sexta-feira, 31 de maio de 2013

Caça aos profetas: Alta temporada!

No mesmo dia chegaram alguns dos fariseus, dizendo a Jesus: 'Sai e vai-te daqui, porque Herodes te quer matar'. Disse-lhes ele: 'Ide dizer a essa raposa: eis que expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e ao terceiro dia terminarei a minha vida. É necessário, todavia, que eu caminhe hoje, amanhã e depois de amanhã, porque não é admissível que um profeta morra fora de Jerusalém.
Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os enviados de Deus, quantas vezes quis ajuntar os teus filhos, como a galinha abriga a sua ninhada debaixo das asas, mas não o quiseste! Eis que vos ficará deserta a vossa casa. Digo-vos, porém, que não me vereis até que venha o dia em que digais: Bendito o que vem em nome do Senhor.'” (São Lucas 13,31-35)

Salve Maria!
Vemos neste trecho bíblico Jesus falar sobre a perseguição que sofria. Perseguição que era rotineira. Os profetas, os escolhidos, os enviados de Deus eram mortos pelo povo. Cristo ante essa ameaça usa de ironia: não é admissível que um profeta morra fora de Jerusalém. O povo de Deus é quem mata os enviados de Deus. E no caso de Jesus, mataram o próprio Deus.
Cristo sendo Deus, Ele é verdade, e como verdade que é não pode mentir. E como vai dizer Santo Tomás de Aquino “quem diz verdades perde amizades”. E foi assim na vida de Jesus. Ele mesmo já havia dito: “nenhum profeta é bem aceito na sua pátria”. E após a Ressurreição de Cristo, nos nossos dias, o povo de Deus continua a matar os profetas. Não se aceita mais os profetas. Usando da mesma ironia de Jesus: NÃO CONVÉM SER SANTO DA IGREJA SEM SOFRER PERSEGUIÇÃO ATÉ MESMO DENTRO DA IGREJA.
Na vida de São Pio de Pietrelcina foi assim, muita perseguição. Este extraordinário santo foi proibido de atender confissão, de celebrar em público, viveu isolado por bastante tempo. O clero o perseguia. Mas ele manteve-se firme. Existem santos que foram expulsos da própria ordem que fundaram. E hoje não é diferente. Tem gente sendo criticada, atacada, sem merecer, com desculpa de zelo – que na realidade é farisaísmo – matam os profetas de Deus.
Estamos vivendo uma verdadeira caça aos profetas. O povo não sabe o que quer da vida. Parece aquelas crianças que ficam um bom tempo perturbando os pais pra ganhar alguma coisa, e quando recebe joga fora, dizendo que não presta. O povo de Deus está assim: uma vida inteira reclamando pedindo santos, mas quando os santos aparecem, perseguem-o. Deve ser que pra ser santo hoje – como sempre foi – deve ser odiado por quem deveria ser amado.
Pe Roberto
Vamos aos exemplos para clarear a nossa mente: A Igreja via a necessidade de uma Nova Evangelização. Evangelizar nos meios de Comunicação. Deus levanta o Monsenhor Jonas – na época apenas padre – e surge a Comunidade Canção Nova, que com um exemplo parecido com o de São Maximiliano Maria Kolbe passa a evangelizar nos veículos de comunicação. Mas muita gente não gosta, e persegue o Monsenhor Jonas (vale salientar que quando se fala certas coisas da Canção Nova, se fala com razão, pois conforme o Mons. Jonas foi se afastando, parece que algumas coisas perderam o rumo, mas a obra em si é de Deus). O povo clamava por um novo São Francisco, clamava por alguém que adorasse o Santíssimo Sacramento, alguém que amasse e celebrasse com zelo o Santo Sacrifício da Missa. Eis que o Senhor Deus em Sua infinita Misericórdia levanta um sacerdote chamado Pe Roberto José Lettieri. Com fortes pregações proféticas, denúncias, adorações solenes, celebração da Missa de forma santa... O povo agradeceu? O perseguiu até os inimigos da Igreja conseguirem afastá-lo. Até hoje o amado Pe Roberto continua afastado. E assim como tantos na história da Igreja, está proibido de celebrar em público... Simplesmente por falar a verdade, por celebrar o Sacrifício do Senhor com dignidade, e por não adorar ao homem, mas sim ao Santíssimo Sacramento.
Mas eis que estão caçando mais um profeta. O povo rezou muito tempo – acho que rezou – pedindo um profeta, alguém que falasse as verdades da Igreja e não opiniões. Pedia alguém que lutasse contra o modernismo, alguém que bradasse contra os erros. Aí o Senhor viu um carequinha e então levantou-o. Ou seja, levantou o Padre Paulo Ricardo. Mas eis que já estão a cassá-lo também. E não estou nem me referindo aquela famosa carta aberta de alguns padres do MT pedindo o seu afastamento (graças a Deus não conseguiram!). Eu estou a falar de gente que diz defender a tradição, a verdade da Igreja, está perseguindo o padre nas redes sociais, chamando-o de traidor, de morno, de lobo. Estão perseguindo-o simplesmente porque ele está a pregar o que a Igreja Católica Apostólica Romana prega. Um dos motivos que mais o perseguem é o fato de ele não condenar a RCC, sabe por que? Porque a Igreja não condena. E então vem uns filhotes de cismático fazer campanha contra o Pe Paulo na internet. De fato, ninguém pode mais ser santo sem ser perseguido pelos que se acham os guardiões da verdade.
Acho que nem vale a pena citar aqui o caso de leigos que são perseguidos por pregarem a verdade. Queria salientar mesmo o caso do Pe Paulo Ricardo e do Pe Roberto Lettieri. Nesse e em todos os casos, eu prefiro ficar com Roma. Melhor Roma do que os cismáticos.
Vão me xingar aí em baixo? Me chamar de herege? Vão jogar indireta no Facebook? Eu prefiro Roma!

Salve Maria Imaculada!

terça-feira, 28 de maio de 2013

A necessidade dos carismas nos dias de hoje


Há diversidade de dons, mas um só o Espírito. Os ministérios são diversos, mas um só é o Senhor. Há também diversas operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito para proveito comum. A um é dada pelo Espírito uma palavra de sabedoria; a outro, uma palavra de ciência, por esse mesmo Espírito; a outro, a fé, pelo mesmo Espírito; a outro, a graça de curar as doenças, no mesmo Espírito; a outro, o dom de milagres; a outro, a profecia; a outro, o discernimento dos espíritos; a outro, a variedade de línguas; a outro, por fim, a interpretação das línguas. Mas um e o mesmo Espírito distribui todos esses dons, repartindo a cada um como lhe apraz.”(1Corintios 12,4-11)

Muito se tem discutido nos dias de hoje sobre a utilização dos carismas na Igreja. Mais do que isso. Muitos se questionam sobre a autenticidade dos carismas. Ação de Deus ou demoníaca? Bom, analisando as escrituras e toda a história da Igreja, a vida dos santos, é bem audacioso – para não dizer anta – quem diz que é demoníaco, pois chama de demoníaco algo vindo de Deus. É claro que o demônio “macaqueia” muita coisa, porque muita gente usa de forma errada os dons, e até mesmo troca o Deus dos dons, pelos dons de Deus.

Ouvi uma pregação em que o pregador falava que não devíamos pedir os dons carismáticos, afinal eles não servem para nossa santificação. De fato, não devemos ficar só buscando os dons, e eles, via de regra, não servem para nossa santificação; porém os dons servem para o serviço. E se Deus me chama para a Sua messe, e eu não quero servi-lo, talvez eu já tenha meu lugar garantido no inferno.

Analisemos os carismas na vida dos santos e vejamos se é necessário ou não os carismas HOJE. Pois bem, vamos logo pegar pelo santo mais atual que se tenha conhecimento de carismas extraordinários: São Pio de Pietrelcina. Este santo sacerdote, estigmatizado, tinha o dom de prescrutar coração, ou seja, lia a alma da pessoa, sabia seus pecados e revelava-os em confissão (principalmente pra quem esquecia, omitia e/ou não tinha arrependimento verdadeiro); tinha também o dom de curar pessoas, dom de milagres; ele bilocava, ou seja, estava em mais de um lugar ao mesmo tempo (era visto até meso em outros países, sem nunca ter saído do convento). Enfim, diversos carismas. E como negar que os carismas de São Pio eram necessários? Vai me dizer que boa parte que ia se confessar com ele ia apenas para uma confissão? Muitos iam pelos carismas que ouviam, pela fama de sua santidade. E o carisma era necessário. Como negar que talvez aquele homem em adultério, que iam de qualquer jeito se confessar, após São Pio gritar “porco!” se arrependeu e voltou ao convento para se confessar? Como negar que foi o carisma? Como negar a necessidade do carisma quando alguém lhe pedia um conselho, e ele lhe vinha com palavras de sabedoria, de ciência. Mas o problema é que muitos que hoje recebem carismas, não buscam a via purgativa, ou seja, se santificar, fazer penitência, de fato se purificar. São Pio apesar de tantos carismas, mesmo já próximo de morrer dizia mais ou menos assim: “o demônio me quer, ele me quer a todo custo”. A santidade não está no carisma, está em querer se unir a cruz daquele que te dá os carismas: Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vários santos tiveram carismas extraordinários. Conta-se que São Francisco Xavier foi pregar em uma cidade, e não acolheram a a pregação. Dirigiu-se então ao cemitério, foi até o caixão dos defuntos mais recentes que iam ser enterrados, e ordenou em nome de Jesus que voltassem a vida... e Ressuscitaram! E o povo creu no Evangelho. “Aquele que crê em mim farpa também as obras que eu faço, e farpa ainda maiores do que estas, porque vou para jundo do Pai”(João 14,12). O fato é que, como podemos negar a ação de Deus neste caso? Como negar que era preciso este milagre pro povo crer? Já dizia São Paulo a respeito da pregação: “Porque não ousaria mencionar ação alguma que Cristo não houvesse realizado por meu ministério, para levar os pagãos a aceitar o Evangelho, pela palavra e pela ação, pelo poder dos milagres e prodígios, pela virtude do Espírito.”(Romanos 15,18-19). A palavra junto com os CARISMAS fazem a obra acontecer.

Talvez você ache que vivemos outros tempos, e ache que os carismas são desnecessários. Afinal a Igreja tem dois mil anos. Porém, é preciso sair da ignorância. O Evangelho foi pregado aos 4 cantos do mundo? NÃO! Tem muito pegão. E o pior de tudo, nós não vivemos mais em uma era cristã, nós vivemos no pós-cristianismo. Muitas pessoas que se dizem católicas vivem como pagãs, jogando no lixo o seu batismo – quando são batizadas – e então, talvez por este motivo, Deus suscitou no mundo esse novo derramamento do Espírito Santo, com dons extraordinários (outros não tão extraordinários assim, mas com devida importância), e o povo passou a se converter. O povo passou a sair do comodismo. É fato que hoje, em especial no Brasil, a RCC tem desvirtuado em muitos lugares o verdadeiro fogo de Pentecostes, aliás, do novo Pentecostes na segunda metade do século passado. O povo tinha experiência com Deus e partia pra via purgativa. Hoje querem os dons de Deus, mas sem saber do Deus dos dons, e menos ainda da cruz do Cristo.

O mundo pagão já era confirmado por muitos santos. O próprio São Pio de Pietrelcina chorava e dizia que tinha medo que no inferno não tivesse lugar para a geração futura (geração futura = é “nóis” na fita – sejamos o resto que vai para o Céu). Nossa Senhora em La Salette profetizava isso, em Fátima. Por isso o próprio Espírito Santo suscitou em uma Beata da Igreja chamada Beata Elena Guerra uma devoção ao Espírito Santo, esta beata, obedecendo às moções de Deus, envia cartas para o Papa Leão XIII pedindo que espalhasse a devoção ao Espírito (até ensina a Coroa do Espírito Santo) e pede então para que o século XX fosse consagrado ao Espírito Santo. E eis que o Papa Leão XIII atende seus pedidos, ou melhor, os pedidos de Deus, e consagra o século XX ao Espírito Santo. Providencialmente neste século surge os movimentos carismáticos, em especial em universidades dos EUA, começa este novo fervor. Logo buscam a Santa Igreja, fazem o que a Igreja ensina, e buscaram comunhão com a Igreja desde o início, ao contrário de cismáticos pós CVII.

Muita gente condena a RCC por causa de seus abusos. Eu não poupo palavras quanto aos abusos. Aqui tem um post que falo da RCC no Brasil, e muita gente não gosta. Hoje eu não tenho nenhuma ligação com a RCC enquanto instituição, mas tenho espiritualidade carismática. Mas onde está o erro temos que denunciar. Doa a quem doer. E muita gente tem trocado Deus pelos dons. Está virando protestantismo principalmente quando fazem do altar um comércio. Mas leia aqui algumas palavras sobre a RCC e entenda mais sobre alguns abusos, já que o tema aqui é outro.

Algumas pessoas querem condenar os carismas dizendo que pode ter ação do demônio. Mas sinceramente acho um argumento pobre. Pois até os sacramentos podem ter ação do demônio quanto ao uso. Explico-me: A Eucaristia é o próprio Cristo, correto? No entanto o mesmo Cristo é levado para profanação em rituais de magia negra para profanar o Santíssimo Sacramento. A ordem, por exemplo, é um sacramento, mas não impede do demônio colocar os seus nos seminários só para serem ordenados e ir celebrar “missa” negra nos templos satânicos. Só citando alguns exemplos. E nem por isso vou deixar de comungar nem deixar de ir pra Missa porque tem gente que está se auto-condenando ao inferno fazendo mau uso dos sacramentos que são INDISPENSÁVEIS para a nossa salvação. Se o demônio macaqueia, principalmente com uma pessoa sem discernimento, não faz dos carismas ruim, faz da pessoa um exemplo de quem tem que rezar mais pra não falar/fazer besteira.

Meus queridos, até Santa Catarina de Sena foi iludida pelo demônio em uma falsa visão de Nossa Senhora, como então querer exigir de alguém que ainda está começando sua caminhada? Deus dá os dons e carismas a quem Ele quer, como quer, onde quer, da forma que quer. Se ele dá a santos, a pecadores que ainda querem se santificar, é com Ele. Tem carismas dados a grandes pecadores, porque muitos que buscam a via purgativa não querem recebe-los, e alguém precisa desses dons, e não é este que recusou receber, é alguém que está afundado no pecado. Entendam: CARISMA NÃO É PRA SI! É PRA SERVIÇO!

Acho que o maior problema é que as pessoas querem mandar até em Deus. As pessoas querem que tudo seja conforme a própria vontade. Se eu perguntar pra 100 pessoas opinião de como fazer minhas pregações e posts no blog, terei praticamente 100 jeitos diferentes. Aí que está o segredo pra quem quer ser santo: “Importa obedecer antes a Deus do que aos homens”.(Atos 5,29). Então se Deus te chama a profetizar, profetize! Se Deus quer te dar um carisma, este carisma não te salvará, mas é para o serviço pro Reino, pelo qual ao você se consumir por Deus, te leva ao Céu. Aliás, falando em pregação. Condenam os carismas, mas esquecem-se que a pregação é um carisma. Esquecem-se que a profecia está ligada à pregação. Quem prega o Evangelho – quem prega o Evangelho e não um falso evangelho ligth – sabe que muitas vezes começasse a pregar, e já começa a vim palavras ao coração totalmente diferentes. Deus vai levando pra outra coisa. Uma vez aconteceu comigo em um grupo de jovens, comecei falar da profecia de La Salette, dos livros maus, aí começaram risadas, e só via gente passando um livro que nem conheço, mas que pela cara deles se enquadrava na profecia de Nossa Senhora.

Eu não quero nem abordar a polêmica do dom das línguas. Só quero dizer que é verdadeiro. Tiveram santos que oraram em línguas. O Pe Paulo Ricardo no curso de Teologia Mística cita até São Francisco de Assis. Veja aqui este curso do Pe Paulo Ricardo sobre Teologia Mística, e veja alguém que soube abordar o tema com sabedoria. Condenou o que tinha que condenar, e mostrou a verdade da Igreja. (o curso é só pra assinantes do site, as duas aulas que são abertas falam de heresias do primeiro século, não trata-se necessariamente da RCC).

A Igreja necessita dos carismas. A Evangelização necessita dos carismas. E como é triste ver gente que joga toda uma vocação fora por causa do orgulho de não querer a presença dos carismas. Não digo nem receber carismas, mas de existir carismas. Pobre pessoas. Quantas comunidades que são heréticas porque o profeta que Deus escolheu prefere ficar criticando. A RCC é de fato uma figura de João Batisma, todos reclamam porque quem está crendo e se convertendo à única Igreja de Jesus Cristo são as prostitutas, drogados, traficantes, gente com problemas na sexualidade, malfeitores em geral; enquanto a elite arrota gordura, e rezemos para não serem vomitados na Parusia.

Pra finalizar ouçamos a Igreja: “Quer extraordinários quer simples e humildes, os carismas são graça do Espírito Santo que, direta ou indiretamente, têm uma utilidade eclesial, pois são ordenados à edificação da Igreja, ao bem dos homens e às necessidades do mundo.
Os carismas devem ser acolhidos com reconhecimento por aquele que os recebe, mas também por todos os membros da Igreja, pois são uma maravilhosa riqueza de graça para a vitalidade apostólica e para a santidade de todo o Corpo de Cristo, contanto que se trate de dons que provenham verdadeiramente do Espírito Santo e que sejam exercidos de maneira plenamente conforme aos impulsos autênticos deste mesmo Espírito, isto é, segundo a caridade, verdadeira medida dos carismas.
É neste sentido que se faz sempre necessário o discernimento dos carismas. Nenhum carisma dispensa da reverência e da submissão aos Pastores da Igreja. “A eles em especial cabe não extinguir o Espírito, mas provar as coisas e ficar com o que é bom”, a fim de que todos os carismas cooperem, em sua diversidade e complementariedade, para o “bem comum” (1Cor 12,7)” (CIC 799 à 801) (Pegando um gancho do último trecho: o que os Pastores da Igreja têm dito? Desde Paulo VI até Francisco nenhum Papa condenou a RCC como um todo. Os seus erros, como os erros de quem tem atitudes cismáticas, foi e será sempre condenado. “ah mas fulano é modernista...” Ok. Paulo VI, João Paulo I (apesar do curto pontificado), João Paulo II, Bento VI e Francisco, todos apoiam a RCC, agora só os fulano do Brasil que pegam os erros locais e condenam o todo? Dos papas que apoiam a RCC um vai virar santo este ano, e outro foi um grande e santo conservador que é Bento XVI, e querem saber mais que a Igreja? Diante de acusações de ignorantes dos dois lados, eu prefiro ficar com a Igreja de Cristo.

Salve Maria Imaculada, Esposa do Espírito! 

terça-feira, 21 de maio de 2013

Vai pra Pentecostes com o Padre Moacir Anastácio, mas não vai pra Corpus Christi com o Bispo. E agora?



Salve Maria Imaculada!
Tem sido até comum nos últimos anos ouvir a velha reclamação de algumas pessoas em relação a “fidelidade” das pessoas em relação aos grandes eventos católicos em Brasília. Aqui em Brasília existe um evento grandioso, o maior evento paroquial do mundo (apesar de a paróquia São Pedro e a Comunidade Renascidos em Pentecostes serem quase que uma coisa só enquanto serviço), que é a Semana de Pentecostes. Tudo começou à 14 anos atrás após uma revelação. Não podemos negar o dedo de Deus neste evento, afinal nos dias de hoje não se reúne mais de 1 milhão de pessoas para participar da Missa (apesar dos apesares litúrgicos) e onde terá Jesus Sacramentado exposto. Não dá para negar a ação divina através das velas de Pentecostes, consagradas na sexta ao Pai, no sábado ao Filho e no domingo de Pentecostes ao Espírito Santo; basta vermos os testemunhos dos milagres alcançados. Eu inclusive já obtive graças através destas velas.
Mas apesar de ser um evento apoiado pelo Arcebispo de Brasília, Dom Sérgio da Rocha, tem gente que critica o evento. Claro, é óbvio que qualquer coisa que se faça seremos criticados. Mas é que passam a tomar as dores do Arcebispo, e dores que diga-se de passagem não existe. Pessoas, inclusive clérigos, dizem “Pra Pentecostes vai mais de um milhão, mas pra Corpus Christi que é com o Bispo vai bem pouquinha gente”. Nunca vi o Bispo reclamar disso. Dizem alguns que em Pentecostes as pessoas vão só por causa das velas e dos milagres... Não me diga! Descobriu isso agora? Desde as pregações de Cristo o povo já o seguia por causa dos milagres. É óbvio que tem gente que vai porque comeu do pão, e outros porque querem comer do pão dos milagres. E outra, sei que vai ter padre que se doerá, mas é muita infantilidade querer que também vá um milhão de pessoas para Corpus Christi. Sabe porquê? Porque a maioria que vai pra Pentecostes está recebendo o Kerigma, ou seja, o primeiro anúncio do amor de Deus. Tem muita gente que é pagão, ateu, macumbeiro, protestante, espírita, que vai lá só por curiosidade. Tem muita gente que vai pra lá que não comunga a anos, e confissão pior ainda, e se vai na Missa é uma vez na vida e outra em Pentecostes (hehe). Como o cara quer exigir que essa multidão vá pra Esplanada, se muitos nem sabem o que é o dia de Corpus Christi? Se sabe, sabe só o nome porque é feriado. Aliás, muitos não tiveram nem uma boa catequese. E se tem um monte de ignorante desse jeito é por culpa das Paróquias pelas quais são responsáveis os mesmos que só sabem falar asneira.
Um outro ponto que quero destacar é que, torna mais infantil ainda essa “birrinha” pelo fato de que o evento tendo mais de um milhão de pessoas, existe várias pessoas que vieram de outros estados. O povo que veio de Tocantins agora vai ter que ficar pra Corpus Christi é? Só pra agradar meia dúzia de gente que quer se aparecer pro Arcebispo? Tinha gente de vários estados, e até estrangeiros. Vamos pedir pros gringos aumentarem a estadia no Brasil, e assim todos vivem felizes para sempre.
Mas ainda tem a questão que são eventos completamente diferentes. Na Semana de Pentecostes tem uma promessa de Deus, os milagres através das “Velas de Pentecostes” consagradas à Trindade. Como o evento é gigante, muitos tem que sair mais cedo. Muitas paróquias nem existe Missa em alguns dias da Semana (inclusive a São Pedro, que se não me engano, ordinariamente não tem o Santo Sacrifício da Missa todos os dias não). Não se faz os três dias como é feito com o padre Moacir. E Deus pediu para que se fosse nesses três dias consagrar as velas. Em contrapartida, eu desconheço uma lei que obrigue o fiel católico a participar da Missa de Corpus Christi na Esplanada dos Ministérios com o Arcebispo. Falo isso, porque muitos querem que o povo vá pra Missa com o Arcebispo, mas boa parte dos fiéis católicos já foi para a Missa pela manhã.
Fico a imaginar como seria se antigamente quisessem me obrigar a ir para a Missa de Corpus Christi. Eu nem sabia o que era. E se vai pouca gente para a festa do Corpo do Senhor é justamente pelo fato do povo ser ignorante. Lembro-me que uma vez, na própria Paróquia São Pedro, perguntaram-me “o que era aquilo” - apontando para o ostensório – e eu, na minha ignorância, disse que “representava Jesus”. Enquanto hoje, tenho plena consciência e fé, que o ostensório é colocado o Santíssimo Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por mais que os sentidos queiram me enganar, é o Corpo do Senhor. Na Santa Missa comungamos o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo. Nós nos alimentamos do próprio Deus. Disse tudo isso unicamente por um motivo: hoje eu sei o que é Corpus Christi. Antes eu não sabia, por isso eu não fazia do meu dia a dia um “Corpos Christi”, ou seja, participar da Santa Missa e comungar quantas vezes for possível, sobretudo no domingo. Não busco apenas ir no Corpus Christi pra agradar a uns, nem ir à Pentecostes pra ganhar milagre, eu busco me alimentar de Deus sacramentalmente, e me alimentar do pão diário da Sua vontade na minha vida.
Para termos muita gente na Missa de Corpus Christi com o Bispo é preciso dar uma catequese que preste. E se o povo não sabe o que é a festa do Corpo de Deus é porque nossos jovens estão aprendendo historinhas infantis na Crisma, e não a catequese. E até onde eu sei, o Padre Moacir não tem culpa da catequese brasileira. Se tem pouca gente que conhece o Santíssimo Sacramento é porque ou não se prega, ou se prega com desdenho sobre Ele. Os que pregavam com grande amor e ador como o Padre Roberto Lettieri são afastados, abafados, perseguidos. Mas os verdadeiros perseguidores da Igreja, que profanam o sagrado, estão soltos. Aliás, você sabia que o povo não conhece o Santíssimo Sacramento? Que tal sermos obedientes à IGREJA e expormos – no caso os ministros autorizados expor – o Santíssimo Sacramento para ser adorado PELO MENOS nas quintas-feira. Outra coisa: Cadê as procissões com o Santíssimo Sacramento em outros dias do ano? Aí o povo não conhece Jesus. Aliás, procissões com imagens sacras e com o Santíssimo está cada vez mais raro.
É bom clamarmos um novo Pentecostes. Um Pentecostes que nos faz sair em missão. Ser cheio do Espírito Santo é ser Igreja Militante. E Igreja Militante vai de encontro ao povo para este se converter, e não fica reclamando quando o povo não vem ou vai em outro lugar da MESMA IGREJA MILITANTE. E não entendo o porquê da reclamação de tanta gente, como falam: O Deus de lá não é o Deus daqui? A Missa é a mesma. Clamo que com o Bispo o soleníssima, mas o povo levanta uma bandeira que o Arcebispo não levanta. E pra finalizar,:querer obrigar que a maioria que estava em Pentecostes vá pra Corpus Christi é o mesmo que fazer que um recém-nascido coma Bife acebolado com batata frita.
Salve Maria Imaculada!

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Deus ou a carreira profissional? Discernimento...


Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. (Mateus 6,33)


Salve Maria Imaculada!
Começamos esta reflexão a partir deste versículo em que Cristo nos exorta a buscar primeiro as coisas do Céu. Jesus vinha dizendo que não podemos servir a Deus e à riqueza (cf. Mt 6,24). E neste contexto quero fazer uma exortação para a busca pela riqueza hoje. As pessoas não querem estudar para deixar de ser ignorantes e amar mais a Deus, mas as pessoas buscam sim os estudos para obter mais e mais dinheiro. Os jovens hoje não escolhem um curso universitário por causa da sua vocação para aquela profissão, mas sim pelos salários. As pessoas não buscam mais concursos públicos porque se identificam com o cargo, mas porque se identificam com a estabilidade e altos salários. E o que tem isso a ver com ser santo? É, não tem nada a ver; por isso é fácil ver gente se afastando de Deus por causa dos estudos. Se o estudo já afasta muitos de Deus, imagine quando consegue o lucro visado...
O fato é que devemos ser sóbrios. Não quero aqui fazer com que todo mundo largue os estudos e deixem de almejar uma vida melhor. Sejamos sóbrios! Entendam que o que falo aqui é da desordem que vemos hoje. Para vocês terem uma ideia de como as coisas estão desordenadas nesse sentido, eu conheço um jovem que há algum tempo atrás, ainda menor de idade, estudava muito pra concurso. O detalhe é que este jovem ainda estava no 1º ou 2º ano do Ensino Médio. E metia as caras estudando pra concurso público. Resultado? Reprovou na escola. Agora me explica no que adiantou tudo isso? As pessoas já pensam no concurso antes de passar da etapa que vivem. Isso vale também para o discernimento da vocação. Um jovem que quer seguir a vida religiosa, só pensa em entrar pra ordem, ler só os santos, só doutrina da Igreja, mas esquece de estudar as matérias da escola... Resultado? O demônio usa disso, faz o cidadão reprovar, e tarda em pelo menos um ano o ingresso do mesmo em uma ordem religiosa. Estamos no mundo mas não pertencemos ao mundo. Vivamos o hoje, o que Deus nos pede pra hoje. E voltando a questão profissional, tem gente que é tão alucinada com concursos e coisas do tipo, que já está dando jeito de pagar a faculdade do filho que nem nasceu.
Eu sou um grande crítico dos concursos públicos. Ou melhor, dos concurseiros. Talvez por eu morar em Brasília, a capital dos concursos públicos. Por aqui quase todo mundo respira concurso público. É fácil encontrar pessoas que tentaram uma vaguinha no serviço público, inclusive eu. Mas a questão é que, como já dito, as pessoas estão atrás apenas da felicidade passageira, do dinheiro, do prazer, do poder, do possuir. E não da felicidade plena e eterna que é Cristo. Em uma rede social, uma empresa de cursos preparatórios para concursos fez uma enquete perguntando o porquê os concurseiros decidiram procurar a carreira pública. E, não para minha surpresa, a opção “tenho vocação para o cargo” recebeu apenas 59 votos; contra os 4539 para “estabilidade”, 1396 para “realização de um sonho” e 1353 para “remuneração”. Então aqui fica mais do que provado que o povo é movido pelo desejo do querer, do ter, do poder. Se você tem vocação para o cargo, estude, se dedique, isso será até via de santificação. Agora se você quer apenas ser concursado para ganhar muito dinheiro, sem ter vocação, você dará murro em ponta de faca. Aliás, você pode até obter êxito profissional, mas terá perdição da alma caso se deixe levar pelas paixões.
Vai dizer Santo Afonso Maria de Ligório: “Quem deixa a oração por causa do estudo não busca Deus, mas a si mesmo. Quem procura a Deus, larga o estudo oportunamente para não deixar a oração”. O teu estudo tem te levado para Deus ou te afastado d'Ele? Como é comum aparecer gente pedindo para rezarmos para que consiga entrar na universidade. A pessoa entra e nunca mais volta pra Igreja. Sabemos que a vida universitária é difícil, mas se a pessoa ama verdadeiramente a Deus saberá arrumar tempo para Deus. A desculpa de não ir mais à Igreja porque tem muitos afazeres é apenas uma desculpa de quem não ama de verdade. Quem ama se sacrifica. Como tenho visto várias pessoas que fazem faculdade, trabalha, e sempre estão trabalhando para o Reino de Deus. Não só indo à Missa dominicalmente que é obrigação, mas exercendo seu apostolado. Então quando você larga tudo pra estudar é porque já virou idolatria. Para você não ficar alienado, vou citar exemplo. Conheço uma pessoa que diz claramente que, pra fazer prova de concurso, já faltou a Missa dominical. Ora, o que é mais importante na vida da pessoa, o Santo Sacrifício da Missa ou o próprio sacrifício por algo que passa? E pior que nem é chamada nos concursos. Sejamos fiéis no pouco que Ele muito confiará, busquemos primeiro o Reino de Deus (sendo fiéis ao nosso apostolado, à vida de oração, indo sempre e principalmente aos domingos à Santa Missa, etc.) que o restante será dado por acréscimo.
Nós vemos o testemunho de São Francisco de Assis, que de família rica, renunciou TUDO para viver a pobreza. Viver a irmã pobreza. Hoje as pessoas não amam mais esta irmã. E olha que falo da pobreza no sentido de ser pobre nas mãos de Deus, de fazer a Sua vontade. Por que cá para nós, muitos que fazem concurso público reclamando uma vida melhor, mais digna, vive muito bem, obrigado. Talvez viva melhor do que muita gente de condição em outros tempos. Mas, graças a Deus ainda existem vários testemunhos de renúncia hoje em dia. Eu vejo pessoas que passam em concursos públicos ou que passam para fazer uma faculdade ou uma pós onde é SUPER concorrido, e larga tudo para partir em missão. Larga TUDO para ir para uma vida religiosa.
É bom salientar que não estou a condenar o estudo. Sabemos da graça que é o estudo. Uma pessoa para ser sacerdote, por exemplo, tem que estudar bastante. Duas faculdades para ser mais claro. Devemos nos esforçar para estudar, mas estudar de uma forma mais santa. Falando sobre vida religiosa, não dá para usar do exemplo de São João Maria Vianney, que tinha problemas com os estudos, para me manter burro e ignorante por pura negligência e preguiça. Vianney tinha dificuldade, que serviu para sua santificação, nós temos preguiça (é outra coisa...). Na vida leiga é a mesma coisa, devemos estudar sim, com todo empenho (veja que disse empenho, e não idolatria). Um médico tem que estudar muito pra ser um bom médico; um advogado tem que estudar muito para ser um advogado. Toda profissão merece o nosso esforço. Mas o que vemos hoje, repito, é um esforço pelo dinheiro, e não pela plena realização da vocação. Eu entrei na faculdade de Direito a algum tempo atrás, e em um momento de oração Deus me pediu para sair. E vejo que foi coerente. Eu estava a me afastar de Deus aos poucos, até porque entrei buscando altos salários.
Acho que em resumo o que eu queria dizer é isso. Precisamos estudar, mas sem deixar a vida de oração, a vida de busca da santidade. Do que adianta estudar, passar em concurso, ser podre de rico, e ser uma pessoa infeliz porque fez as próprias vontades? Tem gente que tem que fazer concurso porque é sua vocação; existem outras que fazem porque é sua fuga para mostrar que é infeliz porque quer se amar, e não amar a Deus, então busca a fuga de ser rico(a). Muita gente tem jogado no lixo até mesmo a vida religiosa para passar em concurso. No mais, devemos buscar um diretor espiritual, alguém que nos guiará para a vontade de Deus, e nos mostrará o que é orgulho ou não, o que Deus quer de nós. Afinal, sua faculdade pode ser um dom, basta você estar unido(a) a Ele em oração. E pra estar unido a Ele em oração, é preciso as vezes sacrificar um pouco de estudo.
Só para encerrar, lembro de um seminarista de Fortaleza, membro da comunidade de Vida do Shalom. Ele dizia que estudava de manhã, a tarde e noite tinha coisas do Shalom para fazer. Nas aulas no seminário os seminaristas que são do Shalom ficam com cara de sono, cochilando... E os outros seminaristas diziam: “eu não entendo, vocês do Shalom são cheios de coisa pra fazer, vivem cansados, dormindo nas aulas, mas as melhores notas são de vocês...” Pois é amados, exemplo de quem não abandona Deus por causa dos estudos. Mas usa dos estudos para um meio de amar mais ainda a Deus. Sede santos. Sede fiéis.
“Os santos que se dedicam a conquistar pessoas para Deus, não perdem o recolhimento mesmo entre as canseiras da pregação, do ouvir confissões, do reconciliar os inimigos, do assistir os doentes. O mesmo acontece com aqueles que se dedicam ao estudo. Quantos estudam muito e se esforçam para se tornar sábios e acabam não se tornando nem sábios nem santos. A verdadeira sabedoria é a sabedoria dos santos: saber amar a Jesus Cristo. O amor de Deus traz consigo a ciência e todos os bens: “Com ela me vieram todos os bens” (Sb 7,11), isto é, com a caridade.” (Santo Afonso Maria de Ligório)
Salve Maria Imaculada!

terça-feira, 14 de maio de 2013

Por que você quer que a Igreja mude seu ensinamento sendo que você nem é católico de verdade?

"A fé não é a escolha de um programa que me convém ou o ingresso em um clube, no qual me sinto compreendido. A fé é conversão que muda minha pessoa e meus gostos ou pelo menos torna secundários meus gostos e minha vontade. A fé atinge uma profundidade inteiramente diversa daquela da escolha que me liga a um partido. Sua força de mudança é tão grande que a Escritura a caracteriza como um novo nascimento (cf. 1 Pd 1,3.23)" Cardeal Joseph Ratzinger - Trecho da Homilia em Filadélfia, EUA, em 21/01/1990

Essas palavras do Cardeal Ratzinger são suficientes para introduzir o seguinte video. As pessoas hoje querem viver uma fé cômoda, escolher o que crer. Muitos "católicos" dizem ser contrários a diversos ensinamentos da Igreja, vivem de forma contrária da forma que a Igreja ensina, e ainda chama a Igreja de opressora quando acontece uma desgraça com si ou com outras pessoas. Muitas pessoas, até ateus, querem que a Igreja mudem seu ensinamento. Ora, se a Igreja legalizar a união gay, a camisinha, o sexo antes e fora do casamento, etc., vocês passarão a ser católicos? Acho que não. Então - nem se vocês passassem a ser católicos - não venderemos as verdades da fé. Antes obedecer a Deus do que aos homens. Então se você não crê na Igreja Católica, você é livre pra ser o que quiser; agora pare de querer mudar os ensinamentos da Igreja fundada por Cristo, com mais de 2 mil anos. Muitos não sabem nem fazer o sinal da cruz, e vem querer que a Igreja mude os dogmas, sendo que dogmas são imutáveis. Nem sabem o que é um dogma. 

Católico: DEFENDA A SUA FÉ!
Salve Maria Imaculada!

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Pela salvação das almas eu apoio a redução da maioridade penal





A redução da maioridade penal é uma velha e polêmica discussão na sociedade brasileira. Existem pessoas que acham que do jeito que está está ótimo; outros discordam, e afirmam que deve haver mudança nas leis, e em especial na redução da maioridade penal, para haver justiça e uma sensação de impunidade menor. Pra falar a verdade, todas as pessoas, tanto quem defende a redução, como quem acha que devem ser aplicadas apenas medidas socioeducativas, tem suas razões. O que dificulta ainda mais achar uma solucionática para este caso. Sabemos que se fosse praticado o que os defensores dos “direitos humanos” do nosso atual governo fala, talvez funcionasse, mas na realidade existe apenas uma bela propaganda, e um produto mortal nas ruas.
Como católico que sou, devo fazer uma avaliação de como salvar as almas. Como a redução da maioridade penal ou a manutenção da atual idade, pode melhorar a sociedade. O que eu sei é que o atual sistema torna a sociedade num verdadeiro caos urbano. Vivemos uma guerra civil que nem é mais bandido x polícia, mas sim bandidos massacrando toda a sociedade e a polícia presa pela lei que apóia bandidos. E, sabendo que tais delitos são pecados graves, e como católico que sou, sei que quem morre em pecado grave vai para o inferno (isso é doutrina católica, não é julgamento, é uma verdade de fé), vejo não somente uma sociedade cheia de delinquentes, mas vejo uma sociedade que manda seus jovens para o inferno por não haver repreensão.
Tudo começa com o Governo querendo proibir os pais de educarem seus filhos, e para isso, dar palmadas se for necessário. Começa assim, não existe repreensão em casa. E talvez nem vala mais a máxima de “quem não apanha dos pais apanha pra polícia”, porque a polícia também é proibida de coibir menor de idade. Eles nem são “presos”, mas “apreendidos”. Não cumprem “pena”, mas “medidas socioeducativas”, que na realidade todos sabem que não educa ninguém, até porque a gravidade do delito é incompatível com a “pena” (que aqui não existe).
E é exatamente por isso que a cidade torna-se um caos e as almas põe-se a perder-se. Sei que tem muito católico que acha que devemos amar, e para amar deixar livres. No entanto, sabemos que quem ama não quer colocar o outro em perdição. E eu digo isso com base não somente doutrinária católica, mas nos fatos. Psicólogas da Fundação CASA (antiga FEBEM) denunciaram que elas eram OBRIGADAS a assinar laudos liberando menores infratores dizendo que eles já estavam aptos a viver em sociedade. Menor de idade pode ficar fora da sociedade no máximo por 3 anos, mas sabemos que a grande maioria não passa nem 1 ano. E essas psicólogas foram corajosas e denunciaram. É muita presunção de pessoas, até mesmo católicas, com discursos de amor ao próximo, achar que soltar é o melhor pro jovem, até porque além de ele não sofrer duras penas, ele acaba não adquirindo maturidade em cima do erro que cometeu, então comete novamente.
Existem grupos católicos e protestantes que fazem evangelização em presídios, e, para o bem das almas, devem reduzir a maioridade penal. Devemos parar com a conversinha mole de que Deus é bom, então seja solto e aleluia. Sabemos que Deus é poderoso e tudo pode fazer, inclusive um grande milagre de conversão rápida. No entanto, é ter muita presunção querer fazer disso uma regra. Muitos jovens envolvidos no crime escutam Rap, e nesses raps além de muito incentivo ao crime, existem doutrinas errôneas. Um exemplo disso é a música “Vida Loka part 2 – Racionais Mc's” onde colocam Dimas (o Bom Ladrão) como o exemplo de vida loka, que é isso mesmo: você pode roubar, matar, mas só Deus pode te julgar ladrão, e você será salvo. E isso é um erro tremendo. Na crucificação de Jesus existiam dois ladrões. Um continuou no ódio e no crime, blasfemou... e foi condenado. O outro, no caso Dimas, se ARREPENDEU e ouviu Jesus dizer que ainda hoje estaria no Paraíso com Ele (cf. Lucas 23,39-43). Essa é a grande diferença, o bom ladrão assume seu erro, e arrepende-se. O ladrão mesmo disse repreendendo o outro ladrão: “Nem sequer temes a Deus, tu que sofres no mesmo suplício? Para nós isto é justo: recebemos o que mereceram os nossos crimes, mas este não fez mal algum” (Lucas 23,40-41). E o que Jesus fez? Por acaso falou: “Wont que bonitinho, isso mesmo, meu fih arrependeu-se neh, agora desse da cruz, precisa pagar pelo crime não...” Foi isso? NÃO! Cristo deu-lhe a garantia da salvação, mas sem livrar da pena do crime cometido, que era JUSTA! E o próprio ladrão reconhece isso. Essa deve ser a verdadeira evangelização nas penitenciárias, mostrar que eles erraram, e que no cumprimento da sua pena, podem ser expiados os seus pecados. Mas ninguém se converte, porque 99% dos presos (em especial os menores) agem como o outro ladrão, que blasfema, e que não se compadece da Cruz de Cristo.
E o que eu digo não contraria em nada o que diz a doutrina da Igreja Católica. Veja o que diz o Catecismo da Igreja Católica: (grifos nosso) “Corresponde a uma exigência da tutela do bem comum o esforço do Estado destinado a conter a difusão de comportamentos lesivos aos direitos humanos e às regras fundamentais de convivência civil. A legítima autoridade pública tem o direito e o dever de infligir penas proporcionais à gravidade do delito. A pena tem como primeiro objetivo reparar a desordem introduzida pela culpa. Quando essa pena é voluntariamente aceita pelo culpado tem valor de expiação. Assim, a pena, além de defender a ordem pública e de tutelar a segurança das pessoas, tem um objetivo medicinal: na medida do possível, deve contribuir à correção do culpado.” (CIC 2266) Então se você ver alguém aí com discurso açucarado, dizendo que o bebê assassino deve ser solto porque é um jovem inocente, saiba que não condiz com a doutrina Católica. Na realidade, neste trecho do Catecismo da Igreja Católica só confirmo tudo o que eu falei neste post. Os jovens infratores tem um número tão grande de reincidência no crime porque não existe punição proporcional ao crime cometido. E também por isso a nossa evangelização é falha, porque o Catecismo da Igreja mesmo diz que quando a pena é voluntariamente aceita pelo culpado tem valor de expiação. Ou seja, quem age como Dimas expia os pecados, quem age como o outro ladrão se condena ao inferno.
Eu participei de evangelização em um determinado “presídio” para menores infratores. Neste presídio os jovens ficavam no máximo 40 dias esperando a decisão do juiz se iam ser soltos ou se iam para o CAJE. A decisão mais comum era soltar. É comum em um curto espaço de tempo os jovens irem para esse presídio 3, 4 vezes. E os juízes sempre soltam, ou se vão para o CAJE sempre são soltos antes do tempo. Não existe punição em nome de uma educação; e não existe uma educação fazendo da sociedade um caos. Neste presídio a mordomia era tão grande que os jovens chamavam de “colônia de férias”. Isso mesmo, colônia de férias. Tinha comida boa, televisão, esporte, tinham tudo, e com 40 dias saiam de lá para praticar crimes novamente. Então, tiravam umas férias voltando pra lá... Por isso eu digo: para a salvação das almas reduzam a maioridade penal. Foi implantado um grupo de oração neste presídio, mas, não existia uma sequência na evangelização. Porque como era muitos jovens, então só podiam participar de 15 em 15 dias, então tinha jovem que participava uma vez e depois já ia solto. E, em regra, nas bocas de fumo da vida não vai ter ninguém pregando a Palavra de Deus. Outro fato é que o ambiente familiar de muitos jovens favorecem a prática do crime, e se o Estado não pune, a família muito menos, pois o crime está em família. Tinha um rapaz que um após uma conversa, pediu para que eu rezasse pra sua mãe, porque ele queria passar um final de semana com ela... Sabe porque ele pediu isso? Ele concluiu “porque ela tá presa também...” Por isso ninguém se conserta. Primeiro que como já disse querem impedir os pais de educarem; segundo que o crime tá em casa; e terceiro o Estado incentiva. Aí nós pregamos no presídio, o jovem demonstra um certo arrependimento, mas quando sai não tem apoio para mudar de vida, mas sim o aliciador do tráfico (isso quando não é o próprio menor a traficar). Muitos dizem que a semente foi plantada, sim, óbvio, afinal a Palavra de Deus não volta sem dar frutos, porém, achar que por isso devemos deixar a questão como está, é no mínimo uma presunção diabólica. Oxalá todos os jovens deste determinado presídio fossem presos mesmo, talvez poderiam salvar suas almas, sem pô-las em risco voltando a praticar seus crimes.
Por isso eu digo que sou a favor da redução da maioridade penal pelo mesmo motivo que sou contra a pena de morte no Brasil: por causa da salvação das almas. A Igreja não é contra a pena de morte quando não existe outro meio eficaz (leia o nº 2267 do CIC), mas sabemos que quem morre em pecado mortal vai ao inferno. E sabemos que apesar do Estado brasileiro permitir – na teoria – a assistência religiosa aos internos, sabemos que existe uma burocracia para impedir até mesmo leigos de adentrarem nos presídios para evangelizarem, imagime para clérigos atenderem confissão. E outra, vemos vários leigos querendo cantar, pregar, ser cheio da poderosa unção do Espírito de Deus, mas quando é para ir para um presídio evangelizar dão pra trás. E isso inclui padres. Sou contra a pena de morte no Brasil porque se está difícil muitas vezes para nós leigos que estamos soltos encontrar bons sacerdotes para nos confessarmos, quanto mais a assistência para presidiários. A não ser que façam algum show na Papuda ou outro presídio...
Só para terminar a questão da redução da maioridade penal, uma vez vi um jurista dizendo que se reduzissem a maioridade penal ia só aumentar o crime, pois os jovens aprenderiam com os antigos nos presídios. Até que eu me iludi com essa declaração. No entanto, a gente começa a pensar (e quem pensa é inimigo do PT) e acabei percebendo o seguinte: se a redução da maioridade penal fosse aprovada, não seria necessário mandar os jovens para os complexos penitenciários existentes, bastaria deixar nesses presídios usados para “medidas socioeducativas” só que pelo tempo em que o mesmo foi condenado. Ah mas estão lotados e todo dia chega gente nova. Claro que estão lotados e todo dia chega gente nova, normalmente quem chega hoje é o mesmo que saiu semana passada. Ou seja, o cara cumprindo seus anos JUSTOS pelo crime, reduziria a movimentação de entra e sai porque estariam cumprindo suas penas em regime fechado. Além da questão que coibiria novos crimes, uma vez que sabemos que maiores de idade colocam menores no crime porque sabem que não serão presos. Ou colocam somente o menor para assumir a autoria, já que o jovem vai apenas descansar na “colônia de férias”. Então a questão da redução da maioridade penal é uma questão de inteligência.
Só que existe um outro problema. Sabemos que a redução da maioridade penal não fará com que a paz reine. Até porque a paz verdadeira só quem nos dá é Cristo, e a plenitude da paz virá na glória do Céu. Mas tem um detalhe: reduz a maioridade penal, mas a impunidade continuará. Sabe por que? Porque a lei solta bandido. Por isso a questão do que o que o CIC fala serve tanto pra menor como pra maior: é preciso aceitar a pena voluntariamente para servir como expiação. Mas muitas vezes a pena é falha e injusta. O cara é condenado a 20 anos de prisão, as a progressão de pena faz o cara cumprir apenas 5 ou 6 anos em regime fechado. Isso é um absurdo. Sabemos que em determinados casos pode até haver progressão de pena, mas a progressão de pena para crimes hediondos é um crime hediondo contra a sociedade. E para isso não é preciso fazer o que muitos jornalistas falam, inclusive o sr Datena, que defendem a reforma do Código Penal Brasileiro. Sabe por que não adiantará de nada? Porque o Código apesar de ser da década de 40 é atualizado. Afinal sempre passam projetos que revogam algo, incluem outra... O que deve ser mudado é o Código de Processo Penal, e leis secundárias. Afinal, quem aprovou a progressão de pena para crimes hediondos foi o STF. Então não caiam na lábia de quem quer um novo Código Penal, porque a proposta existente hoje no Senado para um Novo Código Penal, segundo juristas, tornaria o país em um verdadeiro caos. Para quem não sabe nessa proposta, de autoria do Sarney formada por juristas, deixa de ser crime o aborto e a eutanásia, por exemplo.
Mas para finalizar, eu gostaria de fazer um apelo pela salvação das almas. Como disse, eu já participei de evangelização em presídios. E sabemos que o grande motivo da maldade no mundo é a falta de Deus. E nós devemos ser sal e luz do mundo. Só que as pessoas acomodadas de hoje em dia só querem ser luz onde já está claro, e só salgar onde já tem sal (e sal grosso). Eu chamava pessoas para ir para esse tipo de evangelização, mas muitos se negavam, diziam que precisavam rezar mais porque isso era demais, gente até mesmo que participou de evangelização mais perigosa tinha resistência. Antigamente quando li a Constituição e vi que poderia ter assistência religiosa nos presídios, questionava-me porque não existia. Claro, eu desconhecia a existência de movimentos e pastorais que fazem esse serviço. Mas vejo tanta gente cantando músicas belas, dizendo pra Deus que aonde Ele nos mandar nós iremos; mas quando Deus manda irmos anunciar a boa nova em um presídio nós já mandamos Deus esperar. Não dá pra reclamar que no presídio tem muito protestante, que isso ou aquilo, porque só tem muito protestante porque tem muito católico covarde. Muito católico que fica discutindo coisas na internet mas não levantam a bunda da cadeira para fazer obras de misericórdia. Nós não somos hereges da libertação, mas a caridade encarnada não pode sair do nosso viver. Assim como São João Bosco que cuidava de jovens, e jovens muitas vezes infratores. Dava assistência religiosa para infratores, até em pena de morte. E falando em pena de morte, Santa Teresinha do Menino Jesus certa vez ouviu falar de um bandido que fora condenado a morte. Ela rezou a Deus clamando Misericórdia para ele, e pediu um sinal para saber se aquela pessoa foi salva. O homem então, na hora de ser morto, ao ver um sacerdote PRESTANDO ASSISTÊNCIA RELIGIOSA, pede seu crucifixo e beija o Cristo Crucificado. Eis o sinal para Teresinha. Ela não pediu para que o homem fosse livre da pena de morte, mas pediu para que o homem fosse salvo. Esse é um grande exemplo. Cadê os padres santos e os leigos com seus apostolados dentro dos presídios sendo esse sinal de salvação? Vejo tanta gente discutindo liturgia na internet (não que não seja necessário em determinados casos) mas não vejo quase ninguém querendo celebrar o Santo Sacrifício da Missa em Capelas existentes em alguns presídios. Participei de uma Missa, em que os jovens não comungaram – obviamente – mas eles questionavam “porque isso? O que é aquilo?” e aqueles olharem ao ficar de joelhos, etc. Olha aí, pessoas levemente dispostas a saber sobre liturgia, a beleza da Missa, porque como disse Cristo: “E quando eu for levantado da terra, atrairei todos os homens a mim”(João 12,32). E sabendo que a Missa é o Santo Sacrifício da Missa, quando Cristo é levantado na Missa, atrai a TODOS para si. Sim, TODOS, inclusive os delinquentes. Mas preferimos apenas deixar presos como animais, que morram, que façam tudo e depois que vá para o inferno. Mas nós temos que adentrar nessa escuridão e sermos LUZ; entrar nesse insosso e sermos SAL. Por isso, reduzam a maioridade penal e aumentem os missionários verdadeiros que querem levar a Palavra de Deus AONDE DEUS MANDAR, e não aonde a conveniência quer. Já dizia São Paulo: “Lembrai-vos dos encarcerados, como se vós mesmos estivésseis presos com eles.”(Hebreus,13-3) Bom, termino aqui com as palavras do próprio Cristo: “[...]Então, o Rei dirá aos que estão à direita: 'Vinde benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim'[...] (Mateus 25,34-36). Claro que nem todo mundo tem vocação para evangelizar em presídios, mas tão pouca gente é o cúmulo. Que o Espírito Santo nos ensine a sermos santos, e adentrar na missão de levar o verdadeiro Evangelho para quem precisa ouvir.
Salve Maria Imaculada!

sábado, 4 de maio de 2013

O jogo da mídia contra a Igreja Católica e o caso "padre" Beto



Salve Maria Imaculada!
Todos nós sabemos que a mídia brasileira, em suma, é tendenciosa. Sabemos que ela tem lutado contra os princípios cristãos, os bons costumes, a inocência... O triste é ver que tem pessoas que acham que não tem problema nenhum nos programas televisivos. Tem gente que diz que não assiste nada da globo, somente as novelas... Ele vê o pior que tem. Existem pesquisas americanas que mostram que, para a alegria deles pois também querem nos E.U.A, onde chega o sinal da Globo/Novelas aumentou o número de divórcios. O povo ignorante vai imitar o que vê.
Mas nós temos visto nos noticiários sempre uma tendência pela exaltação do errado. Escrevi sobre isso aqui. Mas tem um fato bem recente que podemos ver a canalhice dos veículos de comunicação. Um padre católico que foi excomungado – e muito bem excomungado, diga-se de passagem – passou a ser uma vítima. De lobo na vida real passa a ter holofotes na mídia de uma vítima “oprimida” pela hierarquia da Igreja. Alguns famosos sites divulgaram a notícia, e agora me aparece a Rede Esgoto de Televisão fazer uma reportagem exclusiva com o herege Beto. Claro que a reportagem ainda vai passar, e por isso não posso emitir julgamento sobre a reportagem. Mas se olharmos o histórico, Beto passará a ser um mocinho rebelde que usa pircing na orelha e só quer ser livre. Poxa vida. Somente o fato de terem feito uma reportagem com Beto mostra a canalhice, uma vez que começam a querer colocar lenha na fogueira, colocar pessoas contra pessoas, e até pressionar a população contra o Bispo que agiu corretamente.
É sempre bom lembrar o que dizia o Papa São Gregório VII “que ninguém seja chamado católico se não concordar com a Igreja Romana”. A Igreja tem seus ensinamentos e os ensinamentos da Igreja são verdade. Pois São Paulo mesmo diz que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade (cf. 1Timótio 3,15). Então não é um heregezinho de meia tigela que irá mudar a verdade da Igreja. Igreja essa que tem 2 mil anos de fundação. Essa Igreja, que é Santa, Católica, Apostólica Romana, não é edificada na areia, mas na rocha firme. Quem a edificou não foram homens com boas ideias e cheios de “boas intenções” como Lutero, Beto, Boff... Quem edificou (fundou) a Igreja Católica foi o próprio Deus (cf. Mateus 16,18-19). Então o herege Beto – aliás muitos hereges com este nome heim – só pode mudar a vontade de Deus que se manifesta pela Santa Igreja Católica se ele for deus. Mas ele só é um herege. Espero que se arrependa, de verdade.
Por que eu disse isso? Porque as pessoas acham que a o ensinamento da Igreja é como a Constituição do Brasil, em que diz uma coisa, mas fazem leis anticonstitucionais numa boa, ai vem o STF e dá uma de legislador e mete coisa anticonstitucional (ex. Aborto). Temos leis que reprimem o crime, mas temos leis paralelas que abrem ala para bandido passar. Enfim, a Igreja sempre vai nos ensinar o correto. Deus é um só. O que Deus ensina ele não vai desdizer. A Igreja tem dois mil anos e NUNCA um Concílio da Igreja desmentiu o que um outro Concílio anterior disse. Sabemos que temos muitos Bispos modernistas, que infelizmente são até maçons, mas nem assim conseguem mudar a única e eterna verdade da Igreja, pois quando os Bispos se reúnem, a força do Espírito Santo ali presente é mais forte do que a força herética humana. Mas, tem gente que acha que a Igreja é uma DEMOcracia. Sabe por que Beto tem muitos defensores e sai na mídia fácil? Porque ele dá apoio ao que não presta. Ele apoia a libertinagem sexual como sexo livre, adultério, homossexualismo/bissexualidade. Dentre outras coisas. Se você não é católico e/ou só está na Igreja de corpo presente vamos ensinar uma coisa: quando alguém é ordenado sacerdote (ETERNAMENTE SACERDOTE) existem dois detalhes interessantes: 1º ele não é obrigado a ser padre, tanto que ELE é quem faz o pedido ao Bispo para ser ordenado após a conclusão da formação (óbvio que via de regra todos que entram num seminário desejam ser sacerdotes); 2º ao ser ordenado ELE LIVREMENTE promete obediência a Igreja e seus ensinamentos. Vemos no Beto algo similar a de outros hereges: a desobediência. Santa Faustina diz que o demônio pode até se ocultar sobre o manto da humildade, mas jamais sobre o manto da obediência. Ele dá uma de humilde, perseguido,mas é um desobediente. O próprio Bispo de Bauru, Dom Caetano Ferrari, disse que este cidadão, no tempo em que ele é Bispo nessa diocese, nunca havia ido a uma reunião/retiro do clero. O Bispo diz que já havia o advertido, mas o mesmo não o havia obedecido. A obediência do “oprimido” padre já vem de muito tempo, afinal pelo Código de Direito Canônico TODOS os sacerdotes devem usar hábito eclesiástico, e ele usa roupa normal de jovem revoltado (aqueles que lutam contra o capitalismo mas usam o facebook pelo iphone novinho); e ainda por cima usa pircing na orelha... Todos sabem da origem dos pircings, e os próprios padres exorcistas falam que aumenta a chance de possessão diabólica por causa dos pircings. E a desobediência do padre Beto chega ao cume após ele postar coisas mentirosas e heréticas sobre a Igreja Católica na internet, o senhor Bispo pede retratação, e ele DESOBEDECENDO decide abandonar o sacerdócio. O Bispo, corretamente, como manda a Igreja e como é seu dever de pastor, excomunga o herege.
Infelizmente nesses momentos a mídia passa a demonizar o Bispo e santificar o herege. Enquanto deveria ser o contrário. O Brasil está cheio de hereges do tipo, inclusive em mídias “CATÓLICAS” que ensinam e propagam o erro, a confusão doutrinária. Pouco se noticia quando acontece de Bispos excomungarem sacerdotes que se envolveram em pedofilia, esses casos a mídia esconde para querer mostrar para o mundo que a Igreja é omissa. O próprio Papa Bento XVI teve medidas duras em relação a pedofilia, mas a mídia só deu atenção quando ele renunciou.
Pra você que não entendeu como a mídia quer mostrar sempre faces diferentes da Igreja Católica: Pe Beto foi excomungado da Igreja por espalhar heresias. Então fazem reportagens mostrando o padre como vítima, apoios, etc. Em contrapartida, há algum tempo atrás, vários sacerdotes emitiram uma carta aberta para o afastamento do Pe Paulo Ricardo. Ninguém foi atrás do Pe Paulo fazer mega reportagem mostrando sua realidade. Inclusive, ao ver sempre a Igreja sendo detonada por hereges, a mídia nunca dá atenção a campanhas na internet para a participação do Padre Paulo Ricardo em determinados programas que sempre tendenciam assuntos sobre a Igreja. Ou mesmo leigos, não levam o professor Felipe Aquino que é doutor em Física e grande estudioso da Igreja em tais programas; mas mostram sempre padre modernista, leigos modernistas, jovens de balada, padre excomungado. Vale lembrar que na época de Conclave os grandes entrevistados – além dos modernistas de costume – eram “frei” Beto (outro herege com mesmo nome) e Leonardo Boff. Por que eles só dão atenção para os que estão fora do âmbito eclesial? Eles não querem mostrar quem prega o que diz a Igreja. Bom, aí está com você: ser marionete da mídia manipuladora ou ser de fato da Igreja militante.
Salve Maria Imaculada!