quinta-feira, 12 de abril de 2012

ADPF 54:: Perdemos a batalha mas não a guerra. Aprendamos com a derrota


Ministros do STF:: Alguns deles serão lembrados pela história como aqueles que promoveram o infanticídio no Brasil
Caríssimos é duro começar o dia assim. Mas as guerras são assim mesmo: Perdemos uma batalha aqui, ganhamos outra batalha mais a frente. A provação da ADPF 54 (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 54), que viria alegalizar o aborto dos bebês diagnosticados com anencefalia durante a gestação é praticamente iminente.
Contrariando a grande maioria dos brasileiros que se posicionam contra o aborto em quaisquer circunstâncias, cinco dos onze ministros do STF – Supremo Tribunal Federal –julgando-se semideuses, decidiram que não é crime matar um feto anencéfalo. Registra-se aqui, o voto do Senhor Ministro Ricardo Lewandowski que com coragem e galhardia decidiu não participar dessa decisão se posicionando contra a aprovação da ADPF 54.
Quem acompanhou ontem a primeira parte do julgamento, provavelmente teve a mesma impressão que eu tive: Um julgamento parecido com o que Jesus teve na quinta-feira da paixão. Se olharmos por este prisma, o Senhor Ministro Ricardo Lewandowski talvez tenha sido o nosso José de Arimatéia, um dos poucos fariseus que acolhia a mensagem do mestre e que teve a coragem de se posicionar contra essa cultura de morte.
O fato é que hoje na história do Brasil podemos lamentar esta triste decisão. Hoje nosso país declara como algo normal à morte dos seus filhos mais indefesos. É uma decisão que vai abrir precedentes óbvios e claros para a descriminalização do aborto em quaisquer circunstâncias na nossa nação.
Nosso país inicialmente chamado de “Terra de Santa Cruz” causa uma chaga enorme no Coração do Nosso Senhor. Não podemos esquecer que Ele – Jesus Cristo – que é amor, misericórdia e compaixão, também é o justo juiz. O sangue de cada criança morta por aborto seja ela anencéfala ou não, clamará pela justiça divina. Hoje cedo, minha oração foi para que o Senhor não nos vire as costas, já que nossa nação está virando as costas para Ele.
Tenho plena convicção que os homens e mulheres que votaram a favor desta famigerada lei serão lembrados pela história como aqueles que favoreceram o infanticídio no Brasil. Registrem-se os nomes:
• Marco Aurélio Mello (Relator do projeto),
• Rosa Weber,
• Joaquim Barbosa,
• Luiz Fux;
• Cármen Lúcia
Ainda temos alguns ministros para votar que podem ou não aumentar esta lista, mas é engraçado pensar que votamos em pessoas para nos representar, mas são 11 pessoas não escolhidas por nós que decidem valores essenciais para a nossa sociedade. Vale lembrar que os ministros do STF são escolhidos pelos presidentes, na medida em que as vagas vão sendo abertas.
Ontem tive ojeriza quando ouvi alguns ministros do STF se referirem ao aborto como“antecipação terapêutica do parto”. Não senhores ministros, isso é quando a criança nasce prematura. Matar um anencéfalo ou não antes que ele nasça é aborto mesmo. É assassinato. E pelo que sei, a Constituição Brasileira defende a vida. Arranjar uma brecha para aprovar tal ato é no mínimo nojento e é isso que vocês estão fazendo.
No mais, me resta parabenizar a todos os católicos e não-católicos que lutaram bravamente nesta batalha em defesa da vida. Deus abençoe seus esforços. Desde anteontem vi crianças, adolescentes, adultos e idosos se manifestando a favor da vida. É lindo quando o povo católico se mobiliza para a luta. Repito: Perdemos a batalha, mas não a guerra.
Quem sabe com essa derrota, o povo católico passe a levar mais a sério o seu voto. Para aqueles que diziam que política e religião não se misturam faço um pedido: Veja a derrota que sofremos ontem, calem as suas bocas e votem em pessoas sérias que defendem a vida.
Espero de coração que os senhores bispos aprendam com essa derrota e saiam de cima do muro. Sei que durante as eleições passadas, alguns bispos por covardia e diplomacia idiótica pediram que os padres não falassem contra políticos marxistas. Perdoem-me a franqueza, mas estes bispos também são responsáveis pelo que vivemos hoje. É hora de denunciar essa atitude covarde, tacanha e mesquinha.
Precisamos nos posicionar contra todos aqueles que querem promover a cultura de morte no Brasil, inclusive dando nome aos bois. Àqueles que ainda flertaram com a maligna e diabólica Teologia da Libertação, vejam aonde chegamos. Entendam que a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo é maior que suas convicções marxistas abusivas e nojentas. Saiam debaixo da saia vermelha do comunismo e retornem ao manto da Santíssima Virgem.
É preciso dar uma resposta a altura da derrota que sofremos. E essa resposta, precisa ser dada nas urnas. É preciso eliminar da nossa sociedade, todos os políticos marxistasque defendem essa cultura de morte. Existem organizações que vão lucrar muito com a promoção do aborto no Brasil. É preciso estar atento e votar certo.
Espero que essa onda de defesa da vida não pare. Torço para que possamos nos unir cada vez mais em torno de Deus e em torno da vida. A esperança não decepciona já dizia São Paulo aos Romanos. Servimos a um Deus que já é vitorioso. Sofremos hoje, mas havemos de gozar da vitória amanhã.
Sei que haverá um céu onde todos os que amam, temem e servem o Senhor hão de estar um dia. Também lá estarão todas essas crianças assassinadas em nossos tempos. Reuniremos-nos em torno de Cristo Jesus, o vitorioso.
Recobremos o ânimo e bola pra frente!
Dominus Vobiscum

Nenhum comentário:

Postar um comentário