segunda-feira, 18 de março de 2013

Papa Francisco, um novo pobre que restaurará a Igreja?


            Como todos nós sabemos o Papa Bento XVI (agora Papa Emérito) renunciou ao ministério petrino. Após muito “disse me disse” da imprensa e dos católicos, falsas profecias e verdadeiras mal interpretadas, e, muitas vezes, até descrença na Igreja. Essa descrença vinda mais da ignorância de pessoas que foram pegas de surpresa – como todos nós – mas que acabam por dar ouvidos a conversas de protestantes e da mídia marxista. Mas, apesar de muita conversa, muita expectativa, foi feito o conclave e foi escolhido o sucessor do Papa Bento XVI, Habemus Papam: Papa Franciscto.
            O que me motivou a estar escrevendo sobre o Papa Francisco não foi o Papa, mas os fiéis da Santa Igreja. Não sei se isso já ocorreu antes, mas parece que o Papa Francisco não agradou nem os “conservadores” nem os “liberais”. Talvez o Papa Francisco tenha agradado apenas aos CATÓLICOS! Analisemos meus irmãos: Os liberais (TL’s e afins), apesar de as vezes falar bem do Papa Francisco, elogiando, e se dizendo satisfeitos com a escolha do Cardeal Bergolio, sabemos que na Argentina, Bergoglio condenou pontos primordiais da TL, como a própria TL e as asneiras de “casamento” gay, aborto, eutanásia, etc. Tanto que na Argentina ele é tido como um conservador. No entanto, parece que ele não agradou aos conservadores, uma vez que espalham boatos de Sua Santidade o Papa Francisco. Parece incoerência dizer coisas de um Papa, logo conservadores que tanto defendiam Bento XVI de quem falava mal de Bento XVI (como eu fiz). Mas, quem é CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO confia, não no Papa, mas no autor do Papado que é Cristo.
            Sabemos que a escolha do Cardeal Bergoglio foi uma grande surpresa, pegou a TODOS de surpresa. No entanto, a incoerência (ou incompreensão) aqui é notória. Vejamos: parecia coerente Jesus entregar as chaves do Céu para Pedro? (Mt 16,18) Um pescador, humano, errante, ignorante. E Cristo o escolheu para o ministério de guiar o povo de Deus, ser aquele que a frente dos Bispos (Apóstolos) seria o guia, no caso, o vigário de Cristo na terra (cf. Atos 15,7). No entanto, Pedro foi o mesmo que negou Jesus três vezes, mas apesar disso, Cristo confirmou seu ministério em João 21,15ss. O que quero dizer com isso? Quero dizer que mesmo Pedro tendo negado Cristo três vezes, Cristo o confirma no ministério, e nos deu um Papa, o primeiro Papa, um grande Papa. Assim, Bergoglio, mesmo que tenha sido um Cardeal que cometeu erros, Cristo o confirma no ministério. Paremos de criticar as negações de Pedro, e vejamos Cristo o confirmando.
            Ademais, o Papa Francisco nem teve tempo de mostrar seu trabalho, qual será sua linha, o que fará na Cúria, o que ligará e o que desligará. No entanto, muitos já “profetizam” a queda da Igreja, mas, não foi Cristo que disse que as portas do inferno nunca prevaleceriam contra a Igreja? (Mt 16,18-19) Se o inferno não prevalece, um Cardeal Jesuíta com espírito Franciscano derrubaria a Santa Igreja Católica após dois mil anos de triunfo? Você verdadeiramente acredita nisso? Será que você não foi afetado pelo fermento dos fariseus, e está sendo guiado por satanás a falar mal de um consagrado? Lembro-me que certa vez São Pio de Pietrelcina ouvindo um homem falar mal de um Bispo por causa dos pecados dele, este santo estigmatizado deu um tapa na cara deste homem advertindo-o de nunca mais falar mal de um Bispo, e lembrou a este homem os seus pecados, e quem era ele pra falar do Bispo. São Francisco de Assis não falava mal dos sacerdotes. Salve engano São Luís Gonzaga dizia que do sacerdote ou se fala bem ou não se fala nada. Aí, vejo tanta gente que defende a Tradição da Igreja – e eu também defendo, diga-se de passagem – ficam falando mal do PAPA, difamando e compartilhando difamações sobre o Papa. Isso sim é que é uma grande incoerência.
            São Francisco de Assis foi escolhido por Deus, sendo um sinal de contradição. A Igreja que naquela época sim estava afundada nas riquezas, foi reerguida por um mendigo, São Francisco de Assis. Francisco de Assis que ouviu do Crucificado “Francisco, restaura a minha Igreja”, pensou que era a Igreja física, e começou a restaurar a Igreja, no entanto, depois Cristo mostrou que era a Igreja como um todo, fundando uma ordem. O maior milagre de São Francisco é que até hoje inspira vocações para a vida religiosa e sacerdotal (mesmo ele não tendo sido sacerdote). Por isso, devemos ver o Papa Francisco como este mesmo sinal de contradição: um Cardeal pouco provável para ser Papa, mas que chegou a ser o Papa, que reconstruirá, ou seja, restaurará a Igreja do Senhor.
            Quando falo que a missão do Papa Francisco seja a de restaurar a Igreja Católica, não quero aqui ir no caminho da mídia anti-católica que temos no Brasil. Muitos falam que o Papa Francisco irá arrumar a Igreja, e colocam como se o Papa Bento XVI tivesse a culpa. Digo, irmãos, que essa restauração vem desde Bento XVI, vem levando a Igreja para o que ela é. A culpa não é de João Paulo II, Bento XVI, Francisco, a culpa é do modernismo que avançou, e a Igreja foi pega de surpresa, mas, Bento XVI lutou muito bem contra tudo isso. Sabemos que o ódio ao Papa Bento vem justamente porque ele condenou aquilo que a sociedade hoje quer colocar como princípios. E, apesar do Papa Francisco ter a mesma opinião a cerca dos temas mais polêmicos, parece que ele conquistou o afeto da mídia, que o elogia, e vê como algo admirável a “quebra de protocolo” dele. É triste ver católicos colocando Bento XVI no esquecimento, como se ele fosse um câncer, como na realidade ele foi o remédio que com dor combateu o câncer. Acho que por isso ele é tão odiado mesmo por católicos sinceros (odiado ou gosta menos). Apesar de uma quimioterapia poder acabar com um câncer, muita gente que consegue a cura não quer passar por outras seções. Assim Bento XVI, apesar de ter combatido os diversos cânceres dentro da Igreja, muita gente vê com bons olhos a vinda de Francisco. A pergunta é: o câncer maligno foi destruído?
            Vale lembrar que o Papa Bento XVI inspiradíssimo pelo Espírito Santo nos deu o ano de 2013 como o ano da fé. Por isso, sejamos marianos, pois,  Maria Santíssima é a Mãe da Fé. Meus queridos irmãos, lembremos que a escolha de Francisco como Papa é uma confirmação do ano da fé: um grande Papa que renuncia somado a um Papa que parece que não agradou a ninguém... É preciso ter muita fé no Espírito Santo que guia a Igreja. Por isso, nos consagremos a Virgem Maria pelo método de São Luís Maria Grignion de Montfort, pois é chegado a hora do grande combate entre os filhos da Virgem Maria contra os filhos do dragão (cf. Apocalipse 12). Sejamos marianos, pois sendo marianos e verdadeiramente adoradores do Santíssimo Sacramento, não teremos a fé abalada aconteça o que acontecer em Roma. Eu creio no Espírito Santo que guia a Igreja, e você?
“Vacilará a Igreja se vacila o seu fundamento, mas poderá talvez Cristo vacilar? Visto que Cristo não vacila, a Igreja permanecerá intacta até o fim dos tempos.” (Santo Agostinho)
            Viva o Papa Emérito Bento XVI e o Papa Francisco! 

Um comentário:

  1. "Se a Fé está em perigo, qualquer súdito tem o dever de censurar o seu Prelado, mesmo publicamente." São Tomás de Aquino.

    "Do mesmo modo que é lícito opor-se a um Pontífice que agride o corpo, é também lícito opor-se àquele que agride as almas ou perturba a ordem pública ou que, acima de tudo, atenta no sentido da destruição da Igreja. Afirmo que é lícito opor-se-Lhe, não fazendo o que Ele ordena e evitando que a Sua vontade seja executada; já não é lícito, contudo, julgá-lo, puni-lo ou depô-lo, uma vez que tais atos são da competência de um superior." São Roberto Belarmino

    Bom, de fato a escolha do Papa foi uma surpresa pra todos! E é claro que ninguém pode se referir ao Romano Pontífice como se referisse a qualquer pessoa, desrespeitando-o. Temos a obrigação de rezar por ele e amá-lo, embora gostar já seja outra história. Amar e gostar é completamente diferente e, de fato, não podemos negar que algumas situações enquanto Cardeal e outras já como Papa estão sendo muito relevantes em matéria de Fé e Tradição. Portanto, não sejamos menos católicos a ponto de não rezar pelo Santo Padre e a ponto de não confiar no Espírito Santo, PORÉM, não sejamos menos católicos ao tentarmos simplesmente passar por cima de algo que vem acontecendo, ainda mais se tratando da santa Tradição. Por isso rezemos! Rezemos muito e jejuemos por nossa Santa Igreja! Rezemos! Rezemos sem cessar!

    ResponderExcluir