segunda-feira, 4 de março de 2013

Os escravos de Nossa Senhora podem se casar?


          
         Essa é uma dúvida comum entre as pessoas que ouvem falar ou leem sobre a Santa Escravidão a Jesus por Maria: quem se consagra pelo método de São Luís, pode ou não se casar? Confesso que foi uma dúvida minha também quando descobri esta consagração. São os escrúpulos que o demônio coloca no coração das pessoas, ou seja, a tenta para evitar a consagração. E como este escrúpulo não é algo individual, ou seja, tem se espalhado em várias pessoas de forma a colocar barreiras para impedir ou atrasar esta consagração, julgo necessário escrever sobre este assunto.
        Como dito, tudo não passa de ilusão demoníaca! Vejamos o que São Luís Maria Grignion de Montfort fala no Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria: 124 – “Uma pessoa, que assim voluntariamente se consagrou e sacrificou a Jesus Cristo por Maria, já não pode dispor do valor de nenhuma de suas boas ações. Tudo o que sofre, tudo o que pensa, diz e faz de bem pertence a Maria, para que ela de tudo disponha conforme a vontade e para maior glória de seu Filho, sem que, entretanto, esta dependência prejudique de modo algum as obrigações de estado no qual esteja presentemente, ou venha a estar no futuro: por exemplo, as obrigações de um sacerdote que, por dever de ofício ou por outro motivo, deve aplicar o valor satisfatório e impetratório da santa missa a um particular; pois não se faz esta oferta a não ser conforme a ordem de Deus e os deveres de estado”. Como vemos, São Luís diz claramente que aqueles que se consagram neste método, ou seja, que se tornam escravos de Jesus Cristo por meio de Maria Santíssima, não terão prejudicados o seu atual estado (estado de vida) ou o que venha a ter; assim como as obrigações de cada estado de vida. Assim, vemos que não é uma consagração ao celibato (casar com Deus/Igreja = Celibato) e nem uma consagração semelhante ao do diaconato (permanece no seu atual estado de vida, ou seja, se é casado, permanece casado, obviamente, mas, se é solteiro, torna-se celibatário).
        O demônio põe muitas dúvidas e escrúpulos nas pessoas que desejam se consagrar, principalmente os jovens, porque: 1º muitos tiveram uma vida desordenada, fica mais fácil iludir; 2º por causa de muitos dos resultados desta consagração. Conforme o nº 171 do T.V.D, o escravo da Virgem Maria, sem fazer nada além daquilo que cabe ao seu estado de vida, ajudará a converter os pecadores e a livrar as almas do purgatório. Ou seja, um escravo de Nossa Senhora, sendo casado, só nos “sacrifícios” habituais de seu estado de vida, como por exemplo ficar ouvindo neném chorar com cólica, ou até mesmo a dor do parto, o trabalho do homem, etc., isso suportado amando a Deus, unido a Cruz de Cristo, estará salvando almas para Deus. Por isso satanás quer evitar que pessoas, seja padre, freira, celibatário comum mesmo, e os casais se consagrem, pois qualquer um se consagrando a Virgem Maria torna-se uma “bomba contra o inferno”. Da mesma forma um padre, como o próprio São Luís dá o exemplo no n] 124, só nos seus ofícios de sacerdote já está salvando muitas almas (claro, que o sacerdócio em si já salva almas, o ofício sacerdotal é salvar almas, por isso satanás odeia mais que todos os sacerdotes; imagina então um sacerdote consagrado à Virgem Maria por este método...)
        Outro escrúpulo que se tem muito, até saindo um pouco do “poder ou não casar”, é o contrário: pessoas já definidas o estado de vida, como por exemplo freiras e padres, por causa de seus votos religiosos acharem desnecessária esta consagração pelo método de São Luís. Porém, o próprio São Luís fala sobre o porque também os já ordenados sacerdotes, freiras, celibatários simples, enfim, TODOS, devem se consagrar por este método: 123 - “por esta devoção, damos a Jesus Cristo, do modo mais perfeito, pois que o fazemos pelas mãos de Maria, tudo que lhe podemos dar, e muito mais que por outras devoções, pelas quais lhe damos uma parte de nosso tempo ou de nossas boas obras, ou uma parte de nossas satisfações e mortificações. Aqui damos e consagramos tudo, até o direito de dispor dos bens interiores, e as satisfações que ganhamos por nossas boas obras, dia a dia: e isto não se faz nem mesmo numa ordem religiosa. Nestas, consagram-se a Deus os bens de fortuna pelo voto de pobreza, os bens do corpo pelo voto de castidade, a vontade própria pelo voto de obediência, e, às vezes, a liberdade do corpo pelo voto de clausura. Não se lhe dá, porém, a liberdade ou o direito que temos de dispor de nossas boas obras, nem se renuncia tanto como se pode ao que o cristão tem de mais precioso e caro: seus méritos e satisfações”. Analisando, vemos, por exemplo, que o fato de uma pessoa se tornar padre ou monge(a) adquire méritos. Esta devoção nos faz (por amor) dar tudo de forma tão radical, que até este mérito nosso damos para a Virgem Maria. Para quê? Para o que a nossa Princesa quiser, ela torna-se dona de tudo. O mérito de Santa Teresinha do Menino Jesus ser freira foi dado para a Virgem Maria, pois ela foi consagrada por este método, e almas foram salvas por essa doação. Entende? Da mesma forma Dom Bosco, Sçao Maximiliano Maria Kolbe, etc., só para citar santos. Mas, você mesmo casado, sem a necessidade de necessariamente pregar, sendo fiel a esta devoção nas coisas interiores e exteriores (sem negligenciar por escrúpulos) estará salvando muitas almas.
        Consagra-te à Jesus por meio de Maria Santíssima, pois se o problema for o “poder casar ou não” de forma escrupulosa, apegado ao desejo sexual e não ao estado de vida, Nossa Senhora te ajudará a discernir qual é a tua vocação. Espero que a partir deste texto a sua dúvida não seja mais “eu posso me casar?”, mas sim: EU POSSO SER SANTO? E com toda certeza te direi como São Maximiliano Maria Kolbe, escravo de Nossa Senhora: “OS SANTOS SÃO OBRA DA IMACULADA!” Então deixe-se formar no ventre da Virgem Maria, seja escravo d’Ela, obediente à Ela, assim como foi Jesus, que por 30 anos passou a vida inteira lhe sendo submisso, como o Evangelho nos conta na narrativa de Jesus aos 12 anos (cf. Lucas 2,51)
        “Deus quer servir-se de Maria na santificação das almas”(T.V.D 21); “Foi pela Santíssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio ao mundo,  e é também por ela que deve reinar no mundo.”(T.V.D 1); As almas que se consagram à Virgem Maria, independentemente do seu estado de vida (casado, solteiro em discernimento, celibatário simples, sacerdote, religioso), são as almas que fala em Apocalipse 12,17, ou seja, são os filhos desta Mulher que é a Virgem Santíssima, da qual satanás está a fazer guerra: “Este, então, se irritou contra a Mulher e foi fazer guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus”. E por que digo que estes filhos desta Mulher, da descendência desta Mulher, são os filhos da Igreja, os Marianos, em especial os ESCRAVOS DE MARIA SANTÍSSIMA? Porque São Luís Maria Grignion de Montfort vai dizer: -48 “Estas grandes almas, cheias de graça e de zelo, serão escolhidas em contraposição aos inimigos de Deus a borbulhar em todos os cantos, e elas serão especialmente devotas da Santíssima Virgem, esclarecidas por sua luz, alimentadas de seu leite, conduzidas por seu espírito, sustentadas por seu braço e guardadas sob sua proteção, de tal modo que combaterão com uma das mãos e edificarão com a outra (cf. Ne 4, 17). Com a direita combaterão, derrubarão, esmagarão os hereges com suas heresias, os cismáticos com seus cismas, os idólatras com suas idolatrias, e os ímpios com suas impiedades; e com a esquerda edificarão o templo do verdadeiro Salomão e a cidade mística de Deus, isto é, a Santíssima Virgem que os Santos Padres chamam “o templo de Salomão” e  “a cidade de Deus”. Por suas palavras e por seu exemplo, arrastarão todo o mundo à verdadeira devoção e  isto lhes há de atrair inimigos sem conta, mas também vitórias inumeráveis e glória para o único Deus. É o que Deus revelou a São Vicente Ferrer, grande apóstolo de seu século, e que se encontra assinalado em uma de suas obras.   
O mesmo parece ter predito o salmo 58 (14, 15), em que se lê: “Et scient quia Deus dominabitur Jacob et finium terrae; convertentur ad vesperam, et famem patientur ut canes, et circuibunt civitatem – E saberão que Deus reinará sobre Jacob, e até os confins da terra; voltarão à tarde, e padecerão fome como cães, e rodearão a cidade, em busca do que comer”. Esta cidade que os homens encontrarão no fim do mundo para se converterem e saciarem a sua fome de justiça, é a Santíssima Virgem, que o Espírito Santo denomina “cidade de Deus” (Sl 86, 3)”. E isso, independente do estado de vida. Reafirmando: se você é solteiro(a), pode se consagrar tranquilamente pois poderá tanto se casar com uma pessoa de Deus, ou pode se tornar a ser religioso se a isso Deus te chamar (Deus te chama independente de se consagrar ou não); ou se você já tem voto de celibato ou voto religioso, ou se já é casado, pode e deve se consagrar também.
        CONSAGRA-TE! SALVE MARIA IMACULADA!

Um comentário:

  1. Bem bacana seu blog. Você poderia um dia se possível, fazer um vídeo sobre o maldito ateísmo e os contra valores que professores tentam empurar para alunos em escolas e universidade? Sei que em muitos lugares que deveriam ser locais de aprendizado como, matemática, português, química, etc. tentam também ser formadores de más opinões.
    Eu mesma tenho uma professora na universidade que diz não discutir e questionar posições relacionadas à política, mas quando se trata de relegião ela não hesita em falar, aliás, critica contrariamente muitos princípios da Igreja.
    Fique na paz!

    ResponderExcluir