviamente eu não tinha essa ideia formada, acho eu). Mas hoje, sei que estou diante do mesmo sacrifício, diante da mesma oferta, diante da mesma entrega de amor de Cristo na Cruz. A Igreja Católica Apostólica Romana nos ensina isso: O Sacrifício da Missa é o mesmo sacrifício da Cruz. E as pessoas querem negar isso. E, por isso, tenho que unir-me ao coro de São Paulo: “Os judeus pedem milagres, os gregos reclamam a sabedoria; mas nós pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos.”(1Corintios 1,22-23). Como é interessante ver essa realidade hoje. Tem padres que já dizem que a Missa é a renovação da ressurreição de Cristo. Que absurdo! A Ressurreição é eterna, o sacrifício cruento é que foi único, e o mesmo sacrifício se renova no altar, no caso a Missa é o sacrifício incruento. Os judeus queriam milagres, como muitos católicos hoje, por isso muitos católicos começam a pregar na Missa a ressurreição, a glória, e pede-se milagres, mas esquecem-se do milagre maior: o milagre da transubstanciação, ou seja, da transformação do pão em carne e do vinho em sangue de Jesus Cristo.
Quando perguntaram para São Pio de Pietrelcina como deveríamos assistir a Santa Missa, ele não exitou em responder que devíamos assistir o Santo Sacrifício da Missa da mesma forma que Maria Santíssima, São João e Maria Madalena assistiram o Sacrifício no Calvário. São Padre Pio foi um grande místico, um santo que viveu da Missa, de fato ele foi um outro Cristo na terra que se sacrificava no altar. E ele confirma, como místico, o que a doutrina já diz: a Missa é o Calvário. Na Missa não estamos na gruta do nascimento de Jesus e tampouco diante da ascensão de Cristo, na Missa estamos no calvário. Então aí vemos porque a Missa não é sacrifício: as pessoas não vivem este mistério em sua profundidade. Fazem festa, algazarra, conversão, brincam, comem, namoram, tudo isso durante a Missa (e outras coisas mais). Uma coisa que pego no pé é o jejum Eucarístico. A Santa Madre Igreja, por meio do Código de Direito Canônico pede que façamos PELO MENOS uma hora de jejum eucarístico, ou seja, uma hora antes da Missa (no CDC traz a palavra Comunhão) não comer nem beber nada, exceto água e/ou remédios. E nós o que temos feito? Até acreditamos que a Missa é sacrifícil, mas não participamos, ou seja, não nos sacrificamos, não temos nada a oferecer como sacrifício, como LOUVOR, AÇÃO DE GRAÇAS, para o Senhor. Porque se a Missa é 8 horas da manhã, as 7:30 eu tomo um café da manhã ultra, mega reforçado, com ovo, cuscuz, linguiça, uns bolos, pão, queijo, mortadela (isso no café). E quando a Missa é a noite e o cidadão come antes? As pessoas estão pouco se importando com estes pormenores. E de coisas pequenas em coisas pequenas se perde o sacrifício de Cristo, porque eu não sei o que é sacrifício na minha vida. Antigamente o jejum Eucarístico era maior, chegava a 12 horas. Lembro da primeira comunhão da Beata Jacinta, vidente de Fátima, que a Missa atrasou algumas horas, e ela já caindo de fome, a mãe pensava em cancelar sua primeira Comunhão, mas ela prosseguiu. E nós, com apenas uma horinha, não nos sacrificamos. Engraçado, é que dizem que o que importa é o espírito, a fé, o amor. Mas será que quem enche a pança pouco antes da Missa, caso vomite a Sagrada Hóstia, vai ter coragem de ingerir tudo aquilo para que não se perca uma só parte do Corpo do Senhor? Não sejamos hipócritas! Eu, evito comer no período de uma hora antes da Missa, e já aconteceu que durante a celebração – me perdoe o termo – mas começar a arrotar a comida. Imagine quem come durante a celebração? Em eventos de massa, como em Pentecostes e no Corpus Christh, tenho percebido essa falta de respeito e zelo pelo Senhor. Vendem-se comidas no evento. Em plena sexta-feira vende-se churrasco e demais alimentos com carne. Mas a abstinência não é obrigado, certo? Mas e vender comida durante a celebração? A falta de respeito é tão grande, que em eventos de massa – fui testemunha em Pentecostes – durante a Missa, até na liturgia eucarística mesmo, as pessoas com espetos de churrasco, comendo, e bebendo bebidas que não era água. Uma prima minha, em certa edição, após a comunhão, foi comer pizza. Achei lindo por ter dado uma dor de barriga nela. Nós não temos a consciência que nós não estamos em um teatro, num show, NÓS ESTAMOS DIANTE DO CALVÁRIO, DIANTE DO SACRIFÍCIO DE CRISTO NA CRUZ! Nossa Senhora ficou aplaudindo de forma histérica e sem sentido o Cristo Crucificado? Então porque você, em plena liturgia eucarística fica batendo palmas? Tem lugar que o abuso de palmas é tão grande, que após a oração de consagração do Corpo e do Sangue do Senhor, e o sacerdote fala “eis o mistério da fé” o povo aplaude. “Por Cristo...” aplauso. Já pararam para perceber que Cristo está crucificado liturgicamente? São Leonardo de Porto Maurício vai usar a expressão “ao mesmo tempo morto e ao mesmo tempo vivo” para explicar este mistério da Missa.
O demônio quer fazer isso mesmo, porque a Missa sempre será sacrifício, mas ao profaná-la, além de o diabo zombar de Deus, ele tira o valor e o mérito da nossa Comunhão. Por que? Porque comungamos como assistimos a Missa: de qualquer jeito. A Missa é o único culto aceito por Deus. A Missa é a melhor oração, a mais eficaz, pois de fato pedimos a Deus as graças pelo nome de Jesus. Ou seja, pedir a nossa salvação. Na Missa está o nosso único mediador de salvação: Jesus Cristo! Só Jesus Cristo pode salvar. E a Missa é o que salva. Pois a Missa é o sacrifício redentor de Cristo. E eis que chega talvez no ápice da comparação que eu pretendia para mostrar o sacrifício de Cristo. Meus queridos, compare cada pedaço da Missa com o Calvário e você identificará algo. Mas eu quero mostrar algo, que pode não parecer nada, mas é tudo para quem tem fé e quer viver a Missa como ela é: Sacrifício. Na Santa Missa, em certo momento da oração Eucarística, o Sacerdote diz: “Por Cristo, com Cristo, e em Cristo, a Vós Deus Pai todo poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda honra e toda glória, agora e para sempre. Amém.” - Você nunca viu que ergue-se o corpo do Senhor? Está sendo oferecido o Senhor Jesus. Cristo crucificado ou ressuscitado? CRUCIFICADO! A salvação veio a nós na pessoa de Jesus na cruz! Por Cristo, com Cristo e em Cristo = Pelo Cristo crucificado, com Cristo crucificado, em Cristo crucificado... A Santa Missa é o que segura a ira de Deus contra o mundo. Se não fosse a Santa Missa e a Virgem Maria já teríamos perecido. É o contínuo oferecimento de Cristo que traz salvação ao mundo. Quando olhar esta cena do sacerdote pronunciando estas palavras e erguendo o Corpo ou mesmo o Corpo e o Sangue do Senhor, lembre-se dessa passagem: “Em seguida, sabendo Jesus que tudo estava consumado, para se cumprir plenamente a Escritura, disse: 'Tenho sede'. Havia ali um vaso cheio de vinagre. Os soldados encheram de vinagre uma esponja e, fixando-a numa vara de hissopo, chegaram-lhe à boca. Havendo Jesus tomado do vinagre, disse: 'Tudo está consumado'. Inclinou a cabeça e rendeu o espírito.”(João 19,28-30) Conseguem compreender na medida do possível a mística da Santa Missa? O sacerdote oferece o Cristo como o próprio Cristo, sumo sacerdote, se ofereceu ao Pai: “Jesus deu então um grande brado e disse: 'Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito'. E dizendo isso, expirou”(Lucas, 23,46). Peça a Virgem Maria para te fazer compreender, na medida do possível e necessário para sua salvação, a mística da Santa Missa. Saber do Sacrifício. Você pode dizer que é uma interpretação, e que devemos anunciar a Jesus ressuscitado. Sim, é verdade, devemos também dizer que Cristo ressuscitou. Mas devo dizer que pra humanidade encontrar salvação, só na Santa Missa. É necessário voltar a celebrar com piedade, e a Missa bem celebrada, o Sacrifício por si só atrai uma multidão, pois até Cristo nos falou: “E quando eu for levantado da terra, atrairei todos os homens a mim.” (João, 12-32) A Santa Missa, o Santíssimo Sacramento, atrai a todos. Quando sacerdote oferece o sacrifício, o Cristo que se sacrifica atrai todos os povos a Ele. Quando Ele é levantado da terra, já na consagração, seja no fim da oração eucarística, o Sacrifício de Cristo lava-nos da nossa miséria e nos dá força e nos atrai a Ele. Mas isso acontece, porque é o mesmo sacrifício da Cruz.
Como eu tenho certeza do que estou falando? Como sei que se deve pregar a Cristo crucificado? Por acaso Jesus não apareceu a uma Santa chamada Santa Faustina, ensinando-lhe a devoção a Divina Misericórdia? Como agiu a Divina Misericórdia? Não foi na cruz? A cruz não doeu na carne de Jesus? Vamos aos exemplos: Jesus ensinou para Santa Faustina o Terço da Misericórdia. Compare o terço da Misericórdia com a Santa Missa. É a liturgia! Pegue a oração citada “por Cristo...” onde o sacerdote oferece Cristo ao Pai em expiação dos nossos pecados, e agora compare com a oração do Terço da Misericórdia: “Eterno Pai, eu vos ofereço o Corpo e o Sangue, Alma e divindade, de nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e os do mundo inteiro”. E depois ainda repetidas vezes “Pela sua dolorosa Paixão, tem Misericórdia de nós e do mundo inteiro”. Ora, Cristo disse que a misericórdia divina seria a última tábua de salvação, mas parece que Ele se enganou neh, já que Ele fala da Sua Paixão, mas o povo diz que deve-se falar só da ressurreição. Esquecem-se porém, que para alguém ressuscitar precisa-se antes morrer. E a morte de Jesus não foi uma morte qualquer. Foi a morte de um Deus. E, no meu entendimento, o Terço da Misericórdia é uma profecia em relação a liturgia: a Missa é Sacrifício. A Missa é este oferecer o Corpo e o Sangue, alma e divindade de Cristo no qual é falado no Terço da Misericórdia. Só na Santa Missa está presente o Corpo e o Sangue do Senhor. Nas ceias protestantes você encontra pão com suco de uva, mas mais chiques encontra um vinhosinho, mas na Santa Igreja Católica você encontra o CORPO E O SANGUE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. E você que tira o mistério do Sacrifício de Crito da Santa Misa deve tomar cuidado, se arrepender e confessar, pois você tem feito almas se perder. O Senhor diz a Santa Faustina: “Uma hora de reflexão sobre a Minha dolorosa Paixão tem maior mérito do que um ano inteiro de flagelação até o sangue; a reflexão sobre as Minhas dolorosas Chagas é muito proveitosa para ti, e a Mim causa-Me grande alegria. “(Nº 369 Diário de Santa Faustina) Acho que as pessoas tem entristecido Jesus. As pessoas não somente não meditam mais sobre a Sua Paixão, como na própria Missa que é o Seu Sacrifício na Cruz, as pessoas não veem mais como sacrifício. Mas veem como algo qualquer. Uma simples reunião. As pessoas nem fazem penitência, e nem lembram da cruz, e diante dela (na Missa) agem como se fosse farra.
Sacerdotes, tenham zelo! Sejam fiéis a Cristo. Sejamos fiéis ao Missal. Sejamos fiéis a própria mística da Missa. O que leva a Missa a não ser sacrifício, não é de inspiração divina, mas humano (ou mesmo diabólico). Santa Faustina teve algumas visões semelhantes durante algumas Missas. Ela via o menino Jesus sobre o Altar, lindo, glorioso. Mas de repente, no momento da fração do pão onde o sacerdote parte a sagrada hóstia, ela via o sacerdote pegando o menino Jesus nos braços e partindo-o no meio e devorando-o. Ela ficou espantada, e até repudiando o sacerdote. Mas depois Cristo fez ela entender que era vontade d'Ele, e que Ele se contentava. O que isso nos ensina? Cristo é partido no altar. É o corpo do Senhor. É Jesus. Nós comemos a carne d'Ele verdadeiramente, e bebemos o Seu preciosíssimo sangue verdadeiramente. No altar, Jesus como criancinha, é aniquilado, para se fazer nosso alimento. Se todos nós tivéssemos a certeza em nosso coração que nós comemos o Corpo do Senhor e bebemos Seu Sangue, comungaríamos melhor, com menos impiedade, pois nos encheríamos de temor ao nos aproximar do momento da Comunhão.
Jesus fazia uma queixa a Faustina. Ele dizia que as pessoas iam comungá-Lo como se Ele fosse algo morto, sem vida. E isso acontece porque se perde o mistério do Sacrifício. Liturgicamente, próximo a Comunhão Cristo está ressucitado. Ainda é sacrifício, afinal, Deus está se fazendo alimento. Deus que é todo poderoso, todo glorioso, se fazendo pão e vinho é um sacrifício. Mas, como acreditar que ao comungar eu comungo Cristo que está vivo, real e ressuscitado, se quando Cristo ressuscitou Ele passou pela cruz? A fé fica abalada. E sabe porque? Comungamos, e cantamos ou músicas que não tem anda a ver, ou só pedimos milagre. Meus queridos ministros de música, a Missa sendo sacrifício, no momento da Comunhão devemos cantar músicas de louvor, de ação de graças pelo maior milagre da história: o milagre da transubstanciação, da transformação do pão em carne e do vinho em sangue. Quando comungamos devemos sim pedir, mas nosso coração deve ser levado ao louvor. E por isso Cristo se queixa, porque além destes citados, tem os casos de quem comunga e vai conversar não com Ele que está vivinho na hóstia consagrada, mas vai conversar com o(a) colega. Não faz ação de graças. Vai pros avisos. Recebe a benção de qualquer jeito. Sai da Igreja e vai trocar saliva com um rapaz ou moça fora da Igreja (ou dentro do templo mesmo, porquê não? Apostatou tudo de vez mesmo). Mas é triste ver que a Divina Misericórdia que Jesus ensinou a Faustina se concretiza na Missa e na Confissão, e é o que mais os modernistas tem destruído. É na Confissão e na Missa que de fato somos atingidos pelos raios de misericórdia divina.
Para concluir quero dizer que a Missa sempre foi sacrifício, o problema é que a humanidade também sempre foi impiedosa e orgulhosa. Se cuspiram em Jesus, bateram n'Ele, ultrajaram... achavam mesmo que não aconteceriam na liturgia? Muitos esperam um Deus glorioso, um Deus que nos servirá nos nossos caprichos, mas temos um Deus que é louco de amor, que desejou ardentemente comer a ceia conosco e que foi até a Cruz, e que renova a dois mil anos o Seu Sacrifício na Missa. Querem o Deus glorioso, mas o verdadeiro Deus foi parar na cruz e se esconde sob as espécies de pão e vinho. O orgulho humano é tão grande, que rejeitam o próprio Deus para adorar as suas próprias vaidades e caprichos. De fato, a linguagem da cruz é loucura e escândalo para pagãos, protestantes, e certos “católicos”.


Salve Maria Imaculada!

quarta-feira, 5 de junho de 2013

A falsa catolicidade de Agnelo Queiroz e demais esquerdistas

Salve Maria Imaculada!
Já é de se notar há algum tempo que tem ocorrido um fenômeno interessante no meio político. Os políticos estão se declarando cristãos. Extra! Extra! Os políticos vivem e pregam o Evangelho! Mas coloquemos uma nota de roda pé: “seguem e pregam um 'evangelho' prostituído e adulterado”. Muitos políticos estão se dizendo católicos, mas pela vida não são Católicos Apostólicos Romanos, podem até ser da seita brasileira, carismática (aqui não se trata da RCC, entenda sobre essa seita aqui), mas Romano mesmo, se ele é é só na vontade mesmo ou na cabeça deles. Determinados políticos tentam se passar por bons católicos a todo custo. Quem não se lembra da bizarrice de Dilma na campanha de 2012? Ela, junto com Serra, foram até a Aparecida. Bizarro!
Mas aqui quero falar sobre algo muito sério que tem ocorrido em Brasília. Existe um cidadão chamado Agnelo Queiroz, Governador de Brasília, que diz ser católico e comparece em eventos (eventos de massa, diga-se de passagem). Ele pode até ir pra Santa Missa todo domingo, se confessar, ter menos pecados do que o Papa, e até rezar o terço; mas uma coisa eu sei: ele não está de acordo com a doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana. O Papa São Gregório VII já dizia “Que ninguém seja chamado católico se não concorda com a Igreja Romana”. Então se ele não concorda com Roma, cai fora lobo.
Talvez você queira saber o porque eu sei que ele não concorda com Roma. Avaliemos o partido que ele faz parte: Partido dos Trabalhadores (PT). Este partido é um partido de esquerda, comunista/socialista, que tem ideologias contrárias a sã doutrina da Igreja Católica, e que tem em seu regimento interno como metas estas ideologias, que posso citar como exemplo: o aborto e o “casamento” gay. Mas o Agnelo pode fazer parte do PT e ser contra tudo isso, certo? ERRADO! Não se pode pular pelado no mar e não se molhar, assim como não dá pra fazer parte de tais partidos e não compactuar com estas ideologias. Vejamos: a alguns anos atrás houveram dois deputados do PT que se opuseram ao aborto, e o que aconteceu com eles? O PT falou “somos todos democráticos, acolhemos o seu posicionamento, somos livres para nos expressarmos...”? Se você realmente acha isso, você está por fora da realidade, companheiro. Na época o PT emitiu a seguinte nota: "A COMISSÃO EXECUTIVA NACIONAL DO PT VAI AVALIAR AS POSTURAS E PROCEDIMENTOS DE DOIS DEPUTADOS FEDERAIS - LUÍS BASSUMA (BA) E HENRIQUE AFONSO (AC) - EM COMISSÃO DE ÉTICA. OS DOIS PARLAMENTARES, HÁ MUITO TEMPO, AFRONTAM A RESOLUÇÃO PARTIDÁRIA, RATIFICADA PELO 3º CONGRESSO DO PT, DE DEFESA DA DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO. A DEFESA DO DIREITO AO ABORTO LEGAL E SEGURO É UMA BANDEIRA HISTÓRICA DAS MULHERES PETISTAS. QUEREMOS QUE SE APLIQUE UMA PUNIÇÃO ADEQUADA A QUEM CONTRARIA ABERTAMENTE, MAS NÃO MAIS IMPUNEMENTE, DEFINIÇÕES POLÍTICAS DO PARTIDO. O MANDATO DO BASSUMA OU O DO HENRIQUE AFONSO É UM INSTRUMENTO DO PARTIDO, E SE UTILIZAR DELE PARA, EXATAMENTE, CONTRARIAR POSICIONAMENTOS POLÍTICOS DO PT É, NO MÍNIMO, UM ERRO A SER AVALIADO EM COMISSÃO DE ÉTICA.
NÃO ACEITAMOS QUE FIGURAS PÚBLICAS DO PARTIDO EMPRESTEM SUA IMAGEM A MOVIMENTAÇÕES QUE VÃO DE ENCONTRO A UMA RESOLUÇÃO CONGRESSUAL DO PARTIDO DOS TRABALHADORES. NÃO ACEITAMOS ESSE TAMANHO DESRESPEITO COM AS MULHERES DO PT. A PARTICIPAÇÃO DESSES PARLAMENTARES EM ATOS PÚBLICOS CONTRA A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO PRECISA TER CONSEQÜÊNCIAS. ESTAMOS ALERTAS, AGUARDANDO A DEFINIÇÃO DA COMISSÃO DE ÉTICA, E ESPERANDO QUE UMA SANÇÃO SEJA IMPOSTA AOS FILIADOS EM QUESTÃO, DEMONSTRANDO AO CONJUNTO DO PARTIDO E DA SOCIEDADE QUE O PT LEVA A SÉRIO AS RESOLUÇÕES POLÍTICAS, A MILITÂNCIA E A TRAJETÓRIA HISTÓRICA QUE TEM". (Grifos nosso, veja a fonte aqui) Como veem, quem se posiciona contra o aborto, casamento gay, eutanásia, legalização da “profissão” de prostituta, dentre outros temas, será caçado até o fim pelo partido, como aconteceu com os deputados citados acima que foram EXPULSOS do PT. Aliás, militantes petistas não dizem ter lutado pela democracia? Grande democracia essa a deles.
Por um lado o PT está certo, se não concorda com eles então que se filie a outro partido. Meus queridos leitores, com a Igreja Católica é a mesma coisa: se você não concorda com ela, a porta da rua é a serventia da casa. Vaza! Já citei e repito a frase de São Gregório VII: “Que ninguém seja chamado católica se não concorda com a Igreja Romana”. E se o Agnelo está até hoje no PT é porque pressupõe-se que ele compactua com as ideais deste partido. Afinal, se ele tivesse falado contra tais ideias, contra o aborto, por exemplo, alguma perseguição teria sofrido. Mas em caso de aborto, quem cala consente.  “Ah, mas aí ele perde cargos”, e tem que perder mesmo, perder tudo pra salvar a vida humana. Ou mesmo morrer pela Igreja que ele diz participar... “Se morro, morro de amor pela Igreja” (Santa Catarina de Sena). Então, além de ser um bunda mole como Governador, é um bunda mole na vida partidária. Se ele nunca falou nada, ele peca por omissão. Já dizia o Papa Leão XIII que a audácia dos maus se alimenta da covardia e da omissão dos bons. Ele pode até ser um bom católico no sentido “ir a Missa todo domingo e até confessar”, como já disse aqui, mas é omisso até os ossos.
É muito fácil ser católico na Festa de Pentecostes em Brasília aonde o público não é de milhares de pessoas, mas de milhões. Ficar sorridente ao ouvir os organizadores citando seu nome, agradecendo pelo apoio do GDF... Eu queria ver se ele era católico mesmo se ele tivesse aparecido ontem na 6º Marcha Nacional da Cidadania Pela vida contra o aborto. Ele foi? Mas é lógico que não! O PT não deixa. Não faz parte do plano de governo do PT. E não faz parte do seu plano de governo lutar contra o aborto. Ser católico é muito mais que aparecer pras pessoas como anjos, mas é ser Igreja Militante! É dar a cara. Acho que ele precisa aprender com São Maximiliano Maria Kolbe.
Da mesma forma qualquer pessoa que faça parte destes partidos comunistas, além de excomungados automaticamente dependendo do caso, não são nada de católicos na prática. Não dá pra dizer “sou petista, mas sou contra o aborto” como eu já vi gente dizer. É incompatível, é óleo e água: não se misturam. Se você é filiado ao PT e, segundo você, até milita contra o aborto, saiba que você só não foi expulso do partido porque você é “café com leite” ou em outras palavras: você é um idiota útil. Útil pra eles e inútil pra sociedade. Se você fosse um deputado federal que se manifestasse contrário a essas barbáries, como outro exemplo, liberação de sexo pra crianças, você pegaria o beco do Partido dos mensaleiros, digo, dos trabalhadores.
Assim tantos outros são lobos vestidos de cordeiro. Sempre sito e não seria diferente agora: Gabriel Chalita. Esta íngua diz ser católico, direto na Canção Nova, mas é filiado aos esquerdistas, defende aborto, gayzismo, e faz aquela cara de dó, se fazendo uma vítima. Ontem nessa marcha tinha sim políticos católicos, mas não vi semelhante socialista chamado Chalita presente na Marcha contra o aborto. São de “católicos” como Gabriel Chalita que o inferno é povoado. Senti a ausência de outros deputados que se dizem católicos, mas não citarei porque pelo menos em outros momentos quando o calo aperta dão a cara pra bater.
Com tudo isso concluímos que os citados aqui como Gabriel Chalita e Agnelo Queiroz não são católicos. São farsas! É tudo um jogo político. É o caso de usar o altar pra fazer palanque eleitoral. Não vote em nenhum desses infelizes achando que estará votando em bons cristãos, que acabarão com a safadeza no Brasil e com leis tão demoníacas. Porque vocês estarão votando no próprio satanás. Não tenho medo de falar isso, porque Santa Faustina já dizia que o demônio pode até se ocultar sob o manto da humildade, mas jamais sob o manto da obediência. Eles fingem humildade, até dá vontade de ficar emocionado com o “catolicismo” deles, mas na verdade não me emociono, só me indigno com tanta falsidade. Eles são incapazes de ser obedientes a Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Talvez não leram os documentos de Pio XII sobre o Comunismo e tampouco as mensagens de Nossa Senhora em La Salette e também as de Fátima citando a Rússia (comunista).
Seja um bom católico, não vote em farsas comunistas!

Salve Maria Imaculada!

terça-feira, 4 de junho de 2013

Ser a favor da vida com a caridade de São Maximiliano Maria Kolbe

Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos.”(João 15,13)
Este versículo tem tudo a ver com a vida de São Maximiliano Maria Kolbe. Este santo sacerdote, totalmente entregue nas mãos da Virgem Maria, incomodava o mundo por seu exemplo, sua santidade, seu amor. Ele foi preso pelos nazistas. Ficou preso no horrível e temível campo de concentração de Auschwitz. Certo dia um prisioneiro fugiu, e, de acordo com as regras, quando alguém fugia dez morreriam para aprenderem a lição. Escolheram dez homens para morrer, e o Padre Kolbe não foi escolhido. Porém, um pai de família começa a chorar desesperadamente pois tinha família, e teria que sustentá-la. Vendo o drama, o grande São Maximiliano Maria Kolbe, ousadamente, pede para morrer no lugar daquele pai de família. Seu pedido foi aceito, e recebeu a coroa do martírio.
O que tem a ver a história de São Maximiliano com o aborto? Tudo! Nós vivemos nos tempos difíceis. Temos grandes facilidades tecnológicas, a rapidez da informação, mas fomos contaminados pelo vírus da covardia, da omissão, do medo. São Maximiliano Maria Kolbe já usava dos meios que tinha para evangelizar, criou a Revista Cavaleiro da Imaculada. Ele já pensava em cinama, rádio... E hoje, temos tudo, e somos covardes. Falando especificamente da questão do aborto, como somos covardes! Pouco nos posicionamos contra isso! Dizemos que somos contra, mas não militamos. Nós não temos o fogo da caridade de São Maximiliano, que deu sua vida para salvar a de um pai de família. Nós também devemos dar a nossa vida para salvar milhares de milhares de vida de crianças que correm o risco de ser abortadas. Vidas inocentes, vidas que desde a concepção foram feitas pelo amor, por amor e para o amor. Ou seja, pra Deus. Vidas que foram feitas pra glorificar a Deus. Estamos deixando matar.
Aquele homem que na prisão chorava desesperado não era parente de São Maximiliano. Mas, mesmo assim, ele amou aquele homem, amou a humanidade, deu sua vida por amor. Como Cristo nos ensina. Talvez você seja agraciado por ter uma esposa que nem se quer cogita o aborto, passa longe de usar anticoncepcional, pílula do dia seguinte, e demais remédios abortivos; talvez você tenha um marido que sabe o valor da vida, da família, e não te obriga a fazer o aborto. Talvez o aborto seja uma realidade distante do seu ambiente familiar. Pois bem meus irmãos, a escolha da morte não era pra São Maximiliano, e ele assumiu. O aborto pode estar longe da sua casa, mas vá até ele e impeça-o. Nem que pra isso você morra. Dê sua vida. Nem que por isso você perca status, cargos, prestígio diante da sociedade em decomposição. Dê sua vida pela causa da família, assim como São Maximiliano.
E se, pior ainda, o aborto for uma realidade próxima, não exite em tomar o testemunho de Santa Gianna Beretta Molla, que na sua quarta gravidez descobriu uma doença, e a opção que lhe deram era abortar. E ela sempre dizia: “Entre a minha vida e a do meu filho salvem a criança”. Vale lembrar que ela era médica. Que belo testemunho. Não se venda ao diabo que te diz pra abortar. Quantos casos que foram decretados pelos médicos que se não abortasse a criança a mãe morreria ou mesmo os dois. E quantos caos não morreu nenhum! Poderia citar pessoas da Igreja, mas cito exemplos do meio secular mesmo. A mãe do Justin Bieber foi orientada a abortar, ela disse sim a vida, ambos estão vivos. Você conhece um tal de Roberto Bolaños? Ele é conhecido no Brasil como “Chaves”... Pois é, sua mãe quando estava grávida sofreu um acidente, e os médicos disseram que teria que abortar... Pois é amado, se seguissem o que muitos médicos falam não teriam assistido os seriados Chaves, Chesperito, Chapolim. Por tantos abortos é que não acham a cura definitiva da aids, do câncer, é por isso que não tem tantas vocações. Já parou pra imaginar quantos fetos abortados não se tornariam padres? Freiras? Oremos, a justiça divina não tardará. Arrependamos e nos convertamos!
Por isso devemos pegar o exemplo de São Maximiliano, de sair do estado de “contemplar” as coisas dando errado, e ir avante! Realizar as obras! A fé sem obras é vazia. Por isso devemos defender a vida. Nem que pra isso, como já dito, percamos a própria vida. Existem ex deputados que foram expulsos do PT porque se posicionaram contra o aborto. Pois bem, temos que ser assim, até o martírio se preciso for. Pois Cristo já morreu por nós, não devemos matar ninguém no ventre das mães.
Que São Maximiliano Maria Kolbe interceda a Deus por nós, e nos faça corajosos e militantes a favor da vida. Que seja dissipado em nosso meio toda covardia e omissão. Avante!

Salve Maria Imaculada, Virgem de Guadalupe, protetora dos nascituros!