terça-feira, 29 de novembro de 2011

Advento: Preparação para o Natal e para a Parusia.

 
“Sabeis, antes de tudo, o seguinte: nos últimos tempos virão escarnecedores cheios de zombaria, que viverão segundo as suas próprias concupiscências. Eles dirão: “Onde está a promessa de sua vinda? Desde que nossos pais morreram, tudo continua como desde o princípio do mundo”. Esquecem-se propositadamente que desde o princípio existiam os céus e igualmente uma terra que a palavra de Deus fizera surgir do seio das águas, no meio da água, e desse modo o mundo de então perecia afogado na água. Mas os céus e a terra que agora existem são guardados pela mesma palavra divina e reservados para o fogo no dia do juízo e da perdição dos ímpios.” (2Pedro 3,3-7)
            Caríssimos irmãos e irmãs, a Igreja nos convida a viver o Advento. Nos preparar para o Natal do Senhor, e também para a segunda vinda de Cristo. Por isso, digo-vos que necessitais deixar Jesus nascer de verdade em cada um, para estar de fato preparado para a gloriosa volta d’Ele. A Palavra de Deus é clara quanto a sua volta, e os sinais são eminentes, muitos duvidam, mas não há quem escapará do julgamento do Grande e Poderoso Juiz.
            Nessa primeira passagem, o que me chama mais a atenção e que recomendo para o vosso foco, é a seguinte frase: nos últimos tempos virão escarnecedores cheios de zombaria, que viverão segundo as suas próprias concupiscências. Eles dirão: “Onde está a promessa de sua vinda? Desde que nossos pais morreram, tudo continua como desde o princípio do mundo. É ou não é a deprimente realidade em que vivemos? As pessoas não contentes e em não acreditar, zombam nos que crêem, e nos taxam de loucos insanos, e de extremistas religiosos. Mas no entanto, insanidade mental tem que se deixa levar por suas próprias ideologias para ser jogado no fogo eterno.
            Na minha visão, os dias de hoje são semelhantes aos dias da primeira vinda de Cristo. Muitos também duvidavam da vinda de Jesus. E, no entanto Ele veio. Muitos duvidavam que Ele seria o Cristo, no entanto Ele provou numa cruz. Muitos duvidavam que Ele ressuscitaria, e no entanto ao terceiro dia para a Glória de Deus Ele ressuscitou dos mortos. E agora duvidam da sua vinda e, no entanto muitos quebrarão a cara. Na época de Jesus a situação era tão complexa, que mesmo depois de todas as provas, muitos continuaram a não acreditar, tantos que os judeus preservaram-se em bom número até os dias de hoje.
            Mas no meu raciocínio, e pelo que eu vejo nas zombarias (principalmente internet, em ferramentas como Twitter) o problema não é que as pessoas não acreditem em Deus, mas sim que elas querem ser “Deus”. Sabe por quê? Pelo que vai falar São Pedro, que muitos irão zombar e viverão segundo a sua própria concupiscência. É viver segundo a sua própria vontade, viver no pecado, viver infeliz, viver na amargura, viver na lama, o importante é não receber amor porque cada um sabe do que faz. Esse é o problema dessas pessoas que zombam de Cristo e que duvidam de Sua volta. Se Jesus tivesse vindo de uma forma, ensinando que poderia fazer qualquer tipo de pecado que tudo bem, as pessoas com certeza já estaria esperando sua vinda, e talvez não existisse quem duvidasse. Mas como Deus pede a mudança de vida, as pessoas tendem a inventarem suas próprias concepções de “Deus”, e forjando falsas verdades, que em sua maioria dizem que tudo é relativo.
            Mas não veio alertar apenas aos ateus e afins. Venho alertar você que adora abrir a boca pra dizer que crer em Deus, que ama e adora ao Senhor Jesus. Que daria a sua vida por amor a Deus. Mas será mesmo que você é todo esse fogo de santidade? Veja irmãos, que é necessário uma violência de coração para vencermos nossas irias. Precisamos ser rasgados, para tirar tudo de ruim que tem em nós; tudo aquilo que não é vontade de Deus nas nossas vidas. E é isso que, em especial no Advento, é preciso fazer. Pois é preciso ter consciência de que no Céu só entra santo. Muitos serão escolhidos e poucos os chamados, já diz a Palavra de Deus. E nós muitas vezes temos a tendência de não sermos vigilantes, e ai quando Jesus voltar, a casa vai cair e o fogo vai queimar. Vigiai e orai; confessai e comungai; se prostrai e adorai...
            Quem ama confia. Quem ama, busca viver o amor. Se nós amamos tanto a Deus como dissemos, que tal deixarmos o comodismo, e corrermos atrás do nosso amor eterno que é Deus. E nos violentarmos para estarmos prontos para quando o Esposo de nossa alma voltar, e nos levar para o Céu. Pois o Senhor já disse “julgarei entre ovelha e ovelha” (cf. Ezequiel 34,22) então siga as ordens, os conselhos do bom Pastor, que é o próprio Deus, e seja a ovelha condenada à felicidade eterna, vivendo ao lado do seu amor supremo (Deus). Não dêem ouvidos aos zombadores, que de nada sabem e adquirem a culpa de suas própria vontade.
            E lembrando ainda irmãos, que Jesus Cristo pode demorar uma eternidade para voltar, pois São Pedro vai dizer que um dia diante do Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia (cf. 2Pedro 3,8). Não sabemos o dia de sua volta. Mas lembrem-se também, de que nós podemos ir ao Seu encontro a qualquer momento. Ou por acaso estamos nós livres da morte? Uma bala perdida, uma doença, um acidente, catástrofe, ou mesmo a morte natural... Tudo pode nos levar para a próxima vida (ou morte eterna dependendo do seu proceder); por isso a necessidade de viver uma vida santa e irrepreensível. Não sejais hipócritas, pelo contrário, sejais SANTOS!
            E só recordando, o Beato João Paulo II disse em uma de suas ultimas jornadas mundiais da juventude, de que essa geração não passaria sem antes ver a volta de Cristo. Não sabemos que dia será, mas João Paulo II é um santo de Deus, que foi usado por Ele para dizer a vocês: to chegando, por isso, endireitai as vossas veredas (cf. Mateus 3,3).
Ps: buscai consagrar-vos a Virgem Maria nesses tempos que se aproxima o grande dia do Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário