quinta-feira, 28 de março de 2013

Por quantas moedas de prata você tem traído Jesus?



“Então, um dos Doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os príncipes dos sacerdotes e perguntou-lhes: “Que quereis dar-me e eu vo-lo entregarei” Ajustaram com ele trinta moedas de prata. E desde aquele instante, procurava uma ocasião favorável para entregar Jesus”. (Mateus 26,14-16)
            Meus queridos irmãos e irmãs, Salve Maria Imaculada!
            É comum vermos as pessoas condenarem Judas, o traidor de Jesus. Em época de Semana Santa se medita a Paixão, morte e ressurreição de Jesus. E nisso tudo teve a traição de Judas. Judas, um dos Doze, amado por Cristo, traiu Jesus. As pessoas gostam de malhar o Judas; e isso é até comum em algumas regiões fazer bonecos representando Judas Iscariotes para “malhá-lo” e assim se “vingar” da traição feita a Jesus. Mas fico a me perguntar: será que quem malha Judas está tirando a trave do seu próprio olho? Não é uma defesa a Judas, ele se perdeu, duramente condenado por seus próprios atos, cometeu suicídio em seguida; e o próprio Jesus disse: Mas ai daquele que homem por quem o Filho do Homem é traído! Seria melhor para esse homem que jamais tivesse nascido! (Mateus 26,24). Que terrível destino o de Judas. Não quero entrar na discussão de “será que Judas foi mesmo para o inferno?”; até porque Jesus mesmo já disse severamente sobre quem O traísse. O que quero é que meditemos: será que também nós, não estamos traindo Jesus, da mesma forma ou pior que Judas Iscariotes?
            Muitos de nós tivemos uma experiência com Cristo, um encontro pessoal com o Ressuscitado que passou pela Cruz. Judas também teve esse encontro, com o Deus encarnado: Jesus de Nazaré. É verdade que Cristo ainda não tinha sido crucificado e nem ressuscitado (obviamente). Mas ele viu Jesus, tocou em Jesus, viu os sinais... Judas era próximo de Cristo. Dizem que na tradição judaica, durante a ceia pascal, se dá o pão molhado no vinho para a pessoa mais cara, e Jesus deu o pão molhado no vinho para Judas (cf. João 13,26). Como Jesus amava Judas! E Judas, tristemente, O traiu! E como Jesus ama a cada um de nós! E como, tristemente, temos O traído também! E talvez pior do que Judas, pois nós já vimos a ressurreição, sinais de dois mil anos acontecendo da ressurreição de Cristo. E nós, como Judas, desesperamos da salvação. Ou ainda somos presunçosos. Judas ao fim da vida se desesperou após ter traído Jesus, mas a vida toda com Cristo ele foi presunçoso. Nós traímos Cristo todas as vezes que cometemos pecado. Judas cometeu muitos, mas não soube pedir perdão, e foi tão cegado pelo pecado, que trocou o Amor, a felicidade perfeito, o Amado Jesus, por míseras moedas de prata. Moedas que não serviram para nada, já que se suicidou. Não por arrependimento, pois, caso contrário, ele diria JESUS FILHO DE DAVI, TEM PIEDADE DE MIM PECADOR! Mas ele se matou por remorso. Jesus não quer pessoas com remorsos, mas pessoas arrependidas de suas faltas. Talvez ainda esteja valendo o “ai de quem trair o Filho do Homem”...
            Mas como identificar na minha vida a mesma presunção de Judas? Meus queridos irmãos, lembrem-se que quando nos encontramos com Cristo, nós podemos até ter gozos, consolações espirituais, mas sentir o toque de Deus na alma não quer dizer salvação. Precisamos nos converter. Se eu repouso no Espírito Santo em eventos da RCC ou comunidades carismáticas, mas não “repouso” na cruz, na via purgativa, tentando me converter, e, como vai dizer São Paulo, resistir até o sangue na luta contra o pecado (cf. Hebreus 12,4), infelizmente o “repouso no Espírito” não valeu de nada se não me levou a conversão, pois de que adianta repousar na terra e na outra vida cair no “colo do diabo”? Sei que o que falo parece difícil de entender, e parece até meio ilógico. Mas analisemos: Judas viu os milagres de Jesus; ele foi eleito, não foi só um discípulo, mas um dos Doze Apóstolos. No entanto, não lhe bastou ser tão amado por Deus, ele mesmo sendo Apóstolo continuou pecado. Quer que eu prove? Tudo bem, veja: Judas ao ver Maria derramar bálsamo de nardo puro nos pés de Jesus, Judas diz que era melhor vender esse bálsamo de Nardo e dar para os pobres; e então, o Evangelista conclui: “Dizia isso não porque ele se interessasse pelos pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, furtava o que nela lançavam.”(João 12,6) Então, vemos aqui que Judas já traia Jesus a muito tempo. Jesus sabia dos crimes de Judas, mas deu a chance de tomar jeito. E o que Judas fez? Se obstinou no pecado, e de tanto roubar, traiu Jesus por 30 moedas de prata. Podia ele ter feito como o Bom Ladrão, que, na cruz, vendo-se condenado junto com o Jesus inocente, diz “Jesus, lembra-te de mim quando tiveres entrado no teu Reino”, e Jesus logo diz-lhe “Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso” (Cf. Lucas 23,40-43).
            Será que a nossa atitude não tem sido a mesma de Judas? Conhecemos a Cristo, temos um certo conhecimento de Sua Palavra, mas continuamos nos mesmos pecados de quando éramos ignorantes. E sempre temos os discursos gravados: “Só Deus pode julgar”, “Eu pecado mesmo porque sou humano, não somos santos”, “Quem não tem pecado que atire a primeira pedra”,etc., Mas esquecem-se de um detalhe. Quando falamos do pecado, não estamos condenando o pecador, mas mostrando o pecado, que precisamos fazer amizade com Deus e não com o demônio, pois quem peca é do demônio! (Cf. 1João 3,8). E nós vamos sendo presunçosos quando usamos versículos como o de Maria Madalena para justificar nossos pecados. Basta ver o que Jesus diz para a mesma mulher pecadora: “Nem eu te condeno. VAI E NÃO TORNES A PECAR” (João 8,11). Aí que está a diferença, julgar é diferente de dizer não tornes a pecar. Uma pessoa que ama verdadeiramente a Cristo não pode, em hipótese alguma, querer usar o “nem eu te condeno” para dizer que Cristo apóia o meu pecado porque Ele me ama. Pois Cristo, aplica a esta mulher adúltera uma das maiores penitências: não tornar a pecar. Se eu condeno qualquer pecado, inclusive os que eu tenho que lutar diariamente para não cometer e por vezes caio, eu tenho que dizer: NÃO TORNES A PECAR! Jesus te ama! Mas você ama Jesus a ponto de parar de ofendê-Lo e obedecê-Lo no chamado a não mais pecar?
            Judas viu toda a vida pública de Jesus, viu as exortações contra os pecados, contra a hipocrisia. Mas, foi hipócrita, continuou na obstinação do pecado. Você talvez tenha ouvido tantas pregações, lido tantos livros que te exortam contra o pecado. E você continua pecando... Você vê o vigário de Cristo na terra que é o Santo Padre o Papa nos ensinando, mas prefere atacar a Igreja por ela não aceitar os seus e os meus pecados. É mais fácil, como Judas fez, usar a desculpa de vender o bálsamo de nardo para dar aos pobres, para termos o pretexto de roubar. É mais fácil usar nossas condições, fraquezas, para não dizer que somos covardes de nem mesmo querer lutar contra o pecado.
            A gente vai achando tão normal trair Jesus no ordinário, que rapidamente chegamos ao extraordinário. Conheço uma mulher que se lamentava de não poder ir para a Vigília Pascal porque iria trabalhar. Tudo bem se o trabalho não fosse opcional. Era diarista, e, porque queria ganhar um algo a mais, iria trabalhar na festa de aniversário do filho da patroa. Ela dizia que a Vigília Pascal era a Missa mais importante do ano. Depois ela falava que na Semana Santa se confessaria. Eu então disse: “mas pra que se na outra semana vai ter que confessar novamente já que mesmo tendo consciência da importância da Vigília Pascal, vai faltar por livre vontade, isso é pecado grave”. Ela concordou. E eu acrescentei mais ou menos isso: “só espero que não morra do sábado para o domingo, porque aí você morrerá em pecado mortal”. E o triste era ela dizer “não, mas eu não morro domingo não, Deus me livre”. A única coisa que pude falar foi: “cuidado, presunção é pecado contra o Espírito Santo, e não tem perdão”. Veja meus irmãos, Judas traiu Jesus por algumas moedas de prata. E você, por quantos trocados tem traído Jesus? Esta mulher trai Jesus por uma diária a mais. Espero que ela não vá, ou saia mais cedo. Quantas pessoas faltam a Santa Missa dominical para ganhar mais uma diária. Conheço pessoas que confirmam ter faltado a Missa dominical para fazer prova de Concurso Público. Pessoas que não rezam mais, mas que só estudam buscando o conhecimento humano para ter melhor vida profissional e financeira abandonando o espiritual. Pessoas que praticam sexo fora do casamento e mesmo assim comunga sem poder. Pessoas que se masturbam, até mesmo pessoas da Igreja que deveriam ser exemplos dizendo que não é pecado... Pessoas que dizem ser católicas, mas que querem a distribuição da camisinha, a legalização do aborto, o “casamento gay”, a libertinagem. Pessoas que mesmo sabendo a verdade da Igreja, continuam usando e incentivando o uso de anticoncepcionais. Quantas pessoas que mesmo dizendo professar a fé católica, quando chegam no poder acabam trocando essa fé católica pela boa fama para não ofender as pessoas contrárias a Igreja. Tantos e tantos pecados que machucam Jesus e é uma traição nossa... Quisera eu que com toda a sociedade, inclusive eu, fossemos muitas “Marias Madalenas” que após ter encontrado o Cristo nunca mais pecou. Mas somos, infelizmente, um bando de “Judas” que todos os dias estamos traindo Jesus em troca de poder, prazer, dinheiro, respeito humano, etc.
            Reflitamos a cada dia sobre isso. Precisamos ter propósitos sérios de conversão. “Lembra-te de teu fim, e jamais pecarás”(Eclesiástico 7,40). Judas, por certo, não lembrou de seu fim, e pecou... Pecou e tristemente pereceu! Você está em tempo de se arrepender como fez Maria Madalena, o Bom Ladrão, Pedro, Paulo... Só que você tem que parar de bancar o Judas, e enquanto diz que você serve a Deus, que é ungido, que é amado por Deus, que Deus te ama do jeito que você é, ame a Deus renunciando os seus pecados. “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo” (Levítico 19,2). Judas via o material, o passageiro. Lembra-te que tu és pó, e para o pó voltará. Rico ou pobre; Negro ou branco; católico, protestante, ateu, budista, maçon, pagão, satanista... tudo vai parar “debaixo de sete palmos” (a não ser que seja cremado). Todos morreram, todos virarão pó, comida de insetos e vermes. E, se não tiver tido uma vida reta, agradável a Deus, conhecendo essa Verdade que é Cristo... tristemente passará pela segunda morte que é eterna: INFERNO! Confesse seus pecados, não deixe pra amanhã. Talvez este texto seja a última vez que Deus te chame a conversão e para confessar seus pecados, não perca tempo: confesse! Não traia Jesus! Leia este texto sobre a importância da Confissão (primeiro texto deste blog). E lembre-se do caso que ocorreu com São Pio de Pietrelcina: uma viúva pediu para São Padre Pio rezar para saber aonde o recem falecido marido dela estava. Padre Pio silenciou e fez uma cara de dor e disse: "Seu marido esta no inferno". A mulher entao disse: "Mas como? meu marido se confessou antes de morrer." Padre Pio entao respondeu: " No tempo de juventude dele, ele tinha um chamado, ele brincou com o chamado do Senhor, por que ele quis delitar no pecado e curtir a vida; passou um tempo e ele ficou obstinado pelo pecado e não conseguia voltar para Deus. E antes de confessar, ele esqueceu de confessar alguns pecados para o padre, omitiu e não confessou contrito de coração." - vemos ai meus irmãos e irmãs como devemos confessar tudo ao padre, pois este homem confessou, mas omitiu, e o destino foi triste. Devemos nos arrepender e buscar a confissão, e sermos humildes e sinceros. Pois se não nos arrependermos e confessar e voltar a fazer as mesmas coisas, eu digo o que São Padre Pio dizia: "Não joguem o sangue de Cristo fora!"
            Salve Maria Imaculada! Lute contra o pecado! Não trai maias Jesus por qualquer coisa, pois tudo comparado a Cristo é pó, é sem valor algum, Cristo é O Sumo Bem! Pare de trair Jesus com um beijo na face, dizendo que O ama, mas volta a crucificá-Lo pela obstinação pelo pecado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário