quarta-feira, 27 de junho de 2012

Marcha contra aborto reúne três mil pessoas em Brasília

(Reportagem de 2009)

Ronaldo da Silva
Brasília (DF)


Agência Brasil
3ª Marcha Nacional da Cidadania pela Vida e pela Paz, evento promovido pelo Movimento Nacional em Defesa da Vida - Brasil Sem Aborto
A Marcha Nacional da Cidadania pela Vida liderada pelo Movimento Brasil Sem Aborto, reuniu cerca de três mil pessoas, neste domingo, 30, em Brasília (DF). Depois de percorrer cinco quilômetros ao som de três trios elétricos, o ponto culminante do evento foi na Esplanada dos Ministérios com um show da cantora Elba Ramalho.

Seguidores de várias religiões, artistas, juristas, jornalistas e simpatizantes da causa vieram de vários estados como São Paulo e Goiás. Um dos organizadores da caminhada, Jaime Ferreira Lopes, acredita que o aborto é a "matriz mais forte" de todos os tipos de violência, por isso a necessidade de manifestações coletivas contra a prática.

A marcha se tornou também um ato de protesto contra o governo federal que boicotou a verba de patrocínio do evento depois ter sido liberada e depositada em conta.

Na última sexta-feira, o Ministério da Cultura suspendeu o repasse de R$ 113 mil alegando que houve "omissão de informação na apresentação do projeto", pois não deixou claro que a marcha se tratava de uma manifestação contra o aborto.

A organização do evento se defendeu afirmando que o projeto estava claro ao propor ações culturais em defesa da vida, além de ter sido aprovado sob os aspectos técnicos e jurídicos pelo mesmo Ministério da Cultura.

Na avaliação do Movimento Brasil sem Aborto, a suspensão do patrocínio foi cerceamento da liberdade de expressão e demonstrou parcialidade do governo em relação ao tema. Eles lembraram que em 2008 um filme pró-aborto, produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), foi financiado com verba pública.

Elba Ramalho começou o show cantando a Oração de São Francisco. Apesar de já ter praticado aborto, a cantora se tornou engajada na campanha e diz que hoje não abortaria mais, defendendo a vida em todas as circunstâncias.

Elba teve sua participação questionada no evento por grupos feministas, mas disse que o maior equívoco que a sociedade pode cometer é aprovar o aborto. "Vim colocar minha assinatura nesta luta. Sou católica praticante de comunhão e Missa frequente e se tiverem que me metralhar neste palco morrerei feliz, mas não mudo minha opinião", declarou.

A cantora revelou ainda que o próprio ministro da Cultura, Juca Ferreira, telefonou para ela antes de cancelar a verba do evento, explicando que ele próprio é contra o aborto, mas recebeu orientação para não apoiar a manifestação. "Eu disse a ele que não concordava com essa atitude do governo e que isso era censura à livre manifestação". E concluiu: "Infelizmente, estamos neste fim dos tempos percebendo que seremos cada vez mais perseguidos por nossas posições que defendem os valores. O mundo está cada vez mais dominado por forças estranhas".

O protesto buscou mobilizar a sociedade contra projetos que tramitam no Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal (STF) visando a legalização do aborto no país. 

Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=273776

(Reportagem de 2012)


Marcha pela vida reúne centenas de pessoas em Brasília

Helen Bernardes
Canção Nova Notícias, DF


Em Brasília a população foi às ruas participar da 5ª Marcha Nacional da Cidadania pela Vida nessa terça-feira, 26. A Esplanada dos Ministérios foi ocupada pelas manifestações contra a proposta de reforma do Código Penal. A comissão de juristas, entrega o documento ao Senado nesta quarta-feira.

Assista à reportagem



http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=286615

2 comentários:

  1. Anderson, a paz de Cristo e o amor de Maria!

    Só um detalhe… essa notícia não é da marcha de ontem, mas de outra que ocorreu antes, tem uns 2 ou 3 anos. Basta ver as informações contidas no texto, como a data, por exemplo. Ok?

    Atenciosamente, em Cristo,
    Renato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei, tanto que coloquei a seguir a matéria da de ontem.
      Salve Maria!

      Excluir