terça-feira, 21 de maio de 2013

Vai pra Pentecostes com o Padre Moacir Anastácio, mas não vai pra Corpus Christi com o Bispo. E agora?



Salve Maria Imaculada!
Tem sido até comum nos últimos anos ouvir a velha reclamação de algumas pessoas em relação a “fidelidade” das pessoas em relação aos grandes eventos católicos em Brasília. Aqui em Brasília existe um evento grandioso, o maior evento paroquial do mundo (apesar de a paróquia São Pedro e a Comunidade Renascidos em Pentecostes serem quase que uma coisa só enquanto serviço), que é a Semana de Pentecostes. Tudo começou à 14 anos atrás após uma revelação. Não podemos negar o dedo de Deus neste evento, afinal nos dias de hoje não se reúne mais de 1 milhão de pessoas para participar da Missa (apesar dos apesares litúrgicos) e onde terá Jesus Sacramentado exposto. Não dá para negar a ação divina através das velas de Pentecostes, consagradas na sexta ao Pai, no sábado ao Filho e no domingo de Pentecostes ao Espírito Santo; basta vermos os testemunhos dos milagres alcançados. Eu inclusive já obtive graças através destas velas.
Mas apesar de ser um evento apoiado pelo Arcebispo de Brasília, Dom Sérgio da Rocha, tem gente que critica o evento. Claro, é óbvio que qualquer coisa que se faça seremos criticados. Mas é que passam a tomar as dores do Arcebispo, e dores que diga-se de passagem não existe. Pessoas, inclusive clérigos, dizem “Pra Pentecostes vai mais de um milhão, mas pra Corpus Christi que é com o Bispo vai bem pouquinha gente”. Nunca vi o Bispo reclamar disso. Dizem alguns que em Pentecostes as pessoas vão só por causa das velas e dos milagres... Não me diga! Descobriu isso agora? Desde as pregações de Cristo o povo já o seguia por causa dos milagres. É óbvio que tem gente que vai porque comeu do pão, e outros porque querem comer do pão dos milagres. E outra, sei que vai ter padre que se doerá, mas é muita infantilidade querer que também vá um milhão de pessoas para Corpus Christi. Sabe porquê? Porque a maioria que vai pra Pentecostes está recebendo o Kerigma, ou seja, o primeiro anúncio do amor de Deus. Tem muita gente que é pagão, ateu, macumbeiro, protestante, espírita, que vai lá só por curiosidade. Tem muita gente que vai pra lá que não comunga a anos, e confissão pior ainda, e se vai na Missa é uma vez na vida e outra em Pentecostes (hehe). Como o cara quer exigir que essa multidão vá pra Esplanada, se muitos nem sabem o que é o dia de Corpus Christi? Se sabe, sabe só o nome porque é feriado. Aliás, muitos não tiveram nem uma boa catequese. E se tem um monte de ignorante desse jeito é por culpa das Paróquias pelas quais são responsáveis os mesmos que só sabem falar asneira.
Um outro ponto que quero destacar é que, torna mais infantil ainda essa “birrinha” pelo fato de que o evento tendo mais de um milhão de pessoas, existe várias pessoas que vieram de outros estados. O povo que veio de Tocantins agora vai ter que ficar pra Corpus Christi é? Só pra agradar meia dúzia de gente que quer se aparecer pro Arcebispo? Tinha gente de vários estados, e até estrangeiros. Vamos pedir pros gringos aumentarem a estadia no Brasil, e assim todos vivem felizes para sempre.
Mas ainda tem a questão que são eventos completamente diferentes. Na Semana de Pentecostes tem uma promessa de Deus, os milagres através das “Velas de Pentecostes” consagradas à Trindade. Como o evento é gigante, muitos tem que sair mais cedo. Muitas paróquias nem existe Missa em alguns dias da Semana (inclusive a São Pedro, que se não me engano, ordinariamente não tem o Santo Sacrifício da Missa todos os dias não). Não se faz os três dias como é feito com o padre Moacir. E Deus pediu para que se fosse nesses três dias consagrar as velas. Em contrapartida, eu desconheço uma lei que obrigue o fiel católico a participar da Missa de Corpus Christi na Esplanada dos Ministérios com o Arcebispo. Falo isso, porque muitos querem que o povo vá pra Missa com o Arcebispo, mas boa parte dos fiéis católicos já foi para a Missa pela manhã.
Fico a imaginar como seria se antigamente quisessem me obrigar a ir para a Missa de Corpus Christi. Eu nem sabia o que era. E se vai pouca gente para a festa do Corpo do Senhor é justamente pelo fato do povo ser ignorante. Lembro-me que uma vez, na própria Paróquia São Pedro, perguntaram-me “o que era aquilo” - apontando para o ostensório – e eu, na minha ignorância, disse que “representava Jesus”. Enquanto hoje, tenho plena consciência e fé, que o ostensório é colocado o Santíssimo Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por mais que os sentidos queiram me enganar, é o Corpo do Senhor. Na Santa Missa comungamos o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo. Nós nos alimentamos do próprio Deus. Disse tudo isso unicamente por um motivo: hoje eu sei o que é Corpus Christi. Antes eu não sabia, por isso eu não fazia do meu dia a dia um “Corpos Christi”, ou seja, participar da Santa Missa e comungar quantas vezes for possível, sobretudo no domingo. Não busco apenas ir no Corpus Christi pra agradar a uns, nem ir à Pentecostes pra ganhar milagre, eu busco me alimentar de Deus sacramentalmente, e me alimentar do pão diário da Sua vontade na minha vida.
Para termos muita gente na Missa de Corpus Christi com o Bispo é preciso dar uma catequese que preste. E se o povo não sabe o que é a festa do Corpo de Deus é porque nossos jovens estão aprendendo historinhas infantis na Crisma, e não a catequese. E até onde eu sei, o Padre Moacir não tem culpa da catequese brasileira. Se tem pouca gente que conhece o Santíssimo Sacramento é porque ou não se prega, ou se prega com desdenho sobre Ele. Os que pregavam com grande amor e ador como o Padre Roberto Lettieri são afastados, abafados, perseguidos. Mas os verdadeiros perseguidores da Igreja, que profanam o sagrado, estão soltos. Aliás, você sabia que o povo não conhece o Santíssimo Sacramento? Que tal sermos obedientes à IGREJA e expormos – no caso os ministros autorizados expor – o Santíssimo Sacramento para ser adorado PELO MENOS nas quintas-feira. Outra coisa: Cadê as procissões com o Santíssimo Sacramento em outros dias do ano? Aí o povo não conhece Jesus. Aliás, procissões com imagens sacras e com o Santíssimo está cada vez mais raro.
É bom clamarmos um novo Pentecostes. Um Pentecostes que nos faz sair em missão. Ser cheio do Espírito Santo é ser Igreja Militante. E Igreja Militante vai de encontro ao povo para este se converter, e não fica reclamando quando o povo não vem ou vai em outro lugar da MESMA IGREJA MILITANTE. E não entendo o porquê da reclamação de tanta gente, como falam: O Deus de lá não é o Deus daqui? A Missa é a mesma. Clamo que com o Bispo o soleníssima, mas o povo levanta uma bandeira que o Arcebispo não levanta. E pra finalizar,:querer obrigar que a maioria que estava em Pentecostes vá pra Corpus Christi é o mesmo que fazer que um recém-nascido coma Bife acebolado com batata frita.
Salve Maria Imaculada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário