terça-feira, 19 de junho de 2012

O que temos feito das vocações?

“Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado, e te havia designado profeta das nações.” (Jeremias 1,5)
            
             Todo cristão tem uma vocação. Dentro da Igreja especificamente podemos ver diversas vocações. A vocação não é necessariamente uma escolha nossa, mas de Deus, que nos designou para aquele chamado desde o ventre materno. Cabe a nós, porém, na nossa liberdade, aceitar ou não o chamado de Deus em nossa vida. O profeta Jeremias (do texto bíblico inicial) aceitou o chamado de Deus, assumindo a vocação de profeta, denunciando e exortando ao povo. Samuel também ao ouvir o chamado de Deus disse sim (cf. 1Samuel 3,1ss). Por outro lado, também temos o exemplo de quem diz não ao chamado de Deus, de viver a radicalidade, e o estado de vida na qual Deus lhe chama. O exemplo bem claro é o jovem rico, que se negou largar suas posses para seguir Jesus (cf. Lucas 18,18ss). E há também, infelizmente , os casos dos que vivem sua vocação de forma errada, como é o caso de Judas Iscariotes.
            Precisamos rezar pelas vocações; mas não só para que elas surjam, mas para que sejam bem vividas. Às vezes rezamos para que surjam novas vocações – isso quando reza – mas esquecemos de rezar pelos padres que estão de pé para que não caiam. E isso é muito triste. Ver padres santos, que em momentos de fraqueza acabam por cometer grandes delitos, ou mesmo apostatar da fé. Freiras viverem em completos erros, não vivendo o chamado específico de sua congregação e ensinando erros tremendos aos outros. Comunidades Católicas com seus líderes que acabam por cair em erros tremendos, que acabam caindo no afastamento, e o pior: sendo lobos em meio os cordeiros. Temos que rezar para o surgimento de sacerdotes e religiosos santos; mas também pedir para que os que já trilham este caminho de santidade possam se santificar ainda mais.
            Como aconteceu com Jeremias, o chamado de Deus foi logo cedo. Tanto que Jeremias respondeu “Ah! Senhor Javé, eu nem sei falar, pois que sou apenas uma criança” (Jeremias 1,6). Mas o Senhor anima-o, mostrando que o chamado de Deus é soberano a todas as coisas. Vemos então que a vocação já está inserida no homem desde a concepção. O homem e a mulher têm uma vocação específica. Seja ela matrimônio, sacerdócio, vida religiosa, leigos consagrados, etc. Todos têm uma vocação. O problema é que nem todos respondem ao chamado como Jeremias. Ou, infelizmente, por falta de orientação familiar, acabam por negligenciar sua vocação. Pois nem todos são como Samuel, que sem saber que era o Senhor quem lhe chamava, pode ter a orientação de Heli para saber que era o Senhor que o chamava (cf. 1Samuel 3,1ss).
            Já repararam que hoje em dia se criam os filhos para serem tudo, menos santos? Os rapazes são criados e influenciados a serem jogadores de futebol; e as moças modelos, bailarinas. Ou no geral pra ambos os sexos: artistas, dançarinos, médicos, advogados, juízes, políticos, empresários, etc. Tudo é influenciado dentro de casa, menos ser santo. Ai do filho que chegar em casa e dizer que quer ser padre! E ai de uma filha que diz querer ser freira! Que mundo é esse em que vivemos? Os valores estão invertidos. Mal sabem os pais que negligenciar e ser contra uma vocação religiosa verdadeira é pecado mortal grave. Existem crianças que dizem querer ser padre, mas que os pais logo dizem que não poderá casar, e ali influencia para que o garoto queira o matrimônio e não o sacerdócio. Claro que há casos, que de fato a vocação não se confirma. Mas é incrível o número de casos em que se põe a perder uma vocação santa. No lado das mulheres quando a serem religiosas é a mesma coisa.
            Quantas vezes a gente reza pelas vocações, mas quando um filho, ou um parente próximo diz ter a vocação, a gente logo quer derrubar! Que absurdo! Tem gente que trata o sacerdócio ou a vida religiosa como uma morte, uma doença, uma condenação. Mas esquecem-se de que sem o padre não poderão comungar o Corpo e o Sangue de Jesus. Não terão o perdão dos pecados pelas mãos do sacerdote. Não terão Sacramento algum. Serão mortos, condenados sem a misericórdia de Deus àqueles a qual negligenciaram a vocação alheia com consciência de causa. E esquecem-se ainda mais, que se não fossem os carmelitas – em especial as irmãs carmelitas – a gente já estaria completamente enrolado. Essas irmãs que tem rezado pela Igreja e pela salvação do mundo. Ai de nós se não fossem essas orações. Por isso um Papa chegou a dizer que preferia 10 carmelitas rezando a 20 missionários pregando. E você ainda negligencia a sua e a vocação alheia?
            As vezes até mesmo as próprias dioceses negligenciam essa vocação. Satanás quer destruir as vocações a qualquer custo. Por isso quando ele não consegue consumar um aborto, matando assim uma vocação, ele tenta de tudo para perdê-la e desviá-la. Por isso, vemos muitas vezes rapazes e moças ardentes em ser sacerdotes e freiras, mas que sem uma vida de oração, e com a negligência da família e dos amigos, acabam por desviarem a vocação. Já ouvi falar de casos de rapaz que queria ser padre, mas quando chegou na adolescência acabou engravidando uma moça,e assim foi uma vocação jogada fora. Quando digo que é negligência de muitas arquidioceses é pelo fato de não terem o Seminário Menor, que facilitaria mais termos mais sacerdotes; e evitaria o desvio das vocações no decorrer dos anos. Fora que eles estando desde cedo no Seminário teriam uma formação acadêmica e espiritual muito melhor, e poderiam combater melhor os grandes problemas hoje enfrentados; e poderiam ser ordenados mais jovens, com todo vigor e disposição. Mas isso hoje infelizmente é apenas um sonho meu, pois a Teologia da Libertação e os movimentos que querem destruir a Igreja iriam persuadir os jovens, assim como tem feito nos Seminários Maior em muitos lugares, quando encontram seminaristas descomprometidos e ingênuos. Enquanto as pessoas não acordam pra importância das vocações, terei que continuar agüentando, por exemplo, recém seminarista sendo colocado contra a parede pra ficar com uma garota. Nem todos sabem recusar. Nem todos permanecem no seminário. Mas uma coisa é certa: todos iram responder no tribunal de Cristo.
            Mas quando vencem-se todas as barreiras, e conseguem-se vocações, como já disse, deve rezar para que não caiam. Lembro do ex pároco da minha paróquia, que acabou por abandonar seu sacerdócio. Segundo o que dizem, acabou por se “casar” com uma catequista. O que estão fazendo com as vocações? Rezam pelas vocações, e acabam levando elas pra sua casa? Prostituindo aquilo que é sagrado: tanto o sacerdócio deste homem quanto seus corpos (pois estão se prostituindo terrivelmente). Da parte do padre, sei que o problema para ter caído não foi a “falta de mulher” (por assim dizer), mas sim a falta de uma vida de oração, e uma vida consagrada a Virgem Maria. Só satanás vai querer derrubar uma vocação dessa forma. Ele antes de entrar para o Seminário, era noivo. Então não era o celibato o problema. E quanto a garota: o problema é a falta de vergonha na cara! Falta de oração! Falta de confissão! (disse confissão e não supostamente tentar o padre). Falta de discernimento! Será que esse povo tem rezado o terço? Se rezava, dever-se-ia rezar o Rosário logo pra dar jeito! Agora além de menos um padre assumindo as funções, temos duas pessoas em grande pecado. Como uma pessoa disse no face no comentário do padre comunicando seu abandono ao sacerdócio: “você sai do sacerdócio, mas o sacerdócio não sai de você”. Fiquem pelo resto da vida com o peso na consciência. Vocês estão em pecado! Mas saibam: a Igreja está de portas abertas para recebe-los: confessem-se! Assumam as suas vocações! Rezem o terço! Consagrem-se a Nossa Senhora pela Santa Escravidão de Amor.
            E o que me deixa mais triste, é que no caso referido acima, a maioria dizia que o que importava era ele ser feliz, que nada mais importava, que isso aí. Pessoas dizendo que achou foi bom o padre deixar de ser padre. Outros(as) dizendo que não era de se surpreender já que era um padre bonito. Pois é, dá pra ver que de fato este padre foi enviado como cordeiro em meio aos lobos, e infelizmente foi devorado. Por isso, peço que rezem pelo Padre VS, para que possa retornar ao sacerdócio se for possível, e para tantos outros padres que caíram neste erro tremendo de abandonar o sacerdócio. E rezem para que os sacerdotes se santifiquem, e não caiam. Pois se eles acabam por cair em pecados sexuais, a culpa é mais nossa que não rezamos, do que dele que fraco também não tem vida de oração. Convertamo-nos!
            E falando agora dos leigos. A vocação de todo ser é ser santo. Basta de prostituirem a vocação leiga. Trocando o Deus das obras pelas obras de Deus. Leigos que vivem o pecado da luxúria, adulterando seus corpos, seus casamentos. Fazendo da Igreja um ponto de encontros, e não um ponto de oração. Enfim, muitos que não assumem suas vocações específicas. Vocação essa que nem é sempre sacerdócio e vida religiosa, mas sim uma vida consagrada. Muitos não querem nem fazer a consagração das consagrações que é a Santa Escravidão a Nossa Senhora. Quem dirá ser de uma Comunidade. E os que são, sem vida de oração, acabam por cair. Jovens, já dizia João Paulo II: “Se fores o que deveis ser, tocareis fogo no mundo”. Se o mundo não está mudando é porque você não está com a chama do amor de Deus acesa. Não que Deus não te ame, mas que você não o ama ao ponto de largar tudo o que tem para viver o seu chamado divino.
            Seja em comunidade, congregações, vida religiosa, sacerdócio, leigos, etc., a vocação do católico é ser santo como Deus é santo (Cf. Levítico 19,2) . Tens feito isso?
            Fiquem com Deus e Nossa Senhora. Que esta boa Mãe te ensine a viver a sua vocação. Pois como o SIM de Maria salvou incontáveis pessoas das gerações futuras, o seu sim também pode salvar muitas pessoas (por suas orações e obrigações). E mais ainda, pode ser o caminho pra sua salvação.
            Pax.
            

Nenhum comentário:

Postar um comentário