quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Gravidez na adolescência, como resolver?


Gravidez na Adolescência


“Rejeitai, pois, toda impureza e todo vestígio de malícia e recebei com mansidão a palavra em vós semeada, que pode salvar as vossas almas” (Tiago 1,21)

         “Vivemos em tempos difíceis”. Como tem sido repetitiva esta declaração. Os valores estão perdidos; o que era certo tomou rumo de errado e/ou careta, e o errado rumou ao correto e moderno para a sociedade. Como tem sido difícil ver este neo-paganismo invadindo a vida dos cristãos, que não sabem os verdadeiros valores oriundos de Cristo. E, os que sabem, dizem que é impossível e, que, todos são pecadores e não podemos julgar.
         A impureza tem tomado de conta da vida do ser humano neste novo século. O Brasil que já tinha fama lá fora de promiscuidade, agora então, com os valores invertidos, torna-se quase que real muitas coisas que os gringos falam a respeito de nós. E, assim, os que ainda cultivam a verdadeira educação cristã tem que sofrer. Sofre tanto em ver tanta depravação, como também ao ser tachados como loucos, retrógrados, antigos, etc. Mas, a Palavra de Deus já nos ensina a rejeitar a impureza e malícia, mas quando não acolhem a palavra semeada (Palavra de Deus, Doutrina da Igreja, etc.), infelizmente estão perdendo a própria alma.
         Em uma pesquisa feita pela Universidade Federal de São Paulo, realizada a pouco, revela que a maioria dos jovens não usa camisinha na primeira relação sexual. E essa pesquisa, noticiada no Jornal Hoje (Rede Globo), foi colocada do ponto de vista de ser um absurdo não se usar camisinha na primeira relação sexual. A mídia e o governo sempre estão tentando fazer com que a promiscuidade cresça, e coloca como algo normal. Na entrevista feita na matéria, adolescentes colocam como algo normal se relacionar antes do casamento. Uma jovem inclusive afirmou o seguinte: “No século XXI tá super normal, e eu não sou uma pessoa antiga não”. Como se fosse antigo querer viver a pureza, a castidade, e ser filho de Deus não só de nome, mas na vida.
         A própria pesquisa revela o grau de promiscuidade em que o sexo antes do casamento, juntamente com a proliferação da camisinha, coloca a pessoa. Diz a pesquisa que 49% dos jovens pretendem ter antes do casamento de 20 a 50 parceiros sexuais. Isso é um absurdo! Talvez nem grandes prostitutas a séculos atrás conseguiram tudo isso. Falo isso, mas sei que muitos jovens pretendem muito mais. Como até homossexuais já afirmaram ter mais mil parceiros sexuais durante a vida. Aí pega doença, a culpa é de quem? Ah da Igreja por não aceitar o uso da camisinha.
         Se o uso da camisinha fosse algo lícito de verdade, ele seria usado apenas no casamento. Mas já começa de forma errada, porque não previne doenças totalmente como a mídia e as escolas afirmam. E, para quem é cristão católico, é uma grande pecado usar preservativo, uma vez que aumenta a chance de não engravidar, tirando a principal função do matrimônio.
         Julguem vocês mesmos, com a já citada proliferação da camisinha, a promiscuidade aumentou ou diminuiu? Antigamente diziam que era para casais, hoje, adolescentes fazem uso e tem vida sexual ativa. E ainda existem militantes gays e outros movimentos que defendem a liberdade sexual para crianças. De fato o sexo se tornou a cultura do prazer pelo prazer, não se tem função, se tem orgasmo e pronto.
         E na matéria citada aqui, é colocado – como já dito – como algo de outro mundo na se usar camisinha e/ou pílulas anticoncepcionais. Ou seja, a mídia mais uma vez estimulando o uso desses medicamentos que todos sabem que são abortivos. Enganam-se quem acha que somente a pílula do dia seguinte é abortiva. E, a impureza e a malícia – aqui algo bem mau mesmo – toma conta. Faça sexo o quanto quiser e poder, mas se não tiver camisinha, simples, aborte (este é o pensamento dos defensores de pílulas anticoncepcionais, camisinhas, etc.).
O engraçado – se é que tem graça – é que a matéria e a pesquisa foram para o dia de combate contra a gravidez na adolescência. E a mente do povo está tão obscurecida pelo pecado, que não enxergam que para acabar com a gravidez indesejada – e ainda mais na adolescência – o “remédio” é NÃO TRANSAR! Simples assim. O sexo é para a vida, e não para viver de sexo. Chega de tanta promiscuidade. Mas, o governo faz questão de distribuir camisinhas, e a gravidez não tem diminuído, no entanto, o aborto tem aumentado. A camisinha não vai impedir de ter filho, até porque a pessoa viciada no sexo pouco se importa se tem ou não uma para usar. Fora o detalhe de que a camisinha pode furar. O problema é que a camisinha incentiva. Enquanto colocam máquinas de camisinha nas escolas públicas, quem prega a Palavra de Deus é perseguido, até em projetos de leis é colocado a possibilidade de proibir a pregação (em relação aos atos homossexuais). Porque ao invés de máquina de camisinha, não colocam máquina com terço, Bíblia, Catecismo, livros de santos, etc.? ah, não convém neh Dilma?        
         Antes de terminar, lembrei de quando estudava. Eu tinha 10 anos de idade e cursava a quinta série. Foram os profissionais da saúde dar uma aula de orientação sexual; que de fato eram aulas de como fazer sexo. Um exemplo? Além das camisinhas, falavam que os mais jovens (no caso em me enquadrava) e que não ejaculavam, não deveriam se preocupar, mas sim aproveitar, pois poderiam fazer sexo sem correr o risco de engravidar ninguém. É um meio de educar evitando a gravidez ou um incentivo? Afinal, um dia se desenvolverá por completo. Fora que não seria lícito de forma alguma. E aí vão colocando as crianças no pecado tranquilamente, sem ninguém falar nada contra. Quando deixaram alguém dar palestra sobre castidade e pureza nas escolas públicas? Para não dizer que na minha época não tinha, foi uma vez um rapaz que até se não estiver enganado era religioso, e foi testemunhar seu envolvimento com as drogas e sexo desregrado. Mas é quase nulo com a quantidade de gente levando camisinha para abastecer a cultura do sexo.
         Outra vez, já no ensino médio, foram ensinar como colocar camisinha. E tinha até pênis de borracha. Um incentivo tremendo ao sexo, fora o escândalo e zoação pelos objetos. Se bem que muitos modernistas incentivam a masturbação dizendo que é pra desenvolver. No entanto, sabemos que é um mal, e que após o casamento pode causar impotência. Ouvi casos de pessoas que buscaram ajuda, pelo fato de que sentiam mais prazer na masturbação do que com sua esposa.
         Mas castidade? Pureza? O governo prefere cartilha de aborto, fazer aborto nos hospitais, dar camisinha, etc. Mas nós, que somos católicos de verdade, e não os falsos que fazem tudo quanto a Igreja proíbe, temos que dar o que o governo não dá: jejum e oração. Ensinar a rezar. Se o governo dá camisinha, vamos dá terços e ensinar a rezar. O império de satanás será derrubado pelo poder da oração.
         Viva a pureza e testemunhe a castidade. Seja santo e não anta.
         Salve Maria!

Um comentário:

  1. Blogueiros católicos e povo fiel, por favor divulguem o vídeo do Padre Luiz Carlos Lodi da Cruz:

    http://www.youtube.com/watch?v=2rREUfWwfXw&feature=player_embedded

    Na Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo

    Henrique Sebastiao
    Blog Voz da Igreja

    ResponderExcluir