terça-feira, 28 de maio de 2013

A necessidade dos carismas nos dias de hoje


Há diversidade de dons, mas um só o Espírito. Os ministérios são diversos, mas um só é o Senhor. Há também diversas operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito para proveito comum. A um é dada pelo Espírito uma palavra de sabedoria; a outro, uma palavra de ciência, por esse mesmo Espírito; a outro, a fé, pelo mesmo Espírito; a outro, a graça de curar as doenças, no mesmo Espírito; a outro, o dom de milagres; a outro, a profecia; a outro, o discernimento dos espíritos; a outro, a variedade de línguas; a outro, por fim, a interpretação das línguas. Mas um e o mesmo Espírito distribui todos esses dons, repartindo a cada um como lhe apraz.”(1Corintios 12,4-11)

Muito se tem discutido nos dias de hoje sobre a utilização dos carismas na Igreja. Mais do que isso. Muitos se questionam sobre a autenticidade dos carismas. Ação de Deus ou demoníaca? Bom, analisando as escrituras e toda a história da Igreja, a vida dos santos, é bem audacioso – para não dizer anta – quem diz que é demoníaco, pois chama de demoníaco algo vindo de Deus. É claro que o demônio “macaqueia” muita coisa, porque muita gente usa de forma errada os dons, e até mesmo troca o Deus dos dons, pelos dons de Deus.

Ouvi uma pregação em que o pregador falava que não devíamos pedir os dons carismáticos, afinal eles não servem para nossa santificação. De fato, não devemos ficar só buscando os dons, e eles, via de regra, não servem para nossa santificação; porém os dons servem para o serviço. E se Deus me chama para a Sua messe, e eu não quero servi-lo, talvez eu já tenha meu lugar garantido no inferno.

Analisemos os carismas na vida dos santos e vejamos se é necessário ou não os carismas HOJE. Pois bem, vamos logo pegar pelo santo mais atual que se tenha conhecimento de carismas extraordinários: São Pio de Pietrelcina. Este santo sacerdote, estigmatizado, tinha o dom de prescrutar coração, ou seja, lia a alma da pessoa, sabia seus pecados e revelava-os em confissão (principalmente pra quem esquecia, omitia e/ou não tinha arrependimento verdadeiro); tinha também o dom de curar pessoas, dom de milagres; ele bilocava, ou seja, estava em mais de um lugar ao mesmo tempo (era visto até meso em outros países, sem nunca ter saído do convento). Enfim, diversos carismas. E como negar que os carismas de São Pio eram necessários? Vai me dizer que boa parte que ia se confessar com ele ia apenas para uma confissão? Muitos iam pelos carismas que ouviam, pela fama de sua santidade. E o carisma era necessário. Como negar que talvez aquele homem em adultério, que iam de qualquer jeito se confessar, após São Pio gritar “porco!” se arrependeu e voltou ao convento para se confessar? Como negar que foi o carisma? Como negar a necessidade do carisma quando alguém lhe pedia um conselho, e ele lhe vinha com palavras de sabedoria, de ciência. Mas o problema é que muitos que hoje recebem carismas, não buscam a via purgativa, ou seja, se santificar, fazer penitência, de fato se purificar. São Pio apesar de tantos carismas, mesmo já próximo de morrer dizia mais ou menos assim: “o demônio me quer, ele me quer a todo custo”. A santidade não está no carisma, está em querer se unir a cruz daquele que te dá os carismas: Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vários santos tiveram carismas extraordinários. Conta-se que São Francisco Xavier foi pregar em uma cidade, e não acolheram a a pregação. Dirigiu-se então ao cemitério, foi até o caixão dos defuntos mais recentes que iam ser enterrados, e ordenou em nome de Jesus que voltassem a vida... e Ressuscitaram! E o povo creu no Evangelho. “Aquele que crê em mim farpa também as obras que eu faço, e farpa ainda maiores do que estas, porque vou para jundo do Pai”(João 14,12). O fato é que, como podemos negar a ação de Deus neste caso? Como negar que era preciso este milagre pro povo crer? Já dizia São Paulo a respeito da pregação: “Porque não ousaria mencionar ação alguma que Cristo não houvesse realizado por meu ministério, para levar os pagãos a aceitar o Evangelho, pela palavra e pela ação, pelo poder dos milagres e prodígios, pela virtude do Espírito.”(Romanos 15,18-19). A palavra junto com os CARISMAS fazem a obra acontecer.

Talvez você ache que vivemos outros tempos, e ache que os carismas são desnecessários. Afinal a Igreja tem dois mil anos. Porém, é preciso sair da ignorância. O Evangelho foi pregado aos 4 cantos do mundo? NÃO! Tem muito pegão. E o pior de tudo, nós não vivemos mais em uma era cristã, nós vivemos no pós-cristianismo. Muitas pessoas que se dizem católicas vivem como pagãs, jogando no lixo o seu batismo – quando são batizadas – e então, talvez por este motivo, Deus suscitou no mundo esse novo derramamento do Espírito Santo, com dons extraordinários (outros não tão extraordinários assim, mas com devida importância), e o povo passou a se converter. O povo passou a sair do comodismo. É fato que hoje, em especial no Brasil, a RCC tem desvirtuado em muitos lugares o verdadeiro fogo de Pentecostes, aliás, do novo Pentecostes na segunda metade do século passado. O povo tinha experiência com Deus e partia pra via purgativa. Hoje querem os dons de Deus, mas sem saber do Deus dos dons, e menos ainda da cruz do Cristo.

O mundo pagão já era confirmado por muitos santos. O próprio São Pio de Pietrelcina chorava e dizia que tinha medo que no inferno não tivesse lugar para a geração futura (geração futura = é “nóis” na fita – sejamos o resto que vai para o Céu). Nossa Senhora em La Salette profetizava isso, em Fátima. Por isso o próprio Espírito Santo suscitou em uma Beata da Igreja chamada Beata Elena Guerra uma devoção ao Espírito Santo, esta beata, obedecendo às moções de Deus, envia cartas para o Papa Leão XIII pedindo que espalhasse a devoção ao Espírito (até ensina a Coroa do Espírito Santo) e pede então para que o século XX fosse consagrado ao Espírito Santo. E eis que o Papa Leão XIII atende seus pedidos, ou melhor, os pedidos de Deus, e consagra o século XX ao Espírito Santo. Providencialmente neste século surge os movimentos carismáticos, em especial em universidades dos EUA, começa este novo fervor. Logo buscam a Santa Igreja, fazem o que a Igreja ensina, e buscaram comunhão com a Igreja desde o início, ao contrário de cismáticos pós CVII.

Muita gente condena a RCC por causa de seus abusos. Eu não poupo palavras quanto aos abusos. Aqui tem um post que falo da RCC no Brasil, e muita gente não gosta. Hoje eu não tenho nenhuma ligação com a RCC enquanto instituição, mas tenho espiritualidade carismática. Mas onde está o erro temos que denunciar. Doa a quem doer. E muita gente tem trocado Deus pelos dons. Está virando protestantismo principalmente quando fazem do altar um comércio. Mas leia aqui algumas palavras sobre a RCC e entenda mais sobre alguns abusos, já que o tema aqui é outro.

Algumas pessoas querem condenar os carismas dizendo que pode ter ação do demônio. Mas sinceramente acho um argumento pobre. Pois até os sacramentos podem ter ação do demônio quanto ao uso. Explico-me: A Eucaristia é o próprio Cristo, correto? No entanto o mesmo Cristo é levado para profanação em rituais de magia negra para profanar o Santíssimo Sacramento. A ordem, por exemplo, é um sacramento, mas não impede do demônio colocar os seus nos seminários só para serem ordenados e ir celebrar “missa” negra nos templos satânicos. Só citando alguns exemplos. E nem por isso vou deixar de comungar nem deixar de ir pra Missa porque tem gente que está se auto-condenando ao inferno fazendo mau uso dos sacramentos que são INDISPENSÁVEIS para a nossa salvação. Se o demônio macaqueia, principalmente com uma pessoa sem discernimento, não faz dos carismas ruim, faz da pessoa um exemplo de quem tem que rezar mais pra não falar/fazer besteira.

Meus queridos, até Santa Catarina de Sena foi iludida pelo demônio em uma falsa visão de Nossa Senhora, como então querer exigir de alguém que ainda está começando sua caminhada? Deus dá os dons e carismas a quem Ele quer, como quer, onde quer, da forma que quer. Se ele dá a santos, a pecadores que ainda querem se santificar, é com Ele. Tem carismas dados a grandes pecadores, porque muitos que buscam a via purgativa não querem recebe-los, e alguém precisa desses dons, e não é este que recusou receber, é alguém que está afundado no pecado. Entendam: CARISMA NÃO É PRA SI! É PRA SERVIÇO!

Acho que o maior problema é que as pessoas querem mandar até em Deus. As pessoas querem que tudo seja conforme a própria vontade. Se eu perguntar pra 100 pessoas opinião de como fazer minhas pregações e posts no blog, terei praticamente 100 jeitos diferentes. Aí que está o segredo pra quem quer ser santo: “Importa obedecer antes a Deus do que aos homens”.(Atos 5,29). Então se Deus te chama a profetizar, profetize! Se Deus quer te dar um carisma, este carisma não te salvará, mas é para o serviço pro Reino, pelo qual ao você se consumir por Deus, te leva ao Céu. Aliás, falando em pregação. Condenam os carismas, mas esquecem-se que a pregação é um carisma. Esquecem-se que a profecia está ligada à pregação. Quem prega o Evangelho – quem prega o Evangelho e não um falso evangelho ligth – sabe que muitas vezes começasse a pregar, e já começa a vim palavras ao coração totalmente diferentes. Deus vai levando pra outra coisa. Uma vez aconteceu comigo em um grupo de jovens, comecei falar da profecia de La Salette, dos livros maus, aí começaram risadas, e só via gente passando um livro que nem conheço, mas que pela cara deles se enquadrava na profecia de Nossa Senhora.

Eu não quero nem abordar a polêmica do dom das línguas. Só quero dizer que é verdadeiro. Tiveram santos que oraram em línguas. O Pe Paulo Ricardo no curso de Teologia Mística cita até São Francisco de Assis. Veja aqui este curso do Pe Paulo Ricardo sobre Teologia Mística, e veja alguém que soube abordar o tema com sabedoria. Condenou o que tinha que condenar, e mostrou a verdade da Igreja. (o curso é só pra assinantes do site, as duas aulas que são abertas falam de heresias do primeiro século, não trata-se necessariamente da RCC).

A Igreja necessita dos carismas. A Evangelização necessita dos carismas. E como é triste ver gente que joga toda uma vocação fora por causa do orgulho de não querer a presença dos carismas. Não digo nem receber carismas, mas de existir carismas. Pobre pessoas. Quantas comunidades que são heréticas porque o profeta que Deus escolheu prefere ficar criticando. A RCC é de fato uma figura de João Batisma, todos reclamam porque quem está crendo e se convertendo à única Igreja de Jesus Cristo são as prostitutas, drogados, traficantes, gente com problemas na sexualidade, malfeitores em geral; enquanto a elite arrota gordura, e rezemos para não serem vomitados na Parusia.

Pra finalizar ouçamos a Igreja: “Quer extraordinários quer simples e humildes, os carismas são graça do Espírito Santo que, direta ou indiretamente, têm uma utilidade eclesial, pois são ordenados à edificação da Igreja, ao bem dos homens e às necessidades do mundo.
Os carismas devem ser acolhidos com reconhecimento por aquele que os recebe, mas também por todos os membros da Igreja, pois são uma maravilhosa riqueza de graça para a vitalidade apostólica e para a santidade de todo o Corpo de Cristo, contanto que se trate de dons que provenham verdadeiramente do Espírito Santo e que sejam exercidos de maneira plenamente conforme aos impulsos autênticos deste mesmo Espírito, isto é, segundo a caridade, verdadeira medida dos carismas.
É neste sentido que se faz sempre necessário o discernimento dos carismas. Nenhum carisma dispensa da reverência e da submissão aos Pastores da Igreja. “A eles em especial cabe não extinguir o Espírito, mas provar as coisas e ficar com o que é bom”, a fim de que todos os carismas cooperem, em sua diversidade e complementariedade, para o “bem comum” (1Cor 12,7)” (CIC 799 à 801) (Pegando um gancho do último trecho: o que os Pastores da Igreja têm dito? Desde Paulo VI até Francisco nenhum Papa condenou a RCC como um todo. Os seus erros, como os erros de quem tem atitudes cismáticas, foi e será sempre condenado. “ah mas fulano é modernista...” Ok. Paulo VI, João Paulo I (apesar do curto pontificado), João Paulo II, Bento VI e Francisco, todos apoiam a RCC, agora só os fulano do Brasil que pegam os erros locais e condenam o todo? Dos papas que apoiam a RCC um vai virar santo este ano, e outro foi um grande e santo conservador que é Bento XVI, e querem saber mais que a Igreja? Diante de acusações de ignorantes dos dois lados, eu prefiro ficar com a Igreja de Cristo.

Salve Maria Imaculada, Esposa do Espírito! 

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir