quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Santa Escravidão por Amor (Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem Maria)


“Pois o escravo, que foi chamado pelo Senhor, conquistou a liberdade do Senhor. Da mesma forma, quem era livre por ocasião do chamado, fez-se escravo de Cristo.” (1Corintios 7,22)
                Ao escrever este artigo, posso dizer junto com a Virgem Maria: “Minha alma glorifica ao Senhor...” (Lucas 1,46). Ou talvez, como Santo Agostinho: “Tarde te amei ó beleza tão antiga e tão nova...”. Mesmo que uma pessoa que vive o catolicismo a alguns anos, apesar de não ter sido muito o meu caso, pelo menos na radicalidade necessária, a pessoa passa a ter um amor maior a Jesus Cristo maior, mais ardente, após se consagrar inteiramente, de corpo e alma, à Santíssima Virgem Maria. Tornando-se assim, escravo de Jesus por Maria.
                Claro que falo do método de consagração proposto por São Luís Maria Grignion de Montfort. Método este que é o mais perfeito para se consagrar. Uma vez que o próprio São Luís escreve no Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem Maria que, apesar de ter procurado, não encontrou devoção tão perfeita como a que ele propunha. Não que ele dizia por vaidade, mas por unção do Espírito, ao qual, os mais santos que se consagraram por este método afirmam que foi o próprio Espírito Santo que escreveu o Tratado.
                Pois bem, você que não conheça o Tratado da Verdadeira Devoção a Virgem Maria talvez se pergunte o que seja este livro. Bom, é um livro pequeno, porém, impactante. É um livro que por seu tamanho as pessoas até julguem ser fácil de ler, mas na verdade, por seu conteúdo celestial, existe um grande combate espiritual, pois o inferno não quer que triunfemos sobre o pecado e adentremos no Céu. E, o Tratado, tem o segredo para ser salvo. Isto é, ser todo de Maria Santíssima para mais glorificar nosso Senhor Jesus Cristo, e, assim, sermos aceitos por Deus Pai todo poderoso.
                Para ter ideia do combate espiritual neste livro, e entender um pouco do ódio do inferno para com este santo livro, veja o que São Luís revela no Tratado: “Prevejo que muitos animais frementes virão em fúria para rasgar com seus dentes diabólicos este pequeno escrito e aquele de quem o Espírito Santo se serviu para o compor. Ou pelo menos procurarão envolver este livrinho nas trevas e no silêncio duma arca, a fim de que não apareça. Atacarão mesmo e perseguirão aqueles que o lerem e puserem em prática.”(T.V.D - 114) Pois bem, esta visão de São Luís se cumpriu. Após sua morte, sabe-se lá como, o Tratado “sumiu do mapa”. Pra falar a verdade, ele ficou escondido dentro de um baú, e foi achado 120 anos mais tarde, por um religioso da ordem fundada pelo próprio São Luís Maria Grignion de Montfort. E assim, como ouvi um irmão “Monfortino” falar uma vez: “o demônio escondeu o Tratado por 120 anos, a nossa missão é fazer o contrário, espalhar o Tratado pra ser conhecido”.
                E, vale lembrar que as perseguições demoníacas que São Luís fala nesta visão é óbvia. Satanás odeia Deus, e para ferir a Deus ele ataca a obra prima de Deus, a menina dos olhos de Deus, que somos nós. Sim nós, humanidade tão frágil e pecadora. Mas Deus nos quer... Ah como nos quer! Tanto que nos deu Seu Filho único para padecer por nós. Mas enfim, a Santa Escravidão de amor é uma vitória contra satanás. Por quê? Porque ao nos consagrarmo-nos inteiramente à Virgem Maria, nos estamos renunciando a satanás e suas pompas. Deixamos de ser escravos do demônio e passamos a ser escravos de Jesus em Maria. Como os santos falavam: Como os santos falavam: “Maria é o atalho para o Céu”. Sendo assim, o demônio tentará acabar com qualquer tipo de devoção, de amor, de zelo, pela Virgem Maria; principalmente pela mais perfeita que é a de se tornar escravo de amor da Santíssima Virgem Maria. Então, a batalha começa desde a leitura do Tratado. Como as pessoas logo acham que o demônio vai aparecer, digo logo que satanás age de maneira simples. Eu costumo dizer que quando se quer ler o Tratado, até vontade de lavar a louça, lavar banheiro e demais afazeres dá. Tudo para não ler o Tratado. Já sentiu sono ao rezar o terço? É capaz de dobrar. Enfim, diversas dificuldades; e se a alma não estiver determinada a ser todo de Jesus pelas mãos de Maria, acabará como tantos que desistiram nas primeiras páginas desde santo livro.
                Mas, qual o conteúdo do Tratado e no que consiste a Santa Escravidão à Jesus por Maria? Pois bem, São Luís responde: “Foi pela Santíssima Virgem Maria que Jesus veio ao mundo, e é também por Ela que deve reinar no mundo” (T.V.D – 1). Então, vê-se que esta devoção tem seu fim último em Jesus Cristo, como é bem explicado no Tratado.  Nós não somos dignos de oferecer nada a Deus, tudo que oferecermos a Deus, mesmo que de bom coração, estará manchado pelo pecado. Então, o melhor a fazer é entregar a Maria Santíssima, e está purificará as nossas boas obras e/ou o que queiramos dar a Deus. Mas, principalmente, nos entrega puros para Jesus Cristo, para que este, através das Suas Santas Chagas, nos introduza no Reino do Céu.
                Quando nos consagramos inteiramente, de corpo e alma, PERPETUAMENTE à Santíssima Virgem Maria, renunciamos tudo aquilo que possuímos um dia, que temos, e que teremos; seja algo espiritual ou material, tudo passa a ser d’Ela. Por isso, muita gente tem receio de fazer essa consagração, porque querem se confiar em si mesmos, nas suas boas obras. Mas como disse, por mais “santos” que estejamos, sempre o que fazemos para Deus está manchado pelo pecado, pelo amor próprio, etc. Quando entrego tudo a Maria, para Ela fazer o que bem entender, eu saio é no lucro. Sim, porque além da certeza de que será aceito por Deus, eu renuncio os meus méritos adquiridos na terra, e entrego para a Virgem Maria (se Ela quiser usar para salvar quem quiser, como quiser, onde quiser, etc); e então eu tomo para mim os méritos da Virgem Maria. Nem se eu vivesse mil anos na terra sem cometer pecados, eu não obeteria os méritos infinitos da Virgem Maria, que concebeu o Filho de Deus. Seja um escravo de Maria Santíssima, oferte tudo, mesmo que perca tudo aqui na terra, o Céu será seu, pois  a Virgem vos arrumará um lugar para vós.
                Um escravo de Maria Santíssima, passa a ser educada pela própria Virgem Maria. Então, um escravo e uma escrava desta Senhora, deve imitá-la. E, no seu vestir, falar, caminhar, agir, etc., deve pensar como que a Virgem Maria se portaria, e fazer o mesmo. Um escravo de Maria Santíssima deve deixar de ser anta, e parar de se portar como escravos do demônio. Se uma pessoa ao se consagrar a Virgem Maria, quer continuar se portando como escravos do demônio, isto é, vivendo as coisas mundanas e suas perdições, deveria não se consagrar, pois na fórmula de consagração está explicita a renúncia ao demônio, e a submissão a Maria Santíssima. Se não tem em seu coração o desejo de renunciar a satanás, e trocar o inferno que você merece, pelo Céu que Deus te chama, não se consagre a Virgem Maria. Um escravo tem que viver como cidadão do Céu.
                Mas isso não quer dizer que nunca irá pecar. Se consagrar não é antídoto contra o pecado. Mas, ai daquele que não luta contra o pecado. Já nos ensina São Paulo: “Ainda não tendes resistido até o sangue, na luta contra o pecado.” (Hebreus 12,4) Um escravo tem que viver este versículo de forma profunda. Lutar contra o pecado, odiar seu fundo mau, seu fundo de pecado. Lutar pra ser santo como o Pai do Céu é Santo (cf. Levítico 19,2). E, o próprio São Luís vem falar: “Concordo que, para ser verdadeiro devoto da Santíssima Virgem, não é absolutamente necessário ser tão santo que se evite todo pecado, embora isso fosse de desejar, mas, pelo menos, é preciso (e note-se bem o que vou dizer): 1º.Ter uma sincera resolução de evitar, ao menos, todo pecado mortal, que ultraja tanto a Mãe como o Filho. – 2º. Fazer violência contra si mesmo para evitar o pecado. – 3º. Entrar em confrarias, rezar o Terço, o Santo Rosário ou outras orações, jejuar aos sábados, etc.”(T.V.D 99)           
                Enfim, esta devoção tem seu fim último Jesus Cristo, como foi falado. Devemos fazer todas as cosias por Maria, com Maria e em Maria, para melhor fazer por Jesus, com Jesus e em Jesus Cristo. E por último, não menos importante, quem quer ser cheio do Espírito Santo deveria se consagrar a Virgem Maria. “Uma das grandes razões por que o Espírito Santo não opera agora maravilhas retumbantes nas almas é que não encontra nelas uma união bastante íntima com a sua fiel e indissolúvel esposa.”(T.V.D. 36) Talvez esta seja a resposta para tantos grupos de oração da RCC estarem arrefecidos, fracos, tíbios, e tão protestantizados, relativos, etc. CONSAGRA-TE À VIRGEM MARIA E TRANSBORDARÁ NO ESPÍRITO SANTO. SERÁ SÓ A LABAREDA!
                Em Fátima Nossa Senhora disse que o Seu Imaculado Coração triunfaria. E o Seu triunfo, em nosso corações, passa por esta consagração. Duvida? Em La Sallete, Nossa Senhora também apareceu, pedindo para que apareçam os “Apóstolos dos últimos tempos” (Termo que os escravos de Jesus por Maria é chamado por São Luís no Tratado). E, Maria Santíssima, apareceu acorrentada, como é o sinal mais comum e indicado por São Luís aos escravos.
                Enfim, espero que todos vocês sejam meus irmãos de Senzala. Juntos pelo Reino de Maria Santíssima, para vim o de Jesus Cristo.
                A seguir, leia um dos parágrafos mais impactantes, para mim particularmente: “Estas grandes almas, cheias de graça e de zelo, serão escolhidas em contraposição aos inimigos de Deus a borbulhar em todos os cantos, e elas serão especialmente devotas da Santíssima Virgem, esclarecidas por sua luz, alimentadas de seu leite, conduzidas por seu espírito, sustentadas por seu braço e guardadas sob sua proteção, de tal modo que combaterão com uma das mãos e edificarão com a outra (cf. Ne 4, 17). Com a direita combaterão, derrubarão, esmagarão os hereges com suas heresias, os cismáticos com seus cismas, os idólatras com suas idolatrias, e os ímpios com suas impiedades; e com a esquerda edificarão o templo do verdadeiro Salomão e a cidade mística de Deus, isto é, a Santíssima Virgem que os Santos Padres chamam “o templo de Salomão”20 e “a cidade de Deus”.21 Por suas palavras e por seu exemplo, arrastarão todo o mundo à verdadeira devoção e isto lhes há de atrair inimigos sem conta, mas também vitórias inumeráveis e glória para o único Deus. É o que Deus revelou a São Vicente Ferrer, grande apóstolo de seu século, e que se encontra assinalado em uma de suas obras.
20) “Templum Salomonis”. Idiota, De B.V. p. XVI, contemplação 7.
21) “Civitas Dei”. S. Agostinho, Enarrat in Os. 142, n. 3.
O mesmo parece ter predito o salmo 58 (14, 15), em que se lê: “Et scient quia Deus dominabitur Jacob et finium terrae; convertentur ad vesperam, et famem patientur ut canes, et circuibunt civitatem – E saberão que Deus reinará sobre Jacob, e até os confins da terra; voltarão à tarde, e padecerão fome como cães, e rodearão a cidade, em busca do que comer”. Esta cidade que os homens encontrarão no fim do mundo para se converterem e saciarem a sua fome de justiça, é a Santíssima Virgem, que o Espírito Santo denomina “cidade de Deus” (Sl 86, 3).
§ 3. A devoção à Santíssima Virgem será especialmente necessária nesses últimos tempos.”(T.V.D. 48)
Salve Maria Imaculada!
Veja aqui que a Santa Igreja aprova a Santa Escravidão de Amor: http://catolicoargrade.blogspot.com/2012/06/santa-escravidao-de-amor-e-aprovada.html


Veja também os PECADOS CONTRA O IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA:





quarta-feira, 21 de novembro de 2012

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Prostrar-se: indica sempre adoração?


Normalmente os católicos são acusados pelas seitas protestantes de idolatria, principalmente quando o tema é a veneração dos ícones sagrados. Segundo eles o fato de se curvar seja para o que for implica automaticamente em um ato idólatra, um culto de adoração (latria) que é devido unicamente a Deus.
Os versículos usados pelos mesmos todos já conhecem. Obviamente, esses versículos são verdadeiros, autenticos e dignos de serem cumpridos como verdadeiros mandamentos de Deus, o que realmente são. Porém os mesmos são olhados fora do contexto bíblico, como eles fazem e repetem a todo momento.
Entrando então no tema proposto, temos que entender que há um outro modo de se prostar a alguém: quando se presta honras, quando alguém é digno de respeito. Para exemplificar poderíamos citar os paises onde a monarquia ainda é presente ou até mesmo no Brasil Imperial, onde as pessoas se curvavam ao imperador. Óbvio que isso não é adoração, muito pelo contrário, é uma forma respeitosa mostrando uma consideração elevada pelo mesmo. Isso também acontecia com os reis citados na bíblia que logo abaixo eu mostrarei. Querendo os protestantes ou não esse ato de respeito está presente em toda a sagrada escritura em diversos versículos. Selecionei o maior número possível destes para que com esse estudo a diferença entre essas duas formas sejam esclarecidas de uma vez por todas.
Se prostrar por respeito e honra a um Anjo:
E, levantando Davi os seus olhos, viu o anjo do SENHOR, que estava entre a terra e o céu, com a sua espada desembainhada na sua mão estendida contra Jerusalém; então Davi e os anciãos, cobertos de sacos, se prostraram sobre os seus rostos. (1Cr 21:16 ACF)
Então o SENHOR abriu os olhos a Balaão, e ele viu o anjo do SENHOR, que estava no caminho e a sua espada desembainhada na mão; pelo que inclinou a cabeça, e prostrou-se sobre a sua face. (Num 22:31 ACF)
E sucedeu que, subindo a chama do altar para o céu, o anjo do SENHOR subiu na chama do altar; o que vendo Manoá e sua mulher, caíram em terra sobre seus rostos. (Juízes 13:20 ACF)
Se prostrar por respeito e honra a um homem:
Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, e desceu do jumento, e prostrou-se sobre o seu rosto diante de Davi, e se inclinou à terra. (1Sm 25:23 ACF)
E o fizeram saber ao rei, dizendo: Eis aí está o profeta Natã. E entrou à presença do rei, e prostrou-se diante dele com o rosto em terra. (1Re 1:23 ACF)
E mandou o rei Salomão, e o fizeram descer do altar; e veio, e prostrou-se perante o rei Salomão, e Salomão lhe disse: Vai para tua casa. (1Re 1:53 ACF)
Estando, pois, Obadias já em caminho, eis que Elias o encontrou; e Obadias, reconhecendo-o,prostrou-se sobre o seu rosto, e disse: És tu o meu senhor Elias? (1Re 18:7 ACF)
Vendo-o, pois, os filhos dos profetas que estavam defronte em Jericó, disseram: O espírito de Elias repousa sobre Eliseu. E vieram-lhe ao encontro, e se prostraram diante dele em terra. (2Re 2:15 ACF)
E veio Judá com os seus irmãos à casa de José, porque ele ainda estava ali; e prostraram-se diante dele em terra. (Gen 44:14 ACF)
E o rei no seu furor se levantou do banquete do vinho e passou para o jardim do palácio; e Hamã se pôs em pé, para rogar à rainha Ester pela sua vida; porque viu que já o mal lhe estava determinado pelo rei. Tornando, pois, o rei do jardim do palácio à casa do banquete do vinho, Hamã tinha caído prostrado sobre o leito em que estava Ester. Então disse o rei: Porventura quereria ele também forçar a rainha perante mim nesta casa? Saindo esta palavra da boca do rei, cobriram o rosto de Hamã. (Est 7:7-8 ACF)
E ele mesmo passou adiante deles e inclinou-se à terra sete vezes, até que chegou a seu irmão. Então Esaú correu-lhe ao encontro, e abraçou-o, e lançou-se sobre o seu pescoço, e beijou-o; e choraram. Depois levantou os seus olhos, e viu as mulheres, e os meninos, e disse: Quem são estes contigo? E ele disse: Os filhos que Deus graciosamente tem dado a teu servo. Então chegaram as servas; elas e os seus filhos, e inclinaram-se. E chegou também Lia com seus filhos,e inclinaram-se; e depois chegou José e Raquel e inclinaram-se. (Gen 33:3-7 ACF)
E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse. Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.  (Mat 18:25-26 ACF)
Porém, depois da morte de Joiada vieram os príncipes de Judá e prostraram-se perante o rei; e o rei os ouviu. (2Cr 24:17 ACF)
Então saiu Moisés ao encontro de seu sogro, e inclinou-se, e beijou-o, e perguntaram um ao outro como estavam, e entraram na tenda. (Exo 18:7 ACF)
Depois também Davi se levantou, e saiu da caverna, e gritou por detrás de Saul, dizendo: Rei, meu senhor! E, olhando Saul para trás, Davi se inclinou com o rosto em terra, e se prostrou. (1Sm 24:8 ACF)
E Mefibosete, filho de Jônatas, o filho de Saul, veio a Davi, e se prostrou com o rosto por terra e inclinou-se; e disse Davi: Mefibosete! E ele disse: Eis aqui teu servo. (2Sm 9:6 ACF)
E a mulher tecoíta falou ao rei, e, deitando-se com o rosto em terra, se prostrou e disse: Salva-me, ó rei. (2Sm 14:4 ACF)
Então foi Joabe ao rei, e assim lho disse. Então chamou a Absalão, e ele se apresentou ao rei, e se inclinou sobre o seu rosto em terra diante do rei; e o rei beijou a Absalão. (2Sa 14:33 ACF)
Então Joabe se prostrou sobre o seu rosto em terra, e se inclinou, e agradeceu ao rei; e disse Joabe: Hoje conhece o teu servo que achei graça aos teus olhos, ó rei meu senhor, porque o rei fez segundo a palavra do teu servo. (2Sm 14:22 ACF)
E, atravessando a barca, para fazer passar a casa do rei e para fazer o que bem parecesse aos seus olhos, então Simei, filho de Gera, se prostrou diante do rei, quando ele passava o Jordão. (2Sm 19:18 ACF)
E Bate-Seba inclinou a cabeça, e se prostrou perante o rei; e disse o rei: Que tens? (1Re 1:16 ACF)
Então Bate-Seba se inclinou com o rosto em terra e se prostrou diante do rei, e disse: Viva o rei Davi meu senhor para sempre. (1Re 1:31 ACF)
E entrou ela, e se prostrou a seus pés, e se inclinou à terra; e tomou o seu filho e saiu. (2Re 4:37 ACF)
E Davi veio a Ornã; e olhou Ornã, e viu a Davi, e saiu da eira, e se prostrou perante Davi com o rosto em terra. (1Cr 21:21 ACF)
Os gentios se prostrariam à Jerusalém:
Também virão a ti, inclinando-se, os filhos dos que te oprimiram; e prostrar-se-ão às plantas dos teus pés todos os que te desprezaram; e chamar-te-ão a cidade do SENHOR, a Sião do Santo de Israel. (Is 60:14 ACF)
Assim diz o SENHOR: O trabalho do Egito, e o comércio dos etíopes e dos sabeus, homens de alta estatura, passarão para ti, e serão teus; irão atrás de ti, virão em grilhões, e diante de ti se prostrarão; far-te-ão as suas súplicas, dizendo: Deveras Deus está em ti, e não há nenhum outro deus. (Is 45:14 ACF)
Josué se prostra perante um objeto santo:
Então Josué rasgou as suas vestes, e se prostrou em terra sobre o seu rosto perante a arca do SENHOR até à tarde, ele e os anciãos de Israel; e deitaram pó sobre as suas cabeças. (Jos 7:6 ACF)
Hebreus se prostraram ao Senhor e ao Rei:
Então disse Davi a toda a congregação: Agora louvai ao SENHOR vosso Deus. Então toda a congregação louvou ao SENHOR Deus de seus pais, e inclinaram-se, e prostraram-se perante o SENHOR, e o rei. (1Cr 29:20 ACF)
Perceba que nesta passagem mostra justamente um ato parecido, porém com sentidos e razões diferentes: eles se prostram a Deus, para adora-lo, mas também ao Rei, para reverencia-lo. Deus em momento algum se enfureceu com aquilo.
Objeções
João se prostrou ao anjo e foi repreendido:
E eu, João, sou aquele que vi e ouvi estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava para o adorar. (Apo 22:8 ACF)
Aqui perceba que claramente João deixa muito claro qual foi o ato dele: adoração. Ele se prostrou justamente para adora-lo, e foi repreendido pelo próprio anjo:
E disse-me: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus. (Apo 22:9 ACF)
O mal aqui não estava em se prostrar, mas em se prostrar para adora-lo. Compare o ato de João com os citados acima, como 1Cr 21, 16 em que Davi se prostra para o anjo e não é repreendido pelo mesmo.
Cornélio se prostrou a Pedro e foi repreendido:
E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem. (At 10:25-26 ACF)
Aqui acontece a mesma coisa: Cornélio se prostra para adora-lo e não simplesmente reverencia-lo, por isso foi repreendido. Compare com esse texto:
E, acordando o carcereiro, e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada, e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido. Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos. E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas. E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa. (At 16:27-31 ACF)
A diferença entre esse texto e o de cima fica clara: em um houve adoração, já no outro não. Paulo e Silas não repreendem o carcereiro, pois o que ele fez foi apenas um ato de respeito, uma suplica, um pedido em desespero, longe de ser uma adoração aos mesmos.
Conclusão
Quando prestamos devida reverencia aos ícones sagrados, estamos apenas mostrando um respeito pelo que eles representam e não adorando os mesmos como ídolos. Nem toda vez que nos prostramos, como ficou claro nesse texto, é um ato de adoração. Por isso a Igreja não repreende quando é realizado ao sacerdote, ao altar, a uma relíquia, ao ícone, etc.
É óbvio que certas posições, como a genuflexão, é recomendada pela Igreja para somente ser feita a Deus, em um ato de adoração. Com o tempo se criou o costume de diferenciar os dois hábitos, ou seja, dobrando-se o joelho esquerdo com sentido de respeito, obediencia e submissão ao Rei, e para Deus, dobrando-se o joelho direito, significando um ato de adoração, o culto a Deus, pois, somente Deus é adorado[1]. Mas aos ícones e as pessoas importantes, devemos reverencia-los pelo que significam para nós e pelo o que são para nós, respectivamente.
In Corde Jesu, semper,
Guilherme Welte.
Notas:
[1] – Genuflexão, Paróquia de Sant’Ana, Coelho Neto – MA. Disponível em: http://paroquiadesantanacoelhoneto.blogspot.com/2011/08/genuflexao.html
ACF = Bíblia Almeira Corrigida Fiel

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A primeira vocação



            A primeira vocação do ser humano é amar. Mas, amar o que? A quem? Talvez este seja o grande motivo das frustrações que as pessoas têm hoje; perderam o sentido do amor. Tudo virou amor, porque se ama a tudo; menos o próprio amor. Como é bom sempre repetir aquela bela frase de São Francisco de Assis: “O Amor não é amado”. Já é rotina o convite para amar o Amor, que é Deus, mas, por que não amam logo este amor?
            Enquanto não amarmos a Deus, enquanto não tivermos uma experiência viva e real com Cristo que é o Ressuscitado que passou pela cruz, nossa infelicidade existirá. Você já parou para pensar que, aquele estado de frustração, de infelicidade, de tristeza, que você sente ao colocar a cabeça no travesseiro, talvez seja motivado pela ausência de Deus na sua vida? Talvez Deus possa até estar nos seus lábios, mas Ele tem que estar no seu coração. Falar de Deus, algumas vezes não significa ter Deus no coração, mas sim que deseja a Deus. É o caso daquelas pessoas que vivem já acostumadas no pecado, mas sempre dizem que Jesus disse para não julgar. Mas, fala da misericórdia de Deus, mas o vazio existe. E se o vazio existe, é porque não teve uma experiência com Cristo.
            O que digo não é nenhuma besteira, baboseira, coisa melosa. É o que está escrito no Catecismo da Igreja Católica: “O desejo de Deus está inscrito no coração do homem, já que o homem é criado por  Deus e para Deus; e Deus não cessa de atrair o homem a si, e somente em Deus o homem há de encontrar a verdade e a felicidade que não cessa de procurar”(CIC 27). Sabendo disso, meus irmãos em Cristo, podemos ver que o buraco, o oco, o vazio dentro de você, é do tamanho de Deus, pois somente Deus pode preencher.
            Quando você tem uma vida de farras, orgias, drogas, bebedeira, prazeres carnais, desobediência, etc. Nisso tudo você busca a Deus, mesmo que inconscientemente. Porém, o sentimento frustrante quando acaba o efeito vem justamente porque Deus não está nessas coisas. Deus é santidade, Deus é amor, Deus é misericórdia...
            Deixe de ser uma anta e vá procurar Deus onde Deus está. Jesus Cristo está vivo, presente, real e ressuscitado no Sacrário. Sim, Ele está presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Jesus está na pessoa do padre que age em persona christi, perdoando os nossos pecados através do Sacramento da Penitência (Confissão), e na Santa Missa celebrando e se fazendo pão e vinho, nos dando Seu Corpo como alimento e Seu preciosíssimo Sangue como bebida. Deus habita na Santa Igreja Católica, porque esta Igreja é Seu corpo místico. Cristo é a cabeça da Igreja! (cf. Efésios 5,23)
            Em vez de procurar a felicidade aonde ela não habita, procure em Deus, pois Ele próprio é a felicidade. Como diz Santa Teresa de Ávila “SÓ DEUS BASTA”! O uso da droga (incluindo o álcool logicamente), por exemplo, muitas vezes é para a fuga de uma realidade ruim. Se você tiver Jesus Cristo como teu Senhor, não só de palavra mas de vida mesmo, O adorando no Santíssimo Sacramento, a única substância, prazer, que você necessitará é de ingerir o Corpo e o Sangue de Cristo. Ser um com Ele como Ele é um com o Pai e o Espírito Santo (cf. João 6,22ss)
            Quer ser feliz? Deixa de lerdeza e DEIXA DEUS TE FAZER FELIZ!
            Salve Maria Imaculada!