sexta-feira, 27 de abril de 2012

O Católico e o fanatismo pelo futebol


Todos nós sabemos que o futebol no Brasil tem uma enorme importância. A grande maioria da população torce para algum time de futebol; e ouso dizer: é fanática por ele. Neste texto não venho colocar nenhuma posição oficial da Igreja – até porque esta tem coisas muito mais importantes para se preocupar -, mas venho discorrer uma opinião pessoal sobre o assunto, que gerará polêmica, mas que se faz necessário abordarmos nos dias atuais. Não é algo generalizado, mas, contudo, é algo banalizado e que se tornou comum. Peço perdão caso se sinta ofendido e/ou enfurecido com este texto, mas não posso me calar diante da salvação da alma das pessoas.

            Pois bem, de início digo que, talvez, o futebol em si não seja nenhum pecado. Entretanto, o mesmo nas proporções exageradas em que adquiriu, pode ser elevado não só a algo fanático, mas sim, a algo idolátrico aos moldes da Bíblia. O que dizer, por exemplo, da seita “igreja Maradoniana” que fãs fanáticos do jogador argentino Diego Armando Maradona fundaram? E é comum as pessoas falarem que clubes de futebol é como se fosse religião. De fato muitas pessoas endeusam seus times de futebol, como se fosse a coisa mais importante do mundo. Vão a estádios de futebol, mas a Igreja nada. Usam a camisa de seus times, com o número e nome dos seus ídolos às costas; porém, já as camisas de Nossa Senhora, de Jesus, de santos da Igreja...
            Quantas pessoas não chegam a perder a saúde por conta de um futebol?! Mas isso chega a ser pior quando chegamos às torcidas organizadas. As torcidas organizadas são o fanatismo encarnado. E aí que está a questão polêmica. Ser um torcedor de futebol normal, desde que o seja com discernimento, pode ser que não haja mal algum. Mas e das organizadas? Veja que nos dias atuais as organizadas adquiriram status de verdadeiras facções criminosas. Como você quer ser católico sendo envolvido em um ambiente aonde se usa drogas? Várias pessoas que freqüentam estádios de futebol relatam que na arquibancada em que ficam as torcidas organizadas o aroma é de maconha. Isso é algo moral? As torcidas organizadas marcam brigas, e criam confusões frequentes dentro e fora dos estádios. Quantas mortes já não foram noticiadas que ocorreram durante brigas de torcida?! Domingo seria o dia de estar na Santa Missa presenciando e participando do Santo Sacrifício de Cristo; e não estar sacrificando irmãos porque torcem por outros times. As brigas são na mão, a paulada, a armas de fogo, ou qualquer coisa que possa ferir e/ou matar. Qual a moralidade de participar de uma torcida organizada?
            Os seus cantos, hinos ou gritos de guerra, são em grande parte, verdadeiras composições de esgoto. Cheias de palavrões e incitação a violência. Às vezes fico a me perguntar, como pode alguém sair de um grupo de oração, ou algum evento da Igreja em geral – ou mesmo da Santa Missa que é a coisa mais importante para um Cristão verdadeiro – e sair de lá para um estádio, para falar essas coisas sujas. A mesma boca que glorifica a Deus na Igreja é a mesma que maldiz o irmão; e assim maldizemos também a Deus, pois maldizemos a imagem e semelhança de Deus. A grande rivalidade dos grandes clubes de futebol não justifica tanta ira. Onde fica o mandamento do amor nessa história? Fora que nos cânticos que não exala ódio contra o outro, fala de amor ao clube. Não quero entrar na discussão disso porque vai da cultura de cada um, mas dizer que não vive sem um clube, ou que um clube é seu verdadeiro amor, daria tudo pelo time, não vive sem to time, etc., é meio que desrespeitoso para com Deus. E não adianta dizer que tudo isso exposto aqui é hobby, pois a coisa é levada a séria, e aos extremos.   
            Eu já fui muito fanático por futebol. Hoje ainda acompanho, torço, mas sem a mesma euforia e fanatismo descontrolável que eu tinha há tempos atrás. Em 2008 quando o São Paulo FC jogou o último jogo do Campeonato Brasileiro no Gama-DF – jogo em que venceu e sagrou-se campeão – eu fui assistir no estádio. Nunca tinha visto um jogo do estádio, mas não que eu não fosse fanático. Cheguei a gastar mais de 600 reais nesta partida entre ingresso, camisas e bandeira. Um absurdo! Hoje mal tenho dinheiro pra pagar a passagem pra ir pro Shalom. Mas isso mostra o quanto o futebol torna a pessoa fanática ao ponto de gastar absurdos, tirando de coisas mais importantes e úteis, para continuar bancando os poderosos cartolas e mandantes do futebol. O futebol é uma máfia. Ainda mais no Brasil. Mas já daquela época, eu idolatrava algo a mais do que os jogadores de futebol (que já era errado). Eu tinha amor pelas torcidas organizadas. A Torcida Independente me fascinava, era a loucura por um time de futebol. Eu tinha muitos contatos com membros da TTI nas redes sociais, e só não fiz parte da organizada aqui em Brasília porque a sede da mesma ficava na Ceilândia, e além de ser longe, era meio perigoso. Fora que eu era menor de idade. Mas isso não me fazia não só cantar seus gritos, mas também puxar grandes discussões sobre futebol. Chegando até a praticamente agredir verbalmente pessoas de forma séria. Hoje, pergunto-me o que eu ganhei, e a resposta é clara: ganhei remorso por ter perdido tanto tempo com bobagem. E logo após a minha decisão por Deus, apareceu pessoas chamando-me para participar da Torcida Dragões da Real que abriria sede na Santa Maria. O que fiz? Bloqueie. Não troco Deus por torcida nem por futebol. Todo meu tempo e dedicação têm que ser para Deus, para Sua obra, Seu louvor, Sua Adoração...
Hoje eu acho completamente incoerente eu cantar uma música de adoração ao Santíssimo Sacramento, e depois cantar certas músicas de verdadeira adoração a times de futebol, e de ódio ao próximo. Vejamos uma das músicas que eu mais gostava da Independente:
Vou acabar...
Com a porco mania
É a ordem do dia
Porque ser palmeirense
Nunca foi fama de ser mal
Se não der na mão, eu brigo até de pau
Pode vir todo mundo
Eu não temo ninguem
Sou independente
Mato um mato cem
Não se preocupe amigo
Que a paz vai voltar
Com a galinhada, eu prometo acabar!
            
Nossa! Quanto amor fraterno, não? Essa ainda é uma das poucas que ainda posso postar aqui. E não fica só nos gritos dos estádios, a briga de fato torna-se generalizada. Lembro ainda que no jogo que disse que participei, um jovem são paulino morreu com um tiro de um policial. A briga era com a torcida do Goiás. Antes da confusão, eu estava no estacionamento guardando uma mochila no carro de uma pessoa. A mão de Deus me livrou da morte naquele dia. Se atentar contra própria vida é um pecado, e também se colocar em situação evidente de pecado; é claro aqui que ser de torcida organizada e ser fanático desse jeito no futebol é uma grande exposição ao pecado. Até mesmo no simples, como por exemplo, assistir ao futebol e de repente falar um palavrão, ou começar discussão chula com alguém por causa do mesmo. Tantos e tantos casos já vimos de pai matar filho e vice-versa; irmão matar irmão e vice-versa.
            Hoje em dia, não gosto nem de ir a Igreja com camisa de time de futebol. Quem quiser ir, que vá. Mas não misturemos o sagrado com o profano. E o futebol, querendo ou não, têm sido uma grande profanação. É uma idolatria já que o futebol é colocado acima de Deus. Os ensinamentos dos santos da Igreja foram abandonados para os lances de Messi, Neymar e Cia. E o Sacrifício Santo da Missa que é feito pelo amor foi trocado pela grande barbárie do sacrifício do irmão pelo ódio. Quem quer ir pra Missa? Preferem lotar estádios de futebol. Uma professora que tive disse que ia para a Missa no sábado para não perder o jogo do Flamengo no domingo. Realmente, o está tomando o lugar de Deus. É isso o que o futebol tem feito. E você acha isso moral? E o que você vai fazer? Em vez de reunir com os amigos pra jogar e/ou assistir a uma partida de futebol, que tal reunir-se para confessar-se e participar da Missa?
            Que Deus te abençoe. E que Maria Santíssima vos ensina a ser santos, e amar a Deus sobre todas as coisas. Meu time principal tem que ser Jesus Cristo!
            Shalom!

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Decisão sobre o aborto de crianças com anencefalia pode ser suspensa


Entrevista com Ives Gandra Martins Filhos
SAO PAULO, terça-feira, 24 de Abril de 2012 (ZENIT.org) – Publicamos aos nossos leitores a entrevista que o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e presidente da União dos Juristas Católicos de São Paulo,  o jurista Ives Gandra Martins Filho concedeu à Agência Portalum sobre o tema da anencefalia, na quarta-feira, 18 de abril.
***
– Como o STF não tem poder legislador, o julgamento da ADPF nº 54 pode ser considerado nulo por ser inconstitucional?
Ives Gandra – Na minha interpretação da lei maior, o Congresso Nacional pode anular a decisão do STF com base no artigo 49, inciso XI, assim redigido: “É da competência exclusiva do Congresso Nacional: XI – zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa dos outros Poderes”. O Supremo Tribunal Federal não tem poder de legislar, nem mesmo nas omissões inconstitucionais do Legislativo, isto é, quando a Constituição exige a produção de uma lei imediata e o Parlamento não a produz. E, à evidência, se há proibição do STF legislar em determinadas matérias, em que a desídia do Congresso é inequívoca, com muito mais razão não pode a Suprema Corte avocar-se no direito de legislar no lugar do Congresso naquelas matérias de legislação ordinária. Tal aspecto foi bem salientado pelo ministro Ricardo Lewandowsky em seu voto.
O dispositivo que impede o Pretório Excelso de legislar é o parágrafo 2º do artigo 103 da Lei Suprema, assim redigido: “Declarada a inconstitucionalidade por omissão de medida para tornar efetiva norma constitucional, será dada ciência ao Poder competente para a adoção das providências necessárias e, em se tratando de órgão administrativo, para fazê-lo em trinta dias”. Para o Executivo há prazo para produzir a norma. Para o Legislativo, nem prazo, nem sanção, se não a produzir.
– Qual a sua opinião sobre esse caso não ter sido julgado no Congresso? E pela maneira antidemocrática como foi feito, sem levar em conta as manifestações da sociedade e também sem permitir que vozes contrárias fossem ouvidas durante a sessão?
Ives – Só me resta lamentar, até porque as entidades favoráveis à vida foram proibidas de sustentar oralmente a defesa da vida, pelo ministro Marco Aurélio que não as admitiu como amicus curiae (amigos da Corte). Desta forma, em plenário só houve a defesa dos advogados favoráveis ao aborto (procurador-geral e o da instituição promotora da ADPF).
Matéria desta complexidade, em que a maioria da sociedade, segundo o ministro Lewandowsky, é contra, à evidência, só poderia ser decidida pelo Congresso e, a meu ver, promovendo um plebiscito para conhecer o que quer a nação.
Para mim, todavia, em face da inviolabilidade do direito à vida desde a concepção (art. 5º, “caput”), entendo que, por ser cláusula pétrea, a questão não poderia ser sequer tratada, não tendo sido recepcionado o Código Penal de 1940 nas hipóteses do aborto sentimental ou terapêutico.
– Qual é o critério para a escolha dos ministros do STF? Quem responde por alguma decisão indevida? De que forma a sociedade pode agir para exigir algum tipo de mudança nos critérios antidemocráticos adotados no julgamento?
Ives – O sistema atual é ruim, pois depende exclusivamente da vontade política ou amizade do presidente com o candidato escolhido. Uma vez escolhido, entretanto, só por prevaricação poderá o ministro ser afastado pelo Senado. Jamais por decidir de acordo com suas convicções, mesmo quando frontalmente contrariar a lei. O que a sociedade pode fazer é pressionar os congressistas na forma de escolha dos ministros do STF.
– Essa decisão pode abrir um precedente para a liberação do aborto em outras situações não previstas em lei?
Ives – Claramente abre um precedente para o aborto de fetos mal formados. A reação, todavia, foi de tal espécie que creio que dificilmente o STF entrará em outra aventura semelhante. Deixará os demais casos para o Congresso decidir.
– Qual a sua opinião sobre o aborto de crianças anencéfalas?
Ives – O artigo 2º do Código Civil declara que todos os direitos são assegurados ao nascituro, desde a concepção. O parágrafo 5º da Constituição diz que ele é inviolável. E o parágrafo 4º do Pacto de São José, do qual o Brasil é signatário, que os direitos do nascituro devem ser assegurados desde a concepção. Não há qualquer exceção nos três textos. Por esta razão, nada obstante a decisão de oito ínclitos ministros do STF, continuo considerando aborto de anencéfalos um homicídio uterino, agora legalizado.
Fonte Portalum

Cardeal Arinze fala sobre dança litúrgica

Sábias palavras desse santo Cardeal, que disse a verdade. Então, você prefere seguir o ensinamento deste Cardeal ou dos marxistas da TL ou anti-litúrgicos em geral? Graças a Deus ainda temos santos pastores a nos guiar. Bendito seja Deus por isso. 
Salve Maria Imaculada!
Shalom!


Sejam imediatos!


Nós vivemos em uma sociedade imediatista, que quer tudo “pra ontem”. Mas existe um enorme mal nisso. Esse imediatismo é usado com o único intuito de ter e poder, na busca do prazer pelo prazer. As pessoas querem tudo na hora, e esquecem-se do bem maior: a cura da alma. É inegável que na correria do dia-a-dia, as pessoas buscam se satisfazerem com uma boa colocação social, bom cargo na empresa, bom namoro, etc. Mas mesmo para aqueles que têm uma caminhada na Igreja, acabam por ser imediatos nesse ter e poder, e não buscam a vivência dos Sacramentos para serem salvos. Deixam para a última hora, sem saber do que pode acontecer. E também aqueles que não se converteram, ou ainda não o fizeram por inteiro, acabam por querer se converter amanhã; e amanhã diz que se converterá depois de amanhã, e assim o tempo vai passando, e junto com ele vai à graça de Deus.
         Quando o assunto é conversão, a nossa salvação, nós não podemos deixar para amanhã o que podemos fazer hoje. Hoje só não, mas agora. No dia 19 de abril festejamos o dia de Santo Expedito, que é talvez o santo da Igreja Católica que mais bem nos ensina o bom imediatismo. Santo Expedito - que era soldado romano - queria se converter, mas apareceu-lhe satanás em forma de corvo dizendo “cras, cras, cras” (que em latim significa “amanhã”); e então Santo Expedito pisou em cima do corvo gritando “Hodie” (que quer dizer “hoje”). Santo Expedito nos ensina que devemos nos converter HOJE, AGORA, e não amanhã. Aproveite esse exemplo e converta-se hoje. CONFESSE hoje, COMUNGUE hoje, REZE O TERÇO hoje, ADORE hoje, seja SANTO hoje e não peques mais. É assim que devemos agir. Não sabemos o que pode acontecer amanhã. Aliás, nem mesmo o que acontecerá daqui a cinco minutinhos. Devemos dedicar cada segundo em que respiramos à Deus, e saber que só Ele é a nossa felicidade. E se Santo Expedito tivesse deixado para se converter amanhã, dando atenção aos embustes de satanás? Ele poderia ter morrido, em pecado, sem conversão, sem amizade com Deus. E isso teria sido um triste fim para este grande santo. E você, vai preferir ser imediato na conversão ou se iludir na correria do mundo?
         São Dimas – mais conhecido como o Bom Ladrão – também se converteu de imediato. Estava ele crucificado ao lado de Jesus, e abriu o coração para receber o novo, e ali mesmo se converteu ganhando a salvação. O outro zombava. E você? Às vezes até dentro da Igreja somos zombados por buscar a conversão sincera. Às vezes quando você é um católico morno, as pessoas nada falam – até podem chegar a incentivar você nos seus pecados -, mas basta assumir a radicalidade do Evangelho, logo dizem que é exagero, que não precisa de toda essa radicalidade, que Deus é amor e misericórdia e não sacrifício, e várias asneiras chegando até a caluniar. Podemos dizer que esses são os corvos do nosso dia, e como Santo Expedito devemos pisar. Não de forma física, mas pisar com o nosso ignorar enquanto afetar a nós mesmos, e pisar com o nosso testemunho de vida santa. É assim que esmagamos esses corvos. Tem gente que não pode ver um leigo jovem pregando e/ou rezando que já diz que vai ser padre, unicamente porque este jovem fala e tenta viver aquilo que todos deveriam, mas preferem deixar pra ser santo quando passar da porta do Céu. Mas para entrar no Céu é preciso ter sido santo aqui na terra.
         Já ouvi pessoas dizerem que pode viver de qualquer jeito, que é só antes de morrer confessar que fica tudo beleza. Em primeiro lugar, isso é um grande pecado de presunção. E segundo: e o arrependimento? E o terceiro – e pior -: e se morrer sem se confessar? Afinal não sabemos quando vamos morrer, assim, não sabemos qual é a nossa última chance de recebermos o Sacramento da Penitência (Confissão). Eu não posso deixar pra me confessar amanhã sentindo a necessidade hoje, pois vai que eu durmo mas não acordo. Pode acontecer. E aí como vou me apresentar diante de Deus? Sujo, cheio de pecados. Ele é Misericórdia, mas é justo. Eu tive a oportunidade de me confessar, não fui porque coloquei outras coisas em peso de importância à frente da graça de Deus. E nessa situação mereceria a salvação? É um caso hipotético, mas que pode acontecer, e que muitos de nós acabamos por vivermos nessa condição de risco. Muitos podem achar que Deus sendo misericórdia, Ele colocaria um sacerdote no seu caminho para se confessar antes de morrer. Sim, mas Ele colocou em seu coração o desejo de confessar, e você não o fez por diversos outros motivos. Deus foi ou não misericordioso? Nós é que somos orgulhosos ao ponto de preferir o trabalho, namoro, estudo, dinheiro, poder, prazer, tudo antes de Deus.
         Lembro-me do caso de uma viúva que pediu para São Padre Pio rezar e saber aonde seu marido estava (céu, inferno ou purgatório). Padre Pio que tinha um dom de ciência muito grande dado por Deus, fez uma cara de dor e disse que este tinha ido para o inferno. A viúva questiona dizendo que ele tinha até se confessado antes de morrer. Mas Padre Pio diz que ele confessou, mas Deus tinha um chamado na sua vida, ele brincou com o chamado; ele dizia sempre que ia se converter, mas nunca se convertia, aí delitou no pecado a ponto de não mais conseguir se converter; e na hora de confessar ele ocultou alguns pecados e não se arrependeu de outros. Conseguem compreender irmãos a necessidade de se converter HOJE, AGORA? Talvez muitos de nós nem essa chance de confessar antes de morrer tenhamos. Afinal podemos ser atingidos por uma bala perdida, sermos atropelados, sofrermos uma violência qualquer que pode nos levar a óbito. Por isso, temos que ter a confissão sempre em dia; devemos nos confessar com frequência. A Igreja ensina que devemos confessar uma vez por ano, pelo fato de que têm que Comungar pelo menos na páscoa. Normalmente recomendam que se confesse ao menos uma vez por mês, ou quando cometer pecado mortal. Isso mesmo, se puder, confesse no mesmo dia, realmente após ter cometido. Às vezes as pessoas não me compreendem por minhas confissões freqüentes – confesso uma semana sim, outra não, ou quando necessito toda semana – mas João Paulo II confessava toda segunda feira, e eu acho que eu devo ter um “pouquinho” de pecados a mais que João Paulo II, não?
         O Evangelho já nos ensina “Vigiai, pois, porque não sabeis a hora em que virá o Senhor” (Mateus 24,42). Por isso temos que ser santos, não por presunção, mas por vocação. E buscar sempre estar preparado para a vinda do Senhor. E sempre tendo consciência de que o Senhor pode demorar a voltar, mas eu posso ir ao Seu encontro daqui a alguns segundos. E como estou para esse encontro? Mereço ser salvo? A Palavra também nos ensina que devemos vigiar e orar para não entrarmos em tentação (Conf. Mateus 26,41). Então essa falta de imediatismos resulta de uma falta de oração. Nós estamos dando ouvidos para o corvo dizer amanhã, estamos dando espaço pra satanás. Mas hoje exorto-vos irmãos, sejais firmes no Senhor, orai sem cessar. Comece a ter uma vida de oração. E participe da oração por excelência que é a Santa Missa. Quão tremenda é a Santa Missa! Coma e beba da carne e do sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo! Não é vinho e não é pão que tem ali, mas sim a nossa salvação (Conf. João 6,22-71).
         E repito uma frase já escrita aqui, para que sejais firmes no Senhor, buscando adorar Jesus Sacramentado diariamente, missa idem, e busque renunciar todo tipo de pecado: Santo Expedito nos ensina que devemos nos converter HOJE, AGORA, e não amanhã. Aproveite esse exemplo e converta-se hoje. CONFESSE hoje, COMUNGUE hoje, REZE O TERÇO hoje, ADORE hoje, seja SANTO hoje e não peques mais.
        “Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo” (Levítico 19,2)
         Salve Maria Santíssima!
         Shalom!

segunda-feira, 23 de abril de 2012

A vergonha do STF (parte 02). O aborto de anencéfalos foi aprovado de forma covarde.



Vejam esse video amados. Apesar das grandes barreiras e batalhas para a gravação, edição e postagem do video, ai está. Tinha uma outra parte antes dessa, mas como tive problemas para pegar em uma outra câmera de uma amiga, decidi postar só está mesmo por enquanto. Ajudem a divulgar, vamos arrebentar com o plano do inferno.

Salve Maria Santíssima!
Shalom!

sábado, 21 de abril de 2012

Brasília, Sonho de Dom Bosco



Reportagem simples, mas muito legal falando sobre a profecia do surgimento de Brasília. Salve nossa capital, capital do Espírito Santo (conhecida assim pelos católicos da capital).
Salve Maria Imaculada. Que a Virgem de Aparecida nossa padroeira interceda por nós e por todo o Brasil.
Shalom!

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Teologia da Libertação: porta do inferno na Igreja


Este é um tema um tanto quanto polêmico pelo que lhe envolve. Existe pessoas que defendem a “teologia da libertação” puramente sem um conhecimento da mesma, apenas por achar belo o conceito de que eles defendem os pobres e fazem um ótimo trabalho social. Mas se tem uma coisa que eu aprendi com o Padre Paulo Ricardo é que não podemos julgar alguém pelo que defende, mas sim pelo que condena. E sabemos muito bem que o movimento “católico” da Teologia da Libertação condena a própria Igreja. Estranho, não? Mas é isso mesmo. Tudo quanto é sagrado é condenado por esta heresia; que em contrapartida é condenada por vários Papas, mas o povo sem conhecimento vai se deixando iludir e perdendo suas almas na ilusão de salvar seus corpos.
            Como eles usam do trabalho social para defender o movimento, vejamos um trecho bíblico esclarecedor sobre o fim da pobreza no mundo: “Nunca faltarão pobres na terra, e por isso dou-te esta ordem: abre tua mão ao teu irmão necessitado ou pobre que vive em tua terra.” (Deuteronômio 15,11) E a Teologia da Libertação prega o contrário. Prega que devemos nos libertar da pobreza, que não dividir a riqueza é um grande pecado. Aliás este é o único pecado deles. Como já vi relatos, padres da TL no nordeste – região brasileira aonde esta heresia mais se alastrou – dizerem que não se importam do povo usar camisinha, de homossexuais se casarem, de mulheres fazerem aborto, etc., que o que ele quer saber mesmo é do social. Mas pergunto-lhes: e a salvação alma? Pouco se importam, já que eles querem é o social. A vista deste versículo citado, a heresia da libertação parece-se com o espiritismo, aonde a caridade é usada como meio de salvação. A heresia da libertação chega até ser pior, pois é um movimento totalmente político, embasado no comunismo, no marxismo, em que a própria Igreja condena de excomunhão. É incrível que não só leigos e muitos padres adiram a este movimento, mas o triste é ver Bispos que são verdadeiros militantes desta porta do inferno dentro da Igreja.
            Para eles, os sacramentos são apenas símbolos, como a Eucaristia é apenas uma simbologia da divisão material. Heresia pura! No nordeste aonde a coisa chega a ser pior, existem sacerdotes que “consagram” pipoca, mandioca frita, ou outra coisa no lugar da hóstia durante as celebrações da Missa. E – pasmem – cachaça no lugar de vinho. Consegue compreender a dimensão deste problema? Você pode ver em um padre da TL ou em alguém que foi infectado por esta ideologia relativista e marxista, que ele não tem espiritualidade, intimidade com o Senhor. E não é julgamento da vida não, é só o visível da impiedade que muitos sacerdotes têm. Claro que essa impiedade, esse relativismo não se dá apenas nos sacerdotes da TL, mas neste torna-se um “fanatismo” em mostrar como um padre não deve se comportar. O que dizer de padres que dizem que masturbação não é pecado, que pode ter relação sexual antes do casamento, que abortar não tem problema, que pode ser gay, que pode fumar e beber, que pode fazer tudo (até blasfemar contra Deus) menos não dividir sua riqueza com os pobres? Talvez por isso, seja difícil você ver pessoas da TL em manifestações contra o aborto, defendendo o Papa, pregando sobre a Consagração Total a Santíssima Virgem Maria, pregando fervorosamente sobre a Eucaristia, pregando o amor pela Igreja, pregando contra o pecado e exortando a fazer confissão, etc. Mas vocês verão, com toda certeza, a TL nos movimentos de sem terra (MST), no Partido Comunista (ou chame-o de PT), nos movimentos que querem destruir a Igreja, em passeatas gays, etc.
            Por isso muitos políticos que se autodenominam “católicos” são adeptos dessa heresia. Vemos no ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, discursos completamente pró –TL; aonde o mesmo dizia que tem que viver o Céu aqui na terra. Mas não é isso o que a Palavra de Deus e os ensinamentos da Igreja nos exortam. O PT por todo, adora a TL, afinal seus conceitos são iguais: ser comunista. Apavoram a propriedade de terra e a vida humana, em nome de um “bem” para a humanidade. Eu pensei que fazer caridade era como São Francisco de Assis, ou nos nossos dias a Beata Madre Teresa de Calcutá e/ou Beata Irmão Dulce (esta brasileira); mas não, os heréticos da libertação não fariam nunca o que essas santas mulheres faziam.
            É bom querer uma mudança social. Mas o caminho certo é o comunismo? Nós não podemos lutar por uma sociedade perfeita, mas sim uma sociedade mais justa (como o Padre Paulo Ricardo disse). Nisso, tomemos o ensinamento do Papa Paulo VI: “têm frequentemente a tentação de reduzir a sua missão às dimensões de um projeto simplesmente temporal; os seus objetivos a uma visão antropocêntrica; a salvação, de que ela é mensageira e sacramento, a um bem-estar material; a sua atividade – esquecendo todas as preocupações espirituais e religiosasa iniciativas de ordem política social. No entanto, se fosse assim, a Igreja perderia o seu significado próprio. A sua mensagem de libertação já não teria originalidade alguma e ficaria prestes a ser monopolizada e manipulada por sistemas ideológicos e por partidos políticos. Ela já não teria autoridade para anunciar a libertação, como sendo da parte de Deus. Foi por tudo isso que nós quisemos acentuar bem na mesma alocução, quando da abertura da terceira Assembléia Geral do Sínodo, ‘a necessidade de ser reafirmada claramente a finalidade especificamente religiosa da evangelização. Esta última perderia a sua razão de ser e se apartasse do eixo religioso que a rege: o Reno de Deus, antes de toda e qualquer outra coisa, no seu sentido plenamente teológico”[Grifos nosso] (Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi nº32). A TL vive justamente o condenado pelo Papa Paulo VI: felicidade temporal, bem estar material, esquecem do religioso, são monopolizados e manipulados por partidos políticos (em especial o PT- Partido dos Trabalhadores). Nós sabemos que a sabedoria da Igreja é incontestável. O que o Papa diz é vindo de Deus, pois foi dado essa autoridade pelo próprio Jesus (cf. Mateus 16,17-18). E como se dizem católicos vivendo dessa maneira? Negando o papado em nome de uma libertação que não se dá na cruz.
            Para vocês terem uma idéia de que os heréticos da libertação condenam a Igreja de fato mesmo se considerando “católicos, vejam a descrição de um grupo da TL no Facebook: “Esse é um grupo para vivenciarmos, debatermos, partilharmos, refletimos sobre a Teologia da Libertação, possamos especialmente contribuir para um cristianismo liberto de amarras e dogmatismos que possa contribuir no fortalecimento da esperança dos mais pobres e das lutas pela libertação. Amém, axé, awere, aleluia”(grifos nosso).De antemão já chamo a atenção para o sincretismo religioso que consta no final da frase; mas a discussão não é essa neste texto. Como assim se libertar de dogmatismos em nome da esperança dos mais pobres? Parece papo de protestante militante contra a Igreja ou de ateu inconformado. Isso é a teologia (que de teologia não tem nada) da libertação, que faz é você se libertar do amor de Deus, em nome de uma caridade que faz da sua alma uma esmola pro diabo. Ainda com a sabedoria de Paulo VI, vejamos o que ele nos diz sobre o ensinamento da Igreja ainda no mesmo documento citado acima: “O sucessor de Pedro é assim, pela vontade de Cristo, encarregado do ministério preeminente de ensinar a verdade revelada” (nº67). “mantenham uma comunhão sincera com os Pastores que o Senhor dá à sua Igreja, e também com o Magistério que o Espírito de Cristo lhes confiou” (nº 58). Como assim esses heréticos (não só da libertação) condenam o Magistério da Igreja e o Papado? Como já disse, parece protestantismo militante parecido com de Lutero, que em nome de sua “libertação” religiosa teve um triste fim. E a TL prega claramente contra Igreja, o Paulo VI ainda diz que devemos ser fiéis ao magistério da Igreja; e que a evangelização parte da Igreja e assim não se pode pregar contra ela. Sabendo que o a Igreja é o corpo místico de Cristo, o que a TL e grande parte dos hereges fazem, é pregar contra Cristo. (claro que sabemos que nem todas as pessoas que estão na TL e outros movimentos estão por má fé, as vezes é uma falta de conhecimento, que faz as pessoas se perderem [cf. Oséias 4,6] mas deve-se sempre nos libertamos da ideologia do mundo para nos adentrar na luz evangélica de Cristo)
            Na Paróquia em que faço parte (apensar de que pouco frequento após iniciar o caminho na Shalom) era da Teologia da Libertação. Aconteceram absurdos como o padre realizar a confissão de multidão. Mas não era como São Padre Pio que ficava 18 horas atendendo confissão; este padre que me refiro ficou com preguiça de atender a confissão de tanta gente e disse “pensem todo mundo nos seus pecados ai...” e deu a absolvição. Vale lembrar que confissão deste tipo é inválida, com a exceção em caso de guerra. Nas Missas ninguém ajoelhava-se na consagração. E muitas outras coisas, a liturgia era morta. E ele era envolvido com o social. Ele foi um dos que entraram na briga para não derrubarem a região em que moro; mas talvez tenha sido motivo para derrubarem a fé e a alma de muita gente para lugar que não tem mais volta. Digo isso, pois minha família é do RN, de uma cidade chamada São Miguel; e um primo meu que tem aversão da Igreja (por motivo quase ateu que relatarei em outro post) diz que não vai para a Igreja pelos seguintes motivos além deste “quase princípio ateu”: o padre diz que é padre só quando esta celebrando a Missa, saiu da Igreja é uma pessoa normal quando qualquer outra (isso o padre de lá diz), e sai da Missa direto pra bar beber cachaça e fumar cigarro (Deus aja para que não faça coisa pior); diz que pede doação e tudo mais para reformar a Igreja, e desde quando ele ia para lá (bem 5 anos desde que minha prima morreu) nada fizeram, a Igreja tinha era desabado o teto pelos relatos. E nisso os padres se envolvem com o social e abandonam o espiritual. Fico triste ao ver que a imagem da Igreja é manchada por estes crápulas vestido de batina (isso quando usam), muitos padres fazem suas besteiras sem sequer querer buscar o conhecimento e sabedoria da Igreja. Ai podemos dizer, que por agora, meu primo está se perdendo pela falta de evangelização e pela frieza da TL.
            Se você, principalmente se for carismático, acha que está livre por ter uma comunidade fervorosa, sinto muito informar, mas orai e vigiai. O próprio Padre Paulo Ricardo profetizou que a TL tinha se infiltrado no Grupos de Oração da RCC para destruí-la por dentro. E se cumpriu. Você vai pra alguns grupos de oração e cai gelo, menos fogo do Espírito Santo. Até padres como o Padre Fábio de Mello defendendo a TL e o Socialismo, ambos condenados pela Igreja. Grupos da RCC que proíbem que se pregue contra o PT e suas ideologias políticas, e contra toda essa corja abortista e maquiavélica. Até na RCC aonde tinha-se um grande mostra de espiritualidade não podemos mais confiar totalmente, hoje a RCC é manchada por essa heresia maldita que com certeza nasceu das mais profundezas dos infernos.
            O Papa Bento XVI também condena esta heresia. “A gravidade da teologia da libertação não é avaliada  de modo suficiente;  não entra em nenhum esquema de heresia até hoje existente; é a subversão radical do Cristianismo, que torna urgente o problema do que se possa e se deva fazer frente a ela” (Cardeal Ratzinger, hoje Papa Bento XVI). E o Papa Bento XVI ainda falou aos Bispos do Brasil o seguinte: "O Santo Padre destacou o abuso, em alguns setores da Igreja, daqueles que insistem em fazer uma análise do Evangelho a partir de elementos marxistas", analisa o presidente do RS-4 e arcebispo de Florianópolis (SC), Dom Murilo Krieger.(grifos nosso) – Assim torna-se insano como tantas pessoas católicas apóiam esta heresia condenada pela Igreja. Mais ainda pessoas sábias como o Padre Fábio de Mello apoiá-la em alguns discursos, assim como também o socialismo que também é condenado. Ou o próprio Gabriel Chalita que é um político “católico” declarado. Nisso vejamos o que diz o Papa Leão XIII: “Não ajudar o socialismo – 34. Tomai ademais sumo cuidado para que os filhos da Igreja Católica não dêem seu nome nem façam favor nenhum a essa detestável seita” (Quod Apostolici Muneris, no. 34). Não sei você, mas eu estou com a Igreja, com o Papa, e não com essas heresias que acabam por sair da boca e do coração de certos sacedotes e militantes leigos. Ainda mais TL que é marxista, totalmente comunista, movimento (comunismo) que era um dos males que se espalhariam pelo mundo segundo as revelações de Fátima. O povo precisa saber com o que está lidando na Igreja. Existem muitos lobros revestidos de cordeiro.
            O Papa e os santos não são seguidos. Mas são seguidos pessoas como Leonardo Boff, que era frade franciscano, que renunciou seus votos para seguir suas heresias “libertadoras”. É de Deus algo que faz religiosos se tornarem heréticos e militantes contra a Igreja? Ele largou a vida religiosa para se casar com uma mulher casa. É este o exemplo que você quer seguir? Dêem um basta nessa heresia. Chega de tanta apostasia, sejamos quentes. O povo ta morno demais. Precisamos de uma evangelização verdadeira como nos pede o Papa Bento XVI e também ja nos pedia Paulo VI na referida Exortação Apostólica.
            E o bem-aventurado João Paulo II disse a jornalistas: Se se começa a politizar a teologia, já não é mais teologia. Trata-se de uma doutrina social, um tipo de teologia, mas não de doutrina religiosa.” E ainda para terminar este texto, quero bradar  segundo o que João Paulo II também disse à jornalistas: “A TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO É UMA FARSA!”
           Salve Maria Santíssima!
           Shalom!

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Pequena Coroinha da Santíssima Virgem Maria


V: Dignáre me laudáre te, Virgo sacráta.
R: Daa mihi virtutem contra hostes tuos.
Creio em Deus.
I
Pater noster,
Ave, Maria.
Beata es, Virgo Maria quae Dominum portasti, Creartorem mundi: genuisti qui te fecit, et in
aeternum permanes virgo.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Ave, Maria.
Sancta et immaculata virginitas, quibus te laudibus efferam nescio capere non poterant, tuo
gremio contulisti.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.Ave, Maria.
Tota pulcra es, Maria, et macula originalis non est in te,
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Ave, Maria.
Tot tibi sunt dotes, Virgo, quot sidera caelo.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Gloria Patri.
II
Pater Noster.
Ave, Maria.
Gloria tibi sit, Imperatrix poli: tecum nos perducas ad gaudia caeli.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Ave, Maria.
Gloria tibi sit, thesauraria gratiarum Domini: fac nos participes thesauri tui.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Ave, Maria.
Gloria tibi sit, Mediatriz inter deun et hominem: fac nobis propitum Omnipotentem.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Ave, Maria.
Gloria tibi sit, haeresum et daemonum interemptria: sis pia nostra gubernatrix.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Gloria Patri.
III
Pater nodter.
Ave, Maria.
Gloria tibi sit refugium peccatorumm: intercede pro nobis ad Dominum.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Ave, Maria.
Gloria tibi sit, orphanorum Mater: fac nobis propitius sit omnipotens Pater.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Ave, Maria.
Gloria tibi sit, laetitia iustorum: tecum nos perducas ad gaudia caelorum.
V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Ave, Maria.
Gloria tibi sit, in vita et morte adiutrix praesentissima: tecum nos perducas ad caelorum
regna.V: Gaude, Maria Virgo.
R: Gaude millies.
Gloria Patri.
Oremus. Ave, Maria, filia Dei Patris. Ave, Maria, Mater Dei Filii. Ave, Maria, Sponsa
Spiritus Sancti. Ave, Maria, teplum totius Trinitatis. Ave, Maria, domina mea, bona mea,
rosa mea, regina cordis mei, mater, vita, dulcedo et spers nostra carissima, imo cor meum et
anima mea. Tuus ego sum, et omnia benedicta. Sit ergo in me anima tua, ut magnificet
Dominun; sit im me spiritus tuus, ut exsultet in Deo. Pone te, Virgo fidelis, ut sinaculum
super cor meum, ut in te et per te Deo fidelis inveniar. Largire, o benbenigma, ut illis
annumerer quos tamquam filios amas, doces, dirigis, foves, protegis. Fac ut, amore tui,
terrenas omnes sperrnens consolationes, caelestibus semper inhaeream; donec in me, per
Spiritum Sanctum Sponsum tuum fidelissimum, et te fidelessimam eius sponsam, formetum
Iesus Chritus Filius tuus, ad gloriam Patris. Amen. 

***
TRADUÇÃO:

V: concedei-me que vos louve, Virgem sagrada.
R: Daí-me valor contra os vossos inimigos.
Creio em Deus.
I
Pai-nosso
Ave, Maria.
Sois bem-aventurada, Virgem Maria, que levastes em vosso seio o Senhor, Criador do
mundo; destes à luz a quem vos formou, e sois Virgem perpétua.
V:Alegrai-vos, Virgem Maria.
R:. Alegrai-vos mil vezes.
Ave, Maria.
O santa e imaculada virgindade, não sei com que louvores vos possa exaltar; pois quem os
céus não podem conter, vós o levastes em vosso seio.
V:. Alegrai-vos, Virgem Maria.
R: Alegrai-vos mil vezes.
Ave, Maria.
Sois toda formosa, Virgem Maria, e não há mancha em vós.
V: Alegrai-vos, Virgem Maria.
R: Alegrai-vos mil vezes.
Ave, Maria.
Possuís, ó Virgem Santíssima, tantos privilégios, quantas são as estrelas no céu.
V: Alegrai-vos, Virgem Maria.
R: Alegrai-vos mil vezes.
Glória ao Pai.
II
Pai-Nosso. Ave, Maria.
Glória a vós, imperatriz do céu; conduzi-nos convosco aos gozos do paraíso.
V: Alegrai-vos, Virgem Maria.
R. Alegrai-vos mil vezes. Ave, Maria.
Glória a vós, tesoureira das graças do Senhor; dai-nos parte em vosso tesouro.
V:. Alegrai-vos, Virgem Maria.
R:. Alegrai-vos mil vezes.
Ave, Maria.
Glória a vós, medianeira entre Deus e os , homens, tornai-nos propício o Todo-poderoso.
V: Alegrai-vos, Virgem Maria.
R: Alegrai-vos mil vezes.
Ave, Maria.
Glória a vós, que esmagais as heresias e o demônio: sede nossa bondosa guia.
V: Alegrai-vos, Virgem Maria.
R: Alegrai-vos mil vezes.
Glória ao Pai.
III
Pai-Nosso.
Ave, Maria.
Glória a vós, refúgio dos pecadores; intercedei por nós junto ao Senhor.
V: Alegrai-vos, Virgem Maria.
R: Alegrai-vos mil vezes.
Ave, Maria.
Glória a vós, Mãe dos órfãos; fazei que nos seja propício o Pai todo-poderoso.
V:Alegrai-vos, Virgem Maria.
R: Alegrai-vos mil vezes.
Ave, Maria.
Glória a vós, alegria dos justos; conduzi-nos convosco às alegrias do céu.
V: Alegrai-vos, Virgem Maria.
R: Alegrai-vos mil vezes.
Ave, Maria.
Glória a vós, nossa. auxiliadora mui prestimosa na vida e na morte; conduzi-nos convosco
ao reino do céu.
V: Alegrai-vos, Virgem Maria.
R: Alegrai-vos mil vezes.
Glória ao' Pai.
Oremos. Ave, Maria, Filha de Deus Pai. Ave, Maria, Mãe de Deus Filho. Ave, Maria,
Esposa do Espírito Santo. Ave, Maria, templo da Santíssima Trindade. Ave, Maria, Senhora
minha, meu bem, meu amor, Rainha do meu coração, Mãe, vida, doçura e esperança minha
mui querida, meu coração e minha alma. Sou todo vosso, e tudo que possuo é vosso, ó Virgem sobre todos bendita. Esteja, pois, em mim vossa alma, para engrandecer o Senhor,
esteja em mim vosso espírito, para rejubilar em Deus. Colocai-Vos, ó Virgem fiel, como
selo sobre meu coração, para que, em vós e por vós, seja eu achado fiel a Deus. Concede i,
ó Mãe de misericórdia, que me encontre no número dos que amais, ensinais, guiais,
sustentais e protegeis como filhos. Fazei que, por vosso amor, despreze todas as
consolações da terra e aspire só às celestes; até que, para a glória do Pai, Jesus Cristo, vosso
Fi- lho, seja formado em mim, pelo Espírito Santo, vosso Esposo fidelíssimo, e por vós, sua
Esposa mui fiel.
Assim seja. 

Acesse o Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem (completo): http://www.perfeitadevocao.org/download/TratadoDaVerdadeiraDevocao2.pdf

Frente Parlamentar Contra o Aborto vai propor projeto de decreto legislativo para suspender a decisão do STF sobre Anencéfalos.


EDUARDO BRESCIANI / BRASÍLIA – O Estado de S.Paulo
O senador Cyro Miranda (PSDB-GO) vai apresentar  um parecer na Comissão de Direitos Humanos do Senado defendendo que o diagnóstico de anencefalia para a permissão do aborto legal seja resultado da análise de uma junta de três médicos.
O objetivo é auxiliar a regulamentação desse tipo de interrupção de gravidez permitido pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Em contraponto, a Frente Parlamentar Contra o Aborto vai se reunir no mesmo dia para propor um projeto de decreto legislativo para suspender a decisão do Supremo.
O relatório do senador goiano é um projeto de Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) que visava a liberar o aborto de fetos anencéfalos. Parecer anterior, da ex-senadora Marinor Brito (PSOL-PA), propunha a exigência de dois laudos médicos. “É preciso ter certeza médica, então estou fazendo essa alteração para que tenhamos uma junta de três médicos para fazer o diagnóstico e evitar um empate se a análise fosse de dois profissionais”, diz Miranda.
O texto também prevê a necessidade de consentimento da grávida ou de seu representante legal em caso de menor de idade ou incapaz.
O senador pedirá ao presidente da comissão, Paulo Paim (PT-RS), a votação da proposta até o final deste mês. Ele defende que o debate sobre o tema não seja contaminado por questões ligadas à descriminalização ou à legalização do aborto.
Não podemos misturar as coisas, mas também não podemos ficar engessados. Esses casos de anencefalia são gravíssimos e podem pôr em risco a gestante.”
Coordenadora da bancada feminina, a deputada Janete Pietá (PT-SP) defende que o Congresso faça o debate sobre o tema, mas mantenha a direção adotada pelo STF. Ela também disse que pode ser aberto um espaço para o debate da permissão da interrupção da gravidez no caso de outras doenças. “Essa decisão pode abrir essa discussão, que é muito polêmica e vai levar muitos meses para poder avançar para abranger outras doenças.” Pietá ressaltou, porém, que há na bancada feminina posições divergentes sobre o tema.
Revés
O deputado Salvador Zimbaldi (PDT-SP), que comanda a frente contrária ao aborto, vai colocar em discussão na próxima semana uma proposta para tentar reverter a decisão do Judiciário. A intenção é fazer com que o Congresso aprove um projeto de decreto legislativo suspendendo os efeitos decorrentes da posição do Supremo Tribunal Federal. Ele destaca já existir no Congresso diversos projetos permitindo ou proibindo o aborto de anencéfalos e critica o que chama de “interferência” do STF.
Além do questionamento sobre o mérito da decisão, os parlamentares da frente manifestam temor de que a liberação da interrupção da gravidez no caso de anencéfalos leve a fraudes em laudos para permitir aborto em outros casos.
A frente conta com mais de 200 deputados e senadores e espera receber o apoio de parlamentares católicos e evangélicos para enfrentar a posição do Supremo.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

A vergonha do STF: 1ª Parte

CNBB lamenta decisão do STF sobre aborto de bebês anencéfalos


CNBB


A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), logo após a conclusão do julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira, 12, sobre a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 54, que descriminaliza o aborto de bebês anencéfalos, emitiu nota oficial lamentando a decisão. 

No texto, os bispos afirmam que "Legalizar o aborto de fetos com anencefalia, erroneamente diagnosticados como mortos cerebrais, é descartar um ser humano frágil e indefeso".

Leia a íntegra da nota:

Nota da CNBB sobre o aborto de Feto “Anencefálico”

Referente ao julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 54

 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB - lamenta profundamente a decisão do Supremo Tribunal Federal que descriminalizou o aborto de feto com anencefalia ao julgar favorável a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental n. 54. Com esta decisão, a Suprema Corte parece não ter levado em conta a prerrogativa do Congresso Nacional cuja responsabilidade última é legislar.

Os princípios da “inviolabilidade do direito à vida”, da “dignidade da pessoa humana” e da promoção do bem de todos, sem qualquer forma de discriminação (cf. art. 5°, caput; 1°, III e 3°, IV, Constituição Federal), referem-se tanto à mulher quanto aos fetos anencefálicos. Quando a vida não é respeitada, todos os outros direitos são menosprezados, e rompem-se as relações mais profundas.

Legalizar o aborto de fetos com anencefalia, erroneamente diagnosticados como mortos cerebrais, é descartar um ser humano frágil e indefeso. A ética que proíbe a eliminação de um ser humano inocente, não aceita exceções. Os fetos anencefálicos, como todos os seres inocentes e frágeis, não podem ser descartados e nem ter seus direitos fundamentais vilipendiados!

A gestação de uma criança com anencefalia é um drama para a família, especialmente para a mãe. Considerar que o aborto é a melhor opção para a mulher, além de negar o direito inviolável do nascituro, ignora as consequências psicológicas negativas para a mãe.   Estado e a sociedade devem oferecer à gestante amparo e proteção

Ao defender o direito à vida dos anencefálicos, a Igreja se fundamenta numa visão antropológica do ser humano, baseando-se em argumentos teológicos éticos, científicos e jurídicos. Exclui-se, portanto, qualquer argumentação que afirme tratar-se de ingerência da religião no Estado laico. A participação efetiva na defesa e na promoção da dignidade e liberdade humanas deve ser legitimamente assegurada também à Igreja.

A Páscoa de Jesus que comemora a vitória da vida sobre a morte, nos inspira a reafirmar com convicção que a vida humana é sagrada e sua dignidade inviolável.

Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, nos ajude em nossa missão de fazer ecoar a Palavra de Deus: “Escolhe, pois, a vida” (Dt 30,19).

 

Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida
Presidente da CNBB



Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário Geral da CNBB

***
Comentário: Quero ver é a CNBB excomungá-los publicamente, uma vez que a maioria se dizem católicos. E no mais, já estão excomungados automaticamente segundo o Código de Direito Canônico. Mas de qualquer forma, seria bom fazer publicamente.