quarta-feira, 28 de março de 2012

Por que então não se casar?


               
            É sabido que já há algum tempo a instituição familiar tem sido vastamente atacada e destruída. Hoje as mulheres ao adquirirem alguns direitos – mesmo que as feministas mais trazem malefícios do que benefícios – começaram a ter outros objetivos na vida. Antigamente o sonho da maioria das jovens donzelas era se casar na Igreja, vestida de branco, com tudo perfeito. Claro que hoje ainda se preservam alguns desses sonhos. Mas no geral, vemos mulheres desde muito cedo, brigando em um mercado de trabalho, e junto com muitos homens buscam o sucesso profissional e nada mais. Nisso poucos casamentos são realizados. E dos que se realizam, muitos são infectados pela doença do divórcio. Esta doença que já há muito se alastrou pelo mundo – em especial em nosso país – matando vários casamentos. E assim, os filhos destes matrimônios contaminados pelo pecado, acabam crescendo com uma certa “descrença” no matrimônio enquanto sacramento, e acabam levando esse repúdio para a vida adulta, e assim, apenas mantendo relações informais, desprezando aquele compromisso que outrora era tão bonito de se ver e de se viver.
            Essa falta de compromisso é visível ainda quando se está em fase de namoro. Antigamente para namorar tinha-se primeiro um cortejo. Depois caso recíproco – dependendo do caso – ia se até o pai da moça, pedia autorização para namorar com sua filha, e então começavam um namoro. Um beijo antigamente tornava-se um escândalo. Já hoje antes de perguntar o nome da moça já estão se agarrando e “engolindo” um ao outro no meio da rua. Temos a praga do “ficar” ou “pegar” que antigamente tinha conotação de estar tendo uma relação com uma pessoa sem compromisso, ou rolou alguma coisa inesperada. Era, em outras palavras, estar beijando uma pessoa sem compromisso algum. Hoje vemos que esses termos estão ligados ao sexo propriamente dito. Até porque se prestarmos atenção, o próprio beijo que muitos dão já leva ao sexo de fato. Hoje se alguém diz que “ficou” ou “pegou” fulano (a), pode estar drasticamente dizendo que obteve relação sexual com essa pessoa. Tudo ficou desordenado e sem compromisso. Tem gente que diz que prefere mesmo ficar “ficando” porque é melhor sem compromisso, ser algo casual, e nisso muitos estão de mão e mão se perdendo. Quem desejará casar com uma pessoa que fica rodada dessa forma?
            Se a juventude já começa desordenada desse jeito, quanto mais quando decidi firmar um compromisso. Mas ao contrário de anos atrás, esse compromisso dito que muitos têm não passa de um disfarce. Afinal, vemos que desprezam a benção da Igreja. Hoje alguém diz: “- vamos casar? Respondem: - vamos!” Aí o que fazem não é mais ir na Igreja marcar a celebração do matrimônio, é só ir na casa do outro buscar as coisas pois vão morar juntos. Mais prático né!? Afinal, a benção de Deus é desnecessária. Mas enganam-se quem pensa assim, pois se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem (cf. Salmo 126[127],1). Por isso vemos cada vez mais pessoas infelizes. Muitas delas porque já vieram de famílias destruídas pelo pecado, com pais divorciados ou amancebados (apenas juntos sem o matrimônio).  O máximo que essas pessoas buscam de compromisso é apenas ir a um cartório e firmar o compromisso civil, esquecendo-se do matrimônio. E Deus aonde fica? Fica querendo fazer parte dessa família, como a família santa de Nazaré. Mas nós o afastamos. E vale lembrar que esse casamento apenas no civil, muitas vezes é feito apenas por dois motivos: ou a mulher está grávida ou querem adquirir os direitos mais seguros em uma eventual separação (ou acabar com esses direitos). Ou no caso apenas de amancebamento sem selar civilmente, é normalmente o primeiro caso.
            Se falarmos apenas humanamente, podemos dizer que não haverá diferença na sociedade. Mas aí que nos enganamos. Como já disse cada vez mais as pessoas tornam-se infelizes em seus relacionamentos por conta disso. Como todas as pessoas dizem ter crença em Deus, posso abertamente dizer que tornam-se infelizes pelo fato de não terem Deus em suas vidas, e assim tornam-se infelizes pois Deus é a eterna felicidade. Não trata-se de um pré-julgamento, mas uma análise geral feita nos acontecimentos da atual sociedade. Muitos que professam a fé católica na Santa Missa, acabam por ter só o casamento civil ou são amancebados (amigados ou como você preferir chamar). E pra essas pessoas especialmente deve-se atentar a este texto. Primeiro o contra testemunho que estão dando. Não digo nem o escândalo pra comunidade em que participa, mas digo no contra testemunho para os filhos e familiares. Eu tenho pais separados, mas graças a Deus ele resgatou-me a tempo de não ser atingido por essa doença de achar que tudo bem, que se pode casar e separar-se muitas vezes. Mas sei que muitos foram infectados, e jazem nas trevas da ausência de Deus. Como já disse uma pessoa que cresce com pais divorciados ou amancebados acabam por ter uma desilusão e rejeição ao matrimônio. Fora os casos que acabam até por cair na homossexualidade.
            Como todos devem saber, o Sacramento significa presença visível e eficaz de Deus. Assim como a Eucaristia está ali Cristo, no matrimônio está ali também o Senhor. Nisso as pessoas ficam infelizes nessas “relações alternativas”, pois não tem a presença de Deus em seu relacionamento. Nisso torna-se por vezes incompreensível a insistência de tanta gente em querer viver amigado e não contrair o matrimônio. Não estou nem falando de casos de pessoas que infelizmente ao fazer a Crisma saíram da Igreja achando que já eram doutores e donos de si mesmos. Eu falo de pessoas que são engajadas e presentes no seio da Igreja. Pessoas que servem em pastorais, e até – pasmem – catequistas e ministros extraordinários da Eucaristia que vivem assim (divorciados e/ou amigados). Que testemunho se dará para um catequizando de Primeira Comunhão ao ver que seu catequista não comunga porque é impedido por não ter contraído o matrimônio e viver amancebado. Aí é contra testemunho duplo: primeiro por mostrar que não acredita nem vive o que ensina, deixando este desacreditar de Cristo na santíssima Eucaristia; e segundo dá um contra testemunho quanto ao matrimônio, porque “se o catequista pode – ele sabe – eu posso também”. E nisso por falta de pastores as ovelhas se perdem (cf. Ezequiel 34,5). Vejamos o que o Catecismo da Igreja nos ensina quanto a esse viver amancebado:
239 - Existe união livre quando o homem e a mulher se recusam a dar uma forma jurídica e pública a uma ligação que implica intimidade sexual.
 A expressão é enganosa: com efeito, que significado pode ter uma união na qual as pessoas não se comprometem mutuamente e revelam, assim, uma falta de confiança na outra, em si mesma ou no futuro?
A expressão abrange situações diferentes: concubinato, recusa do casamento enquanto tal, incapacidade de assumir compromissos a longo prazo.. Todas essas situações ofendem a dignidade do matrimônio, destroem a própria idéia da família, enfraquecem o sentido da fidelidade. São contrárias a lei moral. O ato sexual deve ocorrer exclusivamente no casamento; fora dele, é sempre um pecado grave e exclui da comunhão sacramental.
            Preciso falar mais algo para complementar o que a sabedoria da Igreja nos ensina? Certeza que não! Apenas gostaria de alertar para a última frase da qual sublinhei. Este ato de estar amancebado implica na exclusão da comunhão sacramental. Ou seja, não pode Comungar do Corpo e do Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo, não podem Confessar (só um desabafo, mas sem receber o Sacramento em si, até porque se não poderia comungar). Aí que me vem a dúvida em relação aos crentes: Por que não casar? Afinal temos casos de pessoas vivendo dessa forma a anos, e sabemos que não se separarão. Então por que não se casar, e adquirir a presença real de Deus, e poder participar da seia salvífica do Senhor? Temos que ter consciência queridos irmãos, de que o Senhor disse: quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia (João 6,54). Então para ser salvo é necessário comer e beber do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo. Então por que não param de “contar com a sorte” e casam-se logo e vivem da forma que Deus sonhou? Conheço pessoas nessa situação que sempre brigam, mas nunca o suficiente para se separarem; e também ao mesmo tempo estão bem, em harmonia, mas nunca o suficiente para se casarem. Tomem consciência que isso ocorre pelo fato de satanás não quer a tua salvação, e ele sabendo que uma confissão é mais poderosa que um exorcismo vai querer te impedir que confesse (mesmo os que podem as vezes acontecem coisas para que não o faça, e neste caso específico, impede totalmente). E consequentemente, a Palavra de Deus diz que devemos Comungar para ser salvos, e assim satanás com estes “casamentos” impedem a realização do plano de salvação de Deus para nós.
            As pessoas dizem que falamos isso porque não conhecemos seus parceiros. Mas então, por que não se separa de uma vez então? Até porque adquirindo o matrimônio na Igreja a mudança será espiritual e de presença de Deus que os ajudará a superar os problemas cotidianos. Se a pessoa é um(a) traste mesmo, e por isso não quer casar pra não adquirir o compromisso, separa e salve a ti e a ele. Mas você o ama? Ama mais a ele(a) do que a Jesus Cristo? Viver dessa maneira, tendo pleno conhecimento de seu erro, é o mesmo que negar a cruz de Cristo. Ele se dá por inteiro na Santa Missa, renovando o Sacrifício da Santa Cruz, dando-nos Seu Corpo e Seu Sangue, e muitos sabendo disso, acabam por escolher o parceiro ou parceira no lugar de Jesus Cristo em Corpo, Sangue, alma e divindade. Vale lembrar que encontra-se aí um caso de pecado contra o Espírito Santo, que é um perdão sem pecado. E vale lembrar do que Jesus também disse a respeito de Suas palavras: O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão (Mateus 24,35). Então se foi o Senhor que falou as palavras referidas enquanto comungar pra ser salvo, Ele disse sobre a indissolubilidade do matrimônio, Ele instituiu a Igreja Católica na qual disse o que disse no catecismo, então não sou eu que sou duro e/ou radical, mas sim o Evangelho que muitos hoje têm distorcido.
            Vale ainda lembrar que falamos de CASEM-SE, porque é melhor casar que viver exposto em pecado permanece. Mas isso não vale para quem vive um relacionamento homossexual. Pois sabemos o posicionamento de Deus e da Igreja quanto ao homossexualismo. Tem um post nesse blog para isso, vídeo, etc. Vale lembrar que as pessoas querem mudar os bons costumes, mas esquecem-se que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre (cf. Hebreus 13,8). E pra provar que quanto ao homossexualismo Deus não mudou, veja o que Ele disse para Santa Catarina de Sena sobre o homossexualismo: Santa Catarina de Sena 1354 - 1380
“Esses desgraçados não só são frágeis na sua natureza, mas pior, cometendo o pecado maldito contra a natureza e, como cegos e tolos, com a luz do seu intelecto escurecida, eles não sabem o mau cheiro e da miséria em que se encontram. Não só este pecado cheira mal diante de Mim, que sou o Supremo e Eterna Verdade, mas realmente desagrada-me muito. Não só a Mim, mas aos próprios demónios. Não é que o mal lhes desagrada, porque eles não gostam de nada que seja bom, mas porque a sua natureza foi originalmente angelical, e sua natureza angelical faz com que eles se afastem quando este grande pecado é cometido.”
            Então é isso, sejamos fiéis ao Senhor, e busquemos a santidade tanto enquanto solteiro, quanto no matrimônio. O Senhor se fez homem para que o homem fosse santos. Santifique-mo-nos e busquemos a imitação da Sagrada Família de Nazaré, e principalmente da Santíssima Virgem que preferiu sempre a vontade de Deus do que os prazeres e julgamentos da sociedade
            Salve Maria Santíssima! Shalom!

2 comentários:

  1. OLHE COMO SÃO AS COISAS NESTE MUNDO, ESTOU CASADO A DOIS ANOS, SOU SEPARADO E CASAMENTO ANULADO NO TRIBUNAL ECLESIÁSTICO, NA VERDADE NÃO CREIO QUE SEJA VÁLIDO A IGREJA FAZER ESTA ANULAÇÃO MAS ASSIM O FOI. Morei 4 anos com minha atual exposa, durante nosso namoro coloquei todos os meus problemas, minha maneira de pensar, pois sou católico, e nossa geração de agora, pelo menos os que seguem, é como diz o Padre Jonas, temos que ser duros contra o pecado, mas minha esposa, era digamos, NADA, tudo podia, seisho no ie, espiritismo, a familia dela até aplaudiu o filme do XICO CHAVIER, bom, arduámente falando e falando, contradizendo, mas jamais ouvindo, o uso de camisetas curtas, calças grudadas, ja era motivo de ser chamado de possessivo, ISTO PORQUE A MÍDIA PREGA ESTE FALSO MACHISMO, e esta atitude vai minando o relacionamento quando falta bom senso. ORA EU TINHA DUAS OPÇÕES, CALAR E CONSSENTIR O ERRO E DEIXÁ-LA MORRER ESPIRITUALMENTE, OU FALAR E FALAR, A EXAUSTÃO, E FOI O QUE FIZ. Finalizando a MULHER QUE TANTO AMEI SE FOI, POIS ELA TINHA SEU APARTAMENTO SEU CARRO E SUA FALSA SEGURANÇA, E O PIOR, FOI COM ÓDIO A 3 MESES QUE NEM SE QUER QUER ME VER. SÓ MESMO OBRA DE DEMONIOS PARA INSPIRAR TAL DESTRUIÇÃO, SEI QUE O ATAQUE É CONTRA MINHA PESSOA POIS SOU UM HOMEM DE DEUS, MARIANO, SOU FILHO DE MARIA, MAS O MEIO DE ME ATINGI FOI ATRAVÉS DA MULHER QUE AMO. TRISTE REALIDADE MAS A MULHER SE TORNOU EM MONSTROS SEM CORAÇÃO SEM SENTIMENTO. Abraços e parabens pelo seu texto. OREM POR MIM

    ResponderExcluir